Arquivo da tag: Centro Cultural Oboé

Dideus Salles lança JITIRANAS DE LUZ na Terça

O mais recente livro do escritor DIDEUS SALLES terá coquetel de lançamento terça que vem, 19:30h, no Centro Cultural Oboé.

“Jitiranas de Luz” tem prefácio do poeta Dimas Macedo e diversos autores fazendo uma apresentação do autor.

 

Quem é DIDEUS

 

Foi numa fazenda, batizada de Várzea do Canto, na freguesia cearense de Independência, no segundo dia do quarto mês do terceiro ano da década de sessenta, no século XX, que os pássaros saudaram pela primeira vez o canoro colega Dideus Sales. O poeta, que depois fez crisma pública como radialista, jornalista, declamador, compositor e produtor cultural, herdou dos pais, José Pereira e Cordeira Sales, o amor pelo mágico universo sertanejo. Quando contava apenas três carnavais, no ano de lutas de 1966, sua família migrou para Crateús, a mais próspera das urbes beijadas pelo Rio Poty, aonde o poeta iniciou seus estudos e posteriormente ingressou no rádio como comunicador, profissão dos seus pendores. Residindo em Aracati, atualmente dirige e edita a revista  “Gente de Ação”. Publicou 12 livros, o mais recente é “Jitiranas de Luz”(2011). 

 

 

JITIRANAS DE LUZ 

 

Neste livro, o leitor encontra uma porção generosa de versos de inaudito vigor, lavrados pela inteligência e pelo talento do poeta Dideus Sales, cujo nome há muito se inscreve entre os melhores criadores da arte poética da nordestinidade, vazada em textos clássicos ou populares. Os versos laborados com a pertinência de quem vive as demandas do povo e saboreia os frutos sazonados da sabedoria sertaneja, são como uma deliciosa iguaria que o poeta prepara para servir aos que têm uma espécie de paladar na sensibilidade. Este livro de Dideus Sales será sem dúvida um prato saboroso para quantos apreciem uma boa leitura. 

 

 

“Este livro é uma inspirada e sonorosa viagem pelas coisas sublimes e espontâneas do Ceará. Um abraço generoso às raízes. Uma cuia de água fresca das nascentes telúricas do sertão. O Ceará original”.

 

– Juarez Leitão (da Academia Cearense de Letras)

 

O texto desta jornalista segue abaixo, na íntegra:

De Repente, Um Mote, Um Galope, Um Motivo pra Sorrir

É prazerosa de ler a poética de Dideus Salles. Falando de gestos, situações, sentimentos, prazeres e dissabores do cotidiano, flui leve e sobranceira como cachoeira escorrendo em dia de pouco sol no sertão. Por meio de rimas, versos e motes, ele apercebe-se de fatos, pessoas e cenas triviais.

Dideus revela com maestria suas origens, advindas da pequena Crateús (de meu querido e saudoso amigo Dedé), e traduz, com gostosa leveza, estados de ânimo, circunstâncias, questões existenciais e até eventos, como uns tantos nos quais emboladores, repentistas e violeiros são o foco principal.

Uma parte disso está aqui e a nós cabe lê-lo, dividir com os amigos e fazer com que isso reverbere em muitas trilhas. E como não se encantar com versos como os de CADA MINUTO QUE MORRE

Vivi toda a exuberância

dos dias de juventude

cheio de gozo e virtude,

amores em abundância,

não calculei a distância

do auge até o meu fim,

hoje extenuado, enfim,

percebo que o tempo corre.

Cada minuto que morre,

mata um pedaço de mim.

 

Entre decassílabos, galope, martelo, oitava, sextilha e trova, Dideus desenha um autêntico matelassê de frases e versos bem construídos, os quais vamos lendo de uma vez só – como aconteceu comigo – tal é a naturalidade com a qual “associa-se” a alguns outros tantos trovadores da mesma cepa. Como por exemplo no poema dedicado aos maiorais do acordeon, Bento Raimundo e Edilson Vieira. Ou como em Noite de Violas:

 O mar com sua grandeza,

os campos com suas flores,

a noite com seus mistérios

e as estrelas multicores

são enfeites dos repentes

dos geniais cantadores. 

Assim como diz em seu poema Chuva de Repentes, apresenta-se disposto a plantar num roçado de sonhos, cantando o cheiro e a cor da terra e de nossa gente para depois colher, e assevera: “palavra é assinatura, não precisa testemunha”.

