Arquivo da tag: Cine CE

Cláudio Assis faz vigorosa poesia imagética e arranca aplausos no CineCE

Cine CE chega ao fim hoje. Noite de conhecer vencedores de curta e longa-metragem. Cinema Brasileiro e Iberoamericano. Não acompanhei o festival de forma presencial desde o início pq estava no OLHAR DE CINEMA – Festival Internacional de Cinema de Curitiba -, mas acompanhei via Blog Aurora de Cinema e do programa Cultura & Música (toda segunda na Universitária FM).

Claudio Assis: Theatro José de Alencar lotou para ver Febre do Rato

O que vi do Cine CE na ida ao Theatro José de Alencar foram ótimos curtas exibidos na noite de ontem, e o premiado longa de Cláudio Assis – Febre do Rato.


Casa cheia, silêncio respeitoso, atenção colada na tela, aplausos ao final.
O filme foi o grande vencedor do Festival de Paulínia, em julho passado, e lembro que, à época, o diretor ganhou destaque na imprensa por conta de suas declarações sempre pertinentes e sua inteligência afiada.
Li comentários positivos a respeito do filme e meu querido amigo Rubens Ewald Filho também me falou muito bem do filme em Curitiba. Enfim, fui ver Febre do Rato já munida de muitos aspectos que me fazem renovar uma sintonia com mais um trabalho do arretado pernambucano Cláudio Assis.

Matheus e Irandhyr: atuações magnânimas em filme forte e necessário…

Ademais, o filme conta com dois Atores Espetaculares, queridos do coração: MATHEUS NACHTERGAELE e IRANDHYR SANTOS.

Ambos, são um capítulo à parte nesta obra vigorosa de Cláudio Assis…

FEBRE DO RATO – Um Filme para ser visto e recomendado.

Sérgio Penna vai ministrar oficina para Atores no CineCE

Inscrições estão abertas. Aulas são gratuitas e vagas limitadas

Somente até a próxima sexta, interessados podem inscrever-se para o Workshop de Interpretação para Cinema com o professor Sérgio Penna. Serão disponibilizadas 30 vagas e o workshop será realizado dias 2 e 3 de Junho, das 10h as 13h e de 14h00 as 18h00, no Instituto de Cultura e Arte  da Universidade Federal do Ceará – UFC.

 

Sérgio Penna é preparador de atores para cinema e televisão, além de professor convidado na disciplina de Direção de Atores da ECA-USP; Escuela Internacional de Cine y TV – Cuba e Academia Internacional de Cinema-SP. 

Os participantes terão a oportunidade de conhecer o processo da preparação de elenco dos filmes “Bicho de Sete Cabeças”, “Chega de Saudade” e “As Melhores Coisas do Mundo”, de Laís Bodansky; “Carandiru”, de Hector Babenco; “Antônia”, de Tata Amaral; “Não Por Acaso”, de Phillippe Barcinski; “Contra Todos” e “Quanto Dura o Amor?”, de Roberto Moreira; “Lula o Filho do Brasil”, de Fábio Barreto; “Bróder”, de Jeferson De; “Bruna Surfistinha”, de Marcus Baldini; “Heleno”, de José Henrique Fonseca; “Faroeste Caboclo”, de René Sampaio; “Gonzaga de Pai para Filho”, de Breno Silveira; e das novelas “Aquele Beijo”, de Miguel Falabella com direção de Cininha de Paula; e “Gabriela” de Walcyr Carrasco com direção de Mauro Mendonça Filho; ambas para a Rede Globo.

O programa do curso terá como foco o naturalismo e a verdade do ator em cena, destacando-se a respiração e o movimento como reveladores de estados de emoção, memória corporal, imersão na dramaturgia, o ator-autor e suas contribuições para a mise-ens-cène, tempo real, disponibilidade, concentração e verticalidade. Haverá uma parte prática e outra teórica, a partir de análise detalhada da interpretação dos atores nos filmes para os quais Penna trabalhou e em material de making of pessoal.

 

Sérgio Penna com o elenco do filme Bróder, de Jeferson De…

Destaque também para suas preparações individuais com os atores Carolina Ferraz (Amanda em O Astro), Marcelo Serrado (Crô em Fina Estampa) e Cláudia Abreu (Chayenne em Cheias de Charme), bem como a parceria de 10 anos com o ator Rodrigo Santoro, em sua carreira nacional e internacional na TV e cinema, incluindo os filmes “Che”, de Steven Soderbergh; “La Leonera”, de Pablo Trapero; “I Love You Philip Morris” (O Golpista do Ano), de Glenn Ficarra e John Requa; e “There Be Dragons”, de Roland Joffé.

