Arquivo do mês: agosto 2011

LG Miranda Leão ressalta legado de cineasta japonês

 A arte de Akira Kurosawa

Há treze anos saía de cena o pintor, roteirista e diretor cinematográfico japonês Akira Kurosawa (1910-98), aclamado “auteur” de algumas obras-mestras do cinema. Percorrer-lhe o universo de criação, a poética de suas imagens, eis o motivo central deste comentário.

Clique para Ampliar
Akira Kurosawa aos 70 anos, quando dirigia “Kagemusha, A Sombra do Samurai” (1980)    ACERVO L.G. Miranda Leão

Como santo de casa não faz milagre, no dizer do velho adágio popular, Kurosawa, apesar de universalmente admirado, era menosprezado em sua terra e considerado por muitos um “regisseur” de segunda linha, quando se deve a ele, na realidade, a descoberta de um cinema japonês no exterior, graças ao pleno êxito artístico de filmes como “Rashomon” (1950), “Os 7 Samurais” (1954), “Trono Manchado de Sangue” (1957), “Dersu Uzala” (1975) e “Ran” (1985).

Magoado e deprimido por isso, Kurosawa chegou a tentar o suicídio em 1970, quando lhe negaram recursos financeiros para filmar dois roteiros de “Sonhos” e “Kagemusha”, já prontos. Salvaram-no seus admiradores americanos Steven Spielberg, Francis Coppola e Martin Scorsese, os quais o ajudaram a conseguir os dólares necessários para a concretização desses projetos.

Os Primeiros Tempos

As enciclopédias registram o nascimento de AK em 23 de março de 1910 em Omori, distrito de Tóquio. O mais velho de sete filhos de um veterano oficial do exército, AK mostrou desde cedo um talento invulgar para a pintura e aos 17 anos matriculou-se numa escola de artes plásticas, onde se valorizavam os estilos ocidentais. Foi quando se iniciou como pintor. Sem conseguir sustentar-se como artista, resolveu atender em 1936 ao anúncio de um estúdio cinematográfico nipônico no qual se recrutavam e treinavam assistentes de produção e direção, bem como de outras funções. Submetido a vários testes e neles aprovado, cumpriu estágio nos “sets” de filmagem e foi designado assistente de Kajiro Yamamoto (1902-74), realizador de quase trinta filmes de 1924 a 1967 e o responsável por “Horse” (1941), com o qual influenciou decisivamente o movimento documentário japonês. AK considerava Yamamoto seu mestre em matéria de 7° Arte.

Clique para Ampliar

Toshiro Mifune um dos atores preferidos de AK, aqui em cena de Rashomon

Para F. Klein e R.D. Nolan, a contribuição mais importante de Yamamoto foi ter sido professor e mentor de Kurosawa. Já em 1941, AK estava redigindo “scripts” e dirigindo seqüências inteiras dos filmes de Yamamoto, enquanto crescia sua admiração pela arte das imagens em movimento e revia clássicos do cinema mudo: do expressionismo alemão aos experimentos russos na montagem, dos cinemas americanos, sueco, italiano e inglês aos filmes franceses e Germânicos da década de 30. Assim, estreou no longa com “Sugata Sanshiro” (1943), seguindo-se-lhe “Yoko Yaguchi” (1944), “Zoku Sugata Sanshiro” e “Os Homens que Pisaram na Calda do Tigre” (ambos de 1945), quando logo se revelou como técnico altamente habilidoso e desafiador “com olho vivo para a criação de belas imagens e aptidão na economia de meios para expressar-se”.

Na II Guerra

O traiçoeiro ataque japonês a Pearl Harbor em 07 dez 41 marcou a entrada do Japão na II Guerra e isso freou de certa forma o crescimento profissional de Kurosawa. Hoje, seja-nos permitido breve parêntese, há informações segundo as quais o Almirante Isoruku Yamamoto (1884-1943), um dos grandes estrategistas militares do século XX, ex-aluno na Universidade de Harvard e ex-attaché militar em Washington, era contra a guerra com os EUA, pois o Japão iria despertar um gigante adormecido. Ironicamente foi ele quem recebeu as ordens para planejar o ataque e paralisar a frota americana no Pacífico… Abatido em 1943 numa emboscada por aviões P-38, quando fazia um vôo de inspeção sobre as Ilhas Solomon (os americanos haviam decifrado o código secreto japonês algum tempo antes), sua perda foi considerada como equivalente à vitória numa batalha…

Clique para Ampliar

Um dos esboços do mestre japonês, pintor de expressão, para seu filme Sonhos (1990)

