Arquivo da tag: Barcelona

IN-EDIT BRASIL abre inscrições

Abertas as inscrições à 5ª edição do IN-EDIT BRASIL – Festival Internacional do Documentário Musical, a acontecer de 2 a 12 de maio em São Paulo. As inscrições vão até 3 de março.

O festival contará com três categorias: Competição Nacional (seleção dos melhores filmes inéditos no circuito comercial para disputar o prêmio “In-Edit Brasil ao Melhor Documentário Musical” votado pelo público), Panorama brasileiro (títulos inéditos mais destacados da atualidade) e Curta um Som (curtas-metragens mais criativos dos últimos anos).

O Prêmio de Melhor Documentário musical será escolhido pelo público e o filme vencedor será exibido no Festival In-Edit de Barcelona com a presença do diretor.

O In-Edit Brasil–Festival Internacional do Documentário Musical – foi criado há 10 anos em Barcelona (Espanha).

 MAIS: www.in-edit-brasil.com

MESSI faz passeio em campo e dá novo Show pelo Barça

O bicampeão da Fórmula 1, Sebastian Vettel, e sua namorada estavam nas arquibancadas do Camp Nou. Mas em dias de jogos do Barcelona, todos os olhares se voltam para o craque argentino Lionel Messi. Isso é incontestável.

MESSI entra em campo… precisa dizer mais ?

MESSI deu mais um show e, com quatro gols, comandou a goleada de virada por 5 a 1 sobre o Valencia, neste domingo, pela 24ª rodada do Campeonato Espanhol. O também hermano Pablo Piatti abriu o placar para os visitantes, enquanto Xavi fechou o placar nos acréscimos.

Messi comemora gol do Barcelona contra o Valencia (Foto: AP)
Messi segue encantando todo o Planeta Bola e está a 13 gols de se tornar o maior artilheiro do Barça (AP)

Estatísticas impressionam

MESSI, que chegou aos 27 gols na competição, apenas um atrás do português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, também atingiu importante marca, tornando-se o mais jovem a atingir 200 jogos em Campeonatos Espanhóis – com 24 anos e 240 dias de idade. Esta também foi a segunda vez em sua carreira que fez 4 gols num só confronto – a primeira havia sido diante do Arsenal, pelas quartas de final da Liga dos Campeões de 2009/2010.

Messi marca gol do Barcelona sobre Diego Alves do Valencia (Foto: Getty Images)

MESSI venceu Diego Alves no segundo gol e em outra três oportunidades: brasileiro teve boa atuação (Getty)

Na atual temporada, o astro acumula 42 gols em 40 jogos, com direito ainda a 19 assistências, e está próximo de quebrar novo recorde. Com 222 gols no total, a diferença para César, o maior artilheiro da história do clube, é de apenas 13 tentos. A expectativa é de que ele alcance o topo dos goleadores catalães até maio, quando terão fim todos os campeonatos de 2011/2012.

Desta forma, os catalães voltam a ficar a dez pontos do líder Real Madrid na tabela de classificação (61 a 51). Restam agora 15 partidas, entre elas o Superclássico no Camp Nou – e 45 pontos em jogo –, o que ainda alimenta as esperanças de um tricampeonato por parte do time comandado por Josep Guardiola.

Vettel no Camp Nou durante jogo do Barcelona (Foto: EFE)

Vettel e a namorada foram ofuscados pelo show de Messi no Camp Nou (Foto: EFE)

Lionel Messi, ou “a pulga” – como o apelidou alguém da imprensa – por ser baixinho e impossível detê-lo… Benza Deus !

MESSI dá novo título ao BARCELONA

Messi decide de novo, Barça bate Porto e conquista 2º título na temporada

Argentino, melhor do mundo, dá show e recém-contratado FÁbregas ajuda a decidir partida com um gol

Foto: AP        Messi comemora primeiro gol do Barcelona na partida
 
A temporada 2011/2012 mal começou e o BARCELONA, em três jogos oficiais, já conquistou duas taças. Depois de levantar a Supercopa da Espanha, a equipe catalã derrotou o Porto por 2 a 0 nesta sexta, com gols de Lionel Messi e Cesc Fábregas, e conquistou a quarta Supercopa da Europa de sua história.

Vencedor da última Liga Europa, o Porto bem que tentou dar trabalho para a improvisada zaga do Barcelona, que contou com o volante Mascherano e com o lateral esquerdo Abidal. Entretanto, a pressão inicial do time português não foi suficiente para vazar a defesa catalã. Para piorar, um erro de passe de Guarín deixou Lionel Messi livre para driblar Helton e colocar a bola para o fundo das redes ainda no primeiro tempo.