 Sergio Penna47 por Sergio Penna - preparação de atores para cinema 

Workshop de Interpretação para Cinema – com Sérgio Penna

Inscrições até 25 de maio

30 vagas

realização : dias 2 e 3 de Junho

Horário: das 10h as 13h e de 14h00 as 18h00

Local: ICA – Instituto de Cultura e Arte  da Universidade Federal do Ceará – UFC

Av. Carapinima, 1615 – Benfica

contato: oficinas@cineceara.com (85)  3264. 3877 

• 22º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema

Data: 1º a 8 de junho de 2012

Local: Theatro José de Alencar – Fortaleza (CE)

Site oficial: http://cineceara.com / cineholliudy.wordpress.com

Como será a tela do Cine Ceará…

Com a exibição do filme Violeta se Fue a los Cielos,do Chile, será aberta no próximo dia 1 de junho a 22a edição do Festival Cine Ceará.

O filme de Andrés Wood (“Machuca”), sobre a vida da cantora Violeta Parra, levou o Grande Prêmio do Júri Internacional no Sundance Film Festival 2012. Concorrem no festival 12 curtas-metragens brasileiros e nove longas: Brasil (3), Chile, Espanha, México, Guatemala, Argentina e Equador com um cada. O Cine Ceará vai acontecer de 1 a 8 de junho, em Fortaleza, sob a temática Lutas Sociais na América Latina. 

Na categoria longa-metragem, apenas dois filme já foram exibidos no Brasil: “Febre do Rato” (Claudio Assis) – vencedor do último Festival de Cinema de Paulínia – e “Rânia”, da diretora cearense Roberta Marques, eleito o melhor filme na mostra Novos Rumos, do Festival do Rio em 2011. O terceiro brasileiro na disputa é o documentário “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now”, dirigido por Ninho Morais, com Alice Braga no elenco. Da Espanha vem “Bertsolari” (de Asier Altuna), sobre um improvisador de versos cantados em “euskara” – o outro documentário na lista. O longa concorreu ao Goya de melhor documentário neste ano.  

A Argentina manda “Un Amor”, de Paula Hernández, conhecida no Brasil por “Lluvia”, longa de 2008 que recebeu o prêmio do Júri Popular de Melhor Filme Estrangeiro no 37° Festival de Gramado. Completam a lista “Fecha de Caducidad” (México), da ex-diretora do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, Kenya Márquez; “Distancia”, de Sergio Ramírez (Guatemala) – melhor filme e direção no Havana Film Festival Nova York 2012; e o equatoriano “En el Nombre de la Hija”, de Tania Hermida. Todos os filmes mandarão representantes para o festival. 

“Essa talvez seja a seleção mais diversificada desses 22 anos do Cine Ceará”, aponta Wolney Oliveira, diretor executivo do festival. “O único país com mais de um representante é o Brasil. Por sermos a sede do evento, recebemos mais inscrições de filmes nacionais. Mas eu destacaria, também, a presença feminina na direção, já que, dos nove selecionados, quatro são projetos comandados por mulheres, o que comprova a força delas na produção de títulos de qualidade”, completa ele. “E muito nos orgulha ser a principal vitrine do país para o cinema ibero-americano”, conclui. 

Entre os curtas-metragens, a disputa é nacional (lista completa abaixo). Dos 12 selecionados, São Paulo lidera a competição em número de títulos: três; seguido por Rio de Janeiro, Ceará e Minas Gerais, com dois representantes cada. Também foram selecionados curtas de Pernambuco, do Rio Grande do Sul e do Espírito Santo. 