Com a guerra, AK teve de conformar-se em filmar temas prescritos pela propaganda oficial do Estado. Daí o motivo pelo qual o jovem diretor se obrigou a concentrar-se no aperfeiçoamento técnico do seu trabalho, tanto de roteirista como de artesão de primeira linha. AK só entrou na fase madura e pessoalmente mais expressiva de sua carreira no pós-guerra, quando dirigiu “Asu o Tsukuru Hirobito” (1946), “Subarashiki” (1947) e “O Anjo Embriagado” (1948). Este marcou coincidentemente a primeira de 12 colaborações com o ator Toshiro Mifune, protagonista de boa parte de suas realizações. “Neste filme”, disse AK, “finalmente me encontrei”. Daqui em diante o mestre japonês afirmou cada vez mais sua independência criativa, eventualmente assumindo controle completo sobre o conteúdo e a forma de suas produções. Como não dispomos dos títulos em português de vários filmes nipônicos, mantivemos no alfabeto latino os originais recebidos.

Para a maioria dos críticos europeus e americanos como Kline & Nolan, AK é o cineasta de todos os gêneros, de todos os períodos e de todos os lugares, conectando em seus filmes o velho e o novo, as culturas do leste e do oeste. Como diria depois seu ex-professor Kajiro Yamamoto, “os dramas de época de AK têm significação contemporânea e seus temas modernos se caracterizam por uma compaixão pelos seus personagens, um humanismo profundo capaz de mitigar a violência com a qual ele os cerca com freqüência e uma preocupação aguda pelas ambigüidades da existência humana”.

L.G. DE MIRANDA LEÃO
* Redator exclusivo


FRASES

“O cinema de Kurosawa impressiona não apenas o espectador, mas também o crítico pelo senso do trágico demonstrado pelo realizador e pela perfeita interação entre o olho do pintor e a sensibilidade de um poeta. Com isso, Kurosawa faz do cinema aquilo que ele essencialmente é: um espetáculo de imagens em movimento e muita coisa a dizer com elas”.

François Truffaut, in Arts (entretien), Paris, 1963

“Neste grande autor de filmes a violência intervém muitas vezes, sempre como manifestação de cólera e de revolta contra as injustiças sociais de ontem e de hoje: este humanista põe ao serviço de um ideal o seu sentido plástico, a direção de atores, a mise-en-scène bem acabada e a montagem rigorosa”.

– Georges Sadoul, in Dicionário dos cineastas, Coleção Horizonte de Cinema, 1977

George Harrison ganha documentário de Scorsese

Assista ao trailer de ‘George Harrison: Living in the material world’

Beatlemaníacos, tremei: o trailer de “George Harrison: Living in the material world” foi divulgado. O documentário, dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese, reconta a trajetória do guitarrista, desde o começo dos Beatles, passando por sua prolífica carreira-solo até sua morte, em decorrência de câncer, em 2001.

O trailer traz depoimentos dos ex-colegas Paul McCartney e Ringo Starr, além de amigos como Eric Clapton. “George Harrison: Living in the material world” será lançado dia 10 de outubro. Saiba mais sobre o doc clicando aqui

Cinema em Destaque: nova Revista TEOREMA

Na próxima sexta, 26, acontece o lançamento da 18a edição da revista Teorema Crítica de Cinema, em Porto Alegre.

No momento em que atinge a maioridade, e prestes a completar uma década, os editores da revista independente renovam o compromisso de seguir trabalhando para manter o espaço de reflexão sobre a arte cinematográfica.

Esta edição reflete a qualidade e a variedade dos lançamentos de 2011 em solo brasileiro, com ênfase, se considerado  o número de artigos, para o cinema produzido na França, ou a partir da França.  Mas, pela ordem das páginas,  o primeiro texto vai para Ásia:  Ivonete Pinto  faz um panorama do atual cinema sul-coreano, tendo como mote o filme  Poesia,  de Lee Chang-Dong. As aventuras francesas de Woody Allen no delicioso Meia Noite em Paris são objeto de detalhada análise de Enéas de Souza. O colaborador mineiro da revista, Marcelo Miranda, defende o recém-lançado (ainda que apenas em home video) Aterrorizada, filme que marca o bem vindo retorno de John Carpenter aos sets de filmagens, depois de um silêncio de 10 anos. A presença mineira se mantém firme nas páginas seguintes, nas quais Paulo Henrique Silva se dedica a esmiuçar Bróder, primeiro longa do cineasta Jeferson De.

         O polêmico documentário Pacifc, grande vencedor da última edição do festival CineEsquemaNovo, dá origem a um produtivo diálogo entre o diretor do filme, Marcelo Pedroso, e o crítico Jean-Claude Bernardet. A capa vai para o longamente aguardado Trabalhar Cansa, de Juliana Rojas e Marco Dutra. O longa de estréia da premiada dupla de curta-metragistas revelada pela produtora Sara Silveira ganha artigo assinado por Marcus Mello.

