Arquivo do mês: agosto 2012

Vitrine audiovisual em São Paulo

O Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) realiza dia 1º de setembro a festa de lançamento da 8ª edição do Cine MuBE Vitrine Independente, festival que revela e premia novos talentos do cinema. Para celebrar a abertura das inscrições, um coquetel vespertino e ao ar livre marcará a nova temporada do evento. Durante o coquetel, serão anunciados os integrantes do júri.

Com inscrições de 1 de setembro a 20 de outubro, o festival tem curadoria do crítico de cinema Christian Petermann e oferece a oportunidade para novos talentos apresentarem toda sua arte e técnica por meio das exibições de curtas e médias-metragens num evento focado no cinema independente.

Seguindo o modelo das edições anteriores, entre 6 e 8 de dezembro haverá uma programação especial no MuBE para a exibição dos títulos selecionados. Na sexta, dia 7, serão exibidos os médias-metragens em competição e sábado, dia 8, os curtas – ao final das exibições, serão revelados os vencedores e acontecerá o evento de premiação.

Os interessados em apresentar seus trabalhos poderão se inscrever gratuitamente: www.cinemubevitrine.com

O festival premiará produções em onze categorias: melhor curta-metragem pelo júri, melhor curta-metragem pelo público, melhor média-metragem pelo júri, melhor média-metragem pelo público, melhor diretor curta-metragem, melhor diretor média-metragem, melhor atriz, melhor ator, menção especial de curta-metragem pelo júri, melhor roteiro e, como novidade desta edição, melhor produção estrangeira.

Como participar

Os interessados devem encaminhar os filmes (em três cópias obrigatórias), de segunda a sexta, das 10h às 19h, para o endereço Av. Europa, 218 – São Paulo, aos cuidados de Karen Alcantarilla – karen@mube.art.br

O Cine MuBE Vitrine Independente é um festival de cinema que preza pela pluralidade, sem tema definido. O júri especializado e o público elegem os filmes favoritos. Os ganhadores da competição são premiados com equipamentos, cursos na área e viagens.

Sobre o MuBE

O Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) desenvolve extensa e diversificada programação cultural, com exposições, cursos, seminários, palestras, recitais de piano, cinema e teatro. São realizadas, em média, 25 exposições por ano, com mostras de artistas renomados, nacionais e internacionais, e espaço para novos talentos.

O Museu recebe, aproximadamente, 150 mil visitantes por ano. As exposições contam com visitas educativas para crianças, estudantes, grupos de terceira idade e público em geral.

SERVIÇO

Realização: Museu Brasileiro da Escultura Direção e Coordenação Geral: Renata de Azevedo Silva Curadoria e Programação: Christian Petermann Conteúdo: Felippe Canale, Anna Zêpa Produção: Amanda Rodolpho, Anna Zêpa, Karen Alcantarilla, Renato Sass e Vitor Souza Colaboração: Bruna Bernacchio, Cassia dos Anjos, Graziela Martine e Naninha Borges

Comunicação Visual: Dona Baronesa

Troféu: Eduardo Werneck

Serviço

Evento: 8º Cine MuBE Vitrine Independente

Local: MuBE – Museu Brasileiro da Escultura –Avenida Europa, 218, Jardim Europa – São Paulo/SP

Festa de Lançamento: 1 de setembro, às 16h30

Inscrições: 1 de setembro a 20 de outubro

Festival: dias 6, 7 e 8 de dezembro de 2012

Entrada: gratuita

Informações: www.cinemubevitrine.com

Cachoeira quer ver Documentários…

Até 15 de setembro, cineastas podem inscrever seus documentários de curta, média e longa-metragem no III CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira, que acontecerá de 4 a 8 de dezembro, no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), na cidade de Cachoeira.

O Festival busca fomentar a cultura do documentário através da exibição de filmes, oficinas, debates e ciclo de conferências. Os interessados devem enviar vídeos produzidos a partir de 2011, em qualquer formato, incluindo vídeos feitos por câmeras em celulares e câmeras digitais, e em película 16 mm e 35 mm.

O Festival vai acontecer na cidade histórica de Cachoeira, onde foi lançado em 2010. Nas duas edições anteriores, cerca de 4.500 pessoas assistiram a um total de 85 filmes documentários (73 nacionais). Na Mostra Competitiva Nacional, ao todo, foram inscritos 356 filmes de todas as regiões do país. Entre os 43 selecionados, 13 eram médias ou longas-metragem, e 30eram  curtas.

