Arquivo do mês: março 2014

Maurício Cals usa os pincéis da emoção para traduzir a arquitetura de sua cidadania poética

Esteta do verso, artista da fotografia, urbanista das imagens, arquiteto da gastronomia, Maurício Cals consegue ser o mesmo em múltiplas versões. Por isso, sua obra é tão tocante e cheia de empatia 

Mau 31 dez 13

Maurício Cals e sua tela ‘Egito’, inspiração nascida em viagem ao Cairo…

Ele é arquiteto e urbanista com formação em Arquitetura & Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará com mestrado na área feito em Paris.

É também escritor, fotógrafo, artista plástico, poeta, chef de cuisine. Sabemos também que se aventura nas artes musicais pelas teclas de um piano e entoa canções quando em roda de amigos. É bastante conhecedor da história de Fortaleza, sua querida cidade natal, embora seja também um apaixonado por Paris, onde viveu alguns anos e para onde retorna sempre que pode. Mesmo se dizendo longe de ser um connoisseur de vinhos, é um exímio estudioso do assunto e sabe bem mais da delicadeza de se aventurar nessa ‘adega’ de prazeres vários do que a maioria.

Cidadão preocupado com os rumos sócio-político-ambientais que vem tomando sua cidade, e com as notícias constantes de violência, corrupção, desvio de verbas, carestia e tantas outras que dominam os noticiários do país, Maurício Cals tem traços de um poeta indormido com as aflições cotidianas que mobilizam a vida do cidadão, anônimo e comum, mas consegue abstrair-se e engendrar belezas e sensibilidades quando envereda pelas luzes da arte e ou pelas alquimias da culinária. É sábio ao arquitetar sua emoção em versos, aos quais empresta uma simplicidade tão delicada que ganha a imediata adesão do leitor.

Mau e a tela 29 jan 14

Maurício Cals faz da emoção a tinta com que traduz em versos e cores as imagens de sua sensibilidade…

Tem livros publicados na área da fotografia, da arquitetura & urbanismo, e da poesia. Assina também um blog, o Estética, que há algum tempo anda desatualizado. Com a adesão ao Facebook e ao Instagram, Maurício descobriu uma ferramenta mais ágil e mais instantânea para dialogar.

Maurício Cals foi entrevistado por esta redatora, Aurora Miranda Leão, e pelo compositor Calé Alencar no programa Conversando com Arte, atração das tardes de domingo no rádio cearense, e via web, com apoio do Centro Cultural Banco do Nordeste. E um pouco de suas muitas habilidades esteve em destaque na entrevista, que você, leitor amigo, em breve acompanhará na frequência da Universitária FM – 107,9 MHz.

Enquanto isso não acontece, deixamos com você, leitor cativo do #BlogAurora de Cinema, as filigranas poéticas do artista Maurício Cals, que, delicada e sutilmente, exagera do dom de ser poeta, criador de imagens e arquiteto nas vielas da imaginação.

Maurício aquarela

Porta e janelas
O meu coração dá pra rua.
É imprevisível.
Tem dias que não abre 
a porta nem janelas, noutros
as abre de par em par.
Afasta as cortinas,
põe flores no vaso e começa a cantar.
É despudorado esse danado.
Não faz logro nem jogo.
É palco em cena aberta.
Casa de porta e janelas
Por fora é simplória,
por dentro é outra história.
Por dentro é que são elas,
tudo tem cheiro de verdade,
aqui se respira fé e lealdade
Assim é meu coração, adentre
eu te guio, me dê a mão
É simples a divisão
Para as visitas; sala de estar
Um corredor dando
para os quartos e sala de jantar
Um pequeno jardim lateral,
onde o dia nasce e passeia até
o final
O quarto de hóspedes e em seguida
um amplo banheiro com um chuveiro
que lava tanto a alma quanto
o corpo por inteiro
Daí a copa , cozinha e o quintal
com dependências para serviçal
No quintal fica o varal
e as fruteiras:
sirigüela, cajarana e ata
Tem mais uma pitangueira
cujos frutos enchem a vista
e ao sabor não há quem resista
A rede fica embaixo do caramanchão
onde se enrosca um pé de jasmim
Ai de mim, é aí que eu me esqueço
com os cafunés do meu querubim
* Do livro “Lâmina”
Mauricio Cals/2010

Primeiro de Abril é noite de Cinema na Casa Laura Alvim

Livro com a storyboard do filme da cineasta Maria Letícia, que conta com a contribuição preciosa de Emiliano Queiroz, terá primeiro lançamento no RIO

Abril

O lançamento acontece nesta segunda, 31 de março, a partir das 19h, na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, no Rio.

Trata-se de um tipo raro de livro pois traz a Storyboard completa do premiado filme de Maria Letícia – baseado em peça homônima da dramaturga Leilah Assumpção.

Storyboard são organizadores gráficos a partir dos quais grande maioria dos cineastas desenvolvem seus roteiros e, principalmente, suas filmagens. Trata-se de uma série de ilustrações ou imagens arranjadas em sequência com o propósito de pré-visualizar um filmeanimação ou gráfico animado, incluindo elementos interativos em websites.

