Arquivo da categoria: PIPOCAS

TEMAS que merecem o olhar da cronista

Forró com Socorro & Mazé é Alegria garantida !

Bandinha pernambucana comandada por mulheres arrasa com ótimo repertório e adentra a madrugada fazendo dançar…

20131109_002656

Socorro & Mazé: 30 anos de estrada tocando e conquistando com o forróEu e MazéA jornalista Aurora Miranda Leão curtindo a noite com a zabumbeira Mazé…

A noite com elas é super animada, dançante, alto astral ! Socorro na sanfona, Mazé na zabumba, e mais outros 3 com elas, e o som faz festa pra gente se espalhar rodando pela pista.

Valter Bahia e euOs atores Aurora Miranda Leão e Valter Bahia curtindo um forró na pista…

Foi assim que esta Aurora de Cinema fez lá em Taquaritinga do Norte na noite em que a arretada bandinha de forró Socorro & Mazé comandou a noite festiva. Era o encerramento da sexta edição do Curta Taquary e nunca pensei fosse passar uma noite tão bacana ao som de forró, que nem é meu ritmo predileto.

20131109_002643O animado casal Prazeres Barbosa e Francisco Torres caiu na pista e mostrou que é bom de forró, filhos de Caruaru que são…

Mas acontece que essas duas danadas nordestinas – Socorro & Mazé – mandam bem à beça e arrastaram Deus e o mundo com seu jeito de tocar e cantar cheio de ginga, balanço e graça, desfilando um repertório supimpa, num verdadeiro convite à alegria ! Porque uma das deficiências mais sentidas na noite é o pequeno ou mau repertório de quem comanda a Música.

Mas no caso de Socorro & Mazé foi justamente diferente: o repertório das duas é bom pra caramba e tudo que pedimos, foi atendido. com louvor !

20131109_001414A linda Bruninha de Taquary: começando a dar show na sanfona…

Com as duas nordestinas, tocam ainda Naldo (baixo), Parrudo (triângulo), Henrique (percussão), e ainda tem uns 2 ou 3 números especiais com a mais jovem e linda sanfoneira do Nordeste: a Bruna de Taquary.

A cantandoAurora Miranda Leão aproveitou o som maneiro da banda Socorro & Mazé e mandou ver com algumas pérolas do forró…

De grandes sucessos de Luiz Gonzaga, passando por clássicos de Gilberto Gil e Dominguinhos, e hits popularizados pelo grande Raimundo Fagner, a bandinha de Socorro & Mazé merece figurar em qualquer grandes festa que se queira fazer com o forró dando as cartas e botando a pista pra ferver. Na verdade, as duas já tem mais de 30 anos de estrada (Mazé canta, além de tocar a zabumba), mas a formação atual tem pouco mais de 10 anos. Henrique, o adolescente que manda ver na percussão, é sobrinho de Socorro, enquanto a pequena Bruna é sobrinha da Mazé.Eu e HenriqueAurora de Cinema e Henrique, percussionista-mirim da banda Socorro  & Mazé…

Ficamos sabendo por outra sobrinha de Mazé, a bela Késsia Wanessa (que espera gêmeos pra 2014) que a banda vai lançar em breve um DVD, chamado 30 anos de Socorro e Mazé (gravado no badaBarreira com David Mickael e Fagner Silvestre), e também que existe um documentário sobre a trajetória delas feito pela própria Mazé.cantandoooAurora Miranda Leão também assumiu o microfone e cantou alguns clássicos do forró…

O melhor é que as duas nasceram mesmo pra tocar e não se fazem de rogadas: sem frescura nem fricote, não alegam falta de ensaio nem que não sabem tal música: tocam tudo que se pede e ainda deixam os que querem dar uma ‘canja’. E foi assim que nós cantamos uma porção de pérolas do nosso cancioneiro, como Qui nem Jiló – a mais linda do conterrâneo Humberto Teixeira; Eu só quero um Xodó, de Dominguinhos e Gil; Riacho do Navio, de Gonzaga e Zé Dantas; e É Proibido Cochilar, de Antônio Barros, conforme aponta a web mas não temos certeza dessa autoria.20131108_235654Prazeres Barbosa: atriz canta e encanta ao som de ‘Num se avexe não’…

O fato é que a noite ao som arretado e gostoso da bandinha Socorro & Mazé foi a melhor dentre tantas que já passamos em festas de encerramento de festivais, e foi um brinde contagiante à Alegria, contando inclusive com uma participação magnífica e super especial da atriz Prazeres Barbosa cantando o clássico ‘A Natureza das Coisas’ (mais conhecida como Num se Avexe, Não), do compositor Accioly Neto, com o qual ela marcou de forma decisivamente linda sua atuação no belo filme A Máquina, do incrível diretor pernambucano João Falcão (!!!).bandinha e noix

Portanto, quando você ouvir falar em ‘Noite de Música com Socorro & Mazé’, se arrume e dê um jeito de chegar lá porque é noite garantida de boa música, belo som e muita alegria !Praz eu e ArlyAurora, Prazeres Barbosa e Arly Arnaud na animação com Socorro & Mazé…Arly e JeanAtriz Arly Arnaud e ensaísta/ator Jean-Claude Bernardet entre os que ‘forrozaram’ a noite toda…20131109_002218A sanfoneira Bruninha saudada pela jornalista Aurora Miranda Leão…20131109_023846Animação: Paula Passos, Aurora Miranda Leão e Pethrus Tibúrcio na curtição…

A Alegria ESQUENTA nas tardes de domingo

Programa comandado por Regina Casé é melhor a cada audição…

O lema do programa de Regina Casé é “Xô, Preconceito !”

