Arquivo da tag: BEATLES FOREVER

E tudo começou com o Frequência Beatles…

Paul McCartney está de volta ao Brasil e, pela primeira vez, vai cantar no Ceará…

A aguardadíssima vinda do eterno Beatle Paul McCartney a Fortaleza é um sonho acalentado desde 1990, quando da primeira vinda do excepcional músico inglês ao Brasil para show que aconteceu no Maracanã, no Rio.

Paul: artista notável com plateias sempre lotadas…

Porque a Música os fez ETERNOS: George, John, Ringo e McCartney…

Ali, uma galera já chamada de ‘beatlemaníaca’ resolveu se unir e nasceu a ideia de criar um programa de rádio exclusivo com canções dos 4 geniais de Liverpool. E foi assim que o jornalista Nelson Augusto teve a feliz ideia de criar o programa que batizou de Frequência Beatles, veiculado todos os sábados na Universitária FM desde 1990.

O FREQUÊNCIA BEATLES começou com uma hora de duração e há alguns anos passou a ter duas horas, devido a enorme audiência, acrescida de público no mundo todo com o advento da internet e os constantes avanços tecnológicos.

No estúdio do Frequência Beatles é frequente a presença de crianças…

Nelson Augusto comanda o programa que sempre leva muitos fãs dos Beatles ao estúdio da Universitária FM de Fortaleza, e faz questão de ressaltar que o programa acontece “graças ao auxílio fundamental de uma porção de amigos que também são fãs, como eu”. Entre estes estão Astrid Miranda Leão, Vera Lúcia Santiago, Cynthia Fortuna, Fábio Parente, Márcia Carneiro e Vladimir Lima.

Tid e Frequência

Frequência Beatles faz estúdio da Universitária FM ficar lotado e vibrar muito com a insuperável música dos geniais ingleses de Liverpoool…

O programa Frequência Beatles é veiculado todo sábado, das 18h às 20h, pela Rádio Universitária FM 107,9 Mhz de Fortaleza.

Nas filmagens de Let it Be, momento ultra marcante da trajetória dos Beatles…

O Frequência Beatles tornou-se a maior referência da música e da história dos Beatles no rádio brasileiro, e foi assim que Nelson Augusto e outros tantos saudáveis ‘malucos beatlemaníacos’ resolveram embarcar para Liverpool ano passado e começar a reivindicar, concretamente em solo inglês, a visita de Paul McCatrtney ao Ceará.  

E foi assim que fotos e vídeos foram postados nas redes sociais, blogs, sites e no youtube dando conta da presença do Programa Frequência Beatles em Liverpool e da ‘peregrinação’ de Nelson Augusto e outros fãs cearenses de PAUL em busca de atrair a atenção para o oportuno chamamento dos cearenses à inclusão de Fortaleza na turnê 2013 de McCartney, e conseguir sensibilizar a produção do artista para a importância desta passagem pela capital cearense. Afinal, se Recife acolheu Paul ano passado, por que não a Terra da Luz este ano ?

Pois o chamamento foi bem feito e o insistente convite conseguiu convencer a assessoria de McCartney e o show do artista já tem venda recorde em Fortaleza: dia 9 de maio é a vez dos cearenses cantarem, em uníssono, e numa inigualável emoção, a presença benfazeja, iluminada e iluminadora, de PAUL McCARTNEY em Fortaleza !

Seja muito bem vindo, Paul !

PARABÉNS Nelson Augusto !

Vera Lúcia Santiago e Astrid M. Leão ao centro, cercadas por outros fãs dos Beatles…

E vida ainda mais longa ao Programa FREQUÊNCIA BEATLES !

Porque BEATLES… FOREVER !!!

O programa Freqüência Beatles é dividido em quadros, que são os seguintes: O Foco da Semana, Beatles News, Carreira Solo de John,
Paul, George e Ringo, Beatles Ao Vivo, Beatles Cover, além de atender a pedidos dos ouvintes e responder consultas no ar. Aos que desejam conhecer e sintonizar o programa a partir de outros estados e países, o site é www.nelsons.com.br

E o inesquecível John Lennon, o meu beatle preferido…

Frequência Beatles quer ver Paul McCartney no estádio da Copa

Cearenses investem pesado pra ter Paul McCaartney cantando em Fortaleza…

Dois integrantes do programa radiofônico cearense Frequência Beatles, o jornalista e radialista Nelson Augusto, e a professora de inglês Vera Santiago, estão em Londres de olho na tradicional BEATLES WALK.

