Arquivo da tag: América Latina

Festival de Gramado prepara sua 41a edição

Vencedores deste ano estarão na Semana do Cinema no Peru…

A edição comemorativa de 40 anos teve os filmes “Colegas”, “Artigas, La Redota” e “Menino do Cinco” como grandes vencedores. Agora, os organizadores já estão em ritmo acelerado preparando a próxima edição do Festival de Cinema de Gramado, que será realizada de 9 a 17 de agosto na cidade serrana.

Filme ‘Colegas’, de Marcelo Galvão, grande vencedor da edição Gramado 2012…

Na 41ª edição, seguindo a tradição do Festival, serão quatro mostras competitivas: longas brasileiros, longas latinos, curtas brasileiros e curtas gaúchos. As inscrições para todas as mostras já foram encerradas. Na curadoria dos longas em competições, Rubens Ewald Filho, José Wilker, e Marcos Santuário prosseguem como Curadores.

Wilker, Santuário e Rubens Ewald Filho: os Curadores…

Por enquanto, a organização comemora os excelentes números alcançados. Considerando as mostras de longas-metragens brasileiros e estrangeiros, e curtas-metragens brasileiros e gaúchos, a edição deste ano superou a marca das inscrições da edição comemorativa de 40 anos.

Cidade de Gramado fica ainda mais bonita com o Festival de Cinema…

Foram 117 inscritos em longas brasileiros, 50 em longas estrangeiros e 72 em curtas gaúchos. O maior aumento, em comparação ao ano passado, ficou com os curtas nacionais, cujo número de inscrições passou de 253 para 406.

Uma das novidades deste ano é o aprimoramento dos laços de intercâmbio cultural com outros países da América Latina. Assim, o Festival de Cinema de Gramado também marcará presença no Peru. Em viagem à Lima, o prefeito de Gramado, Nestor Tissot, e a secretária de Turismo da cidade, Rosa Helena Volk, foram recebidos pelo embaixador do Brasil no Peru, Carlos Alfredo Lazary Teixeira, e pelo chefe do setor de promoção, Eduardo Pereira e Ferreira.

O KIKITO: o mais popular e cobiçaado troféu do Cinema Brasileiro

Na ocasião, o embaixador convidou o Festival de Cinema de Gramado para participar da Semana do Cinema Brasileiro no Peru. Com a parceria firmada, os filmes vencedores da 41ª edição do Festival terão visibilidade internacional garantida com a exibição na próxima edição do evento no Peru.

* Da esquerda à direita: Chefe do setor de promoção, Eduardo Pereira; Secretária de Turismo de Gramado, Rosa Helena Volk; Prefeito de Gramado, Nestor Tissot; Embaixador do Brasil no Peru, Carlos Alfredo Lazary; e primeira-dama de Gramado, Jandira Tissot.

A cada ano, mais gente vai a Gramado e lota o Palácio dos Festivais para ver as sessões de Cinema Brasileiro e torcer pelo filme predileto…

Inscrições para Festival em Chicago

Inscrições ao Festival Internacional de Cinema Latino vão até dia 21
A 29ª edição do Festival Internacional de Cinema Latino de Chicago, nos Estados Unidos, objetiva reunir filmes da América Latina, Espanha e Portugal para difundir a cultura latina no país. A produção é do Centro Cultural Internacional de Cultura Latina de Chicago e o festival vai acontecer de 13 a 27 de abril de 2013.
Todos os filmes em português devem apresentar legendas em inglês. Serão aceitos curtas e longas-metragens. Para realizar sua inscrição, é necessário preencher o formulário, enviá-lo on-line ou juntamente com o DVD, e pagar uma taxa de 50 dólares. Os proponentes das produções aceitas serão notificados por e-mail até 8 de fevereiro.

Inscrições ao RioContentMarket

Abertas inscrições à terceira edição do RioContentMarket, evento de mercado audiovisual sediado no Rio de Janeiro. O objetivo do encontro é fomentar a troca de informações e ideias, promover novas oportunidades de negócios, apresentar inovações e tendências tecnológicas, e consolidar na cidade o maior mercado de conteúdo audiovisual multiplataforma da América Latina.

Este ano, dois tipos de inscrições estão disponíveis. Para a área principal do evento, são gratuitas, disponíveis tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, e dão acesso às salas de keynotes e painéis, às salas de esporte, eventos e conteúdos interativos, ao Lab Transmídia, que nesta edição terá foco em séries, e à área de convivência.

