Arquivo do mês: outubro 2012

Cinema reverencia Domingos Oliveira

O dramaturgo, cineasta, ator, diretor, homem de Teatro, Cinema e Televisão,  Domingos Oliveira, recebe esta noite o prêmio principal da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Prêmio Leon Cakoff.

A cerimônia acontecerá às 21h20, entre as sessões de Primeiro Dia de Um Ano Qualquer e Paixão e Acaso, ambos dirigidos por Domingos. A Mostra contempla, com o Prêmio Leon Cakoff, antes prêmio Humanidade, personalidades do meio cinematográfico que se destacaram ao contribuir para o enriquecimento do cinema mundial.

Além de Domingos Oliveira, receberão o prêmio Leon Cakoff o diretor Abbas kiarostami e a atriz Claudia Cardinale.

UM POUCO MAIS SOBRE DOMINGOS OLIVEIRA, um MESTRE !

Domingos Oliveira é um dos mais profícuos criadores brasileiros, autor de obras marcantes, seja no teatro, cinema ou televisão. Nascido no Rio de Janeiro, Domingos começou a carreira no teatro, em 1963, com Somos Todos do Jardim da Infância, texto de sua própria autoria.

Em 1966, dirigiu Todas as Mulheres do Mundo, sua estreia no cinema, protagonizado por Leila Diniz e Paulo José. Apesar de inserido no grupo do Cinema Novo, Domingos sempre tendeu mais para Tchecov do que Brecht, passando ao largo dos regionalismos que dominavam as atenções de significativa parcela do Cinema Novo. Suas preocupações sempre foram mais urbanas e de classe média, onde as disfunções e desatinos das relações humanas e do amor se convertem em filmes calcados na força do texto e das atuações, impregnados de um humanismo sem concessões.

Entre seus principais filmes, destacam-se Edu Coração de Ouro (1968), As Duas Faces da Moeda (1969), A Culpa (1971) e Teu, Tua (1976). Nos anos 80, Domingos iniciou um prolífico trabalho para a televisão, colaborando em roteiros de episódios de séries e especiais, e coordenando a série Caso Especial na TV Globo. Voltou ao teatro em 1981 e, em 1995 escreveu, com Priscilla Rozenbaum, a peça Amores, levada às telas em 1996, reaproximando Domingos do cinema depois de um afastamento de quase 20 anos. Amores venceu três Kikitos no Festival de Gramado.

Com a companheira Priscilla Rozenbaum, uma parceria de sucesso…

Seus filmes mais recentes são Separações (2002, 26ª Mostra), Feminices (2004, 28ª Mostra), Carreiras (2005, 29ª Mostra), Juventude (2008, Prêmio do Público na 32ª Mostra) e Todo Mundo tem Problemas Sexuais (2008, 32ª Mostra).

Nesta edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Domingos Oliveira participacom seus filmes É Simonal (1971), e Primeiro dia de um Ano Qualquer (2012), e Paixão e Acaso (2012).

SERVIÇO

Prêmio LEON CAKOFF para Domingos Oliveira   

25/10/2012 – QUINTA – CINESESC

19:20 Exibição do filme: PRIMEIRO DIA DE UM ANO QUALQUER, de Domingos Oliveira (81′).

21:20 Exibição do filme: PAIXÃO E ACASO, de Domingos Oliveira (83′).

OBS.: A entrega do prêmio será feita antes da exibição do filme PAIXÃO E ACASO.

Patrocinadores da 36ª Mostra

A 36ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo é realizada com patrocínio da PETROBRAS pela LEI DE INCENTIVO À CULTURA do MINISTÉRIO DA CULTURA; copatrocínio do BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (BNDES); apoio institucional da PREFEITURA DE SÃO PAULO; apoios da FAAP, ITAÚ e SESC; apoio cultural da SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO pelo PROAC – PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO, SÃO PAULO TURISMO, SABESP e IMPRENSA OFICIAL; colaboração da editora COSAC NAIFY, do MASP – MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO, HOTEL TIVOLI, CHIVAS, AUDITÓRIO IBIRAPUERA, INGRESSO.COM e do CONDOMÍNIO CONJUNTO NACIONAL; promoção da FOLHA DE SÃO PAULO, TV CULTURA, GLOBO FILMES, CANAL BRASIL, BAND NEWS FM e RÁDIO BANDEIRANTES.

A 36ª Mostra é produzida pela ABMIC – Associação Brasileira Mostra Internacional de Cinema.

Avenida Brasil: Porque Amamos Carminha

Intérprete e personagem entrelaçaram-se no gosto popular criando um emaranhado de emoções e cumplicidade que responde por grande parte do êxito da trama de João Emanuel Carneiro

Carminha no auge: rica, linda e vivendo das graças do marido Tufão…

O que mais surpreendeu em AVENIDA BRASIL não foi o mega ibope do último capítulo – coisa de louco, tchê ! -, nem a forma como o autor se inspirou em escritores famosos, nem a trilha, nem o encantamento com o subúrbio traduzido no Divino.