Regina Casé faz o melhor e mais animado programa dominical dá TV brasileira…

Faz alguns meses e virei fã. Sempre que estou em casa, assisto. Comecei a ver o programa enquanto esperava amigos pra ir almoçar… eu também achava que o ESQUENTA era um programa que só devia funcionar bem nos meses de janeiro e fevereiro, antecedendo ao carnaval. E não é que me surpreendi absolutamente bem com o ESQUENTA ?

Idealizado pela dupla Regina Casé e Hermano Vianna, o programa marca a estreia da atriz comandando um programa de auditório. E o ESQUENTA é um belo Gol de Regina Casé, Hermano Vianna, Estêvão Ciavatta, Guel Arraes e equipe ! Tem uma proposta interessantíssima, avançada (até o ponto em que se pode ‘furar’ os bloqueios de um meio de comunicação de massa como a tevê), com um conteúdo calcado na diversidade, na pulsação da alegria, da brincadeira, do bom humor, pontos de grande relevância para uma atração exibida justamente no primeiro dia da semana, cuja ‘missão’ subreptícia é recarregar as baterias para a nova jornada que começa a cada segunda-feira.

Regina Casé com o pai Geraldo e a filha Benedita…

Regina Casé, que traz no sangue a vocação para a empatia popular, o humor, a musicalidade e a valorização da diversidade cultural, é  pessoa certa no programa certo. Neta do radialista Ademar Casé – produtor e apresentador pioneiro do rádio brasileiro -, e filha de Geraldo Casé, a atriz comanda o ESQUENTA como se estivesse na sua casa, numa grande sala de celebração das múltiplas variáveis que fazem da Cultura Brasileira este belo matelassê, onde todos os ritmos e formas de arte misturam-se formando-se harmoniosas combinações.

Geraldo Casé, o pai de Regina, ainda moço começou a trabalhar com seu pai auxiliando-o no Programa do Casé da Rádio Philips, onde foi sonoplasta, operador de áudio e, depois, diretor artístico. Além da Phillips, Geraldo Casé trabalhou na Rádio Mayrink Veiga e na Rádio Globo. Depois de algum tempo, foi parar na TV, e lá, criou, entre outros o programa de auditório ‘Um Instante, Maestro’, comandado pelo apresentador Flávio Cavalcanti. Sempre ligado ao público infanto-juvenil, Casé criou programas como Teatro de Malasartes e Fantoche estrela. Mas a maior realização de Casé foi a adaptação das histórias do Sítio do Pica Pau Amarelo, de Monteiro Lobato, para uma série de televisão, entre 1977 e 1986. Casé também compôs músicas e dirigiu peças de teatro. E foi dele que partiu o nome do lendário grupo teatral Asdrúbal Trouxe o Trombone, do qual Regina foi uma das expoentes. A última ocupação de Geraldo Casé foi como Diretor Artístico da Divisão Internacional da Rede Globo.

Para desenvolver o ESQUENTA, Regina conta com a ajuda da equipe que a acompanha há muitos anos. São quatro diretores: Estêvão Ciavatta, o marido, e os amigos Leonardo Netto, Mônica Almeida e Mário Meirelles, e mais o diretor de núcleo, Guel Arraes. Alberto Renault e Hermano Vianna assinam o roteiro final.

É Mônica Almeida quem diz: “Nosso grupo tem essa característica de ser totalmente junto e misturado. Estamos todos trabalhando na criação do programa. Os roteiristas dão ideias para a direção, a gente sugere coisas para o roteiro… Todo mundo faz tudo”.

Periferia, subúrbio, favela, morro, pobres e ricos, bonitos e feios, dançarinos e cantores amadores, artistas das mais diversas áreas, projetos importantes, cantores e atores da emissora líder, tudo junto & misturado. E XÔ Preconceito !

Assim é o cerne do programa desta artista grandiosa e de invejável empatia que é Regina Casé. Assistir ao ESQUENTA é como participar de uma festa domingueira onde a alegria recepciona os convidados e a plateia – a do estúdio e a de casa – através da mistura de ritmos, cores, ideias, de convidados múltiplos, congregando várias tendências e estilos formadores de um autêntico painel da diversificada cultura brasileira. E Viva a Diferença, como tão bem dizem os franceses !

