Arquivo da tag: cinema na Paraíba

Noite de abertura do Comunicurtas, que vem cheio de atrações, e revelando novo talento campinense

Saí de Fortaleza no comecin da manhã de domingo e antes das sete o avião tocava rumo a Salvador, pra de lá então, depois de algumas horas, fazer a rota até Campina Grande.

A chegada na cidade paraibana foi supimpa ! Desembarquei no começo da tarde e tive no voo a companhia do diretor Ives Albuquerque aplacando meu medo de avião… Alegria avistar, ainda de longe, quando aguardava minhas malas apontarem na esteira, o rosto de meu amado convidante.

Ira de Guadalupe, André da Costa Pinto e Cíntia de Oliveira: gente que faz o Comunicurtas…

Anfitrião de primeira, André da Costa Pinto estava no aeroporto, como sempre, cercado por gente de sua adorável equipe como as queridas Cintia de Oliveira e Fabíola Rodrigues. No hotel, o reencontro com minha queridamiga Aninha – cineasta Ana Célia Gomes -, e mais tarde com outra parceira do Bem, Carol Torquato Ledo, e com o querido fotógrafo Wagner Pina. 

Campina Grande conta visíveis progressos e está ainda mais bonita à noite. No cardápio, deliciosas massas do “Spoleto”, e vem muito mais coisa boa por aí. O fotógrafo Walter Antunes e a cantora Luama Socio já estão por aqui. Os demais convidados chegam logo mais. A semana de CINEMA na cidade paraibana promete bastante auê e alegrias multicoloridas. Desde já, PARABÉNS à UEPB e a este aguerrido CineastArtista, André da Costa Pinto, um eterno e, cada vez mais, Queridooooo !

André da Costa Pinto: um dínamo que o Teatro deu ao Cinema… Queridooooo !
De presente deste menino cineasta inquieto-talentoso-indormido e eletrificante ANDRÉ DA COSTA PINTO – apaixonante desde a primeira vista -, ganhei uma mochila ultra hiper chic fashion… fui às nuvens rapidinho. Logo eu, que amo bolsas, inda mais da cor telha. Pasmem !
Foi isso mesmo que ganhei de André: uma estilosa mochila na minha cor predileta, criação de um jovem, talento, ousado e criativíssimo artista visual e estilista de acessórios, por nome Belarmino.
* Para os que sabem de André da Costa Pinto, é fácil supor ter sido ele quem descobriu e agora revela o promissor artista que acabo de conhecer, com satisfação, em Campina Grande. O nome dele é Belarmino.
Ana Célia Gomes e André da Costa Pinto: amizade longa e parceria profícua…
É preciso carregar alma de Artista e ter sensibilidade de ourives para descobrir,  em breves momentos e poucas linhas, o cerne da artisticidade que irrompe em pequenos gestos e decisivas posturas diante do cotidiano.  André tem este perfil, por isso traz sempre consigo esses condões de luz que contagiam e prospectam novas panorâmicas criativas.
É tão charmoso e bonito este Belarmino, tão afetuoso,  singelo e, criador de maravilhas com coisas impensadas, que resolvi chamá-lo Belê. Ele é a própria imagem da beleza, da originalidade, da fecundidade fashionista a expandir-se por várias plataformas, as quais vai imaginando e concretizando em finas iguarias, a serem  reveladas ao público do COMUNICURTAS em exposição que será aberta terça, na segunda noite do concorrido festival.

É de Belarmino (BELÊ) a incrível mochila que já faz parte das relíquias de meu guarda-acessórios. Em breve, postarei fotos aqui pra você, leitor amigo, conferir.

Imagine de que material é feita a mochila….

De um material que todo mundo acredita servir apenas para embalar o cimento que serve de invólucro a tantas construções.

Em breve, falo mais sobre as incríveis criações de Belarmino por aqui e mostro fotos pra você, leitor amigo, pra quem este Aurora de Cinema é dedicado.

Aruanda recebe inscrições de curtas

O 8º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro será realizado de 14 a 19 de dezembro, em João Pessoa (PB).

