Arquivo da tag: Anápolis de Cinema

Festival de Anápolis, novo capítulo

AURORA DE CINEMA na cobertura do Festival de Anápolis

Prefeito recebe artistas em café da manhã

A sexta amanheceu animada: a turma convidada do festival, teve café da manhã especial com o prefeito Antônio Gomide, o qual recebeu artistas, jornalistas e realizadores, ao lado do Secretário Augusto César de Almeida. A essa altura o que já começava a dominar o coração de todos era a saudade de dias tão amenos e felizes no município goiano. Daí, por iniciativa de Alice Gonzaga, Foi agendado o café como forma de agradecer oficialmente todo o apoio recebido da prefeitura de Anápolis e parabenizar pela iniciativa da realização do II Festival.

Entre sucos, chocolate, chás e café com leite, pães, biscoitos e deliciosas iguarias, a conversa entre artistas, realizadores, jornalistas e o prefeito Antônio Gomide aconteceu de forma bem simples e espontânea: os convidados do Festival foram muito mais para agradecer e dizer da importância do festival para a cidade e para o cinema brasileiro como um todo, enquanto o prefeito falou de sua satisfação com a realização do evento, que naquela semana foi o grande assunto nas redes sociais, além de estar também nas páginas dos jornais, programas de rádio e TV.

Parque Ambiental Ipiranga, um dos cartões postais de Anápolis…

Sendo Anápolis um eixo entre Brasília e Goiânia, a intenção da prefeitura é cada vez mais integrar o cinema ao investimento nas ações de Cultura e Educação que vem sendo implementadas ali, integrando audiovisual, cultura, lazer e educação. Assim, Gomide enumerou as muitas ações nessa direção, reiterando sua disposição de investir cada vez mais no binômio Cultura e Educação por acreditar que assim se constrói uma cidade com mais qualidade de vida.

Rubens Ewald Filho, o Curador: presença festejada em Anápolis

Expondo suas ideias e ações em prol de formar novas mentalidades em defesa da cultura em Anápolis, Antônio Gomide destacou o Centro de Educação Fundamental, onde grandes investimentos vem sendo feitos em escolas do ensino fundamental, o que gerou matéria de página inteira do jornal O Globo no último dia 11 de março. O jornal carioca destacou a importante construção de um anfiteatro em escola da periferia com 340 lugares, onde também haverá creche e acesso aos cuidados básicos com a saúde. Ações de fato auspiciosas, sobretudo quando se fala num município que não é a capital do Estado. Essa escola é uma que fica no conjunto Filósofo Machado: “A ideia é não é fazer por fazer mas fazer de forma consequente, capaz de gerar frutos e prospectar um futuro com mais qualidade de vida”, disse o prefeito. E assim, reportando-se ao que a prefeitura vem fazendo, Antônio Gomide reforçou o entusiasmo dos ilustres convidados e reafirmou o interesse em que o festival continue, expandindo-se em diversas edições, independente de quem esteja à frente do comando da municipalidade.        

Bruna Chiaradia, Giselle Motta e Erom Cordeiro: ‘celebridades’ em Anápolis…

Aliás, não é difícil constatar: Anápolis tem características e expressão de metrópole, e está num ótimo momento de sua história, figurando entre os 20 melhores municípios brasileiros para investir e viver, segundo pesquisa da revista Veja.

O município goiano tem alguns pontos cruciais de extrema relevância: por exemplo, é lá que fica o segundo maior pólo farmacêutico da América Latina, o marco zero da ferrovia Norte-Sul, as fábricas da Hyundai e da Ambev, e está sendo construído um grande aeroporto de cargas.

Um caça Mirage na praça Cônego Trindade, presente da Base Aérea à cidade…

Como bem relata o vice-prefeito João Batista Gomes Pinto, “Pesquisas apontam que o Corredor GAB (Goiânia-Anápolis-Brasília), será um gigantesco pólo de desenvolvimento, em 2030. Com 7 milhões de habitantes, este eixo já é o maior mercado do País depois de São Paulo e Rio de Janeiro. Entre duas grandes capitais, Anápolis desponta neste aglomerado pela performance de sua economia alicerçada na produção industrial. Os números indicam que a cidade não está apenas à beira do caminho, mas é o eixo deste corredor. Em maio, alcançou o segundo lugar em arrecadação de impostos federais na 1a. Região Fiscal, na frente de Goiânia, Campo Grande, Cuiabá e todo o Tocantins, atrás apenas do Distrito Federal”.

