Arquivo da tag: Cavi Borges

Trilhas do FECIM: Aprender Cinema de graça em Muqui…

Cavi Borges e Luiza Lubiana vão ministrar oficinas. Inscreva-se !

Beleza preservada: Muqui tem o maior sítio histórico tombado no Espírito Santo

Abertas inscrições para as oficinas de realização audiovisual promovidas pelo 1º Festival de TV e Cinema Independente de Muqui, o FECIM. As oficinas serão ministradas pelos cineastas Cavi Borges (RJ) e Luiza Lubiana (ES), e acontecerão na antiga Estação Ferroviária do município.

Cavi Borges: convidado a transmitir lições de produção no I FECIM…

As oficinas são gratuitas, mas as vagas são limitadas e não necessitam de requisito. Para efetuar a inscrição, basta enviar e-mail para contato.fecim@gmail.com solicitando interesse na participação. O Festival acontece de 1 a 4 de novembro, no sítio histórico de Muqui.

Outras informações: www.fecim.com.br 

De 1 a 3  de novembro 

Oficina:  Roteiro para cinema e Vídeo – estendendo para decupagem e roteiro técnico, linguagem cinematográfica e Direção.

Ministrante: Luíza Lubiana

Local: Auditório Wolfango Ferreira / Estação Ferroviária de Muqui

HORÁRIO: 9h às 11h

25 vagas 

PALACETE BIGHI: sede da SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO, CULTURA, ESPORTE e LAZER de Muqui…

Dia 2/11

Oficina: Produção colaborativa e em rede  de parcerias.

Ministrante: Cavi Borges (RJ)

Local: Auditório Wolfango Ferreira – Estação Ferroviária de Muqui.

Às 14h         30 vagas

UM POUCO MAIS SOBRE MUQUI

O clima nostálgico faz parte da viagem à Muqui. As construções preservadas, a antiga Estação Ferroviária, a rua principal – que, por toda a sua extensão, acompanha a linha do trem -, e a imponência da Igreja Matriz, localizada nessa mesma rua.

Muqui nasceu em 1902 e em 1912 tornou-se. Daí, estarmos no ano do Centenário de MUQUI, a Cidade Menina… 

Na época do café, Muqui foi um pólo produtor, uma cidade rica, na qual viviam as famílias do café, da aristocracia cafeeira. Além da contribuição arquitetônica, o passado musical é outro forte da cidade, também herança da exuberância econômica deste ciclo do café.

Casario antigo do Centro Histórico de Muqui, berço do café e de grande tradição musical..

Para se ter uma pequena ideia, Muqui conta com mais de 50 pianos, todos antigos – com 80 a 100 anos de vida, em bom estado de conservação e, muitos, em plena atividade. Além disso, os muquienses apreciam e são acostumados com a música clássica até hoje.

PALACETE GERALDO VIANA, um dos mais bonitos do centro de Muqui…

Assim,  MUQUI é conhecida principalmente pela preservação de grande parte dos casarios construídos  no começo do século XX (época áurea do ciclo do café), e por sua riqueza cultural, representada nas manifestações folclóricas e artísticas, sobretudo através do Carnaval do Boi Pintadinho e do Encontro Nacional de Folia de Reis.

Folia de Reis: manifestação típica tem muita força em Muqui…

Cidade de Deus – 10 anos depois: você também deve entrar nessa !

O bilhete que peço pra você compartilhar é do produtor e cineasta CAVI BORGES, o querido amigo CAVI. Ele e sua turma estão lutando para concluir um projeto documental e, já na reta final, a grana acabou.

Cavi Borges: em busca de recursos para finalizar documentário…

Leia o que vem a seguir e colabore, como puder.

Documentário “CIDADE DE DEUS – 10 anos depois” pede ajuda aos amigos e parceiros ! 

Depois de 17 dias de filmagens (cerca de 40% total do filme), nosso pouco dinheiro (40 mil) acabou. Estamos tentando editais, pré-vendas para tvs e possíveis patrocinadores mas até agora nada. Talvez alguma grana, mas só no segundo semestre. Como queremos muito terminar nosso filme ainda este ano – para cumprir com os “10 anos depois” – não podemos parar agora.

