Arquivo da tag: Ancine

Novo filme de Philippe Barcinski abre Première Brasil do Festival do Rio

Festival começa sexta e ENTRE VALES vai concorrer ao Troféu Redentor

Ângelo Antônio é o protagonista em filme com participação especial do uruguaio Daniel Hendler.  

Entre Vales é uma coprodução do Brasil, Uruguai e Alemanha e foi rodado em Paulínia e cooperativas de reciclagem e aterros sanitários de S. Paulo e Rio de Janeiro.  

Entre Vales narra a história de Vicente, um economista pai de Caio e marido de Marina, uma dedicada dentista. Ele tem uma vida comum em casa e no trabalho até que uma perda seguida de outra o levam a uma jornada de desapego. Uma história que aborda a fragilidade do homem e sua capacidade de se recriar. 

Ângelo Antônio, Melissa Vettore, Inês Peixoto, Daniel Hendler e Matheus Restiffe formam o elenco do longa, que tem fotografia de Walter Carvalho e estréia prevista para abril de 2013. 

Ambientado em lixões, aterros sanitários e cooperativas de reciclagem, e amparado em extensa pesquisa, Entre Vales percorre o complexo universo do lixo e das perdas, algumas das principais preocupações da contemporaneidade e apresenta, através de uma história envolvente, atual e necessária, uma metáfora do lixo e da reciclagem, numa abordagem artística a partir de camadas humanas, (des)cobrindo as emoções enterradas e escondidas na vida das grandes metrópoles urbanas. 

Melissa Vettore integra o elenco do aguardado ‘Entre Vales’…

Entre Vales é produzido pela Polo de Imagem, Aurora Filmes e Degrau Filmes, com patrocínio do Santander, Sabesp, Petra Energia, Fundo Setorial do Audiovisual / ANCINE, Polo Cinematográfico de Paulínia, Secretaria de Cultura da Cidade de S.Paulo (Fomento) e da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo (Fomento ao Cinema Paulista). O longa-metragem conta ainda com parceiros internacionais: Programa Ibermedia, Hubert Bals Fund (Holanda) e Film und Medien Stiftung NRW.
Philippe Barcinski

Philippe Barcinski recebeu mais de 60 prêmios por seus trabalhos com os curtas A EscadaPalíndromo e A Janela Aberta e com o longa-metragem Não Por Acaso, que tem Rodrigo Santoro e Leonardo Medeiros no elenco. Participou dos principais festivais internacionais, como Cannes, Berlim e Rotterdam, e teve seus trabalhos exibidos em TVs como Sundance Channel, Channel Four e Chanel Plus. Dirigiu ainda programas e séries para TV Globo, MTV, TV Cultura e ARTE.  www.barcinski.com.br 

Ângelo Antônio

Ângelo Antônio é o protagonista de Entre Vales. Nascido em Curvelo, Minas Gerais, o ator estudou no CPT (Centro de Pesquisa Teatral), coordenado pelo diretor Antunes Filho, e formou-se na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo – EAD/USP. Seu primeiro trabalho no teatro foi na peça Aurora da minha vida, de Naum Alves de Souza. Na televisão estreou na novela Pantanal e fez ainda, entre outros trabalhos, O dono do mundoSuave veneno e Alma gêmea. Sua estreia no cinema foi em Sombras de julho (1996), de Marco Altberg. Em sua filmografia constam Bella Donna (1997), de Fabio Barreto; No Coração dos Deuses, de Geraldo Moraes; O Tronco, de João Batista de Andrade; Dois Filhos de Francisco (2005) e À Beira do Caminho(2011), ambos de Breno SilveiraChico Xavier (2010), de Daniel Filho e Amor? (2011), de João Jardim, entre outros títulos. 

Inês Peixoto também está no novo longa de Barcinski…

Ficha Técnica

Brasil/Uruguai/Alemanha, 2012, 80 min, cor. 

Direção: Philippe Barcinski

Roteiro: Fabiana Werneck Barcinski e Philippe Barcinski    
Empresas produtoras: Polo de Imagem, Aurora Filmes e Degrau Filmes

Empresas coprodutoras: Cordón Films (Uruguai) e Augenschein Filmproduktion (Alemanha)

Produção: Malu Viana Batista, André Montenegro, Rui Pires e Philippe Barcinski

Produção Executiva: André Montenegro e Malu Viana Batista

Coprodutores: Micaela Solé (Uruguai), Luciana Dolabella (Alemanha), Jonas Katzenstein (Alemanha), Maximilian Leo (Alemanha) e Ângelo Antônio.