Anápolis é conhecida como a cidade das praças bonitas…

Anápolis tem o segundo maior PIB de Goiás e é lá onde está o DAIA (Distrito Agroindustrial de Anápolis), maior complexo industrial do Centro-Oeste, com quase 15 mil vagas de trabalho e mais de 200 indústrias.

Carlos Alberto Riccelli troca ideias de Cultura com o prefeito Antônio Gomide…

Na oportunidade do encontro com o prefeito Antônio Gomide, todas essas questões foram abordadas, e os convidados falaram com entusiasmo do crescimento do Festival de Cinema na cidade e do quanto isso é importante para o crescimento do audiovisual, não só de Anápolis, mas também do mercado cinematográfico brasileiro.  Observaram ainda que o público do Festival cresceu e que, com os investimentos que a Prefeitura vem fazendo, Anápolis poderá ganhar um destaque ainda maior nessa área.

Estavam no café da manhã, além do Secretário Municipal de Cultura, Augusto César de Almeida, a produtora-executiva do evento, Débora Torres, a pesquisadora Alice Gonzaga, os cineastas Walter Webb, João Batista de Andrade e Vladimir Carvalho, o professor e roteirista Alex Moletta (que ministrou oficina de realização de vídeo digital), o realizador Antônio Balbino, os jornalistas Cid Nader e Aurora Miranda Leão, o embaixador do Brasil, Lauro Barbosa da Silva Moreira, e o ator David Cardoso.

Público lotou sessões e participou dos debates no Teatro Municipal Anápolis… 

O prefeito Antônio Gomide falou sobre a satisfação em receber especialistas na área do cinema, o que só engrandece ainda mais o evento promovido pela Prefeitura. “Temos um planejamento do que queremos para a cidade para levar os benefícios para todos e em todas as áreas”.

Antônio Gomide: prefeito aposta na Cultura como fator de Qualidade de Vida

Antônio Gomide declarou ainda que Anápolis tem um potencial expressivo: “A cidade tem uma importância muito grande devido à sua localização e reconhecemos isso. Estamos em um momento em que o crescimento econômico de Anápolis é real e isso é só o começo. O sucesso do Festival é um resultado integrado. Queremos trazer isso aos nossos jovens e a toda a população”.

Que venha o III Festival de Cinema de Anápolis !

Anápolis encerra Festival de Cinema com fôlego de gigante…

Festival idealizado por Débora Torres e realizado pela Prefeitura Municipal reúne grandes filmes e expressivos nomes, provando que veio para ficar e demarcar importante espaço no cenário audiovisual

A segunda edição do Festival de Cinema de Anápolis consagrou como grandes vencedores os filmes Estômago, Olhos Azuis e Como Esquecer.

Realizado de 19 a 26 de março, o festival foi idealizado pela produtora e cineasta Débora Torres, e possível graças à Prefeitura Municipal (através da Secretaria de Cultura), que tem como diretriz básica investir em Cultura e Educação. Único festival a homenagear o pioneiro Adhemar Gonzaga (jornalista fundador da revista Cinearte e da Cinédia) com o nome de uma mostra, o Festival de Cinema de Anápolis reuniu importantes nomes da cinematografia brasileira, de diversas regiões, numa semana de muita troca de experiências, debates, oficinas, homenagens, e exibições gratuitas, no teatro municipal e em diversas praças de comunidades da periferia anapolina.

Rubens Ewald Filho assinou a Curadoria da Mostra Adhemar Gonzaga de Longas-Metragens, na qual concorreram os seguintes filmes: Onde está a felicidade ?; As melhores coisas do mundo; Estômago; Como esquecer; O Palhaço; e Olhos azuis – todos os filmes contaram com pelo menos um representante presente ao festival, que teve ainda mostra de curtas anapolinos e mostra de documentários do centro-oeste.

