Arquivo da tag: cariri cearense

De Borboletas, Sonhos, Amores e Abandonos…

Sexta e sábado, juazeiro poderá ver Peça A Mecânica das Borboletas, com um time de ótimos atores !

É por demais interessante o espetáculo A Mecânica das Borboletas, que será apresentado amanhã e sábado no Teatro do SESC de Juazeiro do Norte, no cariri cearense. 

Com dramaturgia de Walter Daguerre e direção de Paulo Moraes, os atores Eriberto Leão, Otto Jr., Betina Vianny e Ana Kutner conduzem a história no palco. O tema é bem conhecido, forte, instigante: a história de uma família marcada pelo abandono e de pessoas que estacionaram seus sonhos por fraqueza, medo, falta de determinação e/ou acomodação.

Numa pequena cidade do sul do Brasil, que poderia ser também qualquer cidade
de qualquer país, os irmãos Rômulo (Eriberto) e Remo (Otto), separam-se aos 15
anos, quando um deles desaparece de casa – levando todas as economias da
família – para “fazer o mundo”. Ao voltar, 20 anos depois, Rômulo encontra um
cenário extremamente modificado: é outra a atmosfera sentimental, são outras as condições familiares. Para criar a ambiência cênica do espetáculo, Paulo Moraes e Carla Berri assinam um cenário poeticamente funcional, enriquecido pela bela iluminação do craque Maneco Quinderé, enquanto Rita Murtinho responde pelo figurino e Rico Vianna pela caprichada trilha.

Os irmãos, de personalidades distintas, tiveram caminhos diversos porque
diversos foram os caminhos trilhados. Depois de duas décadas distantes, o
inesperado retorno de Rômulo reaviva antigas rivalidades, e faz ascender mágoas e conflitos ao explicitar o contraste das experiências vividas, evidenciador de perdas e ganhos. Perderam e ganharam todos. o quanto cabe a cada um nessa equação, depende do olhar e da sensibilidade de cada um.

Como diz o aclamado crítico Lionel Fischer em sua análise do espetáculo: “Um belo texto de Walter Daguerre está inserido no programa distribuído ao público e nele o autor explicita as razões que o levaram a escrever A mecânica das borboletas. Em resumo, expõe uma contradição: se por um lado deseja uma vida pacífica, isenta de tecnologias e dos turbilhões inerentes aos grandes centros urbanos, por outro lado também almeja uma existência eletrizante e sempre renovada, o que implicaria em sair pelo mundo e conhecer o maior número possível de países”.

Liza, a filha (vivida por Ana Kutner, filha da Musa Dina Sfat), e Rosália, a mãe
(papel de Betina Vianny), são as outras personagens. Juntos, esses 4 dão conta de vivenciar no palco um texto de inegáveis qualidades, focando temas de amplidão universal e atemporal.

Betina

Cabe a Betina Vianny (filha do saudoso jornalista, crítico e cineasta Alex Vianny) a primeira entrada no palco. E os primeiros cinco minutos de um espetáculo são fundamentais para o desenrolar satisfatório ou não de sua dramaturgia. E aqui A Mecânica das Borboletas acerta duas vezes: a entrada de Betina tem força e beleza, calcada num dos momentos mais belos e delicados do espetáculo, ocasião em que Daguerre inspira-se claramente em Shakespeare e reafirma a importância de se “cuidar do jardim para que as borboletas possam aparecer”. E os autores – escritor e diretor – parecem ter encontrado a atriz certa para dizer as melhores palavras: Betina aparece lindamente serena, terna e eloquente no palco, e conquista o espectador de imediato. É ela quem abre o caminho à adesão da platéia ao espetáculo, e a atriz o faz com riqueza de detalhes. Nota DEZ !

