Arquivo da tag: cinema brasileiro é no blog Aurora de Cinema

Catanduva de Cinema vai lembrar Centenário de Vinícius

De 23 a 26 próximos, a cidade de Catanduva realiza sua I Mostra de Cinema e terá filmes com grandes ícones da Música Popular Brasileira…

Nome mais popular da Poesia Brasileira, VINÍCIUS DE MORAES será lembrado na tela e em recital…

A primeira Mostra Cinema de Catanduva é uma realização da Prefeitura Municipal de Catanduva (SP) através de sua Secretaria de Cultura, cujo titular é o professor Nelson Lopes Martins.

A Mostra começou a ser pensada em 2012, e vem sendo trabalhada desde então, tendo como objetivo principal oferecer ao público acesso gratuito a importantes obras da Cinematografia Brasileira.

Mostra CARTAZ

Enxergando o fazer artístico e a produção cultural como pilares para o desenvolvimento saudável e prospectivo de qualquer contingente demográfico, defendemos a necessidade de o Cinema – entendido como a arte mais rica de todas porque a mais abrangente -, figurar entre as prioridades da gestão municipal pelo papel estratégico que tem no processo de desenvolvimento.

Catand Est Central

A Estação Cultura de Catanduva: já a todo vapor para a Mostra de Cinema…

Nesse sentido, e entendendo só ser possível amar o que se conhece, nasceu a I Mostra Cinema de Catanduva. Idealizada pelos jornalistas Felipe Boso Brida e Aurora Miranda Leão, os quais assinam a Curadoria, a Mostra Cinema de Catanduva será aberta às 19:30h do próximo dia 23 e vai acontecer até dia 26 em diversos espaços culturais de Catanduva.

A Curadoria acredita ser de fundamental relevância para estimular o apreço pelo Cinema Brasileiro e o respeito pelo enorme contingente de trabalhadores nele envolvido, o contato com a quantidade/diversidade de filmes que vem sendo feitos no país. E uma das formas de estimular esse amor e respeito ao Cinema Brasileiro é tomando conhecimento da vasta produção audiovisual do país, por isso todos os filmes da I Mostra Cinema de Catanduva terão exibições gratuitas para a população de Catanduva e cidades vizinhas.

Humberto Teixeira, notável parceiro de Luiz Gonzaga, foco do filme de Lírio Ferreira e Denise Dumont, também estará na tela de Catanduva…

Daí porque a Mostra foi pensada de forma diferenciada e sem prender-se a anos de produção. Na grade de programação, estarão filmes de décadas diversas, de temáticas variadas e gêneros distintos, vindos de diversos estados do país. Na programação está desde o clássico Roberto Carlos em ritmo de aventura, de Roberto Farias, até o premiadíssimo Colegas (vencedor, entre outros, do Festival de Cinema de Gramado em 2012), bem como os também premiados curtas-metragens Acalanto, Hooji, O Membro Decaído, A Dama do Estácio (com Fernanda Montenegro), e Um de nós morre hoje.

Filme mais conhecido com Roberto Carlos será exibido em Catanduva em sessão especial…

A oportunidade de conhecer, conversar e trocar idéias a partir de alguns importantes títulos dentre as muitas produções expressivas do Cinema Brasileiro contemporâneo  – de várias décadas distintas -, objetiva difundir entre os moradores de Catanduva e cidades vizinhas o apreço pelo cinema brasileiro; despertar vocações e fomentar o gosto pelo estudo da Sétima Arte; e, sobremodo, contribuir para a formação de plateia para a crescente produção cinematográfica brasileira, de curtas, médias e longas-metragens, cuja qualidade vem sendo atestada constantemente pela recepção que nossos filmes vem obtendo no circuito de festivais, seja no exterior ou em nível nacional.

Ittala Nandi estará em Catanduva para lançamento de sua biografia

Para tanto, a I Mostra Cinema de Catanduva terá uma programação de 4 dias, nos quais serão exibidos 4 curtas-metragens por dia, antecedendo a exibição de um longa-metragem, totalizando 30 filmes entre sessões infantis, sessões extras e especial.

Fe eu e David Blog

Felipe Brida, Aurora M. Leão, Uélita (amiga de Anápolis) e David Cardoso…

Ressalte-se: a I Mostra Cinema de Catanduva também quer dar visibilidade a grandes ícones da Cultura Brasileira, daí porque em sua programação estão filmes onde se reverenciam Personalidades da Cultura…

1.Um dos grandes ícones do cinema popular, o ator, produtor e diretor Amácio Mazzaropi (Documentário do jornalista Celso Sabadin);

2. O movimento musical que promoveu uma reviravolta na música (Tropicália, de Marcelo Machado);

3. O grande compositor nordestino que foi um dos mais constantes parceiros de Luiz Gonzaga, o chamado ‘Doutor do Baião’, Humberto Teixeira (Doc ‘O Homem que engarrafava nuvens’, de Lírio Ferreira);

4. O grande Poeta, Compositor, Cronista e Crítico de Cinema, criador da Bossa Nova, Vinícius de Moraes (documentário Vinícius, de Miguel Faria Jr.), no ano de seu centenário;

5. O grande ícone da MPB, o Rei Roberto Carlos, através da exibição do filme mais popular com o REI, ‘Roberto Carlos em ritmo de aventura’, de Roberto Farias.

Além desses filmes, haverá também o lançamento das biografias do ator/diretor/produtor David Cardoso, e a da atriz Ittala Nandi; lançamento de dois livros do poeta Jorge Salomão (que estará em Catanduva como um dos representantes da Tropicália); oficina de Roteiro com o professor Pedro Lucínio; e palestras com a atriz Ittala Nandi e o ator Flávio Guarnieri.

Flávio Guarnieri vai fazer palestra sobre o ofício do Ator

Poeta Jorge Salomão, ícone tropicalista, vai lançar dois livros em Catanduva…

Outubro de CINEMA em Catanduva

Cidade paulista prepara sua primeira mostra audiovisual

Catand Est Central

Antiga estação ferroviária de Catanduva…

Nascida Cerradinho, nome dado por conta de sua localização, iniciada em área de cerrado ralo. A Vila pertencia ao município de São José do Rio Preto até chegar a Estrada de Ferro em 1910. E o progresso fez surgir o município de Catanduva, instalado em 14 de abril de 1918, em solenidade realizada no Clube 7 de Setembro.

