Arquivo do mês: fevereiro 2010

GUERRA AO TERROR Desbanca AVATAR

  

Premiados – produtores Mark Boal, Greg Shapiro e Nicholas Chartier exibem prêmio de Melhor Filme por Guerra ao Terror, ao lado de Kathryn Bigelow. Toby Melville/REUTERS

A diretora norte-americana Kathryn Bigelow saiu abarrotada de troféus da premiação Bafta (British Academy of Film and Television Arts), o Oscar do cinema britânico, que aconteceu Londres, na Inglaterra. Levou seis das oito categorias para as quais foi indicada, com destaque para melhor direção e melhor filme, por Guerra ao Terror. O longa, que retrata a história de uma brigada americana de desativação de explosivos no Iraque, superou o aclamado Avatar, de James Cameron, ganhador do Globo de Ouro. Os dois filmes são apontados como fortes concorrentes ao Oscar. 

O prêmio de melhor ator ficou com Colin Firth, por “Direito de Amar”, e o de melhor atriz com Carey Mulligan, por “Educação”. A jovem Kristen Stewart, de Crepúsculo e Lua Nov”, recebeu o troféu de revelação do ano, chamado Prêmio Orange. Já o prêmio de honra da academia foi concedido à atriz Vanessa Redgrave.

 

SAPUCAÍ LOTADA APLAUDE UNIDOS DA TIJUCA

 

A Unidos da Tijuca voltou a dar SHOW na Marquês de Sapucaí no desfile das campeãs do carnaval do Rio. A escola levou ao Sambódromo novo truque de ilusionismo, cujo protagonista foi seu próprio carnavalesco, Paulo Barros.

Paulo Barros fez rápida demonstração para a platéia, antes de a Tijuca entrar em peso na avenida, uma forma elegante e inteligente de brindar o público que tanto torceu pela escola do Borel. Paulo entrou numa pequena caixa móvel vestido com roupas pretas e em dois segundos deixou o local todo de branco. Na sua frente, seis bailarinas repetiam a troca de fantasias em segundos, dentro de tubos de tecido ou sob um pano que cobria o grupo na passarela.

Grávida, Adriane Galisteu comandou mais uma vez a bateria vestida de melindrosa

A escola fechou o desfile às 4:38h da madruga de domingo sob aplausos, embora não se ouvisse o grito de “é campeã!” dos setores populares da arquibancada. Barros, o mais requisitado para fotos e entrevistas antes e depois do desfile, enfim se emocionou com o título.

Na apuração, quarta-feira, com o resultado, ele se mostrou mais contido. Ele disse que a “ficha caiu”. “Chorei muito hoje, percebi a dimensão de tudo o que fizemos”.

A escola realizou  trabalho notável de recuperação dos carros alegóricos e de fantasias e mais uma vez ofuscou as agremiações que passaram antes pela Sapucaí – Mangueira, Salgueiro, Vila Isabel, Beija-Flor e Grande Rio, pela ordem.

Selinho de Paulo Barros em Galisteu celebra vitória que muda história do carnaval

“O Paulo Barros vai continuar conosco até quando ele quiser. Ele é quem dá as cartas”, afirmou o presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta. Ele disse que o carnaval da escola de samba custou R$ 8 milhões e não quis adiantar qual será o enredo para 2011. “Com o título, quebramos uma barreira, a partir de agora todos vão nos ver como uma escola grande”.

O casal de coreógrafos da comissão de frente da agremiação da Tijuca, Priscila Mota e Rodrigo Neri, mais uma vez manteve o segredo da troca de roupas das bailarinas, a grande sensação do carnaval carioca de 2010. “Foram três meses de ensaios exaustivos. Agora quero descansar”, comentou Rodrigo.

BOTAFOGO BICAMPEÃO !

LOCO ABREU: belo uruguaio, jogador fez jus à fama de craque e marcou o segundo para o BOTAFOGO, levando o time a mais uma TAÇA GUANABARA.

O primeiro gol da partida contra o Vasco foi de Fábio Ferreira, resultante de passe bem armado de LOCO ABREU.

VIVA LOCO ABREU !

BOTAFOGO, BOTAFOGO, O HERÓI EM CADA JOGO

GRITO ROCK no RIO

Grito Rock. Este o nome do festival integrado mais disseminado pelo país. O calendário também se espalhou. Este ano, teve cidade “gritando” já no fim de janeiro. Outras deixaram para o fim do mês. O Grito Rock RJ, por exemplo, vai rolar esta semana, com shows em Niterói e no Circo Voador.