         Fernando Kinas ataca a unanimidade em torno do francês Homens e Deuses, de Xavier Beauvois. O também francês Turnê, de Mathieu Amalric, é objeto de leitura extremamente pessoal e afetiva por Fabiano de Souza.

         Finalmente, a presente edição (e este pequeno bloco gaulês) se encerra com as impressões de Milton do Prado sobre o cinema de Claire Denis, estimuladas por vários encontros do articulista com a diretora de Beau Travail e Minha Terra, África durante sua passagem pela capital gaúcha, em julho último.

SERVIÇO

Lançamento revista Teorema 18 

Quando: 26/08, sexta-feira, a partir das 19h 

Onde: PALAVRARIA – R. Vasco da Gama, 165 – F : 51 32684260 – Porto Alegre 

QUANTO: R$ 10,00 

Editores: Enéas de Souza, Fabiano de  Souza, Flávio Guirland, Ivonete Pinto, Marcus Mello.

Locais onde a Teorema pode ser encontrada: 

Porto Alegre:  Livraria Cultura, Cinemateca Paulo Amorim, Locadora E O Vídeo Levou,  Palavraria

São Paulo: Livrarias Cultura, Livrarias Fnac, Espaço Unibanco (Augusta)

Rio de Janeiro: CCBB (Livraria Travessa), Estação Botafogo

Cavideo Locadora (Botafogo, RJ)

Salvador: Livraria Cultura

Recife: Livraria Cultura

Brasília: Livraria Cultura

Rio de Janeiro: Livraria Cultura  (em breve)

Campinas/SP: Fnac

 

Verônica leva cinema pernambucano à Espanha

Marcelo Gomes já tinha participado do festival espanhol antes, quando o longa Cinema, Aspirinas e Urubus (2005) foi passado na mostra Horizontes Latinos no mesmo ano de seu lançamento.

O Cinema em Construção 20 é uma programação que tem como intenção dar suporte à produção cinematográfica da latino-americana. Ela acontece duas vezes por ano, durante o Festival de San Sebastián e no Rencontres Cinémas d’Amérique Latine de Toulouse, na França.

As outras produções selecionadas para a atual edição foram: Infância Clandestina, do argentino Benjamín Ávila,Joven & Alocada, da chilena Marialy Rivas, Um Mundo Secreto, do mexicano Gabriel Mariño, La Playa, do colombiano Juan Andrés Arango, e, 7 Cajas, dos paraguaios Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori.

A mostra prevê um auxílio na pós-produção do filme vencedor e a realização de uma cópia em 35 milímetros do longa com legendas em inglês. Mais de 70 produções se inscreveram para esta sessão do festival.

Era uma vez Verônica conta a história de uma médica recém-formada que trabalha num hospital psiquiátrico de Recife
 

Cinema se alastra de todas as formas em BAGÉ

Oficina de Videoclipe abre vagas para alunos e bandas de Bagé

As bandas de Bagé que tiverem músicas de sua própria autoria já gravadas, terão a oportunidade de transformar sua interpretação em videoclipe.

As bandas e músicos da cidade devem apresentar um CD com a música sugerida, currículo com os perfis de seus integrantes e o histórico do grupo na Secretaria Municipal de Cultura. O prazo de inscrição termina na próxima segunda, dia 29.

Os videoclipes serão dirigidos pelos alunos da Oficina de Videoclipe,  acomeçar na próxima terça,  30 de agosto, e prosseguindo até domingo, 4 de setembro.

 

O imponente Palacete Pedro Osório, sede da Secretaria de Cultura de Bagé

A oficina de videoclipe terá módulos que englobam uma introdução ao cinema, linguagem cinematográfica, introdução ao roteiro cinematográfico, introdução à direção de arte, introdução à direção de fotografia, decupagem, concepção estética, introdução à produção, criação de roteiros para videoclipe, esquematização de pré-produção, produção do videoclipe, filmagem, Introdução à montagem e seleção do material captado, montagem e finalização.

Serão realizados dois videoclipes de duas diferentes bandas ou artistas, sendo que as músicas serão escolhidas pelos próprios alunos. Os interessados em participar da oficina, a cargo de Lufe Bollini e Juliane Senna, podem se inscrever na Secretaria Municipal de Cultura, no Palacete Pedro Osório.

MESSI dá mais um SHOW e leva BARCELONA a nova Vitória

Barcelona goleia o Napoli em amistoso – times se enfrentaram pelo Troféu Joan Gamper  

O Barcelona conquistou nesta segunda mais um torneio amistoso em sua pré-temporada, ao golear o Napoli por 5 a 0 na disputa do Troféu Joan Gamper. O time catalão sufocou a equipe italiana durante toda a partida e contou com as brilhantes atuações do recém-contratado Cesc Fábregas e da estrela argentina Lionel Messi, que foram muito aplaudidos pelos torcedores.

