Arquivo do dia: 22/06/2010

Audiovisual em Cariacica

Obras, produzidas a partir de oficinas audiovisuais gratuitas,

abordam conteúdos sobre a preservação do Manguezal

Aberto segunda (21) o circuito de exibição das cinco animações e dos três documentários produzidos pelo projeto Povos e Mangues: o Audiovisual na Educação Ambiental de Cariacica. As obras são resultado das oficinas gratuitas realizadas em diferentes bairros do município junto a grupos de crianças da rede pública de ensino e junto a trabalhadores de três associações ligadas à pesca e à cata de mariscos.

O projeto ofereceu formação nas áreas da linguagem e das técnicas audiovisuais para a produção de conteúdos ligados à educação ambiental.  Agora, os participantes e suas comunidades poderão assistir aos curtas-metragens produzidos durante as oficinas realizadas entre os meses de setembro de 2009 e março deste ano.

A realização é do Instituto Marlin Azul, com o patrocínio do Ministério da Justiça, e conta com a parceria da Secretaria de Meio Ambiente e da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Cariacica, e da Ong Bioma Brasil.

As animações têm roteiro, desenhos, animação e direção de crianças da rede pública de educação e os documentários contam com roteiro e direção de pescadores, marisqueiros e catadores de caranguejo.

As apresentações acontecerão nas escolas participantes, no caso das animações, para alunos, pais e professores; e os documentários serão exibidos em espaços públicos e gratuitos das comunidades onde estão sediadas as associações de trabalhadores do Mangue.

Animações

Durante um sonho, a menina Graça ouve dos bichos como a poluição ameaça a sobrevivência das espécies de animais e vegetais. Esta é a história da animação “A Garça Graça” produzida por um grupo de alunos, com idade entre 10 e 12 anos, da Escola de Ensino Fundamental “Professora Tânia Pôncio Leite”, de Vila Cajueiro. A apresentação do curta acontecerá dia 28, às 9 horas.

Dia primeiro de julho,  às 14h, será a vez das crianças da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Euvira Benedita Cardoso da Silva”, de Novo Brasil, assistirem à animação “Comparativo entre as Espécies”. Produzida por um grupo de estudantes, com idade entre 11 e 14 anos, a animação compara as etapas de vida do caranguejo com as do ser humano.

A animação “Vida no Mangue” aborda a história de formação dos bairros da periferia a partir de um processo de crescimento desordenado das cidades que gerou a degradação de áreas ambientais. O curta foi produzido por alunos, com idade entre 11 e 14 anos, da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Martin Lutero”, de Flexal II. A exibição acontecerá no dia 02 de julho, às 14 horas.

Durante as aulas, as crianças e adolescentes aprenderam a construir, coletivamente, o roteiro, os personagens, os cenários, as ações, os diálogos e os sons do filme tendo como material de estudo o manual “Os Maravilhosos Manguezais do Brasil”, elaborado pela Ong Bioma Brasil.

Os estudantes aprenderam de forma lúdica quais são as espécies do mangue, como elas sofrem com a destruição da natureza e como contribuir para a preservação deste ecossistema.

Com a orientação de profissionais e o acompanhamento de monitores do curso de animação do Núcleo Animazul do Instituto Marlin Azul, os alunos tiveram contato com as técnicas de desenho em papel, animação em areia, recorte, massinha e pixilation (no qual pessoas são captadas quadro a quadro, através de fotografia, criando uma sequência de animação).

Documentários

“O Povo do Mangue” é o título da série composta por três documentários produzidos por grupos de trabalhadores que vivem deste ecossistema.  O projeto envolveu a Associação de Pescadores Artesanais de Porto de Santana (Apaps); a Associação de Pescadores, Marisqueiros e Caranguejeiros de Nova Canaã; e a Associação de Pescadores Artesanais da Grande Nova Rosa da Penha (Ascapenha).

A série aborda como a pesca e a cata indiscriminadas e a poluição ameaçam a sobrevivência da atividade e do manguezal. O tema é comum aos diferentes grupos de trabalhadores, mas cada documentário retrata a experiência e a realidade de trabalho de uma das comunidades participantes.