Estão aptos à inscrição trabalhos em curta-metragem produzidos nos gêneros DOCUMENTÁRIO, FICÇÃO, ANIMAÇÃO e EXPERIMENTAL. O festival contempla ainda as categorias TV Universitária/Educativa (nas áreas de Reportagem, Documentário, Programa de TV e Inter-Programa).

Serão aceitas obras finalizadas entre setembro de 2011 e agosto de 2012, de curta-metragem de 2m a 20 min. de duração. Cada realizador poderá se inscrever com até dois trabalhos em cada categoria. Para a categoria de TV UNIVERSITÁRIA (Programa, Reportagem e Documentário para TV) estão aptas produções realizadas por equipes das emissoras de Televisões Universitárias e Educativas brasileiras. Serão aceitos dois trabalhos por gênero para cada emissora.

As inscrições vão até 30 de agosto através do site www.festaruanda.com.br.

A Comissão Organizadora divulgará o resultado da seleção a partir do dia 15 de outubro em jornais e no site oficial do festival.

ComuniCurtas: Selecionados serão divulgados semana que vem

 André da Costa Pinto, idealizador e coordenador-geral, avisa: semana que vem, serão divulgados os filmes concorrentes desta edição e serão abertas as inscrições para palestras e oficinas.
 
O AURORA DE CINEMA vai participar do Festival e integrar a cobertura diária de Imprensa do COMUNICURTAS para informar seus muitos leitores.

Aruanda divulga selecionados

 

Em dezembro, acontece mais uma edição do Aruanda Festival de Documentários, sediado na capital paraibana, sob o comando do professor e cineasta Lúcio Villar.

Serão cinco dias para se conhecer parte da recente produção de cinema brasileiro de longas e curtas-metragens, nos gêneros documentário, ficção, animação, experimental, videoclipe, peça publicitária, vídeo de um minuto, curta universitário e TV Universitária/Educativa.

O Fest Aruanda, iniciativa e produção do Núcleo de Estudos, Produção e Pesquisa Audiovisual (Neppau), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFPB e o Grupo Artesanal, se estruturou nos últimos sete anos para se tornar uma importante vitrine do cinema nacional, exibindo parte da diversidade cultural brasileira, através da sua produção audiovisual. Nesta sétima edição, foram inscritos quase 200 trabalhos, sem contar a produção de televisão pública e universitária, ainda sendo analisada.

A organização do festival recebeu trabalhos de todos os recantos do país. Do total dos filmes inscritos, aproximadamente 44% vieram da região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo); 11% do Sul (Paraná e Rio Grande do Sul); 5% do Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso); e 40% do Nordeste (Pernambuco, Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão, Alagoas e Paraíba). A Paraíba teve significativa participação: dos 40% dos filmes inscritos pelo Nordeste, o estado foi representado com 45% de trabalhos produzidos em João Pessoa; 32% em Campina Grande e 23% em cidades do interior, (Guarabira, Coremas, Esperança, Congo, Patos, Nazarezinho, Cabedelo, entre outras).

Vale registrar: a qualidade dos trabalhos surpreendeu, na medida em que as concepções técnicas e estéticas dos filmes produzidos evoluíram significativamente. “Recebemos filmes com teor narrativo inconteste, lapidado com primor fotográfico e ritmo de montagem que cativa e pode impressionar o mais crítico dos espectadores”, entusiasma-se Renato Alves, estudioso e realizador de cinema, integrante da comissão de seleção do 7º Fest Aruanda ,juntamente com o jornalista Audaci Junior e o cineasta e poeta Águia Mendes.

Segundo a comissão, foi notório um avanço no trabalho dos realizadores no tocante ao poder de síntese, dos mais complexos assuntos, transcritos para a linguagem audiovisual. Isso pode ser creditado à criatividade dos diretores e ao momento de impulso e fomentação dos programas e projetos governamentais na área cultural, particularmente com o cinema e o vídeo. Obviamente, em consonância com esse processo, as Instituições de Ensino Superior também evoluíram no tratamento com os cursos voltados ao audiovisual, e o resultado se expressa nas abordagens e produções desses estudantes. Merece destaque  produções vindas do interior da Paraíba, frutos de projetos desenvolvidos por Ongs, ABD-PB e a UFPB, assim como as dos cursos de comunicação da UEPB e da UFCG.

