Arquivo do dia: 14/06/2012

Adeus a Carlos Reichenbach

 

O cineasta Carlos Reichenbach morreu na tarde de hoje em São Paulo. Carlão (como era conhecido por todos no meio do cinema) acabara de completar 67 anos exatamente no dia de hoje, 14 de junho. Reichenbach deixa um legado de filmes, textos e muitas ações como incentivador e divulgador do cinema e da cultura. O diretor também foi professor de cinema na ECA – USP durante muitos anos.

 

Carlos Reichenbach nasceu em Porto Alegre mas viveu toda sua vida na cidade de São Paulo, cenário de suas principais obras e local em que participou de diversos movimentos de vanguarda como o Cinema Marginal e as experiências mais autorais do cinema da Boca do Lixo. Premiado nos principais festivais do país, como Brasília, Ceará e Gramado, Reichenbach teve sua obra reconhecida internacionalmente e chegou a ser tema de uma mostra com seus filmes no prestigioso Festival de Roterdã, na Holanda, nos anos 80. O mesmo festival holandês apresentou na sua edição deste ano, em fevereiro, uma cópia restaurada de Liliam M – Relatório Confidencial, de 1975, um dos principais filmes de Carlão. 

Carlão deixa 22 filmes assinados como diretor, 21 roteiros filmados e 38 películas em que dirigiu a fotografia. Seu último trabalho foi “Falsa Loura”, lançado em 2007. Entre seus principais filmes como diretor estão “A Ilha dos Prazeres Proibidos” (1979), “Império do Desejo” (1981), “Filme Demência” (1985), “Anjos do Arrabalde” (1987), “Alma Corsária” (1993) e “Garotas do ABC” (2003).

 

Carlos Reichenbach era sócio da produtora Dezenove Som e Imagens ao lado de Sara Silveira e Maria Ionescu e apresentava, desde 2004, a Sessão do Comodoro no CineSesc, que exibia todo mês filmes raros e inéditos no circuito brasileiro. Reichenbach era casado com Lygia Reichenbach e deixa três filhos e uma neta

Curta Amazônia vai homenagear jornalista histórico


Meus amigos Golda Barros e Carlos Levy me contam sobre oportuna homenagem a figura lendária do jornalismo rondoniense.
 
O jornalista vai ser homenageado na terceira edição do festival CURTA AMAZÔNIA, dando nome a um dos prêmios…
 
Como jornalista, também me sinto homenageada e parabenizo ao querido casal pela iniciativa. E ano que vem, quero ver de perto este CURTA AMAZÔNIA.
 
Boa sorte, amigos, e sucesso ao Festival !
 
O JORNALISTA RONDONIENSE e o III CURTA AMAZÔNIA
Polêmico, temido por alguns, seriedade nas informações, esse é alguns dos adjetivos profissionais que o jornalista Nelson Townes tinha no trato com a notícia. Contribuiu com o audiovisual rondoniense nos filmes do diretor Beto Bertagna, na confecção de roteiros para documentários, fez também revisão roteirista do filme sobre o garimpo de diamantes, de Carlos Levy.

Nelson Townes fez escola, para muitos “foquinhas” no jornalismo rondoniense, orientando com informações, dicas e macetes aos diversos profissionais de jornalismo das redações por onde passou, além de ser amado por uns e odiado por outros, procurou sempre mostrar a verdade para a opinião pública em seus artigos, publicando matérias polêmicas e instrutivas, que lhe renderia prêmios no jornalismo regional. Na década de 80, foi o representante do jornal impresso Folha de São Paulo, em Rondônia. Com todos esses gabaritos profissionais, a organização do Festival promove esse reconhecimento ao profissional que atuou e contribuiu no audiovisual rondoniense, nada mais justo nessa homenagem colocar o nome do jornalista como a Melhor Produção Rondoniense – “Prêmio Nelson Townes”, destacando-se na categoria de curta-metragem.

