Arquivo do mês: janeiro 2016

Nathália Timberg eternizada em Teatro

Atriz das mais festejadas por público, crítica e colegas, NATHÁLIA TIMBERG estreia esta noite teatro que ganha seu nome…

A noite hoje é solene para o Teatro Carioca:a capital do Rio ganha seu mais novo palco, que é uma bela e merecida homenagem a uma das mais importantes e queridas atrizes brasileiras: Nathália Timberg !

Idealizado e construído pelo ator e diretor, Wolf Maya, o Teatro Nathália Timberg fica na Barra da Tijuca e tem duas salas: a sala principal com 400 lugares e a sala Nathalinha de 60 lugares.

O espetáculo de estreia é a peça ’33 Variações’. Considerado um dos mais importantes textos da dramaturgia mundial, escrito pelo venezuelano Moisés Kaufman, a montagem fez sucesso na Broadway e marcou a despedida de Jane Fonda dos palcos há oito anos, em Nova York.

'33 Variações' inaugura Teatro Nathalia Timberg na Barra. Wolf Maya retorna aos palcos nesta sexta(22) como ator e diretor ao lado da atriz.
’33 Variações’ inaugura Teatro Nathália Timberg com a atriz como protagonista, dirigida por Wolf Maya…

Além de atuar, Wolf Maya assina a direção do musical erudito, criado a partir de peça considerada uma obra prima de Beethoven. A peça conta a história de um compositor medíocre do século XIX que escreveu uma valsa e a entregou para alguns artistas fazerem variações dela. O único que não aceitou tal incumbência foi Beethoven, mas não se entende porquê ele acabou dizendo para ninguém mais trabalhar a valsa, se ele próprio o faria. Foi então que surgiram as 33 variações da composição, por Beethoven. A história da peça é justamente sobre o que levou o lendário compositor a transformar uma valsa medíocre em algo tão genial.

Nathália Timberg interpreta uma musicóloga que tenta descobrir a verdade por trás das 33 variações sobre uma valsa, composta por Beethoven quando ele começou a ficar surdo.

Tadeu Aguiar também compõe o elenco interpretando Anton Diabelli , o compositor da valsa. Lu Grimaldi, Flávia Pucci, Gil Coelho e Gustavo Engracia completam o elenco. 10 atores – estudantes de Arte Dramática da Escola Wolf Maya também estão no musical.

Entre 1819 e 1823, Beethoven transformou uma valsa do obscuro compositor austríaco Anton Diabelli no que viria a ser considerada uma síntese de sua obra e uma das mais notáveis peças para piano da música ocidental – as 33 variações em sol maior, opus 120. Ela se distingue pela proeza de seu autor, já surdo àquela altura, de trabalhar apenas com um punhado de notas para construir um conjunto de tamanha diversidade.

“Eu comprei os direitos da peça, Nathalia traduziu e estamos trabalhando juntos, mas devagar. É um teatro que eu construí dedicado a ela, que foi minha grande musa e tem sido minha parceira no teatro há anos. Estarei com ela em cena estreando nosso teatro.”, diz um emocionado Wolf Maya

Lu Grimaldi e Nathália Timberg em 33 Variações, que estreia hoje no Teatro Nathália Timberg…

Ficha técnica

Texto: Moyses Kaufman

Tradução: Nathalia Timberg

Concepção e Direção: Wolf Maya

Elenco: Nathalia Timberg, Wolf Maya, Tadeu Aguiar, Lu Grimaldi, Flávia Pucci, Gil Coelho e  Gustavo Engracia

Pianista Convidada: Clara Sverner

Pianista: Silas Barbosa

Cenografia: J. C. Serrone

Iluminação: Aurelio De Simoni

Figurinos: Tatiana Rodrigues

Visagismo: Marcelo Dias

Direção de produção: José Luiz Coutinho

Fotos: Guga Melgar

Assessoria de imprensa: Minas de Ideias

Produção Executiva: Larissa Benini

Serviço: ’33 Variações’

Temporada: De 22 de janeiro até 17 de abril; sextas e sábados, às 21h30, e domingos, às 19h

Local: Teatro Nathália Timberg – Avenida das Américas, 2000 – Barra da Tijuca

Gênero: Musical Erudito

Preço: R$ 100,00 (Plateia) – R$ 60,00 (Balcão)

Classificação: 14 anos

Mais informações: 21-3388 5864

Elegante, delicada e sempre inteligente, Nathália Timberg diz, às vésperas da estreia de 33 Variações: “Estou extremamente comovida com essa homenagem. Lágrimas são pouco. Até hoje não recuperei o fôlego, estou com a respiração perturbada. […] Tem uma geladeira na minha barriga ! No dia em que o ator perde isso, é melhor parar. É porque morreu e se esqueceu de cair. A peça que estamos para estrear é belíssima, fomos muito ousados. Eu diria que será o primeiro musical erudito do país.”