Carminha: milionária encantadora e má do subúrbio…

Tudo isso já houve antes, e continuará acontecendo. E sobre o montão de coisas que se somam para o êxito desta novela que hoje é uma latejante saudade, falaremos adiante.

Adriana Esteves e Marcello Novaes: atores foram destaque com atuações soberbas…

Mas o que mais nos chama a atenção – depois de ler, reler e encontrar nos mais diferentes espaços informativos comentários sobre a novela -, é uma sensação de “Queremos Carminha !” que ainda está no ar.

Esta sensação é o que vai por baixo das afirmações, e corre no íntimo, de todos quanto agora comentam o final da novela – todos viram a mobilização nacional gerada pela exibição do último capítulo da trama, praticamente parando São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre  –  é o que aflora quando se afirma coisas do tipo “Carminha podia ter reagido”, ou “Pensei que Carminha estava mentindo”, ou ainda “Achei que Carminha ia dar a volta por cima”, ou, mais agudo ainda, “Queria que Carminha tivesse terminado rica, numa mansão na zona sul”, ou “Queria Carminha milionária enganando um novo Tufão”…

Carminha e Tufão: casal mobilizou as atenções do “Divino”…

A marcante cena em que Nina corta e pinta os cabelos de ‘Carminha’…

Isso tudo é a tradução mais latente e recôndita de que o envolvimento com a Carminha de ADRIANA ESTEVES tomou tal proporção que o público desejava não só não ver a vilã ficar pobre e sem glamour, como gostaria de ver novamente a atriz – que ele aprendeu a amar e ver bela, mesmo com todas as maldades de Carminha – esbanjando charme e eloquência de vencedora.

Este público queria rever/reencontrar sua Carminha-Adriana de novo linda, loura, esbanjando elegância, destratando os pobres,  enganando o marido, tripudiando com as funcionárias, fazendo exigências mis, zombando dos suburbanos e dizendo – sem papas na língua e com a maior desfaçatez – as insanidades que dizia. Porque a Carminha Vencedora, Bonita e Altiva era também o alter ego da enorme classe C, ou de quantos se sentiram inferiorizados tantas vezes, e que, naqueles momentos de altivez sórdida da vilã, se sentiam vingados ou de alma lavada através dos ótimso diálogos da trama.

E aqui entra, intenso e avasssalador, o potencial artístico de ADRIANA ESTEVES, a quem a imensa maioria da platéia queria ver novamente brilhando e tendo as rédeas da história nas mãos.

SENSACIONALLLLLLLL !

E isso só é possível de ser alcançado, em se tratando de personagem Antagonista, quando se tem uma intérprete do quilate de ADRIANA ESTEVES, cuja maestria, charme e competência a faz uma Atriz do mais alto refinamento interpretativo.

O que esta magnânima ATRIZ Adriana Esteves conseguiu através desta personagem criada por João Emanuel Carneiro é algo ainda a ser estudado por especialistas da área, e quem sabe mereça muito mais ainda a análise de quem atua na área da Psicologia.

Pois o que Adriana Esteves alcançou através de Carminha foi muito mais do que o apoio da audiência, a vibração da plateia, a emoção do telespectador, o entusiasmo dos colegas, a vibração da crítica, o encantamento do autor, ou o misto de adesão x revolta total de todo o público de Avenida Brasil.

Adriana Esteves e sua irretocável CARMINHA conseguiram foi mexer no imaginário coletivo e fustigar a emoção de quantos puderam ver – e vibrar – com a estupenda interpretação desta Atriz para uma personagem capaz das maiores vilanias e atrocidades.

A capacidade impressionante e invejável de ADRIANA ESTEVES de criar expressões faciais diversas para ‘Carminha’, numa mesma cena, ecoou fundo na emoção do telespectador e criou uma empatia só explicável pelas leis do sentimento…

Num próximo post, mais sobre AVENIDA BRASIL.

TODOS OS APLAUSOS para Adriana Esteves, Atriz cujo nome se inscreve na galeria das Grandes Damas da TeleDramaturgia…

O autor e as atrizes Isis Valverde, ADRIANA ESTEVES e Débora Falabella…

Jornada de Cinema no Festival da Fronteira

O IV Festival Internacional de Cinema de Fronteira convida para a I  Jornada de Estudos de Cinema da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), abrindo espaço para a participação e a  troca de experiências acadêmicas.

A Jornada vai acontecer dia 22 de novembro e constará de apresentações orais em forma de comunicação ou  relatos de experiência, e uma mesa-redonda, resultando em publicação.