Fotografia: Walter Carvalho, abc

Direção de Arte: Marcos Pedroso 

Montagem: Leopoldo Joe Nakata

Distribuição: Imovision

Negócios de Cinema em Gramado…

Pelo quinto ano consecutivo, Gramado vai sediar a Ação de Cinema, próximos dias 14 e 15, na sede da Sociedade Recreio Gramadense e na Câmara de Vereadores da cidade.

Realização da Fundacine (Fundação Cinema do Rio Grande do Sul), 40º Festival de Cinema de Gramado, SESC – RS e Programa Cinema do Brasil/APEX Brasil,  com  apoio da  APTC/RS (Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos), do  SIAV/RS (Sindicato da Indústria Audiovisual do RS),  do IECINE (Instituto Estadual de Cinema), Secretaria de Estado da Cultura, e Fundação Cultural Piratini TVE,  a iniciativa objetiva aproximar e promover encontros de negócios do audiovisual entre produtores, realizadores e empresas investidoras. Também estão previstos na programação encontros individuais entre os participantes com interesses afins, além de seminários relacionados às políticas públicas da atividade audiovisual.

Para participação nos Encontros de Negócios e agendamento de encontro One-a-One com os convidados internacionais é necessário conhecimento básico de inglês e espanhol.

Inscrições gratuitas através do e-mail producao@fundacine.org.br, pelo telefone (51) 3226-3311, ou diretamente com a FUNDACINE na Sociedade Recreio Gramadense durante o festival de cinema.

5ª Ação de Cinema em Gramado

Locais: Câmara de Vereadores (Rua São Pedro, nº 369 – Centro – Gramado) e Sociedade Recreio Gramadense (Rua Garibaldi, 328 – Centro – Gramado)

A Sociedade Recreio Gramadense, um dos cenários da Ação de Cinema…

PROGRAMAÇÃO

Dia 14 de agosto

Seminário – 9h às 12h – Teatro Elisabeth Rosenfeld da Câmara

PRODAV – Sul (FSA)

Convidados: Sindicado dos Produtores, ANCINE e BRDE.

Mediador: Jaime Lerner (ABD-Nacional)

Seminário – 14h às 17h – Teatro Elisabeth Rosenfeld da Camara

Distribuição e Exibição Digital

Convidados: Filme B, Empresa Mística, FENEEC.

Mediador: João Guilherme Barone (FUNDACINE)

Dia 15 de agosto

Encontros de Negócios do Audiovisual – 9h às 12h

MESA 1 – CO-PRODUÇÃO INTERNACIONAL

Convidados: Revista Variety, INCAA, Festival de HAVANA.

Mediador: Beto Rodrigues (SIAV RS).

MESA  2 – DISTRIBUIÇÃO INTERNACIONAL

Convidados: Promovere, M-Appeal, Latinopólis.

Mediador: André Sturm (Programa Cinema do Brasil)

MESA 3 – DISTRIBUIÇÃO NACIONAL

Convidados: Federação dos Exibidores, Elo Company e Vitrine Filmes.

Mediador: a definir

MESA 4 – NEGOCIAÇÃO DE PRODUTOS PARA EXIBIÇÃO EM TV

Convidados: Turner Network Television – TNT e Home Box Office – HBO.

Mediador: Cícero Aragon (Box Brazil).

Encontros One-a-One – 14h às 17h

A Fundacine estará agendando horários para os encontros individuais com os convidados das mesas, os quais estarão à disposição para atendimento durante a tarde do dia 15 agosto.

Mostra de Cinema de Floripa discute Distribuição

8º Encontro do Cinema Infantil discute distribuição

Falta de leis que priorizem o cinema nacional, exibidores que privilegiam o cinema norte-americano e ocupação do mercado pelas distribuidoras estrangeiras. Essas são algumas questões que impedem uma distribuição mais eficiente do cinema produzido no Brasil e vão estar na pauta do 8º Encontro Nacional de Cinema Infantil, que ocorre sábado, dia 30, das 8h30 às 12h30, no Majestic Palace Hotel, em Florianópolis.