 

Conhecida como Cidade Feitiço pela hospitalidade típica de seus moradores, CATANDUVA orgulha-se por esse traço tão peculiar e festejado por quem a visita: receber com muito carinho e atenção todos os visitantes.

A Estação Cultura de Catanduva, onde funcionava a estação ferroviária, hoje sede da Secretaria de Cultura…

Agora, a CIDADE FEITIÇO prepara-se para realizar sua primeira mostra de Cinema. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Catanduva, através de sua Secretaria de Cultura, e acontecerá durante 4 dias, com a programação inteiramente gratuita.

Mostra CARTAZ

De 23 a 26 deste outubro, os catanduvenses estarão recebendo de braços abertos os visitantes, realizadores e artistas de cinema que vão aportar na cidade paulista para ver, debater, conversar e ensinar cinema.

A programação completa você vai acompanhar aqui no blog Aurora de Cinema, onde estaremos abordando, a partir de hoje, todos as etapas de realização da I Mostra de Cinema de Catanduva e dando detalhes da programação.

AMostra de Cinema de Catanduva conta com apoio de várias parcerias importantes, como Secretaria de Educação, SESC, APAE, FATEC, IMES CATANDUVA, e PAULINHOS GRILL.

 

Matriz Catand

A bela igreja Matriz de Catanduva…

SAIBA MAIS SOBRE CATANDUVA


Entre as diversas versões sobre a fundação de Catanduva, os historiadores destacam duas. Uma delas afirma que o povoado teria se iniciado quando uma família mineira chamada Figueiredo chegou ao local no final do século XIX, em torno de 1890, onde deu início à primeira lavoura e construiu a primeira casa de telhas no bairro São Francisco. Os Figueiredo teriam recebido as terras como herança da família Moreira, de nacionalidade portuguesa.

Catand

O bairro São Francisco, por sua vez, é apontado como o primeiro bairro catanduvense, devido à proximidade com o Córrego Minguta. Outra versão diz que a cidade teria sido fundada por Antônio Maximiano Rodrigues, mineiro de Conceição do Rio Verde, que teria adquirido terras da região por volta de 1890, fazendo, posteriormente, a doação de alqueires de sua propriedade para a paróquia de São Domingos. Existe ainda uma terceira versão, mais descartada pelos historiadores, que aponta Domingo Borges da Costa, conhecido como Minguta, como fundador. 


Pelas datas e nomes nada se resolve. Se de fato Figueiredo herdou essas terras de seus antepassados, não existem documentos que provem isso. Por outro lado, os únicos documentos existentes e conhecidos apontam Maximiano como o verdadeiro possuidor e fundador dessas terras, o que se confirma na transcrição feita em 18 de setembro de 1890 no Cartório de Registro de Imóveis e Anexos da Comarca de Jaboticabal, na qual Maximiano adquiriu, por escritura pública lavrada, 100 alqueires de terra na Fazenda Barra Grande, no termo daquela Comarca e onde hoje se situa Catanduva. Historicamente, sabe-se: Catanduva surgiu em meados dos anos 1850, em terras que pertenciam ao município de Araraquara e que, posteriormente, originaram as cidades de Jaboticabal, Monte Alto e São José do Rio Preto, de onde viria a se desmembrar o município de Catanduva.

Estação esta

A Estação Cultura de Catanduva: espaço histórico que reúne beleza e funcionalidade…

 

FECIM agradece celebrando parceria com Aurora de Cinema

Festival quebra fronteiras e coloca TV & Cinema no mesmo espaço, um aconchegante teatro de bolso no interior capixaba

É tão bonito, carinhoso e cativante o AGRADECIMENTO dirigido a esta redatora pelo jovem jornalista e produtor cultural capixaba Léo Alves, que a melhor forma que encontrei de respondê-lo foi dividindo a imensa alegria de receber este afago com você, leitor amigo !

Léo

Seguem as afetuosas palavras de Léo Alves:

Olá Aurora, boa noite !!

Escrevo para agradecer imensamente a sua presença e a sua energia na realização da 2ª edição do FECIM, o Festival de TV e Cinema de Muqui, que fez o evento crescer e se multiplicar de uma forma incrivelmente dinâmica e democrática. Realizar o FECIM é um sonho e um desafio grandioso, mas que nos dá muito orgulho, pois refletir sobre cinema e TV numa cidade como Muqui vale muito a pena quando unimos o turismo cultural, a economia criativa e a força da mobilização comunitária. Queremos fazer do FECIM um evento cada vez mais sensível, humano, jovem e cheio de vida, e saber que você fez parte desse sonho é muito bacana!

Muito obrigado pelo seu carinho e comprometimento, pelo envolvimento com as pessoas da cidade… Espero que tenha conseguido sentir o espírito do FECIM, este espírito jovem de ousadia e de valorização do patrimônio histórico e cultural. Acredito que fazer a cidade crescer e se transformar positivamente através do Festival contribua grandemente para o desenvolvimento social e cultural do interior sul capixaba.

Espero contar com seu apoio, energia e carinho nas próximas aventuras, pois tenho certeza que, enquanto pudermos contar com pessoas como você, o FECIM só crescerá.

Sua presença será sempre bem vinda! Queremos ver pessoas como você junto conosco, nesta família, nesta equipe tão dinâmica e plural que fortifica e faz acontecer o Festival de Muqui.

Meu forte abraço e meu desejo de um breve reencontro.


Léo Alves
Coordenação e produção FECIM
fecim venc

Vencedores do II FECIM: com o Troféu CATRACA e encantados com Muqui…

* N.R: Léo Alves, Jussan Silva e Silva, Mariana Cândido, Ériton Berçaco, Cláudia Puget e Luíza Lubiana: o blog AURORA DE CINEMA sente-se emocionadamente feliz por fazer parte da Família FECIM e estará sempre à disposição deste belo projeto cultural realizado na adorável Cidade Menina que é MUQUI.

O Blog Aurora de Cinema é parceiro de primeira hora do FECIM e assim quer continuar, vida afora.

Saravá, FECIM !!!

FECIM começa amanhã com a CATRACA mais cobiçada do Brasil

Festival de TV e Cinema Independente acontece em Muqui, maior sítio histórico capixaba, e concorrentes vão disputar troféu criado pela artista Cláudia PUGET….

