Arquivo da categoria: LANTERNINHA

Textos que ILUMINAM e valem ser relembrados, sempre

Marília Pera em palavras emocionadas de Rubens Ewald Filho

Dias atrás, assistindo ao documentário sobre Chico Buarque, mo qual Marília Pera é a narradora, sem explicação eu comecei a chorar. Não pelo filme mas por ela..Tinha ouvido boatos sobre uma possível doença mas não imaginava que fosse algo tão rápido, tão inevitável. Agora que vejo a noticia confirmada na Internet, me encho de tristeza. E agradeço a chance que tive em fazer a entrevista coletiva com ela em Gramado, quando o Festival lhe deu o Troféu pela carreira. Foi um momento mágico de reencontro com uma velha amiga, que, mesma sendo uma Diva, era também um ser humano incrível, uma atriz genial de incrível presença e influência. Estou triste demais  para falar de sua incrível carreira e o encanto que sempre nos cativou. Descanse em paz, querida amiga.

Rubens Ewald filho

Rubens Ewald Filho e Marília Pera no derradeiro encontro: o crítico conduziu a entrevista coletiva com a atriz na edição 2015 do Festival de Cinema de Gramado…

Samba revela beleza e encanto de Jéssica Mara

JM

A modelo carioca Jéssica Mara, ou Mara Jay como já é conhecida no meio dos flashes e sobre as passarelas de moda, surpreendeu no desfile de sábado do Sambódromo carioca e ganhou destaque midiático inusitado…

Escola Caprichosos de Pilares revelou uma nova Pérola Negra do Samba

O jornal O Globo assim afirmou:

“No turbilhão de luzes, brilhos e milhares de componentes das escolas da Série A que desfilaram sábado no Rio, surgiu uma estrela nova.

Sensualidade sem silicone, beleza sem botox, cabeça raspada, o corpo revelado pelo vestido molhado: Jéssica Mara, musa da Caprichosos de Pilares, botou o público do sambódromo aos pés de seu 1,82m.

Um megasucesso que surpreendeu a estudante e modelo, de 22 anos, natural de Volta Redonda, no sul do estado do Rio:

‘É a primeira vez que desfilo como um destaque, em cima do carro. E eu tenho pavor de altura, não gosto de ficar no alto, detesto. Cheguei lá, e fiz um pouco diferente, mas saiu bem melhor do que eu esperava’, conta Jéssica Mara.

Jéssica mora com o pai, a irmã e a sobrinha, em Bonsucesso, no subúrbio do Rio. A família apoia a carreira de modelo, que já incluiu fotos dela nua. Difícil, ela diz, é ser modelo negra:

‘Eu faço teste pra eles e depois eu vejo, caraca, não passou nenhum negro, só tem louros, de olhos azuis. Às vezes eu chego aqui em casa, falo que não quero mais fazer, não quero mais, meu pai vai e me levanta, minha mãe conversa comigo’.

Jéssica está sendo comparada a Pinah – lendária passista-destaque da Beija-Flor que encantou o príncipe Charles, da Inglaterra, na década de 1970.

A nova musa do Sambódromo carioca guardará para sempre as lembranças da noite mágica:

‘Gostei muito de ter desfilado ! Agradeço a oportunidade que me deram, e a confiança que depositaram em mim, porque eu nunca saí numa avenida, pra sambar. E por eu ser modelo, um diferencial do perfil mesmo do samba, eu não imaginava que daria este tipo de repercussão, não mesmo, eu agradeço muito’.

JM no carro

Jéssica Mara abalou desfilando no alto de um carro alegórico…

Caprichosamente, ela chegou ao Samba: Todo o esplendor de Mara Jay !

Herbert Vianna e um monumento em Campina Grande

A mais nova produção AURORA DE CINEMA acaba de entrar na web

HERBERT VIANNA, cantor e compositor que acompanhamos com afinco e intensidade desde quando surgiram os PARALAMAS DO SUCESSO, nos inícios dos anos 80…

A música MEU SONHO, letra e música do exímio guitarrista e emérito compositor paraibano, enriquece as imagens que integram o videoclip em homenagem ao grande Artista – Campina Grande e As Cordas de Herbert -, criação desta jornalista que vos fala, Aurora Miranda Leão.