Quinta, em Niterói, e sexta e sábado, no Rio. Como acontece em todo o país, o mix de bandas é eclético. Tem atração consagrada: a bigband brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, que acaba de gravar um DVD para lançar este semestre. Tem atração estreante: o primeiro show do projeto 11:11, reunião de artistas de várias nacionalidades, como o baixista Tchello (Detonautas). E tem atração hors-concours: a banda Velhas Virgens, com 23 anos de estrada, que vem de São Paulo apresentar seu nono CD, “Ninguém beija como as lésbicas”.

De Boa Vista a Pelotas, 80 cidades brasileiras fizeram ou estão fazendo seu próprio grito este ano. São 600 bandas tocando por aí. De rock, principalmente. Mas não só. Como nasceu como alternativa ao som dos tamborins, o festival sempre quis oferecer cardápio variado num período de programação quase monotemática. E agora, após ganhar o Brasil, o Grito Rock começa a se internacionalizar. Cidades hermanas – como Buenos Aires e Córdoba, na Argentina; Montevidéu, no Uruguai; e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia – também estão sediando versões do festival.

IMPRENSA OFICIAL na CASA DAS ROSAS

Crônicas do Inesperado, do embaixador aposentado Renato Prado Guimarães, e Viva o Brasil, com imagens em preto e branco retratadas pelo fotógrafo francês Xavier Roy, são livros com crônicas e fotografias de autores encantados pelo Brasil.. 

 

 O Brasil sob as perspectivas de um brasileiro e de um francês é o tema da noite da próxima segunda-feira (22 de fevereiro) na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37), com o lançamento de dois livros da Imprensa Oficial. Crônicas do Inesperado (R$ 40,00), do embaixador aposentado Renato Prado Guimarães, e Viva o Brasil, do fotógrafo francês Xavier Roy (R$ 60,00), apresentam o país em suas diversas dimensões. O primeiro traz crônicas com episódios curiosos vividos por Guimarães durante os anos em que morou em diversos países em razão de sua profissão, sempre com o Brasil como pano de fundo. O segundo tem pessoas e cenários fotografados por Roy entre 2003 e 2009 nas várias cidades brasileiras que visitou neste período. Os dois autores estarão presentes ao lançamento. 

Ainda inédito no Brasil – a obra foi lançada na Feira de Livros de Frankfurt, em 2009 –, Crônicas do Inesperado mostra um autor dono de uma prosa inteligente e divertida, narrando casos curiosos sobre música, história, futebol, discursos e rotinas diplomáticas. Renato Prado Guimarães exalta a cultura brasileira e o Brasil sem esbarrar em ufanismos – ele escreve, por exemplo, que a primeira carta sobre o Brasil não foi de Pero Vaz de Caminha e que cariocas pagaram a cachaça do carrasco da seleção brasileira na Copa de 1950, o capitão uruguaio Obdulio Varela. Ele contagia o leitor com a mesma surpresa que revela ter sentido nas descobertas ao longo de suas viagens profissionais. As 42 crônicas estão divididas em nove seções, apresentadas por fotografias de Marcos Vilas Boas, também autor da imagem de capa.  

O patriotismo brota das páginas naturalmente, como no episódio da Copa do Mundo de 2006: depois da derrota na Alemanha, o diplomata viu que nossa bandeira estava em liquidação em diversos estabelecimentos da cidade japonesa de Oizumi. “Reclamando que bandeira nacional não se liquida, usei dinheiro do próprio bolso para tirar de circulação todas as que pude localizar. Fiz com isso um bom estoque”, diz.  

Viva o Brasil, por sua vez, é uma exaltação ao País por meio de 119 fotografias, captadas em preto e branco entre 2003 e 2009 durante viagens do fotógrafo Xavier Roy por diversas cidades brasileiras, de São Paulo a Santarém, do Rio de Janeiro aos Lençóis Maranhenses. Roy tem uma carreira marcada principalmente por retratar o aspecto humano dos locais visitados, o que o insere na mesma tradição de fotógrafos como Cartier-Bresson, a dos “profissionais de rua”. Ele foi apresentado ao País pela literatura de Jorge Amado e a música de Gilberto Gil. O livro é co-editado pela Imprensa Oficial e pelo Instituto Totem Cultural. 