Catraca

Tudo pronto ! Se você olhar no mapa agora, vai ver uma cidade de braços abertos e coração pulsando, repleta de cores, alegria, gente hospitaleira e ferramentas de Cinema à espera da abertura da segunda edição do FECIM – Festival de TV e Cinema Independente.

Portal

Dentro da jóia arquitetônica que é o Teatro Neném Paiva – um exemplar de nossos melhores ‘teatros de bolso’, estão Léo Alves, Mariana Cândido, Simone Marçal, Wander Polatti, Ériton Bercaço, Rhuan Gualandi, Shayenne Delatorre, Claúdia Puget, e mais umas dezenas de pessoas queridas trabalhando sem cessar com os olhos repletos de satisfação e o coração pulsando da esperança de ver Muqui resplandecer em cinema e festa. Ali, nos espaços do aconchegante teatro e no entorno convidativo do espaço, pessoas de todas as idades se irmanam na mesma emoção, felizes por chegar à segunda edição do FECIM e ansiosos para receber os novos visitantes que no começo da tarde aportam na singular Cidade Menina.

Idealizado por jovens integrantes do grupo cultural ETC – Léo Alves e Jussan Silva e Silva -, o FECIM só tem de pequena a sigla, agora eternizada no criativo e belo troféu idealizado pela atriz e artista Cláudia Puget.

FECIM

Porém, de pequeno mesmo, só o nome FECIM. Pois o festival inventado e coordenado por Léo Alves e Jussan Silva e Silva – e mais uma equipe fabulosa que os acompanha -, é grandioso desde a hora em que nasceu. E tem fôlego de gigante !

O blog Aurora de Cinema aportou em Muqui para conferir a primeira edição, em novembro de 2012, e agora retorna à Cidade Menina do Espírito Santo, na certeza de ali encontrar a melhor acolhida, gente risonhamente feliz, trabalhadores da Arte e amigos da Alegria, tudo contribuindo para a realização de uma segunda edição do Festival de TV e Cinema Independente ainda melhor, ainda mais prolífica e muito mais auspiciosa.

FECIM 3

Prova disso são algumas novidades que já avistamos de longe, como as noites musicais programadas para o ARMACIM e o já cobiçado Troféu CATRACA – nome saído a partir de votação popular incrementada via web-redes sociais.

Confira a programação do FECIM 2013

Quinta-feira – 05/09

16h às 17h30 – Mostra Competitiva 1

  • Paleolito (Animação, 6’13”), de Ismael Lito e Gabriel Calegario. 2013 – RJ – Livre.
  • O mistério da lua (Animação, 1’45”), de Alessandra de Almeida Martins. 2013 – SP – Livre.
  • Surf Surf (Ficção, 17’), de Wellington Sari. 2012 – PR – Livre.
  • Família em Férias (Animação, 1’10”), de Wayner Tristão. 2012 – ES – Livre
  • Animador (Ficção, 20’), de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet. 2012 – SP – Livre
  • Vias Circulatórias (Ficção, 1’54”), de Leonardo Pedrini. 2010 – ES – Livre.
  • As aventuras de rabisco (Ficção, 4’50”), de Marcos Teixeira. 2013 – DF – Livre
  • Eu nunca devia ter voltado (Ficção, 15’), de Eduardo Morotó, Marcelo Martins Santiago e Renan Brandão. 2012 – RJ – Livre
  • A triste história de Kid Punhetinha (Ficção, 15’), de Andradinha Azevedo e Dida Andrade. 2013 – SP – 14 anos.

18h – Cortejo poético de abertura do FECIM com a Banda Lira 24 de Junho

Concentração no Teatro Neném Paiva

19h – Abertura Oficial

Homenagem a Markus Konká – Ator homenageado do Fecim 2013.

19h20 – Mostra Competitiva 2

  • Luminares (Animação, 6’), de Juan Pablo Zaramella. 2011 – Argentina – Livre
  • Com os pés na cabeça (Ficção, 15’07”), de Tiago Scorza e Gabriela Luizzi Dalmasso. 2010 – CE/RJ – Livre.
  • A última canção (Documentário, 14’08”),  de Taynara Barreto. 2012 – ES – Livre
  • Trocam-se bolinhos por histórias de vida (Ficção, 15’), de Denise Marchi. 2010 – RS – Livre.
  • A mão que afaga (Ficção, 19’), de Gabriela Amaral Almeida. 2012 – SP – 10 anos.
  • A Ilha das Bonecas (La islã de las muñecas) (Documentário, 7’17”), de Wayner Tristão e Lucas Bonini. 2012 – ES – 12 anos.
  • Pintas (Animação, 12’57”), de Marcos Vinicius Vasconcelos. 2013 – SP – 14 anos.
  • Além da Margem (Ficção, 9’), de Marcos Jardym. 2012 – RJ – 14 anos.
    • Um de nós morre hoje (Ficção, 16’), de Gabriel de Almeida e Weiller Vilela.  2013 – MG – 14 anos

21h30 – Mostra de TV

  • Web Série Pé na Estrada (Documentário, 19’59”), de Giandro Gomes. 2012 – ES – Livre
  • Fazendo a Social (Ficção, 6’30”), de Erica Rodrigues e Eduardo Bezerra.2011 – SP – 14 anos

22h – ARMACIMO Armazém musical do FECIM

show

Música e Literatura com Ricardo Lemos – No restaurante e churrascaria Armazém

Sexta-feira – 06/09

De 9h as 11h – 2a Mostra de Animação do Festival de Vitória – Vitória Cine Vídeo no FECIM  (2 sessões)

  • A Bruxinha Lili e ao Baleia Belena, 6’, de Ducca Rios,Hugo Dourado,Leonardo Copello de Miranda. 2010 – BA – Livre.
  • Feira da Fantasia – O Filme, 10’25”, de Talvanes Moura. 2010 – CE – Livre.
  • O Enigma da Água, 3’34”, de Wesley Rodrigues. 2011 – RS – Livre.
  • O Anão que virou Gigante, 10’, de Marcelo Marão. 2009 – RJ – Livre.
  • Meio a Meio, 2’40”, de Danilo Amorim. 2012 – ES – Livre.
  • A Princesa e o Violonista, 10’30”, de Lisandro Santos e Guto Bozzette.. 2012 – ES – Livre.
  • Tentáculos, 5’44”, de Thiago Quadros, Alvaro Victorio, Beth Soares, Beto Paiva, Leandro Batista, Rafael Carvalho, Vinícius lewer.  2010 – RJ – Livre.
  • João, O Galo Desregulado, 10”, de Alê Camargo e Camila Carrossine. 2013 – SP – Livre.