Filmes da competitiva de longas-metragens:

O polêmico Febre do Rato, um dos destaques da competitiva…

– Bertsolari. Asier Altuna. Documentário. 35mm. 90’. Cor. Espanha. 2011

– Distancia (Distância). Sergio Ramírez. Ficção. 75’. HDV. Guatemala. 2011

– En el Nombre de la Hija (Em Nome da Filha). Tania Hermida. Ficção. 102’. 35mm. Cor. Equador. 2011

– Febre do Rato. Cláudio Assis. Ficção. 35mm. 90’. Preto e Branco. Brasil. 2011

– Fecha de Caducidad (Data de Vencimento). Kenya Márquez. Ficção. 100’. 35mm. Cor. México. 2011

– Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now! Ninho Morais. Documentário. HD. 76’. Cor. Brasil. 2011

– Rânia. Roberta Marques. Ficção. 85’. 35mm. Cor. Brasil. 2011

– Un amor (Um Amor). Paula Hernández. Ficção. 35mm. 100’. Cor. Argentina. 2011

– Violeta se Fue a los Cielos (Violeta se foi para o céu). Andrés Wood. Ficção. 110’. 35mm. Cor. Chile. 2011 

Filmes da competitiva de curtas-metragens:

– A Galinha que Burlou o Sistema, de Quico Meirelles (SP, fic/doc, 15min, 35mm, 2012)

– Dia Estrelado, de Nara Normande (PE, ani, 17min, 35mm, 2011)

– Disque Quilombola, de David Reeks (SP, doc, 13min, HDV, 2012)

– Dizem que os Cães Veem Coisas, de Guto Parente (CE, fic, 12min, outro, 2012)

– Lambari, de Márcio Soares (MG, fic, 14min, fic, HDV, 2012)

– Os Lados da Rua, de Diego Zon (ES, fic, 15min, 35mm, 2012)

– Os Mortos-Vivos, de Anita Rocha da Silveira (RJ, fic, 19min, outro, 2012)

– Querença, de Iziane Filgueiras Mascarenhas (CE, fic, 19min58seg, 35mm, 2012)

– Realejo, de Marcus Vinicius Vasconcelos (SP, ani, 12min47seg, HDV, 2012)

– Santas, de Roberval Duarte (RJ, exp, 15min, HDV, 2012)

– Século, de Marcos Pimentel (MG, fic/exp, 11min, 35mm, 2011)

– Três Vezes por Semana, de Cristiane Reque (RS, fic, 15min, 35mm, 2011)

 Homenagem

O consagrado ator pernambucano MARCO NANINI será o grande Homenageado do Cine Ceará 2012. Ator de filmes como “Feliz Ano Velho”, “Carlota Joaquina, Princesa do Brasil” e “O Bem Amado”, ele se junta ao time de grandes atores como Patricia Pillar, Giulia Gam e Sonia Braga, que já receberam o troféu Eusélio Oliveira. Nanini já confirmou a presença na abertura do festival.  

“A 22ª edição do Cine Ceará atesta a contribuição deste festival para a produção do cinema brasileiro. O Cine Ceará se firma como um dos mais importantes eventos da nossa área cinematográfica, divulgando filmes e prestigiando seus artistas. É com muita alegria, portanto, que recebo a homenagem desse Festival, sentindo-me honrado por ter sido lembrado para receber o troféu Euselio Oliveira”, afirma Nanini. 

O Festival

O Cine Ceará, festival ibero-americano de cinema realizado há mais de duas décadas em Fortaleza, faz parte da FF (Frente dos Festivais), ao lado dos festivais do Rio, Brasília, Gramado e Recife. O evento é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria da Cultura e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). 

Site oficialhttp://cineceara.com 

Selecionados do Cine Ceará serão divulgados em maio

22ª edição do Festival IberoAmericano vai acontecer de primeiro a 8 de junho 

Cento e cinco longas-metragens foram inscritos para o Cine Ceará, segundo a Associação Cultural Cine Ceará, organizadora do festival. O destaque ficou por conta do número de filmes brasileiros, com alta de cerca de 6% em relação ao ano de 2011, reforçando o bom momento da produção audiovisual.

O Cine Ceará, que é ibero-americano – ou seja, contempla países da América Latina e o Caribe, Portugal e Espanha – recebeu inscrições de 15 países. Os estrangeiros representam aproximadamente 37% dos inscritos (39 longas). 

“Em termos absolutos, o total de longas inscritos é praticamente o mesmo do ano passado, mas, como tivemos uma semana a menos no prazo para inscrição este ano, podemos considerar que houve um acréscimo, em termos proporcionais”, comenta o diretor executivo do festival, Wolney Oliveira. Para ele, “a surpresa foi o crescimento de títulos argentinos, país que tem se destacado no cenário mundial, com obras de grande qualidade. Foram 16 inscritos.” 

