Arquivo do mês: dezembro 2013

SAM Alves tem uma voz arrebatadora. Por isso, Brasil o consagra A VOZ !

Bonito, carismático, com timbre/empostação/afinação e presença de palco invejáveis, o cearense SAM ALVES – que somente agora vai começar carreira profissionalmente – vence o programa THE VOICE e deixa milhões de fãs felizes !

SAM

Foram muitas audições e ele venceu em todas elas. Sempre cantando muito bem, ainda que algumas músicas pudessem ter sido melhor escolhidas – quem consegue agradar a todos os gostos ?

Nesta quinta, o THE VOICE BRASIL acabou sua segunda temporada e o jovem cearense – depois de uma belíssima apresentação, e um belo dueto com sua ‘técnica’ – a cantora Cláudia Leitte – sagrou-se o vencedor do programa com uma estrondosa votação popular. Assim como ele já saíra na audição da penúltima quinta muito bem votado. E de lá até o encerramento do programa, a votação prosseguiu, via net e telefonemas. Foram mais de 24 milhões de votos, computados de todas as partes do país.

Desde a primeira vez em que se apresentou, SAM Alves marcou presença com uma afinação impecável…

Agora SAM precisa estar preparado: além dos muitos fãs que conquistou, e mais ainda conquistará (há muita gente também que ainda não o ouviu cantar, e, quando isso acontecer, essas também se encantarão com a beleza de seu timbre), também vai conquistar os ‘invejosos’ de plantão. É o que sói acontecer sempre que alguém começa a receber aplausos por sua capacidade profissional, seu talento, seu brilho, sua vocação. Ainda mais quando tem carisma. Aí sim é que o ranço da incapacidade de reconhecer o mérito alheio aparece de forma mais incisiva. Como bem diz o querido e sábio psicanalista Flávio Gikovate, a inveja é o sentimento mais presente nas relações humanas.

SAM ao lado de uma prima e da mãe, Raquel Martins…

Portanto, SAM – e seus muitos amigos, familiares e fãs -, não se incomode com isso, não responda e solte sua voz! Dessa forma, fazendo o que você faz com tanto brilho, empatia e beleza, você irá encantar o mundo e levará Luz, Brilho e Verdade  onde sua voz alcançar.

Lendo ou ouvindo o que algumas dessas vozes, incautas e insatisfeitas dizem agora, logo me acolhem as sábias palavras do saudoso poeta gaúcho Mário Quintana: 

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Que elas lhe sirvam de companhia, SAM Alves, hoje e sempre !

Porque os mesmos que vivem a ouvir Lady Gaga, Madonna, Bruce Springstein, Amy Winehouse, Shakira, e tantos outros astros internacionais, agora ‘reclamam’ ou argumentam que você canta muito em inglês. Outros dizem que você só venceu porque cantando assim é mais fácil agradar a indústria. Os mesmos que hoje lhe criticam, adorariam estar no seu lugar, adorariam ter sua voz, dariam muitas horas de seu tempo para cantar como você, e talvez até, muitos almejem estar num palco com sua simpatia, seu carisma, sua bela postura e sua vocação inata e inegável para ser um Artista do quilate ao qual você chegou, ainda tão jovem.

Receba, meu caro SAM ALVES, deste blog Aurora de Cinema, os mais sinceros PARABÉNS e os votos de que, daqui pra frente, tudo seja mais fácil, melhor, mais bonito e sempre pontilhado de alegrias, momentos felizes e músicas (dos mais diversos estilos) pra você cantar.

Cláudia Leitte com o concorrente de seu ‘time’, o vencedor SAM ALVES !

PARABÉNS, SAM ALVES, pela belíssima Vitória !