Mais: www.cachoeiradoc.com.br

Araxá Cine terá Murilo Rosa, Ingra Liberato e Carlos Alberto Riccelli

Primeira edição do Festival de Araxá começa no próximo dia 10…

Reta final dos preparativos para o festival que vai tornar Araxá a Capital do Cinema Brasileiro. Durante uma semana, que terá início no próximo dia 10, a tranquila cidade mineira vai receber convidados, jornalistas, realizadores, artistas, produtores, turistas, estudantes e profissionais interessados na Sétima Arte para viver dias e noites de Cinema em diversas atividades distribuídas em muitas versões.

Carlos Alberto Riccelli, ator e cineasta, vai abrilhantar I Araxá Cine

Será a primeira edição do aguardado festival idealizado pela produtora e cineasta Débora Torres, com Curadoria do crítico Rubens Ewald Filho, e patrocínio do Governo de Minas Gerais.

O burburinho em Araxá por conta disso começou quando da coletiva que anunciou oficialmente a programação do I Araxá Cine Festival. A partir dali, ainda no início de agosto, a imprensa local, regional e nacional começou a divulgar o festival, e a comunidade audiovisual ganhou este novo ponto no mapa. Sobretudo com a realização das mostras Curta Minas e Curta Araxá, as quais vão exibir boa parte da atual produção mineira de curtas-metragens, e também descobrir e revelar novos talentos do audiovisual, a partir da cidade de Araxá, reconhecida e festejada por turistas de todas as partes do mundo por conta de suas famosas águas termais e lamas medicinais.

Atriz INGRA LIBERATO, presença sempre bem vinda, estará em Araxá…

O I ARAXÁ CINE FESTIVAL terá uma premiação total de R$ 130 mil, distribuída em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados,curtas-metragens mineiros convidados,ecurta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. Todo o regulamento do Festival pode ser conferido no site oficial do evento, que estará lançando dois novos prêmios para o Cinema Brasileiro: os troféus Dona Beja e o Araxá Terra do Sol, a serem distribuídos para os vencedores do festival, conforme avisa Débora Torres.

Festival terá dois novos prêmios para o Cinema Brasileiro: Troféu Dona Beja e Araxá Terra do Sol

Localizado no alto de Santa Rita, com acesso por escadaria com 236 degraus ou pela avenida,o Mirante do Cristo oferece vista panorâmica da cidade de Araxá.

O festival é realizado com apoio principal da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), e Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo um salutar intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical.

Na noite de encerramento, será exibido, em avant première, o filme Vazio Coração, primeiro longa-metragem de Alberto Araújo, produzido por Débora Torres, contando com elenco repleto de nomes bem conhecidos do grande público: Murilo Rosa, Lima Duarte, Othon Bastos, Bete Mendes, Oscar Magrini, o Embaixador Lauro Moreira, Larissa Maciel, e Patrícia Naves.

Murilo Rosa é o protagonista de Vazio Coração, que terá lançamento no Festival

Por conta disso, e da exibição de outros longas-metragens durante os 7 dias do I ARAXÁ CINE FESTIVAL a presença dos atores Murilo Rosa, Ingra Liberato e Carlos Alberto Riccelli, que é autor (junto com a atriz Bruna Lombardi) e diretor do filme Onde Está a Felicidade ?

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVALFestival Nacional de Cinema de Araxá

Data: 10 a 16 de setembro

Onde: Araxá, Minas Gerais

Coordenação: Débora Torres

Curadoria: Rubens Ewald Filho

ENTRADA GRATUITA

Mais informações: http://www.araxacinefestival.com.br

REDES

FACEBOOK – https://www.facebook.com/araxacinefestival

TWITTER – https://twitter.com/AuroraMLeao

BLOG – http://www.auroradecinema.wordpress.com

Até quando a realidade é uma mentira ?

A Forma Filmes comunica:

Os jovens diretores Rodrigo Oliveira e Marcelo Luiz de Freitas participarão do 6ºCurta Cabo Frio – Festival de Audiovisual da Costa do Sol (RJ) com o documentário Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ?