Leo e C

Léo Alves e Claudinha Puget: Artistas unidos pelo FECIM

14h às 16h – Mostra Competitiva 3

  • O menino invisível (Ficção, 8’48”), de Murilo Deolino, Danilo Umbelino e Uiran Paranhos. 2013 – BA – Livre.
    • Além do mar que há entre lá e cá (Documentário, 20’), de Heitor Riguette, Henrique Gaudio, Maíra Tristão, Matheus T. Costa e Raphael Brun. 2012 – ES – Livre
    • Dia Estrelado (Animação, 17’), de Nara Normande. 2011 – PE – Livre.
    • A Fantástica Vida de Baffus Bagus Bagarius (Ficção, 13’36”), de Alexandre S. Buck. 2012 – ES – Livre.
    • O menino que sabia voar (Animação, 10’48”), de Douglas Alves Ferreira. 2013 – SP – Livre
    • Cabeça de Papelão (Animação, 20’), de Quiá Rodrigues. 2012 – RJ – Livre.
      • Menino do 5 (Ficção, 25’), de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira. 2012 – BA – 10 anos.

16h às 17h – Mostra “Todo mundo tem uma história” – Documentários (não competitiva). Documentários realizados em oficinas de realização audiovisual em projetos.

  • No tempo da Nonna (Documentário, 11’58”), realizado por alunos de Vargem Alta, Mostra de Cinema Rural 2010 – ES – Livre.
  • O Guardião da Pedra (Documentário, 12’36”), realizado por alunos de Irupi, MoVA Caparaó 2009 – ES – Livre.
  • Toda casa uma história tem (Documentário, 11’28”), realizado por alunos de Dores do Rio Preto, MoVA Caparaó 2009 – ES – Livre.
  • Branco (Documentário, 10’57”), realizado por alunos de Divino São Lourenço, MoVA Caparaó 2009 – ES – Livre.
  • Bonzim Bonzim (Documentário, 12’38”), realizado por alunos de Brejetuba, Mostra Rural 2009 – ES – Livre.

17h às 18h30 – WORKSHOP | CINECLUBE. “Um papo cineclubista”. Com Ricardo Sá e Luciano Guimarães

caneca

19h – Mostra Competitiva 4

  • Meu olho direito (Mi ojo derecho) (Ficção, 13’), de Josecho de Linares. 2012 – Espanha – Livre
  • São Sebastião, o Caboclo Flecheiro (Documentário, 17’22”), de Paulo Paraizo e Villinevy Koppe. 2011 – ES – Livre
  • De Ontem (Animação, 2’), de Marcelo Tannure. 2012 – MG – Livre
  • Feijoada Completa (Ficção, 13’), de Angelo Defanti. 2012 – RJ – 10 anos
  • O que Bererico vai pensar? (Documentário, 27’38”), de Diego Scarparo. 2012 – ES – 12 anos
  • Derredor (Ficção, 18’40”), de André Aragão. 2012 – SE – 12 anos
  • A onda traz, o vento leva (Documentário, 28’), de Gabriel Mascaro. 2012 – PE – 14 anos
  • Da alegria, do mar e de outras coisas (Ficção, 13’), de Ceci Alves. 2012 – BA – 14 anos.

Catraca 2

CATRACA de Cinema: criação de Cláudia Puget..

21h30 – Cinema na Praça

Exibição do Longa “Doméstica” – do Diretor Gabriel Mascaro. 2012, Documentário, 75’ minutos.

22h – Armacim – O Armazém musical do FECIM

Luau musical com DJ – No restaurante e churrascaria Armazém

Sábado – 07/09

10h às 12h – DIÁLOGOS | DOCUMENTÁRIO. “Sá e seu olhar no cinema e na produção de documentários”. Ricardo Sá e Bernadette Lyra

14h às 16h – DIÁLOGOS | SERIADO E WEB TV. “Experiências na produção de seriados de TV e Web Séries”. Com Guto Aeraphe e Aurora Leão.

16h às 18h – Mesa DIÁLOGOS | O POVO NA TV. “A representação das domésticas na TV e no Cinema”. Com Gabriel Mascaro, Lais Mendes Pimentel e Kátia Moraes.

18h às 19h – Mostra “Todo mundo tem uma história” – Documentários (não competitiva). Documentários realizados em oficinas de realização audiovisual em projetos.

  • Ous Land “Nossa Terra” (Documentário, 10’41”), realizado por alunos de Laranja da Terra, Mostra de Cinema Rural 2009 – ES – Livre.
  • Warneri (Documentário, 11’25”), realizado por alunos de Marechal Floriano, Mostra de Cinema Rural 2009 – ES – Livre.James Johnson (Documentário, 11’08”), realizado por alunos de Baixo Guandu, Mostra de Audiovisual Etnográfica 2010 – ES – Livre.
  • O artesão do Asfalto (Documentário, 9’32”), realizado por alunos de Baixo Guandu, Mostra de Audiovisual Etnográfica 2011 – ES – Livre.
  • O Senhor do Sol (Documentário, 11’50”), realizado por alunos de Nova Venécia, Mostra de Audiovisual Etnográfica 2010 – ES – Livre.