Alice Braga grava seu depoimento para Cidade de Deus – 10 anos depois

Como na Cavídeo é pelas vias tradicionais mesmo, tive aqui uma idéia e quero compartilhar com meus amigos e parceiros, e ver quem topa participar :

* Quem puder pagar 50 reais, poderá assistir ao filme com a equipe, em primeira mão (provavelmente em setembro) numa sessão especial.

* Quem puder entrar com 100 reais, poderá participar do último dia de filmagem, que será um grande churrasco e uma “pelada” de futebol no campo do alto do Vidigal com a presença dos atores do filme, no inicio de junho. Além também de poder ver o filme antes de todos na sessão da equipe.

* Quem não puder entrar com nada, tranqüilo…..pelo menos compartilha aqui no facebook esse post ou manda para sua mala direta para mais pessoas ficarem sabendo. Sem esquecer que todos os parceiros terão o nome creditado no filme como colaboradores. OBS: quem também quiser ajudar com mais, fique à vontade.

Ficamos muito agradecidos !!! Os dados bancários da CAVÍDEO (produtora do filme) estão abaixo: Banco: BRADESCO –

Conta corrente: 021495-7             Agência: 1745-0

OBS: quem preferir, pode deixar o dinheiro num envelope nominal na locadora . Por favor, enviar email de confirmação da ajuda com nome, telefone e endereço para cavicavideo@gmail.com

Conto com vocês !!! A família Cavídeo agradece !!!!

que tem feitos filmes muito bacanas e super premiados, e cujo titular é um misto de simpatia, talento, inteligência e generosidade, apoiando constantemente quem procura a Cavídeo para qualquer amparo à sua produção audiovisual.

TODO APOIO à nova produção CAVI BORGES !

Todo Apoio ao documentário CIDADE DE DEUS – 10 anos depois !

 

CINEMA faz bonito em Sergipe e Aurora de Cinema confere

O dia no festival de cinema de Sergipe teve hoje seu ápice com o colossal passeio turístico a MANGUE SECO – lugar de tanta beleza que já foi pra televisã oe pro cinema, várias vezes.

Tony viegas, Aurora M. Leão, Rosângela Rocha (!) e Amilton Pinheiro

Beth Formaggini, uma presença sempre iluminada: encontro de ouro em Aracaju…

Cavi Borges, Aurora, Flávio Bauraqui e Amilton Pinheiro rumo à ilha da Sogra e ao Mangue Seco… pense num dia bommmmmmmm !

A poética simplicidade das moradias da comunidade de Mangue Seco…

Setembro de Curtição de Cinema em Sergipe

 A 11a edição do  Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, o CURTA-SE, acontece de 12 a 17 de setembro, em Aracajú. O Curta-SE é um festival de cinema focado na produção Iberoamericana, com programação para todas as idades. Além da capital sergipana, acontece também em outras duas cidades: Estância e São Cristóvão

O Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe aconteceu pela primeira vez como parte do Encontro Regional de Comunicação (Erecom)na Universidade Federal de Sergipe. Em sua segunda edição, passou a contar com produções portuguesas, numa parceria com o Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria, e virou o Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe.

De lá para cá, o festival cresceu muito e abriu as portas para filmes da Espanha e de países latino-americanos, passando então a ter o nome atual.  Há dez anos, contava 50 inscritos e hoje esse número subiu para 605 inscrições.

Em sua 11ª edição em 2011, o CURTA-SE vai oferecer, além das mostras competitivas, oficinas, seminários e workshops gratuitos.  Em lugares alternativos, e nas cidades do interior do estado, acontecem as mostras informativas.

Programação CURTA-SE 

ONDE

Em Aracaju, Estância e São Cristóvão

Filmes selecionados: 

Curta 35mm

Eu não quero voltar sozinho -Daniel Ribeiro, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

Janela Molhada – Marcos Enrique Lopes, 2010, Cor/ P&B, Documentário, Recife-PE

Melhor idade – Angelo Defanti, 2011, Cor, Ficção, Niterói-RJ

A mula teimosa e o controle remoto – Helio Villela Nunes, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

O contador de filmes – Elinaldo Rodrigues, 2010, Cor, Documentário, João Pessoa-PB

A dama do Peixoto – Douglas Soares e Allan Ribeiro, 2011, Cor, Documentário, Rio de Janeiro-RJ