Jogando no Camp Nou, o Barcelona fez valer seu mando de campo e sufocou a equipe italiana desde o primeiro minuto de jogo. Logo aos oito minutos de jogo, Fábregas viu o goleiro Sanctis adiantado e tentou fazer um gol de cobertura, falhando por pouco em sua conclusão.

A resposta do Napoli veio sempre com Cavani, que fez um golaço aos nove minutos de jogo. Entretanto, o assistente flagrou o uruguaio em posição de impedimento e anulou o gol. Já aos 11 minutos, o atacante do Napoli tentou surpreender Pinto de cabeça, mas o goleiro catalão conseguiu fazer a defesa.

Aos 25 minutos, a estrela de Fábregas brilhou, e o meia fez seu primeiro gol com a camisa do Barcelona. O brasileiro Adriano avançou em velocidade pela esquerda e achou o espanhol dentro da área, que apenas completou para as redes. 

Foto: AFP

Keita, Messi e Fábregas comemoram na goleada sobre o Napoli 

Quatro minutos depois, o Napoli respondeu com um bom chute do argentino Fontás. Entretanto, quem marcou mais um gol foi o Barcelona, dessa vez com Keita. Aos 30 minutos de jogo, o meia aproveitou o cruzamento de Iniesta dentro da área para cabecear firme e vencer o goleiro Sanctis.

Sem dar nenhum espaço para os italianos saírem para o jogo, o time catalão se manteve a maior parte do tempo no ataque, e logo no início da segunda etapa mostrou como seria o desenrolar da partida. O atacante Isaac Cuenca acertou um belo chute de fora da área e acertou a trave. No rebote, Pedro finalizou e a bola encontrou mais uma vez a trave de Sanctis.

Em resposta aos constantes ataques do time espanhol, o uruguaio Cavani conseguiu marcar outro gol na partida, mas não pode comemorar mais uma vez, já que estava impedido. O susto não prejudicou o desempenho do Barcelona na partida, que viu Pedro marcar o terceiro depois da cobrança de falta do argentino Messi parar no travessão.

No restante da partida, quem chamou a atenção para si foi Lionel Messi. Aos 20 minutos, o Barcelona trocava passes no campo ofensivo, até que Xavi achou o argentino na área, que só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Já aos 31 minutos do segundo tempo, Messi sacramentou a goleada do clube catalão. O jogador aproveitou longo passe de Abidal para tirar o goleiro Sanctis da jogada e fazer um belo gol, garantindo a conquista de mais um título para os espanhóis.

INSENSATO CORAÇÃO: audiência premiada e muita saudade

Foi como Gilberto Braga disse no FANTÁSTICO de domingo passado: até a última hora, haveria muita surpresa na novela e o casal Marina e Pedro ainda iria passar maus momentos.

Pois foi isso mesmo. De forma inteligente e eficaz dramaturgicamente, Gilberto, Ricardo Linhares e os demais colaboradores que escreveram juntos a trama da novela das 21h, criaram situações que prenderam o espectador de tal modo que a audiência da Rede Globo alcançou piques em seus momentos finais.

Nathália do Valle ganhou um papel à altura de seu talento e fez de Wanda um dos papéis mais marcantes de INSENSATO CORAÇÃO

Bruna Linzmeyer foi um dos talentos revelados por INSENSATO CORAÇÃO

Apesar de ter sido antecipada em alguns jornais, não deixou de ser surpresa a revelação de que Wanda era a assassina de Norma. Nathália do Vale deu banho de interpretação e foi o grande destaque do capítulo final.

Que teve ótimos momentos de enlevo (como o afetuoso encontro de André e Leila; o acerto entre Raul e Carol, e o casamento de Marina e Pedro) com acertado reforço a valores morais relevantes (infelizmente, muito esquecidos na atualidade, daí a importância de serem louvados, incentivados, reforçados) que perpassam toda a obra gilbertobraguiana, e, neste caso, transmitidos com absoluta propriedade, pela excelência da interpretação de Nathália Thimberg.

Camila Pitanga e Antônio Fagundes formaram um casal que teve torcida em casa

Não faltaram momentos hilários e comoventes (Nathalie Lamour e  Kléber protagonizaram estes) e, sobretudo, não faltaram momentos de extrema violência, que nos causaram imediato mal-estar, tal a brutalidade da escolha da forma da morte do vilão Leo.

