Amores Roubados: minissérie inscreve-se como uma das melhores de todos os tempos

Cauã Reymond, Murilo Benício, Isis Valverde e Patrícia Pillar foram destaque. Com roteiro de George Moura e direção de José Luiz Villamarim, minissérie abriu 2014 marcando belo gol na programação da TV Globo…

A começar pela expressividade do layout do título e pela impactante abertura, AMORES ROUBADOS é já um marco da nossa Teledramaturgia. Sou das que assistem e faço questão de dizer. E espalhar por onde posso o quanto aprecio boas obras, seja em que veículo for, e não preciso fazer nenhum arrudeio pra afirmar que assisto porque adoro a narrativa ficcional televisiva, e gosto de acompanhar as produções teledramatúrgicas brasileiras. E quando as obras são boas – como esta AMORES ROUBADOS -, aí mesmo é que faço questão de dizer que vejo e vejo com prazer ! Porque amo Dramaturgia – seja no Teatro, no Cinema ou na TV. Assumimos desde sempre que o bom é viajar por outras histórias, inventadas por outras cabeças, recheadas de outras fantasias, que não as nossas. Afinal, como diz o magnífico poeta gaúcho Carpinejar, nem a nossa história deixa de ser fantasiada por nós mesmos.

O roteiro de Amores Roubados é de George Moura, a partir de obra de Joaquim Maria Carneiro Vilela – advogado, ilustrador, pintor paisagista, cenógrafo, juiz, bibliotecário, secretário de Governo, fabricante de gaiolas, e escritor -, escrita entre 1909 e 1912, e já ganhou adaptações para o teatro e o cinema. Mas por certo somente agora o escritor terá seu nome definitivamente inscrito entre os grandes de nossa Literatura. Como o título original de A Emparedada da Rua Nova, Carneiro Vilela dizia que a história viera de um relato ouvido de uma escrava. Até hoje, não se sabe ao certo o que foi ficcionado pelo autor e o q realmente aconteceu.

Mas só em ter valido esta primorosa minissérie, já ganhou – e muito – a história de nossa Teledramaturgia, enriquecida pelas interpretações poderosas de Murilo Benício – um ator que consegue passar todo o sensório de seus personagens só com o olhar -, Irandhir Santos, Cauã Reymond, Isis Valverde, Patricia Pillar (soberba em sua angústia lancinante e silenciosa), Cássia Kiss, Osmar Prado, Dira Paes, César Ferrario, Jesuíta Barbosa, Magdale Alves, e Thierry Tremouroux.

PRINCIPAIS DESTAQUES: 

– Direção precisa de José Luiz Villamarim, direção de arte, e fotografia de Walter Carvalho;

– O set, os enquadramentos e a atuação de Osmar Prado e Cássia Kiss na cena do acerto de contas;

– A frieza e vilania intrínseca do personagem Jayme, rapidamente tratando de se ‘descartar’ da conversa ‘incômoda’ do sogro Antônio;

– A luz da cena entre Jaime e o delegado (Walter Breda), num lindíssimo enquadramento em silhueta;

– A conversa entre Jaime e Cavalcante – Murilo Benício de costas, passando toda a emoção somente com a voz – genial !

– A comovente e quase pueril fala de Antônia, encharcada de emoção no velório do avô – ISIS VALVERDE divinal, uma nordestina com naturalidade, beleza singular e profunda empatia, levando o telespectador às lágrimas;

– O encontro de Antônia e Fortunato na beira do rio São Francisco…

* A inserção da bela Jura Secreta, música de Sueli Costa e Abel Silva, cantada de forma singular por um contagiante Raimundo Fagner;

* A qualidade das atuações de Irandhir Santos e César Ferrario numa pujança de força magistral entre dois talentos nordestinos;

* A tocante cena entre Cássia Kiss e Jesuíta Barbosa marcando mais pontos na atuação poderosa do elenco e ressaltando uma direção de arte poderosa a favorecer o contraste entre o vermelho ‘revelador’ da personagem de Cássia, o floral do guarda-chuva e a aridez rochosa às margens do São Francisco;

* Patrícia Pillar e Murilo Benício – contracena de Gigantes !

* Lindíssimos momentos de Isis Valverde, quer seja na fotografia magistral de Walter Carvalho, bem como da atuação emocionada e emocionante da atriz;

* A sintonia precisa entre Isis e Benício em momentos de revelações perturbadoras;

* O quadro poderoso do grande campo de arames farpados como desfecho para o fim do grande vilão, o temido e maligno Jaime, quando a cena ganhou belíssimos ares de réquiem;

* O belíssimo final à beira do rio reunindo 3 gerações – filha, neto e avó, preconizando possíveis (?) novos tempos de calmaria na vida conturbada, triste e sombria da família de Jaime – Isis e Patrícia em belos movimentos de interação mãe-filha X atriz tarimbada-atriz em ascensão !

De somenos: o não fechamento do destino do personagem de João (Irandhir Santos) – personagem e ator mereciam ter sua história amarrada junto ao público; e o do personagem Oscar (Thierry Tremouroux), professor de música da Orquestra Sanfônica, projeto idealizado por Isabel (Patrícia Pillar), ‘exilado’ da cidade a mando de Jaime, e tendo que se passar por Leandro…

Amores Roubados é um produto de excelência absoluta ! Vai ganhar muitos prêmios internacionais: Direção, Fotografia, Ritmo, Direção de Arte, Edição, trilha e atuações primorosas num roteiro de suspense com diálogos poderosos e coerentes com o cerne da história. DEZ é ainda pouco para AMORES ROUBADOS ! E é um orgulho pra quem, como eu, fica feliz em poder aplaudir a grandiosidade dos nossos artistas e a qualidade a que chegaram os técnicos brasileiros ! Que Teledramaturgia de alto nÍvel faz o Brasil !

IMAGENS da minissérie e de bastidores :

O triângulo na noite de festa organizada por Isabel , personagem de Patrícia…

Personagem difícil, Murilo Benício construiu o ‘Jaime’ com belas sutilezas do olhar e expressões…

trioCésar Ferrario, Murilo Benício e Irandhir Santos: sintonia em grandes interpretações !Pillar e Isis

Patrícia Pillar e Isis Valverde: mãe e filha em situações conflituosas…

Lindíssima cena erótica entre a personagem Isabel e um homem no meio da estrada, poderosamente iluminada e captada por Walter Carvalho…

Isis Valverde e Jesuíta Barbosa na dramática cena da revelação da morte de Leandro (personagem de Cauã Reymond): belos takes à beira do São Francisco…

A bela cena final de AMORES ROUBADOS…

Isis e PP

José Luiz Villamarim com Benício e Walter Carvalho (abaixo)…

 

Cesar e Irandhir

 

Dois grandes representantes do Nordeste em Amores Roubados: César Ferrario, de Mossoró, e Irandhir Santos, de Pernambuco: Show de atuação !

O roteirista George Moura e o diretor José Luiz Vilamarim…

Amores equipe

Myriam Mendes, Villamarim, George Moura, mais um da equipe, e Walter Carvalho…

Amores Equipe telinha

Uma equipe de bambas fez de AMORES ROUBADOS um belo gol na abertura da programação 2014 da TV Globo !

* Um comovido APLAUSO AURORA DE CINEMA para Amores Roubados e todos quanto participaram da criação desta obra-prima da Teledramaturgia Brasileira !

Patrícia Pillar e Isis Valverde dividiram belas e difíceis cenas entre mãe e filha…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s