Os excepcionais ‘garotos de Liverpool’: se alguém não gosta, pode mandar internar…

Trata-se de uma semana especial para os aficionados do Fab Four, na qual os fãs da imortal banda inglesa podem conhecer ou reencontrar-se com todo o arsenal de atrações referentes aos BEATLES na cidade de Liverpool.

Em Londres, os ‘beatlemaníacos’ cearenses não deixam passar uma oportunidade de reverenciar o conjunto musical que mudou a cara da música no mundo. Saíram daqui de olhona BEATLES WEEK. O percurso, feito a pé por centenas de fãs e turistas, contou ainda com ouvintes do Frequência Beatles: Paulo César Sousa de Alcântara e seu filho de 11 anos, Paulinho; Cynthia Fortuna, e Emília de Fátima, e aconteceu na manhã de terça passada, 21 de agosto de 2012.

O ponto alto do passeio foi uma visita aos famosos estúdios da Abbey Road (webcam onde transmite 24 horas, o movimento dos britânicos e dos fãs http://www.abbeyroad.com/Crossing) na famosa faixa onde os Beatles foram fotografados no conhecido disco Abbey Road. Foi lá, nesse estúdio, onde os Fab Four gravaram, nos anos 60, a maioria das canções que viraram sucesso no mundo inteiro.

Nelson Augusto à frente do grupo que reverencia os Beatles em Liverpool…

Na oportunidade, os integrantes do programa Frequência Beatles, criado e mantido até hoje no ar pelo jornalista Nelson Augusto (via Universitária FM de Fortaleza) levaram uma faixa com os dizeres “Paul, Fortaleza Loves you” . A intenção é tentar angariar mais adeptos para a feliz ideia de ter o ex-Beatle Paul McCartney cantando em Fortaleza quando da reinauguração do estádio do Castelão, em dezembro próximo.

Programa dos Beatles, grande audiência em Fortaleza, chega ao Abbey Road Studios

Nelson Augusto sentindo-se em casa em território dos Beatles

A ideia de aumentar a campanha iniciada pelo fãs do Ceará no
Twitter com o hastag #PaulnoCastelão, vem sendo reforçada pelos integrantes
do Liverpool, e isso acontece até dia 28, quando eles participam da Beatles Week, comemorando as Bodas de Ouro do antológico grupo musical que revolucionou a cultura do mundo com a força e a ousadia de seu discurso, e a beleza inconteste de suas músicas.

BEATLES: canções antológicas e inolvidáveis que mudaram a face do mundo.

História da MÚSICA no mundo divide-se em Antes e Depois dos Beatles

Ringo e McCartney aprovam filme de Scorsese com George Harrison

Paul McCartney e Ringo Starr se reuniram ontem em Londres para a première de George Harrison: Living in the Material World, documentário sobre o ex-Beatle dirigido por Martin Scorsese.

Relembrando Beatles: McCartney, Yoko Ono, Olivia Harrison e Ringo Starr

Além dos dois Beatles vivos, estiveram no lançamento, Olivia e Dhani Harrison, viúva e filho de George, e Yoko Ono, viúva de John Lennon. O documentário também teve sessão especial em Liverpool, terra natal da banda.

“Toda vez que vejo algo sobre George as memórias voltam com clareza”, disse McCartney. “Ele era meu colega de ônibus escolar, tenho ótimas recordações. Ele é muito querido por todos nós”, completou. 

Martin Scorsese disse que sempre sentiu uma certa conexão com Harrison. “Sua música tratava de temas que me interessavam”, comentou. “O trabalho de Harrison me confortava e me deixava esperançoso. Eu era fascinado por ele.”

Também estiveram presentes na sessão em Londres o produtor dos Beatles George Martin, Noel Gallagher, o comediante Terry Gilliam, o guitarrista dos Rolling Stones Ronnie Wood e a primeira mulher de Harrison, Pattie Boyd.