A abertura foi com o documentário Bokemboka – a trajetória de ‘Seu Menino’ (vencedor do Prêmio Incentivar, concedido pela Prefeitura Municipal de Anápolis, na primeira edição do Festival), seguindo-se Rock Brasília – Era de Ouro, de Vladimir Carvalho.

Entre os muitos homenageados, Zózimo Bulbul, João Batista de Andrade, Embaixador Lauro Moreira, Vantoen Pereira Jr., Hermes Leal, André Moraes, Oscar Magrini, David Cardoso e Bete Mendes (a única que não pôde comparecer devido a compromissos por conta da novela Gabriela). Todos estes receberam o Troféu Anápolis, criação do artista anapolino Napefi.

David Cardoso também recebeu o troféu Anápolis e lançou livro no Festival…

Betina Vianny lançou livro com a obra do pai, e recebeu cumprimentos de Aurora Miranda Leão…

O festival também contou com lançamentos dos seguintes livros: ‘Davi Cardoso – O Rei da Pornochanchada’, autobiografia do ator; Acervo de Alex Vianny, de autoria da atriz Betina Vianny; Ensaios de Cinema, do crítico L.G. de Miranda Leão; Dicionário de Filmes Brasileiros – Curtas e Médias, por Antônio Leão; Cinema (d) e Horror: ensaios críticos, por Carolina Sartomen; além do lançamento do Box Mulheres que fazem cinema, reunindo 10 curtas de cineastas goianas – lançamento da Associação de Cinema Independente de Goiás (Acine).

No palco, convidados recebem box Mulheres de Cinema, lançado pela ACINE…

O Festival de Anápolis contou ainda com uma mostra paralela de filmes do cineasta João Batista de Andrade, e outra com curtas-metragens do ator e cineasta Zózimo Bulbul, que também participou (e foi muito aplaudido) de debate promovido pelo Cineclube Xícara da Silva, co-realizador do Festival. Aliás, cineclubistas do centro-oeste estiveram reunidos ali também por conta do I Encontro Anápolis de Cineclubes. E teve ainda o Festivalzinho, de 20 a 25 de março, com a exibição do filme Pequenas Histórias, de Helvécio Ratton, ofertado às crianças das escolas municipais mas com entrada franca a toda a comunidade.

Zózimo Bulbul e Vladimir Carvalho em foto de Aurora Miranda Leão…

Germano Pereira mostrou que além de ótimo ator, também canta e toca com simpatia e competência… a noite foi no Pub 767 e a platéia quase não deixa ele sair do palco… Saravá !

A comissão julgadora, coordenada pelo produtor Delvo Simões, foi formada por Rosamaria Murtinho, Alice Gonzaga, Leandro Firmino da Hora, Walter Webb, Ingra Liberato, o embaixador Lauro Moreira, Germano Pereira, Vladimir Carvalho e Jarleo Barbosa. Dentre as oficinas, Cinema e Filosofia com a socióloga gaúcha Ada Kroef, e Produção de curta digital de baixo custo, com o dramaturgo e roteirista Alex Moletta.

Alice Gonzaga, David Cardoso e Aurora Miranda Leão no hall do Teatro Municipal…

Murilo Rosa e Elisa Tolomelli no debate sobre o longa Como esquecer

Além de todos os nomes já citados, circularam em Anápolis na semana do Festival, os seguintes atores, atrizes e produtores: Carlos Alberto Riccelli, Murilo Rosa, Fernando Alves Pinto, Irandhir Santos, Erom Cordeiro, Gustavo Machado, Babu Santana, Bruna Barros, Elisa Tolomelli, Cláudia Natividade, Mallu Moraes, Ana Carolina Machado (do filme O Carteiro), Wandi Doratiotto, Flávia Rodrigues, Ângelo Lima, e as belas atrizes Gisella Motta e Bruna Chiaradia (do filme O Palhaço).

Gisella Motta, Flávia Rodrigues, Bruna Chiaradia e Aurora Miranda Leão…

Wandi Doratiotto, Aurora Miranda Leão e Fernando Alves Pinto: curtição na noite anapolina…

Carlos Alberto Riccelli também curtiu a noite anapolina e distribuiu simpatia…

De quebra, a organização do Festival ofereceu alguns passeios prá lá de especiais, entre esses uma visita à Base Aérea de Anápolis, ao Porto Seco, e um passeio à Pirenópolis, onde um grupo, liderado pelo produtor Walter Webb, foi fazer uma visita à atriz Eliane Lage (Diva do cinema brasileiro dos anos 50, estrela dos filmes Sinhá Moça e Ravina).

