Arquivo do dia: 01/05/2012

Fafy Siqueira em Entrevista Exclusiva ao Aurora de Cinema

Atriz consagrada, querida dos amigos e amada pelo público, FAFY SIQUEIRA fala de humor, Dercy, trabalho no teatro, na música e mais…

 
AC – Como tem sido a experiência de fazer o Monólogos da Vagina ?

FS – Sou acima de tudo uma compositora e as palavras desta versão de Miguel Falabella são verdadeiros POEMAS.


 
AC – Que aspectos você destacaria da peça para explicar tantos anos em cartaz e tantas montagens de sucesso ?

FS – A seriedade do assunto – violência com a mulher – sem deixar que o assunto fique maçante, chato, didádico, careta. Não somos nada disso e mostramos há 12 anos no Brasil e em mais de 150 países.

AC –  O que você gosta mais de fazer: cantar, atuar, fazer humor, Tv  ou Teatro ?

FS – Depois que eu acabo de fazer uma canção,  me sinto como um Deus. Acho que a musica é o idioma dele. Poucas pessoas sabem que já compus para Xuxa, Sandy&Junior, Joanna, Sandra de Sá, Elimar Santos, Renato Aragão, mas gosto muito de cantar e de fazer humor na TV. Eu adoro tv : parece que estou brincando de casinha!


 
AC – A experiência de viver Dercy na telinha foi um marco na carreira e um capítulo bonito da história da televisão. Como foi pra você ‘encarnar’ uma artista que tinha tanta sintonia com você ?

FS – Foi um ORGASMO: Muito prazeroso e muito curtinho ! Agradeço a Maria Adelaide Amaral pela ideia, à TV GLOBO pela coragem,  ao Jorge Fernando que é a Própria Dercy, e ao elenco maravilhoso, principalmente a LOLÔ ! 

AC – Como nasceu sua relação com a Dercy e o que foi mais tocante de interpretar na minissérie ?

FS – Meu pai era dono de um restaurante que ela frequentava e era apaixonado pelo trabalho dela. Minha mãe também. Eles me impunham Dercy como eu imponho Beatles para meus sobrinhos… kkkkkkkkkk ! Depois estivemos juntas porque sempre vieram as comparações. O mais tocante de interpretá-la foi quando ela fez sua passagem para o céu !!!!!
 

 
AC – O que é mais difícil fazer quando se assume um personagem que existiu na vida real: as cobranças do público, da crítica, ou as próprias cobranças pessoais ?
 
FS -No meu caso, as pessoais porque as críticas foram excelentes.
 
FAFY com o saudoso Chico Anysio: cumplicidade e inspiração…
 
AC – O Brasil ainda chora a morte de Chico Anysio… pra vc, o que Chico representa para o humor do Brasil ?
 
FS Chico Anysio é pra mim quase uma religião!
 
AC – Que questões são determinantes para você aceitar fazer uma novela, uma peça de teatro ou um espetáculo musical ?
 
FS – SALÁRIO, Verdade e Diversão.
 
Momento de ‘causar inveja’: Fafy e o Rei Roberto Carlos
 
AC – Como você avalia as condições de trabalho para o artista hoje no Brasil: é mais difícil, mais fácil ou igual ao tempo em que você começou ?
 
FS – Tudo no mundo é mais fácil depois da internet. Eu gosto !
 
FAFY com as colegas de teatro: Adriana Lessa e Chris Couto…
 
AC – Que trabalhos você mais gostou de fazer e o que você ainda não fez e gostaria de realizar como atriz ?
 
FS – No teatro, o musical NOVIÇAS REBELDES, do Wolf Maia, e na TV, claro, DERCY DE VERDADE. Gostaria de fazer uma novela ou um seriado em que eu tivesse muitos filhos e netos também.
 
FAFY como Dercy na minissérie em homenagem à artista da Música, do Humor, da polêmica…
 
AC – Em tempos de grandes avanços tecnológicos e comunicação instantânea via web, você está bem entrosada, cheia de amigos e admiradores via Face. Como você avalia estes tempos de relacionamentos virtuais e contato mais direto com os fãs ?
 
FS – Adoro ! Encontro amigos do colégio, novos amigos e até parentes.
 
* Acompanhe FAFY em som e imagem pelo Youtube :
 

Os Cinemas das Américas se encontram no Ceará

 

Bárbara Cariry organiza evento que vai reunir jovens realizadores de audiovisual da América Latina e do Caribe

No intuito de aglutinar jovens realizadores latino-americanos e caribenhos para intercâmbios culturais e estéticos, o I Nossas Américas – Nossos Cinemas: I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e do Caribe será realizado em Sobral, a 235 km da capital cearense, de 23 a 26 de maio, para difundir suas novas produções audiovisuais e contribuir para o debate teórico e técnico entre os profissionais.