Gabriel Braga Nunes entra para a história com LEO, um dos mais bem construídos vilões da telenovela brasileira

Mas, apesar do repúdio total a qualquer forma de violência, é preciso reconhecer que a forma como Leo morreu foi realmente insólita e inesperada. Também foi a forma mais plausível de ser conduzida pelo outro vilão da trama, o arrogante Cortez, que acabou ‘ganhando’ o repúdio total de seu filho – para alegria de quem acompanhou a novela desde o início e ainda crê que a impunidade pode ser corrigida. Neste ponto, a novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares prestou relevantes serviços à Nação, denunciando a situação de impunidade que campeia no país e suas causas diversas, ao mesmo tempo em que conduziu incisivos protestos ao que, por vezes, parece um descalabro total das autoridades constituídas, através da construção de cenas emblemáticas,  reforçadas pela música Que País é Este ?, de Renato Russo. Destaque-se a maestria com que essas cenas foram construídas pela competente equipe comandada pelos diretores Dennis Carvalho e Vinícius Coimbra.

Leo Miggiorin, tirando o vilão, ator foi o personagem masculino de maior destaque da novela, e brilhou ao lado de Deborah Secco

O final da novela foi aquele que GILBERTO e Dênnis preferem e fazem com benfazeja graça e vontade de agradecer à equipe, à audiência, ao elenco encantador: uma noite de festa, conduzida pela afinada Martinália, e uma platéia repleta de ‘convidados’ que exibia a camiseta DENNIS FOREVER – em alusão ao carinho e apreço que técnicos têm em trabalhar na equipe de Dênnis Carvalho. Formou, como diria o personagem ‘Douglas’, vivido com maestria pelo ator Ricardo Tozzi.

Ricardo Tozzi criou tiques, gírias e trejeitos especiais para construir Douglas: pela primeira vez, um galã fez um personagem onde a ênfase maior não eram qualidades invejáveis…

Foi um momento de alegria, capaz de proporcionar ao público a sensação de também se sentir homenageado ao ‘participar’ da noite de vibração aliviada por mais um grande trabalho realizado.

Mas desta vez, um senão: as câmeras rodopiando pelas imagens de alegria e satisfação dos técnicos e alguns dos diretores poderiam ter focado também (deveriam) sobre o enorme elenco, mostrando os atores não mais com seus personagens, mas com seus trajes cotidianos de ator e atriz, navegantes do mesmo barco daquela equipe e dos muitos fãs que, do lado do sofá, acompanham seus passos, suas dores e alegrias via histórias na telinha.

Isso deixou um gosto de Quero Mais pra turma de casa – fazendo lembrar o final análogo da inesquecível CELEBRIDADE, na qual o elenco era plateia de show de Gilberto Gil, então ministro da Cultura e convidado para fazer o show de encerramento na boate da história.

Hugo Carvana, uma das participações especiais na trama, e o diretor Dênnis Carvalho

Mas INSENSATO CORAÇÃO foi muito mais do que este marcante capítulo de despedida. Sobre a trama e seus diversificados desdobramentos, falaremos em outro post.

Por hora, ficam os PARABÉNS a GILBERTO BRAGA, Ricardo Linhares, os outros autores, os muitos diretores, ao criador da ótima trilha sonora, a toda a equipe técnica e de criação de cenários, figurinos, maquilagens, etc, e, sobretudo, a este espetacular elenco que fez de INSENSATO CORAÇÃO uma das mais importantes histórias do horário nobre da TV Globo.

Gilberto Braga, nosso autor preferido: das críticas de teatro à criação das melhores novelas do horário nobre

Thalles, Mossoró, a bicicleta do Poeta e sua versão na WEB

O documentário do realizador cearense Thalles Chaves – Antonio Francisco: O Poeta e a Bicicleta,  ao qual tive oportunidade de assistir durante o Festival de Cinema de Jericoacoara, está participando de interessante concurso promovido no Rio de Janeiro, através da internet, e precisa do nosso voto para que seu diretor possa levar o nome de Mossoró (cidade onde reside) cada vez mais longe.

Trata-se de um concurso de vídeos sobre o uso consciente da caminhada e da bicicleta, no qual concorrem vídeos de até 3 minutos de duração. Assim, Thalles fez uma versão micro de seu Doc para poder concorrer e nós pedimos seu voto para contribuir nesta nova caminhada do Thalles, a fim de que ele possa levar seu Antônio, com seus poemas e sua bicicleta, para paragens as mais diversas.

Para tanto, é só acessar o link e votar: http://www.curtaumabike.com.br/index.php?link=index

O site envia um e-mail com um link de confirmação do voto. Caso a confirmação não chegue imediatamentem vale olhar em sua ‘reserva de spam’… 

Temos até 15 de setembro para votar!