Daniel, Carlinhos Brown, Cláudia Leite e Lulu Santos: cantores e técnicos…

E PARABÉNS ainda a toda a fabulosa equipe do THE VOICE BRASIL – das camareiras aos figurinistas, passando pelos cantores/técnicos, até chegar à direção do Boninho -, por realizarem um programa com tanta qualidade, gostoso de ver, importante, cheio de boas vozes, diversificadamente musical, e uma excelente opção para as noites de quinta-feira.

Os finalistas da segunda temporada do THE VOICE BRASIL: Rubens Daniel, Pedrinho Lima, Lucy Alves, e SAM Alves, o vencedor !

Podem ter certeza que a enorme audiência do THE VOICE BRASIL agora já sente saudades do programa e aguarda, ansiosa, a edição do próximo ano.

Que venha o THE VOICE BRASIL 2014 !

E VIVA SAM ALVES !

JÓIA RARA é um Diamante !

 Duca Rachid e Thelma Guedes se reinventam a cada capítulo e é cada vez mais emocionante acompanhar a novela das 18h

S este

Você, leitor amigo, que nos acompanha com assiduidade, sabe já do nosso gosto por Teledramaturgia. Sabe, portanto, que somos apreciadores de primeira hora da telenovela Jóia Rara, obra-prima das escritoras Duca Rachid e Thelma Guedes.

Atual destaque da programação dramatúrgica de nossa TV, JÓIA RARA configura-se como a melhor e mais bem realizada trama atual em cartaz na TV Globo. Como o horário é bastante difícil pra ser acompanhado, pensava assistir somente aos primeiros capítulos. Mas a história é tão forte e bonita, e o produto final tão bem realizado, que não tive outra alternativa: acompanho JÓIA RARA cotidianamente, fujo das notícias em revistas populares e nas redes sociais que antecipam os próximos capítulos e, quando por dever de algum compromisso ou do trânsito caótico acabo perdendo algum capítulo, final de noite estou vendo a novela via web – ainda bem que atualmente há este recurso ‘salvador’, importante e necessário, sobretudo para os que, como o blog aurora de cinema, analisam e comentam telenovelas.

Aqui abrimos um espaço para uma consideração lapidar de González Castro (Doutor em Ciências Pedagógicas, diretor de televisão, e grande conhecedor dos meios audiovisuais): “A sensibilidade dos tubos, e a definição que se consegue com as câmaras possibilitam matizes ricos e variados na iluminação, jogos de cores de fundos, estampados nas decorações das maquiagens menos artificiais e caracterizações  mais exatas. As rugas tem que ser autênticas como as de nossas avós. As texturas das telas aparecem tão claramente que na há engano das cenografias. (…) A possibilidade de editar a imagem posteriormente obriga a fazer televisão tal e como se faz cinema”.

Posto isso, vamos a mais um comentário sobre JÓIA RARA !

Nos capítulos destes dias, o grande destaque da trama foi a descoberta de que Heitor Zampari (pai da personagem Sílvia, já falecido) não foi o assassino da mulher de Ernest Hauser (o vilão e personagem central da trama). Isso era um dos pilares da novela e Sílvia (vivida com preciosismo pela bela Nathália Dill) desde o início atuava para vingar a morte do pai e revelar sua inocência diante do assassinato de Catarina (Mariana Mac Niven), a jovem matriarca dos Hauser (mãe de Franz, Victor e Hilda). Novos personagens apareceram, outros ganharam maior destaque, sombras e clarões alternaram-se até chegar-se à esperada reveleção. Aqui, destaca-se a intensificação do personagem Cícero (vivido com competência pelo querido ator Jorge Maia), e o da personagem Pìlar, interpretada pela conterrânea Sílvia Salgado), além da entrada dos personagens de Salvador (Élcio Romar) e de Marta (Juliana Araújo), a filha doente de Salvador, por quem ele ocultou o crime de Ernest Hauser tantos anos.

