Arquivo da tag: cinema em Curitiba

Grafo Audiovisual anuncia OLHAR DE CINEMA e abre inscrições

Festival Internacional de Curitiba terá mais prêmios, número de salas e mais dias de Cinema…

Após o enorme êxito da primeira edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, já estão abertas as inscrições para a segunda edição, que este ano será realizada de 6 a 14 de junho.

As inscrições permanecerão abertas até 1º de março.

Além da sua duração, que agora passa a ser de 9 dias, o Olhar de Cinema 2013 – Festival Internacional de Curitiba também aumentou os valores de suas premiações:

·         Melhor Filme Competitiva Internacional Longa – R$ 12.000

·         Melhor Filme Competitiva Brasil Longa – R$ 10.000

·         Melhor Filme Competitiva Internacional Curta – R$ 4.000

·         Melhor Filme Competitiva Brasil Curta – R$ 3.000

O Olhar de Cinema 2013 – Festival Internacional de Curitiba passará a contar também com uma sala a mais no Espaço Itaú, e com projeções pelo sistema DCP tanto em 2D como em 3D.

SOBRE O OLHAR DE CINEMA 2013

Criado pelos amigos  Aly Muritiba, Marisa Merlo e Antônio Junior, diretores da Grafo Audiovisual, este é um Festival que começou com enorme fôlego. Ousado, com uma programação visual das mais bonitas já vistas por este Aurora de Cinema, o festival teve organização caprichada, salas lotadas, ótimos filmes e bastante público em debates e oficinas, além de ter como cenário a encantadora capital paranaense. Um belo gol da GRAFO !

O objetivo do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba é promover reflexões sobre o cinema e formar novos olhares, por meio de um destaque dado a curtas e longas-metragens pouco comuns nas salas de cinema brasileiras.

Abrangendo várias expressões culturais, o festival busca uma seleção de filmes que se comuniquem entre si. A intenção é congregar novos talentos, diretores veteranos, convidados prestigiados e o público num mesmo lugar para que isso seja a alma do festival.

Na edição passada, participaram mais de 11 mil pessoas entre convidados e público, do Brasil e da América Latina, tendo sido exibidos 73 filmes de 22 países.

Saiba mais: www.olhardecinema.com.br

SERVIÇO:

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

Realização: Grafo Audiovisual, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Patrocínio: Volvo

Apoio: Estúdio Tijucas, Shopping Crystal

Promoção: RPCTV

Cinemateca promove Encontro de Coletivos de Cinema em Curitiba

Realizadores e produtores vão se reunir este final de semana
Com mesas-redondas e exibição de filmes, a intenção é refletir sobre a atitude de filmes contemporâneos realizados coletivamente, modelo que vem-se destacando no circuito cinematográfico. Realizadores de diversos coletivos de cinema do país vão participar,  como Coletivo Símio (Recife), Coletivo Teia (Belo Horizonte), Coletivo Duas Mariola (Rio de Janeiro), e Coletivo Alumbramento (Fortaleza).
Além disso, será promovido debate sobre distribuição de filmes alternativos, com a presença de Sílvia Cruz (Vitrine Filmes), Frederico Machado (Lume Filmes) e Diana Moro (Moro Filmes).
PROGRAMAÇÃO COMPLETA
Dia 31/08 , às 16h AMIGOS DE RISCO (Ficção – Digital – Brasil, Recife – 85’ – 2007) Direção de Daniel Bandeira. **SESSÃO COMENTADA – PRESENÇA DO DIRETOR DANIEL BANDEIRA às 16h.
Às 18h ADORMECIDO (Ensaio – Digital – Brasil – 7’ – 2011) Direção de Clarissa Campolina. QUEDA ( Brasil – Digital – 14’35” – 2000-2010) Direção de Pablo Lobato. O AMOR NUNCA ACABA (Ficção – Digital –  20’ – CE/Brasil – 2012), de Ricardo Pretti e Luiz Pretti. INSTANTÂNEOS – (Documentário – Digital – 15’ – RJ – 2009) Direção de Andrea Capella e Peter Lukas.
19:30h MESA REDONDA – TEMA: OS COLETIVOS DE CINEMA NO BRASIL Mediação: Fábio Ribeiro – Estudante do Curso de Cinema e Vídeo da FAP Clarissa Campolina: Realizadora do Coletivo Teia (Belo Horizonte) Marina Meliande: Realizadora do Coletivo Duas Mariola (Rio de Janeiro) Luiz Pretti:  Realizador do Coletivo Alumbramento (Fortaleza) Daniel Bandeira: Realizador do Coletivo Símio (Recife)
Dia 1/setembro, às 16h
A ALEGRIA (Ficção – Digital – Brasil – 100’ – 2010) Direção de Felipe Bragança e Marina Meliande. 18h DESASSOSSEGO (Drama – Digital –  Brasil – 63’ – 2011). à frente da direção, Felipe Bragança e Marina Meliande, que dividem o comando do filme com profissionais como Karim Ainouz, Marco Dutra, Juliana Rojas, Helvécio Marins, Clarissa Campolina e Caetano Gotardo.
SESSÃO COMENTADA às 18h – PRESENÇA DA DIRETORA MARINA MELIANDE  19:30h MESA REDONDA – TEMA: DISTRIBUIÇÃO ALTERNATIVA Mediação: Miguel Haoni – Coletivo Atalante; Sílvia Cruz: representando a Vitrine Filmes; Frederico Machado: pela Lume Filmes; Diana Moro pela Moro Filmes.
Dia 2 – às 16h DESASSOSSEGO (Drama – Digital – Brasil – 63’ – 2011)
18h NO LUGAR ERRADO (Ficção – Digital – 70′ – CE-DF-RJ/Brasil) Direção de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.
20h KFZ-1348 (Documentário – 35mm – Brasil – 81’ – 2008)
Direção de Gabriel Mascaro e Marcelo Pedroso.

