Arquivo do mês: abril 2011

Como e Por Que Alice Sumiu ?

Pirenópolis, bucólico município goiano onde nasceu a idéia de O Sumiço de Alice…

O Sumiço de Alice é o novo curta-metragem da jornalista Aurora Miranda Leão. Rodado em Anápolis, durante o I Festival de Cinema de Anápolis, realizado no município goiano de 12 a 18 de abril passados, o curta é um trabalho experimental que nasceu de uma visita à bucólica região de Pirenópolis, berço de tantos filmes brasileiros (como “Simeão, o boêmio”, primeiro filme dirigido pelo pioneiro goiano João Bennio; O Tronco, de João Batista de Andrade; O Leão do Norte, de Carlos Del Pino; e o curta Borralho, do maranhense Arturo Sabóia de Almada).

Gravado em formato digital, com imagens captadas em mini DV, O Sumiço de Alice é mais uma produção Aurora de Cinema, a ser finalizada em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes (da videasta cearense Lília Moema).

turma reunida 2

Elenco do curta ‘O Sumiço de Alice’, rodado no eixo Anápolis-Pirenópolis

O processo de produção resume-se a 3 dias de gravações no circuito Pirenópolis-Teatro Municipal-Estância Park de Anápolis, mas, apesar do pouco tempo, o curta conta com elenco estelar, onde despontam o talento vibrante de Zezeh Barbosa, a criatividade singular dos goianos Deborah Torres e Guido Campos, a expressividade da atriz Dila Guerra, a criatividade do escritor Miguel Jorge, a descontração de Walter Webb, Alice Gonzaga e Mallu Moraes, a seriedade na estréia de Selva Aretuza e Manaíra Carneiro, além da inteligente participação dos jornalistas Cid Nader e Felipe Brida.

Aurora anota idéias para incluir no roteiro de O Sumiço de Alice

Eduardo Cardoso, Dila Guerra, Bianca Menti e Aurora: em busca de Alice…

Um belo plano-seqüência gravado em Pirenópolis responde pela abertura de O Sumiço de Alice. O filme vai-se desenvolvendo e, ao longo de seus 15 minutos, uma sucessão de imagens e depoimentos insólitos vão mapeando a intrincada história do inopinado e misterioso sumiço de Alice.

Alice Gonzaga, Mulher Patrimônio do Cinema, que inspirou o curta O Sumiço de Alice

Até o final, paira no ar a pergunta que não quer calar: como e porquê Alice sumiu ?

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Aurora Miranda Leão

Produção: Aurora Leão e Ângela Torres

Assistente de produção: Itamar Borges e Mallu Moraes

Direção de Platô: Laura Pires

Edição: Aurora M. Leão e Lília Moema

Still: Ed Cafezeira e Laura Pires

Dila Guerra, Laura Carneiro, Mallu Moraes, Aurora Miranda Leão e Zezeh Barbosa: descontração imperou nas gravações de O Sumiço de Alice

Encontro feliz em Anápolis: Aurora Miranda Leão, Walter Webb e Débora Torres

Elenco: 

                   ALICE GONZAGA

                    ZEZEH BARBOSA

                    DÉBORA TORRES

                    WALTER WEBB

                    MIGUEL JORGE

                    SELVA ARETUZA, gentilmente cedida por Danton e Selton Mello

                    GUIDO CAMPOS

                    DILA GUERRA

                   MALLU MORAES

                   JOÃO BATISTA DE ANDRADE

                    MANAÍRA CARNEIRO

                    CID NADER

                    FELIPE BRIDA

                     SERINA RARUÁ

                    ITAMAR BORGES

                    LAURA PIRES

                    ED CAJAZEIRA

Zezeh Barbosa e Guido Campos curtindo a noite anapolina: brinde ao Cinema !

Revista é Cultura de Cinema

Em 2010, a revista Filme Cultura quebrou o hiato de 23 anos sem publicações.

