Arquivo do dia: 05/10/2011

Tela de Cinema em Maracanaú com acesso gratuito

A segunda edição do FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias, começou ontem e teve casa cheia no Cine Teatro Dorian Sampaio.

A solenidade de abertura teve pronunciamento do cineasta e produtor do festival, Afonso Celso, e da representante da Fundação de Cultura de Maracanaú, Ana Maria Oliveira. Em seguida, iniciou-se a primeira leva de exibições das mostras competitivas de curtas e longas-metragem, os quais concorrem ao Troféu Maracanaú e à premiação em dinheiro.

Na manhã desta quarta, acontecerão sessões especiais para alunos da rede pública de ensino de Maracanaú e cidades vizinhas. O festival também disponibiliza transporte gratuito todos os dias, saindo às 18h30 e 18h45 da Avenida 3, em frente a Praça da CDL com destino ao Cine Teatro Dorian Sampaio.
 
O 2º FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias  é realizado pela Abraham Filmes Digitais,  com direção-geral do cineasta e produtor Afonso Celso; co-produção Mungango Produções; patrocínio Coelce. Parceria do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura (Secult) e Governo Federal – Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura Municipal de Maracanaú e Fundação Cultural de Maracanaú. Apoio cultural: Art&Cia, RadCom 106,3 e Rádio Pitaguary AM.  
Programação e inscrições no site: www.festcinemaracanau.com.br

Quarta-feira 05.10
09 h – Sessão especial para escolas

15 h – Sessão especial para escolas 

19h – Mostras Competitivas

Competitiva de Curta Metragem

Água Para Que Te Quero – DOC – 16’56” – Dir. Nívea Uchôa – Ceará

Paz – Ficção – 13’ – Dir. Leandro Correia – Rio de Janeiro

Reminiscências – Ficção – 19’ 50” – Dir. Aly Muritiba – Paraná

Competitiva de Longa Metragem

Mãe e Filha – Ficção – 80’ – Dir. Petrus Cariry – Ceará

Fãs vão poder conhecer mais de Harry Potter

O sonho se tornará realidade na primavera: a legião de fãs de Harry Potter poderá visitar os bastidores dos oito filmes do herói, percorrer seus passos, descobrir o ministério da magia e a cabana do gigante Hagrid, entender como o jovem bruxo voa… Tudo isso nas proximidades de Londres.


A atração turística —The making of Harry Potter, que poderá receber até 5.000 pessoas por dia –, está situada ao lado dos verdadeiros estúdios onde foram rodados os oito filmes do pequeno bruxo, em Watford.

Durante 11 anos, Daniel Radcliffe (Harry), Emma Watson (Hermione) e Rupert Grint (Ron) cresceram neste lugar.

“As pessoas vão realmente ficar impressionadas ao verem o ambiente incrível em que trabalhamos todos esses anos”, disse Radcliffe.


Ele é o herói da saga de maior sucesso da história da publicação editorial e do cinema, com mais de 400 milhões de livros vendidos e mais de 4 bilhões de euros em arrecadação das adaptações para o cinema.
Alguns cenários nunca foram desmontados para serem utilizados em todos os filmes. É o caso do dormitório dos meninos, projetado para crianças de 10 anos, e que nos últimos filmes não pôde ter suas camas ocupadas pelos bruxos: eles se tornaram muito grandes!

Cenários de Harry Potter poderão ser visitados pelo público
“Geralmente um cenário dura pouco tempo, nós montamos, desmontamos e acabou, passamos para o seguinte”, explica Michael Finney, consultor do projeto.


O estúdio hollywoodiano da Warner Bros comprou os estúdios Leavesden em novembro de 2010, e na época foi anunciado investimento de 115 milhões de euros no local.
Hoje, pedreiros e pintores ocupam os 14.000 m² de espaço da nova atração.
A parte central já está montada: o imenso cenário do Hall de Hogwarts, a escola de magia, com seu piso de arenito e suas estátuas imponentes, escurecidas por verdadeiras chamas durante as filmagens.
Para ser fiel à história, o diretor artístico dos filmes, Stuart Craig, encorajou os figurantes a desenhar nas enormes mesas de madeira de pinheiro e carvalho no refeitório, onde os talheres foram mergulhados em ouro.


“São mínimos detalhes que não são percebidos nos filmes, mas quando vocês passarem pelos cenários, vão se dar conta de todo o trabalho que existiu por trás”, disse Rupert Grint.
Por exemplo, “no escritório de Dumbledore (o diretor Hogwarts), todos os livros têm ligações e títulos diferentes, não são feitos de papelão uniforme”, afirmou Stu Frith, assessor de imprensa.


Os visitantes — que poderão comprar os ingressos a partir do dia 13 — irão descobrir os efeitos especiais necessários para que os bruxos voassem, lançassem feitiços e enfrentassem monstros como Aragog, a aranha gigante.
John Richardson, o diretor de efeitos especiais para todos os filmes do Harry Potter e vários do James Bond, utilizou menos tecnologia digital do que poderíamos imaginar: os atores montaram em verdadeiras vassouras… eles mesmos utilizaram aparelhos de simulação de vôo.


“Quando os atores eram pequenos e leves, nós apenas fixamos selas de bicicleta nas vassouras”, contou. “Depois, para conseguir mais estabilidade, fabricamos selas únicas, moldadas nas nádegas em posição de vôo de cada ator que decolou”.