Arquivo do dia: 20/05/2010

COMO ASSIM Discute Diversidade Sexual

Organizado pela Câmara de Comércio GLS Brasil, o evento é apoiado pelas Edições GLS, que terá quatro autores na programação: Claudia Wonder, Edith Modesto, Irineu Ramos e Klecius Borges.

A Câmara de Comércio GLS Brasil promove no dia 22 de maio (sábado), a partir das 14h, no Casarão Brasil, em São Paulo, um encontro de autores de temática GLS para debater a diversidade sexual. Batizado de Como Assim, o evento literário contará com participação das Edições GLS e da Editora Malagueta. A programação inclui debate, palestra, leitura de textos e contação de história, com autores e artistas.

O debate, que acontecerá às 16h, terá a participação dos seguintes autores das Edições GLS: a professora Edith Modesto, fundadora do Grupo de Pais de Homossexuais e autora de Entre mulheres – Depoimentos homoafetivos, o psicólogo Klecius Borges, autor de Terapia afirmativa – Uma introdução à psicologia e à psicoterapia dirigida a gays, lésbicas e bissexuais, e a multimídia Claudia Wonder, autora de Olhares de Claudia Wonder – Crônicas e outras histórias. A publisher Laura Barcelar também comporá a mesa.

Às 19h, o professor e jornalista Irineu Ramos Ribeiro fará uma exposição do seu livro A TV no armário – A identidade gay nos programas e telejornais brasileiros, com lançamento previsto para junho, também pelas Edições GLS. Fruto de ampla pesquisa sobre a cobertura dada pela TV à questão da homossexualidade, a obra revela como as emissoras ainda se pautam pelo preconceito e pela falta de informação. Ao mergulhar nesse universo, Ribeiro analisa a programação das emissoras e mostra a dificuldade e os equívocos que ocorrem quando precisam lidar com as diferenças sexuais na telinha.

No livro Entre mulheres, Edith apresenta uma coletânea de relatos de lésbicas de diversas idades e ocupações que expõem, sem pudores, as descobertas, as angústias, os sucessos e as derrotas colecionados durante a luta por reconhecimento e respeito. Já na obra Terapia Afirmativa, Klécios Borges apresenta a terapia afirmativa como uma nova abordagem psicológica, que surge como contraponto às visões tradicionais que consideram a homossexualidade uma forma patológica ou imatura de expressão afetiva/sexual. Olhares de Claudia Wonder é uma compilação que apresenta o multifacetado e fino olhar da atriz, cantora, militante, colunista e diva trans-cult. Claudia revela a sofisticada diversidade criativa e criadora de uma leitura de mundo sui generis e inédita no mercado editorial brasileiro.

Serviço
Evento Literário COMO ASSIM
Data: 22 de maio
Horário: a partir das 14 horas
Local: Casarão Brasil Organizações GLS
Endereço: Rua Frei Caneca 1057 – Consolação -São Paulo – SP
Informações: (11)3171-3739 http://www.casaraobrasil.org.br

Rondônia prepara CurtAmazônia

Entre 25 e 29 de maio acontece em Rondônia a primeira edição do Festival de Cinema Curta Amazônia, que exibirá curtas-metragens de todo o Brasil em mostras competitivas.

Agora a Organização do Festival informa que são 174 filmes e vídeos inscritos no Festival que farão parte da seleção para Mostra Competitiva, representando 19 estados brasileiros. O Festival ainda conta com 6 filmes convidados que não concorrem, totalizando 180 filmes.

Mais informações: http://www.curtamazonia.com

Oficinas Gratuitas para Jovens Roteiristas

Instituto Galpão faz concurso de ROTEIRO

Autores dos textos selecionados participarão de uma oficina de qualificação audiovisual e transformarão o roteiro em vídeo digital. O concurso selecionará 15 roteiros de ficção ou documentário 

Quem tem entre 16 e 26 anos, participa de uma instituição social e deseja fazer um vídeo deve aproveitar a oportunidade! O Instituto Galpão abriu inscrições gratuitas para o concurso nacional de roteiros das Oficinas Galpão de Qualificação e Intercâmbio Audiovisual. O projeto selecionará 15 roteiros, e seus autores farão um curso intensivo de qualificação audiovisual e, depois, transformarão o roteiro em vídeo de curta-metragem. Em seguida, os filmes serão apresentados em telões em ruas e praças durante um circuito de exibição aberto e gratuito.