19h – Mostra Perfil – Ricardo Sá

  • Procurando Madalena. Um Documentário Capixaba (Documentário, 27’. 2011).
  • Era assim… naquela época (episódio da série Descendentes) (Documentário, 35’. 2013).

sala

O Espaço VIP do FECIM em preparação…

20h30 – Noite de PREMIAÇÃO

Melhor Ficção

Melhor Documentário

Melhor Animação

Melhor Filme de TV

Melhor filme Júri Popular

Catraca 3

Cláudia Puget criando o troféu capixaba mais cobiçado do Brasil

22h – ARMACIM – O Armazém musical do FECIM

Luau com Regional da Nair – No restaurante e churrascaria Armazém

Domingo – 08/09

9h às 11h – Chuva de Poesias na Igreja

Passeio de Bicicleta pelas ruas de Muqui

Casario histórico: exuberância ofertada pela Cidade Menina, Muqui

O II FECIM é uma ação cultural de cunho cinematográfico, idealizada pelo Grupo Cultural ETC, coletivo de jovens realizadores de Muqui, e pelo Instituto Parceiros do Bem, e tem  parceria da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo e da Prefeitura Municipal de Muqui, bem como apoio do Canal Futura, TV Gazeta Sul, Revista Lugar de Notícias, Gráfica e Editora Grafitusa, Vitória Cine Vídeo, Blog Aurora de Cinema e outros apoios regionais importantíssimos para o sucesso da edição 2013.

Muqui e sua invulgar beleza cinematográfica, cenário do FECIM…

Natal de Caboré e Abraço de Maré

Capital nordestina tem belo DOC para ganhar circuito audiovisual e prepara Festival para abrir 2014 com Alegrias de Cinema

Natal, cidade nordestina arretada de gostosa e bonita, é uma das muitas cidades brasileiras premiadas com cenários naturalmente cinematográficos.

Não é incomum estar por lá e não ter a mente, imediatamente, pontilhada de imagens estonteantes e vontade de pegar uma câmera e sair filmando suas belezas singulares.

IMG_1705

Márcia Lohss, Bruno Diniz e Aurora Miranda Leão

Pois é nessa direção que a atriz e produtora Márcia Lohss – que tive a alegria de conhecer em Campina Grande durante Seminário sobre Interpretação promovido pela UEPB e Secretaria de Cultural do Município -, seguiu quando resolveu criar um painel para evidenciar os potenciais artísticos do povo potiguar e dar-lhes a dimensão própria da telona de cinema.

As ideias foram brotando, ganhando formatos na imaginação e no papel, e brotou a ideia que deve concretizar-se em 2014: o Festival Caboré de Cinema, cujas inscrições deverão ser abertas ainda este ano.

IMG_6935

Márcia Lohss e Aurora de Cinema: nordestinas de Cinema !

Conhecendo Márcia Lohss logo se percebe que ela não é de poucas histórias nem de ficar parada preparando o próximo personagem: a inquieta cidadã norte rio-grandense não descansa no salto, concede aos belos cabelos ruivos um descontraído cavalgar no vento e segue anotando ideias, costurando parcerias e fazendo brotar sementes que vão dar bons frutos ao amplo painel a ser instaurado com o Festival Caboré. O foco central será a Sétima Arte mas Márcia Lohss quer agregar muitas outras fontes artísticas para dar sustança, alavancar e reverberar o Caboré país afora.

E não é difícil perceber que o movimento artístico e a produção audiovisual em Natal vem ganhando bons contornos e tem tudo para gerar ótimos frutos. Uma clara demonstração disso foi exibida em Campina Grande, na noite festiva de encerramento da oitava edição do Festival COMUNICURTAS, comandado pelo jovem e indormido cineasta/professor/roteirista/produtor André da Costa Pinto.

IMG_1719

Victor Ciriaco, Aurora Miranda Leão e Hélio Ronyvon no Comunicurtas

Na tela do Comunicurtas, que tinha como cenário o histórico Teatro Severino Cabral, o público campinense e de muitos convidados e realizadores de cinema de várias partes do país, foi exibido, em pré-lançamento, o curta Abraço de Maré, de Victor Ciriaco e Hélio Ronyvonn, todo rodado pela capital potiguar.

IMG_1747

Pipa, Márcia, André, Aurora, Ronyvon e Victor no Comunicurtas…

Trabalho de boa densidade dos estreantes no audiovisual, Victor Ciriaco e Hélio Ronyvon, Abraço de Maré um dos mais belos documentários produzidos atualmente por estas bandas do Nordeste, de anos de carência cultural, seca, aridez no cenário artístico nacional, quase nenhuma visibilidade ee remotas chances de produzir algo capaz de competir em pé de igualdade com os centros mais beneficiados na seara artística, sobretudo por questões políticas, financeiras e mesmo geográficas.

O curta Abraço de Maré é uma gratíssima surpresa vinda de Natal, assinado por dois jovens de inegável talento, chegando com delicadeza, garra, simplicidade e vontade de fazer mais. Ao lado deles,  também potiguar Pipa Dantas assina a caprichada montagem de Abraço de Maré, e o resultado é um filme leve, bem produzido, gostoso de ver e com um salutar ar naif, enriquecido pela sábia opção de seus criadores pelo P x B.

coq praia

Ao jogar luzes sobre um casal que vive num barraco à beira de um braço de maré tão pobre quanto lindo na capital do Rio Grande do Norte, Victor Ciriaco e Hélio Ronyvon nos conduzem pela vida singela e sem ambições do inusitado casal que vive cercado de dificuldades, emoldurados por carências e belezas naturais a escapar de seu cotidiano sem luxo e com muita dificuldade, conseguindo fazer daqueles dias sem horizontes e escassas chances de significativas melhoras, uma realidade quase à parte das múltiplas possibilidades e céleres mudanças contemporâneas. E nisso está o grande acerto de Abraço de Maré: conseguir criar uma ilha de sensibilidade, calma, placidez do olhar e sossego emocional ao ver espraiar-se na tela  aquele mundo tão à parte (?) e aparentemente sem sentido e sem porquê, protagonizado pelo ‘primitivo’ casal que da vida quer apenas amar, viver em paz, curtir um dia-a-dia sem sobressaltos, passar as horas ao lado dos que lhe são caros, usufruir do sabor de um peixe pescado ‘no quintal de casa’, dar bom dia ao sol à beira-maré e esperar a noite ao trinado de pássaros iluminado pela luz natural emanada das estrelas e das luzes que brotam em fartura como feixes emanados do Criador.

