Arquivo da tag: Atriz baiana é destaque em Segundo Sol – acesse #blogauroradecinema

Zefa revela talento de Claudia Di Moura ao país !

Resultado de imagem para claudia di moura

Atriz baiana está fazendo de sua personagem um dos trunfos de Segundo Sol  
   * Aurora Miranda Leão

      A narrativa de Segundo Sol foi tema do nosso post anterior. Hoje, voltamos à novela para destacar o trabalho da atriz Cláudia Di Moura.

              Assim como eu, você, leitor amigo do #blogauroradecinema, também deve ter conhecido a atriz somente agora, no horário nobre da telinha. Sim, porque até então Cláudia era atriz ‘restrita’ a Bahia, já que o teatro não promove a mesma visibilidade da televisão, num país de passagens com preços tão exorbitantes como é este Brasil.

       Daí que a presença de Cláudia Di Moura, além de ser mais uma constatação da relevância da produção teleaudiovisual como espaço potencial para evidenciar as centenas de artistas valorosos que vivem espalhados Brasil afora, reforça a ambiência nordestina definida pela obra de João Emanuel, Márcia Prattes, Maria Di Médicis e Dennis Carvalho. Outrossim, além de ser importante para a carpintaria profissional da atriz, a presença de Cláudia Di Moura é uma aquisição significativa também para o cenário artístico da Bahia e um trunfo para a instigante história ambientada em Salvador. 

Resultado de imagem para claudia di moura segundo sol

Cláudia Di Moura e o abraço do diretor Dennis Carvalho…

  O primeiro grande momento da personagem Zefa no enredo talvez tenha sido quando seu filho Roberval (interpretado com brilhantismo por Fabrício Boliveira) descobre que é filho bastardo do patrão de Zefa, o rico e corrupto empresário Severo Athayde (vivido por Odilon Wagner). 

          Como seria esperado, mesmo fora da ficção, o jovem negro revolta-se contra o pai, que nunca o assumiu, faz um escarcéu diante de toda a família e decide ir embora dali. Sentindo-se aviltado, diminuído e vilipendiado por todos os anos de invisibilidade, Roberval arruma suas coisas e chama a mãe para seguir junto com ele, abandonando o passado de humilhação e aviltamento. Mas a mãe não adere a Roberval, o que o deixa surpreso e furioso, e ele se aparta dela, diminuído, indignado, e diz que ela não é mais sua mãe. A cena é de uma orça impressionante, não só pela atuação dos atores mas por tudo que cerca a narrativa: o confronto mais pujante da sequência é debaixo de chuva, e colaboram para a tensão a trilha, o enquadramento da direção, a fotografia e os diálogos bem construídos.

Zefa

A emocionante cena em que Roberval e Zefa se apartam…

Roberval então passa a trabalhar na construção civil e numa das construções onde trabalha, conhece a poderosa Laureta. Os dois tem um caso e Roberval termina ganhando um bom dinheiro, vai morar no exterior, e fica ausente do país por quase 20 anos. Nesse tempo, a mãe tenta algum contato com ele, mas ele não dá o menor sinal de vida pra ela. No tempo que ficou fora do país, acabou tornando-se um rico empresário na África e volta ao Brasil disposto a reencontrar um grande amor. Por conta desse amor, que é Cacau (interpretada por Fabíula Nascimento), Roberval volta a falar com a mãe.

A trama é muito boa e não chama Segundo Sol à toa: quem acompanha a novela, sente que há, no subtexto da história pessoal de cada personagem, um motivo para que suas vidas se apresentem, em diversos momentos, como regidas por duas energias distintas, ou seja: há sempre uma curva nas voltas do caminho; uma espécie de espelho subjaz em cada conflito ou situação criada pelo desenrolar da história. Embora isso seja um traço bem pertinente ao histórico criativo de João Emanuel Carneiro, em Segundo Sol isso emerge com uma força exponencial, pois há uma série de fatores atuando em uníssono para assegurar o êxito da novela. Mas isso já é tema para outro comentário, mais extenso, que faremos noutra ocasião. Por enquanto, queremos apenas registrar que  Segundo Sol tem potencial para alcançar o mesmo êxito da notável Avenida Brasil.