Para participar do Lab Transmídia, serão aceitas apenas inscrições de pessoas jurídicas. Cada empresa pode sujeitar à avaliação até três projetos multiplataforma, sendo que apenas um poderá ser selecionado. Nessa parte do evento, os projetos escolhidos passarão por uma consultoria especial com experts do mercado, serão apresentados em pitching e realizarão reuniões com possíveis compradores, coprodutores e canais, tendo a oportunidade de sair com um negócio fechado. Os projetos devem ser submetidos, pelo portal do RioContentMarket, até dia 4 de dezembro.

Já a inscrição para a área de negócios está aberta apenas para pessoas jurídicas, sendo cobrada taxa de R$ 400 por pessoa. Os credenciados terão acesso às salas de keynotes e painéis, às salas de esporte, eventos e conteúdos interativos, ao Lab Transmídia, além de acesso exclusivo à sala de negócios audiovisuais, às rodadas de negócios, ao lounge de negócios e à rede social do RCM – com contatos, biografias e fotos de todos os players.

Para as rodadas de negócios, cada empresa pode inscrever até três projetos para até cinco players cada, totalizando 15 encontros. Os projetos devem ser enviados através do site do evento entre 10 e 28 de dezembro. A aquisição da credencial para Área de Negócios não garante a aceitação de projetos nas rodadas, já que a escolha é feita exclusivamente pelos players. Os inscritos para essa área também podem submeter projetos ao Lab Transmídia, e neste caso se aplicam as mesmas regras.

Os formulários para os dois tipos de inscrição estão disponíveis no site www.riocontentmarket.com.br até 1º de fevereiro de 2013.

Em apenas duas edições – 2011 e 2012 – o RioContentMarket se consolidou como evento de referência para o mercado mundial ao promover o encontro de mais de 300 executivos, com a participação de 2.500 profissionais de TV e mídias digitais de 28 países para troca de experiências e rodadas de negócios.

A terceira edição vai acontecer de 19 a 22 de fevereiro de 2013, no Hotel Windsor Barra, no Rio de Janeiro. Executivos de broadcast e mobile, programadores, criadores e produtores irão apresentar ideias, cases e modelos de negócio relevantes para o desenvolvimento de parcerias e coproduções nas indústrias que mais crescem no mundo: tecnologia, informação e entretenimento. O evento é uma realização da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão (ABPITV).

A programação oficial é dividida em três etapas: os painéis e estudos de casos – com a participação de palestrantes especializados, tanto brasileiros quanto internacionais –; as rodadas de negócios – estimulando a realização de novos negócios e parcerias entre os profissionais locais e de outros países –; e o Lab Transmídia – grande novidade da edição de 2012, que ofereceu aos produtores brasileiros e latino-americanos a oportunidade de aprimorar seus projetos transmídia e apresentá-los a compradores brasileiros e internacionais. Na próxima edição, o Lab Transmídia dará destaque para as séries para TV e aceitará projetos de todo o mundo.

Apoio para circular Documentários latinos

O portal CurtaDoc (www.curtadoc.tv), primeiro catálogo brasileiro de documentários curtas-metragens na internet, amplia seu acervo para a América Latina. A partir de agora, realizadores de todo o continente latino-americano podem inscrever gratuitamente suas produções no site e participar de uma seleção para um programa de televisão exibido no Brasil. São aceitos documentários com duração de até 30 minutos, sem restrição de época, temas ou formatos de captação. 

O CurtaDoc é uma realização da Contraponto (www.contraponto.tv), produtora de Florianópolis (SC). O projeto começou como um programa de televisão para o canal educativo SESCTV (www.sesctv.org.br), revelando uma seleção representativa do curta-metragem brasileiro no gênero documentário. A série semanal, no ar desde outubro de 2009, terá sua terceira edição dedicada a produções latino-americanas.

O catálogo CurtaDoc conta atualmente com 756 filmes brasileiros produzidos nos últimos 50 anos, os quais podem ser assistidos na íntegra e servem como fontes de pesquisa para realizadores, pesquisadores, professores, estudantes e interessados. O regulamento e a ficha de inscrição são bilíngues (português/espanhol) e estão disponíveis no portal. 


www.contraponto.tv
http://www.curtadoc.tv
http://www.facebook.com/curtadoc
twitter.com/curtadoc 

Para inscrever seu curta-metragem, o realizador deverá disponibilizar um link do filme num site de compartilhamento (YouTube, Vimeo, etc). Os documentários inscritos estão sempre em avaliação pela curadoria do CurtaDoc  para participar de séries para televisão, mostras e festivais latino-americanos. 