Com apoio do Sindicato da Indústria do Audiovisual de Santa Catarina (Santacine), o Encontro faz parte da programação da 11ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Participam os distribuidores Marco Aurélio Marcondes e Abrão Scherer, a diretora da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Vera Zaverucha, a Secretária do Audiovisual do MinC, Ana Paula Santana, e a diretora Celia Catunda, que vão debater o tema Desafios Criativos: Distribuição e Conteúdo. A mediação é de Luíza Lins, diretora da Mostra. 

No Encontro, serão apresentadas algumas alternativas que vem-se mostrando eficientes. Uma delas é o edital da Ancine de distribuição internacional de cinema brasileiro, em sua quarta edição. O concurso deste ano, cujas inscrições encerraram dia 3 de junho, vai contemplar dez projetos de U$ 25 mil, sendo que US$ 15 mil são provenientes do Programa Cinema do Brasil e US$ 10 mil do Ministério das Relações Exteriores.Entre os filmes já beneficiados pela premiação em edições anteriores estão Tropa de Elite 2, distribuído na Polônia, Sonhos Roubados, na França, e Estômago, em Portugal, entre outros.

Para Marco Aurélio, “uma das questões-chave da indústria do audiovisual é colocar os filmes ‘viajando’. Exibi-los de forma sistemática mundo a fora’. Ele é um dos organizadores da Nossa Distribuidora, criada por sete produtoras que detém as maiores bilheterias do Brasil e que incluem títulos como Tropa de Elite, Dois Filhos de Francisco, Se eu Fosse Você, e Cidade de Deus. Na política da Nossa Distribuidora, é possível reduzir os custos de comercialização de filmes no mercado nacional e também colaborar para o aumento da competitividade do filme brasileiro e das empresas nacionais.
O quê: 8º Encontro Nacional de Cinema Infantil
Quando: Sábado (30), das 8h30 às 12h30
Onde: Hotel Majestic. Avenida Beira-mar Norte, 2.746, Centro, Florianópolis.
Quanto: Gratuito

Inscrições para festivais e prêmios pelo Brasil

Vão até dia 11 as inscrições para a seleção do 10° Festival Internacional de Cinema Infantil – FICI 2012, que acontece entre agosto e novembro em São Paulo, Rio de Janeiro, Niterói, Brasília, Campinas, Santos, Belo Horizonte, Aracaju, Salvador e Recife. Continue lendo em www.ancine.gov.br

                        *********

Abertas até dia 20 as inscrições ao Prêmio Brasil de Fotografia. Os interessados podem participar em duas categorias: Ensaios Fotográficos (para séries de 8 a 12 imagens)  e Pesquisas Contemporâneas, que devem se alinhar ao tema deste ano, com foco na história social e estética do olhar contemporâneo. O evento irá conceder prêmios de R$ 10 mil a R$ 40 mil aos vencedores. As inscrições devem ser realizadas via postal ou pessoalmente. Mais informações: www.portoseguro.com.br/fotografia

                *********

Abertas até dia 25, as inscrições ao Edital Nacional Natura Musical 2012. Além das propostas de produção de CD e DVD, podem participar projetos de livros, shows, festivais, documentários e ações educativas, com foco na música. Para concorrer, os inscritos devem ter o registro no Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC) ou estar aptos à captação de recursos por meio da Lei Rouanet ou da Lei do Audiovisual. Mais informações: (11) 3146.0970 ou edital@naturamusical.com.br. Regulamento e inscrições estão disponíveis no site http://www.natura.net/patrocinio ou www.naturamusical.com.br

                            *********

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) está selecionando para composições inéditas destinadas a conjuntos orquestrais, camerísticos e solistas, a serem executadas nos concertos da XX Bienal de Música Brasileira Contemporânea, no segundo semestre de 2013. Trata-se do Prêmio Funarte de Composição Clássica, que contemplará 30 trabalhos, os quais concorrerão a premiações de R$ 8 mil a R$ 30 mil. Mais informações: http://www.funarte.gov.br