O projeto é uma realização do Instituto Galpão e conta com patrocínio do Instituto Votorantim e da Fibria. A iniciativa tem por objetivos aprimorar a formação e a inclusão audiovisuais de jovens e proporcionar a troca de experiências vivenciadas pelas instituições sociais. A ideia é contribuir para a formação de receptores críticos e de jovens realizadores capazes de construir conteúdos que expressem anseios, necessidades, questionamentos e opiniões.

Para participar, o jovem deverá escrever um roteiro original de ficção ou documentário de até 15 minutos que deseja transformar em vídeo, preencher a ficha de inscrição com os dados pessoais e as informações sobre a instituição social.

No ato de inscrição, o proponente deverá comprovar a participação e a frequência nas atividades da instituição de inclusão cultural e/ou formação digital há, pelos menos, um ano. As inscrições poderão ser feitas até 25 de junho através da Internet ou via Correios. Ficha de inscrição e regulamento estão disponíveis no site www.oficinasgalpao.org.br

Oficina

Quinze roteiros serão selecionados por uma comissão composta por professores e profissionais renomados do segmento audiovisual. Os jovens autores selecionados participarão das Oficinas de Qualificação e Intercâmbio Audiovisual no período de 19 a 29 de julho, no Espírito Santo.

Com a orientação de profissionais das áreas do cinema e da comunicação, os alunos terão aulas de Roteiro, Direção, Produção, Fotografia e Câmera, Som, Edição, Direção de Arte, Mobilização Comunitária, Direitos Autorais, Mídias Sociais e Comunicação Colaborativa. 

O curso também é uma oportunidade para promover a troca de saberes entre as organizações e entre os jovens e fortalecer uma rede de atuação colaborativa para valorização da cultura como instrumento inclusão, de expressão, de protagonismo juvenil e de transformação social. 

O projeto fornecerá transporte, alimentação e alojamento necessários à participação dos selecionados nas oficinas.

Gravação e Edição 

Depois de dez dias de aulas intensivas, cada jovem retornará à cidade onde mora para a gravação e a edição do curta-metragem com até 15 minutos de duração. O jovem diretor deverá integrar outros jovens da instituição à equipe de trabalho de modo a compartilhar o aprendizado apreendido durante a qualificação. Desde a etapa da produção até a finalização da obra, ele contará com o suporte de equipamentos e serviços contratados pelo projeto. 

Exibição  

Ao final, as obras serão apresentadas em telas de cinema por ruas e praças dentro de um circuito aberto e gratuito. Os vídeos e o making of das principais etapas comporão um box de DVDs que será distribuído, gratuitamente, para instituições sociais, bibliotecas públicas, pontos de cultura, secretarias municipais e estaduais de cultura, entre outros segmentos ligados à cultura e à educação 

Serviço 

Oficinas Galpão de Qualificação e Intercâmbio Audiovisual (Concurso Nacional de Roteiros)

Inscrições: até 25 de junho pelo www.oficinasgalpao.org.br

 Público: Jovens entre 16 e 26 anos integrantes de instituições sociais voltadas para inclusão cultura e/ou formação digital

Mais Informações: 

A Vida, O Tempo, A Psicoterapia

Pioneira da Gestalt-terapia no Brasil, Jean Clark Juliano apresenta textos sensíveis sobre interação com seres humanos.

O ofício de terapeuta não se aprende na faculdade. Ele vai se constituindo com as leituras do profissional, com sua visão de mundo e principalmente com sua disponibilidade de ouvir e compreender o outro.