Xavier iniciou sua carreira em 1963, como editor musical da Revista Vogue. Alguns anos mais tarde passou a fazer parte da organização da Midem Organization – atualmente Reed Midem –, a maior feira mundial da indústria da música, o que lhe obrigou a realizar inúmeras viagens ao redor do mundo, levando sempre a tiracolo suas máquinas fotográficas. Em 1985, suas fotos foram publicadas pela primeira vez, pela revista Photo Magazine. Em 2003, Xavier deixou a Reed Midem para se dedicar inteiramente à fotografia. 

Em entrevista concedida ao fotógrafo João Kulcsár e publicada na obra, Xavier afirma que no início da carreira imaginava fotografar as ‘diferenças’, mas na realidade somente percebemos essas diferenças através das imagens, e elas são somente superficiais. Para ele, o espírito humano, a alegria, a tristeza, o amor são os mesmos, aqui como em outro lugar.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOTOGRAFIA

Inscrições abertas para projeções do FestFotoPoA – Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre, promovido pelo Santander Cultural  

 IMG_6326.jpg image by gutooo

Até 28 de fevereiro estão abertas as inscrições para o Fotograma Livre 2010, programa de projeções que ocorre no festival 

FestFotoPoA, em sua quarta edição, abrirá a temporada de mostras de artes visuais do Santander Cultural este ano, com homenagem a Thomas Farkas 

Parceria bem sucedida entre o Santander Cultural e o FestFotoPoa em 2007 resultou  na quarta edição do Festival com programação ancorada na instituição de cultura do Grupo Santander Brasil, em Porto Alegre, durante o mês de abril. O Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre, que tem patrocínio do Santander Cultural e Funarte, com apoio do Instituto Moreira Salles, é um projeto multimídia que contempla todas as linguagens e experimentações fotográficas que possam ser exibidas por meio do formato de vídeo. Em 2010, além de uma justa homenagem para Thomas Farkas, uma das maiores referências na fotografia brasileira, o Festival aumentou para um mês e terá um programa de projeções nos ônibus de Porto Alegre. A programação na íntegra será divulgada em breve, mas as inscrições para o Fotograma Livre estão abertas até 28 de fevereiro. 

O programa de projeções Fotograma Livre oferece duas categorias de inscrições em 2010, uma para trabalhos individuais e outra para coletivos fotográficos. A ficha de inscrição e o regulamento estão disponíveis no site www.festfotopoa.com.br/2010/fotograma-livre. Serão selecionados 20 trabalhos, sendo 15 individuais e cinco trabalhos coletivos.

Com a tradição de homenagear profissionais que ganharam destaque pela obra, Thomas Farkas é o escolhido do FestFotoPoa deste ano. A obra de Farkas extrapola a fotografia, rompe as fronteiras brasileiras no cinema documental e insere o frescor da descoberta no discurso fotográfico que se refere como se fosse cinematográfico. Aos 83 anos, o húngaro criado no Brasil continua irrequieto e atento. O Festival já homenageou Martine Frank (França), Cláudia Andujar e Luis Humberto. Os profissionais Rosângela Rennó, Claudio Edinger, Eder Chiodetto, Marcos Bonisson, Rubens Fernandes Junior e a Cia de Foto estão na programação da quarta edição.

Com projetos que respeitam as demandas e os repertórios locais e contribuem para a transformação social, o Grupo Santander Brasil atua na área da cultura formando uma rede de parcerias que promove iniciativas multidisciplinares e contemporâneas. Essa prática potencializa a dimensão educativa, cidadã, interativa e empreendedora da cultura com foco no desenvolvimento, norteando  as centenas de ações institucionais, programas e projetos realizados, além das unidades Porto Alegre e Recife do seu instituto cultural.

AUDIOVISUAL INFFINITO

CIRCUITO INFFINITO DE FESTIVAIS
Canudos – Nova York – Vancouver –Miami
 – Londres – Buenos Aires 
Montevidéu – Roma – Madri – Barcelona
NOVA YORK e VANCOUVER – INSCRIÇÕES ATÉ 20 DE MARÇO

MIAMI, LONDRES, MONTEVIDÉU e BUENOS AIRES – ATÉ 20 DE ABRIL

ROMA, MADRI e BARCELONA – INSCRIÇÕES ATÉ 20 DE JUNHO
I. Poderão participar dos festivais do Circuito Inffinito de Festivais trabalhos em curta e longa metragem no formato 35mm ou HD, produzidos por realizadores/produtores brasileiros ou radicados no país há mais de 03 (três) anos, os quais atendam às seguintes especificações:

a) Filmes finalizados e/ou lançados para o grande público no 2º semestre de 2009 e 1º semestre de 2010;
b) Filmes que possuam cópia final em 35mm ou HD legendada em inglês e/ou espanhol; 
c) Filmes inéditos no circuito comercial nas localidades em que o Circuito Inffinito de Festivais atua. 

