Arquivo do mês: abril 2014

FESTIVAL DE GRAMADO: Inscrições abertas e premiação em dinheiro

 

Como acontece anualmente, confirmada a 42a edição do Festival de Cinema de Gramado para a segunda semana de agosto: o concorrido festival vai acontecer de 8 a 16 na serra gaúcha. Desde março, a Gramadotur, autarquia municipal que responde pelos eventos públicos de Gramado, coordena os preparativos com a equipe de produção e entidades do meio cinematográfico em reuniões em Gramado e na capital gaúcha.

Um dos destaques da edição deste ano é a premiação em dinheiro para as produções vencedoras. A notícia foi confirmada pelo presidente da autarquia João Pedro Till. “Essa é uma conquista que coloca Gramado mais uma vez em posição de destaque entre os eventos nacionais e reitera sua importância entre os festivais do gênero na América Latina”, afirma Rosa Helena Volk, Secretária de Turismo que vinha pleiteando a premiação.

Rosa Helena Volk conquista importante vitória para o Festival de Gramado…

As inscrições de curtas e longas-metragens foram abertas esta semana: realizadores de todo o país e da América Latina podem inscrever produções para as quatro mostras competitivas: longas brasileiros, longas estrangeiros, curtas brasileiros e curtas gaúchos. As inscrições seguem até 23 de maio e podem ser feitas no site oficial do Festival, onde também está disponível o regulamento oficial: http://www.festivaldegramado.net

Mais uma vez, valorizando o cinema gaúcho, a mesa diretora da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul já aprovou a realização de mais uma edição do tradicional Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema. O prêmio garante a exibição dos curtas-metragens gaúchos selecionados no Palácio dos Festivais, no primeiro final de semana do festival, além de troféus e prêmios em dinheiro.


As categorias com premiação em dinheiro contempladas pelo 42º Festival de Cinema de Gramado, conforme regulamento, são:

FILMES BRASILEIROS DE LONGA METRAGEM
Melhor Filme – R$ 65.000,00 (sessenta e cinco mil reais)
Melhor Diretor – R$ 15.000,00 (quinze mil reais)
Melhor Ator – R$ 10.000,00 (dez mil reais)
Melhor Atriz – R$ 10.000,00 (dez mil reais)
Melhor Roteiro – R$ 10.000,00 (dez mil reais)
Melhor Fotografia – R$ 10.000,00 (dez mil reais)
Melhor Montagem – R$ 10.000,00 (dez mil reais)
Melhor Trilha Musical – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Direção de Arte – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Ator Coadjuvante – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Desenho de Som – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

FILMES ESTRANGEIROS DE LONGA METRAGEM
Melhor Filme – R$ 65.000,00 (sessenta e cinco mil reais)

FILMES BRASILEIROS DE CURTA METRAGEM
Melhor Filme – R$ 15.000,00 (quinze mil reais)
Melhor Diretor – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Ator – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Atriz – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Roteiro – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Fotografia- R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Montagem – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Trilha Musical – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Direção de Arte – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
Melhor Desenho de Som – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

Rb e Wagner

Rubens Ewald Filho entregou em 2013 o Troféu Cidade de Gramado para Wagner Moura. Renomado Crítico é confirmado Curador do Festival de Gramado 2014…

Carpinejar e a tragédia do menino Bernardo…

Fabrício CARPINEJAR, o Magistral Poeta Gaúcho – com milhares de seguidores nas redes sociais e vencedor de muitos e justíssimos prêmios literários -, insere-se no cotidiano das relações humanas com extraordinária propriedade e torna-se, dia-a-dia, o Poeta dos Poetas, o Sábio das mais Belas Palavras, um Cronista Arrebatador e cada vez mais NECESSÁRIO.

 

O #BlogAuroradeCinema reproduz mais uma crônica antológica do POETA-CRONISTA FABRÍCIO Carpinejar, na certeza de estar espalhando o melhor da Literatura Brasileira contemporânea, convicto de que esta crônica precisa não só ser lida, como deve ser espalhada, republicada, MUL – TI – PLI – CA – DA !!!

Como tantas vezes dissemos aqui e nas redes sociais, um Nobel da Poesia para @FabrícioCarpinejar !

ESSE MENINO ERA SEU FILHO

Fabrício Carpinejar

Não posso nem chamá-lo de caro ou prezado, mas apenas usar seu nome: Leandro. Educação e respeito vão soar como cinismo. 

Tampouco posso chamá-lo pelo sobrenome para indicar formalidade. Perdeu o direito do sobrenome. Seu filho pequeno está enterrado em seu sobrenome para sempre. Ele carregava seu sobrenome, você não soube carregar coisa alguma dele.

Tenho enfrentado vários pesadelos desde que ouvi a notícia de que seu menino de 11 anos fora morto pela madrasta. 

Que seu menino foi posto numa cova às margens de um rio em Frederico Westphalen (RS) e poderia estar ainda vivo. Coberto pela terra quando deveria ser coberto pelo edredon para não passar frio de noite.

Seu filho foi enganado. Toda a vida enganado. Toda a vida humilhado. Na hora de seu fim, aceitou o passeio para longe de Três Passos porque jurava que receberia uma televisão.  

Quando seu menino acordar dentro da morte, ele vai chamá-lo. Assim como toda criança chama seu pai quando tem medo do escuro. Vai chamá-lo e onde estará?

Ele acreditava que você era o herói dele. Estava exagerando para pedir que o salvasse, não entendeu o apelo?

Você nem pai foi. Nem homem foi. Você foi o que restou.

Como médico, não acha Bernardo uma criança um pouco grande para fazer um aborto?

O que dirá para irmãzinha dele? Que Bernardo está no céu? Que é uma estrela?

Perdeu também o direito de mentir. É você e sua memória sozinhos no silêncio. Só resta a memória para quem matou a consciência.

Nunca encontrará perdão. Deixou Bernardo desamparado. Deixou Bernardo com as mesmas roupas curtas, o mesmo uniforme escolar surrado, desde que a mãe faleceu. Deixou seu filho mendigar atenção pela cidade. Pelo fórum. 

Não entendo o que leva um homem a anular sua família anterior por uma nova namorada. O sexo é mais importante do que a paternidade? A bajulação é mais importante do que a ternura? Queria estar disponível para festas? Cortar gastos?

Fingiu que Bernardo não existia para não atrapalhar a ambição da sua mulher? Fingiu que Bernardo não havia nascido para atender à exclusividade de sua mulher?

Filho não é escolha, é responsabilidade. Já casamento é escolha...

Se a mulher não gostava de seu filho, não deveria ter recusado o relacionamento?

Como seria simples. Bastava dizer "Ou meu filho ou nada!". É o que se fala no início do namoro.

Para você, nada.

Não é que você não tem mais nada, você não é mais nada. Abdicou de seu filho para ficar com alguém. Você não se contentou em abandonar sua família para criar uma segunda família, você aniquilou sua família para criar uma segunda família.

Obrigava Bernardo a esperar fora de casa até você chegar do trabalho, agora é você quem espera fora de casa. 

Obrigava Bernardo a lavar as mãos para brincar com a irmã. Pois tente lavar suas mãos agora para tocar no rosto dele. 

Tente todos os dias de sua paternidade. Sangue não sai com a culpa.

ESSE MENINO ERA SEU FILHO

Fabrício Carpinejar

Não posso nem chamá-lo de caro ou prezado, mas apenas usar seu nome: Leandro. Educação e respeito vão soar como cinismo.

Tampouco posso chamá-lo pelo sobrenome para indicar formalidade. Perdeu o direito do sobrenome. Seu filho pequeno está enterrado em seu sobrenome para sempre. Ele carregava seu sobrenome, você não soube carregar coisa alguma dele.