O Festival Curta uma Bike e uma Caminhada é uma iniciativa do programa Rio, Estado da Bicicleta, cujo objetivo é conscientizar a população do Rio de Janeiro a usar a bicicleta como veículo de trabalho e não somente para lazer, além de incentivar o hábito de caminhadas em trechos de curta distância, deslocamentos para escola, academias, compras…

Em todo o mundo, a mobilidade consciente já ocupa lugar de destaque no dia-dia da população. Entre as cidades mais conscientes estão Paris, Berlim, Amsterdam, Bogotá…

Mas a situação brasileira ainda é bastante difícil, sabemos todos. Quem nunca perdeu algumas horas do seu dia em longos e estressantes engarrafamentos?

Num trecho entre os bairros Jardim Botânico e Botafogo, por exemplo, considerando o horário do rush, o tempo de deslocamento de carro pode chegar a até 1h40. Estima-se que o mesmo trajeto possa ser feito, a pé, em 50 minutos. De bicicleta, o destino pode ser alcançado em cerca de 20 minutos.

Thalles Chaves criou uma versão para a web do seu interessante Doc, Antônio Fracisco – O Poeta e a Bicicleta

Já deu para perceber que de bicicleta ou a pé, você chega bem mais rápido quando o assunto são trechos de curta distância, principalmente pela possibilidade de fugir dos grandes aglomerados de veículos, intermináveis engarrafamentos… E a economia de tempo se traduz também em qualidade de vida, saúde e preservação do meio ambiente.

Porque os pássaros cantam e as pessoas gostam de ouvir histórias

Reitor da Universidade Católica de Pernambuco, o padre Pedro Rubens transforma em deliciosas leituras suas vivências no recôndito distrito cearense de Vazantes, onde nasceu e viveu sua infância

“O que as grandes e puras afeições têm de bom é que depois da felicidade de as ter sentido, resta ainda a felicidade de recordá-las”, disse um dia o dramaturgo Alexandre Dumas. Depois de ter tido a felicidade de reviver suas lembranças em forma de histórias entre amigos, o Reitor da Unicap, Padre Pedro Rubens, decidiu ampliar seu público e dividir essas histórias, que mesmo sendo particulares ganham caráter universal, em seu primeiro livro literário “Lugar onde os pássaros cantam e as pessoas contam histórias”, lançado na noite de terça, no Salão Receptivo da Católica.

Editado pela Confraria do Vento e impresso pela Fasa Gráfica, Lugar onde os pássaros cantam e as pessoas contam histórias traz sete histórias vivenciadas por Padre Pedro em sua cidade natal, Vazantes, no interior do Ceará. Curtas e com uma leitura dinâmica, essas histórias nos apresentam não só o homem Pedro, mas também personagens marcantes e elementos singulares das pequenas cidades do País. Em uma escrita que transita livremente e com propriedade entre o acadêmico e o poético, o clássico e o popular, Pedro nos relata o que também desejou o poeta pernambucano Manuel Bandeira “Não quero amar, não quero ser amado. Não quero combater, não quero ser soldado. Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples!” E dentro dessas coisas simples, Padre Pedro conseguiu apreender o importante daquele cotidiano.

“São histórias pitorescas, bem características do Ceará. É uma leitura leve, gostosa”, comentou Padre Sérgio Mendonça, professor do Centro de Ciências Biológicas e Saúde (CCBS) e amigo do Padre Pedro. Já a coordenadora do curso de Letras, Haidée Camelo, que escreveu com Padre Miguel Martins o prefácio do livro, ressaltou que a obra traz “histórias contadas por uma pessoa que tem profunda sensibilidade poética”. Karla Mello, da Editora Confraria do Vento e ex-aluna do curso de Filosofia da Unicap, destacou: “Pedro já lançou outros livros, mas esse é seu primeiro literário. Todos estão emocionados com a escrita poética dele.”

O lançamento  da terça passada, dia 16, no Salão Receptivo da Unicap, foi prestigiado por gestores, professores, funcionários, alunos e amigos do Padre Pedro, que autografou dezenas de  livros. 

Os interessados em adquirir um exemplar, poderão encontrá-lo na loja da Fasa, no térreo do bloco A, ao preço de R$ 30,00.

* Informações da Assessoria de Comunicação da Unicap, cujo comando é da jornalista Paula Losada e do webdesigner Kiko Secchim, os quais contam com preciosa colaboração do jornalista e cineasta Leo Tabosa.

Padre Pedro Rubens: as histórias de Vazantes agora serão lançadas no Rio de Janeiro

O distrito de Vazantes atualmente destaca-se pela presença de diversos projetos culturais e de inserção social através da Fundação Fé & Alegria, que chegou à localidade cearense pelas mãos do padre Pedro Rubens

ComuniCurtas divulga Programação

Cineasta  André da Costa Pinto, idealizador e coordenador-geral do Festival ComuniCurtas de Cinema e Vídeo, que acontece anualmente em Campina Grande, divulga a programação da próxima edição do concorrido festival, que vai acontecer de 29 de agosto a 3 de setembro, nas dependências do SESC e da UEPB.

