CARPINEJAR e o sapato para colocar lembranças na lareira no Natal

São milhares de leitores, que crescem a cada nova postagem, e, portanto, a cada dia: CARPINEJAR escreve diariamente, chegando a um total de 9 crônicas por semana, sem contar os twittes, os posts no Instagram, as participações no rádio e na TV.

Carpi usar Blog

Somos ABOLUTAMENTE ENCANTADOS com o Poeta, o mais fabuloso ícone da Literatura Gaúcha Contemporânea.

Mais uma vez. não deu pra resistir: lendo a crônica desta terça do Poeta no jornal Zero Hora, um arrepio emocionado apoderou-se de nós, ao passar de cada oração. CARPINEJAR extrapola no seu direito de ser Poeta ! Exacerba no seu Dom de Encantar ! Só a Sabedoria Infinita para conseguir explicar tanta Sensibilidade, Empatia, Inteligência e Beleza reunidas numa única pessoa, embora esta pessoa seja a tradução de um verdadeiro coletivo:

CARPI é jornalista, Escritor, Poeta, Cronista, Apresentador de TV, professor, palestrante, letrista, enfim, CARPI não existe em versão principiante: ele é MULTIFÁRIO !

O incansável e retumbante #AplausoBlogAuroradeCinema para FABRÍCIO CARPINEJAR !

O SAPATO DA FILHA

* Fabrício Carpinejar

Só agora, depois de dois anos da tragédia de Santa Maria, após a perícia e a investigação policial, os familiares podem reaver os pertences de seus anjos da noite infernal de 27 de janeiro de 2013 na boate Kiss.

Não resisti em chorar – eu que tenho uma filha de 20 anos –, quando vi na televisão que um dos pais dos 242 mortos estava procurando o sapato que faltava de sua adolescente.

– Preciso achar!

Sua filha foi puxada dos escombros e do incêndio com o pé direito descalço. Aquele pai desesperado e angustiado com a perda irreparável está obcecado em vestir pela última vez sua menina.

Aquele pai sabe o que significa o sapato para uma mulher. Sabe o quanto a filha escolheu o sapato para a balada. Sabe o quanto brigou pelo sapato, dizendo que era caro mas iria durar. Sabe o quanto ela não tiraria o sapato por nenhum motivo, para não sacrificar o charme e a elegância durante a festa.

Aquele pai encarna o conto de Cinderela ao avesso. Pretende calçar a filha para reaver a paz em si.

É o mesmo sapato de crochê que botou em seu bebê assim que nasceu. É o mesmo sapato que ensinou a amarrar quando ela tinha sete anos. É o mesmo sapato que ele pisou, desajeitado, quando dançava a valsa de debutante de sua jovem. É o mesmo sapato com que comemoraram a entrada na faculdade.

O sapato é, neste momento, todos os sapatos da vida de sua filha. O sapato que restou. O sapato sobrevivente. O sapato do qual ele nunca esquecerá o número. O sapato último, definitivo, que não poderá ser substituído por mais nenhum aniversário.

O sapato que vai equilibrá-lo no pesadelo, na oração, na dor. O sapato para colocar lembranças na lareira no Natal.

O sapato viúvo dos amores que ela não teve, órfão dos pais que ficaram.

O sapato que é uma forma enlouquecida do pai de continuar caminhando com sua filha.

O sapato sem estrada, sem futuro, andando de volta ao passado.

O sapato envernizado, de couro, ainda novo, arrancado precocemente de sua dona.

O sapato que daria para muitos verões, milhares de sóis, infinitas ladeiras.

O sapato que não se gastou, mais longevo que o destino de uma adolescente.


O sapato que é a possibilidade de segurar o chão de sua filha por mais um instante, de oferecer chão para sua filha.

O par não terminará incompleto, apesar da enorme injustiça no coração.

Entre uma montanha de bonés, colares, alianças, celulares e identidades, o pai tentará reconhecer o sapato de sua filha. E levar para casa algo salvo daquela noite.

Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 4, 09/12/2014
Porto Alegre (RS), Edição N°18008

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s