 O ARUANDA homenageará este ano o cantor/compositor Milton Nascimento, e o compositor Geraldo Vandré por sua contribuição à música no cinema.   

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (FICÇÃO)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 LÁPIS DE COR RJ

15´00´´

 
02 METAFÍSICA JP

12´00´´

 
03 JULIE, AGOSTO, SETEMBRO GO

8´07´´

 
04 ARGENTINO SP

14´00´´

 
05 A PERUCA DE AQUILES RJ

15´00´´

 
06 OYASUMINASAI SP

6´00´´

 
07 A FÁBRICA PR

15´00´´

 
08 SEVERINO QUER GRAVAR DF

9´00´´

 
09 COM AMOR LUÍZA SP

5´40´´

 
10 ASFIXIA SP

15´00´´

 
11 ENSOLARADO RJ

14´00´´

 
12 AS FOLHAS Patos

14´00´´

 
13 INQUÉRITO POLICIAL nº 0521/09 SP

13´00´´

 
14 MAIS DENSO QUE SANGUE CG

15´00´´

 
15 NEGÓCIO DE MENINO COM MENIN JP

6´00´´

 

 

 

 

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (EXPERIMENTAL)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 PEGADAS DE ZILA RJ

11´00´´

 
02 3X4 SP

5´40´´

 
03 CAOS SP

15´30´´

 
04 HOMEM-AVE RJ

7´03´´

 
05 RITMOS Cabedelo

5´00´´

 
06 MANTEGNA PR

6´54´´

 

 

 

 

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (DOC)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 O BRASIL DE PERO VAZ RJ

15´00´´

 
02 A DAMA DO PEIXOTO RJ

11´00´´

 
03 TRAVESSIA Coremas

13´50´´

 
04 MATO ALTO PEDRA POR PEDRA CE

15´00´´

 
05 IRMÃS JP

14´55´´

 
06 A MUSA DA MINHA RUA RJ

15´40´´

 
07 HOJE TEM ESPETÁCULO? CG

15´00´´

 
08 EXPLÍCITO CG

14´40´´

 
09 OVOS DE DINOSSAURO NA SALA.. PR

12´26´´

 
10 A PASSAGEM SP

5´00´´

 
11 UMA CIÊNCIA ENCANTADA JP

15´00´´

 
12 VIDAS DESLOCADAS PR

13´11´´

 
13 SALA DE MILAGRES BA

13´00´´

 
14 ELEGANTE E FURIOSO SP

15´00´´

 

 

 

 

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (VÍDEO DO MINUTO)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 ROTINA/RUPTURAS SP

1´00´´

 
02 ? JP

1´00´´

 
03 FUBO É BOM Congo

1´00´´

 
04 JULHO PR

1´00´´

 

 

 

 

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (CLIP)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 ONE SKY RJ

2´46´´

 
02 POR AÍ – BÁRBARA EUGÊNIA SP

3´16´´

 
03 TÁ NA CABEÇA MG

2´43´´

 
04 NUBLADO – MODERN PERSONS JP

3´48´´

 
05 METACROSE – WHAT´S ESTABILIS JP

4´19´´

 

 

 

 

VII FESTARUANDA – SELEÇÃO (ANIMAÇÃO)

TÍTULO

LUGAR

TEMPO

 

01 O CÉU NO ANDAR DE BAIXO MG

15´00´´

 
02 FURICO & FIOFÓ RJ

8´00´´

 
03 RAI SOSSAITH SP

10´05´´

 
04 O OGRO GO

8´00´´

 
05 WILMA PE

3´43´´

 
06 A FÁBULA DA CORRUPÇÃO RS

8´15´´

 

 

 

 

TEMPO GERAL POR CATEGORIA

CATEGORIA

TEMPO

 

FICÇÃO

176´47´´

 
EXPERIMENTAL

51´07´´

 
DOCUMENTÁRIO

187´52´´

 
VÍDEO DO MINUTO

4´00´´

 
VÍDEO CLIP

16´54´´

 
ANIMAÇÃO

55´03´´

 

ComuniCurtas divulga Programação

Cineasta  André da Costa Pinto, idealizador e coordenador-geral do Festival ComuniCurtas de Cinema e Vídeo, que acontece anualmente em Campina Grande, divulga a programação da próxima edição do concorrido festival, que vai acontecer de 29 de agosto a 3 de setembro, nas dependências do SESC e da UEPB.

