Arquivo do mês: fevereiro 2013

Cultura de Muqui em Folias de Cinema pra europeu ver

Encantadora turma de jovens da cidade capixaba é liderada pelo jovem escritor, artista e cineasta LÉO ALVES

Jovens realizadores culturais da pequenina Muqui, uma adorável cidade situada ao Sul do Espírito Santo, tem uma ‘dura’ missão: representar a cultura capixaba num Intercâmbio Cultural, agendado pra março, na Europa. Coisas que esta turma vai tirar de letra, experts que são no trato com a Arte e a Cultura.

Este AURORA DE CINEMA viu de perto  – durante a realização do I FECIM (Festival de TV e Cinema Independente), realizado em setembro passado -, e tivemos oportunidade de comentar aqui o show de acertos que foi o Festival.

Desde então, MUQUI e esta jovem e aguerrida turma comandada por Léo Alves não saíram mais do nosso coração e da nossa memória afetiva.

Léo Alves e Jussan Silva e Silva levam o FECIM a Luana Piovani…

Contemplados pelo edital de Intercâmbio e Difusão Cultural, desenvolvido pelo Ministério da Cultura, e pelo Edital de Locomoção da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, participantes de três coletivos culturais de Muqui – ligados às artes, à música e ao audiovisual – terão a oportunidade de participar de diversas atividades em Portugal. Um acerto dos avaliadores dos dois editais, que, sem dúvida, será muito bem aproveitado por estes coletivos de MUQUI.

O Grupo Cultural ETC, Os Muquiranas e o Grupo de Música Manoel Vicente de Castro são coletivos que participarão do intercâmbio-viagem. Entre as ações previstas para a viagem, o carro-chefe é a exibição do documentário O Palhaço Menino, produção dos jovens do Grupo Cultural ETC, dirigido por Léo Alves, tendo como foco a histórica e bela manifestação das Folias de Reis.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc de Léo Alves que será exibido em Portugal…

A exibição do Doc de Léo acontecerá em OVAR, cidade portuguesa que mantém a tradição das Trupes de Reis e que também serviu de cenário para as gravações da obra em 2011.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc que evidencia beleza da cultura popular…

Além disso, participantes das Folias de Reis também estarão em Portugal, proporcionando a chance de difundir e valorizar as culturas capixaba e nacional. O jovem Wilson Diniz, de 23 anos, Mestre da Folia de Reis “Missão Divina”, está ansioso: “Será uma grande experiência, uma viagem que vou levar para a vida toda. É uma grande alegria poder levar a Folia de Reis para o lugar onde ela se originou”, conta. A iniciativa tem apoio do projeto “Ano do Brasil em Portugal” da Funarte e do Ministério da Cultura.

Léo Alves: talento, inteligência e sensibilidade realizando relevantes ações culturais e amealhando parcerias por onde passa…

Outra atividade a ser desempenhada em Portugal é a gravação da 2ª temporada da série de web TV Dentro e Fora de Casa, projeto em formato de reality show que teve a 1ª temporada patrocinada pelos editais do Programa Rede Cultura Jovem da Secult.

Jussan Silva e Silva, um dos integrantes do coletivo cultural ETC, outra grande força criativa de Muqui…

Gravada em 2012, a web série objetivava valorizar o estado do Espírito Santo ao levar três jovens a três cidades capixabas que eles desconheciam, registrando histórias e contribuindo para o diálogo intercultural entre as comunidades. Jáa as gravações em Portugal começarão na Universidade do Porto, onde será retratada a vida de estudantes brasileiros que residem no país.

Foto: Léo Alves, diretor do documentário "O Palhaço Menino: histórias de quem, desde pequeno, sonha e vive as Folias de Reis", retornará à Portugal, em março, para exibição da obra em Ovar, cidade que foi cenário para a produção e que possui a tradição das "Trupes de Reis". A "Folia de Reis" é uma manifestação cultural popular trazida ao Brasil pelos europeus, mais precisamente portugueses, no período da colonização.

