Arquivo da tag: cinema em Minas

Tudo pronto para o I Araxá Cine Festival

Semana de intensa e diversificada programação vai movimentar o festival mineiro

Começa amanhã a edição inaugural do Araxá Cine Festival, festival de cinema idealizado pela produtora e cineasta Débora Torres, e que promete colocar Araxá de vez no circuito dos grandes eventos de cinema do país.

Com solenidade de abertura agendada para às 19 horas desta segunda, 10 de setembro, o Araxá Cine Festival terá como sede o Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá, um marco turístico importante da cidade, lugar dos mais visitados e apreciados por turistas de todas as partes do mundo, além de ter servido de cenário para muitas das cenas do filme Vazio Coração, de Alberto Araújo.

Durante o dia, haverá uma extensa e diversificada programação, oferecida aos participantes do festival, moradores de Araxá, realizadores e estudantes de Comunicação, Artes e Audiovisual, além de um chamado ‘Festivalzinho’, dedicado à garotada. Todas as atividades do Araxá Cine Festival serão gratuitas, o que, por si só, já é um atrativo a mais numa programação recheada de atrações relevantes.

Entre oficinas e workshops, em número de seis, haverá também debates, lançamentos de livros e DVDs, bate-papo com a imprensa, shows musicais, homenagens e exibições especiais. O produtor e cineasta Walter Webb vai ministrar oficina conjugando o tripé Produção/Roteiro/Direção;  o diretor Aluizio Abranches vai ministrar workshop de Direção; o ator e escritor Germano Pereira fará workshop abordando questões ligadas ao tema Adaptação Literária para o Cinema. Já o cineasta João Batista de Andrade responde pelo workshop sobre Cinema Brasileiro, enquanto a atriz Ingra Liberato vai comandar o workshop sobre Interpretação; e Rosamaria Murtinho vai conversar sobre sua experiência no cinema, televisão e teatro.

Incluída no Circuito Turístico da Canastra, a cidade de Araxá vai viver dias de epicentro do Cinema Brasileiro, a partir do Tauá Grande Hotel e Termas…

A  programação do 1º Araxá Cine Festival consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados, curtas-metragens mineiros convidados e curtas-metragens araxaenses selecionados, além do “Festivalzinho” para as crianças da rede municipal e estadual de ensino, palestras, debates, lançamentos de livros, shows musicais, oficinas e workshops de audiovisual.

Débora Tôrres à frente do festival que vai fazer de Araxá a Capital do Cinema Brasileiro

O festival é um projeto da produtora cinematográfica Débora Tôrres (que também produziu em Araxá o longa-metragem VAZIO CORAÇÃO),  realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura)  com apoio da Associação de Música de Araxá – Sra.Débora Arantes – e da Secretaria Municipal de Turismo – Sra. Alda Sandra -, e patrocínio da CBMM e CEMIG. Todas as atividades  são gratuitas e de livre acesso. Não é necessária a retirada de convites para as mostras, apenas interessados na oficina e nos workshops deverão fazer suas inscrições antecipadamente através do site do festival.

Local onde fica a antiga Fonte da Jumenta, atual Fonte Dona Beja, um dos pontos turísticos mais procurados de Araxá devido a seus poderes de rejuvenescimento.

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVAL

Data: 10 a 16 de setembro de 2012

Locais: Tauá Grande Hotel de Araxá e Teatro Municipal de Araxá (festa de premiação)

Mais informações: www.araxacinefestival.com.br e www.facebook.com/araxacinefestival

Contagem regressiva para o Araxá Cine Festival

Festival começa segunda-feira e organização ultima preparativos

Prorrogadas inscrições ao Primeiro Plano

Filmes podem ser inscritos até 21 de setembro

As inscrições às mostras competitivas da 11ª edição do Primeiro Plano Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades continuam abertas. Para participar, é necessário preencher a ficha de inscrição e seguir os procedimentos previstos no edital, disponíveis no site www.primeiroplano.art.br.

São aceitos apenas filmes de diretores estreantes de todo o Brasil para a Mostra Competitiva de Curtas, e trabalhos de realizadores de Juiz de Fora e da Zona da Mata Mineira, para a mostra Regional.

Os trabalhos selecionados à Mostra Competitiva de Curtas vão concorrer aos troféus de Melhor Filme; Direção; Roteiro; Concepção Fotográfica; Concepção Sonora; Montagem; Direção de Arte; Trilha Musical; Ator; Atriz e Melhor Curta pelo Júri Popular.  Já as produções universitárias juiz-foranas na categoria Regional, além de Melhor Curta pelo Júri Popular, disputam também o prêmio Incentivo Primeiro Plano, correspondente a R$ 5 mil para uma nova realização.

O Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades foi aprovado pelas leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura. A realização é do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e de Produtores Culturais, em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora e a Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura.

O festival vai acontecer de 22 a 27 de outubro em Juiz de Fora (MG), no Espaço Alameda de Cinema.

Os filmes do Araxá Cine Festival

Primeira edição do Festival que vai transformar Araxá na Capital do Cinema Brasileiro começa dia 10 de setembro

Confira os filmes e os dias de exibição:

O Festival será aberto com a exibição de O Mineiro e o Queijo, de Helvécio Ratton, dia 10.

Dia seguinte, 11 de setembro, é a vez de O CONTADOR DE HISTÓRIAS, de Luís Villaça…

Dia 12 é a vez de O Palhaço, com Selton Mello e grandioso elenco…

Dia 13,  é a vez da comédia de Hugo Carvana, NÃO SE PREOCUPE, NADA VAI DAR CERTO !

Dia 14, é a vez de OLHOS AZUIS, de José Joffily…

E na noite do dia 15, o úiltimo filme da competição oficial de longas, a tela será tomada por ONDE ESTÁ A FELICIDADE ?, de Bruna Lombardi e Carlos Alberto Ricelli.

Na noite de encerramento do ARAXÁ CINE FESTIVAL, a pré-estreia de VAZIO CORAÇÃO, primeiro longa do diretor araxaense Alberto Araújo, com produção de Débora Torres..

Helvécio Ratton durante as filmagens do documentário sobre o mineiro e o queijo…
Cena de O CONTADOR DE HISTÓRIAS, de Luís Villaça…
Selton Mello assina roteiro e direção, e protagoniza seu segundo longa, O Palhaço
Tarcísio Meira e Hugo Carvana contracenam em Não se preocupe, nada vai dar certo !
Irandhir Santos está no drama Olhos Azuis
Bruna Lombardi escreveu o roteiro e atua em ONDE ESTÁ A FELICIDADE ?, dela e do marido Carlos Alberto Ricelli…
Alberto Araújo e parte do elenco de Vazio Coração
* Vale destacar a inscrição para a Mostra CURTA ARAXÁ, que quer descobrir e revelar novos valores do Audiovisual atuantes naquele município mineiro.

Araxá: porque o Cinema deve brilhar como o Sol

Cidade que já foi tema de livros, romances e até de uma novela de muita audiência, Dona Beja (protagonizada por Maitê Proença), ARAXÁ, a 367 km da capital mineira, vai sediar seu primeiro festival de cinema, a partir do próximo dia 10 de setembro.

O I Araxá Cine Festival foi criado pela cineasta e produtora Débora Torres, tem Curadoria de Rubens Ewald Filho, e terá uma extensa programação de 7 dias com exibições gratuitas, e uma premiação de R$ 130 mil, distribuída para várias categorias.

Rubens Ewald Filho, o crítico mais festejado do país, é também o Curador do I Araxá Cine Festival

A programação do Araxá Cine consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados,curtas-metragens mineiros convidados,ecurta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. O festival é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo um salutar intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical.

Araxá, cidade da messoregião do Triângulo Mineiro, possui aspectos que a tornam absolutamente propícia a receber um festival de cinema, a começar pela beleza de suas paisagens naturais, ainda mais quando o objetivo está alicerçado numa proposta onde história e memória da cinematografia brasileira desenham-se em intercâmbio com o local, regional e nacional, centrando o foco no Cinema como Patrimônio em Diálogo com o Público.

Objetivando apresentar ao público a diversidade da produção cinematográfica brasileira em formação, reflexão, exibição e difusão, o 1º ARAXÁ CINEFESTIVAL pretende abrir precedentes para disseminar Cultura & Arte em todos os aspectos, através de encontros e diálogos, de revelação e integração de novas iniciativas, ampliação e visibilidade para todos que têm compromisso com seu país.

Débora Torres entre Murilo Rosa e Alberto Araújo: concretizando mais um Festival de Cinema…

A idealizadora do Festival, cineasta e produtora Débora Torres, entusiasmada com a concretização do projeto, que alimentava há cerca de 3 anos, afirma: “Araxá é uma cidade acolhedora, com uma rede hoteleira muito boa. Queremos que seja um evento que venha para ficar.”