II. Serão considerados curta-metragem, filmes de até 20 (vinte) minutos de duração, e longa-metragem, filmes a partir de 70 (setenta) minutos de duração.

III. Os filmes selecionados serão exibidos seguindo um programa preparado pela organização de cada FESTIVAL, não cabendo as empresas produtoras nenhuma decisão referente à data e/ou horário de exibição dos filmes;

IV. A organização de cada FESTIVAL garante somente a 01 (um) representante de cada filme, em período pré-acordado com a produção do Festival, os seguintes itens: hospedagem no hotel sede do Festival, passagem aérea pela companhia aérea determinada pela organização do evento em classe econômica, ida e volta, translado para eventos ligados aos FESTIVAIS, e credenciamento para toda programação;

V. A organização do Circuito Inffinito de Festivais se responsabilizará apenas pela ida OU retorno das cópias selecionadas para o Festival, ficando uma “perna” a cargo do realizador/produtor; No caso de um filme selecionado que venha a participar em mais de um FESTIVAL, o evento anterior arcará com os custos do envio deste filme, de um evento para o outro. Todavia, ficará a cargo do participante o custo do retorno deste material para o Brasil, incluindo a sua tributação.

VI. No caso de cópias que saiam e retorne ao Brasil, a Inffinito ficará responsável pelo processo legal de exportação temporária. No caso de filmes que sejam enviados por terceiros, a Inffinito NÃO poderá se responsabilizar pelos trâmites legais do retorno do filme ao Brasil ficando os mesmos a cargo do realizador/produtor;

VII. Para que a organização do Circuito Inffinito de Festivais seja responsável pelo envio dos filmes, é necessária a apresentação do CPB do filme (Certificado de Produto Brasileiro) expedido pela Ancine. Caso contrário, o Circuito Inffinito fica impossibilitado de fazer esta remessa, ficando a mesma a cargo e responsabilidade do realizador/produtor;

VIII. A organização do Circuito Inffinito de Festivais reserva-se o direito de exibir extratos dos filmes participantes para efeito de divulgação em: TV, CD-Room, internet, material gráfico, anúncios de jornais e revistas, press releases, faixas, galhardetes, em toda campanha publicitária, mídia jornalística, peças e mídias promocionais e vídeos do evento;

IX. A organização do Circuito Inffinito de Festivais se responsabilizará pelos custos de armazenagem e seguro dos filmes sob sua guarda no período do Festival.

FICHA DE INSCRIÇÃO

• Após a confirmação de seus dados siga as instruções para a impressão da ficha • 
• Preencha os dados corretamente e clique em “Enviar” •
• É obrigatório o envio do documento impresso de inscrição com assinatura, rubrica e dados do responsável •

1. DATA E LOCAL 
1.1. O Circuito Inffinito de Festivais será realizado nas seguintes cidades e respectivas datas:
Canudos – 26 de março a 11 de abril 
Nova York – 5 a 12 de junho
Vancouver – 15 a 18 de julho
Miami – 13 a 21 de agosto
Londres – 1 a 5 de setembro
Buenos Aires – 7 a 13 de outubro
Montevidéu – Outubro (data a ser definida posteriormente) 
Roma – Novembro (data a ser definida posteriormente)
Madri – 30 de novembro a 4 de dezembro
Barcelona – 10 a 16 de dezembro

2. INSCRIÇÕES

2.1. Para a pré-seleção, os filmes devem ser apresentados em DVD
2.2. O formulário de inscrição e a cópia do filme (DVD) deverão ser entregues ou postados à Inffinito Núcleo de Arte e Cultura, até o dia 15/03/2010 para o endereço:
Av. das Américas, 3200 grupo 138 
Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
PABX: 55 21 2439-2333 
Cep:22640-102
A/C: Seleção Circuito Inffinito de Festivais 2010

