Carnaval de São Luís em livro de Euclides Moreira Neto

Professor da UFMA, grande agitador cultural e profundo conhecedor da cultura popular maranhense, EUCLIDES lança livro no próximo dia 19

SL

O livro Quando a Purpurina não reluz, com selo do Instituto Guarnicê e Gráfica Minerva, será lançado na próxima quinta, 19 de dezembro, às 10 horas, na Biblioteca Pública Benedito Leite.

Euclides Moreira Neto: apaixonado pela cultura maranhense e grande incentivador das Artes, lança livro relevante sobre o carnaval de São Luís…

Quando a purpurina não reluz, de autoria do professor, mestre e pesquisador Euclides Moreira Neto reúne três artigos sobre a crise do carnaval de São Luís no ano de 2013 e as medidas adotadas pelo poder público, no período de 2009 a 2012, para revitalizar a festa momesca na capital maranhense.

 

Carnaval de São Luís ganha livro do professor Euclides Moreira Neto…

O livro de EUCLIDES MOREIRA NETO é resultado de intensa e extensa pesquisa de campo, realizada junto aos militantes do movimento carnavalesco de São Luís, o qual foi duramente afetado com a decisão do poder público municipal da capital maranhense em não construir a Passarela do Samba para os desfiles oficiais no corrente ano.

???????????????????????????????

Jornalista Aurora Miranda Leão e Euclides Moreira Neto: amizade criada pelo Cinema e banhada pela cultura maranhense…

Euclides Moreira Neto diz que, ainda que a decisão da Prefeitura de São Luís tenha se baseado em documentos formais de três entidades classistas, esses não representavam o sentimento dos militantes e apreciadores, nem a maioria dos grupos carnavalesco locais: “Foi um grande equívoco, que poderia ter sido evitado e nem pode ser repetido, sob pena de acabar com a maioria das manifestações culturais carnavalescas em São Luís”.

Carnaval 2011: Euclides e o reinado de Momo ludovicense…

Segundo Euclides, o livro é fruto de uma inquietação pessoal, uma vez que ele não se conformava com a ausência da Passarela do Samba, eliminando os desfiles dos grupos carnavalescos, principalmente Blocos Tradicionais e Escolas de Samba, além dos segmentos que se produzem e desfilam na passarela como os blocos organizados, blocos afros, e tribos de índio, entre outros. 

A Corte Momesca com o prefeito João Castelo e Euclides Moreira em 2011

Euclides conta ter feito uma verdadeira peregrinação carnavalesca no carnaval deste 2013 – em companhia do também professor do curso de Educação Artística da UFMA, José Murilo Moraes dos Santos -, e que era unânime a decepção dos organizadores e integrantes dos grupos com a ausência da Passarela do Samba no anel viário, chegando a constatar visíveis sinais de depressão em muitos desses brincantes e artistas carnavalescos. E foi assim que ele convenceu-se de que a medida adotada pela Prefeitura, destinando metade dos recursos financeiros alocados ao carnaval para a área da saúde, adoeceu muito mais gente do que resolveu problemas crônicos pertinentes à saúde da população ludovicense.

Ausência daPassarela do Samba fez falta ao carnaval 2013 de São Luís…

A medida, que num primeiro momento pareceu simpática, foi “um tiro no pé”, que trouxe, além da tristeza e desânimo para produtores e apreciadores do carnaval, prejuízos financeiros para a própria cidade, pois muita gente deixou de viajar a São Luís para conferir o carnaval, afetando grandemente a cadeia produtiva da hotelaria e o próprio comércio da capital maranhense, que não vendeu quase nada do estoque.

A beleza do majestoso Carnaval de São Luís…

O livro Quando a purpurina não reluz é assinado pelo Instituto Guarnicê e Gráfica Minerva.. O lançamento tem apoio da Secretaria de Estado da Cultura e ocorrerá no dia 19 de dezembo, às 20 horas, com a participação de integrantes do movimento carnavalesco da cidade de São Luís. Para Euclides, o livro “é um grito de alerta para os gestores de nossa cidade para que equívocos como o que ocorreu em 2013 não voltem a acontecer, estando longe de ser um manifesto político partidário para criticar a gestão do atual Prefeito”.

Passarela do Samba é uma necessidade para a vitrine que é o belíssimo carnaval da capital maranhense… 

       Para demonstrar essa isenção, Euclides Moreira revela que reuniu quase tudo que foi publicado de maneira favorável e contrária na imprensa de São Luís sobre a crise ocorrida no carnaval deste ano, apoiando-se também nesses posicionamentos para fundamentar seu texto. O livro tem prefácio do professor Sebastião Moreira Duarte, ensaísta e membro da Academia Maranhense de Letras; do jornalista José da Silva Machado (Machadinho), dono da empresa Data M; e do carnavalesco Miguel Veiga, um personagem super reconhecido e legitimado no movimento cultural de São Luís. 
Euclides e nós jun 2008
Euclides Moreira Neto, pesquisador e agitador cultural, com Fafy Siqueira, Aurora Miranda Leão e Teca Pereira (da direita pra esquerda) – São Luís, junho 2008

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s