Arquivo do mês: outubro 2010

MARADONA Cinquentão

Neste 30 de outubro, o futebol comemora os 50 de uma de suas mais geniais, carismáticas e controversas figuras da história. Diego Armando MARADONA completa meio século, amenizando a tristeza da Argentina que está de luto pela morte de seu ex-presidente, Nestor Kirchner. Sempre polêmico, o ex-jogador teve um último ano atribulado, no qual comandou a seleção local na campanha fracassada na Copa do Mundo da África do Sul.

O Mundial viu Maradona desferir suas já tradicionais frases afiadas, hábito que o acompanha nestes 50 anos. O eterno camisa 10 argentino disparou em sua carreira contra figuras poderosas e importantes do futebol, como cartolas de seu país e dirigentes da Fifa.

PARABÉNS, MARADONA !

Saúde, PAZ, LUZ e muitos anos de Vida Feliz ao Grande Jogador, figura amada na Argentina e em todo o mundo…

Maradona completa 50 anos. Foto: AFP
* ALGUMAS FRASES DO EXCEPCIONAL JOGADOR ARGENTINO:
1. “Critica, sim, mas não desrespeito”.

2. “O primeiro gol contra a Inglaterra? Foi a mão de Deus” (1986)

3. “Houve apenas um Pelé. Os demais vieram em seguida” (antes do Mundial do México, em 1986)

4. “Jogar sem público é como jogar dentro de um cemitério” (depois de jogar uma partida com portões fechados entre Napoli e Real Madrid, em 1987)

5. “Não sou contra os homossexuais. É bom que eles existam, porque desta maneira deixam mais mulheres livres para os machos de verdade” (1987)

6. “Não concordo com os comunistas que andam de Mercedes Benz e com um Rolex no pulso” (Em referência a César Luis Menotti, 1989)

7. “Nunca imaginei que haveria gente que se alegrasse com a minha tristeza” (1990)

8. “Muitas vezes me dizem ‘você é Deus’, e eu respondo ‘estão equivocados’. Deus é Deus e eu simplesmente sou um jogador de futebol” (1991)

9. “Sinto como se tivessem cortado minhas pernas” (após sua exclusão da Copa do Mundo de 1994 por ter testado positivo no exame antidoping)

10. “Cometi um erro de 1 m, não podem me dar uma culpa de 30 mil km” (após a Copa do Mundo de 1994)

11. “Julio Grondona não consegue nem pegar uma tartaruga manca” (em crítica ao presidente da Federação Argentina, 1995)

12. “A rinoscopia, o cabelo curto…. Um dia os jogadores da seleção vão coçar o ‘saco’ e Daniel Passarella vai mandar cortá-los” (1995)

13. “O futebol deveria ser comandando pelos jogadores. Os dirigentes somente desejam roubar o dinheiro dos clubes e sair nas fotos” (1995)

14. “Para todo mundo, fui um drogado, sou um drogado e serei um drogado” (1996)

15. “Se vou o banco é para tirar dinheiro, fera” (quando consultado se seria reserva em uma partida, 1996)

16. “Com a cocaína não existo. Sou como Oscar Ruggeri que não sabe fazer duas embaixadinhas. A droga te deixa rígido” (1996)

17. “Eu queria ir aos Estados Unidos, mas o ‘idiota’ do Clinton não me deixa entrar” (1996)

18. “Eu tenho uma vantagem sobre os políticos. Eles são públicos, eu sou popular” (1996)

19. “Pelé é um escravo. Vendeu seu coração para a Fifa. E depois, quando a Fifa o chuta, ele quer fazer amizade com nós, os jogadores. Sai para lá, não tem negro que não desbota, cara” (1997)

20. “Pelé estreou com um garoto” (1997)

21. “Os dirigentes do Boca são mais falsos que um dólar azul claro” (1997)

22. “Os que achavam que eu estava morto, que se f…” (1997)