O processo de storyboarding, no formato em que é conhecido atualmente, foi desenvolvido pelo Walt Disney Studios durante o começo da década de 1930, depois de anos de utilização de processos similares em outros estúdios de animação.

Rosa Abril

No caso de Primeiro de Abril, Brasil – o filme de Maria Letícia que em 1989 rendeu à atriz Rosamaria Murtinho o KIKITO de Melhor Atriz no Festival de Gramado -, todo o filme está na storyboard (com belíssimos desenhos do artista Mixel) que o público poderá conhecer agora.

A data de lançamento não é à toa: afinal, chega-se aos 50 anos do golpe militar que levou o país a um longo período de escuridão com liberdades cerceadas, e também acontece no ano em que se comemoram os 25 anos do lançamento do filme em festivais pelo país.

Lelé e Mili ótimos

Os queridos anfitriões do lançamento de ‘Primeiro de Abril, Brasil’: Maria Letícia e Emiliano Queiroz…

Portanto, a pedida pra esta segunda-feira no Rio, véspera do Dia da Mentira, é a verdade do lançamento da storyboard de ‘Primeiro de Abril, Brasil’.

O #BlogAuroradeCinema recomenda a ida ao lançamento da versão-livro do filme Primeiro de Abril, Brasil na Casa de Cultura Laura Alvim. A cineasta Maria Letícia e o ator Emiliano Queiroz estarão por lá conversando com o público e autografando a obra.

Mili apontaAurora Miranda Leão e Emiliano Queiroz em click da cineasta Maria Letícia…

Jóia Rara e uma fosforescência especial

Mel Maia protagoniza Jóia Rara com brilhantismo, talento e muito carisma

Temas pulsantes e que devem estar sempre em foco para que sejam removidos do cotidiano ganham espaço e condução acertada na novela de Duca Rachid e Thelma Guedes, que está em seus capítulos finais…

A novela JÓIA RARA – pérola da Teledramaturgia, que está em seus capítulos finais -, deu mais uma demonstração da mentalidade avançada, construtiva e libertária que rege as autoras e sua diretora-mór. Sim, Duca Rachid, Thelma Guedes e Amora Mautner assinam uma obra-prima (num horário ingrato pra se acompanhar, 18h) recheada de citações oportunas, benfazejas e coerentes com a postura humanitária que caracteriza o trabalho dessas três mulheres que tão bem nos representam, e nos orgulham.

Segundo a wikipédia, fosforescência é um caso particular de um fenômeno geral denominado luminescência, sendo um tipo de fotoluminescência relacionado à capacidade que uma espécie química tem de emitir LUZ, mesmo no escuro, devido à sua estrutura eletrônica especial que favorece a absorção de radiação por seus elétrons, os quais passam a irradiar luz vísivel ou radiação de maiores comprimentos de onda.

Assim, o #BlogAuroradeCinema reputa à novela JÓIA RARA o mérito de possuir uma fosforescência teledramatúrgica indubitável, irretocável e iluminadora para o vasto leque de telenovelas brasileiras (notadamente as que são produzidas pela Rede Globo de Televisão), sendo ademais ainda mais digna de APLAUSOS por ser exibida numa faixa de horário (18h) não considerada ‘nobre’ (tendo aqui “nobre” o sentido da telenovela que é exibida quando a maioria  telespectadora já não está mais em horário de trabalho, o que corresponde, atualmente, à faixa das 21h).

As grandes questões que mobilizam o comportamento nacional – a força do amor, a importância do perdão, e a rejeição a toda forma de preconceito – vem embutidas em todas as temáticas que Jóia Rara aborda. Lá estão o trabalho escravo infantil; operários se organizando politicamente para conquistar avanços sociais; o patrão desumano e corruptor; a funcionária submissa; o homem que quer subir na escala social a qualquer preço; os casamentos ‘arranjados’ pelas famílias, sem nem mesmo os noivos se conhecerem; o jovem cheio de preconceitos, ‘malandrinho’ bem nascido e que só pensa em se dar bem; o racismo e sua negação; os danos do machismo; o marido que mantém caso extraconjugal, ignora a esposa como mulher mas a quer como ‘vitrine’ para a vida social aceita pelos cânones vigentes na época; o vislumbre de novos paradigmas sociais para a mulher – mulheres trabalhando fora de casa; a ideia de creches voluntárias; mulheres que não querem casar; mulheres enveredando pela carreira artística; a audiência das novelas radiofônicas, entre tantas outras. E lá também estão temas comuns aos folhetins – o amor capaz de vencer barreiras, um caso de amor não correspondido, um inocente perseguido por um crime que não cometeu, a competição desleal, a maldade, a inveja, o ímpeto da vingança.

