Arquivo do dia: 02/12/2011

Filme de Beto Brant conquista prêmio na Espanha

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca, participará de dois festivais em dezembro: a Mostra Cine Londrina, dia 5, e Fest Aruanda, em João Pessoa, dia 9. O filme acaba de vencer os prêmios de melhor filme e melhor fotografia no Festival de Huelva, na Espanha.

 

A atriz Camila Pitanga também já ganhou dois prêmios por conta de sua interpretação como a instável Lavínia: no Festival do Rio (Premiere Brasil) e no Amazonas Film Festival (Mostra Competitiva Internacional de longas).

O longa, que é inspirado no livro homônimo do escritor Marçal Aquino, e também participou da Mostra São Paulo. A previsão de estreia é 9 de março. 

SINOPSE

Um triângulo amoroso envolve Cauby (Gustavo Machado), um fotógrafo de passagem pelo interior da Amazônia, a bela e instável Lavínia (Camila Pitanga) e seu marido, o pastor Ernani (Zecarlos Machado), que acredita ser possível consertar as contradições do mundo.

 Lavínia, o corpo; Cauby, o olhar; Ernani, a palavra – os três vértices de uma paixão incandescente, em meio à natureza ameaçada de devastação. 

FICHA TÉCNICA 

Direção BETO BRANT e RENATO CIASCA

Elenco CAMILA PITANGA, GUSTAVO MACHADO, ZECARLOS MACHADO

Roteiro MARÇAL AQUINO, BETO BRANT e RENATO CIASCA

Produzido por BIANCA VILLAR e RENATO CIASCA

Produção executiva BIANCA VILLAR

Direção de produção CAMILA GROCH

Assistente de direção SIMONE ELIAS e LUCIANA BAPTISTA

Fotografia e steadicam LULA ARAUJO

Direção de arte AKIRA GOTO

Figurino LETICIA BARBIERI

Montagem WILLEM DIAS

Som direto MARCIO CAMARA

Desenho de som BETO FERRAZ

Música SIMONE SOU e ALFREDO BELLO

Com GERO CAMILO, ANTÔNIO PITANGA, ADRIANO BARROSO, MAGNÓLIO DE OLIVEIRA, LÍVEA AMAZONAS e SIMONE SOU

Baseado no livro “EU RECEBERIA AS PIORES NOTÍCIAS DOS SEUS LINDOS LÁBIOS” de MARÇAL AQUINO

Produção DRAMA FILMES co-produção CINEPRO | DOT, LOCALL e TVZE

 

ELENCO:

 

Camila Pitanga

Gustavo Machado

Zecarlos Machado

Gero Camilo

Antônio Pitanga

Adriano Barroso

Magnólio de Oliveira

Lívea Amazonas

Simone Sou

Bagé vai afirmar Cinema plural e sem fronteiras…

Questões culturais da fronteira Brasil-Uruguai em foco;

Helena Ignêz e Jean-Claude Bernadet homenageados; 

 FestIN Lisboa estreia no Brasil num dos berços de nosso Cinema;

Olga, de Jayme Monjardim(que se prepara para filmar em Bagé O Tempo e o Vento) terá exibição especial

Uma Sessão Bandida para o clássico de Rogério Sganzerla…

A organização do III Festival Cinema da Fronteira está divulgando a relação de curtas brasileiros selecionados para a edição que começa no próximo dia 10 em Bagé, prosseguindo até dia 17. O júri de seleção foi formado pelos realizadores gaúchos Boca Migotto, Frederico Ruas e Virgínia Simone. Ao todo, foram inscritos mais de 120 filmes, sem contar a produção uruguaia e bajeense.


A Vila Operária, idealizada pelo Visconde de Magalhães, virou o Centro Histórico da Vila de Santa Thereza, principal cenário da programação do Festival…

Realização da Prefeitura Municipal de Bagé, através da Secretaria de Cultura, o festival terá duas mostras competitivas – Bagé 200 anos e Mostra Binacional – e três mostras não competitivas: Yayá Vernieri – RBS TV, FestIN Bagé – Mostra da Lusofonia, e Mostra de Longas-Metragens. A curadoria do Festival é assinada pela jornalista e realizadora Aurora Miranda Leão, contando com a colaboração de uma comissão artística formada por Carmem Barros, Eliane Pacheco, Fabiane Lázzaris, Lisandro Moura, Sandra Carmerine, Vera Medeiros e Zeca Brito, artistas de Bagé.

