Arquivo da tag: Buenos Aires

Festivais em ritmo Inffinito

O Circuito Inffinito de Festivais está recebendo inscrições de curtas e longas www.inffinito.com

Os filmes devem possuir cópia final em 35mm ou HD, finalizados e/ou lançados para o grande público em 2011 e 2012 e serem produzidos por realizadores/produtores brasileiros ou radicados no país há mais de 3 anos.

A seleção dos filmes será feita pela curadoria do evento, formada pelas produtoras Paula Barreto e Ruth Albuquerque, pela diretora de Cultura do Oi Futuro, Maria Arlete Gonçalves, e pelo dramaturgo e cineasta Domingos de Oliveira. A escolha é feita a partir de critérios específicos de cada festival.

Em 2012, o Circuito Inffinito de Festivais será realizado nas cidades de Nova York, Vancouver, Miami, Londres, Buenos Aires, Montevidéu, Roma e Barcelona. No Brasil, a edição acontecerá no município de Canudos, na Bahia.

Confira as datas de cada festival:

5º Cine Fest Brasil – Canudos – 9 a 29 de abril
10º Cine Fest Petrobras Brasil NY – 9 e 16 de junho
4º Brazilian Film Festival of Vancouver – 18 a 22 julho
16º Brazilian Film Festival of Miami – 17 a 25 de agosto
4º Brazilian Film Festival of London – setembro
5º Cine Fest Brasil – Buenos Aires – 25 a 31 de outubro
3º Cine Fest Brasil – Montevideo – novembro
4º Cine Fest Brasil – Roma – novembro
5º Cine Fest Brasil – Barcelona – dezembro

Multidão Recebe Seleção Argentina

Multidão recebe jogadores da Argentina, em Buenos Aires
Multidão recebe jogadores da Argentina, em Buenos Aires

Maioria vestia camisa da seleção e levava bandeiras argentinas e cartazes com palavras apoio ao técnico Maradona.

O presidente da AFA, Julio Grondona, pediu a Maradona que comande a seleção no amistoso de agosto, contra a Irlanda, em Dublin.

Milhares de pessoas receberam neste domingo a seleção argentina no retorno da equipe a Buenos Aires, mesmo após a eliminação com derrota por 4 a 0 para a Alemanha nas quartas de final da Copa.

O time, que chegou ao aeroporto internacional de Ezeiza, foi levado da pista em um ônibus com escolta policial à sede da Associação de Futebol Argentina (AFA), onde se aglomeravam mais de 10 mil torcedores para saudar os jogadores.

Ônibus com time argentino é recebido com festa, em Buenos Aires
Ônibus com time argentino é recebido com festa, em Buenos Aires

Mafalda, a argentina, Emplaca Uma Década

Reprodução

Mafalda, personagem famosa, publicada em tiras de 1964 a 1973

As quatro décadas que separam a primeira tira de Mafalda do livro Que Presente Inapresentável não mudaram a forma de Quino interpretar o mundo. Nos anos 60, ao ouvir que a TV era “veículo de cultura“, Mafalda concluía: “Se fosse a cultura, descia do carro e ia a pé.” Em cartum da coletânea lançada em 2004, um homem constata, aturdido: “Graças à internet, agora posso ler a imprensa internacional e saber na hora que horror está o mundo.”

Três títulos que saem agora no Brasil – 10 Anos com Mafalda, com todas as tiras da personagem, publicadas entre 1964 e 1973, Humanos Nascemos, original de 1987, e Que Presente Inapresentável – permitem perceber como Quino encontrou diferentes maneiras de reiterar suas convicções ao longo da carreira. E foi por essa eficácia em retratar a evolução das mazelas do mundo que causou tamanha repercussão seu anúncio, em abril do ano passado, de que ficaria um tempo sem desenhar para “renovar ideias”.

“Sigo desenhando coisas para mim. O que não estou é publicando neste momento”, afirmou Quino, de Buenos Aires, em entrevista por telefone ao Estado, na última semana. “Estou sempre buscando temáticas que ainda não tenha abordado, e isso é muito difícil. É algo sobre o que prefiro não falar porque ainda não sei qual é a via a seguir.”