Tudo está lá, pensado e escrito pelas autoras Duca Rachid e Thelma Guedes, numa trama aparentemente despretensiosa e sem grandes possibilidades de provocar discussões e/ou reflexões… acredita-se, em geral, que o horário das 18h é para temas ‘bobinhos’, dedicados às crianças e às ‘mulheres q são (‘apenas’) donas de casa’… pois é numa novela das 18h, que tem como principais cabeças pensantes três mulheres, que questões sobremodo relevantes são colocadas de forma plasticamente bela e meritória, e com uma empatia poderosa, alicerçada num conjunto de acertos magníficos que faz de JÓIA RARA um marco da nossa Teledramaturgia.

Amelinha (Bianca Bin) é vítima de tramóia e vai presa injustamente…

Presença de Dja Marthins e José Araújo: atores participam da novela em momento crucial da personagem Sílvia, vivida por Nathália Dill…

Zefinha (Cristiane Amorim) e Pérola (Mel Maia): cilada para complicar a vida de Amelinha (Bianca Bin)…

As vedetes Aurora (Mariana Ximenes) e Lola (Letícia Spiller) disputam primazia na noite do Cabaret Pacheco Leão…

Reconstituição de época, Direção de Arte, Fotografia,  Cenografia, Figurinos, Maquiagem, Trilha sonora e Elenco são Nota DEZZZ e isso faz com que a novela vá deixar uma lacuna difícil de preencher no horário. Como se não bastasse tudo isso, JÓIA RARA ainda incluiu um caso de amor homoafetivo, que veio se somar ao festival de acertos que é a novela feminista de Duca, Thelma e Amora ( além de toda a colossal equipe que colabora com elas, na qual se incluem meu ex-professor, cineasta e roteirista Newton Cannito, e o diretor Ricardo Waddington).

Luíza Valdetaro abraça com talento e beleza uma personagem difícil…

Bi e Franz

Casamento de Amelinha e Franz, um amor recheado de paixão e obstáculos

No capítulo desta sexta, finalmente Aderbal revela seu encantamento por Joel. Tudo tem sido feito com a delicadeza peculiar que cerca a novela, e a abordagem pode até passar despercebida por uma imensa plateia que acompanha as novelas desse horário das 18h. Mas é muito relevante que o tema apareça. E nesse horário. É mais um pioneirismo de JÓIA RARA ! Bastando ressaltar que a novela tem como personagem principal uma criança, simbolizando uma ‘reencarnação’ de Buda (tanto que o primeiro título pensado foi O Pequeno Buda), e esse personagem é interpretado por uma garota – a maravilhosa Mel Maia, que conquistou os espectadores, os colegas, diretores e – cremos nós do #Blog Aurora de Cinema -, toda a equipe de Teledramaturgia da TV Globo, tão impressionantemente dotada de carisma é esta linda atriz-mirim.

Os atores Armando Babaioff e Marcelo Médici são os intérpretes dos dois personagens que vão viver um romance em pleno Rio de Janeiro dos anos 40. E os dois estão ótimos, sendo eles dois de nossos bons Atores ! Parabéns a eles, às autoras e à direção de JÓIA RARA pela inclusão de mais um tema que merece ser abordado em obra tão repleta de acertos e sinalizadora de avanços numa sociedade que começava a desenhar outros caminhos…

Delicadeza e sensibilidade na revelação de um amor homoafetivo: mais um pioneirismo da novela JÓIA RARA

Rádio ao Vivo: terça de Cultura & Música no CCBN

Centro Cultural Banco do Nordeste inova e vai realizar programa de rádio direto de seu auditório, em transmissão pela Universitária FM

Denise e nós

Denise Dumont, atriz  e produtora, na bancada do Cultura & Música                       

São 7 anos  no ar pela Universitária FM e uma audiência consolidada nas tardes de segunda-feira: o programa Cultura & Música estreou dia 7 de agosto de 2007, no horário das 16h às 17h, com apresentação da dupla de jornalistas/radialistas Aurora Miranda Leão e Nelson Augusto numa realização do Centro Cultural Banco do Nordeste, com produção do cantor e compositor Calé Alencar.                           

Fagner rádio

Raimundo Fagner ladeado por Aurora Miranda Leão e Calé Alencar: artista cearense foi um dos primeiros entrevistados…

O Cultura & Música é um programa de entretenimento radiofônico que destaca a produção cultural nordestina, seja através da música, do cinema, do teatro, da fotografia, do jornalismo, e das artes de modo geral. 

???????????????????????????????

Aurora Miranda Leão e o músico/pesquisador/ambientalista Bené Fonteles

Dividido em diversos módulos, a atração das tardes de segunda-feira na Rádio Universitária FM reúne música, entrevistas ao vivo e/ou gravadas, flashes noticiosos de outras cidades (via celular), objetivando divulgar realizações do Centro Cultural Banco do Nordeste, bem como toda ação do Banco do Nordeste que favoreça a Arte e a Cultura, dando espaço também para ações culturais relevantes realizadas por outras instituições.

???????????????????????????????

