Arquivo do dia: 03/10/2010

Malu Mader Indica Filmes de Mulheres

Atriz destaca crescimento das mulheres no cinema e aponta filmes prediletos

Foto: George Magaraia

Após sua elogiada estreia como diretora, no documentário Contratempo, Malu Mader pensa em repetir a dose, mas não sabe ainda quando. A atriz prestigiou a premier do filme Somewhere, da americana Sofia Coppola, sexta (1/10), no Cine Odeon, centro do Rio, e destacou o crescimento das mulheres na direção de um filme. “As meninas estão arrasando e não tem para ninguém”, brincou a atriz. 

A pedido do iG, Malu fez seu “top 5” dos cinco melhores filmes, dirigido por mulheres.

1. “A Culpa é do Fidel” (2006), da francesa Julie Gravas. No começo dos anos 1970, menina de nove anos encara algumas mudanças em sua vida quando seus pais viram ativistas políticos.

“É um filme político, mas gracioso. Questiona essa divisão entre a esquerda e direita, que está tão fora da moda”.

2. “As melhores coisas do mundo” (2010), de Laís Bodanzky. Mano é um jovem da classe média, cujos pais estão se separando. Seus medos, angústias e ansiedades, típicos da adolescência, são compartilhados entre os amigos da escola onde estuda.

“É um filme leve, inteligente e atual. Ideal para se ver com os filhos”

3. “Proibido Fumar” (2009), de Anna Muylaert. Baby é uma professora de violão que para conquistar o amor, terá que abrir mão de seu mais antigo companheiro: o cigarro.

“Glória Pires se supera nesse filme e Paulo Miklos, além de ser um ótimo músico, arrasa no filme. Além disso, o roteiro é maravilhoso e o final surpreendente”.

4. “Brilho de uma paixão” (2009), da francesa Jane Campion. Drama passado em 1819 e que descreve o romance entre o poeta John Keats e a jovem Fanny Brawne, violentamente interrompido após três anos quando Keats morre prematuramente aos 25 anos de idade.

“Como toda mulher, adoro um filme de amor. Mas esse não é aqueles água com açúcar, meloso”. 

5. “Encontros e desencontros” (2003), de Sofia Coppola. Ator amargurado grava comercial de uísque no Japão e faz amizade com uma recém-casada que acompanha o marido em viagem de negócios.

“Direção incrível, atores maravilhosos e o final perfeito”

* Luisa Girão, iG Rio de Janeiro

5 Vezes Favela e Cearense Vencem Biarritz

 

O filme 5 x Favela – Agora por Nós Mesmos, de Cacá Diegues, venceu ontem o prêmio do público do 19° Festival de Biarritz, na França. O prêmio de interpretação feminina foi coletivo, entregue às brasileiras Nanda Costa, Amanda Diniz e Kika Farias, do filme Sonhos Roubados, de Sandra Werneck.

5 x Favela – Agora por Nós Mesmos reúne cinco curta-metragens, de 20 minutos cada, que se desenvolvem nas favelas do Rio de Janeiro. O filme foi exibido este ano no Festival de Cannes, fora da competição, e dá voz ao ponto-de-vista de cinco jovens que cresceram e vivem nas favelas do Rio.

Mas o vencedor do Grande Prêmio El Abrazo do Festival de Biarritz foi o filme mexicano Revolución, uma interpretação crítica da revolução de 1910 realizada por dez cineastas.

O filme vencedor, que recebeu também o prêmio da crítica francesa, é um compêndio de dez curtas dirigidos por Carlos Reygadas, Amat Escalante, Gael García Bernal, Diego Luna, Mariana Chenillo, Patricia Riggen, Fernando Eimbcke, Rodrigo García, Gerardo Naranjo e Rodrigo Plá, que dão sua visão pessoal à revolução mexicana.

No ano passado, o Festival de Cinema e Cultura da América Latina também premiou o México, ao coroar como melhor longa-metragem “Cinco días sin Nora”, de Mariana Chenillo, uma das realizadoras de Revolución.

O filme boliviano Zona Sur, no qual o realizador Juan Carlos Valdivia narra uma Bolívia em transição, através da decadência de uma família de classe alta, ganhou o Prêmio do Júri, presisido pelo diretor francês Patrick Chesnais e do qual fizeram parte o escritor chileno Luis Sepúlveda e a atriz argentina Martina García.

O prêmio de melhor ator foi para o argentino Osmar Núñez, protagonista de “La Mirada Invisible”, de Diego Lerman, um retrato obscuro e dramático da ditadura argentina.

O prêmio El Abrazo de melhor curta-metragem foi para Los Minutos, las Horas, uma produção da escola de cinema San Antonio de los Baños, de Cuba, que foi filmado por uma de seus estudantes, a cearense Janaína Marquez Ribeiro.

O El Abraço de melhor documentário ficou com a também brasileira Flávia Castro, de Diário de Uma Busca, que tenta retratar a vida e a morte de um militante de esquerda dos anos 1960 no Brasil.

Alguns Festivais, Muitos Amigos …

Cada festival de cinema é um momento de celebração especial. Cada um tem sua personalidade e em cada um encontramos motivos  para angariar momentos inesquecíveis, pois – como dizia nosso adorável VININHA -, “A Vida é a Arte do Encontro”… 

Portanto, vamos relembrar festivais de 2008, 2009, 2010…

Zanella, Aurora e Bernardo em Ribeirão Pires...

Aurora e André Costa agitam noite do Comunicurtas

Julinho Science, Aurora, Marão e Zeca Brito

 

Zeca Ferreira e Aurora na animação de Jeri

 

Carlos Segundo curtindo no Festival de Jeri

Filipe Wenceslau, Valério Fonseca e Zeca Ferreira: amigos queridos

Jornalistas em Jeri: Síria Mapurunga e Aurora Miranda Leão

Animação em JERI

Filipe, Zeca, Aurora, Valério, Síria e Lucas Harry

 Rosamaria Murtinho, Alice Gonzaga e Aurora

Ney Latorraca, Aurora e Luiz Carlos Lacerda

Leona Cavalli, Aurora, Fafy Siqueira e Teca Pereira

Dois Hits Paralâmicos…

Meu Erro e Meu Sonho, duas alegrias em forma de declaração musical, jóias que ouvimos até cansar… E não cansa nunca…

       

SARAVÁ, HERBERT VIANNA !!!

MEU ERRO – da safra inicial, gravada em 1984 no sensacional LP O Passo do Lui – primeiro disco de Ouro da fabulosa Banda, com 100 mi lexemplares vendidos…

MEU SONHO – Sucesso do Terceiro Milênio, gravda no disco Brasil Afora, de 2009 …

Para ouvir, acesse www.kboing.com.br

HERBERT VIANNA: compositor paraibano, voz de veludo, expert na guitarra, autor de algumas das melhores pérolas da MPB… Vida longa pro amado Herbert !!!