A experiente psicoterapeuta Jean Clark Juliano apresenta no livro A vida, o tempo, a psicoterapia – Escritos de Jean Clark Juliano, lançamento Summus Editorial, textos sensíveis a respeito da tarefa de interagir com seres humanos. Ela fala sobre mitos e sonhos, memórias e lições, com base em experiências vividas em todas as etapas pessoais e profissionais de uma vida intensa.

“O livro contém uma série de histórias verídicas, acontecidas ao longo do tempo. Conto episódios ocorridos em várias fases da vida, deixando um rastro de aroma e sabor variados”, revela a autora.

Dividido em duas partes, o livro traz as reflexões da autora sobre a psicoterapia, a vida e outros escritos. A primeira aborda um pouco da teoria gestáltica, mas nunca de maneira hermética. A autora fala sobre sua experiência profissional, os diversos passos dados do início ao fim do trabalho terapêutico e discute a ideologia subjacente a ele e as possíveis intervenções que surgem durante o processo. Ela adiciona também cartas enviadas a alguns amigos, entre eles Paulo Barros, falecido em 2006. “Um dos objetivos do livro é servir como uma trilha que oriente o leitor interessado em psicoterapia.

Gosto de trabalhar com histórias, fatos ocorridos e contos de fadas, pois os considero instrutivos sem serem ameaçadores”, afirma a autora. O objetivo da psicoterapia, diz ela, é a restauração do diálogo do cliente com o seu mundo. “Partimos do pressuposto de que, em algum ponto do seu desenvolvimento, esse diálogo foi gravemente interrompido, o que tornou a pessoa descrente das suas possibilidades”, complementa.

Na segunda parte da obra, Jean deixa correr a veia de escritora e encanta os leitores com sua visão de mundo quase sempre otimista. A autora inclui alguns textos infantis, que provocam uma suave nostalgia em relação ao aparecimento da “criança interna”, e relata também situações tristes ligadas à maturidade e ao processo de envelhecimento. “Meus textos vêm do contato com o cliente e também da minha imaginação, que é o melhor bálsamo para as dores que nos assaltam de vez em quando”, afirma a psicoterapeuta. Para ela, a Gestalt de hoje está em plena transformação. “Já se fala em Gestalt-literatura, baseada na aceitação de troca de histórias entre terapeuta e cliente, o que outrora constituía um pecado mortal“, revela.

No epílogo, mais que emocionante, a autora mostra que, mesmo diante das maiores adversidades, é possível superar obstáculos e seguir em frente. Ela fala da tranquilidade vivida durante uma colorida maturidade e conta como a vida a surpreendeu nos últimos anos: admite estar com a Doença de Parkinson e revela como isso afetou sua vida e que formas de resistência ela desenvolveu.

Trata-se de um livro que se lê pensando na própria vida, sem deixar de se fascinar pelo relato da autora. Os comentários das calmas inquietações da autora mostram que o erro aliado à paciência, à delicadeza, à esperança e à falta de preconceitos está no mapa de grandes descobertas que só um olhar tão respeitoso quanto curioso pode proporcionar.

A autora

Jean Clark Juliano é formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Supervisora em psicologia clínica e em psicologia educacional, é uma das fundadoras do grupo de Gestalt do Brasil, criado há mais de quarenta anos. Jean deu aulas em diversas instituições de ensino, mantém grupos de estudos em várias cidades brasileiras e foi professora do curso de especialização em Gestalt-terapia do Instituto Sedes Sapientiae. Cofundadora do Centro de Estudos de Gestalt de São Paulo, é membro do corpo editorial da Revista de Gestalt e uma das fundadoras da International Gestalt Therapy Association. Desde a década de 1970 atende adolescentes e adultos em consultório particular na cidade de São Paulo. Palestrante em eventos nacionais e internacionais na área de Gestalt, Jean é autora de A arte de restaurar histórias (Summus, 1999).

Título: A vida, o tempo, a psicoterapia – Escritos de Jean Clark Juliano
Autora: Jean Clark Juliano
Editora: Summus Editorial
Preço: R$ 37,90
Atendimento ao consumidor: 11-3865-9890
Site: http://www.summus.com.br

Clique na imagem para fazer o Download...