Quem acompanha de perto a trajetória do autor, no entanto, sabe que há outra razão para a pausa. Há dois meses, o cartunista passou por uma cirurgia no olho direito devido ao glaucoma do qual sofre. Não foi a primeira vez que se submeteu a operação contra a doença, que pode levar à cegueira; nos últimos anos, passou por uma série delas. Daniel Divinsky, editor de Quino na Argentina, já chegou a sentenciar: “Creio que o ‘até logo’ disfarce um ‘até nunca’. Para ele, é uma decisão dolorosa. O glaucoma foi se agravando, ele não vê com precisão para desenhar bem e fica insatisfeito com o que faz.”

Mas novas publicações do artista estão prometidas. A Ediciones de la Flor, que o publica na Argentina, afirma ter material para lançar uma série temática. Também por aqui deve sair, sem data definida, uma preciosidade.

Trata-se de Mundo Quino: primeiro volume com cartuns do argentino, de 1963, cujo prefácio da edição argentina dos anos 90 inclui um mea-culpa do autor. No texto, ele diz ser “estranha a sensação” de reencontrar um Quino com o qual se identifica e do qual se sente diferente. “Por um lado, era capaz de uma simplicidade e uma frescura que hoje invejo. Por outro, descubro-me autor de desenhos de um racismo que, para ser brando comigo, qualificaria de inconsciente, mas não menos detestável”, escreve.

Pessimismo. Hoje, Quino diz acreditar que não mudou. Ao menos, avalia, não se tornou mais pessimista do que era. “O mundo foi que mudou para pior, em especial após o 11 de Setembro, quando perdemos segurança. A política também piorou, perdeu muito terreno frente ao poder econômico”, argumenta. Mas parecia mais otimista o cartunista que, em 1987, na entrevista de abertura do volume 10 Anos com Mafalda, dizia acreditar que a “inteligência humana saberá sobrepor-se a todos os perigos”.

Nos dias atuais, a inteligência humana lhe parece uma praga. Na conversa com a reportagem, Quino reproduz argumentos negativos sobre os transgênicos (“Me parece que está muito mal regulado, ninguém controla como deveria fazer”). a internet (“Ela cria um excesso de informação entre gente que não se comunica pessoalmente, e isso me parece bastante triste”), o futebol (“Não há outro esporte que provoque tantas mortes e violência como ele. Me interessa só como fenômeno social”) e a projeção internacional do Brasil (“Isso foi algo já programado desde os tempos do Kissinger”). Proprietário de apartamentos em Buenos Aires, Madri, Paris e Milão, casado há 50 anos com a mesma mulher, Alicia Colombo, e admirador de vinhos e de boa comida, Quino parece ao menos interessado em tentar retirar do mundo o que de bom, apesar de tudo isso, ele ainda pode lhe oferecer.

10 Anos Con Mafalda

Autor: Quino. Editora Martins Fontes (R$ 52 – 193 páginas).

Humanos Nascemos

Autor: Quino. Editora Martins Fontes (R$ 45 – 126 páginas).

Que Presente Inapresentavel!

Autor: Quino. Editora Martins Fontes. (R$ 36 – 134 páginas).

MARADONA Lança Livro sobre a COPA

Obra será utilizada por professores argentinos durante a Copa do Mundo Foto: AP

Obra será utilizada por professores durante Copa do Mundo
Foto: AP

Diego Armando Maradona, técnico da seleção argentina, lançou ontem em Buenos Aires um livro educacional. A publicação, batizada de Os meios de comunicação e a Copa do Mundo da África do Sul 2010 será utilizado por professores, em aulas que serão dadas no país durante o próximo Mundial.

O evento contou ainda com Julio Grondona, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), e com Alberto Sileoni, Ministro da Educação do país. Ainda durante a apresentação, Maradona conversou com a imprensa e deu autógrafos a alguns dos que conseguiram se aproximar dele.

Em sua entrevista após a apresentação, Maradona fez uma série de elogios à sua seleção. “Confio nos homens que vou levar. Serão os que sabem o que representa a camiseta argentina”, disse o ex-craque, pedindo também que os alunos possam assistir aos jogos nas escolas durante a Copa. “As crianças merecem”, completou, bastante aplaudido.