Além dos dois ex-Beatles vivos, Living In The Material World trará entrevista com importantes figuras da cultura pop, como o guitarrista Eric Clapton, o produtor Phil Spector, Yoko Ono e os comediantes Terry Gilliam e Eric Idle, do Monty Python (Harrison foi um dos produtores responsáveis pelo lançamento do filme da trupe “A Vida de Brian”). Scorsese também teve acesso a vídeos caseiros inéditos do arquivo de Harrison.

Living In The Material World será exibido primeiro no canal de TV a cabo norte-americano HBO. Além do filme, será lançado um livro escrito por Olivia, com fotos e cartas do músico. Harrison morreu no dia 29 de novembro de 2001, vítima de câncer no pulmão.

Emocionado ao assistir ao documentário Paul McCartney disse: “Fiquei impressionado. O filme me lembrou o que eu já sabia, me fez lembrar quanto George era uma pessoa legal”, disse ao jornal Sunday Telegraph.

George Harrison: Living in a Material World está na programação do Festival do Rio, que começa dia 6 e vai até 18 deste outubro.

McCartney também declarou já ter visto o documentário LennoNYC, sobre a vida de John Lennon, e que não se sente à vontade para produzir um filme sobre sua história. 

“Estou mais interessado em outras pessoas. Já me sinto bem satisfeito com o que eu sei sobre mim”.

Primeiras gravações dos BEATLES serão lançadas em novembro

Disco traz registros de shows em clube noturno em Hamburgo, na Alemanha

Os primeiros registros dos Beatles, contando com a participação do vocalista britânico Tony Sheridan, serão lançados num álbum duplo nos Estados Unidos, dia 8 de novembro.


Beatles na época de Pete Best, no início dos anos 60 (Foto: Reprodução)

Intitulado The Beatles With Tony Sheridan: First Recordings, o disco traz gravações de show em clube noturno de Hamburgo, na Alemanha, em 1961, quando o baterista da banda ainda era Pete Best.

Veja também:
– PLAYLIST: Ouça músicas dos Beatles!

Entre as faixas, estão Ain’t She Sweet, com John Lennon nos vocais, e Cry For a Shadow, escrita por George Harisson.

O lançamento do álbum será acompanhado de um livro com fotos raras, de autoria de Astrid Kirchherr, noiva do baixista ocasional dos Beatles, Stuart Sutcliffe. Além dos retratos, a edição virá com pôsteres dos primeiros shows e biografias feitas à mão por da cada um dos integrantes do grupo.

The BEATLES:  se alguém disser que não gosta, pode mandar internar…

BEATLES em Documentário Inédito…

Primeira visita do Quarteto aos EUA

Nunca lançado comercialmente, filme dos irmãos Albert e David Maysles ganha exibição em São Paulo

Os Beatles desembarcam em Nova York, em fevereiro de 1964: três mil pessoas no aeroporto

Beatles desembarcam em Nova York, fevereiro de 1964: três mil pessoas no aeroporto

Não é por acaso que o diretor norte-americano Albert Maysles, 84 anos, é um dos homenageados do In-Edit Brasil, festival dedicado exclusivamente a documentários musicais. Ao lado de David, irmão e parceiro morto em 1987, o cineasta flagrou dois momentos cruciais da cultura pop no mundo. Em 1964, na primeira visita dos Beatles aos Estados Unidos, a dupla registrou o nascimento do rock como fenômeno de massa em “What’s Happening!”, que permanece praticamente inédito até hoje.

Cinco anos depois, quando acompanhavam uma turnê dos Rolling Stones, filmaram em “Gimme Shelter” o assassinato de um fã dos Rolling Stones pelos motoqueiros do Hell’s Angels, que faziam a segurança de um show gratuito na rodovia de Altamont, na Califórnia. Era o fim do sonho hippie e a morte simbólica dos anos 1960. Os dois filmes serão exibidos na sequência nesta quinta-feira (5) no Cinesesc, em São Paulo, na presença de Maysles, que também está no Brasil para ministrar palestra.

Restaurado no início da década passada, “Gimme Shelter” chega ao festival acompanhado por “Get Yer Ya-Ya’s Out!”, média-metragem do show que a banda fez no Madison Square Garden, em Nova York, em novembro de 1969 e deu origem ao álbum ao vivo de mesmo nome. Parte das imagens haviam sido utilizadas em “Gimme Shelter”, mas o material na íntegra só veio a público em 2009.