Na etapa final, Messi marcou mais uma vez, mas a arbitragem o anulou, assinalando corretamente um impedimento. Após reclamar de um pênalti em Guarín, o Porto perdeu a cabeça e teve Rolando e Guarín expulsos. Após o cartão para o zagueiro, Messi lançou Fábregas, que dominou no peito, marcou o seu primeiro gol nos profissionais do Barça e selou o seu segundo título em dois jogos pelo clube.

Na próxima segunda, o Barcelona inicia a luta pelo tetracampeonato do Campeonato Espanhol atuando contra o Villarreal, no Camp Nou. Já o Porto teve o seu jogo pela terceira rodada do Campeonato Português adiado e só enfrentará o Leiria no dia 6 de setembro, fora de casa.

O jogo – O Porto iniciou a partida pressionando o Barcelona no campo defensivo da equipe espanhola, tentando aproveitar uma eventual falha dos improvisados Abidal e Mascherano. Nos primeiros dez minutos, Hulk arriscou dois chutes para o gol e João Moutinho obrigou Valdés a trabalhar em um arremate cruzado.

Mesmo com mais posse de bola, o Barcelona não conseguia ocupar o campo defensivo do Porto, mas dava mostras de que poderia decidir a partida em uma jogada individual. Na primeira oportunidade do time catalão, Pedro recebeu lançamento desviado de Iniesta livre na grande área e tentou encobrir o goleiro Helton, mas a bola acabou indo por cima da meta portista.

Aos poucos, o Porto foi perdendo o seu ímpeto ofensivo e passou a dar mais espaço para o Barcelona trabalhar a bola. Sem conseguir penetrar na defesa catalã, os Dragões só assustaram o goleiro Valdés em cruzamentos para a área.

Enquanto isso, o Barcelona cresceu na partida. Aos 28 minutos, Messi fez linda jogada pela intermediária, deixando dois jogadores para trás e lançando para Villa, mas Helton saiu bem do gol e ficou com a bola. Pouco depois, Xavi chutou forte de fora da área e Helton espalmou com dificuldades.

Mesmo melhor no jogo, a equipe catalã não conseguiria abrir o placar no primeiro tempo, caso não contasse com a ajuda de Guarín. Na intermediária defensiva, o colombiano recuou mal a bola e viu o esperto Messi ficar com a bola, driblar o goleiro Helton e tocar para o fundo do gol, definindo a vitória parcial no primeiro tempo.

Na etapa final, o Porto foi ao ataque buscando o gol de empate, mas seguiu com dificuldades para entrar na área adversária. Aos oito minutos, Guarín arriscou forte chute de fora da área, mas Valdés evitou que o colombiano se redimisse do erro no gol de Messi.

Pouco depois, o Barcelona balançou as redes novamente com o atacante argentino, mas desta vez a arbitragem anulou o lance, marcando corretamente um impedimento de Messi.

Aos 33 minutos, o Porto reclamou muito de uma falta de Abidal em Guarín dentro da área, que o árbitro Bjorn Kuipers mandou seguir. Seis minutos depois, Rolando fez falta em Messi e foi mais cedo para os vestiários, levando o segundo cartão amarelo.

LIONEL MESSI, sensacional jogador argentino para quem a bola chuta, como bem diz o poeta CARPINEJAR

Na sequência, Messi lançou Fábregas, que havia entrado pouco antes, e o meia dominou no peito e selou a vitória do Barcelona. Descontrolado, o Porto ainda perdeu Guarín, expulso após dura entrada em cima de Mascherano.

MESSI é um Solo de Piazzolla que nos encanta…

Vou falar o que do Messi? Gênio é pouco

por Antero Greco

* Este eu também queria ter escrito… Eloqüência e precisão invejável do articulista do ESTADÃO… SARAVÁ !!! 

 

Eu, você que me lê agora, torcedores do Barcelona e do Real Madrid que estavam no Santiago Bernabeu e todo mundo que assistiu de alguma forma ao clássico desta quarta-feira, somos privilegiados. Podemos afirmar que somos contemporâneos de um dos gênios da bola. Não se pode dizer menos de Lionel Messi, um desses fenômenos que de vez em quando surgem para provar que a Humanidade tem futuro, apesar de tudo.

