Arquivo do dia: 05/06/2010

Concurso de Crítica Cinematográfica

A Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural da Bahia (Dimas) abriu inscrições para o III Concurso Estadual de Crítica Cinematográfica Walter da Silveira. O edital, que tem o objetivo de incentivar a reflexão cinematográfica e o surgimento de novos críticos de cinema, é válido apenas para críticos não-profissionais.

As propostas contempladas serão premiadas com R$ 3.000 (três mil reais) para o primeiro colocado, R$ 2.000 (dois mil reais) para o segundo, e R$ 1.500 (hum mil e quinhentos reais) para o terceiro. O regulamento do edital, a ser aberto até 16 de julho, está disponível para download e consulta nos sites www.dimas.ba.gov.br e www.funceb.ba.gov.br.

Outras informações: (71) 3116-8100

Rosária e a Animação de Niemeyer

Estudantes da rede pública iniciam segunda-feira (07) os desenhos das cenas de um curta-metragem de animação, a ser ue será apresentado na noite de encerramento do  17º Vitória Cine Vídeo.  

Estela, uma estudante de ensino fundamental de Vitória, embarca numa nave do tempo para uma aula diferente sobre história. Acompanhada de um dos mais importantes arquitetos  contemporâneos do mundo, Oscar Niemeyer, ela passeia pelas curvas das principais obras do artista ao mesmo tempo em que assiste a acontecimentos históricos. 

O roteiro orientará um grupo de alunos da rede pública na produção das primeiras cenas do curta-metragem da nova edição do Projeto Animação. A atividade faz parte da oficina de animação a se realizar de segunda-feira a sexta (11/06), na Escola Municipal de Ensino Fundamental Neusa Nunes Gonçalves, de Nova Palestina, em Vitória. 

Esta será a segunda de cinco oficinas em preparação ao filme de animação que será apresentado na noite de encerramento do 17º Vitória Cine Vídeo, marcado para o final do ano. A realização é do Instituto Marlin Azul e conta com parceria da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. 

Roteiro

 Durante a primeira oficina, realizada em maio, os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Áureo Monjardim, de Fradinhos, discutiram e desenvolveram o roteiro da obra audiovisual com o acompanhamento da cineasta Luelane Corrêa

A inspiração para o desenvolvimento da história foi o arquiteto Oscar Niemeyer, um dos mais reconhecidos profissionais da arquitetura contemporânea internacional, responsável por criar novas formas de utilização do concreto armado, redesenhando o espaço urbano. 

Nascido no Rio de Janeiro, em 1907, o artista elaborou projetos como os edifícios públicos de Brasília (Congresso Nacional, Palácio do Planalto, Palácio Alvorada); o Memorial da América Latina; o Museu de Arte Contemporânea e a sede da Organização das Nações Unidas (ONU); entre várias outras obras espalhadas pelo Brasil e pelo Mundo.

A fundação ligada ao arquiteto autorizou o desenvolvimento do filme a partir das informações disponibilizadas no site da instituição (www.fundacaooscarniemeyer.com.br). Os estudantes capixabas homenagearão o arquiteto percorrendo uma linha do tempo para lembrar as principais obras do artista e alguns acontecimentos da história do Brasil e do Mundo ocorridos ao longo destes 102 anos de vida de Niemeyer, que completa 103 anos em 15 de dezembro.

 Animação 

Nesta segunda fase, os estudantes de Nova Palestina darão forma e cores à história criada pela primeira turma do projeto. Para montar as cenas, eles aprenderão técnicas de animação como desenho em papel, animação em massinha, recorte e pixilation (técnica de animar pessoas através do uso da fotografia digital).

Tem um Dragão no meu Baú, criação da carioca Rosária

Os alunos serão orientados pela animadora Rosária, do Rio de Janeiro. Dentre seus trabalhos, a produção de vinhetas, videoclipes e campanhas institucionais para televisão. No cinema, além de animar várias sequências de filmes, escreveu, dirigiu e animou o premiado curta Tem um Dragão no Meu Baú (2005) e o recém-lançado A Menina da Chuva, ambos com roteiros premiados pelo Ministério da Cultura. 

As próximas oficinas serão desenvolvidas, entre os meses de julho e setembro, na EMEF Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Maria Ortiz; EMEF Eliane Rodrigues dos Santos, na Ilha das Caieiras; e novamente na EMEF José Áureo Monjardim, em Fradinhos.

Finalizado em 35 mm, o curta terá roteiro, desenho, animação e direção de 150 alunos do 6º ao 9º ano (5ª a 8ª série) do ensino fundamental de quatro escolas públicas da capital.