Tenho enfrentado vários pesadelos desde que ouvi a notícia de que seu menino de 11 anos fora morto pela madrasta.

Que seu menino foi posto numa cova às margens de um rio em Frederico Westphalen (RS) e poderia estar ainda vivo. Coberto pela terra quando deveria ser coberto pelo edredon para não passar frio de noite.

Seu filho foi enganado. Toda a vida enganado. Toda a vida humilhado. Na hora de seu fim, aceitou o passeio para longe de Três Passos porque jurava que receberia uma televisão.

Quando seu menino acordar dentro da morte, ele vai chamá-lo. Assim como toda criança chama seu pai quando tem medo do escuro. Vai chamá-lo e onde estará?

Ele acreditava que você era o herói dele. Estava exagerando para pedir que o salvasse, não entendeu o apelo?

Você nem pai foi. Nem homem foi. Você foi o que restou.

Como médico, não acha Bernardo uma criança um pouco grande para fazer um aborto?

O que dirá para irmãzinha dele? Que Bernardo está no céu? Que é uma estrela?

Perdeu também o direito de mentir. É você e sua memória sozinhos no silêncio. Só resta a memória para quem matou a consciência.

Nunca encontrará perdão. Deixou Bernardo desamparado. Deixou Bernardo com as mesmas roupas curtas, o mesmo uniforme escolar surrado, desde que a mãe faleceu. Deixou seu filho mendigar atenção pela cidade. Pelo fórum.

Não entendo o que leva um homem a anular sua família anterior por uma nova namorada. O sexo é mais importante do que a paternidade? A bajulação é mais importante do que a ternura? Queria estar disponível para festas? Cortar gastos?

Fingiu que Bernardo não existia para não atrapalhar a ambição da sua mulher? Fingiu que Bernardo não havia nascido para atender à exclusividade de sua mulher?

Filho não é escolha, é responsabilidade. Já casamento é escolha…

Se a mulher não gostava de seu filho, não deveria ter recusado o relacionamento?

Como seria simples. Bastava dizer “Ou meu filho ou nada!”. É o que se fala no início do namoro.

Para você, nada.

Não é que você não tem mais nada, você não é mais nada. Abdicou de seu filho para ficar com alguém. Você não se contentou em abandonar sua família para criar uma segunda família, você aniquilou sua família para criar uma segunda família.

Obrigava Bernardo a esperar fora de casa até você chegar do trabalho, agora é você quem espera fora de casa.

Obrigava Bernardo a lavar as mãos para brincar com a irmã. Pois tente lavar suas mãos agora para tocar no rosto dele.

Tente todos os dias de sua paternidade. Sangue não sai com a culpa.

Capítulo final: Pra ficar tudo JÓIA RARA…

Como cantou o poeta Caetano, “Deixa eu cantar/que é pro mundo ficar Odara/minha cara, minha cuca ficar Odara/ Pra ficar tudo Jóia Rara…”

Se quisermos fazer uma associação entre os versos do compositor baiano e a novela de Duca Rachid e Thelma Guedes, podemos afirmar que a sensação que o músico explicitou na letra, tem as mesmas vibrações do AMOR e da PAZ com os quais as autoras nos fizeram sonhar e querer (ainda mais) durante os meses nos quais JÓIA RARA esteve no ar com a pujança de sua beleza, a relevância dos temas abordados, e o encantamento proporcionado pela qualidade da direção e produção artística…

Jóia Rara foi alvo de diversos comentários nossos aqui no #Blog Aurora de Cinema. A novela escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes para o horário das 18h teve 173 capítulos e ficou 7 meses no ar com absoluta qualidade. Por isso, voltamos a ela tantas vezes, encantados com a excelência desse autêntico marco da Teledramaturgia Brasileira.

F e A

Mas ficou faltando registrar o capítulo final da trama, o que
não fizemos logo após o término de Jóia Rara por conta da
abrupta notícia da morte do querido ator e magistral artista
JOSÉ WILKER.

Wk 5

WILKER era um dos Artistas de nossa maior Admiração e foi
um susto enorme acordar no sábado, 5 de abril, e encontrar a
notícia de sua repentina partida na web. A notícia nos tomou
de assalto e, a partir daí, nosso sábado, domingo e segunda
foi revendo e relendo entrevistas do artista, pesquisando
sobre sua vida e obra, e postando em várias redes sociais o
nosso imenso pesar pelo fato e registrando a enorme
saudade que ele deixou, bem como a lacuna considerável que
JOSÉ WILKER deixou no cenário artístico.

Amelinha

Bianca, Bruno e Caio Blat: ótimos intérpretes em novela lapidar…

Passado o impacto maior e suas naturais consequências,
vamos então agora falar sobre os prodígios finais de JÓIA
RARA. Das autoras – grandiosas Duca e Thelma -, passando
pela diretora Amora Mautner e seus muitos colaboradores
(Paulo Silvestrini, Joana Jabace, Enrique Diaz), e toda a
espetacular equipe que tornou possível a preciosidade
imagética e textual, ao elenco fabuloso, JÓIA
RARA foi um acerto do começo ao fim, em todos os
aspectos. E pra se despedir de seu público, ainda trouxe
Glória Menezes como fecho de ouro para uma história que
afirmou, mostrou, conduziu, seduziu e reafirmou sua opção
primordial: O AMOR ! É ele a JÓIA RARA que todos nós
trazemos dentro e, portanto, cada um de nós é responsável
pela Paz que pode entregar ao outro para tornar o mundo um
lugar melhor para se viver.

Bruno Gagliasso e Nelson Xavier nos capítulos iniciais…

Norbu

Adriano Alves, que fez o Norbu, foi mais um bom ator-mirim em cena…

Quem acompanhou a novela, sabe: os últimos capítulos foram centrados na perseguição policial ao maléfico Manfred (vivido com absoluta maestria por este ator magnífico que é Carmo Dalla Vecchia), o suposto filho bastardo do empresário Ernest Hauser. Após cometer todo tipo de maldade e uma sucessão de malefícios contra a família de Franz (este sim o primogênito dos Hauser), Manfred desejava no final sequestrar Pérola, a filha de Franz e Amelinha, pois sabia que, desaparecendo com a menina, estaria fazendo o mal, indistintamente, a toda uma família, amorosa e unida, que tinha em Pérola seu sentido maior.

Cláudia Ohana construiu com delicadeza e sensibilidade um dos mais bonitos papéis de sua carreira. Na foto com o ator Xande Valois, seu filho na novela

Dja Marthins, José Araújo e Nathália Dill: atores de alto nível !

A baiana Cristiane Amorim encantou como a ‘trambiqueira’ Zefinha (ou Josephine, como ela preferia ser chamada) e marcou com uma atuação primorosa !

Anthero Montenegro fez o mau-caráter Benito e atuou com galhardia !

Sílvia Salgado era Pilar, amiga inescrupulosa que traiu a amizade de Sílvia (Nathália Dill)…

Cacau Protásio fez com esmero a bondosa e aperreada Lindinha

Jorge Maia fez Cícero, o fiel  motorista de Ernest Hauser…

Delegado Cavalcante e seu fiel escudeiro Peçanha: atuação dos atores (Vicentini Gomez e Marcelo Aquino) foi tão profícua que personagens ganharam relevância na trama…

Ana Lúcia Torre e Carmo Dalla Vecchia: duelo de gigantes !

Bruno Gagliasso e Mel Maia: pai e filha em sintonia que extrapolou a tela e criou forte empatia com o telespectador…

E assim o telespectador passou a semana final da novela acompanhando as artimanhas de Manfred para escapar do cerco policial – e ele sempre dava um jeito de escapar mais uma vez -, ao mesmo tempo em que curtia a chegada dos bebês das vedetes – foram 4 grávidas do Cabaret Pacheco Leão -, a aflição de Amelinha e Franz, a reconciliação do casal Hilda e Toni, e Arthur e Laura.