Os locutores do Cultura & Música com Fernando Pessoa e músicos do Rock Cordel…

Quando o Cultura & Música (C & M) entrou no ar, o Centro Cultural Banco do Nordeste inovava mais uma vez, estabelecendo novos parâmetros de comunicação e interatividade com seu diversificado público, a partir de um programa próprio, destinado a melhor informar à população (de qualquer parte do país, uma vez que o programa também é veiculado via internet) sobre as muitas atividades desenvolvidas pelo CCBN, e a manter permanente conectividade com sua audiência.

???????????????????????????????

Em 7 anos de veiculação semanal através do respeitado espaço da Rádio Universitária FM, o programa Cultura & Música ganhou credibilidade e estabeleceu-se como opção privilegiada para quem quer ouvir boa música brasileira, sobretudo em versões históricas e bem pouco conhecidas do grande público. De lá pra cá, o programa consolidou-se como relevante canal de divulgação da música nordestina e da cultura brasileira de modo geral, definindo-se como espaço de relevante importância para um contato mais próximo com a programação do CCBN e um conhecimento mais aprofundado das raízes culturais formadoras da essencialidade do povo nordestino.

tibico no nat

Nelson Augusto, Calé Alencar, Tibico Brasil, e Aurora de Cinema em dia de aniversário do Cultura & Música…

Desde quando o Cultura & Música entrou no ar, muito se pode aquilatar de sua penetração na cidade e relevância na divulgação das ações do CCBN. Sabendo-se, nos jargões radiofônicos, que a cada um ouvinte que sintoniza o programa, há exatas 25 outras pessoas na mesma sintonia, estes 7 anos de C & M no ar nos dão bem a dimensão do alcance do programa e sua capacidade de atingir a audiência, composta por diversas faixas etárias e sociais.

Rádio Nelson eu e Calé

O trio principal do Cultura & Música: Nelson, Aurora e Calé…

A cada audição do C & M, pelo menos 30 ligações diárias são registradas, dos mais diversos bairros da cidade, observando-se ainda os contatos pelo MSN, Twitter, e-m, Facebook, e outras redes sociais. Levando-se em conta que, a cada programa, a produção realiza sorteio de brindes – produtos culturais patrocinados pelo programa BNB de Cultura -, a audiência do C & M reafirma-se a cada nova audição, e, em dias de entrevistas ao vivo, é comum ainda a participação de ouvintes que telefonam para o programa para expressar-se verbalmente, seja com perguntas ao entrevistado seja com elogios à presença daquele convidado.

A rádio CCBN

O êxito do programa Cultura & Música verifica-se também a partir da criação de um novo programa: o Conversando com Arte – programa de entrevistas veiculado todos os domingos -, estreou em 2009 e já é referência no rádio como horário democrático onde artistas, produtores e gestores culturais podem falar à vontade, e sem pauta determinada, sobre sua história de vida, suas raízes culturais, suas influências, próximos trabalhos, e idéias de futuros projetos.

Macalé rádioCom os locutores Nelson Augusto e Aurora Miranda Leão, o cantor e compositor Jards Macalé, entrevistado no programa Conversando com Arte…

Agora em março, a partir da realização do programa Cultura & Música diretamente do auditório do CCBN no centro de Fortaleza – na nova sede da instituição – o que se pretende é uma intensificação ainda maior na formação de plateia para a cultura nordestina, a partir de uma interação presentificada com os apresentadores do programa, a produção e seus convidados. Assim, a realização do Cultura & Música ao vivo remete aos áureos tempos dos programas radiofônicos de auditório, nos quais o público tinha acesso direto e contato com artistas que formaram gerações e garantiram enorme audiência ao rádio.

Calé e eu CCBN

A intenção do programa Cultura & Música, a partir desse novo formato – ao vivo e com participação da plateia – é favorecer ao público de maneira geral e, em especial, aos estudantes das várias áreas de Comunicação – jornalismo, radialismo, publicidade e propaganda, audiovisual e novas mídias -, e estudantes e outros profissionais interessados, o contato direto com artistas e produtores culturais, criando pontes para um diálogo freqüente sobre a arte e a cultura brasileiras.

CCBN nós 2

Locutores Nelson Augusto e Aurora Miranda Leão com o produtor Calé Alencar

Dessa forma, o CCBN vai passar a oferecer a seu qualificado, diversificado e cativo público a chance de reviver a mesma atmosfera dos programas radiofônicos, que tanto sucesso fizeram nas rádios de todo o país nas décadas de 40, 50 e 60. Ao mesmo tempo, realizar um programa de rádio com a presença de plateia é a oportunidade de se presenciar um programa de rádio feito ao vivo e criar laços para a efetivação de contato direto com formadores de opinião.

CCBN 11 mar 14

Calé Alencar, Jacqueline Medeiros (Coordenação do CCBN), Nelson Augusto e Aurora Miranda Leão: congraçamento ao final do programa-piloto do C & M…

CCBN equipe

Nelson Augusto, Calé Alencar, Clarisse Melo, e Aurora Miranda Leão: equipe que faz o programa Cultura & Música direto do Centro Cultural Banco do Nordeste

* O Centro Cultural Banco do Nordeste funciona na rua Conde D’Eu, 560, no centro de Fortaleza, pertinho da Catedral Metropolitana. Quem quiser participar das audições do programa Cultura & Música, é só chegar lá às terças-feiras, a partir das 15h. ENTRADA FRANCA.