A construção do roteiro aconteceu de forma coletiva no decorrer dos encontros com a equipe do Instituto Marlin Azul.  Na etapa seguinte, cada associação montou um plano de produção e de filmagem com a orientação de profissionais e, em seguida, gravou as imagens e as entrevistas com os personagens. As cenas foram captadas em diferentes ambientes, como no próprio manguezal, em ruas, casas e locais de venda dos peixes e mariscos.

A exibição do documentário da Associação de Pescadores Artesanais de Porto de Santana (Apaps) acontecerá no dia 5 de julho, às 14 horas, na Igreja Estrela Viva, no bairro.

A Associação de Pescadores, Marisqueiros e Caranguejeiros de Nova Canaã exibirá o curta-metragem feito pela entidade no mesmo dia, às 17 horas, no Posto de Saúde de Nova Canaã.

A Associação de Pescadores Artesanais da Grande Nova Rosa da Penha (Ascapenha) exibirá o documentário no dia 12 de julho, às 14 horas, na Assembleia de Deus, em Nova Rosa da Penha II.

Histórico

O município de Cariacica, localizado na Região Metropolitana da Grande Vitória (ES), possui áreas de manguezal que sofreram com o crescimento urbano desordenado, acumulando problemas como deposição de lixo, ocupação irregular, contaminação por esgotos domésticos, devastação da mata, pesca e cata predatórias.

Com o compromisso de recuperar e preservar o ecossistema, a Prefeitura Municipal de Cariacica, em parceria com a Ong Bioma Brasil, criou o projeto Povos e Mangues, cuja proposta é capacitar educadores para atuar junto aos alunos das escolas públicas do entorno do Manguezal, promovendo a educação ambiental e incentivando a mobilização e o fortalecimento comunitário. Nesse contexto foi criado o manual “Os Maravilhosos Manguezais do Brasil”, desenvolvido pelo Bioma Brasil.

A fim de ampliar a abrangência do manual, o Instituto Marlin Azul idealizou o projeto “Povos e Mangues: O Audiovisual na Educação Ambiental de Cariacica”. A proposta é utilizar a linguagem audiovisual como ferramenta pedagógica adicional ao trabalho dos professores, envolvendo os alunos e as comunidades ribeirinhas no processo de conscientização ambiental através da produção e difusão de conteúdos audiovisuais educativos.

Programação

 

Data/ 

Horário

Local Programação
21/06 

14 horas

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Amenóphis de Assis” 

Bairro – Vale Esperança

“Rap Consciente” 

(Animação, 5’41’’, ES)

22/06 

14 horas

Centro Municipal de Educação Infantil “Erenita Rodrigues Trancoso” 

Bairro – Itacibá

“O Capitão do Mangue” 

(Animação, 6’50’’, ES)

28/06 

09 horas

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Professora Tânia Pôncio Leite” 

Bairro: Vila Cajueiro

“A Garça Graça” 

(Animação, 5’07”, ES)

1º/07 

14 horas

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Euvira Benedita Cardoso da Silva” 

Bairro – Novo Brasil

“Comparativo entre as Espécies” 

(Animação, 6’50’’, Cariacica/ES)

02/07 

14 horas

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Martin Lutero” 

Bairro – Flexal II

“Vida no Mangue” 

(Animação, 7’30’’, ES)

05/07 

14 horas

Igreja Estrela Viva 

Bairro – Porto de Santana

“O Povo do Mangue –  Porto de Santana” (Documentário, 15’, Cariacica – ES)
05/07 

17 horas

Posto de Saúde 

Bairro: Nova Canaã

“O Povo do Mangue – Nova Canaã”(Documentário, 15’, Cariacica -ES)
12/07  

14 horas

Assembleia de Deus 

Bairro: Nova Rosa da Penha II

“O Povo do Mangue – Nova Rosa da Penha” (Documentário, 15’, Cariacica

Cinema Paraguaio Vence FAM

É o colega CELSO SABADIN quem informa:

 Nem Argentina, nem Brasil. Em plena Copa do Mundo de Futebol, quem venceu o FAMFlorianópolis Audiovisual Mercosul foi o Paraguai: o Júri Oficial escolheu o paraguaio Karai Norte como o Melhor Curta em 35mm do evento.