Ana Lúcia Torres, impecável, e Jorge Maia em momento crucial…

Mas o que queremos realçar neste breve comentário é o caso da confirmação da intuição de Sílvia, que sempre acreditou que o pai tinha pago por um crime que nunca cometeu. E assim se fez: Sílvia consegue desvendar o crime com a ajuda de Salvador e, a partir daí, fica amedrontada, com razão, e certa de que será perseguida pelo vilão.

De posse de todos os documentos incriminatório de Ernest Hauser, a personagem então vai com Salvador e a filha Marta em busca de desvendar a sórdida história do crime, levando documentos a serem entregues à imprensa numa cidade vizinha, fugindo da capital carioca, naturalmente por achar que, longe dali, seria menos difícil conseguir revelar a verdade, denunciar o verdadeiro assassino e escapar com vida.

Mas aí acontece o que é corriqueiro quando se trata da atuação de malvados, criminosos, assassinos, vilões: Sílvia é perseguida na estrada e sofre um terrível acidente, com seu carro caindo de uma ribanceira… e depois explodindo em fogo, e deixando Manfred (o vilão que é filho bastardo de Hauser) feliz da vida e certo de que alcançou a vitória maior, tão buscada por ele.

Aqui queremos destacar a belíssima cena do acidente, uma clara citação à saudosa escritora Janete Clair (a mais consagrada autora de telenovelas do país, que nos anos 70 foi a detentora da maior audiência da televisão brasileira com suas tramas incrivelmente bem arquitetadas e realizadas). Cena idêntica à mostrada por Jóia Rara, Janete criou para a clássica Selva de Pedra. Nessa, quem era perseguida era a personagem Simone (vivida por Regina Duarte inicialmente e no remake dos anos 90 por Fernanda Torres).

Na cena de JÓIA RARA – magistralmente dirigida e filmada pela equipe comandada por Amora Mautner, este vulcão inconteste da direção teledramatúrgica brasileira, a visão que o telespectador tem vem a partir do vilão que perseguia Sílvia, e que até então o espectador não sabia quem era. Só depois que o carro cai e explode, e a câmara enquadra apenas o caminhar do personagem olhando para a ribanceira em que o carro pega fogo, descobrimos que o perseguidor era o terrível Manfred – magnífica interpretação de Carmo Dalla Vecchia. Depois disso, vem todo um desenrolar de estupefação, dor e muita tristeza envolvendo Franz e seu irmão Victor, o viúvo de Sílvia.

É tempo de Natal também na telinha – e que lindas cenas de NATAL criou a direção de JÓIA RARA ! Vi com completa entrega aquele desfilar de magia e encantamento que tomou conta de quase todo o capítulo do dia 24, véspera da grande noite na qual se festeja o nascimento do Menino Jesus. E fiquei a pensar nos milhões que acompanham a novela Brasil afora, sobretudo os menos favorecidos, os que sofrem em hospitais ou em moradias de extrema carência, e fiquei a pensar no enorme bem que é ‘ganhar’ aquele presente inesperado e tão lindo de adentrar o espírito natalino pela via da ficção. E que ficção mais bem realizada, bonita, terna, quimérica é JÓIA RARA ! Um DEZ muito caloroso a toda a equipe de JÓIA RARA pela criação antológica deste belíssimo Natal televisivo que foi o capítulo da telenovela de Duca Rachid e Thelma Guedes na noite de véspera do NATAL ! Um espetáculo artístico de pura excelência, técnica e artística !

O NATAL com o personagem Odilon (Thiago Abravanel) como Papai Noel…

E pra coroar tudo isso, as autoras e a direção encerram o capítulo nos brindando com um dado pelo qual tanto ansiávamos nós, o público, desde a perseguição de Sílvia: que a homenagem a Janete Clair se conduzisse e fosse integralmente confirmada através da sobrevida da personagem vitimada. E assim foi. De forma surpreendente e dramaticamente super bem conduzida, o capítulo termina com a revelação de que Sílvia não morreu. Como a personagem Simone de Selva de Pedra, Sílvia também escapa do desastre. E a partir daí, a trama se desdobrará em novas cenas palpitantes, onde emoção, drama, suspense, mistério deverão acontecer em escala ainda mais impactante.

