Arquivo da tag: CCBN Cariri

Seis anos do CCBN Cariri serão festejados com show no Crato

Cine Ceará Será Lançado Hoje em Juazeiro do Norte

O 21º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema apresenta nesta manhã a programação oficial do evento a ser realizado em Juazeiro do Norte entre 9 e 16 de junho, no Memorial Padre Cícero e no Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri.

A apresentação será feita durante café da manhã no Palácio da Microempresa, sede do Sebrae – Juazeiro do Norte (Rua São Pedro, s/n – Matriz), a partir das 8 horas, com a presença do Reitor da Universidade Federal do Ceará, Prof. Jesualdo Farias, do prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel Santana, e do diretor executivo do Cine Ceará, Wolney Oliveira.

Esta é a primeira vez que o Festival sai da capital cearense e realiza atividades no interior do Estado, em paralelo à programação em Fortaleza.

Com o tema Religião e Religiosidade no Cinema, o 21º Cine Ceará presta homenagem aos 100 anos de emancipação política de Juazeiro do Norte, conquistada por meio do trabalho social, religioso e político realizado pelo Padre Cícero na região do Cariri.   

Com entrada franca a todas as exibições, o Cine Ceará em Juazeiro do Norte conta com parte da programação de Fortaleza por meio da Mostra Audiovisual e Educação, composta pela exibição de filmes, e ainda com o Seminário Religião e Religiosidade no Cinema, que ocorrerá apenas no município.  

O Cine Ceará levará ao público mais de 100 produções de cinema e vídeo brasileiras e ibero-americanas, promovendo o intercâmbio entre profissionais de audiovisual e oferecendo espaço aos novos talentos da área. O festival realiza as Mostras Competitivas em longa e curta metragem, homenageia profissionais e personalidades do audiovisual e insere à programação seminários, oficinas e mostras especiais. 

Em Juazeiro do Norte, o seminário terá atividades entre 12 e 14 de junho, no Memorial Padre Cícero. A abertura será feita com aula-espetáculo do escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna. Junto ao filósofo João Vila-Chã, o escritor também irá compor mesa- redonda na qual será debatido o longa O Auto da Compadecida, de Guel Arraes, baseado na obra homônima de Suassuna. O encerramento será marcado pela palestra do jornalista e biógrafo cearense Lira Neto, autor de vários livros-biografias, entre eles Padre Cícero: Poder, fé e guerra no sertão. 

Sobre o Cine Ceará

O 21° Cine Ceará é promovido pela Universidade Federal do Ceará, numa realização da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria da Cultura (Secult) e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A produção é da Associação Cultural Cine Ceará e tem patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), como a Oi, a Petrobras e o BNDES,. Na região do Cariri, o festival conta com apoio da Prefeitura de Juazeiro do Norte, subsede do evento. 

21º Cine Ceará em Juazeiro do Norte

9 a 16 de junho

Local: Memorial Padre Cícero e Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri

Entrada franca todos os dias do Festival

 

21º Cine Ceará em Fortaleza
Data: 8 a 15 de junho

Local: Theatro José de Alencar

Entrada franca de 9 a 14 de junho

Mais informações: www.cineceara2011.com

Sérvulo Esmeraldo no Troca de Ideias

 

Vida e obra de um dos artistas brasileiros de maior projeção internacional – o escultor, gravador, ilustrador e pintor cearense Sérvulo Esmeraldo – será tema da palestra intitulada Os jogos espaciais de Sérvulo Esmeraldo.

Com entrada franca, a palestra será ministrada pela professora-doutora e livre-docente em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (USP), Ana Maria Belluzzo, dentro do programa de debates Troca de Ideias, nos Centros Culturais Banco do Nordeste-Fortaleza e Cariri.

No CCBNB-Fortaleza, a palestra acontecerá na próxima quarta, dia 1º, às 18h30; e no CCBNB-Cariri, em Juazeiro do Norte, no  dia 3, também às 18h30.

Através da exposição individual Ocupação do Espaço, Sérvulo Esmeraldo reúne um conjunto significativo de seus trabalhos nos CCBNBs-Fortaleza e Cariri, nos quais estão em curso idéias nascidas na década de 1980, mas que agora ganharam novas concreções. No CCBNB-Cariri, a exposição continua em cartaz até o próximo dia 4 (sábado).

Organizadas pela curadora Dodora Guimarães, as duas exposições fazem jus à integridade desse importante artista, que voltou a trabalhar em Fortaleza, depois de morar muitos anos no exterior.