                                         *********

A Unesco está com inscrições abertas para propostas de financiamento de programas e projetos destinados à diversidade cultural, através de seu fundo internacional, até 31 de maio. Serão disponibilizados um total de US$ 100 mil em aporte financeiro para cada proposta. A iniciativa é aberta aos governos dos países em desenvolvimento membros da Convenção, ONGs nacionais da área da cultura, grupos vulneráveis ou outros grupos sociais minoritários. O formulário de inscrição, para ser preenchido em inglês ou francês, assim como mais informações e regulamentos, estão disponíveis no http://www.unesco.org

                                       *********

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC) da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), está com inscrições para o credenciamento de estudantes, trabalhadores e cinéfilos que querem integrar o Júri Popular do 35º Festival Guarnicê de Cinema. As inscrições podem ser feitas até 8 de junho. Os credenciados terão acesso gratuito às sessões de filmes e direito a voto e certificado de participação. O certificado será emitido somente para os credenciados que obtiverem 80% de participação no Festival. O 35º Festival Guarnicê de Cinema será realizado de 10 a 16 de junho, no Centro Histórico de São Luís. Mais: www.cultura.ufma.br

                                            *********

Abertas até dia 31 de maio inscrições à 10ª Mostra Alagoana de Dança, a ser realizada de 9 de julho a 23 de agosto. Podem participar escolas de dança, grupos amadores ou profissionais, bailarinos profissionais ou não, em todas as modalidades cênicas, residentes em Alagoas. O tema é livre, porém a prioridade será dada aos apoiadores dos movimentos da cultura alagoana e nordestina em geral. Não há taxa de inscrição. Mais informações no site da Secretaria de Cultura de Alagoas (Secult-AL): http://www.cultura.al.gov.br

                                       ********* 

O Núcleo de Atores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está com inscrições abertas para atores, com idade mínima de 18 anos, com ou sem experiência, que queiram participar de uma seleção de elenco para novo espetáculo. Os interessados devem se dirigir à recepção do Centro de Arte e Cultura e realizar sua inscrição preenchendo o formulário disponível na Secretaria do local. A participação também pode ser efetuada pela internet, solicitando a ficha de inscrição através do e-mail uepbtetro@gmail.com. Mais informações: (83) 3310-9734 ou 3310-9733.

                                             *********

 O 3º FESTCINE MARACANAÚ – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias será realizado na cidade de Maracanaú (CE), no período
de 16 a 21 de Outubro, organizado e coordenado pela empresa Abraham Filmes e Estúdio Digital, sob aa coordenação-geral do produtor e cineasta Afonso Celso.

A programação do FESTCINE MARACANAÚ divide-se em três mostras competitivas: a primeira para longa-metragem em formato digital; a segunda para curtas brasileiros em formato digital; e a terceira para novas mídias. O festival promove ainda uma mostra de curta-metragem, destinada aos realizadores da zona metropolitana de Fortaleza.

As inscrições ao FESTCINE MARACANAÚ – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias prosseguem até dia 15. O festival tem premiação em dinheiro, assim estabelecida:

    1. R$ 10.000,00 (Dez mil reais) para melhor produção audiovisual Longa Metragem
    2. R$ 5.000,00 (Cinco mil reais) para melhor produção audiovisual Curta Metragem
    3. FESTCINE MARACANAÚ – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias.
      www.festcinemaracanau.com.br – atendimento@festcinemaracanau.com.br 

 

Inscrições ao Curta Amazônia

Realizadores, ainda dá tempo !

O 3º Festival de Cinema Curta Amazônia está com inscrições abertas para produções de longas e curtas-metragens, até 20 de abril. O Festival, que irá acontecer em Porto Velho (Rondônia), de 23 a 30 de junho, conta com mostras competitivas e paralelas. Somente poderão ser inscritas obras concluídas a partir de 1º de janeiro de 2007. Todas as produções receberão certificados pela participação. Informações: www.ancine.gov.br.

 

Pimentel é Novo Presidente do CBC

  “Fazer com que o povo tenha acesso ao audiovisual é principal luta”

Recém-empossado, o novo presidente do Congresso Brasileiro de Cinema, João Baptista Pimentel Neto conversou com a Revista de Cinema sobre os desafios a enfrentar, no próximo biênio (2011-2013).

Cineclubista histórico, membro do CBC via Conselho Nacional de Cineclubes (CNC), Pimentel foi eleito numa disputa de chapa única, com a bandeira de continuidade de gestão e compromisso com o audiovisual brasileiro – foi, na última gestão, presidida por Rosermberg Cariry, o Diretor de Articulação e Comunicação. Para ele, a principal luta, herança do cineclubismo, é fazer com que o audiovisual chegue à população. 