Por tudo isso, por criar uma obra tão bem escrita e dirigida com mãos de fada, por homenagear um ícone da nossa melhor Teledramaturgia, e por apostar num produto artístico de extrema qualidade como o é esta JÓIA RARA da Televisão Brasileira, Duca Rachid e Thlema Guedes estão a merecer mais e mais a atenção da crítica e do telespectador, e recebem, mais uma vez, um PARABÉNS muito emocionado e feliz deste blog Aurora de Cinema.

Confira aqui algumas cenas mais recentes de JÓIA RARA:

Rafael Cardoso e Nathália Dill em momento sublime de JÓIA RARA…

Rafael Cardoso e Nathália Dill como Victor e Sílvia…

Salvador (Élcio Romar) confirma a inocência do pai de Sílvia (Nathália Dill)

Sílvia, Salvador e Marta se preparam para ir contar toda a verdade sobre a morte de Catarina à Imprensa…

Cena do desastre que vitimiza a personagem Sílvia, bela citação ao clássico de Janete Clair…

OUTROS MOMENTOS DE DESTAQUE em JÓIA RARA:

Franz este

Franz (Bruno Gagliasso em grande momento) fica chocado ao saber da morte de Sílvia e da culpa do pai, Ernest Hauser…

Victor (Rafael Cardoso) segurado pelo Delegado (Vicentini Gomes) em momento de desespero e dor…

Pilar (Sílvia Salgado) e Manfred (Carmo Dalla Vecchia) em cena que anuncia nova reviravolta em Jóia Rara

Hilda e Toni formam um dos casais mais bonitos e queridos da novela…

Os monges, uma página linda da história de Duca Rachid e Thelma Guedes…

Gaya encontra Hilda e o ex-marido Toni em noite de festa no Cabaré Pacheco Leão…

A vedete LOLA, vivida com maestria pela linda e competente Letícia Spiller…

O amor de David e Aurora, momento de enlevo em Jóia Rara

O casal visto no sonho de Pérola, formado por Matilde (Fabíula Nascimento) e o monge Sonan (mais um trabalho visceral de Caio Blat)…

O amor bonito e perseguido de Franz e Amélia, protagonistas de JÓIA RARA…

Carnaval de São Luís em livro de Euclides Moreira Neto

Professor da UFMA, grande agitador cultural e profundo conhecedor da cultura popular maranhense, EUCLIDES lança livro no próximo dia 19

SL

O livro Quando a Purpurina não reluz, com selo do Instituto Guarnicê e Gráfica Minerva, será lançado na próxima quinta, 19 de dezembro, às 10 horas, na Biblioteca Pública Benedito Leite.

Euclides Moreira Neto: apaixonado pela cultura maranhense e grande incentivador das Artes, lança livro relevante sobre o carnaval de São Luís…

Quando a purpurina não reluz, de autoria do professor, mestre e pesquisador Euclides Moreira Neto reúne três artigos sobre a crise do carnaval de São Luís no ano de 2013 e as medidas adotadas pelo poder público, no período de 2009 a 2012, para revitalizar a festa momesca na capital maranhense.

 

Carnaval de São Luís ganha livro do professor Euclides Moreira Neto…

O livro de EUCLIDES MOREIRA NETO é resultado de intensa e extensa pesquisa de campo, realizada junto aos militantes do movimento carnavalesco de São Luís, o qual foi duramente afetado com a decisão do poder público municipal da capital maranhense em não construir a Passarela do Samba para os desfiles oficiais no corrente ano.

???????????????????????????????