Neila Tavares e o legado grandioso de PAULO GOULART

Atriz, escritora e jornalista faz tocante homenagem ao grandioso Ator, falecido a 13 de março, e evidencia a força do Amor que se perpetua na mulher Nicette Bruno, nos 3 filhos artistas, e nos netos…

Em destaque no Blog Aurora de Cinema, a pena preciosa de NEILA TAVARES:

PAULO GOULART E A ETERNIDADE DO AMOR

A belíssima biografia de Paulo Goulart teve um final perfeito. Um final de uma doçura!

O que fascinava principalmente em Paulo Goulart era a sua doçura. Um homem tão grande com aquele vozeirão, e… doce! Doce. Irresistivelmente doce. Não, porque ele era irresistível.

Principalmente quando você descobria que doçura tão grande e tão natural e evidente só podia caber no coração de um Homem de Bem. E Paulo Goulart foi um Homem de Bem.

Homens assim, artistas assim, colegas assim, a gente sofre quando partem. Mas…

Alguém escreveu na rede: “Coitada de Nicete. 60 anos!”

Liguei a TV e lá estava a Nicete, falando. E pouco a pouco fui ficando menos triste… E de repente até quase feliz. Paulo morreu segurando suas mãos, as mãos da mulher que amou e por quem foi amado uma vida. Em torno, todos os filhos, todos os netos. Unidos. A união da família chama a atenção da imprensa. A união e a conformação. Eles crêem na continuidade da vida, crêem no reencontro dos homens afins depois da morte. Estão seguros, sem medo.

pau quadrin

Nicete crê na eternidade deste amor. E é tão verdadeira, tão sincera nesta fé. Ela estará com ele em breve e os dois estarão ainda se amando. No final desta estrada. Que bonito! Quando o Amor fica maior que a Morte, quando o Amor vence a Morte. E não há um único resquício de dúvida. Esta é uma fé absoluta nela. E assim nos consola.

Por isso vou dormir quase feliz. O pano caiu para Paulo Goulart numa obra perfeita, em grand finale transbordante de ternuras, a maior que protagonizou e escreveu: a própria biografia. Parabéns, Paulo Goulart. A platéia se levanta, ovaciona: BRAVOS! Bravos!

Pau e Ni

Paulo Goulart e a companheira da vida inteira, Nicette Bruno…

fam Goulart 1

Legado de Paulo Goulart: lição de amor e companheirismo numa família exemplarmente unida…

Paulo e Eva

Paulo Goulart contracenando com Eva Wilma…

Paulo Goulart com Maitê Proença e Glória Menezes na novela Jogo da Vida, de Sílvio de Abreu, nos anos 80…

Num dos papéis mais marcantes no Teatro: a maestrina Madame Hortense em  ‘Orquestra de Senhoritas’, de 1974…

??????????????

Paulo Goulart, Dina Sfat, Jardel Filho e Arlete Salles na novela ‘Verão Vermelho’, do saudoso Dias Gomes, a primeira telenovela que o autor assinou com o próprio nome, de 1970…

* NEILA TAVARES é atriz com trabalhos de destaque no teatro, cinema e televisão, além de escritora, diretora de teatro, jornalista e apresentadora de TV. Já escreveu para o jornal Folha de SP, e também para as revistas Pais e FilhosMulher de Hoje e Ele e Ela; comandou programas de entrevistas na Rede Manchete e na TVE Brasil.  Iniciou-se como atriz meio sem querer, convidada para substituir Suely Franco na montagem do renomado Teatro Opinião para a peça O Inspetor Geral, de Gogol. Com o ator Carlos Gregório e o então marido, o também ator Paulo César Peréio, formou a companhia “Bléc-Bêrd” (grafia distorcida de Black Bird, ou “pássaro preto”), tendo protagonizado o espetáculo  Anti-Nelson Rodrigues, escrito pelo polêmico dramaturgo pernambucano especialmente para ela.

Neila Tavares edita o blog http://flyingontheworld.blogspot.com.br, e publicou os livros 

  • Histórias Maravilhosas para Ler e Pensar
  • Os Mais Belos Pensamentos dos Grandes Mestres do Espírito
  • Orações para Pessoas de Todos os Credos

Neila perfil

Cinema para Crianças: Daniela Gracindo e os Pequenos Cineastas

Em minhas andanças pela web, pesquisando principalmente sobre Arte e Cultura, descubro uma iniciativa que me pareceu das mais auspiciosas. Entro em contato com sua idealizadora e ela se prontifica a me passar informações, gentilmente agradecendo o contato.

Trata-se de um interessante projeto para estimular e fomentar novos produtores de audiovisual. É ela mesmo, a atriz Daniela Gracindo – professora, produtora e idealizadora da oficina de formação de crianças cineastas -, quem explica.