2.3. Deverão ser enviados junto ao DVD os seguintes materiais: 
a) Ficha de inscrição com termo de autorização impresso, datado e assinado;
b) Filmografia do realizador em português, espanhol e inglês; 
c) Sinopse do filme em português, espanhol e inglês (até 15 linhas); 
d) Listagem dos festivais e/ou circuitos comerciais que o filme já tenha participado (caso haja);
e) Lista das premiações do filme (caso haja);
f) 06 fotos em arquivo JPEG ou TIF (300DPI), não podendo ser enviado cromos; 
g) *Cartaz (04 exemplares); 
h) *EPK em beta ou mini-DV com trechos dos filmes sem time code e sem legenda;
i )* DVD legendado em inglês e/ou espanhol (a ser especificado posteriormente)

*materiais a serem entregues somente após o comunicado de seleção oficial

3. SELEÇÃO

3.1. A seleção dos filmes para os festivais do Circuito Inffinito será feita por uma curadoria nomeada pelo Conselho Diretor;3.2. A curadoria do Circuito Inffinito atenderá a critérios artísticos e específicos de cada Festival, além dos citados nos itens I e II, a saber:
• Canudos – curtas e longas metragens com classificação indicativa até 12 anos, exibição somente em 35mm
Nova York – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial americano, inéditos no circuito de festivais realizado nos EUA, cópias legendadas em inglês, exibição HD e 35mm.
 Vancouver – curtas metragens de animação e longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial canadense, inéditos no circuito de festivais realizado no Canadá, cópias legendadas em inglês, exibição HD e 35mm.
Miami – curtas e longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial americano, inéditos no circuito de festivais realizado nos EUA, cópias legendadas em inglês, exibição HD e 35mm.
 Londres – curtas e longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial inglês, inéditos no circuito de festivais realizado na Inglaterra, cópias legendadas em inglês, exibição HD e 35mm.
Buenos Aires – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial argentino, inéditos no circuito de festivais realizado na Argentina, cópias legendadas em espanhol, exibição HD e 35mm.
Montevidéu – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial uruguaio, inéditos no circuito de festivais realizado no Uruguai, cópias legendadas em espanhol, exibição HD e 35mm.
 Roma – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial italiano, inéditos no circuito de festivais realizado na Itália, exibição HD e 35mm.
Madri – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial espanhol, inéditos no circuito de festivais realizado na Espanha, cópias legendadas em espanhol, exibição HD e 35mm.
Barcelona – longas metragens sem critério de classificação etária, inéditos no circuito comercial espanhol, inéditos no circuito de festivais realizado na Espanha, cópias legendadas em espanhol, exibição HD e 35mm.
3.3. Caberá somente a Curadoria selecionar os Festivais do Circuito Inffinito para qual cada filme participará, independente das cidades inscritas pela produtora do filme, ou seja, a inscrição para os Festivais não garante a seleção oficial para um ou mais Festivais.
3.4. Após a seleção oficial as produtoras receberão o regulamento específico de cada Festival para qual o filme for selecionado, que deverá retornar assinado à Inffinito dentro do prazo estipulado no documento.

4. DISPOSIÇÕES GERAIS

4.1. A organização do Circuito Inffinito de Festivais reserva-se o direito de exibir extratos dos filmes selecionados para efeito de divulgação em: TV, CD-Room, internet, material gráfico, anúncios de jornais e revistas, press releases, em toda campanha publicitária, mídia jornalística, peças e mídias promocionais e vídeos do evento.
4.2. O preenchimento e assinatura da ficha de inscrição para o Circuito Inffinito de Festivais 2010 vinculam o participante à aceitação deste regulamento.

 PARA SABER MAIS:

http://www.brazilianfilmfestival.com/pop_festival.html

Olhar sobre Vik Muniz Dá Prêmio ao Brasil em Berlim

O Doc Lixo Extraordinário (Waste Land), co-produção Brasil e Reino Unido exibida na seção Panorama do Festival de Berlim, ganhou os prêmios do público e da Anistia Internacional (AI).
 

Dirigido por Lucy Walker e com 99 minutos de duração, o filme mostra trabalho desenvolvido pelo artista plástico brasileiro Vik Muniz com catadores de lixo do Jardim Gramacho, bairro do município fluminense de Duque de Caxias.  

 foi

O filme (Vik em foto de Camila Girardelli) foi o mais votado pelo público presente às projeções da seção Panorama. O prêmio será entregue amanhã, Dia do Espectador, fechando o Festival de Berlim. Além disso, Lixo Extraordinário recebeu neste sábado o prêmio da Anistia Internacional junto com a produção palestino-egípcia Son of Babylon, dirigida por Mohammed Al-Daradji.
 