23. “É evidente que tenho linha direta com o Barba (Deus)” (1997)

24. “Blatter me quer como um filho. Sim… como um filho da p…” (1998)

25. “Mil desculpas para os ingleses, de verdade, mas voltaria a fazer mais mil vezes. Eu roubei a bilheteria sem que se dessem conta, sem que piscassem” (1998)

26. “Oscar Ruggeri bebe o leite do gato” (sobre a fama de traidor do amigo Oscar Ruggeri, 1998)

27. “Se minhas filhas chorarem duas ou três vezes por causa de seus namorados, eles vão sofrer um acidente” 1998)

28. “Passe o que passe, comande quem comande, todo mundo sabe que a camisa 10 da seleção será minha…. para sempre” (1998)

29. “Minhas filhas legítimas são Dalma e Gianina. Os outros são filhos do dinheiro ou do erro” (1999)

30. “Se alguém pensa que o estou criticando ou falando demais em meu livro, que me procure lá em casa e eu pego o meu taco de beisebol” (após o lançamento de sua autobiografia “Yo soy el Diego de la gente”, 2000)

31. “A página de João Havelange na Internet se chamaria ‘ladrao.com'” (2000)

32. “Me drogo, mas não vendo cocaína. Como narcotraficante, morro de fome” (2000)

33. “Ganhar do River é como se sua mãe venha te despertar com um beijo de manhã” (2000)

34. “Quando abracei Pelé em Roma, quase lhe pergunto o que sentia por ter ficado em segundo, mas poderia ter sido para o quilombo” (após a premiação da Fifa por ter sido eleito “Jogador do século” pelo voto do público, 2000)

35. “Chegar à área e não poder chutar ao gol é como dançar com sua irmã” (2001)

36. “Coppola (Guillermo, seu ex-empresário) é muito vivo. Fuma debaixo d’água” (2001)

37. “Não tenham medo de Bin Laden, os ianques o inventaram para combater os russos” (2002)

38. “Bush é um assassino. Prefiro ser amigo de Fidel Castro” (2003)

39. “Eu cresci em um bairro privado. Privado de água, de luz e de telefone” (2004)

40. “Na clínica existe um que acha que é Robson Crusoé e não acreditam que sou Maradona” (2004)

41. “Messi às vezes joga para Messi. Mas esquece de seus companheiros. Muitas vezes se converte em ‘Deportivo Messi’ porque joga para ele” (2008)

42. “Aos que não acreditaram em mim, que chupem, e sigam chupando” (2009)

43. “Eu joguei e vi grandes jogadores na minha vida, mas como Messi, nunca. Ele está além de todos. Não se pode comparar com ninguém” (2010)

44. “Se vencermos a Copa do Mundo, correrei pelado ao redor do obelisco” (2010)

45. “Quem disse que Demichelis está mal? Quem disse isso é Andrea Bocelli. Ele está arrebentando. É um grande zagueiro” (2010)

46. “Se Deus quiser, nos vemos na final. E Deus vai querer” (2010)

47. “O Pelé tem que voltar para o museu. E sobre o Platini, como todo francês, ele se acha mais que todo mundo. Nunca me importei com ele e não vou me importar agora” (2010)

48. “Você está querendo me provocar? Não f… comigo! Ninguém pode estar feliz com este resultado. O argentino vive o futebol como ninguém e não dá para estar satisfeito depois de ser derrotado por 4 a 0” (após a derrota para a Alemanha nas quartas de final da Copa do Mundo, 2010)

49. “É o dia mais duro da minha vida. Sinto como se tivesse levado um soco de Muhammad Ali. Não tenho mais forças para nada” (2010)

50. “Não há como negar que meu ciclo terminou. Fiz tudo que tinha de ser feito. Agora, quero desfrutar minha vida com minha família” (após a saída do comando da seleção argentina, 2010)

Os Filmes da Minha Vida…

 

Personalidades falam sobre
seus filmes prediletos

 

Organizado por Leon Cakoff, Cinema de Seduções – Os Filmes da Minha Vida 2, editado em conjunto pela Imprensa Oficial e Mostra de Cinema, dá sequência ao volume lançado no  ano passado e traz depoimentos de Luiz Carlos Merten, Ugo Giorgetti, Serginho Groisman, Suzana Amaral e Gilberto Dimenstein, entre outros.

