Arquivo do dia: 15/03/2012

O Sumiço de Alice será atração na festa de encerramento do Festival de Anápolis

 

O Sumiço de Alice, mais recente curta-metragem Aurora de Cinema Produções, foi escolhido para abrir a solenidade de encerramento da segunda edição do Festival de Cinema de Anápolis, que começa no próximo dia 19 e prossegue até dia 26.

Alice Gonzaga, grande inspiradora e homenageada com o curta de Anápolis…

Rodado em Anápolis (GO), durante o I Festival de Cinema de Anápolis (idealizado e coordenado pela cineasta Débora Torres), realizado em abril de 2011 no município goiano, o curta é um trabalho experimental que agrega diversos nomes importantes do cinema nacional. 

A inspiração veio numa visita à bucólica cidade de Pirenópolis, em passeio proporcionado pela organização do festival, reunindo diversos realizadores, produtores e artistas. 

Berço de tantos filmes brasileiros (como “Simeão, o boêmio”, primeiro filme dirigido pelo goiano João Bennio; O Tronco, de João Batista de Andrade; O Leão do Norte, de Carlos Del Pino; e o curta Borralho, do maranhense Arturo Sabóia de Almada), Pirenópolis é um município tombado pelo Patrimônio Histórico, a atrair, durante todo o ano, um enorme fluxo de turistas por conta de suas belezas naturais, sua tranqüilidade e suas festas populares, como as tradicionais Cavalhadas.

 

Selva Aretuza estreia como atriz em atuação descontraída…

Gravado em formato digital, com imagens captadas em mini DV, o curta O Sumiço de Alice é mais uma produção Aurora de Cinema, finalizada em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes (da fotógrafa e cineasta cearense Lília Moema). 

Guido Campos, ator goiano, tem participação destacada em O Sumiço de Alice…

O processo de produção resume-se a 3 dias de filmagens no circuito Teatro Municipal-Estância Park de Anápolis, mas, apesar do pouco tempo, o filme conta com elenco estelar, onde despontam o talento vibrante de Zezeh Barbosa, a criatividade singular dos goianos Deborah Torres e Guido Campos, a expressividade da atriz Dila Guerra, a criatividade do escritor Miguel Jorge, a descontração do cineasta e produtor Walter Webb, a simpatia de Alice Gonzaga, o tom descontraído de Mallu Moraes, a seriedade na estréia de Selva Aretuza e Manaíra Carneiro, além da inteligente participação dos jornalistas Cid Nader e Felipe Brida.

 

Mallu Moraes, Guido Campos e Dila Guerra: trio é pura descontração …

Um belo plano-seqüência gravado em Pirenópolis responde pela abertura de O Sumiço de Alice. O filme vai-se desenvolvendo e, ao longo de seus 20 minutos, uma sucessão de imagens e depoimentos insólitos vão mapeando a intrincada história do inopinado e misterioso sumiço de Alice.

 

Débora Torres: produtora revela dimensão de seu talento como atriz…

Até o final, paira no ar a pergunta que não quer calar: como e porquê Alice sumiu  

* O Sumiço de Alice terá sua  exibição pública no II ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA, às 19h, abrindo a solenidade de encerramento. 

A  ótima Zezeh Barbosa é destaque com participação cativante e bem humorada…

FICHA TÉCNICA 

Argumento, Roteiro, Fotografia e Direção: Aurora Miranda Leão

Produção: Aurora de Cinema e Cabeça de Cuia Filmes

Apoio de Set: Pedro Pinheiro e Ângela Torres

Assistente de produção: Itamar Borges, Mallu Moraes e Luziany Gomes

Direção de Platô: Laura Pires

Trilha sonora  – Carmina Burana, de Mozart (versão remix)

                                 Capricho, de Villa Lobos

 (Antônio Meneses, violoncelo – Cristina Ortiz, piano)

                            