Angeli 24h – Beth Formaggini, 2010, Cor, Documentário, Rio de Janeiro-RJ

Dulce – Iván Ruiz Flores, 2011, Cor,  Ficção, Madrid-ESP

O céu no andar de baixo – Leonardo Cata Preta, 2010, Cor, Animação, Belo Horizonte – MG

Procura-se – Iberê Carvalho, 2010, Cor, Ficção, Brasília-DF

Mantegna – Melo Viana, 2011, Cor, Ficção, Curitiba-PR

Fábula da corrupção – Lisandro Santos, 2010, Cor, Animação, Porto Alegre-RS

El cortejo – Marina Seresesky, 2010, Cor, Ficção, Madrid- ESP

Naiá e a Lua – Leandro Tadashi, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

Lápis de cor – Alice Gomes, 2010, Cor, Ficção, Rio de Janeiro-RJ

Cerveja Falada – Guto Lima, Demetrio Panarotto e Luiz Henrique Cudo, 2010, Cor, Documentário, Florianópolis-SC

Náufragos – Gabriela Amaral Almeida e Matheus Rocha, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

Retrovisor – Eliane Coster, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

Solene Simpatia – Pedro Dell’Orto ,2011, Cor, Ficção, Salvador-BA

Cinderela – Magali Magistry, 2011, Cor, Ficção, Rio de Janeiro-RJ 

Longas

A Terra da Lua Partida – Marcos Negrão e André Rangel, 2010, Documentário, Cor, Rio de Janeiro-RJ.

Sonho de verão – Paulo César Fajardo, 2011, Ficção, Cor,  Coimbra-Portugal

Luz Teimosa – Luís Alves de Matos, 2010, Ficção, Cor/ P&B, Lisboa-Portugal

Riscado  – Gustavo Pizzi, 2010, Ficção, Cor, Rio de Janeiro-RJ

Aficionados – Arturo Dueñas, 2010, Ficção, Cor, Madrid- Espanha 

 Riscado, filme de Gustavo Pizzi, com produção de Cavi Borges, deu a Karine Telles o KIKITO de Melhor Atriz em Gramado…

Vídeos Sergipanos

Entre a primeira e a ultima vez – Ítalo Lucas de Melo, 2011, Cor, Ficção, Aracaju-SE

Liah – Nucleo de Produção Digital Orlando Vieira, 2010, Cor, Ficção, Aracaju-SE

Lembranças – Marlon Delano, 2010, Cor, Ficção,  Aracaju-SE

Xandrilá – André Aragão, 2011, Cor, Ficção, Aracaju-SE

A primeira rosa – Luciana Oliveira, 2010, Cor, Ficção, Nossa Senhora do Socorro-SE

Simbolique – Jamson Madureira, 2010, Cor, Ficção, Nossa Senhora do Socorro- SE

Vestígios Pré-históricos no Cariri Paraibano – Vinícius de Souza Melo, 2010, Cor, Ficção, Aracaju -SE

Foi apenas um sonho – Eudaldo Júnior, 2011, Cor, Ficção, São Cristóvão

Do outro lado do rio – Nucleo de Produção Digital Orlando Vieira, 2010, Cor, Ficção, Aracaju-SE

Peregrino – Josivaldo Oliveira Silva, 2011, Cor, Documentário, Aracaju-SE 

Vídeos de bolso

Estesia – Roberto Mamfrim, 2011, Cor, Ficção, São  Paulo- SP

Su imagen es como El tiempo infinito – Igor Amin, 2010, Cor, Ficção, Belo Horizonte- MG

Saltos Amazônicos – Liana Amin e Igor Amin, 2011, Cor,Ficção, Belo Horizonte- MG 

Verbena e Limão – Lucas Sá e Lucas Kurz, 2010, Cor, Ficção, São Luiz-MA

Tiro pela culatra – Erico Rassi, 2010, Cor, Ficção, São Paulo-SP

Os sonâmbulos – Igor Amin, 2011, Cor, Ficção, Belo Horizonte-MG

Political swim – Vinicius Cabral, 2011, Cor, Ficção, Belo Horizonte-MG

O eterno – Nelson Antônio, 2010, Cor, Ficção, Salvador-BA

Fun Fun Fun – Vinicius Cabral, 2010, Cor, Ficção, Belo Horizonte- MG

 Street Shuflfe – Vinicius Cabral, Cor, 2010, Ficção, Belo Horizonte-MG 

Vídeos

 