A inscrição é feita mediante submissão (até 5 de novembro) e aceite de resumos, conforme o regulamento, o qual pode ser solicitado  através do e-mail  jornadacinema@gmail.com.

A abertura da Jornada se dará com a mesa-redonda História e Crítica do Cinema Brasileiro Hoje, contando com a participação do renomado teórico Jean-Claude Bernardet (USP), e da jornalista Ivonete  Pinto (UFPEL). A mesa será mediada pelo professor Tiago Lopes, da UniSinos.

Enquanto isso, prosseguem abertas às inscrições para a mostra de curtas-metragens: até dia 31 pelo site: www.festivaldafronteira.com

Quem faz a Jornada de Estudos de Cinema da Unipampa 

Jean-Claude volta a Bagé para conversar e destrinchar questões da Sétima Arte…

  • Jean-Claude Bernardet:  Jornalista, escritor, roteirista, ator, professor de Cinema, está nesta área há mais de 40  anos. Um dos principais críticos do país, é autor de vários  livros sobre cinema e de três romances. Coautor do roteiro do clássico O caso dos irmãos Naves, do cineasta Luís Sérgio Person, e Um céu de estrelas, de Tata Amaral. Produziu, em parceria com o escritor Fernando Bonassi, o roteiro de Através da janela, também da cineasta Tata Amaral. Como ator, está em alguns filmes, a exemplo de Filmefobia, de Kiko  Goifman.

A gaúcha Ivonete Pinto estará na Jornada de Cinema de Bagé

  • Ivonete Pinto: Jornalista, Doutora em Cinema pela ECA/USP, com tese sobre Abbas  Kiarostami, orientada pelo professor Jean-Claude Bernardet. Atua como  crítica de cinema, co-editora da revista Teorema, e docente do curso de Cinema e Animação da Universidade Federal de  Pelotas, e do curso de Especialização em Cinema  da Unisinos. Preside a ACCIRS (Associação de Críticos de Cinema  do RS) e é vice-presidente da ABRACCINE. Escreveu os livros “A Mediocridade” (Ed.Sulina), “Descobrindo o  Irã” (Ed. Artes e Ofícios) e “Samovar nos Trópicos” (Ed. Artes e  Ofícios).

Tiago Ricciardi Correa Lopes – Professor dos cursos de graduação em Desenvolvimento de Jogos  Digitais, Comunicação Digital, Publicidade e Realização Audiovisual na  Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), é graduado em  Publicidade pela ESPM, e Mestre em Ciências da Comunicação pela  UNISINOS.   Coordena, desde 2009, o Grupo de  Estudos em Narrativas Interativas, vinculado ao curso de Jogos Digitais  da Unisinos, onde desenvolve projetos relacionados ao uso de  técnicas de Role Playing Games (RPGs) para a construção de universos  ficcionais narrativos, e também no desenvolvimento de jogos que fazem uso de tecnologias móveis, como celulares e navegadores GPS.

O Rio e o Amor, temas de Cinema

Diretores e produtores cinematográficos nacionais e estrangeiros podem se inscrever até março de 2013 no concurso que vai escolher um curta-metragem com o tema O Rio e o Amor para o projeto Rio, Eu te Amo, da franquia internacional Cities of Love.

O curta selecionado será incluído como extra no  DVD oficial do filme, que vai reunir grandes diretores nacionais e internacionais, cada um contando uma história de amor numa locação da cidade.

O projeto é um movimento de amor à capital, que já conta com mais de 40 mil seguidores no Facebook e promove ações nas redes sociais e nas ruas do Rio.  Numa dessas ações, foram espalhados balões de gás em 30 pontos turísticos da cidade, com mensagens incentivando as pessoas a fazer o bem ao próximo.

O filme, cujo lançamento está previsto para 2014, será a versão brasileira da Cities of Love, uma franquia internacional que já teve como cidades homenageadas Paris, com o filmeParis Je T’Aime (2006) e Nova York, com  New York, I Love You, em 2009. Além do Rio, estão em fase de produção filmes que homenageiam Xangai, na China, e Jerusalém, em Israel.

“Achamos importante fazer o concurso como oportunidade de também revelar um novo talento cinematográfico, aproveitando um projeto dessa visibilidade”, afirma Pedro Buarque, presidente da Conspiração Filmes, produtora de “Rio, Eu te Amo”. Segundo ele, a produção é 100% nacional, com recursos levantados no país, e os diretores, sejam brasileiros ou estrangeiros, trabalharão ao lado das equipes brasileiras. “É uma grande produção que terá repercussão internacional, projetando o nome da cidade e do país”, destaca.

Já estão confirmados para dirigir episódios, os cineastas Fernando MeirellesJosé Padilha, Andrucha WaddingtonCarlos Saldanha. Ao todo, serão dez diretores, entre nacionais e estrangeiros, e as filmagens começarão em julho de 2013.