Espaço de Arte: território de Afeto, Cinema e algo mais em Curitiba

Visita ao aconchegante Espaço de Arte, criado e coordenado por Cássia Hauari na capital paranaense, é obrigatória…

Estive em Curitiba final de maio por conta do Festival OLHAR DE CINEMA, que, em sua primeira edição, já chegou marcando presença e dizendo que veio para ficar.

Foram dias ótimos na capital paranaense, cercada de amigos queridos, vendo bons filmes, saboreando deliciosos pratos e conversando muito sobre Cinema. Que, sendo a Sétima Arte, traz todas as outras.

Curitiba tem uma arquitetura impressionantemente bela, ruas bem cuidadas e uma aura de paz que permeou toda nosssa estada por lá. E como chove na capital paranaense ! Não ficamos um dia por lá sem que a chuva deixasse de cair, farta e constante. Falo no final de maio, início de junho. Também lá já estive, em épocas de verão, e o calor reina absoluto.

Pois foi lá nesta cidade querida onde reencontrei minha amiga Sandra Zawadzki, artista plástica e cineasta, que nos acolheu (ao lado de seu companheiro, o cineasta Mello Viana) com braços e coração abertos, tornando a estada em Curitiba muito mais agradável. E inesquecível.

Foi Sandra Zawadzki quem nos apresentou outra artista curitibana, a incrível Cássia Hauari, misto de deliceza, sensibilidade, hospitalidade e simpatia que cativam à primeira vista.

Aurora, André Costa e Sandra Zawadzki: encontro feliz na noite curitibana…

Sandra e Cássia são irmãs de alma, inspiradas artífices do melhor tom e da mais fina harmonia, buscando a beleza das pequenas coisas; afetivas em gestos triviais; doces e envolventes, sem fazer esforço algum.

Solícitas, foram amigas e anfitriãs do mais alto quilate. Levaram-nos para um excepcional point da noite curitibana – o restô espanhol  Pata Negra -, onde jantamos pratos deliciosos e refinados, como o salmão ao molho de manga e arroz de castanhas e amêndoas que eu pedi – ai, delícia, assim eles me matam !

E na segunda foi a vez de nos convidarem a conhecer o Espaço de Arte, depositário de todos os sonhos e concretudes artísticas de Cássia Hauari, um lugar delicadamente belo, sensivelmente artístico e afetuosamente magnético.

Ali, eu, André Costa, e nossas amigas Fabíola Rodrigues e Fabiana Silveira, passamos uma inesquecível segunda-feira, debaixo de uma chuva torrencial, mas nem ela tornou frio aquele dia pleno de carinho, arte, cultura e valiosa troca de saberes.

No ESPAÇO DE ARTE, há lugar e boa vontade pra acolher toda forma de Arte, qualquer forma de expressão artística.

Cássia Hauari faz Especialização em Arte-Educação, mas de uns anos pra cá, é fascinada por Cinema. Conta isso com um brilho contagiante nos olhos. O sonho maior que ela acalenta agora é levar o cinema pra dentro de seu Espaço de Arte, onde já há uma sala bacana e bem equipada. As cadeiras são de um antigo cinema de Curitiba. Ela só queria assim. E foi atrás num antiquário até descolar as históricas cadeiras para seu Espaço.