Desde que comecei a ver o ESQUENTA, o programa só melhora. Que produção supimpa !!! De tirar o chapéu ! Aliás, o naipe de produtores da Rede Globo é qualquer coisa a ser analisada com muita atenção. Ali parecem estar congregados os grandes profissionais do país, nas mais diversas áreas da criação artística. O que são aqueles roteiristas, maquiadores, músicos e a turma que ‘pega no pesado’ da produção mesmo (nós já trabalhamos com produção de programa radiofônico e televisivo e sabemos: o trabalho é desgastante e difícil, embora fascinante) ? A cada domingo, os convidados, as músicas, as danças e os quadros do ESQUENTA são novos, interessantes e sempre primando pela união de forças que vai atuar em prol da Alegria e da propagação de ideias possibilitadoras de novas posturas diante de temas relevantes, ou do conhecimento de ações e projetos que estão fazendo bonito e diferente em questões pungentes.

A filha de Regina Casé, Benedita, registrando tudo…

Foi assim no ESQUENTA que juntou a cantora Ivete Sangalo e um senhor que cuida da maior biblioteca existente numa cidade do interior do Brasil – Biblioteca Professora Ivete -, justamente uma biblioteca erguida e mantida pelo senhor que adora livros e cuja primeira professora era a mãe de Ivete Sangalo. É claro que a emoção de Ivete e do bibliófilo baiano encharcou de emoção o ESQUENTA e foi difícil segurar as lágrimas.

Assim foi também com a presença de Zeca Pagodinho no ESQUENTA, sobretudo quando apareceu também a cozinheira que fez comida de graça pra toda a comunidade de Xerém quando da última enchente no lugar, gesto nobre tornado possível pela união das forças do Bem – de Pagodinho e da altruísta cozinheira vizinha do artista carioca.

E assim foi no ESQUENTA de hoje quando Regina Casé recebeu o Super Pop Lulu Santos; os atores Sophie Charlotte, Marco Pigossi e Humberto Carrão (novela Sangue Bom); o ator e humorista Marcius Melhem, que é um dos colabores do programa; e um projeto de Pindamonhangaba que trata da adoção de crianças e jovens, a partir de 5 anos. Um exemplo incrível que bem poderá ser seguido em várias outras partes do país. Quem quiser mais informações sobre a meritória organização que trabalha com esse tipo de adoção, é só entrar no site do ESQUENTA.

Além disso, o ESQUENTA tem um grupo fixo de músicos – como Péricles, Arlindo Cruz e o baino Mumuzinho (de voz belíssima), e prima pela criatividade nos figurinos, os quais, a cada domingo, se relacionam com o tema escolhido para o programa e dão banho de originalidade, beleza e propriedade com o tema ressaltado.

Lulu Santos tocou vários de seus hits no ESQUENTA deste domingo e fez a plateia dançar e cantar junto…

Enfim, assistir ao ESQUENTA é um dos ótimos programas para as tardes de domingo. Quem optar por ficar em casa, deve se ligar no programa. É uma delícia assistir ao ESQUENTA comandado com graça, bom humor, espontaneidade, e show de descontração, simpatia e muita criatividade por REGINA CASÉ.

Regina Casé no ESQUENTA: figurinos do programa são atração à parte…

Regina Casé e o marido Estêvão Ciavatta, diretor-geral do ESQUENTA

O blog AURORA DE CINEMA inscreve-se entre os muitos fãs do ESQUENTA e recomenda: se você for zapear no domingo, não há como não se ligar no programa de Regina Casé e Hermano Vianna ! O ESQUENTA É, DISPARADO, a opção inteligente pela ALEGRIA mais descontraída e a mais colorida mistura da Diversidade !

Regina Casé faz do ESQUENTA a atração mais alegre e divertida do Domingo !

Ecos de Araxá: a beleza das criações Annarrá

AURORA DE CINEMA direto do Araxá Cine Festival

Aurora Miranda Leão, Walter Webb e Rosamaria Murtinho, usando colar criado pela Annarrá…

Os dias de sol, calor, cinema e bons papos no encantador município mineiro de Araxá, ainda ecoam na memória e, por certo, hão de ficar pra sempre no coração.

Colírio ! …. Preciosidades Annarrá

E dentre tantas coisas encantadoras vistas ali, vale registrar a visita à bela loja Annarrá, na avenida principal do centro de Araxá, onde fomos eu e a atriz Rosamaria Murtinho, levadas por Célia Pio (da produção do I Araxá Cine Festival).

Vale salientar: eu e Rosamaria ficamos absolutamente surpresas com a beleza das criações da Annarrá, loja especializada em finas bijuterias, criadas pelas próprias filhas da dona – Anna e Raphaela Aguiar -, a simpática Gláucia, que nos mostrou com satisfação e um belo sorriso as muitas peças de fino bom gosto ali expostas.

Rosamaria Murtinho recebida por Gláucia, mãe das artistas da Annarrá

Sem dúvida, visitar à Annarrá faz bem aos olhos. São lindas, exóticas, e quase exclusivas as peças ali criadas por duas araxaenses que, aos poucos, começam a despertar a atenção de pessoas de gosto refinado, em todo o país.

Além das criações artesanais, a Annarrá também oferece peças de vestuário elegantes e criativas, estilo jovem e super contemporâneo.

