TODAS AS INFÂNCIAS nos LATIFÚNDIOS do nosso PEDACINHO

Numa aparente dessintonia, música de Marisa Monte e Arnaldo Antunes entra no capítulo final e estende um tênue véu de ternura e fascínio, embriagando o telespectador numa síntese do que foi toda a novela: Uma Ode ao Amor !

LEPE personagens

Impacto da cena final: os personagens inventados pelo menino abandonado na infância viram brinquedos em miniatura, frutos de sua imaginação…

trenzin do Rai

LINDO e INESQUECÍVEL: o trenzinho que ligava a Vila de Santa Fé à cidade das Antas: criação do artista Raimundo Rodriguez…

Como DUAS FAÍSCAS LIGEIRAS e ILUMINADORAS !

Os dois pontinhos de luz que funcionaram como relâmpagos em meio à indiscutível beleza do capítulo final de Meu Pedacinho de Chão: um desses pontinhos contou com a participação sempre notável do maestro Tim Rescala (por certo em consonância com os diretores Luiz Fernando Carvalho e Carlos Araújo) ao inserir – no momento em que Zelão e Juliana deixam a festa do casamento e vão, finalmente, adentrar sua casa -, a belíssima canção Velha Infância (CD Tribalistas), cantada por Marisa Monte e Arnaldo Antunes. GENIAL a inserção da música !

Zelão casamento

“Eu gosto de você e gosto de ficar com você/meu riso é tão feliz contigo…”

Sim, aquela digressão foi uma pequena pepita de ouro em meio ao clima festivo de final de capítulo X festas de casamento; uma espécie de bilhetinho sutil reafirmando o mote principal da história de Benedito Ruy Barbosa – levada magistralmente à telinha por uma enorme e brava equipe comandada pelos diretores Luiz Fernando Carvalho e Carlos Araújo, e pelo artista plástico Raimundo Rodriguez (cujas criações espraiam-se, de várias formas, por todos os cenários da novela). O bilhetinho em forma de canção convidava todas as infâncias, de todas as formas, cores, sabores e tamanhos, a também comprar a ideia de que o Amor é a força mais importante, poderosa, transformadora, e ele perpassa todos os afetos e carinhos, as amizades, as belezas, as ternuras das relações, impulsiona e fortalece o coração de quem o traz atento, esperto e forte.

casórios

Os casais Zelão e Juliana x Gina e Ferdinando casaram na mesma festa…

Seria ainda mais encantador se a Velha Infância – tão lindamente cantada por Marisa Monte e Arnaldo Antunes – tivesse tocado inteira. Mas o tempo da telinha não permitiria tamanha digressão. Mas funcionou como um Toque de Midas coroando a história de amor dos personagens de Irandhir Santos e Bruna Linzmeyer, extrapolando o romance dos dois em perfeita adequação com o romantismo que foi tema sempre pulsante nesta obra de Benedito Ruy Barbosa.

casa deles

Quem conhece a letra sabe porquê a música entrou ali, justo naquele trecho da cena. Uma Ode ao Amor numa bem vinda ‘licença poética’ dentro do universo seminal da história.

Personagens do LEPE

Ao final do capítulo, a pergunta crucial: onde começa a ficção e onde termina a realidade ?

“Meu riso é tão feliz contigo… e a gente não se cansa de ser criança…”

LINDOOOOOOOO de doer !

