A brasilidade brejeira das canções na voz de Leda Dias

Por força do ofício, ando ganhando uma porção de presentes culturais super bacanas, de extremo bom gosto e com asas pra fazer um belo vôo cultural pelas riquezas artísticas do país.

Alguns desses ganhei no comecinho do ano, mas a agenda se avolumou de tal modo que acabei sem divulgá-los aqui. Agora vou começar a fazê-lo, aos poucos, pois os presenteadores merecem este retorno.

E vou começar de trás pra frente: há coisa de duas semanas, na rádio Universitária FM, ganhei  do paraibano de Recife, Paulo Vanderley Tomaz – funcionário de carreira do BB e homem profundamente ligado à Cultura Nordestina – uma penca de ótimos mimos: um DVD comemorando os 70 anos do sanfoneiro e compositor Dominguinhos, um bloco de notas (cuja capa estampa foto histórica do Rei do Baião, Luiz Gonzaga), e um belíssimo CD da cantora Leda Dias.

Paulo Vanderley é autor dos sites de Luiz Gonzaga e de Dominguinhos, além de ser emérito pesquisador da obra de Gonzagão, a quem conheceu pessoalmente por conta da amizade que o pai travava com o compositor Rei do Baião, quando – em meio a muitas mudanças de domicílio – acabaram por ir morar na cidade pernambucana que ganhou fama, sobretudo por ser a terra de Gonzaga: Exu, na fronteira Ceará-Pernambuco.

Bom papo, e grande entusiasta de suas raízes nordestinas, Paulo Vanderley é tão encantado com seus quereres, que acaba por nos contagiar. E aproveito o espaço para parabenizá-lo pelas expressivas iniciativas de criação dos sites (há em preparo também o site do Gonzaguinha) e, sobretudo, para agradecê-lo por me ofertar esta obra supimpa que é o CD de Leda Dias, cantora pernambucana de agradável voz, cujo disco Canções Brasileiras é uma pérola de altíssimo bom gosto.

O disco encanta pela embalagem preciosa. Ana Rios assina o belíssimo projeto gráfico e Anselmo Alves a produção executiva. A eles, Leda deve a beleza deste lançamento. E, é claro, aos músicos que a acompanham com maestria. A própria Leda, Kiko Chagas, Zé da Flauta e Anuacy Fontes respondem pelos arranjos, que tem pérolas como o clássico Serra da Boa Esperança (do inesquecível Lalá) com arranjo de Kiko Chagas, que responde também pelos violões e um matreiro cavaquinho (!); Noite cheia de estrelas, de Cândido das Neves; Oito Baixos, de Dominguinhos e Climério; Sertaneja, de René Bittencourt; e as belas Tecelã (Xico Bizerra e Maria Dapaz), e Triste Berrante, de Adauto Santos.

Palavras de Caetano Veloso abrem o encarte do CD: “Não sei onde aprendi a cantar/ Só sei que não consigo esquecer/ Cantiga vem do céu/ Vem do mato e vem do mar/ Faz o meu coraçãozinho doer”… o trabalho é dedicado à memória de Chiquinha do Acordeom, e é ilustrado com aquarelas, desenhos e pinturas da artista Guita  Charifker, que concede ao disco um dos mais belos e artísticos encartes dentre tantos lançados diariamente. Vale demais conhecer este trabalho de Leda Dias, não fora ademais a delicada voz da cantora, o repertório selecionado com esmero e os arranjos emoldurando com preciosismo as belas canções, só a beleza do material gráfico já valeria a aposta nestas Canções Brasileiras de Leda Dias.

Leda Dias em estúdio: mais uma cantante qualificada do Nordeste…

O CD foi gravado nos estúdios Studium Produções, de Natal;Ideiaria Estúdio e ZRG Studio de Recife, tendo sido mixado e masterizado entre novembro de 2009 e janeiro de 2010 neste último.

Triste Berrante, última música do disco, tem arranjo sublime, de Kiko Chagas, que também dedilha os violões de aço, com a colaboração de Carlos Zens nas flautas, uma sanfona tri legal de Zé Hilton, percussão de Wagner Tsé, baixo de Zé Fontes e teclados de Daniel Macedo. A faixa é dedicada “aos que levam na alma os sertões do Brasil”.

Pois que os sertões do Brasil se façam muitos, longos e perenes nestas Canções Brasileiras que Leda Dias nos oferece com maviosa voz, belos arranjos para um repertório bem selecionado, e uma deliberada vontade de encantar pela ternura e a força contagiante de quem aposta no afeto e na sensibilidade.

Obrigada, Paulo Vanderley, pela riqueza do presente ofertado.

 

4 Respostas para “A brasilidade brejeira das canções na voz de Leda Dias

  1. Aurora, seu post me emocionou muito. Obrigada pelo reconhecimento do nosso trabalho. Obrigada pela força e incentivo. Agradeço ao amigo Paulo Vanderley e Suzana, sempre dispostos a divulgar o que fazemos.
    Grande abraço e o meu carinho
    Lêda Dias

  2. Também emocionada e agradecida por citarem a autoria do projeto gráfico de forma elogiosa… Fiquei encantada com tanta atenção e sensibilidade. Tive enorme prazer de participar desse excelente trabalho, agradecer também aos incansáveis divulgadores da nossa cultura, Paulo Vanderlei, Suzana Bats e Anselmo Alves e registrar o quanto fã eu sou de Leda Dias.

  3. Oi Leda dias só agora lhe descobri. Perdi o show da ufpe
    Gostaria de saber onde comprar seu CD

    • Acho que na Loja Passa Disco ainda tem. Está quase esgotado. Comigo tenho apenas uma versão mais simples, tipo envelope. Obrigada pelo seu interesse em nosso trabalho! bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s