Criações ANNARRÁ: pense numa soberba tentação…

O Aurora de Cinema esteve lá, conferiu, comprou e recomenda: se você é de Minas ou for passar por Araxá, ou por alguma cidade ali perto, não deixe de visitar a Annarrá ! Você também vai ficar maravilhada com tanta beleza em forma de artesania, acessórios finos, e semi joias trabalhadas com delicadeza e criatividade.

Rosamaria Murtinho escolhe peças entre as belas criações Annarrá…

Aurora Miranda Leão veste blusa da Annarrá em noite de Araxá Cine Festival

Detalhe: a ANNARRÁ envia para todo o Brasil. É só entrar em contato:
annarraacessorios@gmail.com ou (34)3662.3707.

Araxá consagra ‘Olhos Azuis’ e Cata Preta

AURORA DE CINEMA direto do Araxá Cine Festival

Foi de glória e beleza a noite de encerramento do I Araxá Cine Festival.

Com a inauguração do Teatro Municipal, belo projeto do arquiteto Gustavo Penna, e muita gente no entorno da obra para apreciar o novo espaço cultural de Araxá, a festa foi ainda mais bonita por conta de boa música na apresentação, teatro lotado, platiea atenta e disposta a aplaudir, e momentos especiais de emoção.

Como a presença do ator Murilo Rosa fazendo show como cantor – inspirado pelo personagem Hugo Kari (que ele vive no longa ‘Vazio Coração”, do diretor Alberto Araújo.

A lista de vencedores segue abaixo. E no próximo, o AURORA DE CINEMA vai contar mais detalhes da festa de encerramento do Araxá Cine Festival e inauguração do Teatro Municipal de Araxá.

Foram concedidos o Prêmio DONA BEJA em dinheiro e o Troféu Araxá -Terra do Sol (criação do artista plástico araxaense Aloísio Zema) aos vencedores, além do Troféu Araxá Homenagem (conjunto representativo de obras) a nomes significativos do cinema brasileiro e mineiro.

Os Prêmios Oficiais – Troféu Araxá e prêmio Dona Beja – foram conferidos aos concorrentes em longa-metragem 35mm e/ou Digital de Ficção convidados; filmes curta-metragem mineiros e Curtas Araxaenses :
a) -MOSTRA COMPETITIVA DE CINEMA BRASILEIRO-Filme de longa-metragem em 35mm ou digital de Ficção convidados.

1) PRÊMIO DONA BEJA:

1.1 – Melhor Filme de Ficção – R$ 20.000,00 (vinte mil reais) mais Troféu-OLHOS AZUIS
1.2 – Melhor Direção – R$ 10.000,00 (dez mil reais) mais Troféu-JOSÉ JOFFILY-OLHOS AZUIS
1.3 – Melhor Ator –R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-PAULO JOSÉ-O PALHAÇO
1.4 – Melhor Atriz –R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-MARIA DE MEDEIROS-O CONTADOR DE HISTÓRIAS
1.5 – Melhor Ator Coadjuvante – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-IRANDHIR SANTOS-OLHOS AZUIS
1.6 – Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-VALÉRIA LORCA-OLHOS AZUIS
1.7 – Melhor Roteiro – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-PAULO HALM E MELANIE DIMANTAS-OLHOS AZUIS
1.8  -Melhor Fotografia – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-MARCELO TROTTA-ONDE ESTÁ A FELICIDADE?
1.9  -Melhor Direção de Arte – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-FREDERICO PINTOONDE ESTÁ A FELICIDADE?
1.10-Melhor Música ou Trilha Sonora Original – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-ANDRÉ-ABUJAMRA E MÁRCIO NIGRO-O CONTADOR DE HISTÓRIAS
1.11- Melhor Som – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-JOSÉ MOUREAU LOUZEIRO-NÃO SE PREOCUPE NADA VAI DAR CERTO
1.12- Melhor Montagem – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mais Troféu-PEDRO BRONS-OLHOS AZUIS
PRÊMIO REVELAÇÃO-PAULO HENRIQUE: O CONTADOR DE HISTÓRIAS
b) -MOSTRA CURTA MINAS -Filmes de Curta Metragem Mineiros em 35mm ou digital de todos os gêneros;

2) PRÊMIO DONA BEJA:

2.1 – Melhor Curta Mineiro – R$ 10.000,00 (dez mil reais) mais Troféu-O CÉU NO ANDAR DE BAIXO-DE LEONARDO CATA PRETA

c) MOSTRA CURTA ARAXÁ de Curtas metragens araxaenses de todos os gêneros:

3) PRÊMIO DONA BEJA:

3.1 -Melhor Curta Araxaense –R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) mais troféu; destinado á produção de 01 curta metragem de ficção que será exibido na abertura da  2ª edição do Araxá Cine Festival-EXPRESSO ARAXÁ-DE CHICO LIMA

Cata Preta: mais um prêmio na carreira de O Céu no andar de baixo

CENAS DO ARAXÁ CINE FESTIVAL

Equipe do filme Vazio Coração, tendo ainda Jui Huang  festejando a abertura do Araxá Cine Festival…

Rosamaria Murtinho e Alda Sandra, Secretária de Turismo de Araxá…

Alex Moletta e Aurora Miranda Leão em noite de lançamento literário…

José Joffilly recebe troféu para Irandhir Santos das mãos de Aurora Miranda Leão…

ARAXÁ Cine Festival termina hoje…

AURORA DE CINEMA direto do Araxá Cine Festival

Clima de alegria e saudade já se mistura com intensidade crescente nos bastidores do I Araxá Cine Festival.