A grande novidade no Brasil, no entanto, é “What’s Happening! The Beatles in USA!”. David e Albert receberam carta branca para seguir John, Paul, George e Ringo na viagem do quarteto pela América do Norte no auge da beatlemania. Aeroporto, quartos de hotel, boates, estações de TV, shows, bastidores, tudo serviu de fonte para o filme, que nunca foi lançado comercialmente. Em 1994, a Apple Corps, proprietária dos direitos autorais, reeditou o material e lançou “The First U.S. Visit”, desprezando o original. Por conta disso, a exibição de “What’s Happening!” só pode ser feita na presença do diretor, o que acontecerá às 21h, no Cinesesc. 

Paul, George, John e Ringo durante entrevista em Nova York: mania na Inglaterra e nos EUA (Foto: Getty Images)

Conheça abaixo curiosidades das duas semanas que os Beatles passaram nos Estados Unidos:

– Os Beatles desembarcaram no aeroporto internacional Idlewild (pouco depois rebatizado como John F. Kennedy), em Nova York, em 7 de fevereiro de 1964. Saíram de Londres perseguidos por 4 mil fãs e encontraram uma multidão de 3 mil nos EUA. A banda foi assediada por jornalistas, concedeu uma coletiva de imprensa e depois seguiu para o Plaza Hotel, já cercada por fanáticos.

– Embora já fossem um sucesso na Grã-Bretanha no início de 1963, demorou quase um ano para que a Capitol Records lançasse os discos dos Beatles em território norte-americano. O selo deve ter se arrependido do atraso. Verdadeira febre no país, o compacto de “I Want to Hold Your Hand” vendeu 2,6 milhões de cópias nos EUA nas duas semanas anteriores à chegada do grupo. As rádios chegavam a tocar a música mais de uma vez por hora.

Imprensa e fãs recebem a banda no desembarque do trem em Washington

– Dois dias depois de chegarem ao país, os Beatles se apresentaram no “Ed Sullivan Show”, um dos programas de TV mais populares dos Estados Unidos. A banda mostrou quatro músicas – “All My Loving”, “Till There Was You”, “She Loves You”, “I Want to Hold Your Hand” – e foi assistida por 74 milhões de espectadores, quase metade do total da população norte-americana. O sucesso foi tanto que na semana seguinte os quatro tocaram ao vivo da Flórida e, dias depois, o programa mostrou outras duas músicas gravadas (“Twist and Shout”, “Please Please Me”) e um reprise do hit “I Want to Hold Your Hand”.

– O “Ed Sullivan Show”, porém, não foi a estreia do grupo na televisão dos EUA. Em janeiro, o programa jornalístico “The CBS Evening News with Walter Cronkite” exibiu um especial sobre a beatlemania na Grã-Bretanha, com imagens filmadas em Londres e em outras cidades britânicas. A matéria teve impacto imediato nas vendas da banda nos EUA.

– Os Beatles lançaram o estilo de cabelo conhecido como “moptop” (“mop” é esfregão em inglês), que intensificou o burburinho em torno da banda. Enquanto os fãs copiavam o corte, as classes conservadoras dos Estados Unidos achavam tudo aquilo muito estranho – pais ficavam com medo dos filhos e os jornalistas não conseguiam distinguir um beatle do outro.

– “What’s Happening!” funciona, de certa forma, como um antecessor de “Os Reis do Iê Iê Iê”, primeiro filme de ficção estrelado pelos Beatles, lançado em julho de 1964. O documentário registra a beatlemania nos Estados Unidos, enquanto “A Hard Day’s Night” – nome original do longa – encena a perseguição da banda pelas ruas de Londres.

– Quando os Beatles deixaram os Estados Unidos no final de fevereiro, cerca de 60% dos discos vendidos no país eram da banda. Em março, as cinco primeiras posições nas paradas da Billboard eram músicas dos Beatles.

Paul e Ringo no quarto do hotel em New York: sucesso estrondoso começava ali

– Na época, os shows do grupo não passam de meia hora. A primeira apresentação ao vivo nos Estados Unidos aconteceu em 11 de fevereiro de 1964, no Washington Coliseum. No dia seguinte, o quarteto voltou para Nova York e tocou no Carnegie Hall, mais uma vez com ingressos esgotados. No próximo ano, a banda seria a primeira a se apresentar num estádio – o Shea Stadium, em Nova York.