 Ao receber o prêmio, o diretor Marcelo Martinessi, afirmou que torce muito para que esta premiação seja um incentivo ao cinema paraguaio, praticamente inexistente nos dias de hoje. Martinessi disse que teve de fazer seu filme com técnicos argentinos e colombianos, já que é muito difícil encontrar mão-de-obra especializada em Cinema em seu país. 

O cinema brasileiro – particularmente o pernambucano – correu por fora na premiação da 14ª edição FAM, conquistando vários trofeus para “Recife Frio” e “Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos”, já consagrados em festivais anteriores.

São Paulo ficou com o prêmio de Melhor Filme Infanto-Juvenil por A Terra a Gastar, de Cassia Mary Itamoto e Celina Kurihara. E os hermanos argentinos ficaram com o prêmio de Melhor Vídeo, vencido por Prodígio, de Marcelo Rostagno e Gabriela Trettel.


Entre os prêmios institucionais, Karai Norte conquistou também os troféus QUANTA, Estúdios Mega e Megacolor. O prêmio Quanta de Melhor Vídeo Catarinense foi concedido a “Itaúna Manajé: interpretação e imaginário”, de Mariana Martin, eleito pela pontuação do Júri Popular.

O Prêmio Jamef‘ de Melhor Curta pelo Júri Popular foi para “Recife Frio”, enquanto que o Prêmio Kodak de Melhor Vídeo pelo Júri Popularcomposto só por crianças -, foi para Ao Meu Pai com Carinho.
Veja a relação oficial dos vencedores do FAM

Prêmio Júri OficialMostra de Curtas Mercosul
Melhor Filme: Karai Norte (Paraguai), de Marcelo Martinesse.
Melhor Roteiro: Paula Azutam e Renata Terra, por “Teresa” (SP).
Melhor Direção: Kleber Mendonça Filho, por “Recife Frio” (PE).
Melhor Fotografia: Beto Martins, por “Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos” (PE).
Melhor Montagem: Marco Martins, por “Beijos de Arame Farpado” (SC).
Melhor Trilha Sonora Original: Carlinhos Borges, por “Azul” (PE).
Melhor Direção de Arte: Loli Menezes, por “Beijos de Arame Farpado” (SC).
Melhor Ficção:Recife Frio”, de Kleber Mendonça Filho (PE).
Melhor Documentário: Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos”, de Camilo Cavalcante (PE).
Melhor Animação:O Divino, de repente”, de Fábio Yamaji (SP).
Melhor Ator: Guilherme Kury, por “Groelândia” (RS).
Melhor Atriz: Camila dos Anjos, por “O Nome do Gato” (SP).
Mostra de Vídeos Mercosul
Melhor Vídeo:Prodigio”, de Marcos Rostagno e Gabriela Trettel (Argentina).
Melhor Roteiro: Fausto Noro, por “Ao Meu Pai com Carinho” (SP).
Melhor Direção: Marcos Rostagno e Gabriela Trettel, por “Prodígio” (Argentina).
Melhor Fotografia: Bruno Polidoro, por “Um Animal Menor” (RS).
Melhor Edição: Luiz Duva, por “7 Voltas” (SP).
Melhor Trilha Sonora Original: Mario Gil, por “Áurea” (RJ).
Melhor Direção de Arte: Andreia Fiorani, Mariana Negreiros e Tiago Rios, por “Direita é a Mão Que Você Escreve” (RJ).
Melhor Vídeo Ficção:Prodígio” (Argentina), de Marcos Rostagno e Gabriela Trettel.
Melhor Vídeo Documentário: Rogério Nunes, por “7 Voltas” (SP).
Melhor Vídeo Animação:Os Anjos do Meio da Praça”, de Alê Camargo e Camila Carrossine (SP).
Melhor Ator: Marcelo Arbach, por “Prodígio” (Argentina).
Melhor Infanto-Juvenil:Eu Queria Ser um Monstro”, de Marcelo Marão (RJ).
Prêmio Quanta – Melhor Curta-metragem:Karai Norte”, de Marcelo Martinessi (Paraguai).
Melhor Vídeo Catarinense: Itaúna Manajé: interpretação e imaginário”, de Mariana Martins.
Prêmio MegaColor:Karai Norte”, de Marcelo Martinessi (Paraguai).
Prêmio Estúdio Mega:Karai Norte”, de Marcelo Martinessi (Paraguai).
Prêmio Jamef:Recife Frio”, de Kleber Mendonça Filho (PE).
Prêmio Kodak:Ao Meu Pai com Carinho”, de Fausto Noro (SP).
Site oficial: www.audiovisualmercosul.com.br 
 