Lançamento acontece dia 3, às 19 horas, na Central da Mostra, no Conjunto Nacional, São Paulo

Serginho Groisman, Sergio Machado, Luiz Carlos Merten, Eliane Caffé, Suzana Amaral, Ugo Giorgetti, Marcelo Gomes, Isay Weinfeld e Gilberto Dimenstein. Pelo segundo ano consecutivo a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo e a Mostra Internacional de Cinema reúnem um time de cinéfilos fanáticos e lançam “Cinema de Seduções – Os Filmes da Minha Vida 2”, livro com depoimentos de personalidades brasileiras ligadas à Sétima Arte sobre seus filmes inesquecíveis.

Para o cineasta Ugo Giorgetti, os filmes da sua vida estão ligados à sua própria biografia. “No fundo você busca a si mesmo no filme; o que o filme fala – não dele – mas de você”. Entre os longas-metragens que o diretor elege está o western “O Matador” (The Gunfighter, 1950), de Henry King. “Vi este filme com Gregory Peck e saí do cinema encantado. Ele ficou muito tempo na minha cabeça como um dos maiores filmes que eu tinha visto na vida”.

O cineasta e arquiteto paulistano Isay Weinfeld atribui ao seu professor de português no colégio Rio Branco de São Paulo o seu despertar para o cinema. “Ele era fanático. Parava a aula e levava a classe inteira para um auditório para assistir a alguma coisa que ele achava relevante. Foi assim que vi ‘Morangos Silvestres’ (Smultronstället, 1957), do Bergman, pela primeira vez, um filme que mudou a minha vida”, conta.

O crítico Luiz Carlos Merten também participa deste volume e lembra que, caso tivesse que eleger um único filme da sua vida, optaria por “Rocco e seus Irmãos” (Rocco i suoi Fratelli, 1960), de Luchino Viscondi. “Quando vi ‘Rocco’ pela primeira vez, eu não tinha capacidade para absorver tudo o que o filme queria dizer. Era muito jovem, tinha 12 anos. Depois disso sempre revi a película. Hoje, sou um cara de 64 anos, e o ‘Rocco’ foi crescendo comigo e eu o tive sempre como uma referência de um tipo de cinema politizado, humanista, que sempre foi o que me fascinou”, justifica.

Foi ainda mais novo que o apresentador Serginho Groisman teve seu primeiro contato com a telona. “Tão logo meus pais reconheceram a possibilidade de eu ser um espectador, começaram a me levar ao cinema e a gente acabou criando um cotidiano sistemático de ir sempre aos domingos”, recorda. Começou com os filmes infantis e desenhos animados no Cine Metro que existia na Avenida São João no Centro de São Paulo. Desta época, Serginho lembra-se de um filme chamado “Trapézio” (Trapeze, 1951, de Carol Reed). “Era um filme sobre circo, com Tony Curtis e eu me apaixonei pela protagonista interpretada por Gina Lollobrigida. O cinema ficava a duas ou três quadras de casa, eu voltei falando para minha mãe que estava apaixonado. A primeira paixão da minha vida foi uma atriz de cinema”, confessa.