A escolha do curta a ser incluído no DVD será feita em duas etapas. Na primeira, três filmes serão selecionados por um júri formado por Ilda Santiago, do               Festival do Rio, Julio Worcman, do portal Porta-Curtas, Ailton Franco, da Mostra de Curtas, e Leonardo Monteiro de Barros, da Conspiração. Na segunda fase, os três filmes serão postados na página do movimento no Facebook, para a escolha final pelos seguidores. As inscrições podem ser feitas no site               www.rioeuteamo.net/concursos/curta.

RIO de JANEIRO: História de Amor com a cidade para ganhar as telas do mundo…

Trilhas do FECIM: Aprender Cinema de graça em Muqui…

Cavi Borges e Luiza Lubiana vão ministrar oficinas. Inscreva-se !

Beleza preservada: Muqui tem o maior sítio histórico tombado no Espírito Santo

Abertas inscrições para as oficinas de realização audiovisual promovidas pelo 1º Festival de TV e Cinema Independente de Muqui, o FECIM. As oficinas serão ministradas pelos cineastas Cavi Borges (RJ) e Luiza Lubiana (ES), e acontecerão na antiga Estação Ferroviária do município.

Cavi Borges: convidado a transmitir lições de produção no I FECIM…

As oficinas são gratuitas, mas as vagas são limitadas e não necessitam de requisito. Para efetuar a inscrição, basta enviar e-mail para contato.fecim@gmail.com solicitando interesse na participação. O Festival acontece de 1 a 4 de novembro, no sítio histórico de Muqui.

Outras informações: www.fecim.com.br 

De 1 a 3  de novembro 

Oficina:  Roteiro para cinema e Vídeo – estendendo para decupagem e roteiro técnico, linguagem cinematográfica e Direção.

Ministrante: Luíza Lubiana

Local: Auditório Wolfango Ferreira / Estação Ferroviária de Muqui

HORÁRIO: 9h às 11h

25 vagas 

PALACETE BIGHI: sede da SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO, CULTURA, ESPORTE e LAZER de Muqui…

Dia 2/11

Oficina: Produção colaborativa e em rede  de parcerias.

Ministrante: Cavi Borges (RJ)

Local: Auditório Wolfango Ferreira – Estação Ferroviária de Muqui.

Às 14h         30 vagas

UM POUCO MAIS SOBRE MUQUI

O clima nostálgico faz parte da viagem à Muqui. As construções preservadas, a antiga Estação Ferroviária, a rua principal – que, por toda a sua extensão, acompanha a linha do trem -, e a imponência da Igreja Matriz, localizada nessa mesma rua.

Muqui nasceu em 1902 e em 1912 tornou-se. Daí, estarmos no ano do Centenário de MUQUI, a Cidade Menina… 

Na época do café, Muqui foi um pólo produtor, uma cidade rica, na qual viviam as famílias do café, da aristocracia cafeeira. Além da contribuição arquitetônica, o passado musical é outro forte da cidade, também herança da exuberância econômica deste ciclo do café.

Casario antigo do Centro Histórico de Muqui, berço do café e de grande tradição musical..

Para se ter uma pequena ideia, Muqui conta com mais de 50 pianos, todos antigos – com 80 a 100 anos de vida, em bom estado de conservação e, muitos, em plena atividade. Além disso, os muquienses apreciam e são acostumados com a música clássica até hoje.

PALACETE GERALDO VIANA, um dos mais bonitos do centro de Muqui…

Assim,  MUQUI é conhecida principalmente pela preservação de grande parte dos casarios construídos  no começo do século XX (época áurea do ciclo do café), e por sua riqueza cultural, representada nas manifestações folclóricas e artísticas, sobretudo através do Carnaval do Boi Pintadinho e do Encontro Nacional de Folia de Reis.

Folia de Reis: manifestação típica tem muita força em Muqui…

Ceará mostra sua Holliúdy em Sampa

Novo longa do cineasta cearense HALDER GOMES está na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo…


Após a boa receptividade nos festivais de Brasília (Mostra  Panorama Brasil) e  Cine Ceará,  o longa CINE HOLLIÚDY, do cineasta Halder Gomes, será exibido na 36ª Mostra  Internacional de Cinema de São Paulo. Único representante do cinema  cearense, CINE HOLLIÚDY vai concorrer ao Prêmio Itamaraty.

Roteiro  vencedor do Edital do Ministério da Cultura para Filmes de Baixo Orçamento, CINE HOLLIÚDY  foi inspirado no curta-metragem O Astista Contra o Caba do Mal. O curta, obra do próprio Halder, participou de mais de 70 festivais em 20  países, vencendo cerca de 40 prêmios.

No eclético elenco de CINE  HOLLIÚDY , destacam-se Edmilson Filho, Miriam  Freeland, Roberto Bomtempo, Fiorella Mattheis e Angeles Woo, filha do cineasta  John Woo. Uma curiosidade: por ser fiel ao “cearensês”, o filme apresenta  legendas em português.