No aniversário de sua volta perguntamos: Qual é a importância da retomada da revista ?

Respostas para: promocao@filmecultura.org.br

Os 2 comentários mais criativos vão levar 5 novas edições da FILME CULTURA + coleção Fac-Símile.
O resultado será divulgado nopróximo dia 5 de Maio.
 
Vamos às Respostas !
 

Espalhe Alegria, Sorria e Seja Jovem

Meu lema, já disse aqui – e todos quanto me conhecem, sabem -, segue à risca o que apregoava Mestre Vininha:

“É melhor ser alegre que ser tristeA alegria é a melhor coisa que existe, é assim como a luz no coração…”

Daí que encontrei esta pérola de texto, assinado por Fernanda Dannemann, e quero dividir o prazer da leitura com você, leitor amigo do Aurora de Cinema… 

Aproveite e se delicie, como eu… 

Rir é a grande dificuldade do mundo adulto

Por que será que uma simples risada é tão difícil para a maioria das pessoas? Ver graça nas coisas, rir de si mesmo, brincar?Já reparou?Eu, por gostar de rir, já fui considerada infantil por muita gente. 

 
E percebi que, em algum momento da nossa existência, o riso torna-se pejorativo, como se ter bom humor fosse sinal de imaturidade, de não levar a vida a sério, de ser irresponsável. Deixar de rir e brincar é como um ritual de passagem para a vida adulta.Mas desde quando que, para “levar a vida a sério”, a gente precisa ser sisudo, estampar um ar de preocupação no rosto, de preferência andar pela rua olhando para baixo, não perder tempo com coisa tão fútil como uma brincadeira?Isso me lembra a educação ideal nos tempos da minha avó, quando gargalhar era coisa de gente vulgar, ser feliz em público era falta de educação, demonstrar afeto era quase pecado e – horror! – um arroubo de paixão era a passagem sem escalas para a casa do Cruz Credo! 

Sei que diante da multidão de infelizes que há por aí, a alegria alheia arde nos olhos igualzinho a luz na retina da vampirada. O bom-humor ofende, é quase pornográfico, e chega aos ouvidos desse povo com o tom malévolo da ironia, como se fosse um deboche ao seu jeito amargo de vegetar.

Para eles, a alegria é uma afronta: como se estar feliz, hoje em dia, num mundo tão corrupto e mal, fosse displicência, egoísmo ou maluquice.

Pois olha… falta de educação é viver como se a vida fosse um eterno sermão de missa: a seriedade do começo ao fim. Ou um problema de física quântica. Ou um velório, onde tudo é só tristeza e saudade…

O caso é que as pessoas, no decorrer do tempo, se esquecem de rir e de brincar, e acabam acreditando que isso seja coisa da infância. Quando se dão conta, já não sabem mais como é, se esqueceram e precisam mesmo reaprender, fazer o caminho de volta às pequenas alegrias da vida, que são, no fim das contas, as mais importantes.

Se você faz uma brincadeira, elas não entendem e respondem com sua habitual seriedade adulta, e por quê? Uma piada pode virar tese de mestrado ou, na pior das hipóteses, de promotor de justiça. E por quê? 

Porque as pessoas levam a vida a sério demais.O máximo que conseguem é rir dos outros, fazer do próximo um bode expiatório e jogar sobre ele seu sarcasmo… e acreditam, em sua ignorância, que isso seja brincar. Crêem que esse riso, que é de escárnio, seja de alegria. Quando já nem sabem, quase, o que é a alegria.

Cuidado! Não se torne um deles… se tem andado sério demais, agarre-se à lembrança de quando era jovem de alma, e tinha um coração leve e cheio de esperança. De quando seu raciocínio era limpo de julgamentos e de certezas irredutíveis. De quando seu dia era aberto aos novos amigos e aos novos acontecimentos, e rir era tão natural quanto conversar. De quando a diversão era tão simples, que não precisava ser planejada. 

