Arquivo da tag: Cinema Digital

Inscrições de Teatro, Cinema e Música

O Teatro Arthur Azevedo, em São Luís, está selecionando espetáculos para a VIII Semana do Teatro no Maranhão, que acontecerá de 8 a 14 de abril na capital, e de 26 de abril a 5 de maio em outros municípios maranhenses.

A iniciativa é voltada a atores, diretores teatrais, grupos e companhias de teatro As inscrições vão até 11 de março, por meio de ficha que pode ser acessada no site www.cultura.ma.gov.br. Projetos individuais devem encaminhar email para o endereço semanateatroma2013@yahoo.com.br. Informações: (98) 3218-99.00, de segunda a sexta, das 14h às 18h.

************

 Escola de Cinema de Cuba 

A Coordenação dos Exames de seleção para a EICTV no Brasil comunica: estão abertas até 9 de março as inscrições ao Processo Seletivo 2013 / 2016. As provas serão aplicadas dias 15 e 16 de março em cinco cidades: Belo Horizonte, Recife, Florianópolis, Goiânia, e Belém. Serão oferecidas oito especializações, com duração de três anos, em Direção, Produção, Roteiro, Fotografia, Som, Documentário, Edição, e TV e Novas Mídias. Do Brasil, serão selecionados de quatro a seis candidatos. A ficha de inscrição e maiores informações podem ser acessadas no site da Fundação Joaquim Nabuco: www.fundaj.gov.br

*************

INSCRIÇÕES ao CURTA-SE

A Casa Curta-SE recebe inscrições à 13ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE). As inscrições vão até 13 de abril pelo site www.curtase.org.br

Este ano, os filmes estão divididos em cinco categorias: cinema digital, videoclipe, vídeo sergipano, vídeo de bolso e longa-metragem. Além das mostras competitivas, o festival oferece seminários, oficinas e cursos gratuitos e abertos ao público, além de mostras informativas, exibidas em espaços alternativos nas cidades do interior sergipano. A 13ª edição do Curta-SE acontecerá de 16 a 21 de setembro.

 BANDAS DE MÚSICA 

A Funarte irá distribuir gratuitamente, através do Prêmio de Apoio a Bandas de Música 2013, cerca de 150 instrumentos de sopro, visando a reconhecer e proporcionar a melhoria técnica e artística de conjuntos musicais. Esses conjuntos podem se enquadrar nas seguintes denominações: “Banda de música”, “Banda municipal”, “Banda sinfônica”, “Banda de concerto” e “Sociedade Musical”, sendo que cada proponente escolherá até cinco instrumentos. Inscrições até 21 de março.

Cantora Kekelly Lira grava clip entre dunas, sol e mar de Jeri

Durante a realização do  III Festival de Cinema Digital de Jericoacoara, de 14 a 21 deste junho na praia cearense, o jornalista/realizador e antropólogo Thalles Chaves aproveitou para gravar o primeiro clip de sua conterrânea, a cantora Kekelly Lira.

Thalles, Kekelly e o artista plástico, performer e escultor Marcelo Amarelo estiveram no festival com o curta-metragem Banquete em Transe, de Thalles Chaves, concebido a partir de ideia do Amarelo.

Kekelly Lira, que também é compositora, recebeu muitos elogios por sua bela voz, deu canja na noite de Jeri, e escolheu sua canção Amor é Fogo para ilustrar a bela paisagem de Jeri no clip dirigido pelo amigo Thalles Chaves.

Thalles fez as imagens do clip de KEKELLY com sua própria câmera Sony HD, e contou ainda com still através do auxílio luxuoso de Vitor Pires, o popular “Tio Chico”, realizador capixaba, que também participava do festival de cinema digital de Jericoacoara.

Agora, é esperar pra ver e curtir Kekelly Lira cantando na web…

Kekelly Lira cantando ao sabor dos ventos e da maresia de Jericoacoara…

Zeca Ferreira consagra sua ALDEIA e Hempocrisy é Melhor Documentário

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Jericoacoara

A noite de encerramento do III Festival de Cinema Digital de Jericoacoara teve céu estrelado, pastelzin e brigadeiro barato da dona Maria, expectativa e propensão geral à festa.