Resultado de imagem para zefa de segundo sol

Odilon Wagner, Cláudia Di Moura e Fabrício Oliveira: muito pano pra manga na ótima trama de Segundo Sol

Vamos então agora destacar duas cenas emblemáticas de Segundo Sol, nas quais a atuação de Cláudia Di Moura foi decisiva:

Nas duas cenas, o conflito mãe e filho está em relevo: a primeira foi exibida em 19 de julho e foi mais ou menos assim:

O capítulo teve como ponto alto o estopim da condição profissional de Rosa ser contada a seus pais, de forma humilhante, por Laureta. Foi uma cena fortíssima, na qual a atuação dos atores foi um ponto qualificadamente determinante. Adriana Esteves, Letícia Colin, Roberto Bonfim e Kelzy Ecard ganharam falas para arrebentar, e não fizeram por menos. Outro ponto que merece comentário nosso em outro post.

Resultado de imagem para rosa expulsa de casa segundo sol

Letícia Colin e Roberto Bonfim numa contracena de intensidade e emoção…

E em meio à avalanche de emoções mobilizada por essa situação – vivida por Rosa diante dos pais -, a cena de Zefa para a qual chamamos a atenção aqui, passou quase despercebida. Procuramos uma imagem na web que pudesse ilustrar e não encontramos sequer menção à cena, uma das mais belas entre mãe e filho, até hoje, protagonizadas na teledramaturgia: 

Foi quando a força do Amor se fez soberana e sobrepujou até a condição sempre submissa da linda personagem vivida pela querida baiana Cláudia Di Moura: 

Questionada pelo filho porque insistia em ficar ao lado de Severo (corrupto juramentado), Zefa emocionada diz que ama o patrão e pede ao filho que respeite suas escolhas !

Foi o primeiro sinal da personagem na direção de mostrar-se intensa, mulher, feminina, sexuada e também capaz de altivez em meio a uma história de submissão, subtração, e sentimentos escondidos sob muito silêncio e sofrimento.

A construção verbo-visual da cena foi primorosa, e terminou com o espanto filial ante tamanha revelação, para encerrar mostrando uma Zefa triste e chorosa dentro de um ônibus.

Ali abriu-se uma fresta importante para o telespectador conhecer uma profusão de emoções que pulsam na alma da personagem, submersos à custa de sentimentos escondidos e guardados sob a tutela da submissão, do racismo, da condição secular de opressão às mulheres !

Gol de placa do autor, da direção e da competência notável da atriz !

Resultado de imagem para claudia di moura segundo sol

Aplausos de pé para Cláudia Di Moura !

A outra cena é uma em que Zefa, em atitude inédita, enfrenta o patrão e assume e uma postura cheia de eloquência e altivez. É EMPODERAMENTO que fala, né ?! E, neste caso, duplo: da personagem e da atriz !

Em providencial analogia, podemos dizer que se trata de uma escala geométrica:
na medida em que a potência do discurso narrativo se intensifica, a interpretação de Cláudia Di Moura vai-se revelando arrancada das entranhas !

O que mais pode querer um autor do que encontrar um intérprete que eleva a qualidade do seu texto ? E uma atriz, o que mais pode desejar da profissão que receber um texto que lhe permita colocar a alma em cena e transfigurar-se em outro ser ?

Cláudia Di Moura está criando acordes poéticos com as palavras de João Emanuel Carneiro e Márcia Prates, e baila nas cenas lindamente desenhadas por Maria di Médicis e Dennis Carvalho !

Quem ganha e agradece, penhorado, são seus fãs, nos quais me incluo, GRATA.

Aplausos de pé para Cláudia Di Moura e a emblemática cena do capitulo do dia 26 de julho na casa da família de Severo Athayde !

Cláudia

                                     Bem-vinda sois, Cláudia Di Moura !