Cinema unindo Walter Webb e Débora Torres…

A primeira edição do festival idealizado e dirigido por Débora Torres chega ao fim esta noite com a solenidade de premiação e entrega de troféus para homenageados e vencedores da competição.

Aurora Miranda Leão, Berenice Lamônica e Alexandre Lopes na noite de Araxá…

Marcada para às 20h, a solenidade será realizada no Teatro Municipal de Araxá, uma obra bela e de visual impactante, cuja inauguração será marcada por esta última noite do I Araxá Cine Festival.

Pela manhã, passeio a um dos pontos típicos da cidade, o chamado Horizonte Perdido, seguindo-se visita a outros pontos turísticos. À tarde, acontece o encerramento da oficina de Walter Webb, e bate-papo com o cineasta João Batista de Andrade sobre Cinema Brasileiro, a partir das 15h.

Antes da solenidade, será exibido pré-trailler do longa-metragem Vazio Coração, do cineasta Alberto Araújo, seguindo-se show com participação do ator Murilo Rosa, cantando as músicas de seu personagem – o cantor Hugo Kari – no filme de Alberto Araújo, ao lado do cantor e compositor música Willian Borjazz.

* Na tarde de sábado, chegaram a Araxá o ator Flávio Guarnieri (acompanhado da esposa Karla), a atriz Giselle Motta, e Mirian Biderman, bam-bam-bam do Som…

* A cobertura fotográfica do Araxá Cine Festival é de Alex Silva…

Contagem regressiva para o Araxá Cine Festival

Festival começa segunda-feira e organização ultima preparativos

Cine B faz 5 exibindo Cinema Brasileiro

 Cinco Vezes Favela, Agora por nós Mesmos é o filme deste mês 

Cena do primeiro episódio, Arroz com feijão… 

O CINE B, projeto de cinema itinerante realizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região em parceria com a Brazucah Produções, está completando 5 anos este julho. Nesse tempo, o Cine B já levou muito do cinema brasileiro (longas e curtas-metragens) para 27.500 espectadores e realizou 222 sessões nos mais diversos bairros e comunidades de São Paulo, Osasco e Região.

Ruy Guerra: cineasta atua num dos episódios mais aplaudidos pelo público…

Segundo Cidálio Vieira Santos, coordenador do Projeto, através do Cine B, muitas pessoas experimentaram, pela primeira vez, a experiência de assistir a um filme no cinema. “Já levamos a estrutura cinematográfica do Cine B, composta por telão, projetor, caixas de som, banners, pesquisas de opinião e sorteio de camisetas do projeto, além da tradicional pipoca e de seu pipoqueiro oficial, o seu Antônio Nascimento, para escolas, salões de igrejas, quadras esportivas, debaixo de ponte, praças, ruas e parques de São Paulo e região”, conta.

 

O Cine B vai comemorar estes 5 anos com mais sessões de Cinema: dias 19, 20 e 21 de julho, o Projeto exibe no Jardim Brasília, Cohab 1 e Jardim da Conquista, bairros da Zona Leste de São Paulo, o filme Cinco Vezes Favela, agora por nós mesmos 

 

Desde 2007, o projeto já exibiu “Eu e meu guarda-chuva”, “O contador de histórias”, “O casamento de Romeu e Julieta”, “Antônia”, “A máquina”, “Meu nome não é Johnny”, entre outros títulos de sucesso. O CINEB também já realizou diversas pré-estreias de filmes brasileiros como “Raul Seixas – O início, o fim e o meio”, Divã, Era uma vez…, entre outros. 

Após as sessões, é vendido um DVD com os 5 curtas mais votados pelo público do projeto, nos 5 anos de exibição. A seleção faz parte do primeiro Selo Cine B do Cinema Brasileiro, uma coletânea de DVDs com curtas-metragens brasileiros. A ideia é popularizar este formato de filme.

 

 Cena de Deixa voar, um dos cinco episódios de Cinco Vezes Favela

Saiba mais sobre o CineB: http://cineb.spbancarios.com.br 

SERVIÇO 

Dia 19 de julho, quinta, 19h – Jardim Brasília (Zona Leste)

Onde: Entidade Juntos (Rua Canfora, 90 – Jd. Brasília)
Retirada de Convites: Sr. Humberto/ Daniel

Mais informações: (11) 2364 2328
Capacidade: 200 pessoas
 

Dia 20, às 19h – Cohab1 – Zona Leste

Onde: Associação dos Moradores – Esfuco (Travessa Antonio Brunelli, 351 – Cohab I – Artur Alvim)
Retirada de Convites: na Associação de Moradores/ 3188 5208

Mais informações: Anaildo/ Edu – 8691-6204
Capacidade: 120 pessoas 

Dia 21 (sábado), às 19h – Jardim Conquista – Zona Leste

Onde: Emef. Prof. Carlos Correa Mascaro –(av. Salve A Mocidade, 932 – Jd. Conquista).