Léo Alves preparando para nova temporada em Portugal…

Para Léo Alves, diretor da série, a viagem proporcionará maior visibilidade às ações, além de servir como incentivo aos participantes: “Temos construído uma história cultural muito interessante em Muqui. Os coletivos culturais da cidade têm promovido a valorização dessa cidade histórica cheia de expressões culturais. A viagem tende a contribuir decisivamente para a cultura do Espírito Santo e para o fomento de nossas atividades”.

Aguinaldo Silva em depoimento à TV FECIM, sendo registrado por Léo Alves

Cortejo quase saindo

Na edição de estreia do FECIM, os jovens de Muqui e a presença Aurora de Cinema… Saraváaaaaaa !

Livro de Felipe Brida é um mergulho no mundo do Cinema

Cercado de amigos e interessados na Sétima Arte, autor lançou seu livro de estreia em CATANDUVA, sua cidade natal…

Uma enorme fatia de amigos, estudantes, profissionais da área cultural, e interessados em Cinema de modo geral compareceram a noite de lançamento do livro CINEMA EM FOCO, de autoria do jornalista/radialista/blogueiro e professor universitário FELIPE BRIDA. Sem dúvida, o momento revestiu-se num dos mais concorridos lançamentos literários dos últimos tempos em Catanduva, numa bela noite que teve como cenário o espaço do SESC.

Felipe autogr

Felipe Brida autografando seu livro de estreia como crítico de cinema em concorrida noite em Catanduva…

O livro Cinema em Foco – Críticas Selecionadas, do jornalista e crítico de cinema paulista Felipe Brida, reúne 290 resenhas de filmes de sua autoria, publicadas ao longo de uma década, em diversos veículos de comunicação de todo o país, como sites, boletins eletrônicos, jornais, blogs e revistas.

São 356 páginas que contém minuciosas análises de filmes que marcaram a história, de todos os gêneros e épocas. Conta com prefácio da atriz e produtora de cinema Aurora Miranda Leão, além de notas do jornalista Marcelo Pestana e palavras do renomado produtor e cineasta baiano Walter Webb.

Felipe Brida e Thatiana Pizarro na noite do lançamento em Catanduva…

QUEM É FELIPE BRIDA

Felipe Brida é jornalista formado pela Unirp – Centro Universitário de Rio Preto e especialista em “Artes Visuais e Intermeios” pela Unicamp. Pesquisador de cinema desde 1998 e professor de Comunicação e Semiótica no Imes Catanduva, ministra cursos de extensão e workshops de História da Arte Contemporânea e História do Cinema em faculdades e festivais de cinema em todo o país (como Anápolis e Goiânia/GO, Brasília/DF, São Paulo/SP, Bagé/RS e Belém/PA). Comentarista de cinema na rádio Globo e na Nova TV, também publica críticas de cinema no jornal “O Regional”, nos sites “E-pipoca”, “Observatório da Imprensa” e “Argumento.net”, no clipping eletrônico “Colunas & Notas”, na revista “Middia Magazine” e no informativo semestral da Unesp/Bauru. Mantém dois blogs de cinema (“Cinema na Web” e “Setor Cinema”). Trabalhou como repórter e comentarista de cinema na rádio Jovem Pan de Catanduva, no jornal Notícia da Manhã, na rádio Bandeirantes e na revista Maxxis.

Aurora Miranda Leão, Murilo Rosa e Felipe Brida durante a primeira edição do Festival de Cinema de Anápolis, em 2011…

ALGUMAS PALAVRAS sobre CINEMA EM FOCO

Felipe era ainda um adolescente quando o cinema começou a dominar sua atenção. Enveredou pelo jornalismo e desde 1998 pesquisa sobre a Sétima Arte. Essas vivências só ratificaram sua decisão de seguir na trincheira da Arte, da Cultura e da Comunicação. Especializou-se em Artes Visuais e Intermeios pela Unicamp, e tornou-se professor de História da Arte, Semiótica e Comunicação em universidades paulistas. Ainda bem moço, este jornalista polifacético tem, no entanto, uma considerável bagagem cultural. Além de escrever sobre Cinema e manter dois sites, ele ainda arranja tempo para ministrar cursos e workshops, participar de festivais, estar sempre bem informado, e ser comentarista também no rádio.