 

Começando com cantoria puxada por Rodger Rogério, acompanhado pelo violão do filho Rami Rogério, acrescida depois da voz de Teti, a noite continuou com a exibição do longa Fronteira das Almas, do cearense Hermano Penna, e em seguida a divulgação dos vencedores.

Em foto Aurora de Cinema, a fotógrafa e cineasta Aline Moraes…

Aline Moraes, a bela e doce realizadora pernambucana, teve seu primeiro Doc consagrado: HEMPOCRISY foi escolhido Melhor Doc, levando cheque de R$ 5 mil reais e consagrando o filme de Aline em muitos abraços e aplausos.

A vila de Jericoacoara, por um momento, virou a ALDEIA de Zeca…

Mas o grande vencedor do Festival foi o realizador carioca Zeca Ferreira: seu segundo curta, o poético ALDEIA – rodado numa pequena cidade mineira, com roteiro e direção de Zeca, fotografia de Pedro Urano e edição de Lulu Correa, com produção do próprio diretor, Antônio Ferreira e Júlio Carvana -, levou 4 estatuetas: Melhor Trilha, Melhor Fotografia, Melhor Diretor e Melhor Ficção.

Na edição 2011, Zeca Ferreira curtindo a deliciosa calmaria de Jeri…

Seguindo o que dissemos anteriormente aqui no AURORA DE CINEMA, a ALDEIA de Zeca Ferreira começou em Jeri uma turnê vitoriosa por vários festivais: o filme já está selecionado para a Mostra de Ouro Preto e o Festival de Triunfo, e outros mais virão.

Confira a lista completa dos vencedores do III Festival de Jericoacoara:

Melhor Ator: Maksin Oliveira – “Doido Pelo Rio” – Ficção – RJ

Melhor Atriz: Nayara Tavares – “Marcas D`água” – Ficção – GO

Melhor Diretor: Zeca Ferreira – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Edição: Eliza Cabral e Laurita Caldas – “Ritmos” – Experimental – PB

Melhor Fotografia: Pedro Urbano – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Trilha Sonora: Mário Gil – “Aldeia” – Ficção – RJ

Melhor Roteiro: Humberto Rosa e Thiron Mendes – “O Quadro” – Ficção – RJ

Melhor Direção De Arte: Uirandé Holanda – “Doido Pelo Rio” – Ficção – RJ

Os filmes “Soy Loco por Ti”, de Natália Barreto (documentário, RJ), “Irmãs”, de Gian Orsini (documentário, PB) e “O Mar de Lia”, de Hanna Godoy (documentário, PE) receberam Menção Honrosa.

Os troféus do III Festival de Jericoacoara – Cinema Digital foram disputados por 40 filmes selecionados para o festival – produções cearenses e de outros 13 estados -, escolhidos entre mais de 300 trabalhos inscritos. O júri do festival foi formado por profissionais da área, a saber: o poeta Nirton Venâncio, a fotógrafa Lena Trindade, a jornalista Déa Barbosa, e Duarte Dias.

Cinema poético de Zeca Ferreira faz bonito no Festival de Jeri …

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Jericoacoara

O dia em Jeri é sempre muito quente. Não há como resistir a uma boa caída n’água nestas escaldantes terras cearenses, sobretudo nestes dias nos quais se fala muito em cinema, as ideias borbulham, novos laços se formam e até em abduções já se fala com frequência (em breve, você saberá mais sobre isso por aqui…)

Assim, o dia foi de debate e calor intenso para alguns, e de muito sol, pedra furada e paraísos de lagoas para outros. Uns terceiros, como este Aurora de Cinema, dedicaram suas preciosas horas a postar aqui pra você, leitor amigo, notícias sobre o correr das horas por esta Jeri de dunas, praia mansa, ideias festeiras e planos ‘aventureiros’…

E a noite foi de filmes, sendo a mostra competitiva de curtas precedida pela homenagem à produtora Zita Carvalhosa, idealizadora da organização Kinoforum e da Mostra Internacional de Curtas de São Paulo.