Joel, Aurora e Lola (Médici, Mariana e Letícia Spiller): vedetes em disputa…

E finalmente também ‘a volta’ dos casais formados por Aurora e Davi, e Lola e Fabrício. Tudo impecavelmente bem realizado com um notável casamento entre atuação, trilha, fotografia, caracterização, direção de arte.

Letícia Spiller compôs com desenvoltura e pleno domínio da cena a espevitada, carente, complicada e glamourosa vedete LOLA… APLAUSOS !!!

A cada um que contribuiu para que JÓIA RARA fosse o inegável e inconteste acerto que foi, o #BlogAuroradeCinema gostaria de ofertar um Aplauso muito carinhoso. A cada um que participou da brava equipe que realizou obra tão bela e apaixonante, nós gostaríamos de abraçar pessoalmente, celebrando a graça que foi acompanhar JR e, ao mesmo tempo, parabenizando pela excelência do produto artístico que ajudaram a construir, e cumprimentando pela oportunidade de terem (cada um em sua função) colocado sua pedra preciosa ali (umas maiores, outras menores, como é natural em qualquer obra) mas todos fundamentais para o êxito geral da novela.

Luíza Valdetaro, bela e boa atriz, compôs com enorme delicadeza uma personagem frágil e amorosa…

Assim, gostaríamos de citar aqui o nome de cada um dos muitos que integraram o elenco e a equipe técnica. Aos que, por ventura, nós não citarmos, ficam nossas desculpas – nem sempre é fácil ser fiel a todos e nem mesmo a web está sempre apta a nos fornecer todas as informações.

No lançamento da novela JÓIA RARA, Ricardo Waddington e Amora Mautner (diretores principais), Thlema Guedes e Duca Rachid, as autoras…

As autoras, conforme já fizemos aqui repetidas vezes, nossos mais calorosos APLAUSOS ! Parabénssss por obra tão apaixonante: o enfoque escolhido para história tão singela como a de uma garota com um dom especial – filha de um casal que era a própria simbologia do Amor (com seus obstáculos, dificuldades, romantismo, e muitas idas e vindas), incorporando a reencarnação de um ‘Rinpoche’ e através de quem todas as grandes questões eram colocadas – foi de uma perspicácia e sensibilidade invejáveis. Tudo muito singelo e aparentemente despretensioso só para construir um verdadeiro libelo em defesa do Amor e a Favor da PAZ. Daí a potência dramatúrgica da obra, obviamente envolta num diversificado leque de invejáveis méritos, os quais tornaram JÓIA RARA um marco de fundamental importância, não só para o horário das 18h, mas para a história da Teledramaturgia Brasileira em sua totalidade.

Mel Maia: atuação impecável da atriz-mirim mais querida da televisão ! Impossível não se apaixonar por esta ‘Pérola’ !

Marcos Caruso e Rosi Campos: talentos que se reafirmam a cada novos personagens…

Quanto ao Elenco, vamos por partes:

Bruno Gagliasso, Carmo Dalla Vechia, Bianca Bin, Mel Maia, José de Abreu, Thiago Lacerda, Domingos Montagner, Carolina Dieckmann, Ana Lúcia Torre, Nathália Dill, Caio Blat, Ângelo Antônio, Fabio Yoshihara, Letícia Spiller e Mariana Ximenes estavam na linha de frente. E ainda Nélson Xavier em participação especial nos primeiros capítulos.

BRUNO GAGLIASSO – Ator de rara beleza, é também um profissional que merece o maior respeito pois sempre dedica aos personagens que recebe o mesmo cuidado e a mesma vontade de fazer mais e melhor. Gostei dele desde que o vi atuando, e foi em Paraíso Tropical, de Gilberto Braga, que seu talento se consagrou de vez. Infelizmente, perdi ‘Cordel Encantado’, a trama anterior de Duca e Thelma, mas soube que ali ele fez um personagem que terminava louco, e tenho notícias de que deu ‘um banho’. Como Franz, Gagliasso compôs com gestos, olhares, tristeza, risos e pungentes expressões faciais um personagem delicado, sofrido, terno, inseguro, e foi um protagonista pleno de méritos. Mais um DEZ na carreira de um Ator que tem tudo pra fazer mais e mais personagens de destaque.

O mesmo é válido para José de Abreu e Carmo Dalla Vecchia. Esses dois incorporavam o que de pior pode ter um ser humano, e os dois o fizeram com extremo brilhantismo. José de Abreu fez Ernest, que era um pai/patrão/empresário e marido péssimo, na mais funda acepção da palavra. Era vê-lo na tela e sentir imediatamente uma funda repulsa. Nojo demais de alguém tão mau… mas a trama lhe deu chance de mostrar outras facetas como ator, enquanto deu chance ao personagem de mudar e evoluir sentimentalmente pelo sofrimento e pela força do amor e do exemplo da neta, a Pérola, garota querida por todos, e a quem ele chamava carinhosamente de Alpenperle (Pérola dos Alpes), por ser a reencarnação vinda dos Himalaias. Uma chance bem dada e magistralemente assumida pelo ator: José de Abreu conseguiu igualmente convencer como personagem que era transformado pela força do Amor. Um DEZ com muita ênfase para José de Abreu.

Com Carmo Dalla Vecchia foi um pouco diferente: o personagem desde o começo se mostrou uma pessoa ruim, mas Manfred ainda tentava enganar uns e outros. O próprio Franz (Gagliasso) ficou muito tempo achando que ele era seu melhor amigo. Com o passar do tempo, a maldade vai tomando conta de Manfred e o ator vai lapidando sua interpretação qual um diamante prestes a brilhar com força total: e foi assim que o personagem foi ficando cada vez pior, deixando aflorar maldades e passando a ser um grande artífice do mal. Cada coisa que Manfred armava era pior e mais prejudicial, e mesmo assim, ele conseguiu enganar muita gente por muito tempo, chegando até a levar para a cadeia pessoas inocentes, como Amelinha (vivida com maestria por Bianca Bin). No final, Manfred enlouquece com tanta maldade, e ficamos sabendo o porquê de tanta carência: ele havia sido uma das crianças que o malvado Ernest enviara para trabalho escravo numa carvoaria, além de ter sido criado, sempre, sem nenhum tipo de atitude amorosa por parte de quem ele julgava seu pai (na verdade, o pai dele era outro, o pusilânime Venceslau, vivido por Reginaldo Faria).

BIANCA BIN compôs em grande nível todas as nuances que sua personagem pedia. Fazendo a pobre, sofrida, injustiçada e amorosa Amelinha (dedicada mãe de Pérola), a atriz reafirmou sua extrema competência. Ela, que em seu personagem anterior, a vilã Carolina do remake de Guerra dos Sexos, fez meio mundo ficar com nojo de suas maldades, voltou à cena com uma personagem totalmente oposta, e fez bonito, compondo com sensibilidade e muita delicadeza uma personagem fundamental na trama de Jóia Rara – não fora uma atriz do quilate que ela agora reafirmou, e a Amelinha corria o risco de ter ficado muito água com açúcar e até chata, como tantas vezes acontece com as ‘boazinhas e sofridas’. Bianca Bin é Atriz para alçar grandes voos. Um DEZ muito carinhoso pra ela !

* Estes encabeçaram e foram intérpretes perfeitos para seus personagens, todos atuando com intensa maestria e um brilho no olhar que resvalava suavemente em cada cena, compondo um notável painel de pessoas trabalhando num ofício que de fato amam e para o qual são vocacionados.