Neusa Borges, Aurora de Cinema e Felipe Brida em noite memorável…

A presença de Felipe Brida, em todos os espaços onde atua, mostra o quanto pode contribuir positivamente alguém atuante na área com seriedade, responsabilidade e compromisso com a história. Quem dedica-se ao que faz com o empenho, proficiência e compromisso histórico como o autor de quem agora falamos dignifica a profissão e empresta um diferencial relevante para alavancar o entendimento do cinema como ferramenta muito mais funcional do que possa parecer num primeiro olhar, sem tempo suficiente para apreender conceitos.

Ler as críticas de Felipe Brida é um gostoso entretenimento e um benfazejo aprendizado. Porque a prosa dele é clara, expressiva e de fácil compreensão para quem quer se interesse por saber mais e melhor sobre um filme. Acertou em cheio ao escolher o ofício.

Brida e Leonardo 2011 foto AML

Felipe Brida e o ator Leonardo Medeiros durante encontro de Cinema…

Mais que um apanhado de várias críticas escritas ao longo de suas atividades em tantos meios diferentes, o livro de Brida é um generoso convite a todos os interessados em conhecer mais sobre cinema, cultura, arte, sociedade e contemporaneidade.

E é com imensa e afetiva satisfação que partilho este convite com você, leitor, na certeza de estar indicando uma valiosa fortuna crítica para sua estante cinéfila, em andamento ou por se fazer, pois será difícil ler o livro de Brida e não ficar com imensa vontade de rever muitos dos filmes por ele comentados, ou ir a uma locadora pegar a cópia correspondente ao título cuja leitura lhe aguçou mais a curiosidade.

Felipe e a mãe

Felipe Brida na noite de lançamento em Catanduva, ao lado da mãe Fátima Boso…

Recomendo a leitura porque foi com encantamento pelo profundo sentido de objetividade, síntese, boa informação, coerência e clareza – pilares do bom jornalismo – que as palavras de Brida de imediato me tocaram, há alguns anos, quando comecei a descobrir seus textos em andanças pela web, muito antes de vir a desfrutar de sua amizade leal, sincera, afetuosa e cheia de imagens a tracejar linhas de empatia e emoções a transpassar ideias sonoras e visuais, as quais o acompanham sem o menor sentido de convencimento mas encravadas na alma de um profissional cujo trabalho espelha amor ao que faz, e muito respeito e apreço pela sua audiência.

O livro de Felipe Brida, portanto, é digno de nosso melhor aplauso e o deve ser de sua melhor leitura. Portanto, vamos a ela !

Em noite festiva, Felipe Brida, o poeta Jorge Salomão, a jornalista Aurora Miranda Leão e o cineasta Luís Alberto Cassol – Bagé, novembro 2012…

Inscrições de Teatro, Cinema e Música

O Teatro Arthur Azevedo, em São Luís, está selecionando espetáculos para a VIII Semana do Teatro no Maranhão, que acontecerá de 8 a 14 de abril na capital, e de 26 de abril a 5 de maio em outros municípios maranhenses.

A iniciativa é voltada a atores, diretores teatrais, grupos e companhias de teatro As inscrições vão até 11 de março, por meio de ficha que pode ser acessada no site www.cultura.ma.gov.br. Projetos individuais devem encaminhar email para o endereço semanateatroma2013@yahoo.com.br. Informações: (98) 3218-99.00, de segunda a sexta, das 14h às 18h.