Segunda-feira (29/08)

19h: Cerimônia de Abertura no SESC Centro
Homenagem a Marcus Vilar e Torquato Joel
Entrega do Prêmio Machado Bitencourt de Contribuição ao Cinema Paraibano

Mostra Outros Olhares
Resta Um – Direção: Aurora Miranda Leão (Fic-20’/CE)

* Lançamento contará com a presença da atriz INGRA LIBERATO, que é a protagonista do curta digital, realizado em Goiânia


Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem
Mais Denso que Sangue – Direção: Ian Abé (Fic-15’/CG) Classificação: 16 anos
O Reino da Serra – Direção: Sinaldo Luna (Doc-15’40’’/CG-Itatuba) Livre

Uma Ciência Encantada – Direção: Chico Sales (Doc-20’/JP) Livre
Manteiga em Venta de Gato – Direção: Pablo Maia (Fic-5’/JP) 
No Ventre da Poesia – Direção: Karlla Christine e Carlos Mosca (Doc-15’/CG) Escravos de Jó – Direção: Daniel Araújo (Fic-20’/JP) Classificação: 12 anos
Maria do Caixão – Direção: Hildeberto Figueiredo e Álisson Marques (Doc-10’33’’/CG) Classificação: Livre
Estrelando : José Sawlo – Direção: Leandro Alves (Doc-19’47’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Eu não quero voltar sozinho é um dos concorrentes
Menina da Chuva – Direção: Rosário (Animação -6’/ RJ)
Eu Não Quero Voltar Sozinho – Direção: Daniel Ribeiro (Fic-17’/SP)
22h: Programação Social

Terça-feira (30/08)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Fotografia com João Carlos Beltrão no DECOM/UEPB
Oficina de Direção com Marcus Vilar
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva A Idéia é

FENART 2010 – Agência: Arte Final Propaganda
Caricatura (Revista Politika) – Agência Sin
Infinity Doc – Agência Sin
Náufrago – Agência: Dabliu A
São João Rede Pharma – Agência: Criare Comunicações

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Juventude Vendida 1 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Caravana JPB: Resistência Cultural – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira
São João Cordel – TV Itararé – Repórter: Rodrigo Apolinário

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

22 Anos – Direção: Anne Emanuelle (Doc-10’07’’/CG) Classificação:Livre
O Diário de Márcia – Direção: Bertrand Lira (Doc-20’/JP) Classificação: 12 anos
Antes do Café – Direção: Carlos Mosca (Fic-8’32’’/CG) Classificação:10 anos
A Fábrica de Gravatas – Direção: Érik Medeiros (Fic -10’10’’/CG)

Hoje Tem Espetáculo ? – Direção: Leandro Alves (Doc-15’/CG)

O Prazer em Cartaz – Direção: Sandro Mangueira (Doc-12’/CG)

Tocando um Baixo – Direção: Katiane Alves do Anjos (Doc-15’/Conde) Peregrinos – Direção: Adeilton Costa e Ítalo Jones Marinho (Doc-17’20’’/CG)

O Quinto Beatle – Direção: Ítalo Brito e Fernando Ventura (Doc – 12’04’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Acercadacana – Direção: Felipe Perez Calheiros (Doc-20’/PE)
Revertere Ad Locum Tuum – Direção: Armando Mendz (Fic-18’/MG)
22h: Programação Social

Quarta-feira (31/08)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Fotografia com João Carlos Beltrão no DECOM/UEPB
Oficina de Direção com Marcus Vilar no DECOM/UEPB
Oficina de Como Submeter Projetos a Lei Ruanet com Antônio Leal no DECOM/UEPB
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva A Idéia é

Chopp – Agência: Dabliu A
Cordel (Artexpress) – Agência: CaféCom
Roleta – Agência Sin
Sumiço – Agência Sin
Ressocialização – Trabalho Acadêmico alunos da Cesrei