Que sejam abençoadas as 33 Variações !

Desde já, o #BlogAuroradeCinema aplaude e recomenda o espetáculo !

 

Atuação de Selton Mello é arrebatadora !

Quem acompanha a minissérie Ligações Perigosas, há de concordar conosco. E se você não viu, lamentamos.

Todos quanto não assistiram à minissérie de Manuela Dias e Vinícius Coimbra, cujo último capítulo será exibido hoje, muito perderam. Os que estão acostumados com a minissérie que abre o janeiro televisivo da Rede Globo, já esperávamos uma grande obra. Porque sabemos do imenso cuidado e rigoroso profissionalismo que envolve a produção teledramatúrgica da emissora líder: os profissionais mais gabaritados em suas funções são convidados e isso se reflete sempre em minisséries cada vez mais bem realizadas, dirigidas com categoria de cinema, com um elenco primoroso, e uma equipe técnica com nível de excelência que tem garantido a Globo uma sucessão de merecidos prêmios internacionais.
Assim como foi com O Canto da Sereia, Amores Roubados, Felizes para Sempre ?, e AmorteAmo (só esta não foi de janeiro), agora acontece com Ligações Perigosas, um capricho de execução que passa pela escolha do elenco, a direção de fotografia, direção de arte, a trilha sonora, e todos os demais itens necessários para se alcançar o padrão de qualidade a que chegou a TV Globo. Nós tiramos o chapéu, com o maior orgulho !

cena

Ligações Perigosas terá seu último capítulo exibido hoje e neste post vamos nos reportar apenas à primorosa e irretocável atuação de SELTON MELLO !

Que o ator é dos melhores de sua geração (ao lado de Wagner Moura, Rodrigo Santoro, Vladimir Brichta, Lázaro Ramos, e Juliano Cazarré, para citar apenas alguns), e um dos mais queridos pelo público, nós e meio mundo já sabíamos. Mas a repercussão que o sedutor e enigmático personagem de Augusto de Valmont conseguiu revelar ultrapassa todas as expectativas. Creio que nem mesmo o próprio Selton julgasse que a empatia com a audiência fosse ser tão grande, intensa e imediata, como foi.

Selton Mello fez de Augusto de Valmont um novo marco de excelência na carreira

Nos primeiros capítulos, Selton falou assim sobre seu personagem: “Augusto de Valmont. Um personagem raro. Dos mais fascinantes que tive a chance de viver. Muito grato pela oportunidade de viver esta imensa aventura emocional”

Para se ter uma ideia, depois do início da minissérie, o perfil de Selton Mello no Instagram ultrapassou a casa dos 100 mil seguidores. Em nossa galeria de fotos, na mesma rede, uma das fotos postadas com Selton como ‘Augusto’, ultrapassou os 500 likes, fato até então inédito. E Selton ganhou também uma das mais bonitas e sinceras declarações que já vimos um ator fazer a outro, publicamente: Rodrigo Lombardi, que recentemente bombou como o milionário Alex, o sedutor personagem da novela Verdades Secretas, postou no seu perfil do INSTAGRAM ontem, logo após a exibição do penúltimo capítulo – no qual o personagem de Selton morre -, o seguinte texto:

“Não sei fazer repost, Selton. Tirei essa foto do seu perfil. Simplesmente para dizer que você é o melhor ! Sempre foi e sempre será. PARABÉNS ! Sem palavras para descever o que estou sentindo. Sinto um orgulho enorme em poder dizer que temos a mesma profissão e, ao mesmo tempo, vergonha em dizer que sou ator, assim como Selton Mello… ou Robert Downey Jr… ou Sir Lawrence Olivier !”

Selton e Jesuíta

Jesuíta Barbosa, Renato Goes e Selton Mello em cena de #Ligações Perigosas…

Enquanto Selton Mello, que vem postando diariamente sobre o trabalho em Ligações Perigosas, postava o seguinte:

“O ator é antes de mais nada um observador. Este personagem me encheu de entusiasmo, pois possui a qualidade tridimensional dos grandes papéis clássicos. Abordei Augusto de Valmont como um Macbeth, um Hamlet, por ter tantas camadas de entendimento.”

