Arquivo do dia: 17/07/2012

Violas e Repentes nos 60 do Banco do Nordeste

 

Amanhã e quinta, o BNB-Clube de Fortaleza vai sediar o Festival Violas e Repente, marcando o 60º aniversário do Banco do Nordeste.

É mais uma realização do BNB Clube, organização que se destaca atuando como  incentivador da cultura local e nordestina, e descobridor de novos talentos para o cenário artístico. É também uma homenagem ao Banco do Nordeste, cuja atuação é de principal agente do desenvolvimento nordestino e da cultura regional, alicerce desse desenvolvimento.

O festival terá a participação de 12 repentistas, representando cinco estados nordestinos e expressões dentro deste repertório da centenária arte do improviso. Será uma apresentação da poesia cantada, feita a partir da complexidade do improviso, um momento raro da mais pura manifestação cultural do Nordeste – a Cantoria de Viola.

Dividirão o mesmo palco, em forma de competição, disputando prêmios e troféus, os renomados repentistas Ivanildo Vila Nova, RaimundoCaetano, Louro Branco, Zé Viola, Sebastião Dias, João Paraibano, Valdir Teles,Zé Cardoso, Edvaldo Zuzu, Raulino Silva, Jonas Bezerra e Acrísio de França.

Traçando um paralelo entre a cantoria de viola e o futebol, podemos comparar os festivais de repentistas ao campeonato brasileiro de clubes. Em determinados festivais, como os de Recife e Campina Grande, as competições são bem acirradas, tornando esses festivais o ponto culminante para o poeta cantador.

Durante a competição, as duplas concorrentes terão que cumprir quatro tarefas de 5minutos cada, que serão solicitadas por uma Comissão de Seleção, reunida previamente para elaborar temas e motes a serem desenvolvidos pelos cantadores.

O material preparado pela Comissão fica lacrado dentro de envelopes, a serem abertos no início da apresentação dos cantadores, mediante sorteio e na presença do presidente de uma Comissão Julgadora. Os cantadores serão julgados em três aspectos: rima, métrica e oração (assunto/tema solicitado).

Os competidores farão jus a troféus para as três duplas melhor classificadas, além de placas de participação, alusivas aos 60 anos do Banco do Nordeste do Brasil.

O festival será apresentado por Dilson Pinheiro, comandante do Programa Ceará Caboclo, da TV Ceará, e por Orlando Queiroz, Presidente do Clube da Viola.

Banco do Nordeste faz 60 e CCBN inaugura exposição

O Banco do Nordeste, por meio do CCBNB-Fortaleza, está promovendo a exposição 60 anos – Histórias de um Banco do Nordeste, na praça Jáder Colares e no Centro de Treinamento do CAPGV. No hotsite do aniversário do Banco, será disponibilizado um link que possibilitará aos funcionários que não estão lotados no Centro Administrativo, realizarem um tour virtual pela exposição.

Segundo o gerente do Ambiente de Gestão da Cultura, Tibico Brasil, a exposição conta a história do Banco sob o ponto de vista do desenvolvimento, mostrando como a história do BNB caminha junto com a do Nordeste: “A exposição é bastante interativa, com vídeos, fotos e um local onde as pessoas podem deixar recados sobre os 60 anos do Banco”.

Tibico Brasil é o atual “cap” do Centro Cultural Banco do Nordeste…

A mostra será inaugurada oficialmente nesta quinta-feira (19), aniversário do Banco, e segue até 19 de agosto. Ainda segundo Tibico Brasil, grupos de alunos poderão visitar o acervo, que também conta muito da história do Nordeste.

Exposição

Criada a partir de diferentes registros e interpretações, produzidos ao longo da vida da instituição, a exposição é organizada em três ambientes distintos: Trajetórias, Narrativas e Memórias. Em Trajetórias, o visitante compreenderá como as histórias de vida de personalidades públicas, marcos políticos e econômicos se cruzam com a trajetória do Banco, numa articulação que explica, muitas vezes, os caminhos e as linhas de atuação por ele seguidos.

No ambiente Narrativas, são apresentados os programas e resultados da instituição, bem como a repercussão e a interpretação de especialistas sobre ela. Já o ambiente Memórias se constitui num espaço interativo da exposição. Nele estão as imagens escolhidas pelos próprios bancários e os depoimentos daqueles que fazem o Banco do Nordeste.