Cristiane Amorim e Mel Maia: Zefinha e Pérola em ‘armação’ planejada por Manfred para tentar tirar a guarda de Pérola de Amelinha…

Bruno Gagliasso, Marcelo Aquino e Vicentini Gomez em Jóia Rara

Dja e José

José Araújo e Dja Marthins: participação com brilhantismo dos atores fez com que as autoras trouxessem os personagens de volta no capítulo final… LINDO !

Gostaria ainda de falar da habilidade com que cada ator compôs seu personagem, mas o tempo e o cansaço me impedem de fazê-lo. De qualquer modo, já o fizemos nas tantas outras vezes em que JÓIA RARA foi alvo de nossas análises aqui no #BlogAuroradeCinema.

Caio Blat, Ana Lúcia Torre, Carolina Dieckmann, Domingos Montagner, Thiago Lacerda, Ângelo Antônio, Nathália Dill, Letícia Spiller, Mariana Ximenes, Marcos Caruso, Rosi Campos, Nicette Bruno, Luíza Valdetaro, Thiago Abravanel – vocês iluminaram nossa telinha com a luminosidade de seus talentos.

Cristiane Amorim (e sua inesquecível Zefinha), Anthero Montenegro, Vicentini Gomez (presença forte e constante como o Delegado), Dja Marthins, José Araújo, Marcelo Aquino, Jorge Maia, Cacau Protásio, Douglas Reis, Silvia Salgado (conterrânea), Cláudia Ohana, Miguel Rômulo, Icaro Silva, Rafael Cardoso, Ricardo Pereira, Adriano Alves, João Fernandes: vocês contribuíram lindamente para o êxito absoluto da novela. E provaram, mais uma vez, que não existem pequenos personagens: existem atores vaidosos demais, intérpretes displicentes, e profissionais que pouco amam e pouco se dedicam ao ofício. Parabéns por todas as cenas nas quais atuaram. Fizeram bonito e também merecem o Aplauso #BlogAuroradeCinema.

Franz e Ame

Amelinha e Franz tiveram direito a um segundo casamento…

Cacau

Cacau Protásio e Glicério do Rosário: Lindinha e Etelvino enfim casados

Silvia

 

Marcos Caruso, Simone Gutierrez e Fabíula Nascimento: a turma do Cabaret…

Nicette Bruno contracena com Marcos Caruso: a atriz voltou a gravar após a morte do marido Paulo Goulart, e ‘Santinha’ retornou à cena em grande estilo…

E nas participações rápidas e muito especiais, citamos Élcio Romar, Roberto Pirillo, Jayme Del Cueto, Juliana Araújo, Ísio Ghelman, Mouhamed Harfouch, e Glória Menezes – os dois últimos apenas no capítulo final -, que fez com brilhantismo a personagem de Pérola como Monja, já em 2014. E participou proferindo um discurso num Congresso para o qual Pérola havia sido convidada para falar sobre a PAZ. E a cena foi o ácme de todas as belas e relevantes mensagens passadas ao longo de toda a trama. Foi um coroamento absoluto, não só do texto das autoras, bem como de toda a pesquisa histórica, direção e fotografia, traduzindo em imagens o que a personagem dizia em palavras e emoção: não faltaram imagens de ditadores como Hitler nem de ícones como Gandhi e Dalai Lama.

Foto: A família é o bem mais precioso! #JoiaRara http://glo.bo/1m0klAh

Quem perdeu o capítulo final de JÓIA RARA perdeu muito mais do que um capítulo de novela: perdeu um belo momento de enlevo emocional atráves da Teledramaturgia, e um dos mais belos finais de novela de todos quanto se tem notícia.

Foto: E não é que essas duas viraram amigas? \o/ #JoiaRara http://glo.bo/1k8RnAb

Foto: • Fim: casais felizes, gravidez e mais! Confira os desfechos da família Hauser.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Depois de muitas vilanias e mistérios envolvendo a família Hauser, finalmente tudo se resolveu. Cada um, a sua maneira, buscou sua felicidade. Após aprender a amar com sua neta, Ernest (José de Abreu) falece em uma tentativa de salvar Manfred (Carmo Dalla Vecchia). Mas antes de ir embora, o suíço deixa no mundo o fruto de sua relação com Dália (Tania Khalill): um menino, que mais tarde foi batizado de Ernest Hauser Filho pela vedete. Depois da morte do amado, a ruiva dedicou sua vida à erradicação do trabalho infantil.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Já Viktor (Rafael Cardoso), com o empurrãozinho do pai enquanto ainda estava vivo, ganha fama internacional como pintor, e sua esposa Sílvia (Nathalia Dill) transforma a "Joalheria Hauser & Zampari" em uma referência no mercado de joias. Além de Heitor, eles têm uma menina, a quem batizaram de Catarina.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Hilda (Luiza Valdetaro) foi outra que se destaca profissionalmente e é uma das cantoras mais queridas do país. Toni (Thiago Lacerda) prospera como comerciante, abre uma rede de supermercados e cria a Fundação Gaia de apoio ao trabalhador.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Saiba tudo sobre novelas, programas de variedades e reality shows da TV Globo! E veja também receitas, dicas de estilo e conteúdos exclusivos só para a web. Conheça o Gshow!

A repercussão nas redes sociais foi enorme. Deixamos você, leitor amigo, com a imagem final de Glória Menezes (Pérola) e a definição de JÓIA RARA:

Foto: Lindo discurso da Pérola! Como não se emocionar com o final de #JoiaRara? http://glo.bo/1k8RnAb

Marcos Caruso, Rosi Campos, Nicette Bruno, Luíza Valdetaro (lindíssima e ótima atriz), Leopoldo Pacheco, Miguel Rômulo, Ana Cecília Costa, Cristiane Amorim, Cláudia Missura, Cacau Protásio, Vicentini Gomez, Anthero Montenegro, Luana Martau, Marcelo Médici, Tania Khalill, Giovanna Ewbank, Fabíula Nascimento, Simone Gutierrez, Norma Blum, Cláudia Ohana, Icaro Silva, Dja Marthins, José Araújo, Reginaldo Faria, Glicério Rosário, Paula Burlamaqui, e Luiz Gustavo vinham num segundo nível de importância.

Carmo e eles

Clima nas gravações finais: Vicentini Gomez, Carmo Dalla Vecchia e Marcelo Aquino dando um stop na perseguição ao terrível Manfred…

Foto: Esse e o clima do ultimo dia de gravação, é só alegria!!!

Da esquerda pra direita: Dja Marthins, Glicério do Rosário, José Araújo, Cacau Protásio, Leandro Lima e Vicentini Gomez. Sentados, Jorge Maia e Marcelo Aquino: último dia de gravações…

* CLIP DO TEMA DE ABERTURA criado por Gilberto Gil:

http://youtu.be/3fD8oVfr0k0

Mas o elenco era tão numeroso e toda a equipe tão competente que queremos homenagear a todos. Portanto, fomos procurar a Ficha Técnica Oficial da TV Globo. Confira:

ELENCO PRINCIPAL

Adelio Lima – Josias
Adriano Alves – Norbu
Adriano Bolshi – Rigpa
Alexandre Rodrigues – Josué
Ana Cecília Costa – Gaia
Ana Lucia Torre – Gertrude
Angêlo Antônio – Tempa
Aninha Lima – Zilda
Anthero Montenegro – Benito
Bia Guedes – Julieta
Bianca Bin – Amélia
Bruno Gagliasso – Franz
Cacau protásio – Lindinha
Caio Blat – Sonan
Carmo Dalla Vecchia – Manfred
Carolina Dieckmann – Iolanda
Cláudia Missura – Dona Conceição
Claudia Ohana – Laura
Cristiane Amorim – Zefinha
Domingos Montagner – Mundo
Élcio Romar – Salvador
Fabio Yoshihara – Jampa
Fabiula Nascimento – Matilde
Giovanna Ewbank – Cristina
Glicério Rosário – Etelvino
Glória Menezes – Pérola
Gustavo Trestini – Dr. Silveira
Guta Ruiz – Elisa
Ícaro Silva – Artur
Ísio Ghelman – Heitor Zampari
João Fernandes – Peteleco
Jorge Maya – Cícero
José de Abreu – Ernest
Juliana Lohmann – Belmira
Juliane Araújo – Marta da Costa
Karine Carvalho – Rosa
Land Vieira – Isaías
Leandro Lima – Davi
Leopoldo Pacheco – Valter
Letícia Spiller – Lola
Luana Martau – Creontina
Luiz Gustavo – Apolônio
Luiza Valdetaro – Hilda
Márcio Ehrlich – Dr. Moacir
Marcos Caruso – Arlindo
Marcos Damigo – Dr. Rubens
Maria Gal – Margarida
Mariana Mac Niven – Catarina
Mariana Ximenes – Aurora
Marcelo Médici – Joel
Max Lima – Caetano
Mel Maia – Pérola
Michel Gomes – Curió
Mouhamed Harfouch – biógrafo
Nathalia Dill – Sílvia
Nelson Xavier – Ananda
Nicette Bruno – Santinha
Norma Blum – Mama Francesca
Paula Burlamaqui – Volpina
Paulo Verlings – Kleber
Pedro Neschling – Arlindinho
Rafael Cardoso – Viktor
Reginaldo Faria – Venceslau
Renato Góis – Nuno
Ricardo Pereira – Fabrício
Rosi Campos – Miquelina
Sacha Bali – Eurico
Silvia Salgado – Pilar
Simone Gutierrez – Serena
Stella Maria Rodrigues – Marlene
Tania Khalil – Dália
Thiago Lacerda – Toni
Tiago Abravanel – Odilon
Vicentini Gomes – Delegado Cavalcante
Xande Valois – Giuseppe/Tavinho

ELENCO DE APOIO

Afranio Gama
Bernardo Felinto
Cirillo Luna
Cristiana Ferreira
Dja Marthins
Freddy Montero
Freddy Ribeiro
Gillray Coutinho
Guilherme Dellorto
Joelson Gusson
Jose Araújo
Marcelo Aquino
Marília Coelho
Mirian Meee
Vilma Melo
Vinicius Marins

Foto: • Autoras gravam participação no último capítulo!</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Autoras de #JoiaRara, Thelma Guedes e Duca Rachid fizeram questão de acompanhar de perto as gravações finais da novela das 18h, que termina nesta sexta-feia (04). E mais: fizeram uma participação especial no último capítulo da produção.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>As autoras  aparecerão na plateia do Cabaré Pacheco Leão, usando roupas de época. A última cena será a de um show apoteótico, em que as vedetes cantarão "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso.</p><br /><br /><br /><br /><br /><br /><br />
<p>Não perca hoje o último capítulo de Joia Rara!

Duca Rachid e Thelma Guedes em aparição inesperada no capítulo final…

Uma novela de: Duca Rachid e Thelma Guedes
Coautoria: Thereza Falcão
Colaboração: Manuela Dias, Luciane Reis, Camila Guedes, Alessandro Marson e Newton Cannito
Direção: Paulo Silvestrini, Joana Jabace, Enrique Diaz e Fábio Strazzer
Direção geral: Amora Mautner
Direção de núcleo: Ricardo Waddington
Período de exibição: 16/09/2013 – 04/04/2014
Horário: 18h
N° de capítulos: 173

Foto: Aquele momento que fica na memória! #JoiaRara

Elenco e equipe celebrando o êxito da novela JÓIA RARA no último dia de gravação…

Cenografia: João Irênio e Alexis Pabliano
Cenógrafos assistentes: Beatrice Guedes, Valéria Violeta, Marcia Bezerra, Ilka Moura, Fernanda Pozzato e Inês Cabral
Figurino: Marie Salles
Figurinistas assistentes: IIsabela Bertazzi, Mariana Sued, Renata Vasconcelos e Veridiana Gaertner

NatalNatal também foi destaque em Jóia Rara: Thiago Abravanel (Odilon) e João Fernandes (Peteleco)…

Equipe de apoio ao figurino: Ana L. André, Ana Maria Da Silva, Carlos Henrique Sousa, Cleber Dos Santos, Cristiane Ramos, Denise Prado, Dirceu Jorge, Doralice De Oliveira, Edson Marques, Eliane Carvalho, Eloísa Antunes, Fabio Andrade, Gilma Oliveira, Gilvania De Sousa, Licia Margarida, Luis Carlos De Sousa, Marcia Sarmento, Maria Sueli Da Silva e Mauricio Carvalho

Casamento de Toni e Gaia: momento de enlevo belíssimo em JÓIA RARA

Direção de fotografia: Fred Rangel
Direção de iluminação: Paulo Roberto Miranda e Rogerio Rogers
Equipe de iluminação: Gabriel Coelho, Adalberto Porto, Alan Carlos, André William Valentim, Antonio Carvalho, Antonio Henrique, Emerson Vago, Jorge Marcos, Julio Cezar Rosa, Luiz Ribeiro Da Silva, Marcelino Filho, Roberto Pereira Júnior e Sergio Marcelo

O Carnaval rendeu algumas das mais caprichadas e belas cenas de Jóia Rara

Produção de arte: Ana Maria Magalhães
Produção de arte assistente: Andrea Chuairi, Bianca Romano, Camila Pinho, Emilly Dias, Flavia Garrido e Leda Van
Equipe de apoio à arte: Alexandre Araújo Ferreira, Alexandre Francisco Da Silva, Archimedes Ferreira Simões, Edson França, Edson Herdade, José Luis Margato De Almeida, Marcus Vinícius Gomes, Nathalia Pugliese, Roberto Morelli São Pedro e Sankler Cardoso
Produção de Elenco: Luciano Rabelo

Décio (Miguel Rômulo em grande atuação) torna-se mais uma vítima de Manfred…

Foto: (Foto: Reprodução / Juliana Lohmann)

Instrutora de dramaturgia: Paloma Riani
Produção musical: Eduardo Queiroz
Direção musical: Mariozinho Rocha
Caracterização: Alê de Souza e Sumaia Assis
Equipe de apoio à caracterização: Del Cascardi, Bruna Cristina, Carlos Soares, Catarina Mohilla, Chirlei Kormann, Delise Oliveira, Erica Costa, Netto Guarany, Jo Lossano, Ligia Costa, Luciano Loreto, Regina Chipolesch, Suely De Paula e Tatiana Cerqueira
Colorista: Marina de Martha Pena
Edição: Fabrício Ferreira, Marcos Lisboa,Wilson Fragoso e Pedro França
Sonoplastia: Nelson Zeitoune, Irapuam Jardim e João Curvello
Efeitos visuais: Toni Cid e Mauro Heitor
Efeitos especiais: Frederico Farfan e Vitor Klein
Abertura: Alexandre Pit Ribeiro e Alexandre Romano
Direção de imagem: Augusto Lana
Câmeras: Adriano Lemos, Bernardo Blaz, Carlos Colombo, Cid Rima, Rafael Rahal e Thiago Motta
Equipe de apoio a op. de câmera: Andre Gomes Santos, Edgar Moutinho, Luiz Felipe Ferreira, Pedro Luis De Souza e Vinicius Rosário
Equipe de vídeo: Alexandre Carpi Barros, Lucas Orosque e Romulo Rodrigues
Equipe de áudio: Ádamo Martins, Diego Armando, Diego Monsores, Gustavo Gouveia, Helberth Morhy, Renildo Machado e Ricardo Manfrinato
Supervisor e op. Sistemas: Marco Antonio Lourenço e Rafael Soares da Silva