E afinal, não é apenas isso o que, no íntimo e no mais das vezes, queremos todos nós ? Um amor com gosto de quero mais, ornado pelo brilho natural do Cosmos, com trilha imaginada ao sabor dos sentimentos, cenários espontaneamente sensuais, e acordes clandestinamente calorosos ? Ou, como diria o compositor Cazuza, ‘Eu quero a sorte de um amor tranquilo com sabor de fruta mordida, nós na batida, no embalo da rede, transformando a sede na saliva’…

Ou muito antes o imortal Poeta Vinícius: ‘”Uma casinha qualquer, no colo da serra/ Um palmo de terra pra se plantar/ No colo de uma mulher uma companheira, uma brasileira pra se amar…”

Portanto, Parabéns aos criadores do documentário ‘Abraço de Maré’. Ao lado do recém-lançado ‘Acalanto’ – curta de Arturo Sabóia, que vem do Maranhão, e acaba de ganhar 6 KIKITOS em Gramado -, Abraço de Maré é mais uma prova inegável da fortaleza audiovisual entranhada no ventre prolífico das paisagens naturais, lindas e cativantes do solo nordestino.  Um orgulho para tantos de nós que também nascemos nestas terras e sabemos de suas riquezas e potencialidades, as quais emergems muitas vezes após grandes escombros, mas que são espelho a refletir vigor, ousadia e tenacidade guerreira. Saravááááá !!!

KIKITOS consagram Nordeste em Gramado

BLOG AURORA DE CINEMA direto do Festival de Gramado

Maranhão, Pernambuco e Bahia foram os grandes vencedores em Gramado…

O NORDESTE mandou muito bem em Gramado e marcou muitos gols durante a 41ª Edição do mais popular festival de cinema do país. Além das belas e merecidas homenagens aos atores baianos Othon Bastos (que tem 80 anos e 75 filmes na carreira), e Wagner Moura (consagrado no Teatro, na TV e no Cinema, com vários filmes, mas sobretudo com TROPA DE ELITE), o festival homenageou também as 3 décadas do filme ‘Sargento Getúlio’, do cearense Hermano Penna, consagrando três importantes filmes produzidos e filmados no Nordeste. A programação constava de 16 curtas nacionais, seis longas estrangeiros, e oito longas brasileiros. Com a Curadoria elogiadísisma por conta da qualidade dos filmes exibidos, o festival consagrou um curta e dois longas nordestinos: Acalanto, curta de Arturo Sabóia, é do Maranhão, baseado em obra do escritor moçambicano Mia Couto, e levou 6 KIKITOS, sendo um deles o de MELHOR ATRIZ para a Diva Negra LEA GARCIA.

A estatueta mais popular e mais cobiçada do Cinema Brasileiro, o KIKITO…

Os KIKITOS para Acalanto foram MELHOR FILME para o júri popular, Melhor Filme Júri Oficial, Melhor Diretor para Arturo Sabóia, Direção de Arte para Rogério Tavares,  Trilha-sonora para Luiz Oliviéri, e, como já dissemos antes, MELHOR ATRIZ para Lea Garcia.

Tatuagem, filme de Hilton Lacerda, rodado no eixo Recife-Olinda, foi consagrado em Gramado…

Já o longa TATUAGEM, do roteirista HILTON LACERDA (que já ganhou diversos prêmios no BR e no exterior com o belo filme FEBRE DO RATO, do cineasta Claudio Assis), arrastou 4 KIKITOS e revelou novos talentos do teatro pernambucano e levou os Kikitos de Melhor trilha musical, de autoria do Dj Dolores; MELHOR LONGA para a Crítica, e Melhor Filme para o júri técnico, consagrando o monumental ator IRANDHIR SANTOS como MELHOR ATOR do Festival.

Conforme previu o blog Aurora de Cinema, Irandhir Santos sagrou-se MELHOR ATOR…

O outro longa que veio do Nordeste e ganhou 3 KIKITOS foi o belo A Coleção Invisível, com roteiro do francês-baiano Bernard Attal, do baiano Sérgio Machado, e da cearense Iziane Mascarenhas.

Este filme tem na ficha técnica um nome muito querido deste blog Aurora de Cinema: o de Elson Rosário, cineasta e competente produtor de elenco, que esteve em Gramado coordenando entrevistas, ciceroneando a equipe, e contribuindo para a boa repercussão do filme baiano.

Clarice Abujamra, Vladimir Brichta e Walmor Chagas no filme A Coleção Invisível

A Coleção Invisível, vencedor este ano do Festival Itinerante da Língua Portuguesa – FESTIN -, realizado em abril, em Lisboa, levou os troféus de Melhor Ator Coadjuvante – para o saudoso Walmor Chagas; Melhor Atriz Coadjuvante para Clarice Abujamra; e Melhor Filme para o Júri Popular, dividindo este último troféu com o filme longa-metragem de animação gaúcho, Até que a Sbórnia nos Separe, de Otto Guerra e Ênio Torresan Júnior.

IMG_9589

Arturo Sabóia, Léa Garcia e Aurora Miranda Leão…

Lina Chamie apresenta Os Amigos dia 14, em Gramado

A cineasta paulista e seu elenco de famosos estarão na sessão competitiva

OS AMIGOS, quarto longa da diretora paulista Lina Chamie, vai participar da Mostra Competitiva Nacional do 41º Festival de Gramado.

Rodrigo Lombardi está no elenco da produção paulista Os Amigos

O filme será exibido na quarta, dia 14, às 19h, com a presença da equipe do filme. A história acompanha um dia na vida de Théo, arquiteto de São Paulo que acaba de perder um amigo de infância, Juliano. No funeral, Théo relembra seus amigos e reflete sobre a existência.

Marco Ricca em mais um filme da diretora Lina Chamie…

A atriz Sandra Corveloni também estará em Gramado…

Estão no elenco os atores Marco Ricca, Dira Paes, Sandra Corveloni, Rodrigo Lombardi, Alice Braga, Caio Blat, Fernando Alves Pinto, Otávio Martins e Maria Manoela. O elenco infantil é composto por Gregório Musatti Cesare (Caíto), Julia Weiss Margagini (Manon), Natan Félix Matiusso (Vinícius), Matheus Guimarães (Orácio), Lucas de Oliveira Zamberlan e Davi Butignon Galdeano, que vivem, respectivamente, Théo e Juliano quando crianças.

Alice Braga integra elenco de mais um filme de Lina Chamie…

Os Amigos é da Girafa Filmes e da Dezenove Som e Imagem, de Sara Silveira e Maria Ionescu. A fotografia é de Jacob Solitrenik, a montagem de Karen Harley e a direção de arte de Mara Abreu. Além da direção, Lina Chamie assina também o roteiro. O filme foi rodado ano passado em Sampa.