Confira em http://youtu.be/oYsvkBSZvyU

Herbert Vianna, a guitarra que fala e na voz de quem, qualquer música, torna-se referência.

Ceará leva Frei Tito ao Teatro de Recife

Este final de semana, o teatro cearense aporta em Recife através do Grupo Formosura Teatro.

Esta noite, acontece a primeira apresentação da leitura dramática de Frei Tito: Vida Paixão e Morte, texto do ator e encenador Ricardo Guilherme com direção de Graça Freitas.

Texto do dramaturgo Ricardo Guilherme em nova versão…

A realização é da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e do Instituto Frei Tito de Alencar em parceria com o Grupo Formosura e a Secretaria de Direitos Humanos e Segurança Cidadã – Prefeitura de Recife.

As apresentações são gratuitas e acontecem no Teatro Luiz Mendonça -Parque Dona Lindu, HOJE às 20h30; amanhã às 20 h, e domingo em duas sessões, às 16h e às 19h. Além da peça, estará em cartaz a exposição  SALA ESCURA DA TORTURA sobre os últimos dias de Frei Tito.

A propósito: vale conferir o filme BATISMO DE SANGUE, do cineasta mineiro Helvécio Ratton, o qual aborda a questão dos frades dominicanos, torturados na época negra da história política brasileira, tendo como foco principal o Frei Tito de Alencar Lima, cearense morto em Paris, magistralmente interpretado por Caio Blat. O filme é baseado no livro homônimo de Frei Betto.

Confira trechos em http://www.youtube.com/watch?v=Abs9p0Dlt8U

Imagem

Grupo Formosura revive trajetória de Frei Tito através de texto de Ricardo Guilherme…

Cine Festival vai evidenciar beleza e paisagens naturais de Araxá

 

Às vésperas de realizar seu primeiro Festival de Cinema, a cidade de Araxá começa a despertar atenção. É lá que, durante uma semana, o Cinema Brasileiro vai estar hospedado numa intensa programação, da qual constam oficinas, workshop, lançamentos de livros e DVDs, exibições grstuitas de filmes brasileiros, e diversas mostras competitivas e informativas.

O I Araxá Cine Festival foi idealziado por Débora Torres, que também é sua Produtora-Executiva, tem Curadoria de Rubens Ewald Filho, e direção artística de Alberto Araújo. O Festival será aberto dia 10 e prossegue até 16 de setembro.

Minas Gerais

História preservada: o antigo prédio da Rede Feroviária, onde hoje funciona a Fundação Cultural de Araxá…

Minas Gerais

As lindas paisagens da região atraem centenas de turistas a Araxá, anualmente…

Minas Gerais

Cercado de verde, calmaria e beleza, a arquitetura imponente do Grande Hotel é uma das atrações mais visitadas pelos turistas…

Minas Gerais

O Museu Dona Beja leva o nome de famosa cortesã que viveu na região no século XIX e foi inspiração para conhecida novela…

O museu também guarda itens usados na novela da Manchete, que contou a história da mulher que deu nome ao local. Ana Jacinta de São José, a Dona Beja, é considerada uma das mulheres mais bonitas de seu tempo. Em sua época, foi mal vista pelas conterrâneas por causa de sua beleza. Apaixonada por um homem que se casou com outra, ela acabou virando cortesã, amante de grande parte dos homens casados da cidade, e enriqueceu às custas de seus admiradores.

Outro ponto importante para o turista é conhecer a Fundação Cultural Calmon Barreto. O local expõe peças de artesanato e ótima opção para quem deseja comprar produtos locais. São doces caseiros, peças de arte e até sabonetes de lama. Quando for visitar Araxá, não deixe também de provar os doces de Dona Joaninha e Dona Ana, que incluem frutas cristalizadas e doces de amendoim. A cachaça também é destaque neste município mineiro. 