O filme Em teu nome terá exibição especial… O ator Leonardo Machado, protagonista, estará em Bagé…

Os homenageados desta edição são o ensaísta, pesquisador e crítico Jean-Claude Bernadet, e a atriz e diretora Helena Ignêz. O festival faz parte das comemorações dos 200 anos da cidade de Bagé, e é uma realização da Prefeitura Municipal através da Secretaria de Cultura com produção da Primeiro Corte Produções.

Atriz emblemática do Cinema Brasileiro, Helena Ignêz (na foto com Aurora Miranda Leão durante o Amazonas Film Festival) é a grande homenageada do Festival de Cinema da Fronteira, simbolizando uma cultura plural e libertária…

Do total de inscritos brasileiros, foram selecionados 30 curtas-metragens de todas as regiões do país que enviaram trabalhos. Portanto, o festival exibirá todos os gêneros, englobando Ficção, Documentário, Animação e Experimental, com curtas do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Maranhão, totalizando nove estados de quatro regiões brasileiras.  

Jayme Monjardim, que vai filmar O Tempo e o Vento em Bagé, com sua equipe e o secretário Sapiran Brito…

O júri do festival já tem confirmados nomes como o do jornalista Gilberto Perin (coordenador do Núcleo de Especiais da RBS TV), o do ator Sirmar Antunes, o do crítico Ito Carvalho, o da jornalista e realizadora Adriana Niemeyer, e o da professora Mirela Ribeiro Meira (Coordenadora do Núcleo Transdisciplinar de Estudos Estéticos, da Especialização em Educação, da Universidade de Pelotas).

O imponente Museu Dom Diogo de Souza, jóia arquitetônica de Bagé, antiga sede da Beneficência Portuguesa…

Prêmio Jabuti para a Imprensa Oficial de Sampa

A Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp) recebeu sete prêmios Jabuti na 53ª edição do mais tradicional prêmio do livro no Brasil, promovido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). A cerimônia de entrega dos prêmios, realizada ontem à noite (30/11) na Sala São Paulo, reuniu cerca de 1.500 pessoas, entre escritores, editores e convidados.  

 

Uma das novidades deste ano foi a ampliação das categorias do prêmio, mudança proposta para abranger a pluralidade do setor editorial brasileiro. Nesta edição, foram cobertas 29 categorias, oito a mais que em 2010.  

A Editora Imprensa Oficial conquistou nesta 53ª edição três primeiros lugares e quatro segundos lugares, que completam uma coleção, agora, de 47 Jabutis, além de dois Livros do Ano, em 2007 e 2009. 

Obras premiadas – Editora Imprensa Oficial 

1º lugar na categoria Arquitetura e UrbanismoDois Séculos de Projetos no Estado de São Paulo – Grandes Obras e Urbanização, de Nestor Goulart Reis e colaboração de Mônica Silveira Brito, uma coedição Imprensa Oficial/Edusp.

 

Os três volumes que compõem o título contam a história da construção do Estado de São Paulo, descrevendo o resultado do encadeamento de ações públicas e privadas ao longo do tempo e do trabalho de várias gerações.  

Em seu trabalho, o autor relata uma visão panorâmica do curso evolutivo das cidades no século XIX; o papel da oligarquia paulista no início do século XX; e, mais que tudo, registra o permanente uso dos recursos públicos em benefício de uma minoria. O primeiro volume retrata o desenvolvimento de São Paulo no período de 1800 a 1889. O segundo volume, de 1889 a 1930, estabelece relações entre urbanização, desenvolvimento, projetos e obras de infraestrutura e serviços. Já o terceiro volume procura mostrar como, na segunda metade do século XX e na passagem para o XXI, a escala dos problemas e dos investimentos, sua extensão, a complexidade e a integração crescente das redes de infraestrutura e serviços passam a exigir maior capacidade de prever, projetar, executar, regular e coordenar.

 

Livro de Fredric M. Litto deu um dos prêmios Jabuti para a Imprensa…

1º lugar na categoria Tecnologia e InformáticaAprendizagem à Distância, de Fredric M. Litto.  

O autor esclarece nesta obra que a educação à distância (EAD) vem contribuindo para as modificações metodológicas e tecnológicas que estão ocorrendo em todo o setor de educação e treinamento, dando acesso ao conhecimento e à certificação profissional para pessoas até então sem possibilidade de se aperfeiçoar. O livro demonstra que as virtudes inerentes à modalidade, num período de vinte anos, justificarão uma inversão radical e definitiva: mais brasileiros aprenderão à distância do que presencialmente.