Messi é incomum, como Pelé, como Maradona, como Garrincha. Messi é esplêndido como Picasso, como Miró. Um Michelangelo do esporte. Tem a criatividade de um Da Vinci, a ousadia de Mozart, a imponência de Beethoven. Os gols de Messi são poemas de Dante, epopéias de Homero; são épicos de Cervantes. Dostoievski veria em Messi seu grande personagem. Messi diverte como Chaplin, é um Gardel dos gramados. Messi é um solo de Piazzolla que nos encanta, nos emociona.

Messi é exagero, um abuso, uma hipérbole. “É um virtuose juramentado, um despautério futebolístico, uma hecatombe devastadora de botinudos”, como diria Odorico Paraguaçu, personagem imortal de Dias Gomes. O que tinha tudo para ser mais um jogo amarrado, tenso, chato e insosso, apesar de bate-bocas e expulsões, virou um capítulo de antologia por causa de Messi e seus dois gols contra o Real.

Gols que valem mais do que a provável classificação para a final da Copa dos Campeões – a competição, no caso, é detalhe supérfluo. Os gols de Messi, na noite desta quarta-feira, em Madri, são obras-primas, são clássicos. São a reafirmação de que o Universo tem um Criador.

Caramba, e tinha de ser justo hoje, com tanto jogo ainda pra ver?!

Se Todos Jogassem como MESSI… SARAVÁ !!!

Com recorde de Messi, Barça vence outra e ‘esfria’ despedida do Shakhtar 

Sensacional Craque argentino faz único gol da partida e chega aos 48 na temporada.

Catalães aguardam o Real Madrid para uma maratona de quatro clássicos

Durante 20 minutos, a empolgada torcida do Shakhtar Donetsk acreditou que o impossível poderia acontecer na noite de ontem, na Donbass Arena, e que o time da casa daria o troco pelo 5 a 1 sofrido na semana passada no Camp Nou.

Foi quando o Barcelona trouxe os ucranianos de volta à realidade, passou a dominar o jogo, abriu o placar com direito a recorde de Lionel Messi e garantiu a classificação para a quarta semifinal seguida de Liga dos Campeões com uma vitória por 1 a 0.

Na mesma cidade onde disputou seu primeiro jogo de Champions, em dezembro de 2004, Messi tornou-se o maior artilheiro do Barcelona numa única temporada, chegando aos 48 gols em 45 jogos e superando a marca de Ronaldo Fenômeno em 1996/97 e também a própria em 2009/2010.

 

* Com informações de Rafael Maranhão, direto de Donetsk, Ucrânia

Poesia de CARPINEJAR: Como um GOL de MESSI…

Quem me conhece, tá cansado de saber: quando gosto, meu gostar é pra valer; se me apaixonar, sai da frente…

Pois desde que conheci os versos do poeta gaúcho Fabrício Carpinejar, apaixonei-me pela prosa e a poesia dele.

Mérito exclusivo do escritor, que abusa do singular direito de encantar…

Pois não é que acabo de ser surpreendida com um texto atordoantemente lindo do poeta (cuja parceria muito deve honrar a Mário Corso), flagrando e traduzindo na mais fina escrituração poética os dribles, passes, jogadas, enfim, a maestria do absolutamente craque argentino LIONEL MESSI ?!

O texto é uma pérola, indicado por minha querida amiga Luziany Gomes, que, sabendo de minha ligação intensa com o mestre de todas as bolas, me presenteou com esta preciosidade.

Um texto que, tivesse eu o talento, o olhar e a sensibilidade de CARPINEJAR, talvez levasse minha assinatura, antes mesmo da do poeta.

O que você vai ler a seguir, eu teria o MAIOR ORGULHO DE ASSINAR.

Salve, CARPINEJAR !

E obrigada por nos presentear a todos, sobretudo nós, tietes e admiradores atentos e maravilhados ante a atuação de MESSI, com esta preciosidade em forma de crônica.

GOL DE PATINETE

Fabrício Carpinejar e Mário Corso

Maradona não pode ser comparado a Pelé, mas Messi sim, ele já mostra fagulhas do impossível, risca fósforos das chuteiras, entra na pequena área com archotes, ilumina a caverna das traves com rupestres e desenhos incríveis. As redes deveriam ser retiradas depois de seus gols.

O que ele aprontou contra Arsenal é antológico. Seu primeiro gol será tão reprisado quanto a derrubada das torres gêmeas. Nasceu com moldura. O argentino recebeu enfiada de Iniesta e deu um chapéu no goleiro Almunia e concluiu sem deixar a bola cair. A questão é o curto espaço da operação, um rasgo para cima, lembrando os dribles para dentro dos santistas Canhoteiro e Edu.