O roteirista e diretor Sérgio Machado destaca o filme “Rastros de Ódio” (The Searchers, John Ford, 1956) e lembra a primeira vez que lhe perguntaram sobre o filme de sua vida. “Foi no Festival de Cannes, quando lancei o ‘Cidade Baixa’ (2005). Um colunista inglês do jornal The Telegraph me fez a pergunta: ‘se você tivesse que salvar um filme só da história do cinema, qual você salvaria?’. Para esse cara lá em Cannes, eu escolhi ‘Rastros de Òdio’, um filme pelo qual eu sou absolutamente apaixonado, mas poderia ter escolhido ‘Os Sete Samurais’ (Akira Kurosawa, 1954) ou ‘Encouraçado Potemkin’ (Sergei Eisenstein, 1925)”, observa.

Encerrando o volume, o jornalista Gilberto Dimenstein fala da importância de “Iracema – uma Transa Amazônica” (1976), de Jorge Bodansky. O filme conta a história de um caminhoneiro que leva uma nativa em seu caminhão, uma índia prostituída. “Quando ainda estudava na PUC, vi este filme. Nunca mais me esqueci das imagens do caminhoneiro com a menina. Só que eu não sabia que essas imagens iriam produzir, muito tempo depois, uma das minhas mais importantes reportagens. Durante o ano de 1991 investiguei a prostituição infantil no Brasil, descobrindo meninas mantidas como escravas”, relata.

 

 Imprensa Oficial

Cinema de Seduções – Os filmes da minha vida 2
Org.: Leon Cakoff
Imprensa Oficial do Estado de São Paulo / Mostra Internacional de Cinema
240 páginas
Preço: R$ 30,00
Local: Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2.073
Data: 03/11 (quarta-feira)

 
Site Twitter Blog Flickr E-mail
Site Twitter Blog Flickr E-mail
 

Direitos Humanos na Tela

 De 8 a 14 próximos, Fortaleza sediará a 5º Mostra de Direitos Humanos.

A realização é da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República,  produção da Cinemateca Brasileira e patrocínio da Petrobras, a Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é dedicada a obras que abordam questões referentes aos direitos humanos, produzidas na região.
 
Nesta sua quinta edição, o evento atinge 20 capitais brasileiras e a programação reúne 41 filmes,
representando dez países sul-americanos. A programação destaca Homenagem ao ator argentino Ricardo Darin, a retrospectiva Direito à Memória e à Verdade e uma seção de títulos contemporâneos, vários deles inéditos no Brasil. 

A Mostra em Fortaleza irá acontecer no Casa Amarela Eusélio Oliveira e no Centro Cultural Bom Jardim. 

 

  www.cinedireitoshumanos.org.br

Cine Benjamin Abrahão da Casa Amarela Eusélio Oliveira – UFC
(85) 3366-7772                        Av.da Universidade , 2591

ENTRADA FRANCA


09/11 – TERÇA-FEIRA

16h

A VERDADE SOTERRADA – Miguel Vassy (Uruguai/ Brasil, 56 min, 2009, doc)

ROSITA NÃO SE DESLOCA – Alessandro Acito, Leonardo Valderrama (Colômbia/ Itália, 52 min, 2009, doc)

18h

A BATALHA DO CHILE II – O GOLPE DE ESTADO – Patricio Guzmán (Chile/ Cuba/ Venezuela/ França, 90 min, 1975, doc)


20h
VIDAS DESLOCADAS –
João Marcelo Gomes (Brasil, 13 min, 2009, doc)
PERDÃO, MISTER FIEL – Jorge Oliveira (Brasil, 95 min, 2009, doc)
 

10/11 – QUARTA-FEIRA
14h – Audiodescrição

AVÓS – Michael Wahrmann (Brasil, 12 min, 2009, fic)
ALOHA – Paula Luana Maia, Nildo Ferreira (Brasil, 15 min, 2010, doc)

CARRETO – Marília Hughes, Claudio Marques (Brasil, 12 min, 2009, fic)

EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO – Daniel Ribeiro (Brasil, 17 min, 2010, fic)

* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual.