 Saiba mais 

Criado em 2001, o Projeto Animação tem por objetivo desenvolver as formas de expressão e promover o resgate cultural e artístico, democratizando o acesso aos bens culturais pela população infanto-juvenil local. A cada ano, um novo filme é produzido por novas turmas de alunos, possibilitando a inclusão e o desenvolvimento do saber audiovisual para turmas de crianças e adolescentes.

Desde a criação do projeto foram realizados os seguintes curtas-metragens: Mangue e Tal (2002); Portinholas (2003); Zen ou Não Zen? Eis a questão (2004); Vitória pra Mim (2005); Albertinho (2006); Ele (2007); Mestre Vitalino e Nós no Barro (2008) e Um Fio de Esperança (2009).

O GRANDE KILAPY

Este é o nome em angolano do filme O Grande Golpe, co-produção Brasil, Portugal e Angola, agora entrando em fase de pré-produção.

João Pessoa, terra de Herbert Vianna, será sede das filmagens brasileiras

A produtora brasileira é a Raiz Produções (leia-se Assunção Hernandez) e a direção é do premiado cineasta angolano, Zezé Gamboa. Inspirado em fatos e personagens reais, conta a história de Joãozinho,  jovem angolano, de  família  bem posicionada na sociedade dos tempos da colônia. Joãozinho, mestiço, bon vivant, mulherengo, nada  afeito a questões políticas, mas leal aos amigos, a maioria deles militantes na luta pela libertação de Angola do jugo português. 

Joãozinho é tão generoso que chega mesmo a destinar parte do dinheiro que arrebanha de forma fraudulenta do Banco Nacional Angolano, onde é alto executivo, aos amigos, para fugirem  do país, escaparem das prisões e manter os revoltosos.  Acaba   preso por corrupção, mas sai  nos  braços do povo, como herói nacional, quando as portas das prisões se abrem, libertando a  todos,  a maioria  deles, combatentes da  agora vitoriosa luta  pela  independência de Angola, que culminou com a  revolução de  Abril em Portugal. 

As filmagens começam em julho, em Portugal, e no Brasil, na cidade de João Pessoa, em setembro. A capital paraibana  foi escolhida pelo fato de manter uma arquitetura que  bem  representa os anos de 1965 a 1974, ao contrário da Luanda de hoje, destruída nas guerras de libertação e lutas internas, e não  reconstruída até hoje. 

Lázaro Ramos será o protagonista do filme, cujoque elenco será formado, em sua maioria, por atores brasileiros. Estão sendo convidados: Chico Diaz, João Miguel, Maria Ceiça e Adriana Rabelo, entre outros.

A Serenidade de MESSI

Confira palavras de Messi em entrevista, logo que sleção argentina chegou à Universidade de Pretória, onde está concetrada para a Copa

Quando um argentino chegava a outro país, sempre falavam de Ma­­radona. Agora, falam de Ma­­ra­­dona e Messi. É uma responsabilidade a mais, não?

Não, não é mais responsabilidade. É uma coisa muito linda ser si­­nônimo de Argentina. Mas tomo isso com muita tranquilidade. Sei que há outros jogadores com essa referência dentro do plantel.

Este será o seu Mundial?

Espero que seja o Mundial da Argentina. Que seja uma coisa boa para ela e não apenas para mim. Não penso em ser o melhor da Copa, o importante é somar e que a Argentina seja a campeã do mundo. Nem no Barcelona faço as coisas sozinho. Aqui é igual. Temos grandes jogadores, não apenas um, e temos de aproveitar isso.

Valterci Santos/ Gazeta do Povo – enviado especial / “Para a Argentina só serve ser campeã do mundo. Não adianta nada chegar à final e não vencer. Mas temos de ir com tranquilidade e não meter pressão. Sabemos que ho­­je os fa­­vo­­ri­­tos são os outros e temos de começar do zero, com tranquilidade.” 

Maradona com Tevez e Messi nos treinos

Messi e a Seleção Alviceleste

«Nenhum jogador ganha jogos sozinho» – Messi

Astro argentino afasta pressão e destaca: «nenhum jogador ganha jogos nem torneios sozinho».

«Felizmente temos jogadores muito importantes para tentar ganhar o Mundial», diz Messi, sublinhando que «há que aproveitar» o talento da seleção alviceleste.

A estrela do FC Barcelona revelou ainda que os seis dias que a selecção argentina já leva na África do Sul foram muito importantes, «tanto no plano futebolístico como no pessoal, porque precisávamos de estar juntos durante algum tempo, falar, para nos conhecermos melhor. Estamos a treinar muito bem, há um grande ambiente e, sobretudo, vontade de chegar longe no Mundial», afirma MESSI, que vai jogar com a camise 10 de MARADONA.

Quanto aos onze que irão jogar a primeira partida, contra a Nigéria, Messi diz que Maradona ainda está «a testar possibilidades» e que «nada está definido».