Indormida, Cássia aproveitou a realização do Festival OLHAR DE CINEMA e participou de oficinas e do Seminário de Cinema Contemporâneo. Ficou encantada com as aulas do professor Hernani Heffner e conseguiu levar uma porção de amigos a fazer o curso junto com ela. E foi lá, num dos debates do festival, que Cássia conheceu o jovem cineasta/ator/produtor e professor da UEPB, André da Costa Pinto, e encantou-se com as palavras do diretor.

Sei bem o que é isso e o quanto a fala de André tocou Cássia. Eu também fui tocada de imediato pela força, ousadia e destemor deste guri paraibano quando o conheci em São Luís, há alguns anos, numa edição do Festival Guarnicê de Cinema, comandado por Euclides Moreira Neto.

André da Costa Pinto é assim: um vulcão derramando ideias, sensibildiade, ousadia e afetividade por todos os poros. Impossível não se contaminar.

E foi por isso que aconteceu nossa ida ao ESPAÇO DE ARTE. Cássia Hauari encantou-se com André e seu inventivo e prolífico festival de cinema, o COMUNICURTAS, que a UEPB realiza desde o início, e chega este ano à sétima edição. Cássia ficou tão empolgada com as histórias de André da Costa Pinto que já agendou visita à UEPB pro início de julho: quer conhecer de perto a Reitora Marlene Alves (que vem realizando um trabalho importante, pioneiro, e fundamental em defesa da Educação e da Cultura em Campina Grande) e entender melhor como André consegue realizar o festival em Campina e mobilizar tanta gente, seja da cidade, da Paraíba, ou dos quatro cantos do país.

Porque Cássia Hauari também pretende fazer um festival de cinema e quer que ele seja tão imponente, pulsante e aglutinador como o ComuniCurtas idealizado por André.

Por isso, levou André para conhecer seu espaço e conversar com seus parceiros de jornada e de ideias sobre a experiência dele em Campina Grande.

Este AURORA DE CINEMA acompanhou tudo de perto e pode garantir que, nasceu ali, naquele dia chuvoso em Curitiba, tendo como cenário o ESPAÇO DE ARTE, uma vigorosa semente audiovisual. Daquele Encontro, artístico, afetuoso e eloquente, comandado por Cássia Hauari, vai germinar o benfazejo fruto de uma nova aurora cinematográfica.

E como se não bastasse toda a alegria e os fluidos mágicos proporcionados por este encontro, no qual Sandra Zawadzki tem contribuição relevante, Cássia ainda nos brindou com um inigualável almoço nas dependências de seu convidativo ESPAÇO DE ARTE. Detalhe: o cardápio, de extremo bom gosto, foi todo elaborado pela própria Cássia, bem como a decoração do ambiente. Há ainda que citar, em negrito, a competência de seu corpo funcional, onde se destaca sua filha Thaíse Hauari, sendo o lugar comum inevitável: a garota é bela, simpática e tão boa anfitriã quanto a mãe -, responsável por um plantel de refinadas sobremesas.

Cássia e Thaíse Hauari: unidas pela Arte, sintonizadas pela afetividade…

Afe ! Foi pra lá de Demais esta visita ao ESPAÇO DE ARTE Cássia Hauari.

Deliciosa e inconfundível sobremesa de banana by Thaíse Hauari: manjar dos deuses…

E olhe que os gentis funcionários ainda nos brindaram com a sonoridade irretocável de  Tim Maia, Jorge Ben Jor e HERBERT VIANNA… não queriam que eu saísse de lá… Benza Deus !

A Cássia Hauari e sua Thaíse, e a nossa estimada Sandra Zawadzki, toda a nossa gratidão e apreço, com um comovido PARABÉNS pelo muito que vem investindo em Arte & Cultura, e pela certeza de que muito ainda farão.

E o desejo AURORA DE CINEMA de que o ESPAÇO DE ARTE prossiga sua trajetória de êxito e possa alargar seu raio de ação, firmando-se também como um espaço de Cinema, para o cinema, pelo Cinema e com o Cinema.

SARAVÁ !!!

As Hiper Mulheres e Praça Walt Disney vencem Festival OLHAR DE CINEMA

AURORA DE CINEMA direto do Festival OLHAR DE CINEMA, de Curitiba

Noite chuvosa em Curitiba para a solenidade de premiação dos vencedores do Festival OLHAR DE CINEMA. Pontos fortes: a criativa apresentação da performática banda CIRK e a declaração dos idealizadores de que o festival acontecerá de novo em 2013. Foi Antônio Júnior quem convidou do palco para a próxima edição, seguido de muitos aplausos.