Na web, o CurtaDoc foi lançado em junho de 2011 durante o FAMFestival Audiovisual Mercosul, em Florianópolis. O catálogo de curtas tem como objetivo estimular ainda mais a discussão sobre a cultura do documentário e o espaço de exibição, potencializando o acesso aos filmes. A ampliação do acervo propiciará o mapeamento da produção latino-americana e a criação de uma rede de realizadores do continente.

Pelo fortalecimento dos laços Brasil, Caribe, América Latina

AURORA DE CINEMA direto do I ENCONTRO NOSSAS AMÉRICAS, NOSSOS CINEMAS

Bem preservado, Theatro São João é pequena jóia no coração de Sobral (foto AML) …

Breve painel sobre o DIA-A-DIA EM SOBRAL

Terminou na noite de sábado, com saldo bastante positivo, a primeira edição do I ENCONTRO NOSSAS AMÉRICAS, NOSSOS CINEMAS, realizado em Sobral, município do sertão cearense, há poucas horas da capital.

Depois de proveitosas mesas temáticas que ocuparam as manhãs do Theatro São João e das 4 mesas de trabalho formadas para dar melhor encaminhamento às discussões e à redação da chamada Carta de Sobral, a volta pra Fortaleza na manhã de domingo, em ônibus que congregou a maioria dos participantes, foi de troca de afetos, e-ms, contatos e muitos planos para a segunda edição, cujo país-sede será o Peru.

Geraldo Sarno e Eryk Rocha: foco no documentário e nos processos de criação

Tendo como pontos altos a mesa com o cineasta Eryk Rocha, a exibição do documentário Transeunte e uma festa-surpresa oferecida pelo prefeito de Sobral aos participantes – a animação rolou solta na penúltima noite do Encontro – o I Nossas Américas, Nossos Cinemas escreveu uma ousada página nos anais da Cultura do Ceará, e uma nova página na história das convergências/ similaridades/possibilidades de parcerias entre povos da América Latina e do Caribe.

O que se falou, escreveu, partilhou, vivenciou e sonhou junto em termos de integração de povos tão semelhantes, em tantos aspectos, e tão distanciados por barreiras que precisam ser vencidas, foi algo de suma importância para a almejada construção de um novo capítulo no panorama audiovisual destes povos, representados em Sobral por muitos jovens de diversas gerações que querem fazer cada vez mais Cinema e partilhar suas experiências com tantos hermanos.

Alguns pontos dos ‘bastidores’  a destacar:

* A ótima qualidade do material gráfico distribuído, com design de Ricardo Baptista, onde chama a atenção a arte com figuras da cultura popular, criação do artista brasiliense Jô Oliveira;

* O desfile de belos vestidos usados por Bárbara Cariry, que chamavam atenção pelas belas estampas e destacavam a simpatia e simplicidade da Diretora-Geral do Encontro;

* A apresentação segura de Jamile Teixeira, que também trajava modelos finos e fez um Cerimonial marcado por boa dicção, elegância e cortesias;

* A ‘estratégica’ pausa para um cafezinho (delícia !) com bolachinhas saborosas, sessões de fotos e muito bate-papo;

* A simpatia da cineasta cubana Lázara Herrera e a incansável disposição do boliviano Humberto Ríos;

* O olhar atento da cineasta mexicana Saudhi Batalla, que não se desgrudava de sua câmera e fazia fotos de todos, o tempo todo;

A cineasta peruana Carmen Rosa Vargas e Aurora Miranda Leão…

* O índio equatoriano que levou belas peças da artesania criada por seu povo e vendeu todas muito rápido, espalhando cores e beleza pelos espaços do Encontro;

* A ótima tradução de Flávio Duarte Bossa Freitas, possibilitando a nosotros acompanhar a fala do cineasta canadense Michel Régnier;

* A simpatia e poder de aglutinação do produtor Tito Amejeira, um dos Curadores, o mais brasileiro dos argentinos, que no sábado era só felicidade dividindo uma original Tequilla mexicana com os convidados, no restaurante Lancelot, o qual, aliás, serviu uma comida típica, variada e deliciosa, todos os dias do evento;