Mais informações: 7895-1872
Capacidade: 200 pessoas

Os Selecionados do BIFF, que acontece em julho

Durante dez dias, Brasília vai receber alguns dos mais comentados filmes do circuito cinematográfico internacional. O BIFF – Brasilia International Film Festival realiza sua primeira edição, entre 13 e 22 de julho, oferecendo Mostra Competitiva com 12 títulos e importantes mostras paralelas.

Anna Karina vai estar presente e ganha mostra especial…

A cidade irá acolher diretores de países como Macedônia, Albânia, Chile, EUA, Emirados Árabes e Inglaterra, e ainda contar com a presença da atriz e cantora Anna Karina, a mais emblemática do cinema francês da década de 1960, protagonista de diversos filmes da Nouvelle Vague, que fará o show de abertura na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional.

O I BIFF irá acontecer no Teatro Nacional Cláudio Santoro – Salas Villa-Lobos e Alberto Nepomuceno – e nas quatro salas do circuito do Cine Cultura Liberty Mall. Terá Mostra Competitiva, com prêmios de US$ 10 mil por categoria, a Retrospectiva Anna Karina (com a exibição de seis títulos protagonizados pela musa de diretores como Jean-Luc Godard) e mostras como Cara Latina, Panorama África, Independente Americano e Panorama Europa, que exibirão produções inéditas no circuito comercial brasileiro.

Cara Latina será especialmente dedicada à produção de mulheres, dando relevo à presença feminina na política dos países da América Latina. Panorama África  objetiva aumentar o contato com a produção audiovisual do continente africano. Panorama Europa oferece oportunidade de entrada do novo cinema europeu no mercado cinematográfico brasileiro. E Independente Americano pretende dar visibilidade a realizadores que têm renovado a linguagem, com uma grande diversidade de expressão audiovisual.

As mostras serão acompanhadas de debates importantes, como o que trará a Brasília o norte-americano Andrew Houchens, coordenador de projetos especiais da IFP – Independent Filmmaker Project, notável fundação de apoio à realização de filmes independentes nos Estados Unidos. A programação ainda terá palestras e encontros com realizadores. 

FILMES DA MOSTRA COMPETITIVA

UNA NOCHE – USA/CUBA/INGLATERRA, 2012, 90 min
Direção: Lucy Mulloy
Com: Dariel Arrechaga, Anailín de la Rúa de la Torre, Javier Núñez Florián
PREMIADO NO FESTIVAL DE BERLIM EM 2012 E PRÊMIOS DE MELHOR DIREÇÃO, ATOR E CINEMATOGRAFIA NO TRIBECA FILM FESTIVAL.

A MULHER QUE ESCOVOU SUAS LÁGRIMAS – The Woman who brushed off her tears – MACEDONIA/BELGICA/ALEMANHA/ESLOVÊNIA, 2012, 103 min
Direção: Teona Miteveska
Com: Victoria Abril, Labina Mitevska, Jean Marie Galey

HABIBI – EMIRADOS ÁRABES/PALESTINA/HOLANDA/USA, 2011, 78 min
Direção : Susan Youssef
Com: Kais Nashif, Sami Said, Yosef Abu Wardeh, Najwa Mubarki, Maisa Abd Elhadi, Firas Nour
Primeira ficção filmada em Gaza em 15 anos. Uma história de amor proibido. .
PRÊMIO DE MELHOR FILME, MELHOR ATRIZ E MELHOR EDIÇÃO NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE DUBAI E O CÂMERA NOVO, DO FESTIVAL CINEMA NOVO DE BRUGGE.

THE LONELIEST PLANET – USA/ALEMANHA, 2011, 113 min
Direção: Julia Loktev
Com: Gael Garcia Bernal, Hani Furstenberg, Bidzina Gujabidze
GRANDE PRÊMIO DO JURI DO AFI FEST, DE LOS ANGELES, GOLDEN TULIP DO FESTIVAL DE ISTAMBUL E O GOLDEN LADY DO LAS PALMAS DE GRAN CANARIA INTERNATIONAL FILM FESTIVAL.

BEL AMI – O SEDUTOR – BEL AMI – FRANÇA/CALIFORNIA, 2012, 102 min
Direção: Declan Donnelan e Nick Ormerod
Com Robert Pattinson, Uma Thurman, Kristin Scott Thomas, Christina Ricci
Bel Ami é um filme de 2012, estrelado por Robert Pattinson e Uma Thurman, com roteiro baseado em livro homônimo, escrito por Guy de Maupassant em 1885. 

ANISTIA – Amnesty – ALBÂNIA/GRÉCIA, 2011, 83 min
Direção: Bujar Alimani
PRÊMIO NO BERLINALE FORUM 2011 E PRÊMIO ESPECIAL DO JURI – FIPRESCI AWARD.