Entre os curtas, a competição é nacional. Nesse formato, o Cine Ceará recebeu 331 pedidos de inscrição, cerca de 7% a mais do que os 309 de 2011. Ao todo, serão selecionados 8 longas e 12 curtas para a disputa do Troféu Mucuripe. Em maio, serão divulgados os títulos escolhidos.

O 22° Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).

Cine Ceará em Destaque

21º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema apresenta este sábado a seguinte programação:

 Às 17 horas, o documentarista Eduardo Coutinho estreia em Fortaleza o filme Moscou, no Espaço Unibanco de Cinema Dragão do Mar 2, onde filmes do cineasta serão exibidos até dia 14. A partir de 18h30, o festival leva ao palco do Theatro José de Alencar o ator Daniel de Oliveira para a entrega do Trofeu Eusélio Oliveira. Após a homenagem, tem início a Mostra Competitiva de Curta-Metragem, reunindo os seguintes filmes:

“O acaso e a borboleta”, de Tiago Américo (PR) e “Julie, agosto, setembro”, de Jarleo Barbosa (GO). Os longas-metragens “Assalto no cinema”, de Iria Gomez (México) e “Todos teus mortos”, de Carlos Moreno (Colômbia) também são destaques da programação e encerram o quarto dia de evento. 

Eduardo Coutinho: homenagem e filmes em Mostra Especial no Cine Ceará

Até a próxima terça, são realizadas exibições diárias gratuitas de filmes em longa e curta metragens – numa ampla programação de mostras competitivas e paralelas. O Cine Ceará será encerrado na noite da próxima quarta, dia 15, com a solenidade de premiação dos vencedores do Festival. Ao longo dos próximos dias, o público cearense e convidados internacionais e nacionais do universo do audiovisual estão desfrutando de um dos festivais de cinema mais consagrados do País.

O Festival acontece pela primeira vez em duas sedes e traz o tema Religião e Religiosidade no Cinema, homenageando os 100 anos de emancipação política de Juazeiro do Norte, conquistada por meio do trabalho social, religioso e político realizado pelo Padre Cícero na região do Cariri, sul do Ceará. A programação tem entrada gratuita em Fortaleza até dia 14. Em Juazeiro do Norte, o Cine Ceará acontece até 16 de junho, no Memorial Padre Cícero e no Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri, com uma parte da programação de Fortaleza.

Daniel de Oliveira recebe homenagem do Cine Ceará

O Cine CE traz ao público cearense e visitantes mais de 100 (cem) produções de cinema e vídeo brasileiras e ibero-americanas, promovendo intercâmbio entre profissionais de audiovisual e abrindo espaço aos que querem ingressar na área. O festival promove as Mostras Competitivas de Curta e Longa-metragem e ainda seminários, oficinas e mostras especiais, além de homenagear profissionais e personalidades de renome nacional e internacional na área do audiovisual.

BABAUPARATODOS no Cine Ceará e em JERI

O cambista que virou artista e não quer nem

saber em que bicho isso vai dar

 (Documentário – duração: 15 minutos – ano de produção: 2010 – direção: Carlos Normando*)

Fotografia/câmera:  Rômulo Fonseca e J. Moreira (Pastinha)

Som direto:  Weffiston Brasil

Produção/Edição/Direção:  Carlos Normando

Músicas:  Babau do Pandeiro

Participações: Babau do Pandeiro, Paulo Oliveira, Cleílton dos Teclados e o brega star Falcão

Prêmios em Festivais:  3º lugar na 6ª Mostra do Curta Nordestino (FestNatal 2010); selecionado para o 18º Gramado Cine Vídeo (2010); selecionado para o 8º Festival de Cinema de Maringá (2011).

Conheça um pouco mais sobre o filme através de seu próprio criador, o cineasta CARLOS NORMANDO: 

Qual o motivo da escolha desse tema?

 O Babau do Pandeiro é antes de tudo um cara corajoso. Com mais de 70 anos, resolveu ser cantor e com tudo o que não se espera de um cantor. Como diz o Falcão no filme, ele não tem cara de galã e nem voz de veludo… Então foi esse o motivo principal da escolha do Babau como personagem do documentário. Se ele fosse bonito e tivesse uma voz espetacular, seria apenas mais um.

Como foi o trabalho de captação das imagens?