Os realizadores Arthur Leite, Golda Barros e Bruno Pires…

* A presença massiva dos muitos realizadores de cinema, que foram quase unânimes na constante presença nos espaços do produtivo Encontro, sem deixar de comparecer, toda noite, de forma também quase unânime, a um passeio pelos bares da noite sobralense;

* A presença de Helena Ignez e Sérgio Mamberti na Parada Gay de Sobral, tarde de sábado…

Bárbara Cariry e Helena Ignez na noite de Homenagem à atriz…

… tem muito mais ainda mas fica pra adelante…

No próximo post, novas anotações do I Encontro Nossas Américas, Nossos Cinemas.

Na última noite do Nossas Américas: realizadores de vários lugares…

Selecionados do Cine Ceará serão divulgados em maio

22ª edição do Festival IberoAmericano vai acontecer de primeiro a 8 de junho 

Cento e cinco longas-metragens foram inscritos para o Cine Ceará, segundo a Associação Cultural Cine Ceará, organizadora do festival. O destaque ficou por conta do número de filmes brasileiros, com alta de cerca de 6% em relação ao ano de 2011, reforçando o bom momento da produção audiovisual.

O Cine Ceará, que é ibero-americano – ou seja, contempla países da América Latina e o Caribe, Portugal e Espanha – recebeu inscrições de 15 países. Os estrangeiros representam aproximadamente 37% dos inscritos (39 longas). 

“Em termos absolutos, o total de longas inscritos é praticamente o mesmo do ano passado, mas, como tivemos uma semana a menos no prazo para inscrição este ano, podemos considerar que houve um acréscimo, em termos proporcionais”, comenta o diretor executivo do festival, Wolney Oliveira. Para ele, “a surpresa foi o crescimento de títulos argentinos, país que tem se destacado no cenário mundial, com obras de grande qualidade. Foram 16 inscritos.” 

Entre os curtas, a competição é nacional. Nesse formato, o Cine Ceará recebeu 331 pedidos de inscrição, cerca de 7% a mais do que os 309 de 2011. Ao todo, serão selecionados 8 longas e 12 curtas para a disputa do Troféu Mucuripe. Em maio, serão divulgados os títulos escolhidos.

O 22° Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).

ERYK ROCHA ESTRÉIA PACHAMAMA

Pachamama foi um processo de descoberta. A única coisa que o diretor brasiliense Eryk Rocha possuía quando iniciou o filme era um trajeto de 14 mil quilômetros que cortava três países – Brasil, Peru e Bolívia – e algumas informações do que iria encontrar nesses lugares. “Eu não tinha um roteiro prévio, o documentário foi se construindo dia-a-dia, a partir dos acasos e dos encontros. Era a primeira vez que eu estava fazendo cinema com uma equipe multidisciplinar”, comenta. A viagem durou um mês e teve a companhia de três historiadores e dois engenheiros mecânicos.

Eryk, que já morou seis anos em diversos países da América Latina, sempre sonhou em fazer um filme sobre viagem. Seus trabalhos anteriores foram construídos em cima eixos temáticos e pela primeira vez teve a oportunidade de assumir um filme experiencial “O documentário tem uma pegada de diário, de solidão. No início, não sabia o que ia ser filmado, quando seria, quem seria. Havia um mar aberto nesse sentido. Os primeiros dias de viagem me causaram muita insegurança, me sentia muito solitário. Eu me perguntava ‘que filme é esse’, diz o cineasta.

Pachamama – para os indígenas ‘mãe-terra’ – fala do sincretismo dos povos latinos, da diversidade cultural, especialmente da milenar andina. “Temos uma identidade caótica aqui na América Latina, ela está em ebulição, o filme é construído nela, estamos no olho do furacão”, diz. Além de mostrar o momento político importante que esses países atravessam, com a retomada do poder pelo povo original, o documentário também revela as transformações sofridas pelo viajante, neste caso, o próprio diretor.

A edição foi o mais difícil para Eryk. Transformar 80 horas de material em 90 minutos foi um processo longo. “Na montagem procuramos respeitar o trajeto. Tivemos que escolher os momentos mais intensos e poderosos da viagem”, conta. O cineasta adianta que o restante do material captado será transformado em série para o Canal Brasil.

A estréia em circuito comercial é dia 26. Boa pedida para cinéfilos e estudiosos de Cinema.