Sua infância passou, mas sua alegria pode ser cultivada e florescer a vida inteira. Isso é ser jovem, o que é bem diferente de ser infantil ou idiota.

Obrigada pela lição de vida, Fernanda !

MESSI é um Solo de Piazzolla que nos encanta…

Vou falar o que do Messi? Gênio é pouco

por Antero Greco

* Este eu também queria ter escrito… Eloqüência e precisão invejável do articulista do ESTADÃO… SARAVÁ !!! 

 

Eu, você que me lê agora, torcedores do Barcelona e do Real Madrid que estavam no Santiago Bernabeu e todo mundo que assistiu de alguma forma ao clássico desta quarta-feira, somos privilegiados. Podemos afirmar que somos contemporâneos de um dos gênios da bola. Não se pode dizer menos de Lionel Messi, um desses fenômenos que de vez em quando surgem para provar que a Humanidade tem futuro, apesar de tudo.

Messi é incomum, como Pelé, como Maradona, como Garrincha. Messi é esplêndido como Picasso, como Miró. Um Michelangelo do esporte. Tem a criatividade de um Da Vinci, a ousadia de Mozart, a imponência de Beethoven. Os gols de Messi são poemas de Dante, epopéias de Homero; são épicos de Cervantes. Dostoievski veria em Messi seu grande personagem. Messi diverte como Chaplin, é um Gardel dos gramados. Messi é um solo de Piazzolla que nos encanta, nos emociona.

Messi é exagero, um abuso, uma hipérbole. “É um virtuose juramentado, um despautério futebolístico, uma hecatombe devastadora de botinudos”, como diria Odorico Paraguaçu, personagem imortal de Dias Gomes. O que tinha tudo para ser mais um jogo amarrado, tenso, chato e insosso, apesar de bate-bocas e expulsões, virou um capítulo de antologia por causa de Messi e seus dois gols contra o Real.

Gols que valem mais do que a provável classificação para a final da Copa dos Campeões – a competição, no caso, é detalhe supérfluo. Os gols de Messi, na noite desta quarta-feira, em Madri, são obras-primas, são clássicos. São a reafirmação de que o Universo tem um Criador.

Caramba, e tinha de ser justo hoje, com tanto jogo ainda pra ver?!

O POEMA de VININHA pra LUCIANA

Luciana

Olha que o amor, Luciana
É como a flor, Luciana
Olhos que vivem sorrindo
Riso tão lindo
Canção de paz

Olha que o amor, Luciana
É como a flor que não dura demais
Embriagador
Mas também traz muita dor, Luciana

LUCIANA DE MORAES, que faleceu na manhã desta quinta, no RIO, era das filhas a mais parecida fisicamente com o pai, e era fruto do segundo casamento de Vinícius, com Lila Bôscoli, bisneta da compositora Chiquinha Gonzaga. Se vivo fosse, Vinicius estaria duplamente triste: Cristina Gurjão, uma das suas ex-mulheres (com quem teve uma filha, Maria), morreu no mês passado, no Rio.

POETA, Compositor e Diplomata, VINÍCIUS DE MORAES é a lacuna jamais preenchida

Que o Poeta te receba em PAZ, Luciana !

 De cortar o coração saber da passagem prematura de LUCIANA DE MORAES, tão bem humorada, festeira e a mais parecida fisicamente com o pai, o inesquecível poeta de ‘SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ” e tantas outras pérolas…

A família de Luciana de Moraes está toda reunida neste momento de dor e luto, por conta de sua morte trágica. Mariana, sobrinha de Luciana e neta de Vinicius de Moraes, contou que a tia provavelmente estava mesmo deprimida, o que poderia tê-la levado a cometer o suicídio. O velório acontece amanhã, a partir das 7h, no São João Batista. O enterro está marcado para o meio-dia…