Durante quatro dias, os realizadores participarão de mesas temáticas, palestras e mostras de filmes, em busca de novas formas de organização, trocas e vivências. A partir desse encontro, poderão ser estabelecidas redes solidárias de cooperação, de ensino e difusão, dentro de um processo de respeito à diversidade e de uma ética que estabeleça a reciprocidade, contribuindo para a universalização das culturas dos povos.

Petrus Cariry, premiado cineasta, é o Curador da Mostra Latina…

O encontro possibilitará o contato e o intercâmbio entre os jovens realizadores da América Latina e do Caribe, onde as fronteiras entre o antigo e o contemporâneo são quebradas. Em países como Argentina, Venezuela, Equador, Chile, Bolívia, Brasil e México surgem novas cinematografias independentes, experimentais e populares, a partir das novas tecnologias digitais, que merecem atenção.

A escolha de Sobral como sede do encontro não é aleatória. Segundo Bárbara Cariry, diretora geral do I Nossas Américas – Nossos Cinemas, a ideia é realizar ações em centros urbanos do interior, onde já acontece um trabalho cultural significativo e apresentar um núcleo de produção audiovisual emergente, a partir do trabalho já realizado pela Escola de Ofícios e Artes (ECOA) e pela Universidade do Vale do Acaraú (UVA): “Esta produção precisa ser incentivada e vista, por isto estamos levando também para Sobral oficinas de formação e mostras de cinema de jovens realizadores de vários países, além de uma mostra com a produção local”.

A programação contempla a Mostra Novo Cinema da América Latina e do Caribe e mostras retrospectivas de cineastas homenageados, que circularão em universidades, pontos de culturas, cineclubes e associações nacionais. A Mostra Latina tem a curadoria do premiado cineasta brasileiro Petrus Cariry, enquanto as curadorias das mostras paralelas são dos cubanos Rigoberto Lopez e Lazara Herera. A produção internacional ficou a cargo do argentino Tito Almeijeiras e a articulação da participação dos povos originários é feita por David Hernández (Venezuela) e Kuillur Saywa (Equador).

Bárbara Cariry criou evento que já está mobilizando as redes sociais…

Os jovens realizadores convidados foram indicados por universidades, associações de cineastas e órgãos nacionais e internacionais ligados ao cinema e à cultura, dentro de vários perfis culturais, sociais e étnicos. “Além dos 100 jovens realizadores de todo o país que estarão presentes, cerca de 60 convidados nacionais e internacionais realizarão palestras, debates e mesas redondas sobre o Cinema Latino Americano e Caribenho. O I Nossas Américas – Nossos Cinemas é um encontro sincrético, original, mestiço, plural e singular”, afirma Bárbara Cariry.

Entre os convidados, Ana Paula Santana, secretária do Audiovisual do Ministério da Cultura (MINC); o ator Sérgio Mamberti, secretário de Políticas Culturais do MINC; o cineasta Humberto Rios, do Encontro de Documentaristas Latino Americanos do Século XXI; a atriz e cineasta Helena Ignez, o cineasta canadense Michel Regnier e os realizadores Eryk Rocha e Geraldo Sarno.

A atriz e cineasta Helena Ignez, que está lançando seu segundo longa – Luz nas Trevas – é a grande presença feminina no encontro Nossas Américas…

O encontro ainda realizará o I Moitará de DVDS, CDs e livros, que possibilitará a ampla integração entre os convidados latino-americanos e caribenhos com os jovens brasileiros. Ao final do evento, deve ser escrita e divulgada uma carta de princípios e proposições de ações visando ao intercâmbio e à colaboração solidária entre os jovens realizadores de cinema e audiovisual da América Latina e do Caribe. O Brasil, ao abrigar um evento assim, destaca sua importância como polo cultural da América Latina e reconhece a cultura como fator de desenvolvimento sustentável. 

Erik Rocha, um dos mais festejados diretores da atualidade, vai estar em Sobral trocndo ideias sobre diversos ‘cinemas’…

O I Nossas Américas – Nossos Cinemas: I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e Caribe tem patrocínio do Ministério da Cultura / Secretaria do Audiovisual, Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, e  Prefeitura Municipal de Sobral. A realização é da Secretaria da Cultura e Turismo de Sobral, Sereia Filmes e Instituto Internacional de Intercâmbio e Cooperação Artístico e Cultural (INTERARTE). Os apoiadores são a Universidade do Vale do Acaraú (UVA), o Conselho Nacional de Cineclubes – CNC, o Encontro de Documentaristas do Século XXI (DOCLAT SEC XXI) e outras instituições internacionais ligadas ao audiovisual. 

Serviço:

I Nossas Américas – Nossos Cinemas

(I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e Caribe)

Local: Teatro São João – Sobral (CE)

Período: 23 a 26 de maio

Mais Informações: (85) 3224.6944

Seis anos do CCBN Cariri serão festejados com show no Crato