A LOGOMARCA

A assinatura visual do 1º Araxá Cine Festival foi desenvolvida através de um processo de estudo e pesquisa, visando a representar em um símbolo todo o objetivo do festival: trazer o cinema brasileiro à cidade de Araxá. Optou-se por elaborar uma marca com o conceito de que, durante o período do festival, Araxá e cinema serão um só. Transmitindo também a proposta de transformar a cidade na Capital Nacional do Cinema Brasileiro no período.

O símbolo é representado por um elemento traduzido em metade sol e outra metade uma fita de cinema. O sol representa Araxá. Elemento que é a tradução literal do nome do município, nome indígena que significa “lugar alto onde primeiro se avista o sol”. O círculo central também representa uma fita de cinema, envolto por uma lata na cor cinza escuro. O tom amarelo ouro também remete a “era dourada do cinema”.

 Débora Torres e Aurora Miranda Leão, unidas pela Sétima Arte…

O logotipo foi elaborado com as cores cinza e preto, transmitindo os conceitos seriedade e sobriedade. A tipografia foi desenvolvida para, ao mesmo tempo, passar o conceito de jovialidade e seriedade. As cores aliadas ao amarelo significam sucesso, brilho e  glamour, conceitos diretamente ligados ao universo cinematográfico.

Todos os elementos que formam a composição (símbolo, logotipo, legenda) estão dispostos de modo harmônico, para que haja uma simbiose capaz de agregar todos os objetos num conjunto gráfico.

Cena de O Mineiro e o Queijo, filme que vai abrir o Araxá Cine Festival

A solenidade de abertura do Festival está marcada para às 19h do dia 10 de setembro com show musical de artistas araxaenses no Teatro Municipal de Araxá, que será inaugurado oficialmente na ocasião. Em seguida, às 20h, será exibido o documentário O Mineiro e o Queijo, de Helvécio Ratton.

Dentre os livros a serem lançados, DICIONÁRIO DE FILMES BRASILEIROS – CURTA E MÉDIA METRAGEM, do pesquisador Antônio Leão; Ensaios de Cinema, do crítico L.G. de Miranda Leão; e Criação de Curta-Metragem em Vídeo Digital, do cineasta e roteirista Alex Moletta. Ainda na programação, a oficina de Walter Webb – ROTEIRO, PRODUÇÃO & DIREÇÃO, e o workshop PREPARAÇÃO – VIVÊNCIA DA PERSONAGEM NO TEMPO PRESENTE, com a atriz Ingra Liberato.

Na noite de encerramento, acontecerá a avant-première do filme Vazio Coração, a primeira exibição pública do longa-metragem de Alberto Araújo, que foi produzido por Débora Torres, e que tem elenco formado por Murilo Rosa, Lima Duarte,  Othon Bastos, Bete Mendes, Oscar Magrini, o Embaixador Lauro Moreira, Larissa Maciel, e Patrícia Naves no elenco.

Murilo Rosa protagoniza o longa Vazio Coração, de Alberto Araújo, que terá uma prévia na noite de encerramento do I Araxá Cine Festival

SAIBA MAIS SOBRE  VAZIO CORAÇÃO: http://auroradecinema.wordpress.com/2011/10/28/debora-torres-entre-vazio-coracao-e-festival-de-cinema-de-araxa/

QUEM FAZ o ARAXÁ CINE FESTIVAL

Idealização, Produção Executiva e Programação Visual:
DÉBORA TORRES

Curadoria da Mostra de longas metragens:
RUBENS EWALD FILHO

Curadoria de Curtas Minas:
GUIGO PÁDUA

Direção Artística:
ALBERTO  ARAÚJO

Coordenação Artística:
DÉBORA FRANCISCO

Coordenação das Mostras Competitivas e Paralelas:
PEDRO PINHEIRO

Coordenação de Comunicação:
DELVO  SIMÕES

Coordenação de Oficinas:
JOÃOZINHO UIRAPURU

Coordenação de transporte e logística:
CÉLIA PIO

Coordenação de Produção:
ALMIR AVELAR

Programação, Captação e tráfego de filmes:
ÂNGELA TORRES

Chefe de Receptivo e Cadastramento:
WALDIANE ERICEIRA

Secretária Executiva:
SÔNIA PASSOS

Assessoria de Imprensa do Festival:
AURORA MIRANDA LEÃO 

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVAL – Festival Nacional de Cinema de Araxá

Data: 10 a 16 de setembro de 2012-08-10

Local: Teatro Municipal de Araxá e itinerâncias

Mais informações: http://www.araxacinefestival.com.br

Luz, Câmera, ARAXÁ: Primeiro Festival de Cinema será aberto dia 10 de setembro

Lançado esta manhã, em coletiva de imprensa no Teatro Municipal de Araxá, em Minas Gerais, o 1º ARAXÁ CINE FESTIVAL – Festival Nacional de Cinema de Araxá.