Segunda-feira (29/08)

19h: Cerimônia de Abertura no SESC Centro
Homenagem a Marcus Vilar e Torquato Joel
Entrega do Prêmio Machado Bitencourt de Contribuição ao Cinema Paraibano

Mostra Outros Olhares
Resta Um – Direção: Aurora Miranda Leão (Fic-20’/CE)

* Lançamento contará com a presença da atriz INGRA LIBERATO, que é a protagonista do curta digital, realizado em Goiânia


Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem
Mais Denso que Sangue – Direção: Ian Abé (Fic-15’/CG) Classificação: 16 anos
O Reino da Serra – Direção: Sinaldo Luna (Doc-15’40’’/CG-Itatuba) Livre

Uma Ciência Encantada – Direção: Chico Sales (Doc-20’/JP) Livre
Manteiga em Venta de Gato – Direção: Pablo Maia (Fic-5’/JP) 
No Ventre da Poesia – Direção: Karlla Christine e Carlos Mosca (Doc-15’/CG) Escravos de Jó – Direção: Daniel Araújo (Fic-20’/JP) Classificação: 12 anos
Maria do Caixão – Direção: Hildeberto Figueiredo e Álisson Marques (Doc-10’33’’/CG) Classificação: Livre
Estrelando : José Sawlo – Direção: Leandro Alves (Doc-19’47’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Eu não quero voltar sozinho é um dos concorrentes
Menina da Chuva – Direção: Rosário (Animação -6’/ RJ)
Eu Não Quero Voltar Sozinho – Direção: Daniel Ribeiro (Fic-17’/SP)
22h: Programação Social

Terça-feira (30/08)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Fotografia com João Carlos Beltrão no DECOM/UEPB
Oficina de Direção com Marcus Vilar
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva A Idéia é

FENART 2010 – Agência: Arte Final Propaganda
Caricatura (Revista Politika) – Agência Sin
Infinity Doc – Agência Sin
Náufrago – Agência: Dabliu A
São João Rede Pharma – Agência: Criare Comunicações

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Juventude Vendida 1 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Caravana JPB: Resistência Cultural – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira
São João Cordel – TV Itararé – Repórter: Rodrigo Apolinário

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

22 Anos – Direção: Anne Emanuelle (Doc-10’07’’/CG) Classificação:Livre
O Diário de Márcia – Direção: Bertrand Lira (Doc-20’/JP) Classificação: 12 anos
Antes do Café – Direção: Carlos Mosca (Fic-8’32’’/CG) Classificação:10 anos
A Fábrica de Gravatas – Direção: Érik Medeiros (Fic -10’10’’/CG)

Hoje Tem Espetáculo ? – Direção: Leandro Alves (Doc-15’/CG)

O Prazer em Cartaz – Direção: Sandro Mangueira (Doc-12’/CG)

Tocando um Baixo – Direção: Katiane Alves do Anjos (Doc-15’/Conde) Peregrinos – Direção: Adeilton Costa e Ítalo Jones Marinho (Doc-17’20’’/CG)

O Quinto Beatle – Direção: Ítalo Brito e Fernando Ventura (Doc – 12’04’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Acercadacana – Direção: Felipe Perez Calheiros (Doc-20’/PE)
Revertere Ad Locum Tuum – Direção: Armando Mendz (Fic-18’/MG)
22h: Programação Social

Quarta-feira (31/08)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Fotografia com João Carlos Beltrão no DECOM/UEPB
Oficina de Direção com Marcus Vilar no DECOM/UEPB
Oficina de Como Submeter Projetos a Lei Ruanet com Antônio Leal no DECOM/UEPB
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva A Idéia é

Chopp – Agência: Dabliu A
Cordel (Artexpress) – Agência: CaféCom
Roleta – Agência Sin
Sumiço – Agência Sin
Ressocialização – Trabalho Acadêmico alunos da Cesrei

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Juventude Vendida 2 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Lajedo Pai Mateus – Repórter Junino – Repórter: Giordani Matias, Emmanuela Leite e Alidiane Sousa
Caravana JPB: Educação – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira

