CARPINEJAR: “A chuva lava minha ferida e o vento seca”

abç Carpi Carpinejar: o Poeta que, cotidianamente, renova nosso encantamento…

A cada vez que lembramos que ele foi criança maltratado, espezinhado, achincalhado, sofrendo bullying na escola, ouvindo impropérios, marcado pelo abjeto preconceito que não respeita as diferenças, e teve sua inteligência massacrada pela estupidez de muitos, a revolta toma de conta e a vontade é de gritar alto no ouvido desses idiotas que desconsideraram a importância de uma infância feliz e do quanto é bom e prazeroso tratar uma criança em toda a dimensão de sua beleza. Porque assim são as crianças, de todas as cores, idades, e lugares: todas são lições para nos melhorarmos como gente e bênçãos para seguirmos adiante cultivando a pureza do olhar, a beleza do sentimentos nobres, e a necessidade do amor e da solidariedade.

“A educação é o primeiro passo da humildade e o último passo da generosidade”.

Taí que eu queria muito saber quem são os idiotas que fizeram sofrer tanto uma criança como Carpi. A esse bando de gente sem coração, também quero ofertar gratidão: é também por conta de vocês, seus desalmados imbecis, que hoje podemos usufruir – e espalhar, e seguir, e louvar, e aplaudir – do imenso arsenal de belos textos, em prosa e poesia do garoto de Caxias do Sul que vocês tanto apedrejaram.

Cada farpa que jogaram contra ele só o ajudou a tornar-se a pessoa linda que É, e o Poeta Magistral com milhares de seguidores nas redes sociais, a nos encantar mais e mais, a cada uma de suas muitas publicações diárias.

Com seu egocentrismo, estupidez e despropósito de suas invejas, carências e fracassos, vocês, bugres da infância de Carpi, poderiam ter ajudado a formar mais um recalcado, invejoso, cruel e complexado ser humano. Mas a Sabedoria Infinita é Todo Poderosa: ao contrário do que vocês, abutres, desejavam, Ela ajudou a construção da força motriz  do Poeta Maior – extraindo do calcário, da truculência e da insensibilidade – um dos mais férteis e exponenciais ourives da escrita de Língua Portuguesa !

Fabrício CARPINEJAR é o mais notável, intenso, magnânimo e relevante Poeta Brasileiro da Contemporaneidade. CARPI é um Poeta Grandioso, de Alma Nobre, lindo na sua transparência e coragem de mostrar-se por inteiro, sem medo de ofertar ao leitor suas chagas e escancarar vivências que lhe custaram tanta dor e tristeza. Mas talvez seja por isso mesmo que ele tornou-se o Intelectual de atuação consagrada e invejável que é: homem de talento múltiplo, Carpinejar é bom em tudo que faz. E ele faz muito: é jornalista, professor, apresentador de TV, entrevistador, crítico literário, cronista, twitteiro, poeta, palestrante, e é, sobretudo, um generoso coração de criança numa alma gigante de adulto altruísta, sensível, sábio, cada vez mais um tipo de Ser Humano de que o mundo carece.

Carpi falta usar

Fabrício CARPINEJAR é Exemplo de Gente pra ser imitado ! A ele, nosso mais efusivo #AplausoBlogAuroradeCinema, todo nosso Respeito, carinho e Admiração, sempre maior !

“Meu pai me chama de Wolverine. É o nosso apelido secreto. Não tenho o queixo quadrado e a baixa estatura do desenho da Marvel Comics. Muito menos a suíça e o cabelo alvoroçado do ator Hugh Jackman, que interpreta o herói no cinema. A referência física não contribui para nossas semelhanças. Ele me compara ao personagem pelo meu alto poder de cicatrização. Eu me desespero e logo ressuscito, eu caio e logo levanto. Não morro de uma única vez. Não desisto. Não me entrego mesmo que não veja a saída. Quando não há porta, eu espero no escuro até ser a porta. A ansiedade que me enerva acaba por aumentar minha vontade de ver de novo a luz. Tenho fúria de viver. Não há perda que seja total. Alguém pode me machucar terrivelmente, mas não me leva. Posso permanecer sequelado, mas sei cavar a terra por dentro da terra. Penso nos filhos, penso nos amigos, penso na literatura e sigo adiante. Cambalear ainda é caminhar. A chuva lava minha ferida e o vento seca. A carne da memória se recompõe de algum jeito. Talvez seja um excesso de sofrimento na infância que me preparou para o pior no futuro. Eu sobrevivi a tanta coisa. Sobrevivi ao bullying na escola, ao pessoal me chamando de ET e monstro todo dia durante o ensino fundamental. Sobrevivi à resistência dos médicos que juravam que tinha algum retardo mental. Sobrevivi à desistência dos professores com meu desempenho. Sobrevivi à traição de amigos. Sobrevivi às drogas para ser aceito na roda dos adultos. Sobrevivi à briga de rua. Sobrevivi a uma tentativa de suicídio na adolescência. Sobrevivi a enterros de jovens colegas. Sobrevivi a três acidentes de carro. Sobrevivi a quatro separações. Sobrevivi ao vício do cigarro. Sobrevivi a dois assaltos a mão armada. Sobrevivi a várias demissões. Sobrevivi ao distanciamento de meus dois irmãos amados. Sobrevivi, vou sobreviver, mesmo que não acredite na hora. Só não entendia onde meu pai enxergava as garras retráteis de Logan. – E as garras das mãos, pai? – São as palavras, meu filho. Você se defende com a linguagem ou se agarra nela para não morrer.

* Do meu livro “Me Ajude a Chorar” ( Bertrand Brasil)

Wolverine Carpi

Wolverine: nova tatuagem, no braço esquerdo de Carpinejar, mais uma homenagem ao pai do escritor genial… Saravá, CARPI !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s