Na sequência, temos a sólida construção do personagem Otto pelo ator Otto Júnior – grata surpresa ! -, a presença bonita e enigmática de Ana Kutner, e a explosão de sentimentos que nos traz o ótimo Eriberto Leão, ator em merecida ascensão graças à notória dedicação ao ofício, ao carisma e ao talento sensível e poderoso que faz dele um dos ótimos exemplos de sua geração.

E assim, diante de um espetáculo recheado de qualidades, com direção
competente e em completa sintonia com o vigor da dramaturgia encenada, além do naipe de atores da melhor qualidade, só temos a indicar a você, leitor, a ida ao
Teatro para ver A Mecânica das Borboletas. Agora o espetáculo chega a Juazeiro, mas daqui a pouco poderá estar chegando à sua cidade, e terá o mesmo padrão. Portanto, recomendamos: vá ao Teatro !

  

Ao dramaturgo Walter Daguerre, nossa estima e votos de que continue se
dedicando à Dramaturgia, arte por demais difícil e fascinante, na qual se insere
com saudável conhecimento de causa.

A ele, e a toda equipe de A Mecânica das Borboletas, o blog Aurora de Cinema envia um super abraço com os melhores brados de Parabéns ! E que os Aplausos possam ecoar e reverberar sempre em vossas carreiras.

Em Juazeiro, o espetáculo será apresentado em duas noites: sexta e sábado,
sempre às 20 horas, no Teatro Sesc Patativa do Assaré, localizado na Rua da Matriz, no centro da cidade.

A peça tem apoio logístico da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Juazeiro do
Norte. A entrada custa R$ 50,00 e meia R$ 25,00. Censura 12 anos.

Marco Pigossi, Eriberto Leão e Malvino Salvador após estreia de peça no Rio (Foto: Henrique Olivveira/ Photo Rio News)

Eriberto Leão recebe cumprimentos dos amigos Marco Pigossi e Malvino Salvador na estreia carioca de ‘A Mecânica das Borboletas’…

Cultura & Música: 5 anos de informação e boa música no rádio

Programa patrocinado pelo Banco do Nordeste é veiculado toda segunda-feira pela Universitária FM de Fortaleza…

A atriz e produtora Denise Dumont conversa com Nelson Augusto eAurora Miranda Leão no Cultura & Música

Organizado em módulos, o Cultura & Música conta com os quadros Agenda do Centro Cultural Banco do Nordeste, Arte em Conversa, Pelas Ruas que Andei, O Assunto é Cinema, Chão Sagrado, Conexão Nordeste, Espelho Cristalino, Como é Bom Poder Tocar um Instrumento, e Música para Ler, além de mostrar, ao final de cada programa, uma versão diferente da canção Asa Branca, composição de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira transformada em clássico da música brasileira e hino da região Nordeste. Em todas as audições, acontece sorteio de produtos culturais (livros, cd e dvd), viabilizados com patrocínio do Banco do Nordeste.

Henilton Menezes, titular da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura do MinC, entrevistado no Cultura & Música…

Veiculado toda segundas-feira, das 16h às 17 horas, pela Universitária FM de Fortaleza, o programa Cultura & Música, apresentado pelos jornalistas Aurora Miranda Leão e Nelson Augusto, completa 5 anos no ar no próximo dia 6 de agosto.

A banda cabaçal dos Irmãos Aniceto esteve no Cultura & Música e virou registro audiovisual de Aurora de Cinema

Por conta disso, o programa receberá o gerente do Ambiente de Gestão da Cultura do Banco do Nordeste, o fotógrafo e cineasta Tibico Brasil, que vai falar sobre a bem sucedida política de apoio à cultura implementada pela instituição através de ações como os centros culturais de Fortaleza, Sousa (no alto sertão paraibano), e Juazeiro do Norte, no cariri cearense. Tibico Brasil também falará sobre o Programa de Cultura Banco do Nordeste – BNDES e os editais de ocupação dos centros culturais mantidos pelo Banco do Nordeste, além de também poder interagir com o público que participa do programa através do telefone.