Foi, na verdade, uma bicicleta de frente, criou o gol de patinete. A bola e o goleiro estavam em outra rotação, muito mais lentos; Messi congelou o tempo para encobrir e botou o tempo a correr novamente ao arrematar. A bola sobe com efeito, como se zombasse das mãos do arqueiro. Não há jogo de corpo do atacante, mas jogo de corpo da bola. A bola joga para Messi.

Talvez seja o tento mais perfeito que se viu no Camp Nou. Esperava-se o toque ao lado para limpar o goleiro. Não, ele toca por cima, numa manobra absolutamente original. Essa é a diferença do gênio para o craque, da estrela para o cometa. Messi não diviniza o banal, desembaraça o divino. Amplia o repertório, não permite um mínimo de descuido e desatenção do torcedor. Qualquer lance dele cheira a milagre. Ele não corre, aparece; ele não chuta, coloca; ele fundiu balé com futebol de salão.

Não há jogo ruim, no mínimo boas atuações alternadas com levitações demoníacas. Seu pé esquerdo é uma centopeia delirante. Comprova que os canhotos não surgiram para a mendicância técnica. São reis do ilusionismo.

Ele não realizou sua obra-prima em cima do Olaria, mas na poderosa esquadra do Arsenal em oitavas de final da Liga dos Campeões. Sacramentou a vitória de 3 a 1 sobre o vice-líder do Campeonato Inglês.  Alguns podem alegar que ele não oferece o mesmo espetáculo defendendo a Argentina. Calma, calma, o Barcelona é uma seleção (assim como o Santos da década de 60), a Argentina que é o clube. Messi não repete suas performances de gala no combinado do seu país porque não há como, é uma confusão política, de desmandos e superstições.

No Espanhol, o artilheiro atingiu 77% de acerto nas finalizações, o maior índice da história. Contabiliza 27 gols em apenas 116 conclusões – marcou a cada 4,3 chances que teve.

É um centroavante completo e um meia esplêndido, concilia o talento magnético na condução da bola e o oportunismo de matador. Impossível marcá-lo. Há algo de maduro em seu rosto, lampejo de tigre, e só tem 23 anos.

Repare que nem comemora o gol, acena, agradece com sinal da cruz. Sua comemoração nunca é explosiva, parece que não quer diminuir o lance com coreografias animadas; só aceita dançar com a bola, não trai sua parceira de tango.

Deseja o lance seco, curto, sem música de fundo. O futebol essencial, o futebol pelo futebol.

A sensação que nos passa é que a finalização letal consumiu toda sua energia criativa. Desce um degrau durante a euforia, enquanto o hábito da maioria é se sentir melhor com o gol. 

É um erro pensar que jogar com alegria diferencia o jogador. Ele precisa jogar com todos os sentimentos misturados, com tristeza também.

Se Lionel Messi encanta desse jeito com aplausos, ficamos imaginando o que faria num acesso de raiva e fúria. Se ele age assim para calar o adversário, o que seria capaz de encenar para calar a torcida.

Está na hora de vaiar Messi. Vaiar com vontade. Daí ele conhecerá a perfeição que vem com a vingança. Conhecerá o cisne negro. A outra metade de Pelé que lhe falta. 

Ele não corre, aparece; ele não chuta, coloca; ele fundiu balé com futebol de salão.

INIESTA Garante Vitória a Espanha

Eleito – com toda justiça – o melhor em campo em eleição no site da Fifa, o meio-campista Andrés Iniesta, autor do gol da vitória da Espanha sobre a Holanda por 1 a 0, resultado que garantiu o título da Copa do Mundo aos espanhóis, disse que não conseguia explicar o que estava sentindo.

“É incrível! Que felicidade, sobretudo pela forma como ganhamos. Não há palavras para expressar o que sinto”, disse o jogador, que balançou as redes aos 11min do segundo tempo da prorrogação.

“Depois do meu gol, pensei em minha família, em todas as pessoas que gosto. Esta vitória é fruto de um enorme trabalho“, declarou o atleta do Barcelona ainda no gramado do estádio Soccer City.

Vale lembrar: INIESTA é companheiro do craque Lionel MESSI no Barcelona e, no início do Mundial, declarou que Messi era o melhor jogador da Copa e que torcia por ele.

Na comemoração do gol, Iniesta homenageou o seu conterrâneo Dani Jarque, que morreu em 2009 depois de sofrer um ataque cardíaco em um hotel na Itália. Ele levantou a camisa com os dizeres “Dani Jarque sempre conosco”.