Vaidades e vícios ?
“A vaidade do ator é ser reconhecido. Todo profissional qur ser reconhecido por um trabalho bem feito. Minha vaidade é desejar que as pessoas se encantem e se emocionem com algo que também me encantou e me emocionou. Meu vício ? Fácil… Chocolate ! Meu sonho era ser amigo do Willy Wonka e passar uns períodos na Fantástica Fábrica de Chocolate (risos).
O salto para o outro lado das câmeras se deu por pura necessidade de expressão e, ao fazer esse movimento, exercitei a elasticidade de minha imaginação. Costumo dizer que sou um ator diferente depois que iniciei na função de diretor; não um ator melhor ou pior, simplesmente diferente. Agora sei como todo o processo é feito.
Sou ator desde os 8 anos, então atuar pra mim é algo lúdico e orgânico, tudo flui naturalmente. Como diretor, minha atenção é total, exige razão e sensibilidade. É um processo altamente inspirador contar uma história por inteiro pensando em todos os detalhes. Como diretor/autor, tenho o privilégio de transformar algo íntimo num organismo palpável, que encontra outras pessoas e novos significados.”

Selton Mello e Patrícia Pillar: belo dueto para um complicado caso amoroso…

No final das contas, quem agradece somos nós, Selton, integrantes de sua imensa e calorosa plateia !
Por sua volta à telinha, pelo ator magnânimo que és, e por ter feito de Auguto de Valmont mais um grande momento da Teledramaturgia, e mais um grande personagem da notável galeria dramática, na qual figuram personagens de complexa e delicada tessitura, temperados com muitos matizes, e carentes de interpretações viscerais, como esta que você emprestou a Augusto de Valmont.

Portanto, receba Selton Mello os mais sinceros PARABÉNS e o caloroso #AplausoBlogAuroradeCinema !

Selton Mello explode em seguidores, críticas favoráveis e aplausos dos próprios colegas

 

Saravá, Buchecha !

Cantor festeja 40 e 20 de carreira lançando CD que relembra grandes sucessos !

Buchecha agora é quarentão ! Mas continua com a mesma batida que conquistou uma enorme galera  no início dos anos 90 e fez bombar canções como Sonho e Conquista. Sem esquecer que ele inspirou-se em danças e malemolências que viu por aí e criou uma maneira de se apresentar dançando que encantou plateias enormes Brasil afora.

Agora o cantor volta com tudo e um novo lançamento: Funk Pop, disco que tem produção do festejado Kassin, produtor de discos pop e indie. Ele é o responsável por repaginar hits como Conquista, Só Love, Destino, À Distância e Quero Te Encontrar, e por reunir uma equipe de peso da música pop brasileira. Graças ao sorriso fácil do agora quarentão Buchecha e a excelente agenda de contatos de Kassin, Funk Pop traz um leque de participações de artistas de estilos distintos, como Lenine (em Conquista), Paralamas do Sucesso (Só Love), Adriana Calcanhotto (Destino), Paula Toller (À Distância), Rogério Flausino (Quero Te Encontrar) e Ludmilla (olha ela aí de novo, em Implacável).

 “Já tem quatro décadas do funk no Brasil. Resolvi fazer meu disco novo para mostrar que desde sempre o funk teve pérolas pop, nunca foi só tamborzão. E ainda coloquei uma galera cantando, no jeito deles”, diz Buchecha.

FUNK POP tem quatro canções inéditas – uma delas, Vem Cá Fazer Um Love, estreou nos cinemas, como parte da trilha do filme Vai Que Cola –, todas assinadas por seus filhos Giulie Oliveira e Buchechinha (Clauci Julio), de 12 e 16 anos, respectivamente: “É curioso ver como eles me ajudam a criar essas músicas”, diz o pai orgulhoso. “Acho que o Julio vai seguir como músico, toca piano, teclado; já a Giulie é cantora de chuveiro. Uma hora fala que quer ser jogadora de futebol, na outra quer ser modelo”, explica e ri dos sonhos da filha.

Buchecha afirma: “É um prazer enorme cantar essas músicas. Naquela época, tínhamos muito para comemorar e agora não é diferente. O que sinto é uma saudade suportável.”

Pois seja muito bem vindo. Buchecha e seu FUNK POP !

Só Love ganha som dos PARALAMAS  e voz de Herbert Vianna…

Adriana Calcanhotto participa na faixa Destino, música-título do disco da dupla Claudinho & Buchcha lançado em 2000. Lenine aparece em A Conquista, música escolhida pelo próprio.

“O meu grau de fanatismo pelo Lenine só se compara ao que sinto pelo Lulu Santos ! Ele deixou a música com a cara dele”, diz Buchecha. Só Love ganhou baixo, guitarra, bateria e metais dos Paralamas do Sucesso, além da participação sempre bem vinda do amado Herbert Vianna. Já Ludmilla aparece cantando ‘Implacável’, música-solo de Buchecha. 

Ouça aqui SÓ LOVE: http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2015/12/04/video-exclusivo-mostra-dueto-de-buchecha-com-paralamas-em-so-love.htm

BUCHECHA retorna afiadíssimo com seu suingue e simpatia inconfundíveis