Expoentes do documentário

Mas não foi só pelos filmes musicais – outros dois longas foram selecionados para o In-Edit, veja aqui – que os irmãos Maysleys são conhecidos. Os dois são responsáveis por introduzir o “cinéma vérité”, ou cinema verdade, nos Estados Unidos. Em vez de simular a ausência da câmera, os trabalhos da dupla fazem questão de deixar claro para o espectador a presença de uma equipe perante os entrevistados e usar o poder das lentes para extrair a verdade. Acaba-se com o jogo cena que reinava até então e surge um novo gênero, que combina a objetividade do jornalismo com a estética cinematográfica.

Quarteto genial em tempo de brincadeira, lado de fora do teatro, antes da apresentação

O primeiro grande filme dos Maysleys nesse sentido foi “Caixeiro-Viajante”, de 1968. Gravado em preto e branco, mostra a rotina de quatro homens tentando vender exemplares caros da bíblia em bairros pobres dos Estados Unidos e a dificuldade em atingir suas metas de venda. Na trilha sonora, inclusive, há uma música dos Beatles. Em 1976, os diretores concluíram outro longa considerado clássico: “Grey Gardens”. O filme segue as Beale, mãe e filha, primas de Jacqueline Kennedy Onassis, que moravam numa mansão imunda em East Hampton, balneário de alto padrão em Nova York.

As duas foram ameaçadas de despejo pela prefeitura por ameaça sanitária – elas viviam sem água e luz, em meio a lixo, gatos, guaxinins e uma infestação de pulgas. No momento em os Maysleys chegaram à casa, a situação já não era tão precária, mas “Grey Gardens” flagra a tensa relação entre mãe e filha – marcada por culpa e dependência psicológica – e identifica a falência da aristocracia norte-americana, que ainda sofria os efeitos da Grande Depressão.

John Lennon na porta do avião, seguindo pra Miami: carreira inesquecível…

Ícone pop, o documentário ganhou uma sequência em 2006, “The Beales of Grey Gardens”, com imagens nunca utilizadas pelos diretores, e deu origem, em 2009, a um filme de ficção homônimo feito para a TV, estrelado por Drew Barrymore e Jessica Lange, premiado no Emmy e Globo de Ouro.

Serviço – Albert Maysles no In-Edit Brasil 2011

“Gimme Shelter”
Cinesesc, São Paulo
Quinta-feira, 05, às 19h
O diretor vai encerrar a sessão

“What’s Happening! The Beatles in USA!”
Cinesesc, São Paulo
Quinta-feira, 05, às 21h
O diretor abrir a sessão

Masterclass em São Paulo
Museu da Imagem e do Som (MIS), sexta-feira (06), às 15h
Vagas esgotadas

*Marco Tomazzoni, do iG São Paulo

Buenos Aires Reverencia BEATLES

O primeiro museu da América Latina dedicado aos Beatles abrirá suas portas em Buenos Aires nesta segunda, 3 de janeiro, e exibirá os “tesouros” do maior colecionador de objetos do quarteto de Liverpool. 

 

“É o único museu sobre os Beatles cujo catálogo pertence a um colecionador privado. É realmente o único no mundo depois do The Beatles Story em Liverpool”, afirma o colecionador argentino Rodolfo Vázquez em declarações publicadas sexta-feira pelo jornal Tiempo Argentino, de Buenos Aires.

Vázquez entrou em 2001 no Livro Guinness dos recordes por sua coleção de objetos do grupo, que soma cerca de 8.500 itens, desde fotos e discos, vestuário, cheques assinados pelos integrantes da mítica banda e até uma caixa de preservativos com a imagem de John Lennon e Yoko Ono.

Grande parte destes objetos será exibida neste museu que funcionará dentro de um complexo cultural em pleno centro de Buenos Aires, onde também se rebatizará uma sala teatral com o nome de John Lennon.