SINOPSE

Sem amizade não existe o amor. Um dia especial na vida de Théo. Pela manhã, ele vai ao funeral de seu melhor amigo de infância. Durante o dia, as lembranças vêm, levando Théo a olhar a vida de uma outra maneira. É Majú, uma amiga por quem tem grande afeição, que o ajudará a recuperar as esperanças.

LINA CHAMIE

“Santos – 100 Anos de Futebol Arte” (2012) e “São Silvestre” (2013).

Brasil (SP), 2013, 89 min, 12 anos.

Direção/Roteiro: Lina Chamie

Empresa Produtora: Girafa Filmes / Dezenove Som e Imagens

Produção Executiva:Sara Silveria e Maria Ionescu

Diretor Fotografia: Jacob Solitrenick, ABC

Diretora de Arte: Mara Abreu

Trilha Musical: Camille Saint-Saens, Edvard Grieg e Benjamin Britten

Montagem: Karen Harley

Lina Chamie, Aurora Miranda Leão e Rubens Ewald Filho em Curitiba…

* Se você pretende ir a Gramado, escolha o SKY Hotel como hospedagem !

Quando agosto chegar, Gramado vai virar Cinema

A 41a edição do Festival de Cinema de Gramado, que vai acontecer de 9 a 17 de agosto, vai exibir oito longas-metragens brasileiros em competição. Entre filmes de ficção, documentário e animação, os diretores comentam as expectativas para o Festival, bem como experiências passadas no evento e o que esperam da exibição de seus filmes.

“Achamos que nosso filme tem uma voz e que traz algo de novo e original. Ficamos muito felizes com a coragem em selecionar um filme ousado e diferente como o nosso. Estar concorrendo com outros respeitados diretores é gratificante. Esperamos que nosso filme influencie outras pessoas a filmarem e exporem o que têm dentro de si”.

Andradina Azevedo e Dida Andrade, diretores de A Bruta Flor do Querer

“Estar em Gramado vai ser também uma boa oportunidade para lembrar e homenagear o trabalho do Walmor Chagas, que atua ao lado do Vladimir Brichta. Com esse filme, estamos na presença de duas estrelas e de dois grandes atores. Parece-me que o filme passa uma mensagem positiva e necessária para esse clima de transição e dúvidas que vivemos agora”.

Bernard Attal, diretor de A Coleção Invisível

“Ter sido selecionado já é uma tremenda vitória. Se vier alguma premiação, será uma festa! O filme teve quase oito anos de produção e foi feito com muito cuidado e paixão. Tem conflito entre culturas antagônicas e muita música, regados a uma tórrida paixão impossível. É uma temática bastante universal… No mínimo, teremos uma Sbórnia em Gramado este ano!”

Ennio Torresan Jr. e Otto Guerra, diretores de Até Que a Sbórnia nos Separe

Filme Éden, de Bruno Safadi, é um dos concorrentes brasileiros…

Éden é um filme que fala de temas universais e ao mesmo tempo regionais, particulares e extremamente atuais. Fala de gravidez, de feminilidade, de religião, de violência, e tem um trabalho arrojado em linguagem cinematográfica. Foi uma grande alegria saber que vou estar no Festival, que é uma referência no nosso cinema e na cultura brasileira!”

Bruno Safadi, diretor de Éden

“Já participei do Festival de Cinema de Gramado com meus filmes e também como convidada, jurada de curtas e jurada de longas. É importante exibir meu filme num festival tão prestigioso. Será a primeira exibição de Os Amigos, o que já é uma emoção especial. Ele é um filme delicado que pode tocar a todos… É sobre amizade e outros carinhos”.

Lina Chamie, diretora de Os Amigos

Atrizes no novo longa do mestre Domingos Oliveira…

“Meu filme toca quem gosta de gente. Quem gosta de um cinema comunicativo, pessoal, que não pretende mais do que é. Uma comédia ao modo de Altman sobre a inevitabilidade do dia de amanhã. Gosto de Gramado, me sinto jovem lá. Já ganhei muita coisa no Festival… No alto da minha estante da sala tem uma roda de kikitos conversando animadamente”.

Domingos Oliveira, diretor de Primeiro Dia de Um Ano Qualquer

“Frequento o Festival de Gramado há muitos anos. Espero uma boa exibição, que as pessoas gostem do filme e que o debate seja produtivo. Será a primeira exibição pública de Revelando Sebastião Salgado, então, diante disso tudo, estou bastante ansiosa, mas vou para Gramado confiante na força do personagem”.

Betse de Paula, diretora de Revelando Sebastião Salgado

“O olhar do outro é o último estágio na construção de um filme. E é a estreia de Tatuagem. Só isso é o suficiente para deixar a cabeça cheia de expectativas para ver e ouvir o que as pessoas. vão comentar Acredito que temos muito o que discutir sobre o nosso cinema, e Gramado pode – e deve – ser um palco privilegiado para isso”.

Hilton Lacerda, diretor de Tatuagem

Irandhir Santos chega a Gramado como Tatuagem…

TATUAGEM, filme do pernambucano Hilton Lacerda – roteirista de vários títulos dos quais se destacam Amarelo Manga, A Festa da Menina Morta, Árido Movie e Febre do Rato -, foi selecionado para a Mostra Competitiva de longa-metragem nacional do 41º Festival de Gramado, a ser realizado de 9 a 17 de agosto.

Irandhir Santos, magnânimo ator pernambucano, estará na disputa pelo KIKITO…

O filme se passa no ano de 1978, e mostra confrontos e reflexões de uma geração analisados a partir da periferia, ao mesmo tempo em que acompanha o romance entre um soldado de 18 anos e um agitador cultural, dono de um cabaré anarquista.

A história se desenrola no passado e visita questões muito pessoais sobre as quais Hilton Lacerda vem refletindo: o que acontece com as cores que pintamos para o futuro quando o futuro bate à nossa porta?

Tatuagem filme

TATUAGEM é um olhar muito particular para um momento definidor da alma de um povo e dos caminhos de seu cinema, que hoje tem em suas manifestações periféricas seu viés mais excitante. Assim, o filme é a busca da discussão de um tema geral a partir de suas nuances.