E como um menestrel a exibir “seu trabalho competente deixando o público envolvido na magia do repente”, planta a esperança e espalha entusiasmo, propondo:

“Ao deitar-se em seu divã

sonhe um mundo de bonança

e borde um lindo amanhã

Com fios de esperança”.

É uma grata satisfação ter a obra de Dideus agora compilada em livro. Vamos à leitura !

RESTA UM na noite de Fortaleza

Um filme só acontece depois que chega ao espectador. Por isso, você é a pessoa mais importante desta noite de TERÇA na qual RESTA UM será exibido, pela primeira vez, em Fortaleza.

O CONVITE para esta noite no Centro Cultural Oboé tem a intenção de ser espalhado por aí aos quatro ventos pra que possamos ter uma sessão de cinema com casa cheia.


Aurora Miranda Leão e Rubens Ewald Filho durante o período de gravações em Goiânia…

Vá e leve os amigos ! Se não puder ir, pelo menos recomende a uma porção de parceiros porque, afinal, sempre RESTA UM

Venha você também descobrir porque O Resto é sempre maior que o Principal…

 

FICHA TÉCNICA e ARTÍSTICA RESTA UM 

Argumento, Roteiro, Fotografia e Direção – Aurora Miranda Leão

Trilha: Ricardo Bacelar

Câmera adicional – Julinho Léllis

Imagens de celular: Aurora M. Leão e Ingra Liberato

Contribuição afetiva – Rubens Ewald Filho

Colaboração no Roteiro: Alex Moletta,Miguel Jorge,Rogério Santana 

Estrelando INGRA LIBERATO

 Participação: Rosamaria Murtinho, Sílvio Tendler, Bruno Safadi, Samuel Reginatto, Miguel Jorge, Henrique Dantas, Carol Paraguassu e Patrícia Luciene

Produção: Aurora M. Leão e Julinho Léllis 

Edição: Aurora Miranda Leão e Lília Moema

Filmes citados:  Amanda & Monick, de André da Costa Pinto

                              Aos Pés, de Zeca Brito

                              Áurea, de Zeca Ferreira

                             Harmonia do Inferno, de Gui Castor     

 

Realização: Aurora de Cinema & Cabeça de Cuia Filmes       

                                      

RESTA UM – LANÇAMENTO em Fortaleza
HOJE, 19, 19:30h
COQUETEL no Centro Cultural Oboé – rua MARIA TOMÁSIA, 531

Informações: 3264.7038
ENTRADA FRANCA

ENSAIOS DE CINEMA, HOJE, na Oboé

Para “ler” o Cinema

Um dos críticos de cinema mais conhecidos fora do eixo Rio-São Paulo, o cearense L.G de Miranda Leão lança Ensaios de Cinema (Banco do Nordeste, 2010, 282 páginas, R$ 20,00), novo livro de críticas, hoje à noite, no Centro Cultural OBOÉ, na Aldeota, às 19:30h.

  

Dificilmente uma sequência costuma fazer jus ao seu filme original. Na contramão dessa tendência, o crítico de cinema L. G de Miranda Leão lança hoje sua primeira e bem-sucedida “continuação”, o livro Ensaios de Cinema – extensão da primeira obra do autor, Analisando Cinema.

Nos dois títulos, L.G. reúne críticas e ensaios publicados ao logo de mais de 50 anos de carreira. O primeiro, lançado em 2006 pela Imprensa Oficial de São Paulo, torna-o o único cearense, residente em Fortaleza, a ser publicado na prestigiada Coleção Aplauso.

Agora, em Ensaios de Cinema, o especialista traz uma visão mais ampla da produção cinematográfica de países como Alemanha, EUA, República Checa e Suécia. Na lista de cineastas abordados estão grandes nomes como François Truffaut, Stanley Kubrick, André Bazin, Ingmar Bergman, Martin Scorsese e Orson Welles.

A obra, que já foi lançada no FestCine Goiânia e no V Festival de Cinema e Vídeos dos Sertões (Floriano-PI), tem apresentação do colega Rubens Ewald Filho, que tece elogios ao rigor do trabalho do autor.

“Ao lançar ´Analisando…´, notei o entusiasmo de muita gente, alunos, amigos e colegas. Isso me animou a escrever um segundo livro”, comemora L.G. “Assim, comecei a reunir novas críticas e ensaios”. Os textos apresentados no novo trabalho cobrem pelo menos meio século de trajetória da sétima arte, ao abordar temas e gêneros como a Nouvelle Vague, o cinema americano nos anos 70, filmes de guerra, entre outros temas.