18h
DIAS DE GREVE –
Adirley Queirós (Brasil, 24 min, 2009, doc)

PARAÍSO – Héctor Gálvez (Peru/ Alemanha/ Espanha, 91 min, 2009, fic)

20h

CARNAVAL DOS DEUSES – Tata Amaral (Brasil, 9 min, 2010, fic)

MEU COMPANHEIRO – Juan Darío Almagro (Argentina, 25 min, 2010, doc)

LEITE E FERRO – Claudia Priscilla (Brasil, 72 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 16 anos

11/11 – QUINTA-FEIRA
14h – Audiodescrição

PRA FRENTE BRASIL – Roberto Farias (Brasil, 105 min, 1982, fic)

* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual.

18h
A CASA DOS MORTOS –
Debora Diniz (Brasil, 24 min, 2009, doc)

CLAUDIA – Marcel Gonnet Wainmayer (Argentina, 76 min, 2010, doc)

20h
GROELÂNDIA –
Rafael Figueiredo (Brasil, 17 min, 2009, fic)
MUNDO ALAS –
León Gieco, Fernando Molnar, Sebastián Schindel (Argentina, 89 min, 2009, doc)

 12/11 – SEXTA-FEIRA
16h

ENSAIO DE CINEMA – Allan Ribeiro (Brasil, 15 min, 2009, fic)

108Renate Costa (Paraguai/ Espanha, 91 min, 2010, doc)

Classificação indicativa: 12 anos

18h
A HISTÓRIA OFICIAL –
Luis Puenzo (Argentina, 114 min, 1985, fic)

Classificação indicativa: 12 anos

20h
XXY –
Lúcia Puenzo (Argentina/ França/ Espanha, 86 min, 2006, fic)

Classificação indicativa: 16 anos

 

13/11 – SÁBADO
16h
HALO –
Martín Klein (Uruguai, 4 min, 2009, fic)
ANDRÉS NÃO QUER DORMIR A SESTA – Daniel Bustamante (Argentina, 108 min, 2009, fic)

Classificação indicativa: 12 anos

18h
MARIBEL –
Yerko Ravlic (Chile, 18 min, 2009, fic)

O QUARTO DE LEO – Enrique Buchichio (Uruguai/ Argentina, 95 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 14 anos

20h
O FILHO DA NOIVA –
Juan José Campanella (Argentina/ Espanha, 124 min, 2001, fic)

Classificação indicativa: livre


14/11 – DOMINGO

16h

DOIS MUNDOS – Thereza Jessouroun (Brasil, 15 min, 2009, doc)
AMÉRICA TEM ALMA –
Carlos Azpurua (Bolívia/ Venezuela, 70 min, 2009, doc)

18h

CARRETO – Marília Hughes, Claudio Marques (Brasil, 12 min, 2009, fic)
BAILÃO –
Marcelo Caetano (Brasil, 17 min, 2009, doc)

DEFENSA 1464 – David Rubio (Equador/ Argentina, 68 min, 2010, doc)

20h

EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO – Daniel Ribeiro (Brasil, 17 min, 2010, fic)

IMAGEM FINAL – Andrés Habegger (Argentina, 94 min, 2008, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

Outro Filme no Festival de Brasília

A comissão de seleção do 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, formada por Marcelo Miranda, crítico de cinema; Jéferson De, diretor;  Bruno Safadi, diretor; Andrea Glória, produtora e Fernando Adolfo, curador do Festival, decidiu que o filme O Mar de Mario, de Reginaldo Gontijo e Luiz Fernando Suffiati, selecionado para a competição oficial, será substituído pelo longa Os Residentes, de Thiago Mata Machado. Os Residentes foi, por unanimidade,  o sétimo filme selecionado pela comissão, como acontece em todas as edições do festival, para substituir um título em caso de algum tipo impedimento.
 
