Arquivo da tag: Camp Nou

MESSI faz passeio em campo e dá novo Show pelo Barça

O bicampeão da Fórmula 1, Sebastian Vettel, e sua namorada estavam nas arquibancadas do Camp Nou. Mas em dias de jogos do Barcelona, todos os olhares se voltam para o craque argentino Lionel Messi. Isso é incontestável.

MESSI entra em campo… precisa dizer mais ?

MESSI deu mais um show e, com quatro gols, comandou a goleada de virada por 5 a 1 sobre o Valencia, neste domingo, pela 24ª rodada do Campeonato Espanhol. O também hermano Pablo Piatti abriu o placar para os visitantes, enquanto Xavi fechou o placar nos acréscimos.

Messi comemora gol do Barcelona contra o Valencia (Foto: AP)
Messi segue encantando todo o Planeta Bola e está a 13 gols de se tornar o maior artilheiro do Barça (AP)

Estatísticas impressionam

MESSI, que chegou aos 27 gols na competição, apenas um atrás do português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, também atingiu importante marca, tornando-se o mais jovem a atingir 200 jogos em Campeonatos Espanhóis – com 24 anos e 240 dias de idade. Esta também foi a segunda vez em sua carreira que fez 4 gols num só confronto – a primeira havia sido diante do Arsenal, pelas quartas de final da Liga dos Campeões de 2009/2010.

Messi marca gol do Barcelona sobre Diego Alves do Valencia (Foto: Getty Images)

MESSI venceu Diego Alves no segundo gol e em outra três oportunidades: brasileiro teve boa atuação (Getty)

Na atual temporada, o astro acumula 42 gols em 40 jogos, com direito ainda a 19 assistências, e está próximo de quebrar novo recorde. Com 222 gols no total, a diferença para César, o maior artilheiro da história do clube, é de apenas 13 tentos. A expectativa é de que ele alcance o topo dos goleadores catalães até maio, quando terão fim todos os campeonatos de 2011/2012.

Desta forma, os catalães voltam a ficar a dez pontos do líder Real Madrid na tabela de classificação (61 a 51). Restam agora 15 partidas, entre elas o Superclássico no Camp Nou – e 45 pontos em jogo –, o que ainda alimenta as esperanças de um tricampeonato por parte do time comandado por Josep Guardiola.

Vettel no Camp Nou durante jogo do Barcelona (Foto: EFE)

Vettel e a namorada foram ofuscados pelo show de Messi no Camp Nou (Foto: EFE)

Lionel Messi, ou “a pulga” – como o apelidou alguém da imprensa – por ser baixinho e impossível detê-lo… Benza Deus !

Poesia de CARPINEJAR: Como um GOL de MESSI…

Quem me conhece, tá cansado de saber: quando gosto, meu gostar é pra valer; se me apaixonar, sai da frente…

Pois desde que conheci os versos do poeta gaúcho Fabrício Carpinejar, apaixonei-me pela prosa e a poesia dele.

Mérito exclusivo do escritor, que abusa do singular direito de encantar…

Pois não é que acabo de ser surpreendida com um texto atordoantemente lindo do poeta (cuja parceria muito deve honrar a Mário Corso), flagrando e traduzindo na mais fina escrituração poética os dribles, passes, jogadas, enfim, a maestria do absolutamente craque argentino LIONEL MESSI ?!

O texto é uma pérola, indicado por minha querida amiga Luziany Gomes, que, sabendo de minha ligação intensa com o mestre de todas as bolas, me presenteou com esta preciosidade.

Um texto que, tivesse eu o talento, o olhar e a sensibilidade de CARPINEJAR, talvez levasse minha assinatura, antes mesmo da do poeta.

O que você vai ler a seguir, eu teria o MAIOR ORGULHO DE ASSINAR.

Salve, CARPINEJAR !

E obrigada por nos presentear a todos, sobretudo nós, tietes e admiradores atentos e maravilhados ante a atuação de MESSI, com esta preciosidade em forma de crônica.

GOL DE PATINETE

Fabrício Carpinejar e Mário Corso

Maradona não pode ser comparado a Pelé, mas Messi sim, ele já mostra fagulhas do impossível, risca fósforos das chuteiras, entra na pequena área com archotes, ilumina a caverna das traves com rupestres e desenhos incríveis. As redes deveriam ser retiradas depois de seus gols.

O que ele aprontou contra Arsenal é antológico. Seu primeiro gol será tão reprisado quanto a derrubada das torres gêmeas. Nasceu com moldura. O argentino recebeu enfiada de Iniesta e deu um chapéu no goleiro Almunia e concluiu sem deixar a bola cair. A questão é o curto espaço da operação, um rasgo para cima, lembrando os dribles para dentro dos santistas Canhoteiro e Edu.

Foi, na verdade, uma bicicleta de frente, criou o gol de patinete. A bola e o goleiro estavam em outra rotação, muito mais lentos; Messi congelou o tempo para encobrir e botou o tempo a correr novamente ao arrematar. A bola sobe com efeito, como se zombasse das mãos do arqueiro. Não há jogo de corpo do atacante, mas jogo de corpo da bola. A bola joga para Messi.