Edição: Aurora M. Leão e Lília Moema

Still: Edvaldo Cajazeira e Laura Pires

Elenco:  ALICE GONZAGA

                ZEZEH BARBOSA

                DÉBORA TORRES

                GUIDO CAMPOS

                WALTER WEBB

                MIGUEL JORGE

                SELVA ARETUZA               

                DILA GUERRA

                MALLU MORAES

                JOÃO BATISTA DE ANDRADE

                MANAÍRA CARNEIRO

                CID NADER

                FELIPE BRIDA

                SERINA RARUÁ

                ITAMAR BORGES

                LAURA PIRES

                ED CAJAZEIRA

 

Cinema infantil do Brasil na Suécia

Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis estará na Suécia

Tarsilinha, da TV PinGuin

Pelo 4º ano consecutivo, a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis participa do BUFF Film Festival, que começou hoje e vai até dia 17, em Malmo, na Suécia. A parceria entre os dois festivais possibilita a produtores brasileiros participarem do Fórum de Financiamento do Festival, em busca de coprodução internacional com o norte europeu. O pitching que seleciona os projetos de longa-metragem nacionais participantes é realizado desde o ano passado pela Mostra em conjunto com o FICI – Festival Internacional de Cinema Infantil, no Rio de Janeiro.

Já passaram pelo Fórum de Financiamento sueco os projetos dos filmes Eu e Meu Guarda Chuva, de Toni Vanzolini (Conspiração Filmes); As Aventuras do Avião Vermelho, de Frederico Pinto e José Maia (Armazém de Imagens); O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza (Camisa Listrada Produções); e Tainá 3, de Rosane Svartman (Sincrocine). Neste ano, o projeto que participará do evento é o do longa de animação Tarsilinha, inspirado na artista brasileira Tarsila do Amaral, com realização da TV PinGuin.

A delegação brasileira na Suécia tem apoio do Ministério das Relações Exteriores, do Governo do Brasil e é composta por Célia Catunda, da TV PinGuin, Rosane Svartman, diretora dos filmes Tainá 3 e Desenrola, Virgínia Limberger, produtora da Sincrocine, e Luiza Lins, diretora da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. O grupo apresentará o seminário Olá Brasil, sobre a produção e a direção de cinema voltado para crianças, além das políticas públicas existentes no Brasil para o setor.

A parceria do Brasil com a Suécia  vem crescendo anualmente, e de acordo com Luiza Lins a ideia é que exista um acordo de coprodução entre os dois países. “O cinema infantil brasileiro precisa de mais ações efetivas para deslanchar, e a parceria com um país onde 25% do valor investido no cinema vai para as produções indicadas para o público infantil, pode ajudar muito”, enfatiza. Segundo Annette Brejner, diretora do Fórum, a Suécia tem interesse em conhecer melhor a diversidade cultural brasileira e deseja entrar neste mercado, que considera promissor.

Festivais com inscrições abertas…

Abertas inscrições ao 2º Filmambiente. Este ano, além do Rio, o festival vai acontecer também em Salvador,  e a organização recebe inscrições em www.filmambiente.com , de filmes e vídeos – curtas, animações, longas, documentários e ficção – de temática ambiental até 31 de maio, e o resultado da seleção sai em junho. O júri do festival premiará os melhores longas e curtas internacionais e os melhores curtas nacionais com o Prêmio Tainá (estrela, em Tupi), que vai também para o melhor filme do festival segundo o público do Rio e de Salvador.

Já o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontecerá de 29 de maio a 4 de junho, e recebe somente até dia 20 inscrições de curtas, de até 25 minutos, e longas-metragens, acima de 50 minutos, nacionais e internacionais, para as mostras competitivas e paralelas. O festival não exige ineditismo dos filmes.

Além das exibições, haverá debates, oficinas e seminários. Acesse www.olhardecinema.com.br

Também estão abertas as inscrições ao , ao Festival de Cinema Digital de Jericoacoara, e ao SERCINE – Festival Sergipe de Audiovisual. Fichas de inscrição e regulamento disponíveis em www.sercine.com.br

Inscrições ao concorrido Cine Ceará vão até dia 31..