O festival acontecerá de 1 a 9 de setembro e esta será a primeira exibição do curta em festivais. O documentário incita a discussão sobre o poder que a propaganda, no caso de cerveja, exerce sobre as pessoas.

Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ? concorrerá na mostra competitiva de curtas digitais.

Trailer oficial e outros trabalhos de Marcelo Luiz de Freitas e Rodrigo Oliveira, acesse http://formafilmes.wordpress.com http://marceloluizdefreitas.wordpress.com

Mas a FORMA FILMES estará em Cabo Frio com outros 2 trabalhos: Dadashow volume 2, e Doméstico 365 de Marcelo Luiz de Freitas.

Doméstico 365 concorrerá na mostra competitiva de curtas realizados com câmera fotográfica/celular.

Dadashow volume 2 concorre junto ao Doc Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ? na mostra competitiva de curtas digitais.

Ronaldo Werneck une paisagem da Europa e rios de Cataguases

Reitor Pedro Rubens assume comando da Federação Internacional das Universidades Católicas

Padre Pedro Rubens, Reitor da Universidade Católica de Pernambuco, é novo Presidente da FIUC

Eleição do Reitor Pedro Rubens na FIUC é vitória de pernambucanos e cearenses…

A Federação Internacional das Universidades Católicas (FIUC) tem  novo presidente. O novo titular da entidade foi eleito no dia 27 de julho, último dia da 24ª Assembleia Geral da FIUC — realizada em São Bernardo do Campo (SP). Ele é o Reitor da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Pe. Pedro Rubens Ferreira Oliveira, cearense, natural do distrito de Vazantes, localizado em Aracoiaba (CE), e foi eleito para o póximo triênio (2012-2014).

Além da presidência, também foram eleitos os membros do Comitê Executivo e Administrativo da Federação. O secretário-Executivo da ANEC, Daniel Torres de Cerqueira, comemorou a decisão e enfatizou a importância da escolha. “Para nós da ANEC, este é um motivo de grande satisfação e alegria. Juntos, FIUC e ANEC, fortalecem o importante trabalho em prol de uma educação de excelência cristã, evangélico e libertadora”, disse.

A FIUC é composta de cerca de 200 universidades e instituições católicas de ensino superior de todo o mundo, que têm à disposição um secretariado permanente encarregado de executar as orientações e políticas, tal como estabelecido pela Assembleia Geral e órgãos administrativos.

Reconhecida pela Unesco (Organização das Nações Unidas), no âmbito da Educação, Ciência e Cultura, e pelo papa Pio XII, a FIUC é a mais antiga associação de universidades católicas do mundo.

A cada três anos, a Federação realiza uma Assembléia Geral para debater temas relacionados ao segmento e eleger o corpo executivo e administrativo. O último evento foi realizado no Brasil, entre os dias 23 e 27 de julho deste ano em São Paulo. A penúltima edição ocorreu em novembro de 2009 em Roma (Itália). É a terceira vez que a FIUC é realizada no Brasil (em 1960: na PUC-RJ; e em 1978, na PUC-RS).

* Veja matéria sobre o Padre Pedro Rubens, que também é escritor, e autor do livro https://auroradecinema.wordpress.com/tag/padre-pedro-rubens-e-autor-do-belo-lugar-onde-os-passaros-cantam-e-as-pessoas-contam-historias/

Documentário revê trajetória feminina pela Anistia

Célia Gurgel convida para lançamento de seu novo Doc, desta vez em parceria com o cineasta Joe Pimentel…

Bárbara Cariry promove Outros Cinemas em Fortaleza

Abertas até dia 17 as inscrições à quinta edição da Mostra Outros Cinemas, que vai acontecer de 16 a 19 de outubro na Casa Amarela da UFC, em Fortaleza.

Os interessados devem enviar as produções acompanhadas de ficha de inscrição, devidamente preenchida e assinada, além de fotos, release e autorização de exibição, disponíveis em: www.mostraoutroscinemas.blogspot.com  

Podem ser inscritas produções de todo o país. Os filmes selecionados pela curadoria da Mostra não são exibidos em nível competitivo.

Cada participante poderá inscrever até 2 filmes e/ou vídeos, de acordo com sua duração (curta metragem – até 23 minutos), sobre qualquer tema e que não tenha participado de edições anteriores.