************

 Escola de Cinema de Cuba 

A Coordenação dos Exames de seleção para a EICTV no Brasil comunica: estão abertas até 9 de março as inscrições ao Processo Seletivo 2013 / 2016. As provas serão aplicadas dias 15 e 16 de março em cinco cidades: Belo Horizonte, Recife, Florianópolis, Goiânia, e Belém. Serão oferecidas oito especializações, com duração de três anos, em Direção, Produção, Roteiro, Fotografia, Som, Documentário, Edição, e TV e Novas Mídias. Do Brasil, serão selecionados de quatro a seis candidatos. A ficha de inscrição e maiores informações podem ser acessadas no site da Fundação Joaquim Nabuco: www.fundaj.gov.br

*************

INSCRIÇÕES ao CURTA-SE

A Casa Curta-SE recebe inscrições à 13ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE). As inscrições vão até 13 de abril pelo site www.curtase.org.br

Este ano, os filmes estão divididos em cinco categorias: cinema digital, videoclipe, vídeo sergipano, vídeo de bolso e longa-metragem. Além das mostras competitivas, o festival oferece seminários, oficinas e cursos gratuitos e abertos ao público, além de mostras informativas, exibidas em espaços alternativos nas cidades do interior sergipano. A 13ª edição do Curta-SE acontecerá de 16 a 21 de setembro.

 BANDAS DE MÚSICA 

A Funarte irá distribuir gratuitamente, através do Prêmio de Apoio a Bandas de Música 2013, cerca de 150 instrumentos de sopro, visando a reconhecer e proporcionar a melhoria técnica e artística de conjuntos musicais. Esses conjuntos podem se enquadrar nas seguintes denominações: “Banda de música”, “Banda municipal”, “Banda sinfônica”, “Banda de concerto” e “Sociedade Musical”, sendo que cada proponente escolherá até cinco instrumentos. Inscrições até 21 de março.

Curta Amazônia recebe inscrições

Abertas até 20 de abril as inscrições de filmes para a quarta edição do Festival de Cinema Curta Amazônia.

Realizadores podem enviar seus filmes em mídia digital, sendo que o festival vai acontecer de 3 a 8 de junho em Porto Velho, Rondônia. As produções podem ser brasileiras e estrangeiras, incluindo-se este ano a categoria de média-metragem, atendendo a inúmeras solicitações de realizadores.

O festival, coordenado por Carlos Levy, avança na busca incessante de sua consolidação, criando janelas alternativas de exibição de filmes independentes, fortalecendo a cadeia produtiva do Cinema Brasileiro. Os filmes a serem selecionados deverão ter sido produzidos a partir de 1º de janeiro de 2008, nos gêneros de animação, experimental, documentário e ficção, além da categoria vídeoclipe de até 5 minutos.

Os filmes de curta-metragem devem ter duração de até 15 minutos; média-metragem até 69 minutos; e longa-metragem acima de 70 m e até 90 minutos, conforme padrão adotado pela Agência Nacional de Cinema. O nome do troféu aos vencedores da Mostra Competitiva será Troféu Arara Azul.

Saiba mais: www.curtamazonia.com

Wagner Moura de volta em novo filme

A Busca estreia em março e já tem site oficial

 A Busca 1

O filme A Busca, protagonizado por Wagner Moura, ganhou um site oficial incomum. Utilizando uma nova forma de navegação (chamada de parallax), o site apresenta os elementos da identidade visual do cartaz se desconstruindo na navegação de múltiplos backgrounds que parecem se mover, em velocidades diferentes ao conteúdo, numa linguagem não linear de ação e movimento que remete ao conceito do filme. Por ser desenvolvida em HTML5, a navegação diferenciada continuará idêntica em tablets e smartphones, e o conteúdo não será prejudicado em nenhuma dessas plataformas. Esse tipo de experimentação digital é inédito entre os sites de filmes nacionais.