carnaval JR

Produtor cenografia: Eduardo Areal
Gerente de projetos: Alexandre Gama, Francisco Mesquita e Leonardo Machado
Supervisor de produção de cenografia: Antonio Carlos Pereira, Docacildo Viana, Guilherme Senges, Valdeci Djavan, Willian Felinto eWesley Estulano Souza
Equipe de cenotécnica: Adriana Conceição Jesus, Adailton Dos Santos Soares, Alessandro De Sales Correa, Alexandre D Avila Pereira, Anderson Santos Nascimento, Andre Luiz Pires Lopes, André Moraes De Alencar, Angelo Santos Rocha, Antonio Carlos De Souza Francisco, Artur Cesar Justino De Souza, Bruno Da Costa Palermo, Carlos Eduardo Marcolino De Aquino, Claudiano Ferreira Da Silva, Claudionor Roberto Da Silva, Dalmo Perez Salles De Assis, Daniel Zavoli Da Silva, Diego Antunes Marinho, Ednaldo José Pinheiro, Eduardo Oliveira Ferreira, Elbert Santos De Assis, Elizeu Megliorini, Erivando De Souza Pae, Erotildes Dos Santos Souza, Fabiano Correa Da Silva, Fabio De Pinho Correa, Fabio Luiz Virgolino, Flavio Nascimento Marcionilio, Francisco Souza Pae, Franklin Silva Carvalho, Gelcimar Gonçalves Segundo, Gerson Da Silva Chagas, Gilberto Da Silva, Gilberto Lima Alves, Hamilton Barbosa Silva, Helio Silva Costa, Helvis Mariano Dos Santos, Jonatan De Oliveira Mineiro, Jorge Antônio Silva, Jose Alexandro Da Silva, José Carlos Aleluia, Jose Raimundo Da Silva, Kellison Mauricio Barbosa, Leandro Cristino Da Silva, Leandro De Souza Cesário, Luciano De Oliveira Martins, Manoel Mendes Da Paixão, Marcelo Marins Da Cruz, Maria De Fátima Almeida, Maria Lucia Gomes, Maria Lucia Antunes Marinho De Souza, Paulo Sérgio Sardinha, Pedro Batista José Braz, Rafael De Souza Ricardo, Renato Francisco Da Silva, Ricardo Alexandre De Almeida, Roberto Fernandes De Souza, Romulo Cardoso Dantas, Sérgio Ferreira Dos Santos, Sérgio Ricardo Pereira Da Silva, Sérgio Teixeira Fernandes, Thiago Felix Pessoa, Valmir Dos Santos Soares, Vanilson Francisco Dos Santos, Wagner Albuquerque De Moura, Wagner Rodrigo Dos Santos e Wilson José Dos Santos

Foto: Hilda merece! Todo mundo merece! http://glo.bo/1jNvhyH #JoiaRara

Pesquisa: Madalena Prado
Consultoria: Virginia Casé
Continuidade: Aurora Chaves, Izabella Cid, Erika Thoen e Anna D’Ippolito

Foto: Joia mesmo é esta energia boa

Equipe de Internet: Ana Bueno, Bianca Kleinpaul, Bruno Martins, Rafael Maia, Ligia Andrade, Fernanda Thurler, Andréa Cozzolino, Paula Paiva, Juliana Lessa, Fernando Azevedo, Dominique Feldman, Juliana Saboya, Fabricio Bianchi, Letícia Pantoja e Fábio Rocha
Assistentes de direção: Joana Clark, Marcos Pimenta, Patricia Werneck, Thereza de Medicis e Tiago Garcia

Produção de Engenharia: Luis Otavio Cabral
Equipe de produção: Bruno Petronilho, Decio Júnior, Evandro Pimentel, Fernando Azevedo, Hugo Foscaldo, Juliana Kalil, Letícia Pantoja, Renata De Biasi, Tatiana Medrado, Thalita Ximenes, Norberto Pfeiffer e Chico Marinho
Supervisão executiva de produção: Andreia Carvana, Renato Azevedo e Roberto Bruno

Produção Executiva
Gerência: Rita Carvalho
Direção: Simone Lamosa
Acervos de imagens: Cinemateca Brasileira, “Global ImageWorks,LLC.”, Framepool Library of Congress, Cedoc, Ermakoff e Getty Images

Foto: Hoje é o último capítulo de #JoiaRara :(, e dá só uma olhada em tudo o que a lindinha da Mel Maia aprontou nos bastidores da novela >>> http://glo.bo/1hoOaV9

MEL MAIA, a Pérola Preciosa de JÓIA RARA, uma novela que foi um Show de Acertos !

E o discurso final de PÉROLA:

http://gshow.globo.com/novelas/joia-rara/videos/t/cenas/v/monja-perola-abre-congresso-em-favor-da-paz-e-emociona-com-discurso/3261337/

* Confira aqui o amor de Amelinha e Franz:

http://gshow.globo.com/novelas/joia-rara/extras/fotos/2014/04/unidos-pelo-destino-confira-trajetoria-de-amor-de-franz-e-amelia.html

Amor JR

* TRILHA SONORA DA NOVELA:

http://www.musicasonlinegratis.com/joia-rara-nacional

Wilker e a homenagem que ficou faltando…

Enquanto o país chora a perda do grande Artista, temos vergonha alheia pela homenagem que nunca o Ceará fez para José Wilker

Enfim, a TV Verdes Mares fez uma pequena mas bela homenagem póstuma ao inesquecível José WilkerPode ser que a memória nos traia, mas a impressão mais forte é de que nunca a TV de maior repercussão no Estado do Ceará havia feito nada ressaltando o trabalho do profícuo ator cearense. Essa mudança deve-se ao fato de a TV ter deixado de ser simplesmente uma retransmissora da TV Globo para ser uma Afiliada. E aí a mudança foi considerável. Pra melhor. É fácil notar a inclusão de temas mais locais, incentivo à Cultura, apoio à Educação, mais produção cearense, programas focando na programação da emissora líder. Bem vinda melhora !

E é nesse bojo que se insere a Homenagem que a TV Verdes Mares veiculou ontem, 5 de abril, dia da morte de José Wilker, destacando o trabalho do Artista. Até matéria direto de Juazeiro do Norte, terra natal do ator, eles fizeram.

Infelizmente, em vida, José Wilker nunca recebeu as devidas honrarias no Ceará. Não ganhou nenhuma condecoração especial, nem as conhecidas medalhas oficiais, nem título de cidadania, nem um troféu ou coisa semelhante com seu nome, nem sequer uma mostra de cinema com boa parte de seus trabalhos na telona, nem o mais conhecido troféu do Estado, a Sereia de Ouro, entregue anualmente.

Não há justificativa nem explicação que justifique essa falha. WILKER era um Artista do Melhor Quilate, em qualquer parte do mundo. E um Artista múltiplo, em qualquer veículo no qual se apresentasse. Há muito o Ceará deveria ter prestado uma justa e digna Homenagem ao Ator, que também era escritor, dramaturgo, diretor de teatro, cineasta, e respeitado crítico de Cinema.

Resultado é que neste momento de dor, da súbita partida do magnânino ator cearense – reverenciado e chorado em profusão nas redes sociais e na mídia de modo geral -, não há nada que o Ceará possa mostrar como lembrança ou memória bonita de tal homenagem que fez a ele; da noite em que ele recebeu tal e qual homenagem; do almoço X ou Y, ou do debate tal que ele participou… é lamentável, sob todos os aspectos. Enquanto o povo, os artistas, a imprensa, e gente de todas as idades e classes sociais despede-se com muita tristeza e saudade de JOSÉ WILKER, nós cearenses amargamos essa ‘vergonha alheia’ de sermos a terra que deu berço ao Artista mas nunca teve o mérito de reconhecer, reverenciar e aplaudir seu talento, sua vocação, sua inteligência brilhante, sua poderosa atuação na cena artística brasileira.