Idealizada por Bárbara Cariry, a Mostra Outros Cinemas é uma realização da Sereia Filmes e vai consolidando-se como mais um espaço alternativo para a difusão da produção audiovisual brasileira.

Ceará leva Frei Tito ao Teatro de Recife

Este final de semana, o teatro cearense aporta em Recife através do Grupo Formosura Teatro.

Esta noite, acontece a primeira apresentação da leitura dramática de Frei Tito: Vida Paixão e Morte, texto do ator e encenador Ricardo Guilherme com direção de Graça Freitas.

Texto do dramaturgo Ricardo Guilherme em nova versão…

A realização é da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e do Instituto Frei Tito de Alencar em parceria com o Grupo Formosura e a Secretaria de Direitos Humanos e Segurança Cidadã – Prefeitura de Recife.

As apresentações são gratuitas e acontecem no Teatro Luiz Mendonça -Parque Dona Lindu, HOJE às 20h30; amanhã às 20 h, e domingo em duas sessões, às 16h e às 19h. Além da peça, estará em cartaz a exposição  SALA ESCURA DA TORTURA sobre os últimos dias de Frei Tito.

A propósito: vale conferir o filme BATISMO DE SANGUE, do cineasta mineiro Helvécio Ratton, o qual aborda a questão dos frades dominicanos, torturados na época negra da história política brasileira, tendo como foco principal o Frei Tito de Alencar Lima, cearense morto em Paris, magistralmente interpretado por Caio Blat. O filme é baseado no livro homônimo de Frei Betto.

Confira trechos em http://www.youtube.com/watch?v=Abs9p0Dlt8U

Imagem

Grupo Formosura revive trajetória de Frei Tito através de texto de Ricardo Guilherme…

Araxá Cine: Débora Torres cria mais um Festival de Cinema

Débora Torres vai fazer de Araxá território do Cinema Brasileiro

410918 termas de araxa fotos atrativos cvc Termas de Araxá   Fotos, atrativos CVC

Em formato de Castelo, o Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá chama a atenção pela sua intensa beleza…

Eu a conheci numa das edições do Festival de Cinema de Gramado. O primeiro contato foi ainda de dia em meio ao alvoroço que toma conta dos  stands do Festival de Gramado. De cara, achei-a uma pessoa muito simpática, espontânea, acessível, alto astral, como deve ser alguém que pretende atuar junto ao público. À noite, na sessão do Palácio dos Festivais, frio danado em Gramado, nos reencontramos. Lá estava ela, mais uma vez com um sorrisão festeiro estampado no rosto. Conhecia várias pessoas ali mas a conversa fluiu mais bacana foi com ela. Papo vai ideia vem, contou-me estar ali para entender melhor como se faz um festival de cinema, pois estava à frente de um que aconteceria em Goiânia, quando novembro chegasse. Eu então falei que queria muito ir, pois não conhecia a capital goiana e aquela seria uma ótima oportunidade. Ao que ela de pronto respondeu, ‘você já é minha convidada’. Semanas depois, recebia um telefonema dela confirmando o convite. E em novembro de 2005, lá estava eu embarcando a Goiás para conferir o I Festival de Goiânia do Cinema Brasileiro.

Esta mulher, de quem falo com o maior respeito e a mais profunda admiração chama-se Débora Torres. Desde essa época, do tempo de nosso providencial encontro em Gramado, ficamos amigas. Já ao tempo daquela primeira edição do Festival de Goiânia percebi nela a enorme vocação para o trabalho, a dedicação incansável por fazer sempre melhor as coisas nas quais acredita, a determinação em alcançar os objetivos aos quais se propõe, a invejável disposição para fazer acontecer o que delimitou como meta, e a disponibilidade em atender sempre bem a quem quer que lhe procure. Assim é Débora Torres. Um vulcão em constante ebulição, espraiando sua energia com uma força delicada e rebeldes cachos louros, os quais,  por semelharem aos meus,  fazem com que muitos perguntem se somos irmãs. “Sim”, tantas vezes respondo, “de alma, intenção e objetivos”.