Jornalista Aurora Miranda Leão e Euclides Moreira Neto: amizade criada pelo Cinema e banhada pela cultura maranhense…

Euclides Moreira Neto diz que, ainda que a decisão da Prefeitura de São Luís tenha se baseado em documentos formais de três entidades classistas, esses não representavam o sentimento dos militantes e apreciadores, nem a maioria dos grupos carnavalesco locais: “Foi um grande equívoco, que poderia ter sido evitado e nem pode ser repetido, sob pena de acabar com a maioria das manifestações culturais carnavalescas em São Luís”.

Carnaval 2011: Euclides e o reinado de Momo ludovicense…

Segundo Euclides, o livro é fruto de uma inquietação pessoal, uma vez que ele não se conformava com a ausência da Passarela do Samba, eliminando os desfiles dos grupos carnavalescos, principalmente Blocos Tradicionais e Escolas de Samba, além dos segmentos que se produzem e desfilam na passarela como os blocos organizados, blocos afros, e tribos de índio, entre outros. 

A Corte Momesca com o prefeito João Castelo e Euclides Moreira em 2011

Euclides conta ter feito uma verdadeira peregrinação carnavalesca no carnaval deste 2013 – em companhia do também professor do curso de Educação Artística da UFMA, José Murilo Moraes dos Santos -, e que era unânime a decepção dos organizadores e integrantes dos grupos com a ausência da Passarela do Samba no anel viário, chegando a constatar visíveis sinais de depressão em muitos desses brincantes e artistas carnavalescos. E foi assim que ele convenceu-se de que a medida adotada pela Prefeitura, destinando metade dos recursos financeiros alocados ao carnaval para a área da saúde, adoeceu muito mais gente do que resolveu problemas crônicos pertinentes à saúde da população ludovicense.

Ausência daPassarela do Samba fez falta ao carnaval 2013 de São Luís…

A medida, que num primeiro momento pareceu simpática, foi “um tiro no pé”, que trouxe, além da tristeza e desânimo para produtores e apreciadores do carnaval, prejuízos financeiros para a própria cidade, pois muita gente deixou de viajar a São Luís para conferir o carnaval, afetando grandemente a cadeia produtiva da hotelaria e o próprio comércio da capital maranhense, que não vendeu quase nada do estoque.

A beleza do majestoso Carnaval de São Luís…

O livro Quando a purpurina não reluz é assinado pelo Instituto Guarnicê e Gráfica Minerva.. O lançamento tem apoio da Secretaria de Estado da Cultura e ocorrerá no dia 19 de dezembo, às 20 horas, com a participação de integrantes do movimento carnavalesco da cidade de São Luís. Para Euclides, o livro “é um grito de alerta para os gestores de nossa cidade para que equívocos como o que ocorreu em 2013 não voltem a acontecer, estando longe de ser um manifesto político partidário para criticar a gestão do atual Prefeito”.

Passarela do Samba é uma necessidade para a vitrine que é o belíssimo carnaval da capital maranhense… 

       Para demonstrar essa isenção, Euclides Moreira revela que reuniu quase tudo que foi publicado de maneira favorável e contrária na imprensa de São Luís sobre a crise ocorrida no carnaval deste ano, apoiando-se também nesses posicionamentos para fundamentar seu texto. O livro tem prefácio do professor Sebastião Moreira Duarte, ensaísta e membro da Academia Maranhense de Letras; do jornalista José da Silva Machado (Machadinho), dono da empresa Data M; e do carnavalesco Miguel Veiga, um personagem super reconhecido e legitimado no movimento cultural de São Luís. 
Euclides e nós jun 2008
Euclides Moreira Neto, pesquisador e agitador cultural, com Fafy Siqueira, Aurora Miranda Leão e Teca Pereira (da direita pra esquerda) – São Luís, junho 2008

JÓIA RARA: novela é um festival de acertos !