Carreira

Frente a um recorte tão grande e à considerável produção acumulada, o autor recorreu ao critério de afinidade para selecionar o material. “Escolhi textos sobre diretores e filmes com os quais tenho mais afinidade”, ressalta. “Truffaut, Kubrick, Bergman e Welles, por exemplo, sempre estiveram à frente de seu tempo”. O livro foi organizado com a ajuda da filha do crítico, Aurora Miranda Leão, que também trabalha com cinema. Na orelha da publicação, a caçula lembra as matinês do Cine São Luís, no Centro de Fortaleza, onde assistiu, na companhia do pai, aos primeiros exemplares de sua filmoteca pessoal.

Para o próprio L.G., a paixão também vem de família – no caso, graças à influência do pai, o médico e cinéfilo João Valente de Miranda Leão. “Ele nos levava ao cinema com frequência”, recorda o crítico.

Uma experiência em particular marcou o crítico. “Na década de 40, Welles veio ao Ceará para filmar cenas de It´s all true, no Mucuripe. Meu pai tinha sido apresentado ao Welles, e nós fomos assistir à uma gravação. Vi o diretor deitado no chão, com a câmera apontada em contra-plano. Ao seu lado havia uma caixa preta, parecido com um decodificador de TV, que ele manipulava com cuidado. Meu pai foi perguntar o que era aquilo e Welles respondeu que era um gravador de som direto, algo que fomos ter no Ceará apenas nos anos 80″, conta, entusiasmado. Na ocasião, L.G. tinha dez anos de idade. “A partir daí, cinema passou a ser paixão”, confessa o crítico. Não por acaso, Orson Welles está na lista de seus cineastas favoritos.

Alguns anos depois, o crítico conheceu outra figura cuja influência foi fundamental em sua carreira – o jornalista e também crítico de cinema Darcy Costa (1923 – 1986), criador do Clube de Cinema de Fortaleza (um dos clubes de cinema pioneiros no País). “Foi na inauguração do Clube, em fevereiro de 1949. Na ocasião conheci e fiz amizade com Darcy Costa, um grande conhecedor do cinema. Foi quando vi que, além de ver filmes, precisava estudá-los”.

Os primeiros artigos publicados de L.G, em 1953, foram justamente sobre o Clube de Cinema de Fortaleza. Ao longo dos anos, inúmeros filmes e diretores passaram pelo crivo do autor, que costuma assistir ao mesmo título várias vezes antes de escrever sobre ele.

Função

Em relação ao seu ofício, L.G. acredita que o papel do crítico de cinema é abrir horizontes de entendimento e de conhecimento para espectador, “porque nem todo mundo estuda o tema com profundidade”, ressalta. “No mercado, talvez o crítico contribua para melhorar o nível das produções”, opina.

Para ilustrar melhor a função, o autor cita o filme Morangos Silvestres, clássico do sueco Ingmar Bergman. “Na história, um professor de 78 anos vai receber uma homenagem. Antes da cerimônia, sonha que está andando na rua e vê um relógio sem ponteiros”, destaca. Segundo o crítico, trata-se de uma referência à morte, a representação do tempo esgotando-se na vida do personagem.

Aposentado do Banco do Nordeste e da Universidade Estadual do Ceará, L.G. ministrou diversos cursos voltados ao cinema. É justamente esse interesse por passar o conhecimento adiante que atualmente inspira seu próximo projeto. “Quero preparar um manual prático de ´ler´ cinema, voltado à compreensão dos significantes visuais. É um desafio grande. Talvez, depois dele, não faça mais nada”, brinca o crítico.

ADRIANA MARTINS
Repórter do Caderno 3/Diário do Nordeste

Ensaios de Cinema na Oboé…

Ensaios de Cinema Será Lançado QUINTA na OBOÉ 

O mais constante crítico de Cinema em atuação no Norte e Nordeste, com mais de 50 de batente, LG de Miranda Leão é cearense, Bacharel em Literatura de Língua Inglesa e Portuguesa, aposentado pelo Banco do Nordeste do Brasil e pela Universidade Estadual do Ceará.
 
Na próxima quinta-feira, dia 20, LG lança seu novo livro ENSAIOS DE CINEMA (selo Cultura da Gente, programa do Banco do Nordeste que apóia iniciativas de funcionários aposentados), em noite festiva no Centro Cultural Oboé, quando será exibido o curta LG – Cidadão de Cinema, feito em sua homenagem pelo cineasta capixaba Gui Castor.