Quais os desafios a serem superados em sua gestão?

Acredito que sejam os mesmos enfrentados nas gestões anteriores. Buscar encaminhar e concretizar as resoluções do CBC. E, para que isso ocorra, buscar que as entidades associadas realmente participem do dia- a-dia do CBC. Que manifestem suas opiniões de forma franca. Que realizem o debate necessário à construção de consensos. Que efetivamente apóiem e se envolvam nas lutas coletivas. Que lembrem que é a soma e não a divisão que confere maior ou menor força ao CBC. Por outro lado, acho que o desafio é dar conta da agenda legislativa, que se relaciona e afeta de modo importante todo o setor cultural e, em especial, o audiovisual. Precisamos ficar atentos e mobilizados. E novamente esta tem que ser uma tarefa coletiva. Não pode e não dá pra ser cumprida apenas por um presidente, uma diretoria e pelos conselhos. Somos uma federação. O CBC está hoje presente em todos os estados e portanto, de certa forma, esta agenda legislativa se replica nas Assembléias Legislativas e nas Câmaras Municipais. Então, como se vê, é tarefa coletiva e o CBC pode, de certa forma, articular e organizar isso. Serei apenas um dos coordenadores disso. Gosto muito das palavras: articulação, parceria, compartilhamento ! 

De que maneira o fato de ser um cineclubista histórico influenciará sua gestão?

A eleição de um cineclubista para presidir o CBC é realmente um fato histórico. Como é histórico o fato de as entidades que participam, apoiaram e votaram nesta chapa, entenderem que o cineclubismo é importante neste momento do cinema brasileiro. Afinal, somos nós, cineclubistas, que temos buscado levar a produção audiovisual brasileira para os 92% de brasileiros que não freqüentam os cinemas de shoppings centers e que, portanto, não tem acesso à produção nacional. Por isso afirmo que a gestão será coletiva. Foi isso o que aprendi no movimento cineclubista. Como também foi na militância cineclubista que aprendi a gostar e a dar a devida importância ao cinema e ao audiovisual brasileiro. E ao público brasileiro. E daí, como cineclubista, apenas continuo dizendo que filmes são feitos para serem vistos e que precisamos fazer com que o povo brasileiro tenha acesso ao audiovisual brasileiro. E que essa é a principal luta. Quanto maior o número de brasileiros com acesso ao audiovisual brasileiro, mais forte ficará o nosso audiovisual. Isso me parece que hoje é consenso. Os problemas estão na infra-estrutura, na distribuição e na exibição. E não podemos deixar de ficar atentos aos problemas que ainda resistem no setor da produção, principalmente de falta de recursos, da infernal burocracia, enfim, das mazelas que nos afligem a todos. Problemas que são de conhecimento de todo o setor e que tem que ser resolvidos. É o que penso como cineclubista e o que estou propondo às entidades associadas. O norte será dado pelas entidades. “Pelos consensos que conseguirem construir.” 

Você acredita na mudança de paradigmas ao votarem num cineclubista para presidente de uma das mais importantes entidades audiovisuais do país?

Acho que falar em mudança de paradigmas é muito forte. Mas acredito na tomada de consciência das entidades no sentido de união e reconhecimento de que o Brasil é um país imenso e diverso. E que o CBC tem que dar conta disso. Não é mero acaso que a nova diretoria conte com a participação de várias entidades representativas e de companheiros espalhados por todo o Brasil. Acredito esta ser a maior prova de que o país está se conectando de norte a sul. O CBC foi adentrando o Brasil de forma gradativa. Desde a sua retomada, ele teve, na Presidência, o “carioca” Gustavo Dahl, a “paulista” Assumpção Hernandez, com Geraldo Moraes contemplou os “gaúchos”, “candangos”, o centro-oeste. Com Paulo Boccato, tivemos um animador na presidência. Com Paulo Ruffino, um homem de TV. Com Jorge Moreno, sentimos os ares das alterosas e lembro que Rosemberg Cariry foi o primeiro presidente do CBC vindo do nordeste. E isso à época também foi um fato histórico. E ele fez uma das melhores gestões do CBC. Generosa. Pacificadora. Democrática. Franca e aberta. A favor do coletivo e do audiovisual brasileiro. Tenho orgulho de ter participado disso. Quero dar continuidade a isso. Tivemos, portanto, presidentes das mais diversas origens e perfis. E cada um ofereceu sua contribuição à história do CBC. Espero estar à altura e oferecer também a minha contribuição. 