Duca Rachid e Thelma Guedes assinam a melhor das obras dramatúrgicas da TV Brasileira atual: JÓIA RARA configura-se uma auspiciosa reunião de múltiplos talentos

Já comentamos aqui sobre a atual novela das 18h, JÓIA RARA. Mas a novela é tão espetacular que qualquer elogio que se faça, ainda fica a dever à brilhante obra, assinada com maestria por Duca Rachid e Thelma Guedes (as autoras), Amora Mautner, Joana Jabace, José Vilamarim e Ricardo Waddignton (os diretores), e um elenco excepcional, onde avultam grandes solos, lindas atrizes e atores, e um elenco secundário de primeira linha.

Some-se a tudo isso uma trilha sonora magnífica, casando à perfeição com o enredo, uma fotografia fenomenal, uma reconstituição de época de dar água na boca, os conflitos evocados, e a questão de sentimentos universais como o Amor, o Perdão, a Fé, a Esperança, a Solidariedade, a Humildade, e a Maldade no centro da história, ambientada no Rio de Janeiro do final da década de 30 e adentrando todos os anos 40, e você tem uma obra digna dos Melhores Aplausos, de todos os elogios, e de todos os prêmios que hão de vir.

É um luxo ser de um país que produz TELEDRAMATURGIA com a qualidade de JÓIA RARA. Assim como de tantas outras novelas inesquecíveis, como os festejados sucessos de Janete Clair, Dias Gomes, obras de Jorge de Andrade, Bráulio Pedroso, Cassiano Gabus Mendes, e, mais recentemente, A Favorita e Avenida Brasil (!!!), e Lado a Lado (recém-laureada com o EMMY), para citar apenas algumas.

Vou falar hoje de alguns pontos cruciais. Por certo, muita coisa vai-me escapar, involuntariamente, pelo adiantado da hora em que escrevo, depois de um dia cheio de tarefas e contato com amigos e leitores de todo o país. Peço desculpas antecipadas aos profissionais aos quais, por força do cansaço, se me escaparão os nomes. Voltarei outras vezes ao tema pois é um prazer ver, acompanhar e escrever sobre JÓIA RARA.

VAMOS AOS DESTAQUES DA HORA:

MIGUEL RÕMULO – Que primor está a atuação deste ‘garoto’. Com poucos anos de estrada, desde que ele estreou, revelou um carisma fabuloso e a empatia foi imediata. Sou fã de Miguel mas com o personagem atual, Décio  – do filho ‘malandro’ e massacrado pelo pai, um empresário inescrupuloso – ele vem superando todas as expectativas. O ator está casando ritmo, entonação, trejeitos, olhares, esgares com uma interpretação prodigiosa. Um DEZ enorme e um beijo emocionado para Miguel Rômulo.

NATHÁLIA DILL

Como Sílvia, Nathália Dill esbanja talento e deixa a audiência com merecido horror da vilã… Atriz de beleza retumbante e meiguice singular, quem primeiro me chamou a atenção sobre o talento da atriz foi minha amada filha Joyce, desde quando Nathália Dill apareceu na telinha. Ela começou em ‘Malhação’ (a grande escola de atores da Globo) em 2007, e estreou como protagonista em 2009 vivendo Maria Rita na novela Paraíso, a que eu nem assistia, mas, a partir daí, passei a observá-la com atenção. Logo depois, foi Mauro Mendonça (querido e grande ator, de quem tenho a honra de provar da amizade) quem me elogiou Nathália (ele contracenava com ela em Paraíso). E eu mesma estive com ela aqui em Fortaleza há alguns anos num festival de cinema. Nathália, portanto, já tinha feito outros papéis (ela é egressa do teatro) onde seu talento se destacou, mas em JÓIA RARA, vivendo sua primeira vilã, a atriz dá um baile de atuação e é certamente uma das grandes responsáveis pela força dramática da história. Um Aplauso caloroso e cheio de afeto para Nathália Dill.