Nós do blog Aurora de Cinema queremos muito ter a oportunidade de ver de perto o funcionamento da Oficina, mas desde logo assumimos nosso encantamento pelo projeto e parabenizamos Daniela Gracindo e sua equipe pela instigante iniciativa, bem como merecem parabéns e aplausos os jovens aprendizes da Oficina pela oportunidade de participar de um ‘encontro’ tão cheio de ludicidade e rica troca de experiências como é esta Oficina Pequeno Cineasta.

A OFICINA PEQUENO CINEASTA objetiva educar crianças na arte cinematográfica com criatividade e liberdade de expressão, contribuindo para que, num futuro próximo, jovens espectadores sejam mais críticos e seletivos com o que vêem e fazem. Na Oficina Pequeno Cineasta, o aluno faz um curta- metragem, vivenciando todas as etapas do processo de filmagem, desde a criação do roteiro, storyboard, operação de câmera, luz, arte, direção, produção, som e montagem, até chegar ao grande momento: a experiência de assistir à sua obra.

Pequenos aprendizes da Sétima Arte na Oficina criada por Daniela Gracindo…

Agora, estão abertas novas inscrições para duas turmas, as quais terão apenas 15 vagas por turma. Os alunos serão selecionados através de entrevista, e o filme realizado será exibido na 4a edição do Festival Internacional Pequeno Cineasta.

A Oficina vai acontecer de 29 de março a 24 de maio, aos sábados. Obs: não teremos aula no feriado da Páscoa – dia 19 de abril

Horários: de 10h às 13h (de 8 a 13 anos), e de 15h às 18h (de 14 a 17 anos)

Local: ESPAÇO MOVE – Av. Armando Lombardi, 949/ Loja C Jardim Oceânico -RJ Entrevistas com agendamento prévio. Contato: (21) 99133-4651

Saiba mais: www.pequenocineasta.com.br

???????????????????????????????

Daniela Gracindo impulsionando o gosto pelo Cinema desde a infância – na foto com o ator e ‘pequeno cineasta’ Matheus Costa…

No texto a seguir, sua idealizadora – atriz e cineasta Daniela Gracindo – conta como nasceu a ideia da Oficina Pequeno Cineasta:

Pequenos Cineastas

“O universo da criança sempre me atraiu. Ali ainda existe uma criatividade fértil aliada à liberdade de expressão, qualidades que, se não estivermos atentos, acabam se atrofiando com o passar do tempo. Por acreditar na importância de desenvolver e de valorizar essas qualidades desde cedo, acabei por desenvolver trabalhos voltados para crianças, o que me trouxe a oportunidade de pegar carona para o rico mundo infantil.

Quando comecei a trabalhar no mercado audiovisual, uma ideia me surgiu: o que uma criança é capaz de criar com uma câmera na mão? Decidi dar corda a essa ideia e juntei uma turma com crianças entre oito e treze anos de idade para realizar um filme. O resultado foi muito surpreendente. Pude compartilhar a alegria e o encantamento daquelas crianças, ávidas por expressar suas idéias e orgulhosas pelo fato de se descobrirem “pequenos cineastas”.

Hoje as crianças nascem em um mundo de natureza eminentemente tecnológica e apresentam grande intimidade com esse universo. O cinema, e também a televisão, enquanto produtos da indústria cultural, acabaram por substituir a cultura infantil tradicional, até então gerada em ambiente lúdico. Antes, a criança criava e reproduzia sua própria cultura. A partir do momento em que a criança foi tirada das ruas, deixou de ser produtora para ser consumidora de produtos culturais.

Mas a Sétima Arte pode (e deve) ser mais do que um produto a ser consumido. Ela pode se tornar uma ferramenta de alta potência para a formação social e cultural de um indivíduo. O cinema que valoriza a cultura também incentiva a auto-estima e gera curiosidade, sem deixar de ser divertido. Através do aprendizado da linguagem cinematográfica, a criança se sente estimulada a pensar, criar e valorizar a autoria do seu pensamento.

Oficinas de cinema para criança aparecem, no começo deste século XXI, como uma nova iniciativa que surge ainda em pequenas proporções, mas que já apresenta retorno altamente satisfatório. Posso afirmar isso pois sou testemunha. Hoje ministro aulas de cinema para crianças e adolescentes dentro do projeto “Pequeno Cineasta”. São oficinas onde as crianças botam a mão na massa, vivenciando as etapas do processo de filmagem desde a criação do roteiro, storyboard, operação de câmera, luz, arte, direção, produção, som e montagem, até chegar ao grande momento: a experiência de assistir à sua própria obra”.