Sim, o Estado do Ceará fica devedor de José Wilker. Agora que jornais, rádios, TVs, e a web tornam notória a reverência ao Artista – com gente de todas as idades, profissões e faixas sociais lamentando e fazendo suas saudações a Wilker – a atitude da TV Verdes Mares de lembrá-lo é quase uma ‘obrigação’. Mais que isso, é a tentativa de saudar uma dívida.

Lembro da época na qual esta redatora fizera uma entrevista com o ator, em Gramado, e trouxe a matéria prontinha pra publicar. Ofereci aos jornais locais, sem ônus algum, e, mesmo assim, a resposta foi o silêncio. Nem sequer recebi um Não. Simplesmente, não publicaram. E àquele tempo, José Wilker estava às vésperas de estrear na telinha como o lendário Presidente JK…

Felizmente, anos depois, quando Wilker veio a Fortaleza participar da inauguração de um espaço na Livraria Cultura do Iguatemi que leva seu nome – única distinção louvável feita ao artista -, pude estar com ele, prosear e falar de uma possível homenagem que tentaríamos fazer enquanto produtora e jornalista. Infelizmente, Wilker andava com a agenda bem cheia àquela época, às vésperas de estrear uma peça de teatro. Adiamos pra quando desse, mas pelas dificuldades tão próprias à atividade cultural, acabamos sem nunca conseguir fazer a devida reverência ao Artista.

O Ceará é quem ficou te devendo, Wilker  Querido !

Felizmente, o povo do Ceará e esta redatora sempre te viram como um Artista FelomenalE é assim que te dá adeus, com carinho, saudade e um enorme Aplauso este ‪#‎BlogAuroradeCinema‬

Brasil perde JOSÉ WILKER… estamos todos mais pobres…

Em atenção aos inúmeros leitores do #BlogAuroradeCinema e como Homenagem a este grandioso Artista Brasileiro, noticio com muita emoção e tristeza a passagem do conterrâneo JOSÉ WILKER.
W Anjo Mau
Sucesso absoluto na novela Anjo Mau, de Cassiano Gabus Mendes, de 76…
Ainda sob o impacto da notícia dolorosa que acabo de saber, sem ao menos poder avaliar ao certo o impacto desta notícia.
A mais recente aparição na TV: participação no Vídeo Show de quarta, 2/abril…
Wilker verdin
Tinha uma Admiração enooorrrmeeeeeeeeeeee por ele, e ele sabia. Cheguei a fazer aula de Teatro com ele. Era um homem realmente encantador e uma das inteligências mais lúcidas e brilhantes q conheci. Adorava ouvi-lo, vê-lo atuando e ler as preciosidades q escrevia. Seu livro de crônicas – COMO DEIXAR UM RELÓGIO EMOCIONADO -, todo inspirado em cinema, está encharcado de sua cearensidade visceral. Passei muitos anos tentando realizar uma Homenagem pra ele aqui em Fortaleza. Nunca consegui. Havia muitas vozes q afirmavam a negação dele pela terra natal. Mentira: bastava ler ou ouvi-lo e você encontraria a pura essência das entranhas cearenses do grande Artista.
Wilk 4
Difícil aceitar que este sábado começa assim tão triste com a passagem dele.

Quando conversei com ele em Gramado, por volta de 2004, sobre minha enorme vontade de filmar uma de suas crônicas, ele sorriu entre encabulado e contente, e disse q estava super liberado, que ficaria feliz se eu fizesse…
Wilker
JOSÉ WILKER Querido: você vai levando meu carinho, admiração, e gratidão, e deixando muita muita saudade… vai com Deus, amigo ! E receba o comovido Aplauso do#BlogAuroradeCinema, bem como o de tantos q, como eu, também te admiram e se sentem mais pobres agora, bem mais pobres agora.
Wilker cinema
O Brasil perde um de seus artistas mais atuantes, versáteis e pródigos, que contabiliza inesquecíveis personagens no Teatro, no Cinema e na TV…
W no aero SD
Em nossa página no Facebook, mais da Homenagem ao Grande Ator Cearense !
José Wilker na novela Cavalo de Aço, de Walter Negrão, em 1973…
Acesse https://www.facebook.com/auroradecinema
Wk 5
 

            ADEUS JOSÉ WILKER !

 

Alex Moletta ensina como fazer Cinema na Escola

Novo livro do autor Alex Moletta – FAZENDO CINEMA NA ESCOLA é uma espécie de manual claro e objetivo para trabalhar o aprendizado do Audiovisual entre crianças e jovens

Em sintonia com a era digital na qual estamos imersos, este é o segundo livro do escritor paulista, que é também roteirista, ator, dramaturgo e professor de Cinema. O livro anterior de Moletta – CRIAÇÃO DE CURTA-METRAGEM EM VÍDEO DIGITAL, lançado em 2009 – teve boa saída e repercussão entre interessados no assunto, estudantes e profissionais da área. Daí porque o grupo Summus Editorial resolveu editar esta nova obra de Alex Moletta.

FAZENDO CINEMA NA ESCOLA é um livro que surge para orientar o leitor a criar, produzir e realizar uma obra audiovisual, seja dentro ou fora do ambiente escolar e com poucos recursos financeiros. Extremamente didático, o livro também auxilia os educadores a trabalhar com os alunos realizando obras audiovisuais com as tecnologias hoje disponíveis – celulares, tablets, smartphones e câmeras fotográficas.

Um grupo de alunos, estimulados por seu professor, decide criar um curta-metragem para exibir na mostra anual da escola. Nesse projeto, eles aprendem sobre a linguagem audiovisual, o trabalho em equipe, e a responsabilidade de expor suas idéias ao público. Dedicação, indecisões, divergências e espírito de equipe marcam profundamente o aprendizado de seis amigos que descobrem poder fazer muito mais do que imaginam.

Uma proposta direcionada a alunos e professores que desejam experimentar o processo artístico e coletivo de criação, produção e realização de uma obra audiovisual dentro ou fora da sala de aula. Utilizando as novas tecnologias como câmeras fotográficas, celulares, tablet’s, notebooks e um vasto conteúdo disponível na internet de forma totalmente gratuita, compartilhada e colaborativa. Entrando em sintonia com um processo de ensino/aprendizagem que absorve as transformações tecnológicas de comunicação que fazem parte do cotidiano da sociedade digital.

ISBN: 9788532309334
Edição 1 / 2014
128 pág.
Formato: 14.0 x 21.0 cm
Peso: 0.180 kg

Saiba mais sobre o livro vendo este vídeo no YOUTUBE:

Saiba mais sobre Alex Moletta

Graduado em Filoso­fia pelo Centro Universitário Claretiano e em Artes Cênicas pela Fundação das Ar­tes de São Caetano do Sul, Alex Moletta estudou Dra­maturgia Teatral na Escola Livre de Teatro, e Criação de Roteiro na Escola Livre de Cinema e Vídeo de Santo André. Desde 2003, coorde­na um projeto de oficinas de iniciação em cinema e vídeo para jovens, além de ministrar oficinas literárias livres em dramaturgia teatral e criação de rotei­ro de curtas-metragens nos cursos de Arte e Cultura da Universidade Metodista de São Paulo. É autor de vários textos teatrais, encenados por diversos grupos, e tem diversos roteiros para curtas-metragens. Recente­mente, Alex Moletta dirigiu o curta Diferente, mas igual e o documentário de média-metragem Pau na missa. É vencedor de diversos concursos lite­rários regionais e foi o terceiro colocado no Concurso Internacional de Literatura, categoria contos, organizado pela União Brasileira dos Escritores do Rio de Janeiro em 2002.  Contato: alexmoleta@uol.com.br

O autor e roteirista Alex Moletta e a jornalista Aurora Miranda Leão, redatora do #BlogAuroradeCinema em noite de Cinema em Araxá…

Dia de Celebrar: PARABÉNS, Mauro Mendonça !