Em que medida, haverá uma continuidade das gestões anteriores, em especial a última?

Bem, o nome da chapa foi Continuidade e Compromisso com o Audiovisual Brasileiro. E praticamente todos os membros da Diretoria e dos Conselhos da gestão anterior continuam participando. Portanto, será uma gestão de continuidade. 

O que se pode aprender com o 8º CBC e o que será levado em conta na nova gestão?

Reafirmo que a nova gestão do CBC terá por norte dois documentos: as resoluções do 8º CBC e a Carta dos Realizadores Brasileiros. São as diretrizes das ações que devemos empreender. Manual de vôo. Lembrando sempre a todos que uma andorinha só não faz verão. E, portanto, só celebraremos conquistas se nos empenharmos coletivamente na luta. O resultado do trabalho dependerá do que cada uma das entidades associadas ajudar a construir. 

Quais as principais reivindicações?

Todas. Pelo menos aquelas que estão nas Resoluções do 8º CBC e na Carta dos Realizadores Brasileiros. Todas elas são importantes e frutos de consensos. Defendemos todas. Sabemos que o setor é complexo e que cada atividade necessita de atenção e soluções especiais para cada um dos problemas. E valorizaremos isso dando igual atenção e nos colocando à disposição de todas. E também sabemos que, de certa forma, todas estão contempladas pela agenda legislativa que se coloca pela frente. Que precisamos ficar atentos e mobilizados aos interesses da cultura e do audiovisual brasileiro. PLC 116, Procultura, Vale Cultura, PEC 150. Direito Autoral. Lei de Diretrizes Orçamentárias. A lista é longa e posso ter esquecido algumas. Vamos também fortalecer e apoiar a idéia da implantação dos Fundos Setoriais Regionais utilizando recursos dos Fundos Constitucionais. Uma idéia lançada pelo Rosemberg e que a cada dia ganha força. Mas para enfrentar estes desafios precisamos de todos. 

Que postura manterá frente à gestão da ministra da Cultura, Ana de Hollanda?

Estou certo que a nova Diretoria do CBC manterá uma postura republicana e respeitosa em relação ao Ministro(a) da Cultura, seja quem for. A relação não pode se basear em nomes ou se gostamos mais ou menos do estilo de quem está Ministro. A relação e o diálogo devem se pautar sobre os temas de interesse do audiovisual e da cultura. Não nos envolveremos em manifestos, nem pró, nem contra. Não cabe esse papel ao CBC, até porque sobre esse tema não temos consenso interno. Por outro lado, a presença da Secretária do Audiovisual, Ana Paula Santana, e dos diretores da ANCINE, Mario Diamante e Glauber Piva, na Assembléia do CBC, em Atibaia, demonstram a vontade da atual gestão do MinC em construir o diálogo com o CBC e com todas as entidades associadas. 

Como sente que será o diálogo com as diversas frentes do audiovisual, como a SAV e a Ancine?

O diálogo está estabelecido. Não só com o CBC, mas também com as entidades associadas. Existem muitos temas específicos que devem ser dialogados entre a SAV e a ANCINE, diretamente com as entidades associadas, apoiadas pelo CBC. O CBC não pode exercer este papel. Tem que cuidar dos interesses maiores. De todos. Tem que lutar pela ampliação dos recursos e não de como eles serão depois divididos. É assim que entendo o papel do CBC. E acho que é sobre estes temas maiores, do interesse de todos – inclusive dos gestores governamentais – que o CBC deve concentrar seus esforços, contando com um efetivo apoio e participação das entidades associadas. A nova diretoria do CBC quer somar! Quer ir à busca de novas conquistas e de preservar todas aquelas alcançadas nas gestões anteriores. 

Por Gabriel Carneiro

Filmes Contemplados no Fundo do Audiovisual

O filme Bruna Surfistinha – Doce Veneno de Escorpião, que narra a história de uma garota de classe média paulistana que se tornou prostituta, foi contemplado com R$ 558 mil do Fundo Setorial Audiovisual. Dirigido por Marcus Baldini, o longa deve estrear em fevereiro nos cinemas.