Para Carlos Levy, o objetivo dessa homenagem, além é claro de prestigiar o nosso saudoso jornalista Nelson Townes, é incentivar os produtores e realizadores sobre a importância de realizar bons roteiros e consequentemente bons filmes, com conteúdos que possam representar nossa região no país e exterior, mostrando que o rondoniense tem talento e prezam pela qualidade nas produções audiovisuais. A homenagem acontece na noite do dia 29 de junho durante o 3 Festival de Cinema Curta Amazônia na Praça Madeira Mamoré em Porto Velho.


No ano em que se comemora o Centenário de construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, temos os seguintes apoios e parcerias: Eletrosul do Sistema Eletrobrás do Governo Federal, Sesc Rondônia do Sistema Fecomércio, Secel do Governo da Cooperação, Iphan Rondônia, Fórum dos Festivais, ABD Rondônia, Emater/RO, Fundação Iaripuna, Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, Aqui Publicidade, Imprensa Rondoniense.

Buenos Aires vai realizar Cine Migrante. Inscrições abertas !

CineMigrante, abre su convocatoria para participar de la 3° edición del Festival Internacional de Cine y Formación en Derechos Humanos de las personas migrantes a realizarse entre el 13 y el 21 de septiembre en la Ciudad de Buenos Aires, Argentina, con entrada libre y gratuita. 

 Invita a participar a todos aquellos largometrajes, mediometrajes y cortometrajes que aborden la temática migratoria, entendiendo a la migración desde la simple necesidad de movimiento del cuerpo; desde la acción de caminar un territorio en busca de un sustento; desde la necesidad de salir de un estado de guerra, de conflictividad; desde un movimiento que cruza una frontera física, interna o imaginaria, que sale del estado de indefección hacia la acción; desde el habitar un nuevo espacio, ocuparlo y modificarlo.

 Se reciben obras en los géneros documental, ficción, animación y experimental sin distinción alguna en cuanto a año de producción y duración. El límite para la recepción de obras para participar de esta edición es el  2001. Para la preselección de material se deberá enviar dos copias de la obra en formato digital de alta calidad (Bluray o DVD multizona) junto con la ficha de inscripción.

 El Jurado integrado por destacados especialistas en cine, medios, defensa de los derechos humanos e interculturalidad, distinguirá al Mejor Largometraje y al Mejor Mediometraje/Cortometraje con premios para la postproducción o producción y premiaciones especiales a cargo de organismos de derechos humanos.

Buenos Aires, capital argentina: vocação natural para a Sétima Arte

CineMigrante convoca a participar entonces en un espacio cultural y de difusión de derechos con gran repercusión no sólo en la Argentina sino en América Latina. Declarado de interéspor la Secretaría de Cultura de la Nación Argentina, la Secretaría de Derechos Humanos, la Honorable Cámara de Senadores, la Cancillería Argentina y el Ministerio Público de la Defensa, cuenta con el apoyo y trabaja junto a organismos de defensa de los derechos humanos así como a organizaciones propias de los migrantes, convocando a más de 5000 personas en cada edición. CineMigrante permite incorporar a la agenda cultural de Argentina, material cinematográfico de alta calidad, no posible de ser visto en los circuitos comerciales. 

Buenos Aires vai sediar a terceira edição do CineMigrante…

CineMigrante es un espacio que permite compartir, difundir, visibilizar y sensibilizar acerca de las vivencias, experiencias y problemáticas de todas aquellas personas que habitamos este mundo y que, en un momento y por algún motivo, hemos decidido salir del lugar donde nacimos y migrar. Tenemos como objetivo generar instancias de reconocimiento en los otros y en las otras, un reconocimiento de la ‘otredad’ interna que permita afianzar nuestra identidad, contribuir a nuestro conocimiento histórico e individual, reflejarnos en todos y todas para conformarnos nuevamente.