Aqui, para amenizar as saudades, alguns dos momentos alegres de Luciana de Moraes, em cliques de Cristina Granato, pinçados da bem informada coluna de HILDEGARD ANGEL…

Maria Gurjão (acaçula de Vina), Georgiana e sua filha, Diana, Luciana e Suzana de Moraes (a primogênita) na festa de casamento de Diana de Moraes, em junho de 2008, na Hípica, RIO

Diana, na festa de seu casamento, com as tias Luciana e Suzana de Moraes

Luciana de Moraes, Jards Macalé e Mariana de Moraes, na Argumento do Leblon

Em recente homenagem ao pai, no Ministério da Cultura, quando o Poeta foi reconhecido como Embaixador do Brasil Post-Morten

Adeus a Luciana de Moraes

Filha do compositor Vinicius de Moraes é encontrada morta

Luciana de Moraes, que cuidava do espólio artístico do Poeta, foi encontrada em frente ao prédio onde morava

 

Luciana de Moraes, filha do compositor Vinicius de Moraes, morreu hoje 

Morreu no início da manhã desta quinta-feira (28) uma das filhas do compositor e poeta Vinicius de Moraes, Luciana de Moraes, de 55 anos. O corpo foi encontrado em frente ao prédio onde Luciana morava, no Leblon, bairro nobre da zona sul do Rio de Janeiro. 

De acordo com informações da Polícia Militar, Luciana teria caído da janela do apartamento 301, onde morava com uma companheira e um enteado. No entanto, as circunstâncias da sua morte serão investigadas pela 14ª DP (Gávea).

O corpo foi encontrado, por volta das 7h30, pelo porteiro do prédio que chegou a chamar os bombeiros, mas ela já estava morta.

Ela era a terceira filha (dentre as mulheres) de Vinicius, chegou a viver (quando ainda muito jovem) com o ator Claudio Marzo, e atualmente era responsável pela administração dos bens deixados pelo artista.

Ainda segundo informações da Polícia Civil, os relatos de pessoas próximas a Luciana revelam que a causa do possível suicídio foi depressão causada por problemas  financeiros.

“Já ouvimos duas domésticas e uma secretária particular da vítima. As testemunhas contam que Luciana estava muito deprimida nas últimas semanas por causa de dificuldades referentes a dinheiro”, disse a investigadora.

Quando receberam o chamado para socorrer Luciana, homens do Corpo de Bombeiros se deslocaram para o seu prédio, no Leblon. No entanto, ela já estava morta. 

Luciana era filha do compositor com sua terceira mulher, Lila Bôscoli.

Mais uma vez, Novela da Globo Concorre a Prêmio Internacional

A  novela O Clone, produzida no Brasil, Colômbia e Estados Unidos, concorrerá no 51º Festival de Televisão de Monte Carlo, a ser realizado entre 6 e 10 de junho em Mônaco, informam os organizadores do evento.

O Clone, da novelista Glória Perez, competirá pelo Prêmio da Audiência TV Internacional dentro da seção Telenovelas junto com outras duas criações, a americana “The Bold and the Beautiful” e a turca “Asi”.

Criada há seis anos pela Eurodata TV Worlwide e pelo Festival, o prêmio que permite os telespectadores votarem nos programas mais vistos no mundo, conta com outras duas categorias, uma dedicada às Séries de TV Dramáticas e às Séries de TV Cômicas.

Em cada uma delas competem também três programas, neste caso todos americanos: “C.S.I: Las Vegas, “C.S.I.: Miami”, e “House”, e as comédias “Desperate Housewives”, “The Big Bang Theory” e “Two and a Half Men”.

  TV Globo  
A atriz Giovanna Antonelli como Jade, a protagonista de "O Clone"
A atriz Giovanna Antonelli como Jade, protagonista de “O Clone”

Os vencedores desta edição dos Prêmios da Audiência TV Internacional serão aqueles que atingiram as maiores audiências nos cinco continentes ao longo de 2010, explicam os promotores do prêmio.