Trocam-se bolinhos por histórias de vida – Denise Marchi, 2010, Cor, Ficção, Porto Alegre-RS

A musa da minha rua – Adolfo Lachtermacher, 2010, Cor, Documentário, Rio de Janeiro-RJ

Enfim sós – Rafael de Andrade, 2011, Cor, Ficção, Brasília-DF

Traz outro amigo também – Frederico Cabral,2010,Cor, Ficção, Porto Alegre-RS

Garoto Barba – Christopher Faust, 2010, Cor, Ficção, Curitiba-PR

O vôo da Papoila – Nuno Portugal, 2011, Cor, Ficção, Cernache-Coimbra

Katari Kamina – Pedro Dantas, 2011, Cor,Documentário, São Paulo-SP

Ultimo caso – Erez Milgrom , 2010, P&B, Ficção, São Paulo-SP

Scratch – Alexandre Coimbra,2011,Cor, Ficção, Porto Alegre-RS

Torpellino – Pedro Dantas, 2010, Cor, Documentário, São Paulo-SP

Ferocidade: Entre a Urbe e a Flora – Márcio B. Venturi, 2010, Cor/P&B, Ficção, Rio de Janeiro-RJ

Operação mamãe – Marina Freitas, 2010, Cor, Ficção, Rio de Janeiro-RJ

A sombra de Sofia – Flavia Thompson, 2011, Cor, Ficção, São Paulo-SP 

Retratos – Leo Tabosa e Rafael Negrão, 2010, Cor, Documentário, Recife-PE

Paz – Leandro Corrêa, 2010, Cor, Ficção, Rio de Janeiro-RJ

Quenda – Alexandre Bortolini e Warllem Machado, 2010, Cor, Documentário, Rio de Janeiro-RJ                      

Os Últimos Charruas – Alice Urbim, 2010, Cor, Documentário, Porto Alegre-RS

Menina da Chuva – Rosaria, 2010, Cor, Ficção, Rio de Janeiro

Involução – Marcelo Tannure, 2011, Cor, Ficção, Nova Lima-MG

Número zero – Claudia Nunes, 2010, P&B, Documentário, Goiânia-GO

* Em breve, novas informações.

Cannes Terá Curtas Brasileiros

Márcia Farias é uma das poucas participantes da seleção do Brasil em Cannes que pode dizer, sem força de expressão, que desde criança sonha com a oportunidade de participar do festival. Isso porque seu berço é dos mais cinematográficos do cenário brasileiro. Ela é filha do produtor Rivanides Faria, o Riva, sobrinha do diretor Roberto Farias e do ator Reginaldo Faria. A “família de cinema” se completa com os também primos-diretores Lui e Mauro Farias e o primo-ator Marcelo Farias.

Márcia não errou o caminho e igualmente se tornou uma profissional experiente no meio, como assistente de direção dos cineastas Hector Babenco (Carandiru), Walter Salles (Abril Despedaçado) e Sérgio Machado (Cidade Baixa e no recente Quincas Berro d’Água), entre outros.

Mas, só agora, a carioca de 41 anos estréia na direção com o curta Estação. Seu sonho foi além e o filme, inédito por aqui, é o único brasileiro a disputar uma das competições oficiais do festival – a dedicada aos curtas. Além de Estação, outro projeto brasileiro selecionado, no formato, é A Distração de Ivan, de Cavi Borges e Gustavo Melo, a ser exibido na Semana da Crítica.

Há ainda a participação do peculiar Los Minutos, Las Horas, que, apesar de ser da diretora cearense Janaína Marques Ribeiro, representa Cuba na mostra paralela da Cinéfondation pelo fato de ter sido desenvolvido numa escola de cinema do país caribenho. “Demorou um pouco não é?”, brinca Márcia, para então justificar. “É que eu queria encontrar a história certa para desenvolver meu próprio projeto.”

E a chance apareceu durante os testes para atrizes da minissérie Alice (HBO), cuja equipe Márcia integrava, quando uma da jovens ouvida relatou a experiência que valeu a trama do curta. Nela, a personagem interpretada por Carolina Abras chega de viagem no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo, e passa a morar ali e a viver o cotidiano do local, conhecendo freqüentadores e figuras incomuns. “Fiquei impressionada com o que a jovem contou”, diz a diretora.