Aly Muritiba disse preferir falar seguindo o que escrevera, deixando de lado o ‘improviso’ por conta do cansaço da maratona de dias seguidos de muito cinema, encontros, debates, correrias típicas pra quem realzia festival do porte deste Festival Internacional de Curitiba. 

Foram 7 dias, 8 Mostras, 156 horas de filmes e um festejado público, que ultrapassou a casa dos 10 mil espectadores. Um interessante vídeo, reunindo muitos dos realizadores e jurados, produzido pela Grafo Audiovisual  – de Aly, Antônio Júnior e Marisa Merlo – foi exibido antes do anúncio dos vencedores.

O Teatro Guairinha foi o palco da solenidade, assim como na noite de abertura. Na competição internacional, o português Sangue do Meu Sangue foi escolhido Melhor Filme. Na competição brasileira, As Hiper Mulheres foi o grande vencedor levando os prêmios da Crítica, Público e Júri Oficial.

Os demais foram:

Competitiva Janela Internacional de Longa Metragem Melhor Filme – Prêmio Olhar de R$ 10.000,00: Sangue Do Meu Sangue (Blood Of My Blood), de João Canijo. Portugal.

Prêmio Especial do Júri: Snackbar (Snackbar), de Meral Uslu. Holanda.

Prêmio de Contribuição Artística: Country Music (Música Campesina), de Alberto Fuguet. Chile/EUA. Pelo trabalho de direção.

Prêmio do Público: Las Acacias (Las Acacias), de Pablo Giorgelli. Argentina/Espanha.

Aurora Miranda Leão e Leonardo Cata Preta no Teatro Guairinha…

Competitiva Olhares Brasil de Longa-Metragem:

Melhor Filme – Prêmio Olhar de R$ 7.000,00: As Hiper Mulheres (The Hyperwomen), de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro.

Prêmio Especial do Júri: Girimunho (Swirl), de Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr.

Prêmio de Contribuição Artística: Estradeiros (Wanderers), de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira. Pela força da imagem como representação do universo dos personagens.

Prêmio da Crítica – Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine): As Hiper Mulheres (The Hyperwomen), de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro. Pela maturidade no tratamento cinematográfico da cultura indígena, em processo compartilhado de criação.

Prêmio do Público: As Hiper Mulheres (The Hyperwomen), de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro.

Mostra Novos Olhares para 1º.s ou 2º.s filmes de cineastas brasileiros e internacionais:

Melhor Filme – Para Além Das Montanhas (Yama No Anata / Beyond The Mountains), de Aya Koretzky. Portugal.

Competitiva Janela Internacional de Curta-Metragem:

Melhor Filme: Prêmio Olhar de R$ 4 mil – Cross-country (Cross), de Maryna Vroda. França.

Prêmio Especial do Júri: Could See A Puma (Pude Ver Un Puma), de Eduardo Williams. Argentina.

Prêmio de Contribuição Artística: Cross-country (Cross), de Maryna Vroda. França. Pelo trabalho de câmera e fotografia.

Prêmio da Crítica: Beast (Csicska), de Attila Till. Hungria.

Competitiva Olhares Brasil de Curta-Metragem: Melhor Filme – Prêmio Olhar de R$ 2.500,00: Assunto de Família (Family Affair), de Caru Alvez de Souza.

Prêmio Especial do Júri: Na Sua Companhia (By Your Side), de Marcelo Caetano.

Prêmio de Contribuição Artística: Dona Sônia Pediu Uma Arma Para Seu Vizinho Alcides (Dona Sonia Borrowed A Gun From Her Neighbor Alcides), de Gabriel Martins. Pelo rigor estético e economia de meios na direção.

Menção Honrosa: Vereda (Pathway), de Diego Florentino.

Prêmio da Crítica – Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine): Na Sua Companhia (By Your Side), de Marcelo Caetano. Por representar um cinema múltiplo, tanto no caráter humano como no estético, explorando com sensibilidade expressões amorosas.

Praça Walt Disney foi escolhido Melhor pelo público…

Prêmio do Púbico: Praça Walt Disney (Walt Disney Square), de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira.

Prêmio Aquisição RPC – RS 10 mil para curta paraense: O Descarte (The Disposal), de Carlon Hardt e Lucas Fernandes.