As séries finalistas foram pré-selecionadas entre os 15 programas de ficção mais importados de 67 países, que envolve cerca de 3 bilhões de telespectadores potenciais.

Eurodata TV Worldwide distribui informação audiência de televisão mundial e cobre mais de 3 mil canais em mais de 80 países.

É um organismo criado pela empresa líder de estudos Médiamétrie, que mede e analisa o comportamento do público e as tendências do mercado em televisão, rádio, internet, cinema e telefonia celular entre outros meios, lembra o comunicado.

Vida de Paulo Coelho vai às Telas

O escritor Paulo Coelho contou aos fãs no Twitter que lerá a versão final do roteiro do filme sobre sua vida.

“Amanhã, Carol Kotscho vai me ler a versão final do filme sobre minha vida”, escreveu Paulo Coelho no microblog.

Carol Kotscho é a responsável pelo roteiro do filme “Dois Filhos de Francisco”, que conta a história de Zezé di Camargo e Luciano, e foi convidada pelo escritor a escrever o roteiro do filme sobre sua vida há mais de dois anos.

As gravações do filme estão previstas para começar ainda este ano.

  Lavandeira Jr – 23.jan.2010/Efe  
O escritor brasileiro Paulo Coelho disse no Twitter que lerá a versão final de seu filme nesta quinta-feira
Paulo Coelho avisa aos fãs que lerá versão final de seu filme HOJE

Tchekhov, Necessário Sempre

Oficina de dramaturgia no Sesc Alagoas faz releitura de Tchekhov

O Projeto do Sesc Alagoas Dramaturgia: Leituras em Cena terá sua primeira etapa deste ano com a oficina Tio Vânia espia uma mulher que se mata: atualizando Tchekhov por Veronese

A oficina será conduzida por Symone Strobel (RJ), de 14 a 16 de maio, das 9h às 13h, no Teatro Sesc Jofre Soares/Sesc Centro. Serão disponibilizadas apenas 30 vagas e, para se inscrever, basta comparecer ao Sesc Centro com 1kg de alimento não perecível.

A oficina tem como proposta fazer uma releitura contemporânea do clássico Tio Vânia, do dramaturgo Anton Tchekhov, analisando a adaptação feita pelo dramaturgo argentino Daniel Veronese, em Espia Uma mulher que se Mata e, desta forma, evidenciar a atualidade do texto e o valor da obra do renomado escritor russo.

TCHECOV: peças ultrapassam gerações em todo o mundo e permanecem atuais

Através de exercícios que potencializem a palavra e a expressividade dos atores, a oficina visa a promover uma leitura concisa, visceral e intimista, que dialogue com o clássico e, ao mesmo tempo, proponha a investigação de linguagens na relação ator-texto-encenação.

Symone Strobel é professora de interpretação do Teatro Miguel Falabella, no Rio de Janeiro, e fundou em 2008 a Hospedaria Cia de Teatro com o diretor João Marcelo Pallottino. Seus trabalhos mais recentes são o monólogo A Religiosa, de Diderot (em cartaz); Espia uma Mulher que se Mata, adaptação do Tio Vânia, de Tchekhov; Chuva Ácida (Festival de Inverno Sesc Rio); Entre Quatro Paredes, de J. P. Sartre; O Balcão, de Jean Genet; Guernica, de Fernando Arrabal; e o musical Noel, Feitiço da Vila.

SERVIÇO
Oficina Tio Vânia espia uma mulher que se mata: atualizando Tchekhov por Veronese
1ª etapa do projeto Dramaturgia: Leituras em Cena
Data: de 14 a 16 de maio
Horário: das 9h às 13h
Local: Teatro Sesc Jofre Soares, Sesc Centro (Rua Barão de Alagoas, 229, Centro)
Mais informações: 0800 284 2440 e 3326-3133