Débora Torres, uma exímia articuladora cultural, alcança mais um tento e consegue dar vazão ao seu objetivo de espalhar Cinema Brasileiro, por onde der. O ARAXÁ CINE FESTIVAL é mais uma cria de Débora, que sonhava á tempso essa benfazeja ideia.

A cidade de Araxá já está entando no clima do festival. Mês que vem, durante sete diasde 10 a 16 de setembro, a aprazível cidade mineira, conhecida por suas belezas naturias, águas e lamas medicinais, vai se transformar na Capital do Cinema Brasileiro.

A programação do Araxá Cine consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados, curtas-metragens mineiros convidados, e curta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. O festival é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo o intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical. 

Porque um Festival em ARAXÁ 

O Estado de Minas Gerais sedia festivais nacionais e internacionais bem consolidados, os quais apresentam aos artistas e ao público referências de alta qualidade técnica e artística, não raras vezes marcadas pelo caráter de inovação. Araxá, cidade da messoregião do Triângulo Mineiro, possui aspectos que a tornam absolutamente propícia a receber um festival de cinema, a começar pela beleza de suas paisagens naturais, ainda mais quando o objetivo está alicerçado numa proposta onde história e memória da cinematografia brasileira desenham-se em intercâmbio com o local, regional e nacional,  centrando o foco no Cinema como Patrimônio em diálogo com o Público.

 As exibições dos filmes, oficinas e workshops serão itinerantes e gratuitos. Com estas ações pretende-se:   

. Troca de experiências e integração entre profissionais, críticos e artistas no campo do cinema e do vídeo, e demais artes ou segmentos culturais;  

. Fomentar a discussão sobre as possibilidades culturais locais; capacitar os agentes disseminadores da produção audiovisual; 

. Formar platéia para o cinema nacional, projetar o potencial turístico e cultural do município de Araxá; 

. Promover o cinema e o vídeo como forma de recurso multidisciplinar a ser usado nas escolas;  

. Fomentar a cultura cinematográfica;  

. Difundir o cinema brasileiro;  

. Despertar a criação de novos cineastas e entusiastas da cultura audiovisual brasileira;  

. Despertar nos empresários e políticos locais a necessidade de amplo investimento na área cultural e incentivar iniciativas para a preservação cultural.           

. Realizar uma semana de exibições públicas de filmes de todos os gêneros cinematográficos, com apresentação das equipes técnicas e artísticas dos filmes. 

. Realizar Oficinas de Roteiro, de Produção Executiva, Direção com duração de 6 dias, num total de 12 horas / aula, para cada oficina. 

. Realizar workshops de audiovisual.  

. Realizar 7 dias de apresentações de grupos musicais da Associação dos Funcionários e Alunos da Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo.  

 

Como nasceu o I ARAXÁ CINE FESTIVAL 

O projeto é uma iniciativa de regionalização, nacionalização e democratização. A ideia é trabalhar para ver o Brasil presente nas telas, nas ruas, nas praças, no rosto, na voz, no pulso de quem faz, de quem vê, de quem pensa, de quem sonha, de quem acredita e cria oportunidades para provocar mudanças, gerar desenvolvimento, atrair novos agentes culturais, seja da estrutura de platéia à quem produz.

Objetivando apresentar ao público a diversidade da produção cinematográfica brasileira em formação, reflexão, exibição e difusão, o  1º ARAXÁ CINE FESTIVAL pretende abrir precedentes para disseminar Cultura & Arte em todos os aspectos, através de encontros e diálogos, de revelação e integração de novas iniciativas, ampliação e visibilidade para todos que têm compromisso com seu país. 