Após a solenidade, os convidados e participantes ganharam festa na badalada boate Wonka Bar, que teve casa cheia, show da banda Claudia Ohanas, e animação com DJs curitibanos, que só não foi melhor porque faltaram as irrecusáveis músicas-disco dos anos 80… E festa pra dançar sem Discoteca, não existe…

SERVIÇO:

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 29 de maio a 4 de junho de 2012. Realização: Grafo Audiovisual, Ministério da Cultura, Governo Federal. Patrocínio: Volvo, Copel, Schweppes. Apoio: Estúdio Tijucas, Conta Cultura, Governo do Estado do Paraná, Shopping Crystal Apoio Cultural: SESI-PR, SESC-PR, SESC Paço da Liberdade. Promoção: RPCTV, Gazeta do Povo.

Olhar de Cinema termina hoje e tem ótimos filmes na disputa

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Curitiba

Como se não bastasse acontecer na adorável capital curitibana, há ótimos filmes em competição no Festival OLHAR DE CINEMA – cuja solenidade de encerramento acontece esta noite -, todos foram exibidos em sessões gratuitas e a programação foi bem recebida pelo público, acontecendo em vários espaços diferentes.

O imponente edifício do SESC Paço da Liberdade, palco do Seminário e debates

Com Assessoria de Comunicação a cargo da Planeta Tela (leia-se Celso Sabadin), o festival idealizado e comandado por Aly Muritiba, Mirela Merlo e Antônio Júnior, arregimentou vários profissionais e movimentou espaços culturais diversos para abrigar a polpuda grade de programação desta primeira edição, que contou com patrocínio da Volvo, Scheweppes e Copel; apoio da RPC-TV, Sesi, Sesc, Shopping Crystal e outras empresas.

Dentre os jornalistas, estamos por aqui, abrigados no Hotel Slaviero Slim – bem no coração do centro histórico – o Aurora de Cinema, o Cinequanon (com Cid Nader), Sérgio Alpendre, Eduardo Antunes, Diego Benevides, Carlos Alberto Mattos e Rubens Ewald Filho – perdão se algum nome me escapa…

Entre realizadores, pesquisadores e estudiosos da Sétima Arte, podemos citar Hernani Heffner, Evaldo Mocarzel, Lina Chamie, Leonardo Cata Preta, Fernando Severo, Eduardo Kishimoto, Eduardo Nunes, Frederico Machado, Cláudia da Natividade, Sandra Zawadzki, é Cássia Hauari, para citar apenas alguns.

Filme de André da Costa Pinto: potência que vem de Campina Grande…

O Festival nasceu da disposição de um trio ‘parada dura’ em busca de fomentar o cinema e alavancar a produção audiovisual em Curitiba: os diretores Aly Muritiba, Marisa Merlo e Antônio Júnior não se intimidaram na hora de arregaçar as mangas e fazer o festival de cinema acontecer na capital paranaense. Durante um ano, foram à luta para produzi-lo.

Assim, foram 7 dias, nos quais o OLHAR DE CINEMA exibiu 72 filmes de 22 países e diversas cidades brasileiras. Segundo Antônio Jr., a realização do festival partiu de ideias bem definidas: “Escolhemos esses espaços onde os filmes foram exibidos porque eles já são conhecidos do público que busca assistir a algo que fuja do formato norteamericano. A ideia era justamente essa: exibir filmes que trouxessem alguma coisa a mais, além do cinema de  Hollywood.

Mesmo sendo a primeira edição, o festival recebeu mais de 1500 inscrições de mais de 80 países. O critério de escolha dos filmes foi justamente “escolher produções independentes que não teriam espaço na programação das cadeias de cinema ou porque possuem uma baixíssima distribuição, ou porque não despertam o interesse mercadológico dos cinemas locais. São filmes que dificilmente chegariam ao público, não fosse pelo festival.” 

Sudoeste é um dos fortes concorrentes…

Diante da lista de filmes exibidos, da plena participação do público em todos os espaços e atividades – até mesmo nas oficinas ofertadas – prova o acerto da organização do Festival e aponta para novas edições, com bastante fôlego para se firmar no calendário dos grandes festivais do país.

A solenidade oficial de encerramento acontece esta noite, a partir das 20h, no Teatro Guairinha.

O AURORA DE CINEMA acompanha tudo com um OLHAR DE CINEMA… 

Tudo que Deus Criou: filme de André da Costa Pinto é atração hoje em Curitiba

AURORA DE CINEMA direto do OLHAR DE CINEMA – Festival INTERNACIONAL de CURITIBA

É grande a expectativa entre cinéfilos de plantão, estudantes, realizadores e profissionais do Audiovisual em Curitiba para conferir esta noite a estreia nacional do longa TUDO QUE DEUS CRIOU, primeira ficção do jovem paraibano André da Costa Pinto.