Assim como idealizou, criou e fez nascer o Festival de Goiânia do Cinema Brasileiro (apoiada  pelo escritor Miguel Jorge e contando com o peso do nome e da trajetória de Rubens Ewald Filho), Débora o fez também em Anápolis, e tanto lá como cá, criou dois importantes e respeitados festivais de Cinema Brasileiro. Agora parte pra criar mais um, desta vez na mineira Araxá. E capricha na construção de uma infra-estrutura super qualificada, junto a uma equipe de grande disposição. É assim que Débora vem conquistando a adesão de grandes produtores, realizadores, artistas e técnicos, capazes de contribuir para o melhor desenvolvimento de seu ideal de fazer e produzir cinema neste cenário tão pródigo em histórias, tão rico em cultura, e ainda tão deficitário em investimentos.

Débora Torres e Aurora Miranda Leão na segunda edição do Festival de Anápolis

E para quem pensa que entre um festival e outro, Débora estava só recarregando as baterias, aí vai uma ressalva: depois da primeira edição em Anápolis, Débora conseguiu arranjar fibra e assumiu a produção-executiva do filme Vazio Coração, primeiro longa do cineasta goiano Alberto Araújo, que terá pré-estreia dia 16 de setembro, na noite de encerramento do I Araxá Cine Festival.

Além de reunir grandes profissionais na equipe técnica, Débora conseguiu juntar, no elenco de Vazio Coração, nomes de peso como Lima Duarte, Othon Bastos, Murilo Rosa, Beth Mendes, Oscar Magrini, o embaixador Lauro Moreira e Larissa Maciel, entre outros. Ao lado desta profissional competente e sempre disposta a fazer mais e melhor, Débora Torres é uma pessoa que cultivou minha admiração e cativou minha estima também pelo seu perfil humanitário. É amiga para todas as horas, mãe dedicada, irmã solidária, e filha exemplar. Ao mesmo tempo em que muitas vezes está ‘aperriada’ com tantas solicitações, sempre desatando os nós naturais numa produção com a intensidade e extensão de um festival de cinema – podemos vê-la reiteradas vezes ao telefone se virando em mil (ela cuida pessoalmente de tudo porque sabe que o olho do dono é que engorda o boi) -, ela também é capaz dos mais ternos gestos de delicadeza, afeto, simpatia e compreensão, bem como adora promover encontros, reverenciar os que simbolizam relíquias e trazem lições, e não se nega a uma boa dose de festa e comemoração.

Alberto Araújo e Débora Torres planejando Vazio Coração

Foi Débora quem me trouxe a amizade de Rubens Ewald Filho; o encontro com os queridos Walter Webb, Guido Campos e Ângelo Lima; a oportunidade de desfrutar da companhia de Gustavo Falcão e Beto Brant; de conhecer Zezita Mattos e Lola Laborda; e até o inesquecível encontro com a doce Isabella – a atriz que fez a inspirada ‘Capitu” de Paulo César Sarraceni. Sem falar em tantos tantos outros afetos e encontros marcantes.

Débora Torres e Alice Gonzaga: amizade promovida por esta Aurora de Cinema

Por outro lado, eu tive a honra de apresentar Débora a Alice Gonzaga, esta figura que tanto admiramos, grande e querida amiga, herdeira do pioneiro Adhemar Gonzaga (baluarte da crítica de Cinema, criador da histórica revista Cinearte, e fundador da primeira produtora de cinema do país, a Cinédia). À Débora também apresentei outra amiga querida, a atriz Rosamaria Murtinho, e ela me reaproximou de Ingra Liberato, que eu não via pessoalmente há tanto tempo.

Débora Torres e Aurora Miranda Leão ‘tietam’ Rafaela Torres, uma querida…

Eu poderia ficar muitas horas e páginas comentando sobre Débora Torres e dizendo de sua importância no meu caminho. Tenho somente coisas boas a contar e muitas risadas para rememorar. Mas sobre Débora terei muitas e muitas outras ocasiões para  agradecer pela convivência e as oportunidades, e parabenizar pela disposição e maneira de estar na vida como quem sabe que o  relevante é construir pontes, ignorando as farpas da estrada, e buscando sempre alcançar as dimensões do Bem, do Bom e do Belo, para que a vida seja uma construção de somas favoráveis e não um rosário de lamentações tediosas  e infrutíferas.

Um beijo muito carinhoso a você, Débora, desta admiradora que tem a grata satisfação de inscrever-se entre suas amigas.