MUQUI, Centenária e Cinematográfica…

A cidade capixaba de MUQUI vive o ano de seu centenário.

E pra marcar de forma relevante e auspiciosa a importante data, o jovem Léo Alves idealizou um festival para dar visibilidade ao potencial artístico de MUQUI, congregando, num mesmo cenário, e em diversas energias, conversas, painéis, momentos artísticos e debates, o Cinema e a TV brasileiros.

Assim nasceu o FECIMFestival de TV e Cinema Independente de Muqui.

Conhecida como “cidade menina”, a bucólica MUQUI se prepara ativamente para a realização do primeiro festival que vai colocar o Audiovisual no centro das discussões do município capixaba. É intenção do FECIM contribuir para fazer Muqui crescer, viajando e vivendo novas experiências.

O AURORA DE CINEMA está embarcando com eles !

Léo Alves: há meses, trabalhando intensamente pela realização do FECIM…

O 1º Festival de TV e Cinema Independente de Muqui FECIM – é uma ação cultural realizada pelo Grupo Cultural ETC, coletivo de jovens realizadores deste município, em parceria com a Escola de Música Manoel Vicente de Castro. O objetivo da iniciativa é homenagear a cidade em seu ano de centenário, expandindo suas vertentes culturais e ampliando o diálogo cinematográfico capixaba, promovendo o debate, o fomento, a valorização e a exibição de obras audiovisuais de artistas e núcleos independentes do Estado do Espírito Santo.

O FECIM pretende criar um mecanismo capacitador e potencializador na área cinematográfica, viabilizando o intercâmbio de ideias e de fusão cultural, fazendo do Sítio Histórico de Muqui o cenário de um novo polo de referência na área.

Parcerias e convidados especiais

O FECIM, motivo de orgulho para jovens realizadores, já possui muitas parcerias confirmadas. Além da Secretaria de Cultura do Espírito Santo, Instituto Sincades e da Prefeitura de Muqui, o Vitória Cine Vídeo tornou-se grande apoiador da iniciativa, marcando presença na programação infantil com a Mostrinha VCV. Além disso, TV Gazeta Sul, Rede Cultura Jovem, Canal Futura, Canal Brasil e produtoras locais apóiam igualmente o projeto.

Nomes de peso do cenário da teledramaturgia e do audiovisual também já confirmaram presença. Estarão em Muqui, por exemplo, as teledramaturgas Duca Rachid e Thelma Guedes (novela Cordel Encantado); o produtor carioca Cavi Borges; Bernadette Lyra; João Alegria; e Eduardo Nassife, entre outros.

A programação do FECIM ainda está sendo fechada mas sabe-se que será variada o bastante para agradar aos mais diversos gostos, incluindo mesas-redondas, salas de bate-papo, mostras competitivas e paralelas, além de shows com bandas locais, cortejos de poesia, oficinas, desfile de moda e evento de literatura para crianças.

2012 – O ano do centenário de Muqui

Neste 2012, Muqui completa 100 anos. A cidade responde pela alcunha de “menina” e tem o maior acervo arquitetônico do Espírito Santo. Também é composta por rebuscado e eclético casario que remonta à segunda metade do século dezenove.

Segundo Léo Alves“A tradição e a memória são traços marcantes da história de MUQUI, mas não podem ser petrificadas por conta do conservadorismo. É necessário romper com o artificialismo gerado pela indústria turística, criando bases e frutos para a reflexão de uma cultura viva, dinâmica e livre de encenações”.

Visão do sítio histórico de Muqui, que vai respirar Cinema e TV em novembro…

Neste centenário, os jovens organizadores do FECIM pensam em formas de discutir e preservar o passado, remodelando o presente e pautando o futuro por meio de atividades culturais inovadoras e intensas.

Nos últimos anos, as belezas naturais, históricas e culturais de Muqui ganharam destaque em diversas produções artísticas e culturais independentes, como filmes (curtas e longas-metragens), além de livros e ensaios fotográficos.

Comprovada a riqueza cenográfica do município, somado ao fato de que esses materiais produzidos nem sempre são divulgados e perpetuados pela própria população, vê-se aqui a importância de difundir todo e qualquer tipo de trabalho audiovisual produzido ao longo da história do município capixaba.

Assim, prossegue Léo Alves, “O FECIM é a primeira grande iniciativa idealizada por jovens com o intuito de tirar da gaveta produções independentes realizadas no Espírito Santo,  além de dar visibilidade a uma cidade que, em pleno centenário de emancipação política, ainda parece emperrada em práticas conservadoras e não condizentes com a realidade global. A proposta do Festival é quebrar os muros invisíveis e aparentes que impedem a evolução da cidade, a partir da utilização de  formas híbridas, mutantes e tecnológicas do cenário atual”.

Por essas e outras, e pela forma aguerrida e lúcida de Léo Alves arregimentar forças e apoios diversos visando a criar um espaço onde o Audiovisual tenha destaque, e as riquezas de sua cidade recebam o apoio, aplauso e incentivo que merecem, é que este AURORA DE CINEMA apóia, desde o início, a realização do I FECIM.

O Palacete Bighi, atual sede da Secretaria de Cultura e Turismo de Muqui… Que venham os dias afiados e agitados de Cinema e TV na centenária e apaixonante MUQUI !

VIVA O I FECIM !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s