Ainda em 2012, o longa – uma declaração de amor ao cinema – representará o Brasil no 10th The World Film Festival of Bangkok, em novembro. CINE  HOLLIÚDYestreia comercialmente no primeiro semestre de 2013, com distribuição da Downtown Filmes.

Miriam Freeland tem participação em Cine Holliúdy

ELENCO

Edmilson  Filho, Miriam Freeland, Joel Gomes, Roberto Bomtempo, Angeles Woo, Fiorella  Mattheis, Fernanda Callou, João Netto, Karla Karenina, Marcondes Falcão, Haroldo  Guimarães, Rainer Cadete, Márcio Greyck, Jorge Richie, João Pedro Delgado,  Jesuíta Barbosa.

FICHA  TÉCNICA

2012, ficção, 90 minutos, cor.

Diretor/produtor/roteirista:  Halder Gomes

Produtores  executivos: Halder Gomes, Dayane Queiroz

Produtor  Associado: Edmilson Filho

Diretora  de Fotografia: Carina Sanginitto

Diretora  de Arte: Juliana Ribeiro

Figurino:  Jô Fontelles

Som  direto: Alfredo Guerra

Mixagem:  Érico “Sapão” Paiva

Montagem:  Helgi Thor

Efeitos  visuais: Márcio Ramos

Música  original: Herlon Braz

Coreógrafo:  Edmilson Filho

Edmilson Filho: ator cearense radicado nos EUA, protagonista de Cine Holliúdy…

 

Cine Holliúdy – Pequeno Glossário de Cearensês

AÍ DENTO – RESPOSTA A QUALQUER PROVOCAÇÃO.

ABESTADO – APALERMADO,  IMBECIL, IDIOTA, ESTÚPIDO. PESSOA QUE NÃO ENTENDE DE NADA. EM NOTÓRIA ALUSÃO AO  ANIMAL, OU SEJA, UMA BESTA.

ALFININ – ESPÉCIE DE RAPADURA.

ANDE TONHA! – YESSSSSSS!

ARRE ÉGUA! – INTERJEIÇÃO QUE PODE SIGNIFICAR QUALQUER COISA, A DEPENDER DO TOM DE VOZ E DA OCASIÃO (ALEGRIA,  IRRITAÇÃO…).

BAITOLA – GAY. (A PALAVRA TEM ORIGEM NA CONSTRUÇÃO DA PRIMEIRA ESTRADA DE FERRO  DO CEARÁ. O CHEFE DA OBRA ERA UM  ENGENHEIRO INGLÊS, COM UM JEITO AFEMINADO, QUE REPETIA “ATENÇÃO PARA A BAITOLA” , REFERINDO-SE A BITOLA.

BILOTO – BOTÃO.

CANGAPÉ – CHUTE RODADO.

CATREVAGE – COISA VELHA.

CU  DO MUNDO – LUGAR  MUITO DISTANTE.

DIABÉISS? – QUE DIABO É ISSO?  QUE É ISSO ?

EXPRESSÃO, DEBOCHADA, DE ESPANTO: “DIABÉISS MENINA, QUE SAIA CURTA É  ESSA?”.

ISPILICUTE – DO INGLÊS “SHE’S PRETTY CUTE”: ENGRAÇADINHA, MULHER MUITO  FACEIRA.

MACHO OU MACHO RÉI – CARA, AMIGO: “OLÁ MACHO  RÉI!”

MEUZÓVO – EXPRESSÃO DE DISCÓRDIA, “UMA OVA”.

“JUCA É UM POLÍTICO HONESTO — HONESTO MEUZÓVO!”

ÔI DA GOIABA – TERMINAL DO TUBO DIGESTIVO.

MÓI DE CHIFRE (OU CHÍFI) – CORNO.

TIRA A MACAÚBA DA BOCA ! – QUANDO ALGUÉM FALA DE FORMA ININTELIGÍVEL, VOCÊ DIZ ISSO PARA ELA.

INDARRAI – PALAVRA INDIANA, AINDA INÉDITA NA INDIA, QUE SUGERE UMA NOVA TENTATIVA A QUEM ACABOU DE SE ESTREPAR.

MAH – CONTRAÇÃO PRA MACHO. USADO EM QUALQUER CONVERSA  ENTRE HOMENS PRA COMECAR E TERMINAR QUALQUER FRASE.

DAR O PREGO – (NO  INFINITIVO) QUEBRAR, DESMANTELAR, PIFAR. “O CARRO  DEU O PREGO”.