Cinema Experimental em Mostra

MICE – Mostra Independente de Cinema Experimental

Jeri também teve futebol e Afonsinho…

 

Encontro inusitado no festival de cinema de Jeri: realizadores encontram ex-craque Afonsinho, que jogou pelo querido BOTAFOGO de Vinicius, João Moreira Salles e Garrincha…

Sobre AFONSINHO, publicamos este contundente texto de Plínio Sgarbi:

Como o Navegante Negro do Aldir Blanc, aquele que tinha por monumento as pedras pisadas do cais, Afonsinho não colheu todas as glórias que um craque como ele poderia colher. Mas obteve uma glória que poucos jogadores obtiveram na carreira: o respeito como cidadão e líder. Em meio a tantos jogadores que se calaram, Afonsinho teve a coragem de lutar, ainda mais… naquela época.

Se o futebol teve um herói de esquerda, esse cara foi o Afonsinho. Personagem carismático, destemido, engajado, por vezes quase quixotesco, o rebelde meia do Botafogo ocupou um lugar muito especial no imaginário coletivo do Brasil dos anos 70, um país ansioso por transformações sociais e em busca da tão sonhada abertura política. Ele foi o primeiro líder profissional das estrelas dos gramados a lutar pelo seus direitos, uma luta pela qual pagou um preço caro, mas que, como ele mesmo não se cansa da dizer, valeu a pena.

 
Afonsinho dentro de campo era um gênio, no toque de bola e no drible, fora dela o gênio foi cassado, por suas escolhas não serem do agrado dos generais e dos cartolas de então.
Infelizmente o meio campista nunca foi convocado para a seleção Brasileira, o que se justifica pelo fato de suas posturas serem de confronto ao regime militar e a estrutura do futebol nas décadas de 70 e 80 do século XX.


Afonso Celso Garcia Reis, jogador, médico, musicista, boêmio, viveu até sua adolescência em Jaú, cidade do interior de São Paulo. No início da década de 60 ingressou nas divisões de base do XV de Jaú e em seguida, foi jogar no Botafogo Carioca.

 

Recordação feliz do festival de Jeri: realizadores confraternizam com ex-craque alvinegro. Na foto, emoldurando AFONSINHO, Carlos Segundo, Valério Fonseca, Aurora Miranda Leão,  Zeca Ferreira, Síria Mapuranga e Lucas Harry Sá…

ARGENTINA em Campo… Salve !

Messi Argentina Polokwane

Messi chega ao hotel onde a seleção argentina
ficará hospedada em Polokwane  (Foto: Reuters)

Diego Maradona e seus jogadores chegaram nesta segunda-feira a Polokwane, onde enfrentam a seleção da Grécia nesta terça pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo. Protegida por um forte esquema de segurança, a delegação argentina seguiu direto para o hotel onde foi recebida por um grupo de sul-africanos que apresentaram danças típicas da região. Sem falar com a imprensa, mas de ótimo humor, Maradona acenou para torcedores e jornalistas que aguardavam no local.

Os hermanos lideram o Grupo B do Mundial com seis pontos conquistados (foram duas vitórias) e jogam contra a Grécia nesta terça-feira às 15h30 (20h30 pelo horário sul-africano) no estádio Peter Mokaba. Praticamente classificada para as oitavas de final do torneio, a Argentina busca uma vitória sobre os europeus para terminar na primeira colocação de seu grupo.