A acolhedora Campina Grande conta os dias para o início de mais um ComuniCurtas

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Quando Eu Crescer… – Direção: Emanuel Dias (Doc-15’/CG) Classificação:Livre
Durma Comigo – Direção: Renato Hennys (Fic-8’/CG) Classificação:14 anos
Cinema Americano – Direção: Taciano Valério (Doc-15’/CG) 
Travessia – Direção: Kennel Rógis (Doc-13’50’’/Coremas) Classificação: Livre
Pedro Perilima – Direção: Ian Costa (Doc- 13’30’’/CG) Classificação:Livre
Chico do Itararé – Direção: Giovanni Perez (Doc-15’/CG) Classificação:Livre
As Folhas – Direção: Deleon Souto (Fic-14’/Patos) Classificação:Livre
Concreto – Direção: Jaime dos Santos Guimarães (Doc-12’59’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Asfixia – Direção: Fábio Aguiar (Fic-15’/SP)
Do Morro ? – Direção: Mykaela Plotkin e Rafael Montenegro (Doc-20’/PE)
22h: Programação Social

Quinta-feira (01/09)

9h: Mostra Infantil no SESC Centro
10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Direção de Arte com Ana Paula Cardoso no DECOM/UEPB
Bate-papo entre os realizadores de festivais e mostras audiovisuais da Paraíba no DECOM/UEPB
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Caravana JPB: Saúde – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira
Presídio Desativado – TV Borborema – Repórter: Renato Diniz
Juventude Vendida 4 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Circo de Bairros – TV Itararé – Repórter: Hermano Júnior

Mostra Competitiva Estalo

A Foca do Judeu – Direção: Altiéres Stevam, Diane Silva e Jonatha Medeiros (1’ /CG)
Descida ao Centro da Cidade – Direção: Juliana Terra (1’ /CG)
? – Direção: Fernando de Oliveira Morais (1’ /JP)
Inverno e Mentiras em Campina Grande – Direção: Allan Dantas (1’ /CG)
As 1001 Utilidades de Mainha – Direção: Thiago Lopes (1’ /CG)
No Escuro – Direção: M Quixaba e Carine Fiúza

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Lamúria – Direção: Nathan Cirino (Fic- 15’/CG) Classificação:Livre
Degradação das Almas – Direção: Ismael Moura (Fic-15’/Cuité)

As Voltas do Mundo – Direção: Fabrício Santana (Doc-15’/CG-Aroeiras)

Ensaio – Direção: Altiéres Estavam (Fic-9’28’’/CG) Classificação:16 anos
A Identidade da Memória Morta – Direção: Rebecca Cirino (Doc-15’/CG)
Irmãs – Direção: Gian Orsini (Doc-16’/JP) Classificação: Livre
Salete Cobra – Direção: Ailton Francisco (Doc-9’/CG) Classificação: Livre

Mostra Competitiva Brasil

A Dama do Peixoto – Direção: Allan Ribeiro e Douglas Farias (Doc -11’/RJ)
A Fábula da Corrupção – Direção: Lizandro Santos (Animação- 8’15’’/RS)
Carreto – Direção: Cláudio Marques e Marília Aughes (Fic-12’/BA)
22h: Programação Social

Sexta-feira (02/09)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Direção de Arte com Ana Paula Cardoso no DECOM/UEPB
Mostra de Cinema Argentino no SESC Centro
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Outros Olhares

Ninjas –Direção: Denison Ramalho (Fic -15’/SP)
Angeli 24 horas – Direção: Beth Formaggini (Doc – 25’/RJ)

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Biliu: O Maior Carrego do Brasil – Direção: Lau Barboza (Doc-13’/CG)

Menino Artíficie – Direção: Ana Célia Gomes, Kárem Vasconcelos e Samuel Dias (Doc -15’/CG) Classificação: Livre
Nublado – Direção: João Paulo Palitot (Fic-12’/JP) Classificação: Livre
Olhar Particular – Direção: Paulo Roberto (Doc-10’40’’/Cabedelo)

Zefinha e Sebastião– Um Chifrudo Coroado – Direção: Dianne Ferreira (Animação-6’45’’/CG) Classificação: 12 anos
Metafisica – Direção: Eduardo Gomes (Fic-12’/JP) Classificação: Livre
O Hóspede – Direção: Anacã Agra e Ramon Porto Mota (Fic-17’/CG)

Explícito – Direção: Marcel Henriques (Doc-14’35’’/CG) Classificação: 16 anos

Mostra Competitiva Brasil

Rái Sossaith – Direção: Thomate (Animação-10’/SP)
Casa da Vó Neide – Direção: Caio Cavechini (Doc-20’/SP)
A Fábrica – Direção: Aly Muritiba (Fic-15’/PR)
22h: Programação Social

Numa das edições do ComuniCurtas, Aurora Miranda Leão e André da Costa Pinto, Yomara Rocha e Ana Célia Gomes

Sábado (03/09)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Fórum dos Realizadores Audiovisuais Paraibanos no DECOM/UEPB
20h: Entrega do prêmio pela contribuição ao Cinema Brasileiro para Hilton Lacerda
Cerimônia de encerramento e entrega dos prêmios no SESC Centro

22h: Programação Social: Festa de Encerramento