Dani

Saiba mais sobre Daniela Gracindo

Além de atriz e produtora cultural, Daniela Gracindo é professora de teatro e cinema. Com curso superior em cinema pela UNESA, se especializou como Produtora Executiva em 2002 fazendo MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) – RJ. Viveu na Austrália, onde concluiu o curso de “Film Making From Start to Finish”, na Worker’s Educational Association de Sidney. Entre vários trabalhos que realizou, desde 2000, como assistente de direção, diretora, diretora de produção e produtora executiva, destaca-se o documentário de longa-metragem em homenagem ao ator Paulo Gracindo, seu avô paterno, intitulado Paulo Gracindo – O Bem Amado, e o musical Léo e Bia de Oswaldo Montenegro para as telas de cinema. Em 2009, lança a Oficina Pequeno Cineasta, projeto onde ministra um curso de cinema direcionado para crianças. Em 2010 realiza a primeira edição do Festival Internacional Pequeno Cineasta, exibindo filmes feitos por crianças e jovens do mundo inteiro.

Déb e alunos

No encerramento da 3a edição do Festival, pequenos cineastas com a atriz Débora Duarte e sua filha Daniela Gracindo, idealizadora da Oficina Pequeno Cineasta

CONFIRA NOSSO PROGRAMA NO CANAL BRASIL AOS SÁBADOS às 18:30! http://canalbrasil.globo.com/programas/cinejornal/materias/pequeno-cineasta-estreia-dia-08.html

Porque amamos Rubens Ewald Filho

Rubens 1

SENHOR CINEMA: Jornalista é dos mais respeitados do país, tem uma legião de seguidores e encanta amigos e plateias por onde passa…

Todo dia é dia de declarar Admiração, Apreço e Aplauso para RUBENS EWALD FILHO. Mas especialmente isso acontece a 7 de março, dia de PARABENIZAR este incrível colega de profissão, um dos mais ilustres e atuantes jornalistas de Cinema do país, por conta de seu aniversário.
Rubens, Anoli e David
Os atores Marcus Anoli e Germano Pereira, Aurora Miranda Leão, Rubens Ewald Filho, e David Cardoso em noite de festa em Anápolis – abril 2013
Crítico, professor, palestrante, comentarista, ator, roteirista, diretor de teatro, escritor de telenovelas ( a exemplo de Gina e Éramos Seis, em parceria com Sílvio de Abreu), Rubens Ewald Filho tornou-se o mais conhecido e respeitado crítico do país ao comentar oficialmente a solenidade de entrega do cobiçado Oscar. E uma coisa muito rara entre os que exercem o ofício da crítica: RUBENS EWALD FILHO coleciona fãs, é parado na rua para dar autógrafos e tirar fotos com admiradores, e é um Querido nos muitos meios onde atua – seja na TV, Teatro, ou Cinema.
IMG_8910
Germano Pereira, Cláudio Luzza e Rubens Ewald Filho em Gramado…
Foi ele também quem criou o primeiro Dicionários de Cineastas, o Guia de DVDs, e a meritória Coleção Aplauso (Imprensa Oficial de SP). É Curador do Festival de Gramado, além de ser também Curador e criador do Festival e do Pólo de Cinema de Paulínia. Mas isso é só um pouquinho do que a memória me traz agora. De fato, Rubens Ewald Filho é tanto, e realiza tudo com tanta excelência, que falar ou escrever sobre ele é deveras difícil. Ficamos sempre com medo de esquecer dados relevantes.
oficina Rubens
O fato é que ele foi descoberto quando ainda era um iniciante repórter em jornal santista, pelo pioneiro Adhemar Gonzaga, criador da histórica revista CineArte e da companhia cinematográfica CINÉDIA.
Cineasta Lina Chamie, Aurora Miranda Leão e Rubens Ewald Filho em Curitiba
Rubens em casa
São mais de 40 anos de profissão, sempre como pioneiro: foi o primeiro a escrever sobre filmes na TV, sobre vídeo, depois sobre DVD. Foi o primeiro crítico a trabalhar numa televisão por assinatura, e a criação da Coleção APLAUSO foi gesto de extremo cuidado com a preservação da memória da Arte e da Cultura, enfatizando um ponto da personalidade do emérito jornalista que talvez poucos conheçam: o lado do carinho, do respeito ao próximo e da imensa generosidade.
Rubens, Riccelli e eu 1
Carlos Alberto Riccelli, Aurora e Rubens Ewald Filho na edição 2012 do Anápolis Festival de Cinema, da qual Rubens é Curador…
Rb e Marina
Rubens Ewald Filho e Marina Person durante uma das edições do Festival de Paulínia…
Tenho a honra de ter o primeiro livro de meu pai editado por ele. O segundo livro tem prefácio assinado por Rubens. Enfim, o Cinema, o Jornalismo, os muitos encontros e as afinidades nos tornaram amigos. E eu o admiro ainda mais depois que o conheci de perto.
Rb Anáp 2012
Rubens Ewald Filho em visita à Base Aérea de Anápolis – by Aurora de Cinema
Para Rubens Ewald Filho meu abraço mais carinhoso, minha gratidão, minha Homenagem permanente, e os melhores votos de Vida Longa com Saúde, PAZ, Amor, LUZ, e muitas Vitórias !
FELIZ ANIVERSÁRIO, meu Querido RUBENS EWALD FILHO ! E um Aplauso muito caloroso deste blog AURORA DE CINEMA, seu fiel leitor e aprendiz !
turma na Estância com Alex
Rubens Ewald Filho: sempre rodeado de pessoas de Cinema, movidas por enorme bem querer a ele !
???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????
Serginho Groissman e Rubens Ewald Filho…
Algumas palavras de amigos sobre Rubens Ewald Filho:
“Sou um pouco suspeito pra falar do Rubens, pois sou seu fã de carteirinha desde os anos 70, muito do meu trabalho de pesquisa é inspirado na sua obra. Depois de muitos anos, em 1998, quando lancei meu primeiro livro, nos conhecemos pessoalmente, passamos a ser amigos, o que muito me honra e orgulha. Através de sua indicação, fiz quatro livros pela coleção Aplauso. REF é daquelas pessoas que está para todos. Um monumento do cinema. Por isso, novamente desejo-lhe um FELIZ ANIVERSÁRIO. Abraço do amigo. Parabéns por seu texto Aurora. Beijo pra você também.”
Antônio Leão, historiador e pesquisador de Cinema.