Na tela, a noite foi de cenas e imagens bem melhores que as da noite anterior, começando com o curta pernambucano Poeta Urbano, que teve boa aceitação da plateia. Mas a exibição de ALDEIA, o novo filme do cineasta carioca Zeca Ferreira, criador do belo e premiadíssimo Áurea, era visivelmente esperada pela turma que faz das imagens seu café matinal diário, e essa energia pareceu contagiar toda a audiência do território Jeri Cinema Digital.

Aldeia

A primeira ficção de Zeca Ferreira foi recebida com um respeitoso silêncio e uma atenção evidente. Na tela, o roteiro de Zeca é anunciado em obra que traz as assinaturas importantes de Pedro Urano na fotografia e Lulu Corrêa na edição, o que por si só já indica garantia de um trabalho meticulosamente preparado, não fora ademais Zeca um colega de extrema sensibilidade, coerência e atenção à eloquência das imagens, aos detalhes de ambientação cênica e ao poder de uma boa trilha.

O ALDEIA de Zeca Ferreira, cuja primeira exibição pública foi justamente aqui neste III Festival de Cinema de Jericoacoara – onde ele foi premiado em 2010 com Áurea -, promete esr mais um dos curtas brasileiros que terá vida longa, bela carreira e percurso extenso em festivais pelo país e no exterior.

O filme é uma realização da CAFU Filmes com produção do próprio Zeca e Antônio Ferreira, Julio Carvana e mais alguém, cujo nome – perdão – me escapa agora.

Rodado numa pequena e aconchegante cidadezinha do interior de Minas, ALDEIA é cinema falando em forma de poesia, ou poesia traduzindo-se em forma de imagens. E que belas imagens, planos encharcados de emoção, tudo na medida certa, nem um tom a mais, nem um acorde a menos. Zeca convidou para o elenco o escritor e compositor Nick Zarvos, o realizador Valério Fonseca, e os estreantes Lucas Cavalcanti e Maynara Rezende, contando com duas amigas na assistência de direção, mas cujos nomes agora me escapam – não tenho o DVD nem a ficha técnica do filme comigo, por isso estas linhas ficam devendo um olhar mais acurado ao filme deste querido amigo, cujo maior sinal de competência e destreza é saber comunicar em ideias, palavras, sons e beleza o sensório que lhe vai n’alma. E como é delicado este ALDEIA de Zeca Ferreira. Que belos planos para construir uma história tão singela e, ao mesmo tempo, tão tocante e comum a tantos, daí porque os olhos não desgrudam da tela, o filme acaba e a gente fica com a sensação de que é fácil fazer cinema.

É como dizia Gene Kelly, ‘difícil é fazer parecer que é fácil…”

Zeca Ferreira consegue isso com maestria e planta no espectador a firme impressão de que ele faz cinema como quem bebe água.

Convergências audiovisuais em Jeri: Argentina, Brasil e França

AURORA DE CINEMA direto do Festival de JERICOACOARA

O Seminário do Festival de Cinema Digital de Jericoacoara prosseguiu na manhã do domingo, o dia rendeu boas histórias e muitas conversas e a noite contou muitas exibições no segundo dia da Mostra Competitiva.

Após a exibição dos trabalhos da mostra competitiva, foi a vez do documentário  “A comunidade do Maciel”, de Tuna Espinheira, um filme de 1973, ambientado na Bahia.

O homenageado da noite foi o produtor, escritor e cineasta francês Olivier Gerard, de quem foram exibidos dois filmes, sendo um deles um ensaio sobre a atriz Jeanne Moreau e o outro um roteiro inspirado pela nouvelle vague, da qual Olivier foi partícipe

Olivier é uma  figura simpática e bastante acessível, com quem trocamos ideias ainda na saída de Fortaleza pra cá. ‘Um francês descolado’ pode ser uma boa definição pra este festejado convidado que está entre nosotros como um ‘personal colega’ de muitos anos.

Assim como ele, a bela, doce e simpática hermana argentina Anna Paula Honig, de quem foi exibido belo curta-metragem, ‘Las colores de Helena’, um filme como a maioria dos argentinos, sem nada fora do lugar, com a emoção na medida certa, uma delicadeza que extrapola a tela e uma profundidade emocional que toca, comove mas não machuca, embora se expresse em tons, cores e planos reveladores da presença ali de uma dolorida memória que costurou o tempo em linhas de lágrimas e dor. Os atores são 3 e contribuem para a clareza e intenção da diretora, que assina também o roteiro deste importante e belo Las colores de Helena.