Walter Web, Eliane Lage, Lucília e Vladimir Carvalho, e Lauro Moreira…

Confira os vencedores:

1.1 – Melhor Filme de Ficção  – ESTÔMAGO-de Marcos Jorge-R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) mais troféu;

1.2 – Melhor Direção-OLHOS AZUIS-de José Joffily – R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais) mais troféu;

1.3 – Melhor Ator-OLHOS AZUIS-Irandhir Santos –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.4 – Melhor Atriz-COMO ESQUECER-Ana Paula Arósio –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.5 – Melhor Ator Coadjuvante-ESTÔMAGO-Babú Santana – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.6 – Melhor Atriz Coadjuvante-ESTÔMAGO-Fabíula Nascimento – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.7 – Melhor Roteiro-OLHOS AZUIS- Paulo Halm e Melanie Dimantas – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.8 – Melhor Fotografia-AS MELHORES COISAS DO MUNDO- Mauro Pinheiro Jr. – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.9- Melhor direção de Arte-O PALHAÇO- CLAUDIO AMARAL PEIXOTO-

R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.10-Melhor Montagem-OLHOS AZUIS- Pedro Bronz- R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.11-Melhor Som-ONDE ESTÁ A FELICIDADE?- Miriam  Biderman, ABC, e Ricardo Reis

 R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.12Melhor trilha Sonora-AS MELHORES COISAS DO MUNDO-BiD- R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu; 

A produtora e roteirista Cláudsa Natividade com Babu Santana: prêmios para Estômago

1.13- – Melhor curta-metragem documentário do Centro-Oeste-DIGA 33-de Angelo Lima –– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

 

David Cardoso, Carlos Alberto Riccelli e Rubens Ewald Filho: feliz reencontro de amigos…

1.14 – Melhor curta-metragem Anapolino-O GIRO DA CAPELINHA-de Arnaldo Salustiano de Moura – Prêmio Incentivar- Secretaria Municipal da Cultura à Produção de curta-metragem que será destinado à produção de um novo curta-metragem a ser produzido na região de Anápolis e exibido na abertura do 3º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA – R$ 37.500,00 (trinta e sete mil e quinhentos reais) mais troféu;

 

Débora Torres e Alice Gonzaga: amizade acalentada pela Sétima Arte…

Organização, público e ótimos filmes marcam Festival de Anápolis

Tem sido uma especial alegria estar em Anápolis, cidade goiana em franca expansão, desfrutando dias em ótimas companhias e prosa farta sobre cinema, arte, cultura, e as amenidades salutares qundo se junta muitos olhares, ideias e vivênccias diferenciadas na seara da Sétima Arte.

É assim que as flores brotam na Estância Park, agradável resort onde se hospedam os participantes do II Anápolis Festival de Cinema

Realização da Prefeitura Municipal de Goiânia com coordenação-geral da produtora e cineasta Débora Torres  (também idealizadora do festival), a segunda edição do Festival de Cinema de Anápolis consolida a importância de evento deste porte no centro-oeste do país e comprova o quanto é sadio, prolífero e constante o crescente interesse pelo fazer audiovisual.

Germano Pereira, Alice Gonzaga, Rubens Ewald Filho e Aurora Miranda Leão…


Aurora de Cinema entre o realizador anapolino Carlos César, e o cineasta/ator/ produtor e agitador cultural Ângelo Lima…

São muitos os curtas anapolinos em competição e a edição deste ano marca pontos também por acrecentar uma mostra competitiva de documentários da região centro-oeste.

Leandro Firmino da Hora e Aurora Miranda Leão: júri e convidada em Anápolis…

Após as sesssões, acontecem debates sempre com a presença de algum representante de cada filme concorrente, e o público  tem comparecido. O filme de ontem foi Estômago, de Marcos Jorge, produção esmerada que justifica todos os prêmios recebidos, com impressionante atuação de João Miguel e Babu Santana, e ótima participação especial do músico/cantor e ator Paulo Miklos.