Revisitando o Cinema Novo, flertando com o experimentalismo do super-8 da década de setenta no Brasil e dialogando com o cinema contemporâneo, Tatuagem procura jogar luz sobre as várias maneiras que podemos ler e interpretar a história e a cinematografia de um país, devolvendo-lhe texturas e cheiros, e abrir uma brecha para vislumbrar uma das faces mais interessantes e complexas do Brasil: a história que nasce na marginalidade dos acontecimentos.

Outra inspiração para o filme foi o grupo teatral anárquico Vivencial Diversiones, existente no eixo Recife-Olinda, entre 1974 e 1981. Eles viviam em comunidade, numa casa em Olinda, na frente da qual Lacerda passou muitas vezes na infância. “Ficava no caminho da casa da minha avó. Sempre me diziam, ‘olha, aquela é a casa do Vivencial’”, relembra. Embora o grupo seja uma fonte, o diretor ressalta que o filme não é uma biografia nem se prende a personagens do Vivencial.

Lacerda ressalta que esse não é um filme de época, nem se pretende fixo a uma data específica. A proposta é, a partir do passado, discutir o presente. “Os personagens falam muito que, no futuro, tudo vai ser melhor. O preconceito ia acabar, o mundo ia ser melhor… Era a crença da época, a ideia de que o Brasil ia dar certo”, explica o diretor.

Por isso, um dos cenários escolhidos foi a parte histórica de Olinda: “Nosso compromisso não é exatamente com o ano, mas Olinda tem essa neutralidade temporal. Fora isso, os artistas da época gostavam muito daqui da Cidade Alta, tinha tudo a ver”, destaca o produtor João Vieira Júnior.

Hilton Lacerda

Natural de Recife, Hilton Lacerda se destacou pelos roteiros de filmes como AMARELO MANGA (2002, direção de Cláudio Assis), FILMEFOBIA (2008, direção de Kiko Goifman), A FESTA DA MENINA MORTA (2008, direção de Matheus Nastchergale), FEBRE DO RATO (2011, direção de Cláudio Assis), e ÁRIDO MOVIE (2006, direção de Lírio Ferreira), entre outros. Todos exibidos com destaque em festivais nacionais e internacionais de prestígio como Brasília, Gramado, Festival do Rio, Mostra Internacional de São Paulo, Berlim, Locarno, Roterdã, Havana, Bafici, Cannes etc.

Codirigiu o documentário CARTOLA – MÚSICA PARA OS OLHOS (2007, parceria com Lírio Ferreira).  Com TATUAGEM assina sua primeira ficção como diretor.

Sinopse

Brasil, 1978. A ditadura militar, ainda atuante, mostra sinais de esgotamento. Em um teatro/cabaré, localizado na periferia entre duas cidades do Nordeste do Brasil, um  grupo de artistas provoca o poder e a moral estabelecida com seus espetáculos e interferências públicas. Liderado por Clécio Wanderley (Irandhir Santos), a trupe conhecida como Chão de Estrelas, juntamente com intelectuais e artistas, além de seu tradicional público de homossexuais, ensaia resistência política a partir do deboche e da anarquia.

A vida de Clécio muda ao conhecer Fininha (Jesuíta Barbosa), apelido do soldado Arlindo Araújo, 18 anos: um garoto do interior que presta serviço militar na capital. É esse encontro que estabelece a transformação de nosso filme para os dois universos. A aproximação cria uma marca que nos lança no futuro, como TATUAGEM: signo que carregamos junto com nossa história.

Irandhir e eu

Irandhir Santos, que protagoniza ‘Tatuagem’, e Aurora Miranda Leão na edição 2013 do Festival de Cinema de Anápolis…

Ficha Técnica

TATUAGEM

Elenco: Irandhir Santos, Jesuíta Barbosa, Rodrigo García, Sílvio Restiffe, Sylvia Prado Empresa Produtora: REC Produtores Associados Roteiro e Direção: Hilton Lacerda Produção: João Vieira Jr. Produção Executiva: Nara Aragão Direção de Produção: Dedete Parente Costa Direção de Fotografia: Ivo Lopes Araújo Direção de Arte: Renata Belo Pinheiro Trilha Musical: DJ Dolores (Helder Aragão) Montagem: Mair Tavares Figurino: Christiana Garrido Maquiagem: Donna Meirelles Desenho de Som: Waldir Xavier Som Direto: Danilo Carvalho Mixagem: Ricardo Cutz

* Em Gramado, o Blog Aurora de Cinema vai atuar com apoio cultural do SKY Hotel…

Sky

Novo filme de Lina Chamie vai competir em Gramado

OS AMIGOS é o novo longa da cineasta paulista Lina Chamie.

Estão no elenco do longa-metragem os atores Gregório Musatti Cesare (Caíto), Julia Weiss Margagini (Manon), Natan Félix Matiusso (Vinícius), Matheus Guimarães (Orácio), Lucas de Oliveira Zamberlan e Davi Butignon Galdeano, que vivem Théo e Juliano quando crianças.

AMIGOS é da Girafa Filmes e da Dezenove Som e Imagem, de Sara Silveira e Maria Ionescu.  A fotografia é de Jacob Solitrenik, a montagem de Karen Harley e a direção de arte de Mara Abreu.  Além da direção, Lina Chamie assina também o roteiro do filme, que foi rodado ano passado na cidade de S.Paulo.
SINOPSE
Sem amizade não existe o amor. Um dia especial na vida de Théo. Pela manhã, ele vai ao funeral de seu melhor amigo de infância. Durante o dia, as lembranças vêm, levando Théo a olhar a vida de uma outra maneira. É Majú, uma amiga por quem tem grande afeição, que o ajudará a recuperar as esperanças.
AMIGOS
Brasil (SP), 2013, 89 min, 12 anos.
Direção/Roteiro: Lina Chamie
Empresa Produtora: Girafa Filmes / Dezenove Som e Imagens
Produção Executiva:Sara Silveria e Maria Ionescu
Diretor Fotografia: Jacob Solitrenick, ABC
Diretora de Arte: Mara Abreu
Trilha Musical: Camille Saint-Saens, Edvard Grieg e Benjamin Britten
Montagem: Karen Harley
* Blog Aurora de Cinema na cobertura do Festival de Cinema de Gramado
Sky