E ao final, o momento de ‘desfazimento’ da fábula criada pelo menino José Augusto Napoleão, quando é ofertado ao telespectador um contato direto com a fabulação do garoto ao criar os personagens de seu próprio conto de fadas, e os encantamentos que ele tinha por cada um, em especial pelo SERELEPE ! Cena curtinha e muito delicada para evidenciar o conto-de-fadas de LEPE mas, ao mesmo tempo, com o devido cuidado para não desfazer a empatia com o menino-protagonista. O mais encantador é quando ele, ao apresentar os personagens, chama o seu próprio e anuncia assim: “Um dos mais preciosos: SERELEPE”…

Tomás Sampaio encheu a tela de graça com um enorme talento e um carisma poderoso: seu “LEPE” entra para a galeria dos grandes personagens infantis, assim como a Pérola (Mel Maia) da novela  Jóia Rara…

Gina final

MAGISTRAL !!!! Um fecho de ouro para uma obra de ABSOLUTO ACERTO em todos os níveis. Um capítulo final nos moldes do que pregava nosso inspirado cronista e mestre Artur da Távola: FELIZ ! Porque estamos todos cansados de avalanches de notícias ruins e coisas degradantes que nos desencantam e enchem de pânico, tristeza e desânimos tantos.

Pituca e Lepe foto Anderson Dias

Pituca e Lepe no tempo do inverno na Vila de Santa Fé – foto Anderson Dias

Um FINAL FELIZ cheio de simbologias, encantamentos, risadas, cores, alegrias, festas com bandeirolas, a presença lapidar do Circo com seus palhaços e músicos encantadores, uma ambiência lúdica tão linda que é impossível não imaginar e desejar que toda essa encantaria de Meu Pedacinho seja transformada em filme para que possamos admirar esse festival de belezas criadas por Raimundo Rodriguez, Thanara Schönardie, Rubens Liborio, e tantos outros profissionais em tamanho gigante, como só cabe a uma tela de CINEMA.

Candura, leveza, graça, charme e um jeitinho encantador de menino sapeca: LEPE virou paixão ! #AplausoBlogAuroradeCinema para Tomás Sampaio

Johnny Massaro e Juliana Paaes marcaram com atuações impressionantes…

Ferdinando e Gina: depois de alguns desacertos, casal teve merecido final feliz

Letícia Almeida e Antônio Fagundes: um enlace para Rosinha e Giácomo !

O hilário Padre Santo, mais uma criação notável de Emiliano Queiroz…

cenário Pedacin

Por isso, voltamos a bater na tecla que insiste em não silenciar:#QueremosveroPedacinhonoCinema #filmeMeuPedacinhodeChão#AplausoBlogAuroradeCinemaparaMeuPedacinhodeChão

* A maioria das fotos são de Raimundo Rodriguez, o Artista Plástico que assina toda a ambiência cênica de #MeuPedacinhodeChão, novela que é já é um divisor de águas na TeleDramaturgia Brasileira ! Uma obra que deve ser levada ao Cinema ! O público e toda a equipe que ajudou a contruir este singular universo mágico merece que todo esse encantamento seja apreciado numa tela gigante ! É uma prova inconteste de nível de excelência alcançado pelos nosso Artistas, das mais diversas áreas, e a confirmação de uma Televisão que é, há muito tempo, uma das melhores do mundo !

Dani Ornellas, excelente como Amância, e Geytsa Garcia, a encantadora Pituca,  filha da madame Catarina e do coronel Epaminondas (EPA)…

Roda e Zelão

Flávio Bauraqui e Irandhir Santos: contracena de gigantes !

TEuda

Teuda Bara e sua maravilhosa Mãe Benta, a benzedeira da Vila de Santa Fé

* Se você, leitor amigo, também pensa e sente assim, e acredita que #MeuPedacinhodeChão deve chegar ao Cinema, espalhe estas hashtags por aí:

#QueremosveroPedacinhonoCinema #filmeMeuPedacinhodeChão#AplausoBlogAuroradeCinemaparaMeuPedacinhodeChão

Uma resposta para “TODAS AS INFÂNCIAS nos LATIFÚNDIOS do nosso PEDACINHO

  1. Meu Pedacinho de Chão, a novela mais bela e encantadora que assisti até hoje. O que dizer de Irandhir Santos maravilhoso. Sua interpretação é perfeita, fantástico. Zelão seu lindo, já estou morrendo de saudade !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s