Foi tudo muito planejado e com antecedência. Corri o risco até dele não topar fazer o filme. Quando fui conhecê-lo pessoalmente, as anotações com as primeiras ideias já estavam bastante avançadas. Mas funcionou legal. Quando se planeja tudo direitinho, você já chega sabendo o que quer fazer e como fazer. E o resultado disso é o aproveitamento do material filmado. Juntando tudo, não usei nem três fitas de Mini-DV.

Foram cinco manhãs de filmagens. E uma equipe altamente enxuta e sintonizada: eu o cinegrafista e o técnico de som. Fui tudo produzido com o apoio técnico do Laboratório de Audiovisual e Novas Mídias da Universidade de Fortaleza – Unifor.

 E de onde saiu esse título?

Ah! A etapa da criação do título é talvez a mais importante para mim. Enquanto eu não consigo um título convincente, eu não me sinto com segurança para dar início ao projeto. É uma das primeiras coisas em que penso. Inicialmente, tinha pensado em “Babau para todos”. Aí uma aluna minha de Publicidade, a Carolina Saraiva, deu a ideia de juntar tudo numa só palavra. Fica tão estranho quanto o personagem, disse-me ela. Comprei na hora a ideia!

E a edição?

Por mais que se planeje um documentário como esse, a edição é o momento em que o trabalho realmente nasce. Diante de todos os clipes de vídeo disponíveis, você vai definindo uma sequência que considere interessante. Só não dá pra se apaixonar pelo material, pois muitas vezes você é obrigado a cortar determinado trecho e isso pode ser uma decisão muito difícil. Mas a edição é outra etapa que odoro. Acho até que todo diretor deveria sentar diante do computador e, ele mesmo, operar a máquina.

Onde o documentário será exibido?

Inicialmente, na TV Unifor. E no circuito dos festivais. São mais de cem festivais no Brasil inteiro. Meus outros trabalhos tiveram um excelente desempenho nesses festivais. Só para citar alguns exemplos, ganhei prêmios de melhor curta nos festivais de Maringá-PR, no Fricine, em Nova Friburgo-RJ, no Guarnicê, em São Luís, no Cine Ceará, entre outros. Mas o grande lance é mostrar o trabalho por aí… Já tive três documentários meus selecionados para exibição em rede nacional pela TV Câmara (programa Olhares).  

Quem é Carlos Normando

Cearense de Fortaleza, jornalista e professor universitário dos cursos de Audiovisual e Novas Mídias (Unifor) e de Publicidade e Propaganda (Faculdade Cearense). Fez estágio em “Cinema Verdade” na escola Varan Ateliers de Paris. É autor dos documentários “Lolô S.A.”, “Possante Velho de Guerra”, “Tons de Totonho” entre outros.

Inscrições ao XX CINE CEARÁ

Até dia 30 inscrições à Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem e para a Competitiva Brasileira de Curta-Metragem do XX CINE CEARÁ – Festival Ibero-Americano de Cinema, a acontecer de 24 de junho a 1 de julho . 

Regulamento e ficha de inscrição: www.cineceara.com.br. Resultado da seleção será divulgado pela organização do Cine Ceará até 15 de maio. 

Para a Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem, podem concorrer filmes em formatos profissionais (16mm, 35mm, ou vídeo com no mínimo 700 linhas de resolução), com duração mínima de 70 minutos, devem ter sido concluídos a partir de junho 2008 por produtores e/ou diretores ibero-americanos (países da América Latina e o Caribe, Portugal e Espanha). O vencedor na categoria de melhor longa-metragem receberá o troféu Mucuripe e prêmio de US$ 10 mil (dez mil dólares). Também receberão troféu os vencedores de longa-metragem nas categorias: direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator e atriz e prêmio da critica ao melhor filme. 

Para a Competitiva Brasileira de Curta-Metragem podem concorrer trabalhos de produtores e/ou diretores brasileiros ou radicados no Brasil há mais de três anos. Os filmes devem ter duração máxima de 20 minutos e em qualquer formato (16 mm, 35mm ou vídeo com no mínimo 700 linhas de resolução), nos gêneros animação, ficção, documentário ou experimental.

Os trabalhos enviados devem ter sido concluídos a partir de junho de 2008 e não terem participado de processos seletivos nas edições anteriores deste Festival. Serão premiados com o troféu Mucuripe os melhores nas categorias: melhor curta, direção, fotografia, edição, roteiro, som, direção de arte, ator e atriz.

O XX Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura e Desporto, e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A Realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).