As obras de Sérvulo guardam sinais de seu extenso percurso – do traçado gráfico à escultura construída em espaço urbano. Dão testemunho da melhor tradição da escultura contemporânea feita por artistas brasileiros, que revela ágil pensamento visual, abreviado e compacto, próprio do artista gráfico, e a índole do escultor que submete sua obra ao ambiente. 

Sérvulo Esmeraldo, obra e vida

Sérvulo Esmeraldo é um dos artistas brasileiros de maior projeção internacional. Seu rigor geométrico-construtivo e sua disciplina criativa colocaram seu nome em destaque a partir da década de 1950, e, através deste renome internacional, o artista luta continuamente pela divulgação da arte nordestina e pela renovação artística do seu Estado.

Nascido no Crato em 27 de fevereiro de 1929, aos 18 anos Sérvulo vai para Fortaleza, onde toma contato com os artistas da Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP), como Inimá de Paula, Aldemir Martins e Antônio Bandeira, além de receber orientação de Jean Pierre Chabloz.

Neste período, realiza xilogravuras com inspiração na gravura popular, de formas puras e em preto e branco, que aos poucos vão sofrendo influências de Goeldi – em especial a partir de 1951, quando se transfere para São Paulo e toma contato, através de Aldemir Martins, com Sérgio Milliet, Bruno Giorgi, Lívio Abramo e com o próprio Oswaldo Goeldi.

Em 1957 realiza uma individual no MAM e, no ano seguinte, parte para Paris como bolsista do governo francês, onde estuda litogravura com Johnny Friedlander e frequenta o ateliê da Escola de Belas Artes de Paris.

A partir daí a obra de Esmeraldo vai tomando uma feição mais abstrata e se afasta das influências nordestinas. O figurativismo de formas puras dá lugar a um concretismo consciente e estudado, e a escultura predomina sobre a gravura.

Segue as idéias de Van Doesburg e da Bauhaus, e seus elementos são, quase invariavelmente, a reta, o ângulo, o preto e o branco, resultado também de sua experiência gráfica. Muitas delas são desmontáveis, permitindo uma interação e a recriação da obra pelo espectador.

Durante os anos 1960, o artista vai se integrando à Escola de Paris, fazendo apenas visitas esporádicas ao Brasil. Sempre preocupado com a escultura, realiza experiências com arte cinética que resultam, em 1975, nos ‘Excitáveis’ – caixas cobertas de acrílico que podemos chamar de quadros-objetos, dentro dos quais elementos móveis respondiam à eletricidade estática gerada ao se friccionar a tampa.

Em 1977, Sérvulo volta ao Brasil decidido a promover a divulgação da arte contemporânea em seu Estado, particularmente em Fortaleza – e para isso vai usar sua própria obra, espalhando suas esculturas pelos prédios da cidade, fazendo uma articulação entre arquitetura e escultura que pode ser sentida em toda a cidade. A linearidade e a crescente monumentalidade de suas esculturas ganham as ruas e vão aos poucos se integrando ao meio de forma consciente – o artista passa a realizar esculturas que interagem com o vento, a água e o sol.

Sérvulo Esmeraldo contribuiu não só para a divulgação da arte brasileira no exterior – tendo fundado o Museu de Gravura no Crato, em 1956, introduziu Mestre Noza no livro Via Sacra, ensaio sobre a gravura nordestina, e publicou ainda o estudo L’imagirie Populaire au Brésil – como para trazer a arte contemporânea de todo o mundo para sua cidade. Foi o organizador das Exposições Internacionais de Esculturas Efêmeras, em 1986 e 1991, da qual participaram muito artistas nacionais e internacionais, que mandavam seus projetos para serem montados aqui, em geral com materiais baratos, e desmontados depois da mostra, o que possibilitava baixo custo. (*)

(*) Texto de Cassandra de Castro Assis Gonçalves [bolsista IC-FAPESP] e Profa. Dra. Daisy Peccinini de Alvarado [orientadora MAC-USP]

Mundo Livre e DJ Dolores no CCBN Cariri

A banda Mundo Livre S/A e o DJ Dolores são as principais atrações da programação especial comemorativa do quarto aniversário do Centro Cultural Banco do Nordeste-Cariri, localizado na região sul do Ceará.

Os artistas encerram a programação no próximo sábado, 5, na Praça da RFFSA – Rede Rodoviária Federal, no município do Crato. Liderada por Fred 04 (autor dos manifestos e fundador do movimento musical Mangue Beat ao lado de Chico Science, Nação Zumbi e DJ Dolores), a apresentação do Mundo Livre S/A acontece às 22 horas.