Jogo é hoje às 15:30h…

Por GLOBOESPORTE.COM Polokwane, África

CURTA CANOA: Ainda Dá Tempo…

 

Festival vai acontecer de 18 a 25 de setembro na lendária praia cearense e teve inscrições prorrogadas até 30 de junho.

Podem concorrer obras de realizadores brasileiros com duração máxima de 20 minutos. A mostra latino-americana e a mostra de longas são de caráter não competitivo de vídeos e filmes convidados pela Direção do festival.

Serão selecionadas apenas obras concluídas a partir de Maio de 2008, que poderão versar sobre quaisquer temas e apresentar-se nos gêneros documentário, ficção, animação ou experimental.

Saiba mais: http://www.curtacanoa.com

 

Paranapiacaba, Neblina e Cinema


Abertas inscrições para o festival que acontece na mágica vila ferroviária

O festival é uma realização da Luz, Câmera: Animação ! e busca promover a cultura cinematográfica na Vila de Paranapiacaba e em todo o Grande ABC visando a levar entretenimento gratuito e de qualidade às pessoas, além de disseminar o interesse pelo curta-metragem.
Pretendemos levar a “indústria do cinema” até a região, para que profissionais da área percebam seu potencial cinematográfico, com arquitetura, clima e paisagens únicos, desenvolvendo seu potencial turístico e movimentando a economia local.
Entre as atrações, oficina de ROTEIRO com Fernando Bonassi (!!!) e encontro com João Batista de Andrade, diretor de importantes obras da cinematografia nacional.
Inscrições até 31 de julho.

Julho de Cinema em Paulínia

Paulínia divulga seleção oficial

Com R$ 650 mil em prêmios e um pólo cinematográfico cheio de oportunidades, a cidade de Paulínia caminha para mais um festival de cinema no período de 15 a 22 de julho. Na edição 2010, serão exibidos 27 filmes, dos quais 12 longas e 13 curtas-metragens, sendo seis deles da região Metropolitana de Campinas.

A seleção oficial foi feita por uma comissão formada pelo Secretário de Cultura do município, Emerson Alves, pelo diretor do Festival, Ivan Melo, e pelo crítico de cinema, Rubens Ewald Filho. Um sexto longa-metragem será anunciado na próxima semana.

Na abertura do festival, será exibido o filme O Beijo da Mulher Aranha, de Hector Babenco, homenageado do festival. Dois títulos completam a homenagem ao diretor: “Pixote In Memorian”, de Felipe Briso e Gilberto Topczewski, e “Coração Iluminado”, também dirigido por Babenco. Os dois filmes serão exibidos na Mostra Paralela.

O encerramento do festival acontece dia 22 de julho, a partir das 19h, em cerimônia para convidados, com a exibição do longa 400contra1 – Uma História do Crime Organizado, de Caco Souza.

De 16 a 21 de julho, às 16h, serão exibidos, no Theatro Municipal de Paulínia, cinco longas já lançados no circuito comercial e também Cabeça a Prêmio, de Marco Ricca. Completando a Mostra Paralela o Festival exibe dois filmes infantis inéditos: “Eu e Meu Guarda Chuva”, de Toni Vanzolini e “Gui, Estopa e a Natureza”, de Mariana Caltabiano, respectivamente nos dias 17 e 18 (sábado e domingo) às 14h.

Abaixo a lista completa dos filmes da Seleção Oficial do Festival, assim como da mostra paralela:

Longas de Ficção

1. “Malu de Bicicleta”, de Flávio Tambellini (RJ)

2. “Desenrola”, de Rosane Svartman (RJ)

3. “Broder”, de Jeferson De (SP)

4. “Dores e Amores”, de Ricardo Pinto e Silva (SP)

5. “5 X Favela, Agora Por Nós Mesmos”, de Manaíra Carneiro e Wagner Novaes; Rodrigo Felha e Cacau Amaral; Luciano Vidigal; Cadu Barcellos; Luciana Bezerra (RJ)