Paulo Vespúcio, Letícia Spiller e André da Costa Pinto: união por um filme que precisa ser visto e merece o Aplauso AURORA DE CINEMA…

Ator, jornalista, diretor premiado, professor de Teatro/Comunicação e Audiovisual, André da Costa Pinto hoje é Coordenador do Núcleo de Audiovisual da Universidade Estadual da Paraíba, que funciona em Campina Grande, cidade paraibana que o acolheu de braços abertos (ele é de Barra de São Miguel e tem orgulho de dizer isso) e para a qual ele tem dedicado seu suor, ideias, iniciativas e emoções em prol de construir ali um cenário forte de produção audiovisual. E tem conseguido.

O estreante Paulo Phillipe contracena com Maria Gladys, que tem atuação primorosa…

Os exemplos são inúmeros e não saberia apontá-los todos agora. Mas a maior prova poderá ser vista hoje na telona do Espaço Itaú de Cinema, quando será exibido seu longa Tudo que Deus Criou dentro da programação do I OLHAR DE CINEMA – Festival Internacional de Cinema de Curitiba, com entrada franca.

Letícia Spiller em Tudo que Deus criou: atriz faz uma cega, dignifica o papel e escancara sua versatilidade e competência…

Confira trailler sobre a pré-estreia de TUDO QUE DEUS CRIOU em Campina Grande:

http://www.youtube.com/watch?v=LealwdAJpH4 

O filme, baseado em histórias reais, retrata o drama de uma família paraibana e é o primeiro longa-metragem inteiramente rodado em Campina Grande. André da Costa Pinto faz questão de ressaltar o apoio decisivo da professora Marlene Alves para tornar possível a produção, que custou apenas 150 mil reais, e tem patrocínio integral da Universidade Estadual da Paraíba, contando com 90% de paraibanos na equipe.

No elenco, Maria Gladys, Guta Stresser, Cláudio Jaborandy, os já citados Letícia Spiller e Paulo Vespúcio, e o estreante  Paulo Phillipe. Um elenco coeso, onde todos atuam em sintonia, compondo um belo painel interpretativo. Pontos pro diretor, que também é ator e deixou os colegas livres para criar. O resultado é um filme que tem frescor, vitalidade, emoção e muita sensibilidade.

Espere pra ver e tenha certeza que vem de Campina Grande um cinema instigante, inovador, criativo, ousado, enraizado no profissionalismo e cheio de vontade de mostrar que o Nordeste pode, o interior também sabe fazer, e o Brasil precisa conhecer e Aplaudir.

* Em breve, mais informes sobre TUDO QUE DEUS CRIOU

Curitiba movimenta Cinema e público aplaude Mr. Sganzerla

Aurora de Cinema direto de CURITIBA

Teatro Guairinha foi pequeno para ver Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz 

A abertura oficial do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba provou que chegou em boa hora:  “Um Festival que nasceu como uma maneira de retribuir a acolhida que Curitiba tão carinhosamente proporcionou a mim, como ao Antonio Júnior e a Marisa Merlo, que organizamos o festival”.

Assim, Aly Muritiba, um dos criadores da Grafo Audiovisual, empresa produtora do Olhar de Cinema, dizia, visivelmente feliz, na abertura da edição inaugural do festival. Muritiba explica que nenhum dos três nasceu na capital paranaense, mas que se tornaram curitibanos por adoção. Criar e produzir o Festival foi a forma encontrada de dizer “muito obrigado” à cidade.

“Mas é bom lembrar que a cidade não deve se satisfazer apenas com estes 7 dias de cinema”, lembra Marisa Merlo. “Queremos que o Olhar de Cinema seja um incentivo para que venham outras iniciativas do gênero, para que Curitiba viva cada vez mais a experiência do cinema”, afirma.

Antonio Júnior contabiliza: “Para chegarmos até esta noite de abertura, foram mais de 1.500 filmes vistos. É espantoso! E hoje a gente se sente melhor e mais completo do que quando começamos a ver todos estes filmes”.

O Olhar de Cinema 2012 – Festival Internacional de Curitiba oferece 156 horas de cinema, distribuídas por 8 Mostras. E todas as sessões são gratuitas.

Pizzini e Sganzerla

Ao subir ao palco do Guairinha para apresentar o filme de abertura, o diretor Joel Pizzini afirmou: “Estão passando diversos filmes na minha cabeça agora. Foi aqui em Curitiba que conheci Rogério Sganzerla, foi aqui que eu fui tomado e me apaixonei pelo Cinema. Apresentar este filme neste palco é muito significante para mim”. E concluiu: “Longa vida ao Olhar de Cinema!”.