Talvez seja o tento mais perfeito que se viu no Camp Nou. Esperava-se o toque ao lado para limpar o goleiro. Não, ele toca por cima, numa manobra absolutamente original. Essa é a diferença do gênio para o craque, da estrela para o cometa. Messi não diviniza o banal, desembaraça o divino. Amplia o repertório, não permite um mínimo de descuido e desatenção do torcedor. Qualquer lance dele cheira a milagre. Ele não corre, aparece; ele não chuta, coloca; ele fundiu balé com futebol de salão.

Não há jogo ruim, no mínimo boas atuações alternadas com levitações demoníacas. Seu pé esquerdo é uma centopeia delirante. Comprova que os canhotos não surgiram para a mendicância técnica. São reis do ilusionismo.

Ele não realizou sua obra-prima em cima do Olaria, mas na poderosa esquadra do Arsenal em oitavas de final da Liga dos Campeões. Sacramentou a vitória de 3 a 1 sobre o vice-líder do Campeonato Inglês.  Alguns podem alegar que ele não oferece o mesmo espetáculo defendendo a Argentina. Calma, calma, o Barcelona é uma seleção (assim como o Santos da década de 60), a Argentina que é o clube. Messi não repete suas performances de gala no combinado do seu país porque não há como, é uma confusão política, de desmandos e superstições.

No Espanhol, o artilheiro atingiu 77% de acerto nas finalizações, o maior índice da história. Contabiliza 27 gols em apenas 116 conclusões – marcou a cada 4,3 chances que teve.

É um centroavante completo e um meia esplêndido, concilia o talento magnético na condução da bola e o oportunismo de matador. Impossível marcá-lo. Há algo de maduro em seu rosto, lampejo de tigre, e só tem 23 anos.

Repare que nem comemora o gol, acena, agradece com sinal da cruz. Sua comemoração nunca é explosiva, parece que não quer diminuir o lance com coreografias animadas; só aceita dançar com a bola, não trai sua parceira de tango.

Deseja o lance seco, curto, sem música de fundo. O futebol essencial, o futebol pelo futebol.

A sensação que nos passa é que a finalização letal consumiu toda sua energia criativa. Desce um degrau durante a euforia, enquanto o hábito da maioria é se sentir melhor com o gol. 

É um erro pensar que jogar com alegria diferencia o jogador. Ele precisa jogar com todos os sentimentos misturados, com tristeza também.

Se Lionel Messi encanta desse jeito com aplausos, ficamos imaginando o que faria num acesso de raiva e fúria. Se ele age assim para calar o adversário, o que seria capaz de encenar para calar a torcida.

Está na hora de vaiar Messi. Vaiar com vontade. Daí ele conhecerá a perfeição que vem com a vingança. Conhecerá o cisne negro. A outra metade de Pelé que lhe falta. 

Ele não corre, aparece; ele não chuta, coloca; ele fundiu balé com futebol de salão.

MESSI FAZ 2 e DÁ NOVA VITÓRIA ao BARÇA

Messi faz dois, iguala recorde de Ronaldo e dá o BI ao Barcelona

barcelona comemora gol sobre o valladolidBarcelona comemora (Foto: AFP)

O Barcelona confirmou seu favoritismo e, com uma vitória por 4 a 0 sobre o Valladolid, no Camp Nou, conquistou neste domingo o bicampeonato espanhol. Prieto (contra), Pedro e Messi (duas vezes) fizeram os gols que asseguraram aos catalães o vigésimo título nacional de sua história.

Com os gols que marcou, Messi igualou o recorde histórico de Ronaldo, que em 1996-1997 terminou a temporada com 47 tentos (melhor desempenho do clube em todos os tempos). Só pelo Campeonato Espanhol, Messi fez 34 gols.

 Outro recorde obtido foi o da pontuação do Barcelona. A equipe atingiu a marca inédita de 99 pontos. Foram três a mais do que o vice Real Madrid, que nesta última rodada não passou de empate com o Málaga (1 a 1). Com a derrota diante do Barça, o Valladolid foi rebaixado.
messi comemora, barcelona x valladolid
MESSI e PEDRO: pura alegria (Foto: EFE)
 

ARGENTINO fecha com BRILHANTISMO INVEJÁVEL

No segundo tempo, praticamente campeão, o Barça fez o que sabe de melhor: tocou a bola. O time não correu riscos e ainda ampliou, justamente com seu maior craque. Touré fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para Messi, gol vazio, empurrar para a rede.

Quem pensou que o show havia terminado, se enganou. Ainda houve tempo para mais um gol de Messi. Aos 31, o camisa 10 recebeu bola na entrada da área, passou por dois marcadores e bateu cruzado para fazer o 4 a 0. Foi a senha para a festa no Camp Nou.

SARAVÁ, MESSIIIIII !!!