Até INIESTA Vibra com MESSI

 

Meia espanhol elogia companheiro do Barcelona e aponta Argentina como favorita ao título do torneio

iniesta espanha coletiva

Iniesta elogia Argentina (Foto: agência Getty Images)

Tecnologia em alta na Copa Mundo. O meia espanhol Andrés Iniesta revelou ao jornal “AS” que vem conversando com amigo Messi, seu companheiro no Barcelona, mas um possível adversário na Copa. As duas equipes podem se enfrentar na semifinal, na África do Sul,  dia 7 de julho.

Nós trocamos mensagens. Ainda vamos nos encontrar, mas só o tempo dirá – revelou ao tabloide espanhol.

Iniesta aproveitou para elogiar o time de Maradona e não considera a Espanha ainda candidata ao título da Copa do Mundo. Para jogador, até o momento, os argentinos merecem o posto de favoritos. O jogador rasgou elogios ao amigo Messi.

Os candidatos são aqueles que estão jogando direito. A Espanha não fez isso. Eu não sei se Messi seria invencível, mas estou dizendo que os argentinos devem estar orgulhosos. Ele é um jogador magnífico – disse Iniesta.

A Espanha enfrenta Portugal nesta terça-feira, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O vencedor enfrentará o classificado do confronto entre Paraguai e Japão.

MESSI, Tévez e Higuaín no Ataque Argentino

O técnico da seleção argentina, Diego Maradona, deu indícios de que pretende escalar uma equipe ofensiva para a estreia diante da Nigéria no próximo sábado, às 11h (de Brasília), no Ellis Park, em Johannesburgo, pela primeira rodada do Grupo B da Copa do Mundo.

Nesta terça, o treinador escalou a equipe com um trio ofensivo formado por Higuaín, do Real Madrid, Carlitos Tévez, do Manchester City, e Lionel Messi, do Barcelona. Os três jogadores ainda têm o auxílio do meia Di María.

A equipe titular ainda teve o meio de campo formado por Mascherano, Verón e Jonás Gutiérrez. Já o setor defensivo teve Heinze, Samuel e Demichelis, enquanto, no gol, Sergio Romero ganha pontos para ser o titular.

Higuaín, um dos grandes do ataque argentino

Com essa ideia na cabeça, o técnico organizou um treino em que colocou a defesa e o ataque considerados titulares em lados opostos. Os jogadores de frente se deram melhor e ainda tiveram direito a chutar bolas nos perdedores, que, como castigo, ficaram perfilados na linha do gol.

O treino dos argentinos hoje foi marcado pela descontração. No rachão, o time que perdeu foi obrigado a pagar um castigo: todos ficaram na linha do gol, de costas e agachados, para serem bombardeados por chutes dos jogadores do time vencedor.

Vídeo da TV UO (www.folha.com.br) mostra que, no meio desse “fuzilamento”, sobrou até para o técnico da Argentina, Diego Maradona.

“Queremos MESSI !” é o grito na África

torcida da Argentina no treino
Argentinos e sul-africanos juntos no treino da
Argentina em Pretoria (Foto: Alexandre Alliatti)

Argentinos e sul-africanos, tão pouco parecidos, cantaram juntos, quase em uníssono, na tarde deste domingo, na Universidade de Pretória, onde a seleção de Diego Armando Maradona abriu pela primeira vez os portões de seu treinamento para o público. Mais de mil torcedores dos dois países ocuparam as arquibancadas do campo de treino para acompanhar a movimentação. Juntos, deixaram mensagens de incentivo aos atletas.

Em especial, para um deles. Ver o treino da Argentina, para os sul-africanos, é quase um sinônimo de ver Lionel Messi.

We want Messi! We want Messi! – gritaram eles, dizendo que queriam ver o craque do Barcelona.

Os torcedores argentinos aproveitaram a presença dos locais, se misturaram a eles e tentaram ensiná-los a cantar as músicas tradicionais da Argentina, inclusive uma que garante que eles repetirão 86 e serão campeões. Claro, também sobraram provocações aos brasileiros.

Mas os sul-africanos gostam mesmo é da Shosholoza, a música que virou uma espécie de hino da Copa do Mundo. Eles entoaram mais de uma vez a canção de louvor ao trabalho. Os argentinos, dentro do possível, tentaram cantar junto.

O curioso é que os dois países podem se enfrentar nas oitavas de final da Copa do Mundo. Basta que um se classifique em primeiro e o outro em segundo na fase de grupos