MAURO MENDONÇA: ator vencedor de muitos prêmios, tem carreira premiada, recheada de papéis memoráveis e tipos inesquecíveis…

Ele é mineiro de Ubá, terra que ama e da qual fala sempre com muito carinho. Começou ainda bem jovem numa ponta – conforme são chamados os pequenos papéis. Foram os amigos Jackson e Modesto de Souza que indicaram e estimularam, num dos costumeiros encontros no Vermelhinho (famoso bar da histórica Cinelândia carioca), para ele tentar uma oportunidade no cinema. Ele foi sem levar fé alguma, muito mais pela farra de conhecer o que os amigos apontavam e acabou entrando pro elenco de O Sedutor, de Diego Fabri. A encenação tinha a marca do TBC. Ele fazia um garçom e dizia apenas uma palavra, mas a interpretação agradou tanto que ele virou destaque no espetáculo:era aplaudido em cena aberta – honraria para poucos, ainda mais estreando…

Glau e M

No início da carreira em ‘O Doce Pássaro da Juventude’ com a saudosa Glauce Rocha

Em seguida, veio Casa de Chá do Luar de Agosto, uma pequena participação, onde porém o ator já sinalizava uma estrada próspera: ganhou logo destaque em crítica assinada por Décio de Almeida Prado, um dos bam-bam-bam do métier. Daí pra ganhar um papel com fala e tudo foi um pulo.

Na sequência, chegava a vez de dar boas-vindas ao Cinema: a estreia foi fazendo figuração em Carnaval em Caxias. Mas saiu-se tão bem que a Sétima Arte lhe “adotou” e veio o que ele considera mesmo o primeiro filme, que o tempo transformou num clássico: Rio 40 Graus, direção de Nélson Pereira dos Santos, precursor do Cinema Novo.

No clássico Dona Flor, grande êxito dirigido por Bruno Barreto, que rendeu a Mauro Mendonça muitos prêmios e reconhecimento internacional…

MAURO Mendonça lembra direitinho a data de estréia na tevê (tem memória preciosa): 20 de dezembro de 1955. Paralelamente, seguia carreira no TBC. O primeiro papel foi um convite do famoso mestre do tablado – seguidor de Stanislavski – o russo Eugênio Kusnet, de quem Mauro tornou-se amigo. Foi lá que conheceu a bela atriz ROSAMARIA MURTINHO, que viria a se tornar a mãe de seus três filhos: João Paulo, Rodrigo e Maurinho. A primeira peça juntos foi Rua São Luiz, de Abílio Pereira de Almeida.

Mauro Mendonça na novela Te Contei ?, sucesso no horário das 19h em 1978…

E a vida profissional foi ganhando as cores da fama. Mauro Mendonça foi acumulando variados personagens, amontoando histórias pra contar, personalidades diferentes pra dar vida, e lá se vão mais de 50 anos de uma carreira que acumula sucessos, referendados por alicerce invejável fincado notripé Talento, Dedicação, AMOR à ARTE de interpretar Vidas. Muitas vidas, às quais Mauro sempre dedicou o melhor de seu sentimento, sua sensibilidade, generosidade e muito de seu tempo.

Super Querido e reconhecido GENTE BOA, Mauro Mendonça aniversaria alvo do amor da família, do respeito dos colegas, aplausos da crítica e carinho do público…

Pepita e M

Mauro Mendonça e Pepita Rodriguez na novela Espelho Mágico, de Lauro César Muniz, exibida em 1977 no horário nobre…

Tudo isso foi muito bem entendido por público, crítica, estudantes, profissionais das mais diversas áreas e por seus muitos e muitos colegas de trabalho. Mauro Mendonça é um dos Artistas mais respeitados, queridos e aplaudidos da cena artística brasileira.

Natália Dhill e Mauro Mendonça, dupla da novela ‘Paraíso’…

Os APLAUSOS estão em parte traduzidos nos muitos prêmios que ele guarda com carinho, alegria, gratidão e cuidado. Outra parte está nos convites constantes que o ator recebe para novos trabalhos, seja no cinema, teatro ou televisão, muitos dos quais ele às vezes precisa recusar – para também ter tempo de ser apenas o Mauro, filho da inesquecível Ubá, cidade mineira que vai homenageá-lo com um teatro no seu nome.

Rosamaria Murtinho e Mauro Mendonça na celebração das Bodas de Ouro do casal…

Hoje MAURO MENDONÇA festeja idade nova e, por certo, seu celular vai passar o dia tocando. Hoje, MAURO MENDONÇA vai receber abraços de amigos de todas as idades e estar cercado de pessoas queridas, como acontece sempre com gente do Bem, como ele.

Contracenando com Tarcísio Meira como Gonçalo Fontini na novela ‘A Favorita’, de João Emanuel Carneiro, em 2008

Pra mim, Mauro Mendonça é um amigo querido, um Artista a quem Admiro profundamente e a quem o tempo só me fez ainda mais Querer Bem, Aplaudir, Reverenciar. Quem conhece Mauro de perto sabe o quanto ele é pessoa generosa, brincalhona, bem humorada, amigo, companheiro, boa praça – como dizem os amigos mais cotidianos.

Mauro e nós meu nat 96

Aurora Miranda Leão, Rosamaria Murtinho, João Paulo e Mauro Mendonça em festa de aniversário para esta jornalista onde Rosinha e Mauro foram anfitriões…

Tônia e M

Mauro Mendonça em cena com Tônia Carrero na peça ‘Um barco para o sonho’

Para a redatora deste Aurora de Cinema, Mauro Mendonça sempre foi/é/será o Artista que viveu com maestria o Dr. Teodoro Madureira em Dona Flor e seus Dois Maridos; que nos fez chorar com a intensidade dramática de Longa Jornada Noite Adentro (Eugene O’Neill); que roubou a cena no musical EVITA; deu alma e corpo ao Fernandes de Duran, dono dos prostíbulos da Lapa no aplaudido musical Ópera do Malandro, de Chico Buarque; que marcou como o bandeirante Dom Braz de A Muralha; que deu dimensão de grande papel a seus trabalhos nos filmes Benjamim e O Redentor; enfim, Mauro Mendonça é o ator certo no papel certo, sempre, seja o saudoso Gonçalo de A Favorita ou o Antero de Paraíso, novelas da TV Globo, emissora onde o consagrado ator está desde 1973.

Mauro e fillhos

Mauro Mendonça com a esposa, Rosamaria Murtinho, e os três filhos artistas – Rodrigo, Maurinho e João Paulo, e mais a neta Anna Luíza…

Mauro e eu Rio 2008

Jornalista Aurora Miranda Leão e Mauro Mendonça em encontro no Rio…

Para MAURO MENDONÇA, nossos votos mais positivos por um FELIZ ANIVERSÁRIO, um abraço efusivo de PARABÉNS – não só pela data mas pelo Ser Humano incrível que É -, um beijo carinhoso, e o APLAUSO #BlogAurora deCinema, constante e verdadeiro, por tudo que ele consegue transmitir de riqueza humanitária em sua carreira tão bonita e por tudo que ousa alcançar – e o faz com maestria – com sua capacidade ilimitada de Ser, Doar, e Transformar-SE através das muitas Vidas a nos revelar por entre as filigranas sensoriais dos personagens que compõe de forma tão visceral e com tanta competência, dignidade, singeleza e simplicidade.

                 VIDA LONGA PARA MAURO MENDONÇA !!!