COISAR – VERBO QUE SERVE COMO SUBSTITUTO DAQUELE QUE A PESSOA ESQUECE OU NÃO QUER,  EXATAMENTE, USAR. “ACHO QUE ESSA MENINA TÁ COISANDO COM O NAMORADO!…”. “ACHO  QUE ESTE LEITE TÁ COISADO (ESTRAGADO)!”. “MULHER QUE NÃO SABE COISAR ACABA  PERDENDO O MARIDO !…”.

COISATIVO– DO VERBO COISAR.

LEROWHITE– LERO,LERO, EM  INGLÊS. QUER DIZER, EM CEARENSÊS.

JOIADO– ALGO MUITO BOM, BACANA.

AMUFINADO– MURCHO, TRISTE, SEM VONTADE PRA NADA.

SE  AMOSTRAR– SE EXIBIR PARA OS OUTROS.

CHIBATA– CHICOTE. TAMBÉM UMA ALUSÃO AO ÓRGÃO SEXUAL MASCULINO.

TABACUDA– BUCETUDA.

PERISTÔNIO– ÓRGÃO PRÓXIMO DA PLEURA CENTRAL DA PERIDURAL.

PEGAR  O BÊCO– SAIR FORA.

SOLA  NO ESPINHAÇO– PÊIA MUITA.

MÃO  DE PÊIA– COBRIR DE PORRADA.

AMILTON  MELO– UM DOS MAIORES CRAQUES DO FUTEBOL CEARENSE.

CARNIÇA– AGREMIAÇÃO DO CEARÁ SPORTING CLUBE.

DO  TEMPO QUE O KING KONG ERA SOIM– ALGO MUITO ANTIGO.

FRANGA  DE URUBU– COISA MUITO FEIA. UM ASSOMBRO.

MAIS  INVOCADO DO QUE CORRIDA DE PATO ! – ALGO PRA LÁ DE  IMPRESSIONANTE.

FROGOIÓ– MULHER RUIVA.

PIRANGUEIRO– SUJEITO FOLGADO QUE QUER TUDO DE GRAÇA.

RUMA– UM MONTE DE QUALQUER COISA.

Halder Gomes: cineasta faz bela homenagem à sua terra, o Ceará, e provoca risos na plateia com uma comédia onde o Cinema é o grande foco…

Para saber mais, acesse: http://cineholliudy.wordpress.com/

E veja na web: Cine Holiúdy – O Astista Contra o Caba do Mal

http://www.youtube.com/watch?v=pHqb2AsD9e4

Selton Mello consagrado no Grande Prêmio Brasil com ‘O Palhaço’

Filme do ator venceu em 12 categorias e Deborah Secco foi eleita MELHOR ATRIZ

A LISTA COMPLETA DOS VENCEDORES do GRANDE PRÊMIO BRASIL DE CINEMA BRASILEIRO

Melhor Roteiro Original: MARCELO VINDICATTO e SELTON MELLO por O Palhaço
Melhor Roteiro Adaptado: ANTONIA PELLEGRINO, HOMERO OLIVETTO e JOSÉ CARVALHO por Bruna Surfistinha. Adaptado da obra “O Doce Veneno do Escorpião” de Bruna Surfistinha
Melhor Figurino: KIKA LOPES por O Palhaço
Melhor Maquiagem: MARLENE MOURA e RUBENS LIBÓRIO por O Palhaço
Melhor Direção de Arte: CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por O Palhaço
Melhor Trilha Sonora Original: PLÍNIO PROFETA por O Palhaço
Melhor Trilha Sonora: VLADIMIR CARVALHO por Rock Brasília
Melhor Som: JORGE SALDANHA, MIRIAM BIDERMAN, RICARDO REIS e RODRIGO NORONHA por O Homem do Futuro Melhor Longa-Metragem Estrangeiro: MEIA NOITE EM PARIS (EUA / Espanha) – dirigido por Woody Allen. Distribuição: Paris Filmes
Melhor Curta-Metragem de Ficção: PRA EU DORMIR TRANQUILO dirigido por Juliana Rojas
Melhor Curta-Metragem Documentário: A VERDADEIRA HISTÓRIA DA BAILARINA DE VERMELHO dirigido por Alessandra Colassanti e Samir Abujamra

“O céu no andar de baixo”: premiadíssima no país e no mundo, animação mineira de Leonardo Cata Preta vence Grande Prêmio…
Melhor Curta-Metragem de Animação: O CÉU NO ANDAR DE BAIXO dirigido por Leonardo Cata Preta
Melhor Fotografia: ADRIAN TEIJIDO, ABC por O Palhaço
Melhor Montagem de Ficcção: MARILIA MORAES e SELTON MELLO por O Palhaço
Melhor Montagem Documentário: PEDRO KOS por Lixo Extraordinário
Melhor Efeito Visual: CLÁUDIO PERALTA por O Homem do Futuro
Melhor Atriz Coadjuvante: DRICA MORAES como Larissa por Bruna Surfistinha