O roteirita, ator e dramaturgo Alex Moletta com Walace Oliveira e Aurora Miranda Leão…

Mas hoje às 8h, a Prefeitura Mnicipal de Anápolis vai recepcionar os convidados do Festival de Cinema com um café no Teatro Municipal… então, vou dormir e aguardar outra oportunidade para tentar dividir com você, leitor amigo, o ‘buchicho’ que tem sido o II Festival de Cinema de Anápolis.

Como e Por Que Alice Sumiu ?

Pirenópolis, bucólico município goiano onde nasceu a idéia de O Sumiço de Alice…

O Sumiço de Alice é o novo curta-metragem da jornalista Aurora Miranda Leão. Rodado em Anápolis, durante o I Festival de Cinema de Anápolis, realizado no município goiano de 12 a 18 de abril passados, o curta é um trabalho experimental que nasceu de uma visita à bucólica região de Pirenópolis, berço de tantos filmes brasileiros (como “Simeão, o boêmio”, primeiro filme dirigido pelo pioneiro goiano João Bennio; O Tronco, de João Batista de Andrade; O Leão do Norte, de Carlos Del Pino; e o curta Borralho, do maranhense Arturo Sabóia de Almada).

Gravado em formato digital, com imagens captadas em mini DV, O Sumiço de Alice é mais uma produção Aurora de Cinema, a ser finalizada em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes (da videasta cearense Lília Moema).

turma reunida 2

Elenco do curta ‘O Sumiço de Alice’, rodado no eixo Anápolis-Pirenópolis

O processo de produção resume-se a 3 dias de gravações no circuito Pirenópolis-Teatro Municipal-Estância Park de Anápolis, mas, apesar do pouco tempo, o curta conta com elenco estelar, onde despontam o talento vibrante de Zezeh Barbosa, a criatividade singular dos goianos Deborah Torres e Guido Campos, a expressividade da atriz Dila Guerra, a criatividade do escritor Miguel Jorge, a descontração de Walter Webb, Alice Gonzaga e Mallu Moraes, a seriedade na estréia de Selva Aretuza e Manaíra Carneiro, além da inteligente participação dos jornalistas Cid Nader e Felipe Brida.

Aurora anota idéias para incluir no roteiro de O Sumiço de Alice

Eduardo Cardoso, Dila Guerra, Bianca Menti e Aurora: em busca de Alice…

Um belo plano-seqüência gravado em Pirenópolis responde pela abertura de O Sumiço de Alice. O filme vai-se desenvolvendo e, ao longo de seus 15 minutos, uma sucessão de imagens e depoimentos insólitos vão mapeando a intrincada história do inopinado e misterioso sumiço de Alice.

Alice Gonzaga, Mulher Patrimônio do Cinema, que inspirou o curta O Sumiço de Alice

Até o final, paira no ar a pergunta que não quer calar: como e porquê Alice sumiu ?

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Aurora Miranda Leão

Produção: Aurora Leão e Ângela Torres

Assistente de produção: Itamar Borges e Mallu Moraes

Direção de Platô: Laura Pires

Edição: Aurora M. Leão e Lília Moema

Still: Ed Cafezeira e Laura Pires

Dila Guerra, Laura Carneiro, Mallu Moraes, Aurora Miranda Leão e Zezeh Barbosa: descontração imperou nas gravações de O Sumiço de Alice

Encontro feliz em Anápolis: Aurora Miranda Leão, Walter Webb e Débora Torres

Elenco: 

                   ALICE GONZAGA

                    ZEZEH BARBOSA

                    DÉBORA TORRES

                    WALTER WEBB

                    MIGUEL JORGE

                    SELVA ARETUZA, gentilmente cedida por Danton e Selton Mello

                    GUIDO CAMPOS

                    DILA GUERRA

                   MALLU MORAES

                   JOÃO BATISTA DE ANDRADE

                    MANAÍRA CARNEIRO

                    CID NADER

                    FELIPE BRIDA

                     SERINA RARUÁ

                    ITAMAR BORGES

                    LAURA PIRES

                    ED CAJAZEIRA

Zezeh Barbosa e Guido Campos curtindo a noite anapolina: brinde ao Cinema !