 

Ensaios de Cinema vem tendo ótima repercussão em festivais de cinema pelo país, já tendo sido lançado em Goiânia, Floriano (PI), João Pessoa, e no FestCine Maracanaú, e conta com convites também para lançamentos em São Luís, Santos, Rio de Janeiro, Jericoacoara, Canoa Quebrada, Campina Grande e Taquaritinga (PE).

 

Nomes como os de Orson Welles, Stanley Kubrick, Ingmar Bergman, François Truffaut, Federico Fellini e Michelangelo Antonioni, entre tantos outros, são foco da pena do Mestre LG a nos guiar delicada e inteligentemente pelas vastas searas onde se inscrevem as obras destes grandes samurais da alquimia de perceber a vida e adentrar o mundo, através de pontos-de-vista especiais transformados em sabedoria pela magia eterna da Sétima Arte, como diz sua filha e organizadora da obra, jornalista Aurora Miranda Leão.

 

Walter Hugo Khoury e LG: amizade registrada em Ensaios de Cinema         

Conhecido nas lides cinematográficas por seu profícuo exercício da crítica, Ensaios de Cinema tem prefácio do jornalista Rubens Ewald Filho: “Tivemos o prazer de editar pela Coleção Aplauso da Imprensa Oficial uma seleção de seus textos. Mas que são apenas uma pequena representação do que ele escreveu nesta última década. Agora temos mais de seus escritos, maior e melhor. Neste livro, todos os textos referem-se a filmes, cineastas ou cinematografias especiais (como cinema alemão, sueco, americano) e há outra coisa que eu admiro, seu rigor. L.G. não  escreve sem ter visto pelo menos três vezes o filme ou a obra a qual se reporta.Antes de tudo, é um livro para mergulhar de cabeça e alma, coração aberto e olhos cheios de imagem”.

   

 SERVIÇO

 LIVRO ENSAIOS DE CINEMA

LANÇAMENTO: programa CULTURA DA GENTE/ BANCO DO NORDESTE DO BRASIL

ONDE: CENTRO CULTURAL OBOÉ

QUANDO: Quinta-feira, 20 de Janeiro

HORA: 19:30h

 * Livro à venda na Livraria Oboé (Center Um)

 

Mais informações: 3264.7038

Projeto Cearense Lança Videoteca com Audiodescrição

 

O projeto intitulado DVD ACESSÍVEL – Audiovisual e acessibilidade: produção e divulgação de DVDs para cegos e surdos, cujo objetivo é iniciar a construção de uma videoteca de filmes nacionais acessível ao público com deficiência sensorial, entregará nesta sexta (23), à sociedade brasileira, DVDs com recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência sensorial, uma iniciativa pioneira no Brasil.

 

Iniciado em 2009, o Projeto DVD Acessível é de autoria da Prof.ª Dr.ª Vera Lúcia Santiago Araújo da Universidade Estadual do Ceará e tem patrocínio do Banco do Nordeste e do PROCAD/CAPES.

A solenidade de entrega acontecerá às 19h no Centro Cultural Oboé, localizado à Rua Maria Tomásia, 531, Aldeota, em Fortaleza, quando serão entregues os longas-metragens Corisco & Dadá, de Rosemberg Cariry, e O Grão, de Petrus Cariry, e os curtas-metragens Adorável Rosa, de Aurora Miranda Leão, Águas de Romanza, de Gláucia Soares e Patrícia Baía, Capistrano no Quilo, de Firmino Holanda, e Reisado Miudim, de Petrus Cariry, totalmente acessíveis às pessoas com deficiência sensorial.Os DVDs possuem Título em Braille, Audiodescrição, Menus com Audionavegação, Janela na Língua Brasileira de Sinais e Legendagem para Surdos e Ensurdecidos;

O projeto conta ainda com apoio do Governo do Estado do Ceará, da CAPES, da FUNCAP, do CNPq, do Centro Cultural Oboé e da Maquilar. A tradução audiovisual foi executada pelo Grupo LEAD da UECE.

A entrada é franca.

Mais informações, falar com Klístenes Braga ou Bruna Alves Leão através dos telefones: (85) 8636.7200 ou 8657.9021. 

 
Adorável Rosa, um dos títulos da videoteca, é um documentário sobre a atriz ROSAMARIA MURTINHO com direção da jornalista Aurora Miranda Leão