Documentários

1. “Sobre Leite e Ferro”, de Claudia Priscilla (SP)

2. “São Paulo Cia de Dança”, de Evaldo Mocarzel (SP)

3. “Lixo Extraordinário”, de Lucy Walker, João Jardim e Karen Harley (RJ)

4. “Uma Noite Em 67”, de Renato Terra e Ricardo Calil (RJ)

5. “Programa Casé”, de Estevão Ciavatta (RJ)

6. “As Cartas Psicografadas de Chico Xavier”, de Cristina Grumbach (RJ)

Curtas Nacionais

1. “Retrovisor”, de Rogério Zagallo (SP)

2. “Estação”, de Marcia Faria (SP)

3. “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro (SP)

4. “Quem vai comer minha mulher? (Who’s Gonna F… My Wife?)”, de Rodrigo Bittencourt (RJ)

5. “Tempestade”, de César Cabral (SP)

6. “1:21”, de Adriana Câmara (PE)

7. “Ensolarado”, de Ricardo Targino (RJ)

Curtas Regionais

1. “Depois do Almoço”, de Paula Pripas (Campinas)

2. “Nicolau e as Arvores”, de Lucas Hungria (Campinas)

3. “Meu Avô e Eu”, de Cauã Nunes (Campinas)

4. “Um Lugar Comum”, de Victor Canela (Sumaré)

5. “Dona Tota e o Menino Mágico”, de Adriana Meirelles

6. “Só Não Tem Quem Não Quer”, de Hidalgo Romero

Mostra Paralela

1. “Pixote in Memmorian”, de Felipe Briso e Gilberto Topczewski

2. “Coração Iluminado”, de Hector Babenco

3. “É Proibido Fumar”, de Anna Muylaert

4. “Chico Xavier – O Filme”, de Daniel Filho

5. “Salve Geral”, de Sérgio Rezende

6. “Cabeça a Prêmio”, de Marco Ricca

Especial Infantil

1. “Eu e Meu Guarda Chuva”, de Toni Vazolini

2. “Gui, Estopa e a Natureza”, de Mariana Caltabiano

Prêmios

O Festival distribuirá, por meio de sua premiação oficial, um total de R$ 650 mil aos vencedores das diversas categorias, como segue:

 

Filmes de longa metragem
Melhor Filme ficção: R$ 150.000
Melhor Documentário: R$ 50.000   
Melhor Diretor ficção: R$ 35.000   
Melhor Diretor Documentário: R$ 35.000   
Melhor Ator: R$ 30.000   
Melhor Atriz: R$ 30.000   
Melhor Ator coadjuvante: R$ 15.000   
Melhor Atriz coadjuvante: R$ 15.000   
Melhor Roteiro: R$ 15.000   
Melhor Fotografia: R$ 15.000   
Melhor Montagem: R$ 15.000   
Melhor Som: R$ 15.000   
Melhor Direção de arte: R$ 15.000   
Melhor Trilha Sonora: R$ 15.000   
Melhor Figurino: R$ 15.000   
Especial Júri: R$ 35.000  

Filme de curta-metragem – Nacional
Melhor filme: R$ 25.000   
Melhor Direção: R$ 15.000   
Melhor Roteiro: R$ 10.000  

Filme de curta-metragem – Regional
Melhor filme: R$ 25.000   
Melhor Direção: R$ 15.000   
Melhor Roteiro: R$ 10.000  

Júri Popular
Melhor longa ficção: R$ 25.000   
Melhor documentário: R$ 15.000   
Melhor curta metragem nacional: R$ 5.000   
Melhor curta-metragem regional: R$ 5.000  

 

Atividades paralelas

O Paulínia Festival de Cinema – 2010 traz ainda:

– Debates

– Seminários

– Realização do III Encontro Roteiro em Questão.

– Lançamento de livros e dvds

 

Realização e Patrocínios

Realização – Prefeitura Municipal de Paulínia, através da Secretaria Municipal de Cultura.

Patrocínio – Quanta.

Apoio InstitucionalImprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Apoio – Vitoria Hotéis (o Hotel Oficial do Festival).