O filme Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz recria o ideário do cineasta Rogério Sganzerla através de uma linguagem experimental que, segundo o próprio diretor, “homenageia ainda elementos relacionados a Orson Welles e à Antropofagia”.

Unindo raras e preciosas imagens de arquivo a uma narrativa ensaísta, Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz não apenas homenageia a obra do famoso cineasta, como também contribui para um importante mapeamento histórico do audiovisual brasileiro.

A programação completa do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba está em www.olhardecinema.com.br

 SERVIÇO:

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 29 de maio a 4 de junho de 2012.

Realização: Grafo Audiovisual, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Patrocínio: Volvo, Copel, Schweppes. 

Apoio: Estúdio Tijucas, Conta Cultura, Governo do Estado do Paraná, Shopping Crystal

Apoio Cultural: SESI-PR, SESC-PR, SESC Paço da Liberdade.

Promoção: RPCTV, Gazeta do Povo.

Sganzerla abre programação do Festival OLHAR DE CINEMA

Filmes premiados do mundo inteiro se encontram no Festival Internacional de Curitiba, que começa esta noite

O Melhor Filme no Festival Fantasporto de 2012, o Young Critics Awards em Cannes 2011, o vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Miami, o ganhador do  Prêmio Especial do Júri no Festival do Rio, o Melhor Filme no Montreal Festival of New Cinema, a Palma de Ouro de Melhor Curta em Cannes de 2011, a Melhor Ficção no Festival de Biarritz e mais, muito mais filmes aplaudidos, elogiados e consagrados no mundo inteiro poderão ser vistos na primeira edição do Olhar de Cinema 2012 – Festival Internacional de Curitiba. 

Foram selecionados 24 longas internacionais, 8 longas nacionais, 12 curtas internacionais e 14 curtas nacionais num total de 58 filmes compondo a seleção oficial do evento. Além das 9 vídeo-arte da mostra Multiolhares, haverá ainda 5 longas de John Cassavetes compomdo a mostra Olhar Retrospectivo, totalizando assim 72 filmes de 22 países nesta primeira edição do Olhar de Cinema 2012 – Festival Internacional  de Curitiba. 

Filme Tudo que Deus criou, de André da Costa Pinto, será exibido na sexta

Além da exibição dos filmes, o Olhar de Cinema também promoverá o I SEMINÁRIO DE CINEMA CONTEMPORÂNEO DE CURITIBA, uma série de palestras, mesas e debates que discutirão os novos caminhos da produção, distribuição e exibição do audiovisual brasileiro.  

O tema “Realização Criativa” é a espinha dorsal deste I SEMINÁRIO DE CINEMA CONTEMPORÂNEO DE CURITIBA, composto por quatro mesas e um workshop. Em cada uma das ações, profissionais e pensadores do cinema discorrem sobre temas específicos, tais como produção, distribuição, venda, limitações orçamentárias, sempre tendo como linha mestra o conceito de Realização Criativa, no sentido de que, para se fazer/exibir cinema independente, é preciso encarar todos os processos da cadeia produtiva como uma atividade criativa e intrinsecamente artística, mesmo aquelas mais burocráticas. 

Importante: toda a programação é gratuita.

Logo mais, você confere aqui a programação completa.

Reta final para inscrições ao Festival de Curitiba

 

 

Até o próximo dia 20, produções brasileiras e internacionais podem ser inscritas na primeira edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, a ser realizado na capital paranaense de 29 de maio a 4 de junho. 

Reunindo filmes independentes de todo o mundo, o Olhar de Cinema – Festival  Internacional de Curitiba nasce para preencher uma lacuna no cenário cinematográfico paranaense e brasileiro. Sem exigências de ineditismo, o objetivo é promover reflexões sobre o cinema e formar novos olhares através de filmes pouco comuns no circuito comercial brasileiro. 

Os sócios da GRAFO: Aly Muritiba, Marisa Merlo e Antônio Junior

“Na última década, Curitiba perdeu vários eventos de cinema. Era preciso fazer alguma coisa para mudar este cenário”, afirma Antônio Junior, um dos diretores da Grafo Audiovisual, empresa realizadora do Festival. 

Principais Mostras e Premiações:  

Para Longas Metragens (acima de 50 minutos): 

Competitiva Janela Internacional de Longa Metragem – Para filmes brasileiros e internacionais. Concorre ao “Prêmio Olhar” de R$ 10.000. 