 

1º lugar na categoria ArtesOs Satyros, de Germano Pereira 

O autor homenageia o grupo teatral Os Satyros registrando seus 20 anos de existência. O grupo é considerado revolucionário, tanto na dramaturgia quanto na forma de seus espetáculos. Textos antigos são recriados em montagens modernas que marcaram época.  

2º lugar na categoria Arquitetura e UrbanismoO Concurso de Brasília: sete projetos para uma capital, de Milton Braga,  coedição da Imprensa Oficial com a Cosac Naïfy e Museu da Casa Brasileira. 

O livro é composto de descrições e análises rigorosas das sete propostas premiadas no concurso de Brasília, “o mais notável episódio da história do urbanismo no país”, como relata Guilherme Wisnik, na apresentação da obra. 

Braga levantou e esmiuçou todo o material publicado sobre os referidos planos, encontrados, em sua maioria, em revistas da época. Com posições sempre equilibradas, o autor não se exime de avaliar as referências e as opções projetuais de cada equipe, lançando nova luz sobre boa parte das análises que têm sido feitas acerca da trajetória de alguns desses importantes arquitetos modernos brasileiros.

  

2º lugar na categoria Ciências HumanasTempos de Fascismo: Ideologia – Intolerância – Imaginário. Escrita por vários autores, a obra foi organizada por Maria Luíza Tucci Carneiro e Frederico Croci, coedição da Imprensa Oficial com o Arquivo Público do Estado de São Paulo e com a Edusp. 

Os autores procuram discorrer sobre a relação entre fascismo e intolerância, oferecendo ocasiões de reflexão inovadoras no tocante à relação entre a violência do regime, formas de domínio e projetos totalitários. 

Segundo Maria Luiza, “esta coletânea cumpre uma dupla função: oferece ao público leitor os estudos desenvolvidos por especialistas que, anualmente, se encontram para divulgar suas pesquisas e debater sobre a história e historiografia do fascismo, ao mesmo tempo registra a memória de um grupo cujo relacionamento tem extrapolado as fronteiras da academia para fortalecer laços de amizade. 

2º lugar na categoria Didático e ParadidáticoArte Brasileira na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Escrita por 16 autores, a obra foi organizada por Taísa Palhares. É coedição da Imprensa Oficial com a Cosac Naify e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

 

A Pinacoteca convidou importantes historiadores e críticos de arte brasileira a realizar leituras monográficas de obras do acervo do museu que se constituem em trabalhos seminais para a compreensão das artes visuais. Essas leituras foram apresentadas ao longo do programa “A história da arte brasileira”. Esses ensaios estão reunidos em Arte brasileira na Pinacoteca do Estado de São Paulo, publicação dirigida a todas as pessoas interessadas na história da arte brasileira e que buscam compreendê-la mediante o exercício crítico do olhar e para aqueles que querem descobrir ou redescobrir o prazer do contato com as obras de arte.   

2º lugar na categoria Projetos GráficosA Mão Afro-Brasileira – Significado da Contribuição Artística e Histórica. Com projeto gráfico de Carlos Magno Bomfim, a obra foi escrita por vários autores e organizada e concebida por Emanuel Araújo, coedição da Imprensa Oficial e Museu Afro Brasil. 

A obra, distribuída em dois volumes, retrata a participação do homem negro e mestiço na formação da cultura nacional e faz um reparo imprescindível do legado de milhares de africanos e seus descendentes, trazidos à força para o Brasil e submetidos à escravidão por quase 400 anos. Emanuel Araújo diz, na indrodução do livro: “Esperamos que este livro revele momentos importantes da arte brasileira, tão negra, tão mestiça, tão tropical, e que registre as omissões que atingem personalidades da nossa história. Também que sirva de estímulo a novos estudos sobre a contribuição do homem afro-brasileiro para a formação de uma identidade nacional”. 

Sobre a Editora Imprensa Oficial

Inserindo-se com destaque no mercado editorial, nos últimos dez anos a Editora Imprensa Oficial produziu 876 títulos em coedição, 81 obras com selo próprio e 276 livros da Coleção Aplauso. O reconhecimento à qualidade gráfica e editorial rendeu inúmeros prêmios, com destaque aos 47 Jabuti, contando os recebidos ontem à noite (30/11/2011), outorgados pela Câmara Brasileira do Livro, incluindo dois Livros do Ano, também da CBL; o Clio de História, da Academia Paulista de História; Prêmio Colar do Centenário, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo; o Prêmio Sérgio Milliet, da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), vários prêmios Excelência Gráfica Fernando Pini, da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG), considerado o mais importante em qualidade gráfica do País; prêmio Literário Fundação Biblioteca Nacional (FBN), entre outros.