Em seguida, o DJ Dolores apresenta o show “1 Real”, título do seu terceiro CD, à meia-noite. Premiado e requisitado para arranjos musicais e trilhas sonoras de cinema, o DJ Dolores propõe uma experiência de mixagem característica dos DJ’s, porém com um diferencial, ao vivo e com banda, apresentando um show feito para dançar.

DJ Dolores já se apresentou nos principais festivais de música da Europa, dividindo, inclusive, o palco com artistas de peso como Bjork, Moby, Chemical Brothers e Elvis Costello. Remixou músicas de Bob Marley, assinou a trilha sonora do filme e da peça A Máquina, de João Falcão, além de ter vencido uma das edições do prêmio TIM de música, conquistado na categoria Música Eletrônica.

   O Amor segundo Chico Buarque

A programação especial do aniversário de quatro anos do Centro Cultural BNB-Cariri tem início na sexta-feira, 4, com a apresentação do espetáculo cênico-musical Segunda Toada para João e Maria – o Amor segundo Chico Buarque, Lado B, com o grupo paulistano Núcleo Toada.

O musical destaca músicas do cantor, compositor e escritor Chico Buarque e textos de alguns poetas e pensadores, contando a história de um casal como tantos outros. O espetáculo acontecerá no cineteatro do CCBNB-Cariri, em Juazeiro do Norte.

Emboladas, cordéis, zabumbeiros e forró

Simultaneamente, a programação do quarto aniversário do CCBNB-Cariri acontece durante a X Exposição de Produtos da Agricultura Familiar (X EXPROAF), no Crato. Também às 20h da sexta, a dupla de emboladores piauienses Jotinha e Jotão se apresenta divulgando a arte, a poesia popular e a riqueza de suas emboladas que cantam o modo simples do povo nordestino. Às 21h, a dupla reprisa a embolada ao vivo, no mesmo lugar.

Entre as duas apresentações de Jotinha e Jotão, serão lançados dois cordéis: Piqui é Mãe Generosa, de Espedito Arnaldo, do Crato, às 20h30; e Valorize a Agricultura Familiar, de Maria Rosimar Araújo, de Juazeiro do Norte, às 20h45. O primeiro cordel mostra a valor do piqui para o Cariri cearense: pela ótica do poeta Espedito, o piqui é a mãe que dá o vestir, o comer e o lazer do caboclo caririense. Já o segundo apresenta a importância que há em toda a produção da agricultura familiar.

Em seguida, às 21h30, a banda Zabumbeiros Cariris, de Juazeiro do Norte, exibe seu proseado de rabeca, triângulo, pífano, viola e zabumbas, para alegrar o palco desenhando o vale encantado do homem-cariri. Quem encerra nesse dia (sexta-feira, 4), a partir das 23h, a programação especial do quarto aniversário do CCBNB-Cariri, é a banda cratense Forró Soper de Serra, tocando o autêntico Forró Pé-de-Serra. O grupo apresenta grandes clássicos da música popular nordestina, mostrando a simplicidade e os valores do verdadeiro forró de raiz.

 Atividades infantis

Na tarde do sábado, 5, a programação especial é dedicada à garotada, com apresentação de teatro infantil, contação de histórias e realização de uma oficina de arte, nas dependências do CCBNB-Cariri. Em duas sessões, às 14h e às 16h, o grupo Armadilhas Cênicas, do Crato, apresenta o espetáculo Terreiro de Histórias.

Na peça dirigida por Edceu Barbosa, o grupo faz suas malas e sai pelo mundo em busca de terreiros, para que possa estacionar suas bicicletas e armar a lona para fazer ali mais uma sessão de contação de histórias.

Às 15h, o Grupo Parque de Teatro, oriundo de Aquiraz (CE), apresenta a contação de historias intitulada As Novas Leis do Reino de Foncé. No enredo, dois atrapalhadores contadores de histórias chegam atrasados para uma apresentação, onde contarão a história do príncipe Dauzinho – um garoto que, durante as férias do rei e da rainha, criou leis para deixar todo mundo igual, gerando uma enorme confusão.

Às 15h30, o arte-educador Cícero Carlos Oliveira, de Juazeiro do Norte, ministra a oficina Brincando, fazendo bonecos e arte com a palha do milho. O objetivo da oficina é trabalhar o lúdico, ao passo em que as crianças aprendem brincando a fazer os bonecos utilizando a palha de milho.