As igrejas de Araxá, de beleza simples e encantadora, também valem uma visita. Entre as mais visitadas, a Igreja Matriz de São Domingos e o Santuário Nossa Senhora de Fátima. Na Igreja Matriz de São Sebastião, os turistas podem ver também o Museu Sacro São Sebastião

Minas Gerais

A Igreja São Sebastião, onde fica o Museu Sacro…

Depois da visita ao centro histórico, os amantes de esportes radicais, ecologia, e turismo de aventura podem encontrar muitas opções de passeios. Araxá é um dos principais acessos ao Parque Nacional da Serra da Canastra, onde encontram-se cachoeiras, trilhas e é possível escalar paredões.  Já o Centro de Aventura do Barreiro está dentro do Complexo do Barreiro, contando com tirolesa e arvorismo, com programas especiais para crianças e adultos.

Minas Gerais

Araxá é uma das portas de entrada para a famosa Serra da Canastra…

Laura Neiva é destaque na Rolling Stones

Jovem atriz fala da admiração por DÉBORA BLOCH e quer encarar papéis mais desafiadores para deixar a fama de “menininha” 

Nas telonas na pele de Gabi, no filme de E aí…Comeu?, uma jovem que compõe um triângulo amoroso com os personagens de Tainá Müller e Bruno Mazzeo, Laura Neiva conversou com a revista Rolling Stone Brasil de julho sobre vida pessoal, carreira e inspirações profissionais, entre elas, a atriz Débora Bloch.

 

Laura e Débora se conheceram nas filmagens do primeiro trabalho da atriz, o filme À Deriva, de Heitor Dhalia, e coincidentemente, descobriram usar o mesmo perfume: Narciso Rodriguez For Her. A experiência ao lado da atriz foi marcante na carreira de Laura, que se derrete em elogios: “Sempre achei ela uma mulher muito bonita, e a relaciono com esse cheiro. Então, quando eu quero ficar bonita, ponho o cheiro da Débora Bloch. É uma grande atriz, uma mulher incrível. As escolhas dela, a postura, acho tudo perfeito”, afirma.

 

Laura Neiva, Vincent Cassel e Débora Bloch no Festival de Cannes…

Aos 18 anos, Laura também é bem seletiva quanto aos projetos que abraça. Em  quatro anos de carreira, além dos dois filmes, participou de dois curtas-metragens e ficou um ano em cartaz em Ligações Perigosas, ao lado de Maria Fernanda Cândido. Agora, ela se sente pronta para novos desafios e anseia por “papéis diferentes, dificuldades novas, não sempre fazer o papel da menininha. Vai ser uma delícia poder experimentar algo novo, como uma personagem bem má, mas com uma maldade muito inteligente”, diz a atriz.

Sobre o romance com o apresentador Felipe Solari, Laura diz que a diferença de idade – 12 anos entre os dois – em nada atrapalha e faz até piada. “Minha mãe tem 34 anos e meu namorado tem 30. Cheguei a pensar que um já poderia ter ficado com o outro”, brinca. “É meu primeiro mais velho. Mas parece menos. Às vezes, eu olho para ele e digo: ‘30 anos, uau’. Ele fica superfeliz”, finaliza.

Às vezes, a Poesia insiste em nos visitar…

Receitinha Insensata

Pra você que está longe
E ainda não chegou
Você que faz versos, que ama, protesta
Fiz uma receita impensada
E salpiquei temperos em ideias desconexas

Um sol, pouco sal, algumas nuvens
Flores de mares, cheiros de verão
Muitos brindes e nenhuma ordem
Pouca sensatez e propensão demasiada
À loucura de gestos para anunciar
Como abraços em nuvens de aurora

Histórias se rabiscam à minha frente
Desnudam-se em mágicos desenhos
As cores outonais
Inspiram gestos e espargem fantasias
Sem pauta, notas, carimbos
Marcas, tons e sussuros…
Só os serpenteios do vento
Desencontram meu caminho.
Na bolsa onde levo bugingangas
Já pesam outras ternuras
Ancoradas na saudade.

