Arquivo do dia: 13/11/2010

Saudades do FestCine Goiânia…

Foram oito dias de intensas conversas onde a Sétima Arte era o tema principal: projeções em salas lotadas, distribuição de sorrisos e autógrafos, um congraçamento bonito de se ver e que agora nos enche de saudade… Que venha o FestCine 2011 !

SARAVÁ !!!

Rosamaria Murtinho, Sílvio Tendler e Ingra Liberato

Rubens Ewald Filho fez duas concorridas palestras provando ser uma “enciclopédia ambulante de Cinema”

Satisfação entre amigos: Aurora Miranda Leão e Rubens Ewald Filho

Débora Torres, Aurora e Rubens Ewald Filho no Cine Goiânia Ouro

Alex Moletta, de Santo André: dicas para fazer vídeos com pouca grana

Débora Torres, que lançou curta no encerramento, Ingra Liberato e Itamar Borges

Carol Leão autografa livro do pai, o saudoso cineclubista BETO LEÃO

Simone Spoladore concede entrevista a Mariley Carneiro

Documentarista Orlando Lemos com a filha Ana e as sobrinhas

Ator Guido Campos, cineasta Bruno Safadi e produtora Débora Torres

Jovem e competetente ator gaúcho Samuel Reginatto anuncia Os Famosos e os Duendes da Morte

Escritor Miguel Jorge (GO) e Alex Moletta (SP)

Amigas cinemeiras: Aurora Miranda Leão e Carol Paraguassu

TURMA BOA: Miguel, Ingra, Alex, Aurora, Rogério, Rosinha e Débora Torres

MULHERES DE CINEMA: Ingra Liberato, Aurora Miranda Leão, Rosamaria Murtinho e Débora Torres

Argentino Lazzarini: “Equipamentos de ponta não substituem a capacidade de contar uma boa história”

Cineasta Jeferson De e documentarista Julinho Léllis

DSC_0794

Rosamaria Murtinho, presidente oficial do Júri

DSC_0803

Rosamaria Murtinho conversa com Irandhir Santos

Esta jornalista autografa livro do pai, LG de Miranda Leão

DSC_0426

Caco Ciocler, homenageado na noite de abertura, recebe Troféu Goiânia, idealizado pelo artista Siron Franco, da secretária municipal de Educação, Márcia Carvalho.

Orlando Senna e a Dramaturgia nos Lençóis Baianos

Oficinas Orlando Senna de Dramaturgia Audiovisual de Lençóis

As Oficinas Orlando Senna de Dramaturgia Audiovisual de Lençóis surgiram no ano 2000, pensadas e projetadas para o treinamento de contadores de histórias em geral e, particularmente, de contadores de histórias audiovisuais (cinema, TV, multimídia, videogame). 

Das nove oficinas montadas até o momento, resultaram a realização de doze filmes (dois longa-metragens, dois longa-metragens TV, oito curta-metragens), o que confere ao projeto um nível bastante alto de resultados práticos.

 

A metodologia é lastreada no entendimento e treinamento do raciocínio dramático e na prática de criação e elaboração de narrativas, desenvolvidas a partir de aportes teóricos e análise progressiva e coletiva dos trabalhos de redação e visualização. 

No tocante a histórias audiovisuais, trata-se de sistematizar o trabalho do roteirista, ou seja, como escrever um roteiro segundo as exigências dramatúrgicas e formais da comunicação audiovisual atual. 

O formato é sempre o de um brainstorm, os participantes pensando intensamente e conjuntamente sobre equações dramáticas e sobre os personagens e as tramas propostas por cada um, o que leva a vários e distintos resultados: a conformação de uma narrativa, a sinopse de uma narrativa a ser trabalhada posteriormente, argumentos e roteiros audiovisuais.

 Em qualquer medida desses resultados práticos, pretende-se fixar no comportamento criativo dos participantes a autodisciplina necessária ao trabalhoso ofício de inventar e organizar histórias para qualquer meio de comunicação.