“Rubens Ewald, Parabéns. Faço minhas, as palavras da Aurora. E minha gratidão por, entre outras coisas, junto com Hubert Alqueres , ter possibilitado a minha biografia na Coleção Aplauso. Felicidade. Para todo o sempre (título de filme).”

– Alfredo Sternheim, escritor e pesquisador de Cinema

“O que falar de um precursor da crítica cinematográfica no Brasil? O que falar de um crítico que conhece profundamente sua arte como cinéfilo, jornalista e roteirista? Além de filmes e realizadores, ele conhece a mecânica da produção cinematográfica, fala com a propriedade de quem é íntimo da linguagem. Cresci vendo cinema e acompanhando a crítica cinematográfica pelo olhar de Rubens Ewald Filho, tive o prazer e o privilégio de conhecê-lo pessoalmente numa das edições do Fest Cine Goiânia. Um profissional exemplar e uma pessoa incrível que faz questão de atender a todos. Dá atenção e não sonega informação! Uma enciclopédia viva do cinema! Ao Rubens, minha grande admiração e meu sincero abraço!”

Alex Moletta, roteirista, dramaturgo, ator, e professor de Cinema com 2 livros editados

Rubens Ewald Filho entrega troféu Cidade de Gramado ao ator Wagner Moura (que fez questão de receber a comenda das mãos do emérito crítico) na edição do Festival de Gramado 2013…

Samba revela beleza e encanto de Jéssica Mara

JM

A modelo carioca Jéssica Mara, ou Mara Jay como já é conhecida no meio dos flashes e sobre as passarelas de moda, surpreendeu no desfile de sábado do Sambódromo carioca e ganhou destaque midiático inusitado…

Escola Caprichosos de Pilares revelou uma nova Pérola Negra do Samba

O jornal O Globo assim afirmou:

“No turbilhão de luzes, brilhos e milhares de componentes das escolas da Série A que desfilaram sábado no Rio, surgiu uma estrela nova.

Sensualidade sem silicone, beleza sem botox, cabeça raspada, o corpo revelado pelo vestido molhado: Jéssica Mara, musa da Caprichosos de Pilares, botou o público do sambódromo aos pés de seu 1,82m.

Um megasucesso que surpreendeu a estudante e modelo, de 22 anos, natural de Volta Redonda, no sul do estado do Rio:

‘É a primeira vez que desfilo como um destaque, em cima do carro. E eu tenho pavor de altura, não gosto de ficar no alto, detesto. Cheguei lá, e fiz um pouco diferente, mas saiu bem melhor do que eu esperava’, conta Jéssica Mara.

Jéssica mora com o pai, a irmã e a sobrinha, em Bonsucesso, no subúrbio do Rio. A família apoia a carreira de modelo, que já incluiu fotos dela nua. Difícil, ela diz, é ser modelo negra:

‘Eu faço teste pra eles e depois eu vejo, caraca, não passou nenhum negro, só tem louros, de olhos azuis. Às vezes eu chego aqui em casa, falo que não quero mais fazer, não quero mais, meu pai vai e me levanta, minha mãe conversa comigo’.

Jéssica está sendo comparada a Pinah – lendária passista-destaque da Beija-Flor que encantou o príncipe Charles, da Inglaterra, na década de 1970.

A nova musa do Sambódromo carioca guardará para sempre as lembranças da noite mágica:

‘Gostei muito de ter desfilado ! Agradeço a oportunidade que me deram, e a confiança que depositaram em mim, porque eu nunca saí numa avenida, pra sambar. E por eu ser modelo, um diferencial do perfil mesmo do samba, eu não imaginava que daria este tipo de repercussão, não mesmo, eu agradeço muito’.

JM no carro

Jéssica Mara abalou desfilando no alto de um carro alegórico…

Caprichosamente, ela chegou ao Samba: Todo o esplendor de Mara Jay !