Ana Paula Honig, Thalles Chaves, Aline Moraes, Aurora Miranda Leão, Arthur Leite e Célia Gurgel: grupo afinado em andanças por Jeri…

Surpresas de JERI: Aline Moraes fotografa tudo e já planeja novos filmes…

AURORA DE CINEMA direto do Festival de JERICOACOARA

De modelo a atriz das mais destacadas no cenário audiovisual de hoje, Aline Moraes participa neste momento, e desde sexta-feira, da terceira edição do Festival de Jericoacoara – CINEMA DIGITAL.

Em fotos de Célia Gurgel, Aline registra tudo em Jeri…Aline Moraes: direto da Holanda para as derradeiras imagens da duna principal de Jeri, que começa a diminuir de tamanho, ano a ano…

Sem embuste: Aline Moraes, a própria, encantada com as belas naturais de Jeri…

 

Aline Moraes, que concorre em Jeri com HEMPOCRISY, será a editora do novo filme Aurora de Cinema em parceria com a Urina Filmes e Cara Pálida Cinematográphica…

A trajetória do cinema mudo à tecnologia digital…

Do cinema mudo à tecnologia digital

A maioria das pessoas gosta de cinema, mas não sabe como são alcançados os resultados vistos na tela. De que formas a tecnologia audiovisual se modificou dos filmes do passado para o cinema digital do presente ? O curso irá abordar a história do cinema do ponto-de-vista da tecnologia, permitindo aos alunos compreender melhor como a criatividade foi usada ao longo dos anos para aproveitar e superar os recursos à disposição dos cineastas.
 
 
 
 
A CINÉDIA CENA CRIATIVA oferece curso sobre o tema, a ser ministrado pelo Doutor em Comunicação, Rafael de Luna Freire, a partir do dia 30 de maio, das 18:30h  às 21h30, em sua sede no bairro de Santa Tereza.
 
CURSO do CINEMA MUDO À TECNOLOGIA DIGITAL
Dias: 30 maio e 06, 13 e 20 de junho
 
MAIS INFORMAÇÕES:

CINÉDIA Cena Criativa

Rua Santa Cristina, n° 5 – Glória

Tel. (21) 2221-2633

 

Fest Cine Maracanaú: inscrições até dia 31

 O FestCine Maracanaú –  Festival de Cinema Digital e Novas Mídias, segue com inscrições abertas para sua terceira edição até dia 31.  

Podem ser inscritos filmes e vídeos de qualquer país; estados e municípios brasileiros e de cidades do estado do Ceará, produzidos a partir de 2009, finalizados no formato digital. Para a Mostra Rodolfo Teófilo, podem ser inscritos filmes e vídeos de realizadores da Região Metropolitana de Fortaleza, com duração de até 20 minutos. Na Mostra Novas Mídias, produções de até 5 minutos, realizadas em mídias digitais – câmeras fotográficas, celular, web cam, dentre outros.  

Os vencedores de Maracanaú na segunda edição (foto Arlindo Barreto). 

O vencedor na categoria Melhor Longa-Metragem receberá prêmio no valor de R$ 10 mil e o Troféu Maracanaú; na categoria Melhor Curta o prêmio é de R$ 5 mil mais o Troféu Maracanaú; na categoria Novas Mídias, R$ 1.000,00 e o Troféu Maracanaú. As demais categorias vencedoras serão agraciadas com o Troféu Maracanaú.

 

O ator Claudio Jaborandy, homenageado em 2011, recebe Parabéns Aurora de Cinema…

Um pouco de história 

Desde a primeira edição, realizada em dezembro de 2010, o FestCine Maracanaú se firmou como um dos eventos bem acolhidos, tanto pelo público como pela classe do audiovisual brasileiro e de outros países, além do forte reconhecimento por parte da mídia. Em 2011, novamente o Festival marcou pelo pioneirismo: pela primeira vez, profissionais dos estúdios americanos DreamWorks estiveram no país para aulas gratuitas. 