Aurora e a cantora Daúde, que também já mostrou seu carisma e sua bela voz na Universitária FM…

Luiz Gonzaga: no ano do centenário, destaque no Cultura & Música

Ainda este mês, o Cultura & Música inaugura um novo quadro, A Hora do Rei, o qual será acrescentado para homenagear o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, no ano de seu centenário de nascimento.

Aurora Miranda Leão entrevista o artista e produtor Bené Fonteles…

O programa Cultura & Música é produzido pelo cantor/compositor e produtor musical Calé Alencar, e tem apoio da Casa da Memória Equatorial, podendo ser acompanhado via web pelos seguintes endereços: www.radiouniversitariafm.com.br, www.auroradecinema.wordpress.com, e www.nelsons.com.br

Em “Dia de Rock” no C & M, tema que garante sempre muita participação dos ouvintes…

O pianista e compoitor Ricardo Bezerra fez visita-supresa ao programa em dia de entrevista com a também compositora Mona Gadelha

A equipe do Cultura & Música: os operadores Antônio Carlos Lima e Zé Raimundo, Aurora Miranda Leão, Calé Alencar e Nelson Augusto…

Tibico Brasil vai retornar ao Cultura & Música para falar sobre as ações do Centro Cultural Banco do Nordeste neste ano em que o Banco do Nordeste comemora 60 de atividades…

SERVIÇO

Programa CULTURA & MÚSICA

Quando: segunda, 6 de agosto

Hora: 16h

Onde: Rádio Universitária FM

SINTONIZE: 107, 9 MHz

Nelson Augusto, Aurora Miranda Leão, Fernando Pessoa, e alguns ‘bluseiros’, entre eles, Felipe Cazaux, Artur Menezes e Kazane….

A Fábula de Mulheres de Rosário

CARTAZ ROSÁRIO.jpg

Rosário é uma fábula de mulheres, deusas e animais preparada para o espectador na forma de um ritual. O espetáculo se inspira, em especial, na simbologia da coroação de reis negros, sempre viva nos congados mineiros e em outros folguedos brasileiros. Esta experiência cênica revela aspectos das formações identitárias brasileiras a partir do encontro de culturas diversas em novo território e a religiosidade como dispositivo de sobrevivência e técnica de resistência numa realidade hostil.
 
Ancorado no contato com manifestações populares como os reisados e romarias da região do Cariri, na pesquisa vocal e na força dos cantos tradicionais, o espetáculo solo da atriz Felícia de Castro manifesta um ritual feminino e poético. Através de canções e explosões de textos, a atriz traz à cena um rosário de mulheres em uma única prece. Um corpo dilacerado pelo corte da desterritorialização traduz no acontecimento cênico um ciclo de crueldade, criatividade, luta e reinvenção de si mesmo pela beleza e pela fé. Uma fábula pessoal que recria imagens de terra, mar, mãe, rainhas, coroações, cortes e catarses. 
 
FICHA TÉCNICA:

Concepção, pesquisa e Atuação – Felícia de Castro
Direção e Preparação Vocal– Demian Reis
Assistência de direção – Carolina Laranjeira

Assessoria em danças brasileiras – Rafael Rolim
Iluminação e operação de luz – Eduardo Albergaria

Figurino – Rino Carvalho
Trilha Sonora – Fabiano de Cristo e coletivo rosário
Operação de som – Ana Carla Silva

Produção – Viviane Jacó

Assessoria de Imprensa – Dayane Pereira
Arte Gráfica e Fotografias – Eduardo Ravi
Cenografia e Adereços (boi e coroa) – Maurício Pedrosa e coletivo rosário
Costura – Angélica Paixão
TEATRO DO ICBA (corredor da Vitória, 1809, telefone: 3338 4700).

Quando: 05 a 27 de agosto de 2010 /Quintas às 14h e 20h, Sextas às 20 h.
Quanto: Valor: R$ 10,00 e 5,00 
Realização: Felícia de Castro
Site: espetaculorosario.blogspot.com