 

As imagens exercem um grande poder na formação das pessoas. A qualidade do conteúdo que apresentamos a elas, sejam filmes, programas de TV ou estímulos artísticos, ajudam na construção de valores e saberes. Música e cinema caminham paralelamente desde os tempos em que víamos desfilar num ecrã as imagens em preto e branco ao som de uma pianola; já então a música acompanhava as imagens e dava-lhes a expressão certa, fosse nos momentos de suspense, de tristeza ou numa mera cena de pancadaria. A empatia entre estas duas formas de expressão artística é tão forte que as nossas memórias de um filme são, frequentemente, a lembrança da trilha sonora ou, pelo menos, de um dos seus temas.

Os grandes realizadores perceberam cedo essa importância disso e contrataram para os seus filmes  os melhores compositores, sendo que alguns destes especializaram-se em música para o cinema. O cinema é uma expressão que incorpora a música, a literatura, as artes cênicas e plásticas, além de outras áreas do conhecimento, como história, geografia, ciência. A Sétima Arte pode ser um suporte para a formação cultural de um indivíduo mais crítico e consciente, bem como o audiovisual pode e deve ser usado como ferramenta pedagógica. 

 

O cinema valoriza a cultura (a ‘nossa’ e a do ‘outro’), incentiva a auto-estima, gera curiosidade e, acima de tudo, transforma o pensamento, diverte  as pessoas. Pode ser a chave para um mundo melhor. Um mundo que aceite as diferenças como parte da riqueza cultural.

Débora Torres, entusiasmada com a concretização do projeto, que alimentava há cerca de 3 anos, afirma: “Araxá é uma cidade acolhedora, com uma rede hoteleira muito boa. Queremos que seja um evento que venha para ficar.” 

Até 10 de agosto, inscrições à mostra CineBH

CineBH 2012 

 

Oficinas de Ouro Preto: inscrições só até amanhã

Inscrição Oficinas

Os vencedores do Primeiro Plano Festival


 

A décima edição do Primeiro Plano Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades teve como grandes vencedores os curtas Braxília, de Danyella Proença, na categoria Nacional, e Sobre cinema e diálogos, de Yuri Westermann, na regional. As produções fizeram parte da seleção de 48 curtas, exibidos ao longo de toda a semana no Espaço Alameda de Cinema, nas mostras competitivas.

 

Cerca de 600 pessoas passaram todos os dias pelo festival, lotaando as sessões. Entre as exibições mais concorridas, a estreia do longa Ibitipoca – Droba pra lá, do juiz-forano Felipe Scaldini, acontecida no último dia do evento. Na sexta, a estreia do filme argentino “Las Acacias”, de Pablo Giorgelli, também fez sucesso entre o público.   

Para o coordenador-geral do evento, Aleques Eiterer, o Primeiro Plano 2011 teve entre os destaques o fato de ter sido marcado pela pluralidade de conteúdo. “A edição deste ano configurou uma das melhores seleções que já fizemos. Exibimos filmes de todas as partes do Brasil, com abordagens das mais variadas temáticas.” 

OS PREMIADOS

Mostra Competitiva Nacional 

Melhor filme

“Braxília”, de Danyella Proença

 

Melhor direção

Rafaela Camelo, por “A arte de andar pelas ruas de Brasília”

 

Melhor roteiro

Abel Roland e Emiliano Cunha, por “O cão” 

Melhor atriz

Amélia Bittencourt, por “Qual queijo você quer?” 

Melhor ator

Henrique César, por “Qual queijo você quer?”

 

Melhor direção de arte

Mayra Sergio, por “Lápis de cor”

 

Melhor concepção fotográfica

Vínicios Brum, por “Entre muros”

 

Melhor concepção sonora

Gabriel Motta, por “O cão”

 

Melhor trilha sonora

Mateus Mira, por “Qual queijo você quer?”

 

Melhor montagem

Bruno Lasevicius, por “Cine Camelô”

 

Melhor primeiro lano

“Metafísica”, de Eduardo Gomes

 

Menção honrosa 1

“Metafísica”, de Eduardo Gomes

 

Menção honrosa 2

“Cine Camelô”, de Clarissa Knoll

 

Menção honrosa 3

“Monja”, de Breno Baptista

 

Júri jovem

“Cine Camelô”, de Clarissa Knoll

 

Júri Popular

“Cine Camelô”, de Clarissa Knoll

 

Júri Popular Infantil:

“Lápis de cor”, de Alice Gomes

 

Prêmio Porta Curtas

“Qual queijo você quer?”, de Cíntia Domit Bittar

 

Mostra Competitiva Regional 

Incentivo Primeiro Plano

“Sobre cinema e diálogos”, de Yuri Westermann

 

Júri Popular

“Sobre cinema e diálogos”, de Yuri Westermann

 

Prêmio Zé Sette

“Veredas Santeiro”, de Leandro Domith

 

O Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades foi aprovado pelas leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura. A edição 2011 do festival tem patrocínio do Fundo Nacional de Cultura e da Prefeitura de Juiz de Fora e é uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, da Universidade Federal de Juiz de Fora e da Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura.