No mesmo complexo, funciona há anos o Cavern Club Buenos Aires, um bar que recria a atmosfera do mítico pub The Cavern de Liverpool, onde os Beatles iniciaram sua bem-sucedida carreira.

da Agência EFE

John Lennon, Sempre uma Saudade…

30 anos sem John Lennon

 
A vida de John Lennon

Prefácio de Yoko Ono Lennon

Muito já foi escrito sobre John Lennon (1940-1980) e tantos mitos envolvem sua história. Músico, artista, autor, sonhador, visionário, ator, ativista político e herói cultural, às vezes é difícil distinguir o homem do mito. Para entendê-lo em suas diferentes facetas, a Escrituras Editora publica sua fotobiografia, A vida de John Lennon, com texto de John Blaney e editado por Valeria Manferto De Fabianis, publicação que celebra sua condição permanente como um ícone lendário do rock’n’roll.

O livro apresenta, em mais de 180 fotos, toda a trajetória de John Winston Lennon, desde sua infância aos últimos dias em Nova Iorque, o encontro com Paul MacCartney e George Harrison — que formaram sua primeira banda, a The Quarrymen –, os primeiros shows dos Beatles, as composições com MacCartney, as viagens para a Alemanha, que projetaram o grupo, a entrada de Richard Starkey, o Ringo Starr, com imagens do seu registro de nascimento e as gravações do filme How I Won The War.

Nascido em Liverpool, Inglaterra, no dia 9 de outubro de 1940, Lennon foi o único filho de Alfred e Julia Lennon. Aos cinco anos de idade, foi morar com os tios, e desde cedo começou a ler jornais e logo se apaixonou pelos livros, que ele devorava entusiasmado. Apesar da educação rígida, Lennon muitas vezes se metia em encrencas com brincadeiras na sala de aula. Apesar de ser brilhante, não tinha talentos acadêmicos e a rebeldia e a criatividade já eram evidentes.

Das agitadas canções pop adolescentes aos hinos de paz, Lennon se expressou com uma honestidade que raramente se viu. Com os Beatles, e depois em sua carreira solo, ele mudou a expressão da cultura popular para sempre.

No final da sua vida, colaborou com Yoko Ono e se dedicou a disseminar uma mensagem de paz e amor no mundo inteiro. Sua fama garantiu que seria um dos homens mais fotografados do século XX. As imagens deste livro registram muitos eventos e marcos de sua infância em Liverpool ao início dos Beatles, de seus projetos individuais inovadores ao seu relacionamento com Yoko Ono.

 A obra apresenta formato diferenciado, com capa flexível, mais de 180 fotos e prefácio de Yoko Ono Lennon. 

“Esse livro ilustra maravilhosamente a vida incrível de John Lennon. Uma vida mais estranha do que a ficção, e mágica, em vários aspectos. Como John disse: ‘A vida é o que acontece enquanto você está ocupado fazendo planos’. Divirta-se viajando no tempo com ele, em cada página deste livro. Quando eu o vejo nestas fotos, automaticamente olho nos olhos dele. Você vê que às vezes ele coloca o queixo pra cima, com um ar bem petulante. Mas seus olhos nunca perderam o brilho… que o mantinha sempre motivado. Espero que aprecie”.

Yoko Ono Lennon, no prefácio do livro

 

Sobre o autor:

John Blaney, grande fã dos Beatles, traz a experiência e a seriedade de um historiador profissional às suas obras. Seus livros anteriores incluem: Lennon and McCartney: Together Alone e Beatles For Sale. Além disso, escreve para a revista Shindig!. Nasceu em Devon, na Inglaterra, e foi estagiário como designer gráfico antes de começar a sua carreira como escritor de música. Depois, estudou história da arte na Camberwell College of Arts e na Goldsmiths College (ambas em Londres), antes de assumir sua função atual de curador de um museu de tecnologia.


Título: A vida de John Lennon

Prefácio: Yoko Ono Lennon
Título original: John Lennon: in his life
Texto: John Blaney
Editado por Valeria Manferto De Fabianis
Tradução: Silmara Oliveira
 
 
Gênero: Biografia / Fotobiografia / Música
ISBN: 978-85-7531-366-4
Formato: 25 X 29,5 cm, com capa flexível, mais de 180 fotos
Páginas: 272
Peso: 1,575 kg
Preço: R$ 78,00
Escrituras Editora

McCartney Condecorado

Ex-beatle Paul McCartney recebe do presidente dos EUA, Barack Obama, o prêmio Gershwin de contribuição à música

Ex-beatle Paul McCartney recebe do presidente dos EUA, Barack Obama, o Prêmio Gershwin de contribuição à música.

Viva PAUL McCARTNEY !

BEATLES FOREVER !!!