A Busca 2

A Busca já marca presença na internet desde o final do ano passado –  quando participou do Festival do Rio (eleito Melhor Filme pelo Júri Popular) e Mostra São Paulo – contando com redes sociais como o Facebook, o Tumblr e o Youtube. Também será disponibilizado um aplicativo social onde, conectado pelo Facebook, o visitante poderá deixar recados para um amigo no site oficial, integrando um grande mural público de recados.

A Busca 3

O filme é uma produção da O2 Filmes, com coprodução da Globo Filmes, dirigido por Luciano Moura e tem distribuição pela parceria Downtown Filmes, Paris Filmes e RioFilme. Além de Wagner Moura, o elenco conta com Mariana Lima, Brás Moreau Antunes e participação especial de Lima Duarte. A estreia está agendada para 15 de março.
Trailer do filme: http://youtu.be/CX-hyid1ENQ
Site oficial: http://abuscaofilme.com.br

Fan page: http://facebook.com/filmeabusca

Youtube: http://youtube.com/filmeabusca

Tumblr do Pedro: http://pedrogadelha.tumblr.com

SESC Catanduva convida para lançamento de Cinema em Foco

Livro do jornalista FELIPE BRIDA é uma viagem por grandes filmes

Lanç Brida

Livro de FELIPE BRIDA é obrigatório para cinéfilos e estudantes de Cinema…

CARPINEJAR escreve às famílias e amigos das vítimas de Santa Maria…

NÃO DESISTAM DE VIVER

* Fabrício Carpinejar é jornalista, professor, poeta e escritor

A vontade é de abandonar o trabalho, não acordar mais, definhar abraçado ao travesseiro, encolher-se no canto e não erguer nem mais o braço para atender a porta e pedir ajuda. Nada tem mais sentido, e ordem.
A vontade é de não ter mais vontade.
Os filhos morreram, os irmãos morreram, os colegas morreram. Eu entendo.
Entendo que vocês levantarão, sobressaltados, às duas horas de todas as madrugadas de suas existências, que haverá sempre uma sirene abrindo as ruas do sangue, que será insuportável raciocinar diante de um alarme dos bombeiros ou de ambulância lá fora.
Entendo que a casa está vazia, como a cidade está vazia, como o corpo está vazio. Mas não podemos chorar a morte dos familiares se não valorizarmos nossa vida. Entendo que não será mais a vida idealizada, não será mais a vida planejada, não será mais a vida que merecíamos.
Mas ainda que seja uma vida desesperada, uma vida atormentada, uma vida traumatizada, ainda é a nossa vida. Ainda é a vida que ficou. Ainda a vida que temos que cuidar. Ainda é a vida que temos que salvar. Afinal, nossa vida era tudo o que a gente pretendia assegurar para eles que se foram na boate Kiss.
Gostaríamos que os duzentos e trinta e sete jovens estivessem com a gente, então não podemos nos jogar fora.
Não podemos esnobar a chance de estar aqui. Continuar a viver é preservá-los. Continuar a viver é sabedoria. Continuar a viver é fé. Continuar a viver é humildade.
Continuar a viver é respeito: é não ser mais vítima do que as vítimas, por mais que doa doer o dia inteiro.
É imperioso cortar o cordão umbilical da Rua dos Andradas, abolir as hipóteses: se eu tivesse proibido meu filho de sair, se eu tivesse viajado com a família, se eu tivesse telefonado antes, se eu tivesse sido mais rigoroso…
O “se” não devolve o que perdemos, nem diminui o sofrimento. A culpa não deve abafar a justiça, o medo não deve sufocar a esperança. Não há como controlar o destino.
A tragédia não aconteceu porque vocês falharam. Vocês, familiares, não teriam como evitá-la.
O que sobra é amar a si para explicar o que é amor, para explicar o que é saudade. O que nos resta é a responsabilidade de lembrá-los com garra. De lavar as escadarias das igrejas com flores. De ir adiante para que esse incêndio criminoso nunca mais se repita em nenhum lugar do mundo deste Brasil.