 
O olhar não assinala mais
Necessidade nem pressa
A paixão quer entregar
Vertigem e busca em cada passo
A ébria poesia
Que os desejos perduram
E a ternura insinua
Como na fala do poeta

Porque mais vale sorrir e cantar
Tendo um amor por alcançar
Que desperdiçar energia
Por um rasgo azul de ilusão
Que nem sequer consegue
Estancar o cansaço
Transformando as horas amorfas
Em pretextos de afeto
Onde a luz se faz
Atriz de muitos palcos
Deixando escapar os laços
Perdidos em dessintonias
Para antever a saudade que se avizinha
Quando a razão se derrama
Porque o instante floresceu
Fecundo
De não mais ter
Desejo

Poesia liberada, ao cair da tarde…

poeticamente, um encontro inusitado esta tarde:

 
 
 
O convite é extensivo: o Palco Aberto é hoje, a partir das 17h, no Templo da Poesia: rua Barão de Aratanha 201, esquina com Meton de Alencar, no centro de Fortaleza.
 
O espaço estará aberto para Poesia, Literatura, Música, Teatro, Dança ou qualquer outra manifestação artística. Para apresentar-se, basta subir ao palco, assim que ouvir o chamado…  Palco Aberto ! 
 
Quem assina o convite é o Templo da Poesia

Inscrições para Fotografia e Vídeo no Piauí

Festival de Vídeo de Teresina inscreve até 31 de julho
Para aumentar a divulgação da produção audiovisual e premiar àqueles que forem considerados mais representativos em suas categorias, o Festival de Vídeo de Teresina abre inscrições para produções de até trinta minutos e o participante pode inscrever até três vídeos. O edital e a ficha de inscrição estão disponíveis no site da Fundação Monsenhor Chaves e na Casa da Cultura de Teresina, as inscrições seguem até 31 de julho.. Saiba mais: www.fcmc.pi.gov.br.

Inscrições 17º Salão Municipal de Fotografia, que será em setembro

A Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, abre inscrições ao 17º Salão Municipal de Fotografia. O edital do Salão, bem como a ficha de inscrição, podem ser acessados no site da FMC e o edital será dividido em quatro categorias: Fotografia Colorida, Fotografia Preto & Branco, Fotografia Temática e Ensaio Fotográfico. As inscrições vão até 31 de julho na Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, na Casa da Cultura de Teresina. www.fcmc.pi.gov.br

Para compreender melhor o Cinema Mudo

 
 

Começou ontem e prossegue até 16 de julho, em Sampa, o curso sobre CINEMA MUDO, ministrado pelo jornalista e crítico de cinema Celso Sabadin

O curso História do Cinema Mudo, que acontece na Biblioteca Pública Roberto Santos, tem aulas gratuitas às segundas-feiras, a partir das 19h. 

Serão cinco encontros analisando os anos iniciais do cinema, desde as primeiras experiências com imagens em movimento até a transição para o sistema sonoro, passando pelo desenvolvimento dos gêneros cinematográficos, praticamente todos criados na era do cinema mudo. Haverá exibições de trechos de filmes históricos e importantes do período.  

A primeira aula foi sobre o nascimento e a pré-história do Cinema. Nas duas próximas semanas, Sabadin explicará sobre o período no qual o cinema se firmou como espetáculo e como indústria, e sobre a conquista do mercado norte-americano. Já o Expressionismo Alemão e o Realismo Soviético, as primeiras grandes escolas estéticas da era silenciosa, serão apresentados dia 2 de julho. Encerrando, destaque para a transição ao cinema sonoro e a importância de O Cantor de Jazz para a História do Cinema, dia 16 de julho.

 

Celso Sabadin faz colaborações nos sites Planeta Tela e 100% Vídeo, na  Revista de Cinema e na Rádio Bandeirantes. É autor dos livros Vocês Ainda Não Ouviram Nada – A Barulhenta História do Cinema Mudo, Éramos Apenas Paulistas, e Ofício de Cineasta. Ele prepara atualmente o lançamento de seu primeiro longa-metragem como roteirista e diretor, um documentário sobre Amácio Mazzaropi. 

Serviço

Curso História do Cinema Mudo

Data: 11 de junho a 16 de julho

Horário: 19h

Inscrições: (11) 2273-2390 ou pessoalmente na unidade.

Local: Biblioteca Pública Roberto Santos

Endereço: Rua Cisplatina, 505, Ipiranga