VIK MUNIZ: trabalho reconhecido chega em breve aos cinemas

Após receber o prêmio da AI, Walker disse à Agência Efe que os catadores de lixo são pessoas “dignas, valentes e inspiradoras” e afirmou se sentir “muito feliz” pelo fato de que o prêmio vai permitir que mais espectadores os conheçam. Segundo a cineasta, é uma “honra” que seu documentário, também premiado no último festival de Sundance, sirva para explicar “ao mundo” a vida dessas pessoas.
 

Walker insistiu na importância da reciclagem do lixo afirmando que “cada ação individual conta e é importante” e assegurou que trazer seu documentário para Berlim e conquistar um prêmio “foi um sonho”. O júri do prêmio da Anistia Internacional destacou o grande valor e compromisso político e social tanto de Lixo Extraordinário como de Son of Babylon.
 

Son of Babylon é um road-movie que narra com humor a situação no Iraque semanas depois da queda do regime de Saddam Hussein. A história é contada a partir do ponto de vista de um menino curdo que percorre o norte do país em busca do pai. Os prêmios do júri internacional do Festival de Berlim, presidido pelo diretor alemão Werner Herzog, serão divulgados esta noite durante a festa de encerramento.

DORMIR à Tarde Faz BEM

Estudo da Universidade Californiana de Berkeley revela: uma hora de sesta (sono à tarde) pode tornar as pessoas mais inteligentes, pois serve para arejar a mente e melhorar a capacidade de aprendizagem.

“O sono não só cura o mal-estar do cansaço prolongado mas, em nível neurocognitivo, leva além de onde a pessoa estava antes de tirar a sesta”, explica Mattew Walker, professor de psicologia nessa universidade americana e principal autor da pesquisa.

A descoberta reforça a hipótese de que o sono facilita o armazenamento da memória a curto prazo e permite espaço para novas informações, assegura Walker.

Ele apresentou neste fim de semana seu estudo preliminar, no encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS, na sigla em inglês) em San Diego, Califórnia.

Método

Para chegar a essa conclusão, os cientistas tomaram como amostra 39 adultos saudáveis, que foram divididos em dois grupos: os que tiram uma sesta e os que não o fazem.

Durante um dia estas pessoas foram expostas a dois exercícios de aprendizagem para colocar à prova o hipocampo, uma região do cérebro que ajuda a armazenar memórias sobre eventos.

Uma delas foi realizada ao meio-dia, quando ainda os resultados obtidos por ambos os grupos não foram muito díspares.

Às 14h, apenas um dos grupos dormiu noventa minutos, e em seguida, todos foram submetidos a uma segunda rodada de exercícios, quando se pôde observar que os piores resultados correspondiam aos que não tinham tirado a sesta.

Ritmo lento

Segundo Walker e sua equipe de pesquisadores, permanecer muitas horas acordado leva a que nossa mente funcione a um ritmo mais lento.

Concretamente, passar a noite acordado faz cair em quase 40% a capacidade para empreender novas atividades devido à paralisação de algumas regiões do cérebro durante um período de falta de sono para a pessoa.

A equipe de Walker se propôs agora a averiguar se a redução do tempo de sono com o avanço da idade está relacionada com a perda da capacidade de aprendizagem que acontece conforme envelhecemos.

Descobrir se existe ou não conexão pode ser útil para entender como acontecem os processos neurodegenerativos, como a doença de Alzheimer, segundo Walker.

PAULO JOSÉ no Novo Filme de Selton Mello

No próximo dia 2, SELTON MELLO inicia as filmagens de seu novo longa.

 Depois da estréia na direção em Feliz Natal, o ator comandará agora Filme de Estrada, filme sobre a história de um jovem palhaço (Selton Mello), cansado e desiludido, que divide com seu pai, vivido por Paulo José, a responsabilidade de comandar a trupe do pequeno Circo Esperança pelas estradas do interior do país. Além de dirigir, Selton Mello assina o roteiro do longa.

A produção é da Bananeira Filmes, de Vânia Catani (também produtora do filme anterior de Selton, e dos longos A FEsta da Menina Morta, de Matheus Nachtergaele, e Narradores de  Javé, de Eliane Caffé), e parte das filmagens serão no Pólo Cinematográfico de Paulínia, interior de São Paulo.

Recentemente, a Ancine liberou R$ 800 mil para Filme de Estrada.