Primeiro Plano de Cinema em Juiz de Fora

Com o tema Olhar de novo, será aberta no próximo dia 28 a décima edição do Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades, que vai até 3 de dezembro.

Ao longo de 6 dias, serão exibidos seis longas de diretores estreantes e mais de 50 curtas, nas mostras competitivas e de mercocidades. O festival terá também a estreia do filme contemplado com o prêmio Incentivo Primeiro Plano 3 e a Sessão Escola.  

 

Na noite de abertura, próxima segunda, será exibido o premiado longa
A hora e a vez de Augusto Matraga“, de Vinicius Coimbra, grande vencedor do Festival do Rio deste ano. Baseado no conto de Guimarães Rosa, o filme conta a história de Augusto Matraga, fazendeiro falido e violento que vive acima da lei no sertão mineiro.  

O longa tem elenco formado por nomes como João Miguel, no papel de Matraga, Vanessa Gerbelli, como Dionóra, José Wilker, na pele de Joãozinho Bem-Bem, e Chico Anysio, que encarna o Major Consilva. A produção foi um dos destaques do Festival do Rio, ao arrebatar cinco troféus: Melhor Longa-Metragem de Ficção (voto popular e júri oficial), Melhor Ator (João Miguel) e Melhor Ator Coadjuvante (José Wilker), além de um prêmio especial para Chico Anysio. 

João Miguel em cena do filme Augusto Matraga, que vai abrir o festival mineiro…

A noite de abertura também terá a exibição dos curtas Luminaris, animação do argentino Pablo Zaramella, e Bomba, de Francisco Franco. Este último foi viabilizado pelo prêmio Incentivo Pimeiro Plano 3, conquistado com “Cachorro morto”, na última edição do festival. 

Melhor dos Melhores 

A competitiva O melhor dos melhores de todos os tempos segue com votação aberta até 2 de dezembro, no site oficial (www.primeiroplano.art.br). No endereço, todos os curtas vencedores do júri popular das edições anteriores, na mostra competitiva regional, podem ser assistidos para que seja escolhido um vencedor, a ser exibido novamente no Primeiro Plano

Primeiro PlanoFestival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades foi aprovado pelas leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura. A edição 2011 tem patrocínio do Fundo Nacional de Cultura e da Prefeitura de Juiz de Fora e é uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, da Universidade Federal de Juiz de Fora e da Secretaria do Audiovisual/ Ministério da Cultura. 

Programação 

Segunda, 28 de novembro

20h Abertura
Bomba“, de Francisco Franco, Incentivo Primeiro Plano 3
A hora e a vez de Augusto Matraga“, de Vinicius Coimbra

“Luminaris”, de Pablo Zaramella (AR) 

Terça, 29 de novembro

15h Sessão Escola
17h Mostra Competitiva Regional 1
19h Mostra Competitiva Nacional 1 
21h Estréia de longa: “Trabalhar cansa”, de Juliana Rojas e Marco Dutra 

Quarta, 30 de novembro

15h Sessão Escola
17h Mostra Competitiva Regional 2 
19h Mostra Competitiva Nacional 2 
21h Estréia de longa: “Malditos cartunistas”, de Daniel Garcia e Daniel Paiva 

Quinta, 1º de dezembro

15h Sessão Escola
17h Mostra Competitiva Regional 3 
19h Mostra Competitiva Nacional 3 
21h Estréia de longa: “Estrada para Ythaca”, de Coletivo Alumbramento 

Sexta, 2 de dezembro

15h Sessão Escola
17h Mostra Mercocidades de Curtas
19h Mostra Competitiva Nacional 4 
21h Estréia de longa: “Las Acacias”, de Pablo Giorgelli 

Sábado, 3 de dezembro

14h Mostra Audiovisual de Juiz de Fora 1
16h Mostra Audiovisual de Juiz de Fora 2
18h Estréia de longa: “Ibitipoca, droba pra lá”, de Felipe Scaldini

20h Cerimônia de Encerramento 

Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

De 28 de novembro a 2 de dezembro

Espaço Alameda de Cinema

(Rua Morais e Castro 300, Alto dos Passos)