AUSÊNCIA – Without – USA, 2012, 87 min
Direção: Mark Jackson
Com: Joslyn Jensen, Ron Carrier
Numa remota e arborizada ilha do Pacífico, uma jovem mulher tornar-se cuidadora de um homem em estado vegetativo. 
VENCEDOR DO FILM INDEPENDENT SPIRIT AWARDS 2012, PRÊMIO DE MELHOR DIRETOR NO FESTIVAL THESSALONIKI E MELHOR ATRIZ EM MAR DEL PLATA.

REPORTED MISSING – ALEMANHA, 2012, 86 min
Direção: Jan Speckenbach
Com: André M. Hennicke, Luzie Ahrens, Sylvana Krappatsch, Jenny Schily
Martha, uma adolescente de 14 anos, desaparece de um dia para o outro. GRANDE PRÊMIO NEW TALENT COPENHAGEN INTERNATIONAL FILM FESTIVAL.

AVALON – SUÉCIA, 2012, 76 min
Direção: Axel Petersén
Com: Johannes Brost, Peter Carlberg, Léonore Ekstrand
Os anos 80 não acabaram para Janne. VENCEDOR DO FIPRESCI PRIZE FOR BEST FIRST FEATURE IN TORONTO. 

O ANO DO TIGRE – CHILE, 2011, 82 min
Direção: Sebástian Lelio
Com: Luis Dubó, Sergio Hernández
O devastador terremoto do Chile, de 27 de fevereiro de 2011, inadvertidamente converte Manuel de prisioneiro em fugitivo. PRÊMIO DO JURI DO FESTIVAL DE LOCARNO 2011

HOJE – Tey – FRANÇA/SENEGAL, 2012, 86 min
Direção: Alain Gomis
Com: Saül Williams, Aïsa Maïga, Djolof M’bengue, Anisia Uzeyman
Hoje é o último dia de sua vida. Ele sabe que isso é verdade mesmo que ele seja forte e saudável.

KAWBOY – HOLANDA, 2012, 81 min
Direção: Boudewijn Koole
Com: Rick Lens, Loek Peters, Susan Radder, Ricky Koole
MELHOR FILME DA MOSTRA GENERATION, DE BERLIM, 2012; PRIX DE LA VILLE DE SAINT-QUENTIN NO CINEJEUNE, APRIL 2012, E ‘UNICEF AWARD’ NO BAFICI, BUENOS AIRES INTERNATIONAL FILM FESTIVAL, APRIL 2012.

HOMENAGEM À ANNA KARINA 

A mostra Retrospectiva Anna Karina irá exibir seis títulos dentre os mais importantes da carreira da estrela. A dinamarquesa Hanne Karin Bayer virou Anna Karina por sugestão da célebre estilista francesa Coco Chanel. Na época, era recém-chegada de Copenhagen, de onde fugira ainda adolescente, pedindo carona na estrada, por conta de conflitos com os pais. Ao conhecer Coco, quando era modelo da revista “Elle”, ela lhe previu um grande futuro. O prognóstico estava certo, mas não foi como modelo que Anna Karina alcançaria a fama.

Além de se tornar a grande musa de Jean-Luc Godard, foi – apesar de Jeanne Moreau, Jean Seberg e Brigitte Bardot – a atriz mais luminosa e emblemática do cinema francês dos anos 60.

Foi vendo Anna Karina num comercial de sabonete que Godard se interessou por ela. Ficaram casados durante sete anos, fizeram sete longas-metragens e o único episódio realmente memorável de “A Mais Velha Profissão do Mundo”. Uma parceria fecunda que rendeu obras-primas como “Viver a Vida”, “Pierrot, le Fou” e “Alphaville”, além dos adoráveis “Uma Mulher é uma Mulher”, “O Pequeno Soldado”, “Band à Part” e “Made in USA”. Foi, sem dúvida, a melhor e mais inspirada fase da obra godardiana. Poucas dobradinhas atriz-diretor deram origem a tantos e grandes filmes.

Também foi a melhor fase da extensa filmografia de Anna Karina, que, por sinal, trabalhou com outros grandes diretores – como Luchino Visconti (“O Estrangeiro”), Jacques Rivette (“A Religiosa”), George Cukor (“Justine”), Valério Zurlini (“Mulheres no Front”), Rainer Werner Fassbinder (“Roleta Chinesa”). E, claro, Serge Gainsbourg, que a dirigiu no musical “Anna” e a elegeu como uma das intérpretes favoritas de suas lânguidas canções, ao lado da mulher Jane Birkin e Brigitte Bardot.

Antes de atuar e de ser modelo, Anna Karina já gostava de cantar. Seus dotes vocais foram bem aproveitados por Godard em “Uma Mulher é Uma Mulher”, uma homenagem aos musicais hollywoodianos, e no cultuado “Pierrot, le Fou”. Na pouco vista comédia musical “Anna”, em papel feito sob medida para a cantriz, interpretou repertório de Gainsbourg. A partir deste milênio, a música passou a ocupar espaço em sua vida profissional. Foi a partir do ano 2000 que lançou seus três únicos álbuns solo: “Une Histoire d´Amour”, “Chansons de Films” e “Vilain Petit Canard”.