A comissão de seleção esclarece que deixou de analisar vários filmes inscritos que não apresentavam ineditismo, um dos critérios adotados pelos seus componentes,  e que o filme O Mar de Mario foi substituído por ter sido exibido em outro festival após o anúncio da seleção do 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Pilar Leva Adiante Obra de SARAMAGO

Devo dar continuidade a Saramago, diz viúva do autor

Pouco importa se a frase tem um quê de lugar comum. Para a jornalista espanhola Pilar Del Río, viúva do escritor português José Saramago (1922-2010), a ideia de que “por trás de todo grande homem, há sempre uma grande mulher” tem caído como uma luva.

Após a morte do escritor, em 18 de junho deste ano, Del Río não apenas tem feito jus à frase como assumiu o legado deixado pelo Prêmio Nobel de Literatura.

É essa personalidade que o documentário José & Pilar, de Miguel Gonçalves Mendes, em cartaz na Mostra de Cinema de SP e previsto para estrear em 5 de novembro, espia. É sobre isso que Del Rio fala na entrevista a seguir.

ANA PAULA SOUSA
DE SÃO PAULO

O escritor José Saramago beija a mão da mulher, Pilar Del Río, em cena do documentário de Miguel Gonçalves Mendes

O escritor José Saramago beija a mão da mulher, Pilar Del Río, em cena do documentário de Miguel Gonçalves Mendes

Por que vocês aceitaram ter uma câmera a segui-los? O quanto essa “intrusa” mudou a rotina do casal?
Pilar Del Río – A câmera não mudou nossa vida. Decidimos ignorá-la. Além do mais, ela não estava conosco durante 24 horas, apenas registrou o dia a dia de um escritor. A virtude do filme é mostrar que o trabalho do escritor, solitário em sua casa, não é incompatível com a militância cívica.

O que significa dedicar-se a um casamento?
Nem Saramago deixou de fazer seu trabalho por estar casado com Pilar nem Pilar deixou de fazer o seu. Éramos maduros o bastante para saber manter nosso próprio espaço. Mas podíamos dividir muito porque éramos ambos leitores vorazes, militantes cívicos e políticos, tínhamos um mesmo estilo de vida. Vivemos uma vida de generosidade.

O filme nos passa a sensação de que, às vezes, ele cumpria compromissos contra a vontade, seguindo agendas que a senhora tinha feito.
Acho que o filme mostra que as agendas eram feitas em comum acordo. E, se alguém punha freios, era eu, porque ele, com sua curiosidade e generosidade, dizia sim a tudo sobre o papel. Mas quando chegava a hora de cumprir… Muitos encontros eram penosos.

O filme desfaz a fama de homem difícil e pessimista.
Quem não teve acesso a Saramago diz que ele era uma pessoa difícil. Quem conviveu com ele sabe que era um homem afável e generoso. Tampouco era pessimista, era um intelectual que observava o mundo e via que nós estamos sendo conduzidos ao abismo.

Como têm sido os dias sem ele?
Tenho um trabalho a fazer, uma urgência que é maior do que toda saudade possível. Saramago, no filme, diz que eu devo continuá-lo. Dedico à Fundação Saramago todo o meu tempo e o meu amor

Corumbiara Premiado na Itália

O documentário brasileiro Corumbiara, de Vincent Carelli, recebeu o prêmio União Latina no XXV Festival de Cinema Latino-Americano de Trieste, norte da Itália.

Corumbiara mostra um massacre indígena ocorrido em Rondônia em 1984 e foi vencedor no Festival de Gramado ano passado.

O grande vencedor do festival italiano foi Gestación, do cineasta costarriquenho Esteban Ramírez.

Em Dia de Maradona, MESSI Brilha e Dá Vitória ao Barça

Messi emula aniversariante Maradona e dá show em goleada do Barcelona

Argentino faz dois e dá passe para outro no triunfo sobre o Sevilla

messi comemora, barcelona x sevilla

Messi celebra vitória (Foto: AFP)

No dia em que Maradona completava 50 anos, o compatriota Lionel Messi emulou o aniversariante e foi o grande destaque da vitória de 5 a 0 do Barcelona sobre o Sevilla, neste sábado, pela nona rodada do Campeonato Espanhol. Dos quatro gols, o camisa 10 fez dois e deu passe para um de Villa.