Bill Tessier e Chris Kirshbaum ministraram workshop de animação e efeitos especiais. O festival também contou com a participação dos atores Jayme Matarazzo, Nathália Dhill, Marília Medina, e dos cineastas Caio Soh e Walter Webb.

Walter Webb e Marília Medina recebendo o carinho de estudantes…

O Festcinemaracanaú é realizado pela Abraham Filmes e Estúdios Digitais com direção geral de Afonso Celso. Patrocínio da Coelce. Parceria do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura (Secult) e Governo Federal –  Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura Municipal de Maracanaú, Fundação Cultural de Maracanaú.

Até maio, inscrições para Festival de Maracanaú

 

O FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias, continua com inscrições abertas para sua terceira edição.

Até 15 de maio, a organização do festival recebe produções que participarão da seleção para concorrer em suas mostras competitivas de longas e curtas- metragens, Mostra Rodolfo Teófilo e Mostra Novas Mídias.

Podem ser inscritos filmes e vídeos de qualquer país, estados e municípios brasileiros; e de cidades do estado do Ceará, produzidos a partir de 2009, finalizados no formato digital. Para a Mostra Rodolfo Teófilo, podem ser inscritos filmes e vídeos de realizadores da Região Metropolitana de Fortaleza, com duração de até 20 minutos. Na Mostra Novas Mídias, produções de até 5 minutos, realizadas em mídias digitais – câmeras fotográficas, celular, web cam, dentre outros.

Cláudio Jaborandy, homenageado em 2011: abraço de Aurora Miranda Leão

O vencedor na categoria – Melhor Longa Metragem receberá prêmio no valor de R$ 10 mil e o Troféu Maracanaú; na categoria Melhor Curta, R$ 5 mil e o Troféu Maracanaú; na categoria Novas Mídias, R$ 1.000,00 e o Troféu Maracanaú. As demais categorias vencedoras serão agraciadas com o Troféu Maracanaú.

Desde a primeira edição, realizada em dezembro de 2010, o FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias, se firmou como evento prestigiado tanto pelo público como pela classe do audiovisual brasileiro e outros países, além do forte reconhecimento por parte da mídia brasileira e do exterior.

Cineasta Caio Soh, super premiado ano passado, Aurora e Jayme Matarazzo

Em 2011, na segunda edição, novamente foi marcado pelo pioneirismo. Pela primeira vez no Brasil, profissionais dos estúdios DreamWorks estiveram no país: Bill Tessier e Chris Kirshbaum ministraram workshop de animação e efeitos especiais. O festival também contou com a participação de atores como Jayme Matarazzo, Nathália Dhill e Cláudio Jaborandy, homenageado do ano.

O FestCine Maracanaú- Festival de Cinema Digital e Novas Mídias é realizado pela Abraham Filmes e Estúdios Digitais, com direção geral de Afonso Celso. Patrocínio da Coelce. Parceria do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura (Secult) e Governo Federal – Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura Municipal de Maracanaú, Fundação Cultural de Maracanaú.

Mais em www.festcinemaracanau.com.br

Festivais com inscrições abertas…

Abertas inscrições ao 2º Filmambiente. Este ano, além do Rio, o festival vai acontecer também em Salvador,  e a organização recebe inscrições em www.filmambiente.com , de filmes e vídeos – curtas, animações, longas, documentários e ficção – de temática ambiental até 31 de maio, e o resultado da seleção sai em junho. O júri do festival premiará os melhores longas e curtas internacionais e os melhores curtas nacionais com o Prêmio Tainá (estrela, em Tupi), que vai também para o melhor filme do festival segundo o público do Rio e de Salvador.

Já o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontecerá de 29 de maio a 4 de junho, e recebe somente até dia 20 inscrições de curtas, de até 25 minutos, e longas-metragens, acima de 50 minutos, nacionais e internacionais, para as mostras competitivas e paralelas. O festival não exige ineditismo dos filmes.

Além das exibições, haverá debates, oficinas e seminários. Acesse www.olhardecinema.com.br

Também estão abertas as inscrições ao , ao Festival de Cinema Digital de Jericoacoara, e ao SERCINE – Festival Sergipe de Audiovisual. Fichas de inscrição e regulamento disponíveis em www.sercine.com.br

Inscrições ao concorrido Cine Ceará vão até dia 31..