Outras 44 produções foram selecionadas para receber, ao todo, R$ 39 milhões dessa linha de financiamento.

Entre os escolhidos, anunciados ontem pela Agência Nacional do Cinema, estão “Faroeste Caboclo”, adaptação do sucesso do Legião Urbana (R$ 1 milhão), “Os Últimos Dias de Getúlio”, sobre Getúlio Vargas (R$ 1,5 milhão), “Acorda, Brasil!”, com roteiro de Maria Adelaide Amaral, a respeito da orquestra sinfônica da favela Heliópolis (R$ 1,5 milhão), “Xingu”, a história dos irmão Villas Bôas, dirigido por Cao Hamburger (R$ 1,4 milhão), e “Heleno”, com Rodrigo Santoro no papel do ídolo do Botafogo (R$ 1 milhão).

  Divulgação  
A atriz Deborah Secco em cena do filme "Bruna Surfistinha - Doce Veneno de Escorpião"
Deborah Secco em cena de Bruna Surfistinha – Doce Veneno de Escorpião

Os Filmes Contemplados:

“BugiGangue no Espaço”
Diretor: Alexandre Machado de Sá (Ale McHaddo)
Gênero: Animação 3D
Valor investido: R$ 1 milhão

“Cuca no Jardim”
Diretor: Alê Abreu
Gênero: Animação
Valor investido: R$ 404 mil

“A Última Estação”
Direção: Marcio Curi
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 554 mil

“Lutas O Filme”
Direção: Luiz Bolognesi
Gênero: Animação
Valor investido: R$ 500 mil

“As Aventuras do Avião Vermelho”
Diretor: Frederico Pinto
Gênero: Animação
Valor investido: R$ 830 mil

“O Fim e os Meios”
Diretor: Murilo Salles
Gênero: Suspense
Valor investido: R$ 1,150 milhão

“A Frente Fria que a Chuva Traz”
Diretor: Neville D’Almeida
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1 milhão

“Beira do Caminho”
Diretor: Breno Silveira
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1,222 milhão

“O Homem do Futuro”
Diretor: Cláudio Torres
Gênero: Comédia
Valor investido: R$ 1,5 milhão

“Onde Está a Felicidade?”
Diretor: Carlos Alberto Riccelli
Gênero: Comédia romântica
Valor investido: R$ 600 mil

“O Altar do Cangaço”
Direção: Wolney Oliveira
Gênero: Documentário
Valor investido: R$ 200 mil

“Faroeste Caboclo”
Diretor: René Sampaio
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1 milhão

“Espertices e Valenturas”
Diretor: Luiz Henrique Rios
Gênero: Comédia dramática
Valor investido: R$ 1 milhão

“Leporella”
Direção: Moacyr Góes
Gênero: Suspense/Drama
Valor investido: R$ 500 mil

“Os Últimos Dias de Getúlio”
Diretor: João Jardim
Gênero: Drama/Suspense
Valor investido: R$ 1,5 milhão

“Bandidos e Mocinhas”
Diretor: Daniel Tendler
Gênero: Drama policial
Valor investido: R$ 1 milhão

“A Arte de Perder”
Diretor: Bruno Barreto
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 2,5 milhões

“A Turma do Pererê, o Filme”
Diretor: Marcos Magalhães
Gênero: Animação infantil
Valor investido: R$ 1 milhão

“Um Homem Só”
Diretor: Cláudia Jouvin
Gênero: Comédia
Valor investido: R$ 886 mil

“Dia dos Namorados”
Diretor: Mauricio Farias
Gênero: Comédia romântica
Valor investido: R$ 1 milhão

“Acorda, Brasil!”
Distribuidor: Fox Filmes do Brasil
Diretor: Sérgio Machado
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1,5 milhão

“Quase Memória”
Diretor: Ruy Guerra
Gênero: Comédia dramática
Valor investido: R$ 1 milhão

“Boca do Lixo”
Diretor: Flavio Frederico
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 215 mil

“Capitães da Areia”
Diretora: Cecília Amado
Gênero: Drama/ Ação
Valor investido: R$ 1 milhão