Seja com homenagens ou não, o clube catalão chegou aos 22 pontos com a vitória e segue na cola do líder Real Madrid, que tem um a mais. O Sevilla, que teve os brasileiros Luis Fabiano e Renato como titulares, segue em sexto lugar com 14.

Com todas suas estrelas em campo, o Barcelona começou a partida com o pé fundo no acelerador. Xavi, com menos de um minuto, pegou rebote da defesa earriscou de fora da área levando perigo à meta do goleiro Varas, que substituiu o titular Pallop.

A blitz catalã continuou e Messi, aproveitando cruzamento do jovem Pedro, mostrou oportunismo e abriu o placar aos quatro minutos.

LOCO ABREU, mais uma vez, SENSACIONAL !!!

Botafogo vence pela eficiência

Alvinegro carioca se aproveita do desespero do Atlético-MG, faz 2 a 0 e fica mais perto de uma vaga na Libertadores

Uruguaio LOCO ABREU: novo SHOW de BOLA em campo… Saravá ! 

Foi a vitória da eficiência. O Atlético-MG teve mais posse de bola e acumulou 16 chutes a gol. Não fez nenhum. O Botafogo foi preciso nos contra-ataques e acertou duas das oito finalizações que teve. O Alvinegro carioca marcou 2 a 0 neste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas e subiu para o 4º lugar, com 51 pontos. Com seis a menos que o líder Fluminense, pode até sonhar com o título. Para o Galo, ficou o pesadelo de, após uma mísera rodada fora da zona da degola, voltar para o Z-4.

Na 33ª rodada, o Atlético-MG, que caiu para o 17º lugar, com 34 pontos, tem o confronto direto contra o Guarani, 16º com 35 pontos, em Campinas, na próxima quarta. No mesmo dia, o Botafogo recebe o Atlético-GO, no Engenhão.

Enquanto o Atlético abusava das chances perdidas, o Botafogo aproveitou as raras chances. E foi apostando num contra-ataque que o Alvinegro carioca abriu o placar, aos 30 minutos. Loco Abreu recebeu, avançou sem marcação e, frente a frente com Renan Ribeiro, não foi egoísta. Rolou para o meio da área e achou Edno, que tocou para fazer 1 a 0.

O Botafogo passou a se fechar ainda mais na defesa e, aproveitando o desespero do Atlético, que partiu para cima, sacramentou a vitória aos 45 minutos. Loco Abreu recebeu novamente livre e dessa vez tocou com categoria para fazer 2 a 0. O Botafogo agora sonha. O Galo volta a ter pesadelos

Sebastião Lemos na Saga de “Crepúsculo”

O ator brasileiro Sebastião Lemos fará participação em Amanhecer, quarto filme da vitoriosa saga “Crepúsculo”.

Reprodução
O ator Sebastião Lemos
 

Na lista da produtora Summit Entertainment aparece o nome do brasileiro. Entre alguns trabalhos do ator estão as novelas “Mandacaru” e “Selva de Pedra”. Lemos participou recentemente da série Força-Tarefa da Rede Globo e atuou no média-metragem Cara e Coroa (2008), do diretor e roteirista Leo Colle.

A produtora não confirmou as filmagens no Brasil, mas parte da história escrita por Stephenie Meyer se passa por aqui.

O filme que encerra a história de Edward e Bella será dividido em dois, ambos dirigidos por Bill Condon. A primeira parte de Amanhecer estreia em novembro de 2011, e a última, em novembro de 2012.

O filme, a ser dividido em duas partes, terá primeiro lançamento dia 18 de novembro de 2011.

  Márcio de Souza/TV Globo  
Sebastião Lemos
Sebastião Lemos

Reta Final de Inscrições a TIRADENTES

Ultimos dias para inscrição de filmes