Nova produção Aurora de Cinema e Cabeça de Cuia Filmes. Em Jeri, NATURALmente…

Na turística praia cearense, sem artificialismos… NATURALmente….

Tudo começou nas conversas e passeios com amigos. Foi fácil elaborar o argumento e convencer os amigos a participar. A fotografia, claro, teria o auxílio luxuoso da amiga Lília Moema, cuja expressão inagética promove festas até nos olhares mais incautos.

E assim começou o novo curta Aurora de Cinema & Cabeça de Cuia Filmes… que vai-se chamar NATURALmente

E conta com importantes nomes no elenco: a cineasta argentinalemã Anna Paula Nonig; o cineasta e escritor francês, Olivier Gérard (um dos expoentes da Nouvelle Vague); a documentarista Célia Gurgel; os realizadores Thalles Chaves e Telmo de Carvalho; o professor e cineasta Sérgio Santeiro; a fotógrafa piauiense Lília Moema; o ex-craque do Botafogo, Afonsinho; a professora de Audiovisual, Renata Gomes; a jornalista Aurora Miranda Leão; e o ator Rodger Rogério, dividindo-se em três papéis.

Lília Moema captando em Jeri imagens para o curta… NATURALmente… 

À Aurora de Cinema e a Cabeça de Cuia Filmes, veio somar-se a jovem fotógrafa e realizadora pernambucana, Aline Moraes, que também assina a direção de fotografia do novo curta.

Olivier Gérard captado pelas lentes de Aline Moraes… NATURALmente

Cores predominam num dos bequinhos de Jeri… NATURALmente …

Lília Moema registra Sérgio SanteiroNATURALmente

NATURALmente tem argumento de Aurora Miranda Leão, direção de fotografia de Aline Moraes e Lília Moema, direção de arte de Aurora M. Leão e Lília Moema, edição Aurora e Lília, cartaz de Luziany Gomes, e trilha a ser escolhida…

Zeca Ferreira consagra sua ALDEIA e Hempocrisy é Melhor Documentário

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Jericoacoara

A noite de encerramento do III Festival de Cinema Digital de Jericoacoara teve céu estrelado, pastelzin e brigadeiro barato da dona Maria, expectativa e propensão geral à festa.

 

Começando com cantoria puxada por Rodger Rogério, acompanhado pelo violão do filho Rami Rogério, acrescida depois da voz de Teti, a noite continuou com a exibição do longa Fronteira das Almas, do cearense Hermano Penna, e em seguida a divulgação dos vencedores.

Em foto Aurora de Cinema, a fotógrafa e cineasta Aline Moraes…

Aline Moraes, a bela e doce realizadora pernambucana, teve seu primeiro Doc consagrado: HEMPOCRISY foi escolhido Melhor Doc, levando cheque de R$ 5 mil reais e consagrando o filme de Aline em muitos abraços e aplausos.

A vila de Jericoacoara, por um momento, virou a ALDEIA de Zeca…

Mas o grande vencedor do Festival foi o realizador carioca Zeca Ferreira: seu segundo curta, o poético ALDEIA – rodado numa pequena cidade mineira, com roteiro e direção de Zeca, fotografia de Pedro Urano e edição de Lulu Correa, com produção do próprio diretor, Antônio Ferreira e Júlio Carvana -, levou 4 estatuetas: Melhor Trilha, Melhor Fotografia, Melhor Diretor e Melhor Ficção.

Na edição 2011, Zeca Ferreira curtindo a deliciosa calmaria de Jeri…

Seguindo o que dissemos anteriormente aqui no AURORA DE CINEMA, a ALDEIA de Zeca Ferreira começou em Jeri uma turnê vitoriosa por vários festivais: o filme já está selecionado para a Mostra de Ouro Preto e o Festival de Triunfo, e outros mais virão.

Confira a lista completa dos vencedores do III Festival de Jericoacoara:

Melhor Ator: Maksin Oliveira – “Doido Pelo Rio” – Ficção – RJ

Melhor Atriz: Nayara Tavares – “Marcas D`água” – Ficção – GO

Melhor Diretor: Zeca Ferreira – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Edição: Eliza Cabral e Laurita Caldas – “Ritmos” – Experimental – PB

Melhor Fotografia: Pedro Urbano – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Trilha Sonora: Mário Gil – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Roteiro: Humberto Rosa e Thiron Mendes – “O Quadro” – Ficção – RJ

Melhor Direção De Arte: Uirandé Holanda – “Doido Pelo Rio” – Ficção – RJ

Os filmes “Soy Loco por Ti”, de Natália Barreto (documentário, RJ), “Irmãs”, de Gian Orsini (documentário, PB) e “O Mar de Lia”, de Hanna Godoy (documentário, PE) receberam Menção Honrosa.

Os troféus do III Festival de Jericoacoara – Cinema Digital foram disputados por 40 filmes selecionados para o festival – produções cearenses e de outros 13 estados -, escolhidos entre mais de 300 trabalhos inscritos. O júri do festival foi formado por profissionais da área, a saber: o poeta Nirton Venâncio, a fotógrafa Lena Trindade, a jornalista Déa Barbosa, e Duarte Dias.