Melhor Ator Coadjuvante: PAULO JOSÉ como Valdemar/Palhaço Puro Sangue por O Palhaço
Voto Popular para Melhor Longa-Metragem Estrangeiro: RIO Voto Popular Melhor Longa-Metragem Documentário: QUEBRANDO O TABU Voto Popular Melhor Longa-Metragem de Ficção: O PALHAÇO
Menção honrosa Longa-Metragem de Animação: BRASIL ANIMADO 3D de Mariana Caltabiano
Melhor Longa-Metragem Infantil: UMA PROFESSORA MUITO MALUQUINHA de André Alves Pinto e Cesar Rodrigues. Produção: Diler Trindade por Diler & Associados
Melhor Longa-Metragem Documentário: LIXO EXTRAORDINÁRIO de João Jardim, Karen Harley e Lucy Walker. Produção: Hank Levine por O2 Filmes e Angus Aynsley por Almega Projects
Melhor Ator: SELTON MELLO como Benjamim/Palhaço Pangaré por O Palhaço

Deborah Secco: atriz esbanjou charme e beleza na noite em que ganhou merecido troféu por sua contundente atuação em “Bruna Surfistinha”…
Melhor Atriz: DEBORAH SECCO como Bruna Surfistinha por Bruna Surfistinha
Melhor Diretor: SELTON MELLO por O Palhaço
Melhor Longa-Metragem de Ficção: O PALHAÇO de Selton Mello. Produção: Vânia Catani por Bananeira Filmes

Drica Moraes e Paulo José no palco do Theatro Municipal do Rio: ator recebe  merecida estatueta de Melhor Ator Coadjuvante por O Palhaço

Vinícius de Moraes: às vésperas do centenário do Poeta

“Eu sou o amanhã universal porque vivo e me mato a cada instante, num silêncio que fecunda o amor, num amor de onde floresce o sonho, num sonho que recria a vida, numa vida de onde nasce a morte, numa morte que se nutre do amanhã”.

CCBN promove curso sobre VINICIUS DE MORAES, antecipando-se às celebrações pelo CENTENÁRIO do POETA do AMOR 

Curso é gratuito e será ministrado pela jornalista e atriz Aurora Miranda Leão 

Poeta brasileiro dos mais férteis, de literatura apreciada internacionalmente, e figura das mais emblemáticas da cultura brasileira, Vinícius de Moraes (VM) é o tema do curso que o Centro Cultural Banco do Nordeste promove na semana de aniversário do Poeta.

Com o violonista Toquinho, a parceria mais fértil, que durou a vida inteira…

O curso é gratuito e será ministrado pela jornalista e atriz Aurora Miranda Leão, apreciadora da obra do Poeta e grande estudiosa de sua obra. O objetivo é ampliar o leque de informações sobre a obra do Poeta e sua trajetória na cultura brasileira, estimular a percepção sobre a importância dessa obra, e incentivar a reflexão e posicionamento crítico para melhor fruição do legado de Vinícius, despertando o interesse pelo conhecimento desta obra tão importante e fundamental para a Cultura Brasileira.

Vina e Helô Pinheiro, a eterna Garota de Ipanema

As aulas pretendem funcionar como ferramenta para aguçar noções e/ou despertar a curiosidade do aluno, reavivando conhecimentos na área da literatura ou despertando a vontade em saber mais sobre tão importante criador da Literatura Brasileira.

Vinícius de Moraes e Maria Bethânia, pra quem o Poeta deixou uma lacuna sem solução…

Aurora conta: “... primeiro, encantou-me a beleza de sua música. Depois, a força de seus versos e a riqueza de sua trajetória de vida nos impulsionaram a enveredar pelo estudo mais minucioso de sua vasta obra e suas muitas implicações. Em Vinícius, tudo está imensamente conduzido pela emoção e não há como distinguir cotidiano profissional e vida pessoal, tal a intensidade do mergulho que o poeta sempre fez, onde quer que estivesse. Desde o impedimento oficial de prosseguir na carreira diplomática, passando pela criação do Hino da União Nacional dos Estudantes (em tempos de supressão das liberdades democráticas) e o grande incômodo causado ao poder constituído por conta de seu comportamento transgressor e defesa intransigente da liberdade, até chegar à consagração como o grande intelectual da Bossa Nova, VM tornou-se um dos mais queridos artistas brasileiros”.

Ao lado do grande músico Pixinguinha, amigo de todas as horas, e sobre quem o Poeta dizia ser a melhor pessoa que conheceu na vida…

O curso Percorrendo o itinerário do poeta às vésperas de seu centenário será ministrado a partir de terça-feira, na Vila das Artes, e inscrições são aceitas até a hora do início do curso.