Que nossos filhos de Santa Maria jamais morram para a História.

* Publicado originalmente no jornal ZERO HORA (RS) em 5 fev 2013

Verão no Rio é de Carnaval e Zé Kéti !

O jornalista, pesquisador, ator, diretor e dramaturgo Sérgio Fonta convida para espetáculo no TEATRO RIVAL:

Somente neste sábado para quem está no RIO !

SARAVÁ, ZÉ KÉTI !

Zé Keti

Imagem

Projeto Cultural: aprenda como fazer na CINÉDIA

Cinédia

Festivais com inscrições abertas

Para a 52ª Semana da Crítica do Festival de Cannes, cujo objetivo é descobrir novos talentos. Desde que foi criada, em 1962, apresenta os primeiros e segundos trabalhos de diretores de todo o mundo. Entre os nomes que já passaram pelas mais diversas edições do evento estão Bernardo Bertolucci, Jean Eustache, Otar Iosseliani, Ken Loach e Wong Kar Wai. Entre os brasileiros, a diretora Juliana Rojas – menção honrosa na edição deste ano pelo filme “O Duplo” -; Ricardo Alves Júnior (com o média-metragem “Permanências”, em 2011); Cavi Borges e o curta “A Distração de Ivan”, em 2010; além de “A Via Láctea”, de Lina Chamie (2007); e “A Marvada Carne”, de André Klotzel (1987).

Inscrições www.semainedelacritique.com/inscriptions.php até 22 de março.

6º Los Angeles Brazilian Film Festival – LABRFF 2013, que está programado para acontecer de 24 a 28 de abril, em Los Angeles, na Califórnia.

Inscrições gratuitas para filmes de ficção (longa-metragem), e não ficção (documentários), além de curtas. A programação do LABRFF inclui mostras de competição, paralelas, e mostra tributo. Quinze categorias devem concorrer ao Troféu LABRFF, e os filmes serão avaliados por um júri oficial composto por grandes nomes do cinema internacional.

Podem participar da Seleção Oficial filmes produzidos a partir de 2009, e que não tenham estreado nos Estados Unidos. Entretanto, poderá haver filmes convidados, que participarão apenas das mostras paralelas, sem concorrer ao troféu. A mostra de competição de longas terá a participação de seis filmes, e a de documentários quatro. Já a mostra competitiva de curtas terá 6 filmes concorrendo aos títulos.

Ficha de inscrição e regulamento: www.labrff.com/submissions. Prazo de inscrição termina dia 20 de fevereiro.

Em cinco edições, o LABRFF exibiu mais de 300 títulos e premiou 72 categorias, tendo distribuído prêmios e troféus aos competidores. O LABRFF também realiza seminários, workshops e debates voltados ao fomento da indústria do audiovisual internacional, salientado o papel de incentivador a novas coproduções de filmagens entre o Brasil e os Estados Unidos.

* A 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, evento gratuito não-competitivo, será realizado em São Paulo, de 23 a 30 de maio. Os interessados poderão se inscrever até dia 28 de fevereiro. Serão aceitas obras finalizadas a partir de 2010, sem restrições de gênero, duração ou suporte de captação/finalização, com temáticas ambientais, tais como: energia, água, mudanças climáticas, consumo, povos e lugares, ativismo ambiental, resíduos sólidos, políticas públicas socioambientais, mobilidade, habitação, áreas verdes, áreas urbanas, alimentação, economia verde, globalização, vida selvagem, sustentabilidade, entre outras.

A Mostra é um evento anual que pretende chamar a atenção da população para questões ambientais, de sustentabilidade, cidadania, governança, participação e políticas públicas, e busca contribuir não apenas para a difusão de importantes obras cinematográficas, mas também para o enriquecimento das discussões sobre sustentabilidade e meio ambiente no Brasil.

Informações e inscrições: www.ecofalante.org.br/mostra