Competitiva Olhares Brasil de Longa Metragem – Para filmes  brasileiros e de diretores estrangeiros residentes no Brasil há pelo menos 2 anos. Concorre ao “Prêmio Olhar” de R$ 7.000. 

Novos Olhares – Para 1º.s ou 2º.s filmes de cineastas brasileiros e internacionais. 

Outros Olhares  (Não Competitiva) – Breve panorama de propostas cinematográficas do Brasil e do mundo. 

Mirada Paranaense (Não Competitiva) – Para filmes de cineastas paranaenses ou residentes no Paraná há pelo menos 2 anos. 

Para Curtas Metragens (até 25 minutos): 

Competitiva Janela Internacional de Curta Metragem – Para filmes brasileiros e internacionais. Concorre ao “Prêmio Olhar” de R$ 4.000. 

Competitiva Olhares Brasil de Curta Metragem – Para filmes  brasileiros e de diretores estrangeiros residentes no Brasil há pelo menos 2 anos. Concorre ao “Prêmio Olhar” de R$ 2.500. 

Mirada Paranaense (Não Competitiva) – para filmes de cineastas paranaenses ou residentes no Paraná há pelo menos 2 anos. 

Haverá também Prêmios do Público, da Crítica, e o Prêmio Aquisição RPC no valor de R$10.000 para um curta da Mirada Paranaense.

Além de debates, oficinas e seminários que acontecerão durante 7 dias num intenso intercâmbio de idéias entre público, estudantes e cineastas brasileiros e internacionais. 

SERVIÇO: 

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 29 de maio a 4 de junho de 2012.

Realização: Grafo Audiovisual, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Patrocínio: Volvo, Copel. 

Apoio: Estúdio Tijucas, Conta Cultura, Governo do Estado do Paraná, Shopping Crystal

Apoio Cultural: SESI

Promoção: RPCTV 

Locais:

·         Espaço Itaú de Cinema – Shopping Crystal – Exibição da seleção oficial de filmes. Rua Comendador Araújo, 731 – Batel.

·         Cinemateca de Curitiba – Exibição da seleção oficial de filmes. Rua Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco.

·         Museu Oscar Niemeyer – Mostra paralela Multi Olhares. Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico.

·         Sesc Paço da Liberdade – Seminário e Debates com os Realizadores.Praça Generoso Marques – Centro.

·         Sesc da Esquina – Realização das Oficinas. Rua Visconde do Rio Branco, 969.

·         Teatro Guairinha – Cerimônias de Abertura e Encerramento. Rua XV de Novembro s/n.

·         Sesi  (várias unidades nos bairros) – Mostra Olhar Itinerante.

 Saiba mais em http://olhardecinema.com.br/blog

 

GRAFO abre inscrições para Festival Internacional em Curitiba…

As inscrições para o Olhar de CinemaFestival Internacional de Cinema de Curitiba estão abertas até 20 de março. O festival será realizado durante 7 dias, de 29 de maio a 4 de junho de 2012.

Durante 7 dias o festival exibirá, aproximadamente, 70 filmes de longa e curta metragem, distribuídos em mostra competitiva (nacional e internacional) e não competitiva. Além disso, o festival também oferecerá um seminário e 3 oficinas. A programação do evento é totalmente gratuita.

Para mais informações: 
www.olhardecinema.com.br
info@olhardecinema.com.br 
www.facebook.com/olhardecinema
@olhardecinema_

Produzido por Grafo Audiovisual 
grafoaudiovisual.com

Realização: Grafo Audiovisual | Ministério da Cultura | Governo Federal 
Patrocínio: Copel | Governo do Estado do Paraná | Conta Cultura 
Apoio: Estúdio Tijucas

_____________________

Submissions to Olhar de Cinema – Curitiba Int’l Film Festival are open, from December 1, 2011 to March 20, 2012. The festival will be held during 7 days, from May 29 to June 4 2012, in Curitiba, Brazil. During 7 days the festival will screen about 70 features and short films, divided in Competitive Programme (National and International) and Non-Competitive Programme. Also, the festival will offer a thematic seminar and 3 workshops. The Programme is totally free of charge to the public.

For more information: 
www.olhardecinema.com.br
info@olhardecinema.com.br 
www.facebook.com/olhardecinema
@olhardecinema_

Produced by Grafo Audiovisual 
grafoaudiovisual.com

Realized by: Grafo Audiovisual | Ministério da Cultura | Governo Federal 
Sponsors: Copel | Governo do Estado do Paraná | Conta Cultura 
Support: Estúdio Tijucas