Ao lado de Tom Jobim, o Poeta criou algumas das mais belas pérolas do cancioneiro brasileiro…

O conteúdo a ser ministrado nasceu de um trabalho acadêmico apresentado pela jornalista Aurora Miranda Leão no X Congresso da Sociedade Argentina de Análise Política, realizado ano passado em Córdoba, na Argentina. A aceitação foi tanta que Aurora resolveu transformar a pesquisa apresentada em território argentino em aulas que pudessem ser transmitidas a seus conterrâneos e aos muitos estudiosos da cultura brasileira e apreciadores de Vinícius de Moraes, os quais, assim, terão uma oportunidade rara de conhecer e debater sobre a obra do Poeta.

Vinícius e o poeta francês Pierre Seghers: facilidade notória em fazer grandes amigos…

O centenário de Vinícius de Moraes será celebrado em 19 de outubro de 2013. Portanto, o curso que o CCBN ora oferece acontece justamente na semana em que se celebram os 99 anos do Poeta mais querido da Língua Portuguesa, “O único de nós que viveu como poeta”, conforme dizia o também saudoso poeta Carlos Drummond de Andrade.

Vina, Tom e Chico Buarque: amigos e parceiros…

Para a orientadora do curso, “Em se tratando de Vinícius de Moraes, é quase imperceptível a fronteira entre obra e vida pessoal. Seu legado, mais recorrente quanto mais avança a história no tempo, faz com que aflorem sempre novos olhares sobre a biografia do homem Vinícius e constantes releituras de sua vultosa obra, na qual é possível observar, com freqüência, o empenho na defesa intransigente da liberdade de expressão, o amor às mulheres, o respeito ao negro e o carinho com as crianças”.

SERVIÇO

“Vinícius de Moraes – Percorrendo o itinerário do Poeta às vésperas de seu centenário”

Curso gratuito sobre VINÍCIUS DE MORAES

Com Aurora Miranda Leão

Onde: Vila das Artes

Data e Hora: de 16 a 19 de outubro, de 14:30h às 17:30h

Mais informações: 3464.3108 e 8511.0014

Vinícius de Moraes e o Rei Roberto Carlos: admiração recíproca…

Só sei que é preciso Vinícius de Moraes…

Centro Cultural Banco do Nordeste antecipa-se às celebrações pelo Centenário do Poeta e promove curso gratuito na Vila das Artes

Curso começa na terça-feira e inscrições ainda podem ser feitas até a hora do início da primeira aula…

PANORÂMICARAXÁ 4: ainda imagens do Araxá Cine Festival

AURORA DE CINEMA direto do Araxá Cine Festival

O imponente Tauá Grande Hotel & Termas de Araxá, que hospedou todos os convidados do Araxá Cine Festival

Estar em Araxá foi uma experiência especialmente feliz, que de tão leve e bacana, pode até ser chamada de Mágica.

Motivada pelo honroso convite de minha querida amiga Débora Torres, mulher aguerrida, cineasta determinada, e exímia produtora executiva, Débora idealizou um festival de cinema para a cidade mineira, e há três anos, vinha alimentando com fartura de boas ideias e incrível disposição para o trabalho, o sonho de plantar, regar e ver crescer um festival de cinema ali.

E assim foi. De 10 a 16 de setembro deste 2012, Araxá se viu transformada em Capital do Cinema Brasileiro.

A calmaria e a beleza estonteante do Grande Hotel e seu entorno…

Cineasta Aluizio Abranches ministrou workshop super concorrido…

Belezas de Araxá são naturalmente cinematográficas…

Secretária Alda Sandra e um presente de Araxá para Murilo Rosa…

Oscar Magrini entrega Troféu Araxá Terra do Sol para Tizuka Yamazaki…

Débora Torres e Alberto Araújo chegando ao Cine Teatro Tiradentes…

O diretor de Arte, Oswaldo Lioi, recebe homenagem das mãos do cineasta Alberto Araújo…

Oswaldo Lioi agradece homenagem e ressalta importância do Araxá Cine …

Alberto Araújo, Patrícia Naves, Odair Fialho e Berenice Lamônica…

Antônio Leão autografa seu festejado Dicionário de Curtas e Médias

Aurora Miranda Leão autografa o livro do pai (LG de Miranda Leão), Ensaios de Cinema, organizado por ela…

O Embaixador Lauro Moreira agradece Homenagem do Araxá Cine Festival

Júlio Carvana apresenta o filme do pai, Não se preocupe, nada vai dar certo

Flavinho Guarnieri e Carla atravessam o Tapete Vermelho do Araxá Cine

Mallu Moraes: elegância no Tapete Vermelho do Araxá Cine Festival…

O realizador araxaense Juliano Guerra e a jornalista Aurora Miranda Leão…

Denise Fraga e Roberto Carlos Ramos, o “Contador de Histórias” do filme homônimo de Luís Villaça…

Denise Fraga, Aurora Miranda Leão e Ju Colombo: mulheres de Cinema em Araxá…