ANA CECÍLIA COSTA

Atriz baiana que estava há alguns anos afastada da telinha, ela ressurgiu como a sofrida Gaia, lituana moradora de um cortiço no Rio de Janeiro e integrante do partido comunista, onde conhece, se apaixona e casa-se com o belo Toni, personagem de Thiago Lacerda. Gaia é dada como morta por mais de 10 anos e agora, há 2 capítulos, é reencontrada, e uma nova fase começa. A atriz espargiu beleza e carisma na fase posterior à extradição. Agora, com a volta da personagem, ela reaparece com todas as marcas do duro tempo de exílio, sofrimento, clausura, e a atriz vem com o tom certo, a dor lancinante cravada no semblante, o olhar dolorido e, ao mesmo tempo, um sorriso cheio de esperança e amor ao antigo parceiro. Ainda vai ter grandes picos de atuação esta querida Ana Cecília Costa numa série de situações que deverão exigir muito dela, coisa que é um prato cheio pruma atriz do nível de Ana Cecília e com um texto supimpa nas mãos, além de uma direção que sabe o poder que é dar a um Ator a chance de extrapolar seus próprios limites. Que venha o desafio porque a baiana Ana Cecília está pronta para assumi-lo com força, garra e muito talento !

LUIZA VALDETARO

LV

Ela é Hilda Hauser, filha do maléfico Ernest Hauser, e esposa do humanitário Toni (Thiago Lacerda). Atriz que une talento e  beleza (é um dos rostos mais bonitos da trama), Luíza Valdetaro faz um papel difícil – da sofrida filha de um homem que só pensa em ter poder e usa de qualquer artifício pra atingir seus objetivos, carrasco e desamado por todos quanto o conhecem), além de ter o frustrado (até então) desejo de ser uma cantora. O papel de Luíza é intrincado sobretudo porque é sempre muito difícil fazer uma ‘mocinha’ e não cair no descrédito, no pieguismo, no apelo fácil da compaixão. Mas a atriz é mais uma a confirmar que as louras podem ter beleza, talento, vocação, carisma e muita determinação. Tudo isso a Hilda de Luiza Valdetaro transmite através de sua atuação comovida e comovente. PARABÉNSSS !!!

E JÓIA RARA se completa com um naipe de atores 36 quilates, como ANA LÚCIA TORRE, JOSÉ DE ABREU, CARMO DALLA VECCHIA, MARCOS CARUSO, CAIO BLAT, CAROLINA DICKMANN, e DOMINGOS MONTAGNER. Em outro post, falaremos sobre suas atuações. E também sobre as relevantes contribuições no enredo, uma delas do notável roteirista Newton Cannito, de quem já tive a honra de ser aluna.

Sem deixar também de destacar a atuação magistral destes dois gigantes da cena que são BIANCA BINN e BRUNO GAGLIASSO, secundados pela sensacional MEL MAIA, e Letícia Spiller, Mariana Ximenes, Cacau Protásio, Rosi Campos, Nicette Bruno, Leandro Lima, Rafael Cardoso, Pedro Neschling, Fabiula Nascimento, Claudia Ohana, Leopoldo Pacheco, Cláudia Missura, Ângelo Antônio, Marcelo Médici, Norma Blum, Vicentini Gomez, Jorge Maia, Marcelo Aquino, e tantos tantos outros.

Mariana Ximenes e Leandro Lima: casal ganha torcida do espectador…

A trilha sonora é outro ponto de destaque: um DEZ muito grande e especialmente efusivo para quem assina esse rosário de pérolas do cancioneiro nacional, mesclando – com imensa sensibilidade e senso de entrosamento com o cerne emocional da história – músicas de ontem, de hoje, antigas, permanentes e necessárias. De Tim Maia, a Caetano Veloso, passando pela Valsinha de Vinícius, Garoto e Chico, com Marisa Monte, Guilherme Arantes e Elis Regina, a TRILHA SONORA de JÓIA RARA é mais um fator preponderante para o conjunto de acertos magistrais desta novela que, sem dúvida, é o passaporte que faltava para colocar as autoras Duca Rachid e Thelma Guedes no patamar dos autores sagrados das 21 horas.