TEATRO COLON, Uma Jóia Argentina

Teatro Colon será reaberto após três anos em obra de restauração. Foto: AP

A prefeitura de Buenos Aires anuncia: o Teatro Colón será reaberto em 24 de maio, depois de três anos em obras. A reabertura faz parte das comemorações do bicentenário da Argentina.

O Colón foi inaugurado em 1908, depois de 18 anos de construção, e é considerado por especialistas como um dos três melhores do mundo para óperas, por causa da boa acústica.

O palco do Colón recebeu as principais estrelas da ópera, como Luciano Pavarotti e Plácido Domingo.

O coordenador de obras da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Matteo Goretti, disse que a restauração do teatro custou US$ 100 milhões e envolveu mais de mil pessoas, entre técnicos e operários.

“Foi a primeira vez que foi fechado para obras. O teatro foi preservado, como era no original, como sempre foi, mas melhoramos sua infra-estrutura, usando os melhores produtos e tecnologia disponíveis no mercado internacional”, disse Goretti.

As mudanças incluíram a criação de seis novas saídas de emergência, além das duas existentes, e a substituição de material inflamável.

“Esse teatro não pegou fogo antes das obras por pura sorte. Ou, como dizem na Argentina, porque Deus é argentino”, afirmou.

A construção original seguiu o padrão europeu do século 19 e, segundo Goretti, muitos dos detalhes foram mantidos para não interferir na acústica. Um exemplo citado é o material no interior das 2,5 mil poltronas da sala de espetáculos: rabo de cavalo.

O brilho original dos detalhes em dourado de pilares, escadarias e sala chamada “salão dourado” também foi restaurado.

 A construção original seguiu o padrão europeu do século 19. Foto: Efe


As 4,5 mil lâmpadas dos lustres – um deles pesa mais de uma tonelada – foram encomendadas na Holanda.

E foram mantidos detalhes daquela época como os “palcos de viúva” – camarotes, através dos quais mulheres desacompanhadas podiam assistir aos espetáculos, mas não eram vistas pelo resto do público.

O porta-voz do secretário do Desenvolvimento Urbano, Sergio Levit, diz que o projeto foi resultado de uma licitação internacional.

Segundo o assessor, as entradas para os espetáculos deste ano já estão praticamente esgotadas.

MARADONA Tem Time Quase Completo

A pouco menos de dois meses para o início da Copa do Mundo, o técnico Diego Maradona revela ter apenas três dúvidas da lista de 23 jogadores que convocará para a competição na África do Sul. Segundo o treinador, apesar de ter chamado mais de 100 nomes desde que assumiu o comando da seleção argentina, no final de 2008, o time titular e os convocados já estão praticamente definidos.

 

 Os craques MESSI e TÉVEZ estarão na seleção de MARADONA para a Copa da África do Sul

“Já tenho confirmado 20 dos 23 nomes que viajarão para o Mundial”, confirmou Maradona na noite desta sexta-feira, em entrevista à Rádio FM Metro, de Buenos Aires. “Mas serão titulares os que estão 100% fisicamente”, ressaltou o treinador, que depois deu detalhes sobre a possível formação titular da Argentina na Copa. 

No meio de campo, Maradona garantiu que “os titulares são Jonás (Gutiérrez) e (Angel) Di María”. Já na defesa, o técnico acenou com a mesma formação que escalou no amistoso contra a Alemanha, no início de março, com uma linha de quatro composta por Nicolas Otamendi, Martin Demichelis, Walter Samuel e Gabriel Heinze. “Acho que vou jogar assim, são os que me dão mais garantias atrás”, justificou. 

Além disso, Maradona também citou alguns nomes que certamente estarão na lista final, como Javier Mascherano, Juan Sebastian Verón, Carlos Tévez e Lionel Messi, garantindo ainda a presença de Sergio Agüero, que era dúvida no concorrido ataque argentino. Assim, a única vaga restante na frente deve ser disputada entre Diego Milito, da Internazionale de Milão, e Martín Palermo, do Boca Juniors

Arquivo/AE

Estou muito tranquilo, sabendo que os garotos que tenho na cabeça estão indo muito bem e que graças a Deus não há lesionados. Isso é o mais importante”, comentou Maradona. “O Mundial dura um mês e temos que ter jogadores que ocupem várias posições”, concluiu o ídolo argentino.