Estação trata da idéia de um espaço de transição que ao mesmo tempo significa desorientação para alguns e idéia de casa e conforto para outros. O elenco ainda conta com a premiada atriz Denise Weinberg.

A expectativa em Cannes é pela visibilidade que um grande festival como esse propicia a um filme e seu realizador. Especialmente porque Márcia já prepara o primeiro longa-metragem sobre uma avó argentina que vem procurar seu neto no Brasil, depois que a ditadura militar os separou. “Mais uma vez conto uma história sobre o deslocamento de uma pessoa de seu local de origem e as conseqüências disso.

Cavi Borges e Gustavo Melo podem ser estreantes em Cannes, mas a carreira deles tem longa folha corrida. Cavi é proprietário de uma produtora no Rio de Janeiro, responsável por mais de 40 produções no formato curta. Ele mesmo assinou 18 trabalhos. Um deles é justamente A Distração de Ivan, que participou e foi premiado em diversos festivais brasileiros, entre eles o Cine PE e o Amazon Film Festival do ano passado.

“Não acredito que isso tenha ajudado de alguma forma o curta ser selecionado por Cannes”, diz Cavi. “Fiz a inscrição em toda as seções possíveis, mas só depois que o filme esgotou suas chances nas mostras do Brasil. Usei essa estratégia para dar uma vida útil maior ao trabalho.

No filme, coube a Melo, também com trabalhos anteriores no formato, a referência pessoal na história do menino Ivan e suas brincadeiras de bairro sempre atrapalhadas pela avó geniosa. Ela é interpretada pela atriz veterana Myrian Pérsia, ícone de filmes O Grande Momento (1957), que ensina teatro na ONG Nós do Morro, local onde os diretores buscaram apoio para formar o elenco de A Distração de Ivan.

MATEUS SOLANO: Sucesso popular

A rede especializada em piratear superproduções brasileiras encontrou um outro hit para fazer a alegria dos camelôs cariocas: uma versão clandestina do DVD do seriado Mateus, o balconista.

Dirigida por Cavi Borges e Pedro Monteiro, a série, concebida originalmente para celulares e depois exibida via YouTube, virou uma febre entre os ambulantes, graças ao carisma de seu astro principal, Mateus Solano, o galã da novela das 21h, “Viver a vida”.

— O lançamento de “Mateus, o balconista” só acontece na terça-feira (em evento aberto ao público, às 20h, no Espaço Telezoom). Mas na quinta, quando eu passava por Nova Iguaçu, um monte de gente me dizia: “Cara, comprei teu DVD. Ele está em tudo que é camelô” — diz Cavi. — Só do DVD oficial, legal, distribuído pela Original Vídeo, já fizemos uma pré-venda para lojas e locadoras de duas mil unidades. Foi o DVD de maior sucesso que já prensamos até hoje.

Segundo o cineasta, o prestígio de Solano na TV impulsionou a série, que inspirou o longa-metragem Vida de balconista”, ainda inédito.

Na rua, os camelôs vendem a série gritando: “Olha o DVD do médico que virou balconista!”, em referência ao papel dele na novela.

Brasil em CANNES

Alegria, segundo longa da dupla Marina Méliande e Felipe Bragança, fará sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores, do 63º Festival de Cannes.

A mostra francesa acontece de 12 a 23 de maio

Já o curta A Distração de Ivan, filmado em Brás de Pina e centrado na realidade do subúrbio carioca, com direçãota de Cavi Borges e Gustavo Melo, representará o Brasil na seleção competitiva da Semana Internacional da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes.

Em sua 49ª edição, a Semana começa dia 13. A produção brasileira, baseada em fatos reais da vida de Gustavo Melo, acompanha o processo de amadurecimento do menino Ivan (Rodrigo Costa), criado pela avó (Miriam Pérsia), na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O filme mostra uma época na qual a violência já existia, mas ainda não era tão cruel como hoje. O que mais sintetiza a periferia no curta são hábitos e brincadeiras, como as peladas de rua e o jogo de taco, além da proximidade entre os vizinhos e a demarcação de território — diz Cavi Borges. —  Questões sociais são universais. Existem em qualquer país. Falar do ser humano e da sociedade onde ele vive é fundamental para gerar reflexão, a partir de diferentes pontos de vista.

* Informações de Rodrigo Fonseca