Duca Rachid e Thelma Guedes: criadoras de obra espetacular da Teledramaturgia Brasileira…

UM DEZ EMOCIONADO para JÓIA RARA, suas excepcionais autoras, e a sensacional equipe de realização desta pérola da teledramaturgia brasileira.

Bruno Gagliasso, Mel Maia e Bianca Binn: trinca responsável pelo maior pique emocional de JÓIA RARA, novela da TV Globo que é orgulho para qualquer pessoa de bom senso !

PRA QUE AS ALEGRIAS SEJAM DE TODOS !

Vinheta anual da TV Globo celebra conquistas do ano que se finda, tem espaço no coração do telespectador e é aguardada com expectativa para a celebração de um NOVO ANO 

E quando se pensa que não há mais como ‘atualizar’  a célebre vinheta, que vai ao ar desde 1965, eis que surge outra, inusitada, moderna, eficiente, inspiradora. Supimpa, como diria o saudoso Mestre Artur da Távola !

A cada ano, o capricho é maior !

Nesta edição 2013, o grupo BARBATUQUES – conhecido por tirar som do próprio corpo – foi convidado a criar o novo arranjo para a imortal criação dos irmãos Marcos e Paulo Sérgio Valle, em parceria com o jornalista Nelsinho Motta.

Gol de placa !

À bela canção, juntou-se um arranjo moderno; singela/bela e ritmada coreografia, emoldurando o sorriso cativante dos muitos profissionais que durante o ano inteiro (e muitos desses, há décadas) fazem a programação da TV Globo com esmero, dedicação, excelência artística e técnica, e qualidade mundialmente aplaudida.

Nós acompanhamos sempre, com a maior atenção e carinho.

Antônio Fagundes, ‘monstro’ sagrado dos palcos e telas, que vem dando show como ‘César” em Amor à Vida, é um dos destaques da vinheta 2013…

Porque simplesmente achamos que a vinheta “HOJE É O NOVO DIA, DE UM NOVO TEMPO” é, disparado, a mais tocante, bela, esperada e consagradora de todas quanto aparecem para celebrar a chegada de um Novo Ano.

‘É só querer, todos nossos sonhos serão verdade’ é uma saudação carregada do otimismo que todos precisamos para enfrentar um novo tempo que se avizinha célere, ao mesmo tempo reavivando tristezas, receios, frustrações, arrependimentos, incertezas, e também apontando novas possibilidades e outros atalhos, UM NOVO TEMPO que precisa nascer eivado das melhores ESPERANÇAS,  recheado com as melhores inspirações, e incrementado por uma energia que pretende-se forte e real, como assim se nos apresenta ao coração.

É com uma mensagem cheia de bossa, beleza, musicalidade, ginga e alegria, onde se misturam todas as faixas etárias, estilos de atuação e profissionais do jornalismo, das telenovelas e da linha de shows – ancorada numa fotografia de primeira linha, enquadramentos precisos, e edição primorosa -, que a vinheta de fim de ano da TV Globo consegue traduzir (em poucos segundos) alguns dos melhores sonhos e mais caros desejos, tão próprios aos anseios de cada um neste tempo de final de ano que se avizinha célere, convidando a novos dias que devem ser de PAZ, LUZ, Amor, Harmonia, e tudo mais de BOM e LINDO que todos almejamos e desejamos a quem queremos bem.

A FESTA É SUA, É DE QUEM QUISER, QUEM VIER…

O blog AURORA DE CINEMA faz coro com a instigante e inspiradora mensagem de fim de ano da TV Globo e também deseja a todos os seus leitores,

UM NOVO DIA, DE UM NOVO TEMPO

ONDE A FESTA SEJA DE TODOS e TODOS OS NOSSOS SONHOS SE TORNEM VERDADE…

FELIZ 2014  ao leitor fiel e amigo do blog Aurora de Cinema !