“Garibaldi in America”
Diretor: Alberto Rondalli
Gênero: Drama/Ação
Valor investido: R$ 518 mil

“Aos Ventos que Virão”
Diretor: Hermano Penna
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 500 mil

“Não Se Preocupe, Nada Vai Dar Certo”
Direção: Hugo Carvana
Gênero: Comédia
Valor investido: R$ 982 mil

“Xingu”
Diretor: Cao Hamburger
Gênero: Drama biográfico
Valor investido: 1,4 milhão

“Antes da Noite”
Diretor: Toni Venturi
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 580 mil

“Até que a Sbórnia nos Separe”
Diretor: Otto Guerra
Gênero: Animação
Valor investido: R$ 791 mil

“Tarsilinha”
Diretor: Célia Catunda e Kiko Mistrorigo
Gênero: Animação
Valor investido: R$ 1,5 milhão

“Trinta”
Diretor: Paulo Machline
Gênero: Drama biográfico
Valor investido: R$ 1,150 milhão

“O Grande Kilapy”
Diretor: Zezé Gamboa
Gênero: Drama histórico
Valor investido: R$ 696,7 mil

“Heleno, o Homem que Chutava com a Cabeça”
Direção: José Henrique Fonseca
Gênero: Drama biográfico
Valor investido: R$ 1 milhão

“Procura-se”
Diretor: Michel Tikhomiroff
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 914 mil

“Meu País”
Direção: André Ristum
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 500 mil

“Corda Bamba”
Diretor: Ugo Giorgetti
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 700 mil

“Sala de Espera”
Diretor: Lúcia Murat
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 700 mil

“Muitos Homens Num Só”
Direção: Mini Kerti
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1 milhão

“Qualquer Gato”
Diretor: Tomas Portela
Gênero: Comédia
Valor investido: R$ 695 mil

“O Homem que Não Dormia”
Diretor: Edgard Navarro
Gênero: Suspense
Valor investido: R$ 300 mil

“Bruna Surfistinha o Doce Veneno do Escorpião”
Diretor: Marcus Baldini
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 558 mil

“Nise da Silveira A Senhora das Imagens”
Direção: Roberto Berliner
Gênero: Documentário
Valor investido: R$ 500 mil

“Transeunte”
Diretor: Eryk Rocha
Gênero: Ficção
Valor investido: R$ 200 mil

“Aparecida, Padroeira do Brasil”
Diretor: Tizuka Yamasaki
Gênero: Drama
Valor investido: R$ 1 milhão

Programadora Brasil Recebe Filmes

Caixa de texto:   Divulgação  Até  sábado12, estão abertas as inscrições de obras audiovisuais brasileiras para o banco de dados da Programadora Brasil, com duração mínima de cinco e máxima de trinta 30 minutos, de qualquer gênero e ano de realização, desde que possuam o CPB (Certificado de Produto Brasileiro), emitido gratuitamente pela Ancine (Agência Nacional de Cinema).

Séries realizadas para TV, não serão aceitas e títulos inscritos na edição passada, não precisam de reinscrição.

Atualmente, o projeto conta com 494 títulos em seu acervo que já podem ser adquiridos por seus mais de 1.160 pontos de exibição audiovisual associados em todos os estados da federação. Duzentos e sete novos filmes estão contratados e em processo de produção. Até setembro de 2010 estarão também disponíveis em 60 novos programas/DVDs.


Em caso de inclusão no catálogo do projeto, os filmes e vídeos são contratados, sem exclusividade, para a duplicação de 1.000 cópias e serão disponibilizados em DVD para pontos de exibição não-comerciais associados ao projeto, através de um sistema on-line de aquisição.
As novas inscrições podem ser efetuadas por pessoas físicas ou jurídicas.

Para inscrever um ou mais títulos, o responsável deve ler atentamente o regulamento disponível no link: http://www.programadorabrasil.org.br/inscreva_seu_filme/, e preencher a ficha de informações do filme e encaminhar uma cópia da obra em DVD, para a Cinemateca Brasileira, aos cuidados da Coordenação de Programação e Produção da Programadora Brasil, no endereço: Rua Capitão Macedo, 580, Vila Clementino / CEP 04021020São PauloSP.  

Os títulos ficarão disponíveis para a consulta da comissão de curadoria. Saiba mais:
www.programadorabrasil.org.br

www.ancine.gov.br