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Juventude Vendida 2 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Lajedo Pai Mateus – Repórter Junino – Repórter: Giordani Matias, Emmanuela Leite e Alidiane Sousa
Caravana JPB: Educação – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira

A acolhedora Campina Grande conta os dias para o início de mais um ComuniCurtas

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Quando Eu Crescer… – Direção: Emanuel Dias (Doc-15’/CG) Classificação:Livre
Durma Comigo – Direção: Renato Hennys (Fic-8’/CG) Classificação:14 anos
Cinema Americano – Direção: Taciano Valério (Doc-15’/CG) 
Travessia – Direção: Kennel Rógis (Doc-13’50’’/Coremas) Classificação: Livre
Pedro Perilima – Direção: Ian Costa (Doc- 13’30’’/CG) Classificação:Livre
Chico do Itararé – Direção: Giovanni Perez (Doc-15’/CG) Classificação:Livre
As Folhas – Direção: Deleon Souto (Fic-14’/Patos) Classificação:Livre
Concreto – Direção: Jaime dos Santos Guimarães (Doc-12’59’’/CG)

Mostra Competitiva Brasil

Asfixia – Direção: Fábio Aguiar (Fic-15’/SP)
Do Morro ? – Direção: Mykaela Plotkin e Rafael Montenegro (Doc-20’/PE)
22h: Programação Social

Quinta-feira (01/09)

9h: Mostra Infantil no SESC Centro
10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Direção de Arte com Ana Paula Cardoso no DECOM/UEPB
Bate-papo entre os realizadores de festivais e mostras audiovisuais da Paraíba no DECOM/UEPB
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Competitiva Tropeiros de Telejornalismo

Caravana JPB: Saúde – TV Cabo Branco/Paraíba – Repórter: Laerte Cerqueira
Presídio Desativado – TV Borborema – Repórter: Renato Diniz
Juventude Vendida 4 – TV Correiro – Repórter: Wendell Rodrigues
Circo de Bairros – TV Itararé – Repórter: Hermano Júnior

Mostra Competitiva Estalo

A Foca do Judeu – Direção: Altiéres Stevam, Diane Silva e Jonatha Medeiros (1’ /CG)
Descida ao Centro da Cidade – Direção: Juliana Terra (1’ /CG)
? – Direção: Fernando de Oliveira Morais (1’ /JP)
Inverno e Mentiras em Campina Grande – Direção: Allan Dantas (1’ /CG)
As 1001 Utilidades de Mainha – Direção: Thiago Lopes (1’ /CG)
No Escuro – Direção: M Quixaba e Carine Fiúza

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Lamúria – Direção: Nathan Cirino (Fic- 15’/CG) Classificação:Livre
Degradação das Almas – Direção: Ismael Moura (Fic-15’/Cuité)

As Voltas do Mundo – Direção: Fabrício Santana (Doc-15’/CG-Aroeiras)

Ensaio – Direção: Altiéres Estavam (Fic-9’28’’/CG) Classificação:16 anos
A Identidade da Memória Morta – Direção: Rebecca Cirino (Doc-15’/CG)
Irmãs – Direção: Gian Orsini (Doc-16’/JP) Classificação: Livre
Salete Cobra – Direção: Ailton Francisco (Doc-9’/CG) Classificação: Livre

Mostra Competitiva Brasil

A Dama do Peixoto – Direção: Allan Ribeiro e Douglas Farias (Doc -11’/RJ)
A Fábula da Corrupção – Direção: Lizandro Santos (Animação- 8’15’’/RS)
Carreto – Direção: Cláudio Marques e Marília Aughes (Fic-12’/BA)
22h: Programação Social

Sexta-feira (02/09)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Oficina de Direção de Arte com Ana Paula Cardoso no DECOM/UEPB
Mostra de Cinema Argentino no SESC Centro
19h: Mostras Competitivas no SESC CENTRO

Mostra Outros Olhares

Ninjas –Direção: Denison Ramalho (Fic -15’/SP)
Angeli 24 horas – Direção: Beth Formaggini (Doc – 25’/RJ)

Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema de Curta-Metragem

Biliu: O Maior Carrego do Brasil – Direção: Lau Barboza (Doc-13’/CG)

Menino Artíficie – Direção: Ana Célia Gomes, Kárem Vasconcelos e Samuel Dias (Doc -15’/CG) Classificação: Livre
Nublado – Direção: João Paulo Palitot (Fic-12’/JP) Classificação: Livre
Olhar Particular – Direção: Paulo Roberto (Doc-10’40’’/Cabedelo)

Zefinha e Sebastião– Um Chifrudo Coroado – Direção: Dianne Ferreira (Animação-6’45’’/CG) Classificação: 12 anos
Metafisica – Direção: Eduardo Gomes (Fic-12’/JP) Classificação: Livre
O Hóspede – Direção: Anacã Agra e Ramon Porto Mota (Fic-17’/CG)

Explícito – Direção: Marcel Henriques (Doc-14’35’’/CG) Classificação: 16 anos

Mostra Competitiva Brasil

Rái Sossaith – Direção: Thomate (Animação-10’/SP)
Casa da Vó Neide – Direção: Caio Cavechini (Doc-20’/SP)
A Fábrica – Direção: Aly Muritiba (Fic-15’/PR)
22h: Programação Social

Numa das edições do ComuniCurtas, Aurora Miranda Leão e André da Costa Pinto, Yomara Rocha e Ana Célia Gomes

Sábado (03/09)

10h: Debate e Coletiva de Imprensa com os Realizadores dos Filmes Exibidos na Noite Anterior
Local: DECOM/UEPB
14h: Fórum dos Realizadores Audiovisuais Paraibanos no DECOM/UEPB
20h: Entrega do prêmio pela contribuição ao Cinema Brasileiro para Hilton Lacerda
Cerimônia de encerramento e entrega dos prêmios no SESC Centro

22h: Programação Social: Festa de Encerramento

Vandré no próximo Festival ARUANDA

  

Inscrições para o Festival de Documentários mais importante do Nordeste podem ser feitas até 20 de Agosto.

Comandado por Lúcio Villar (com produção-executiva do professor e cineasta Bertrand Lyra), o festival será realizado na capital paraibana de 9 a 14 de dezembro e este ano terá como homenageado especial o compositor Geraldo Vandré.

Lúcio Vilar e Geraldo Vandré conversam em restaurante paulista. Foto: Darlan Ferreira
Geraldo Vandré lê termo de compromisso do Festival
 
Geraldo Vandré, autor da célebre canção que se tornaria hino de resistência à ditadura militar no Brasil , “Pra não dizer que não falei das flores”, promete retornar à Paraíba, onde nasceu, em dezembro próximo e será por um  motivo muito especial: ele é o homenageado do 7º Fest-Aruanda do Audiovisual Brasileiro, constituindo-se na primeira vez em que o artista será agraciado por um festival de cinema. Quem informa é o jornalista e coordenador-geral do evento, Lúcio Vilar.´
O encontro entre Vandré e Lúcio aconteceu num restaurante no centro da capital paulista, onde foi oficializado o anúncio da homenagem que “sensibilizou o artista”, segundo relato de Vilar, ainda sob o impacto das conversas que consumiram a tarde inteira do último dia 7 de maio.
 
– “Estava muito ansioso por esse momento, pois nunca havia visto o Vandré de perto, mas o encontro foi o mais informal possível”, disse o coordenador que tomou a decisão pela homenagem em razão da participação do artista num filme realizado nos anos 60, hoje reconhecido como um “clássico” da década ‘cinemanovista’.
 
A Hora e Vez de Augusto Matraga é baseado em obra de Guimarães Rosa e foi lançado em 1965. O longa foi dirigido por Roberto Santos, cuja música é assinada por Geraldo Vandré. Na época, o filme recebeu os prêmios de melhor argumento, diálogo, direção e ator (Leonardo Villar) na I Semana do Cinema Brasileiro, em Brasília, em 1966.
 
Os passos do tão esperado encontro do diretor do Festival com o mito da MPB
 
 Já passava das 13h quando um táxi estacionou próximo aonde aguardava ansiosamente por um dos maiores nomes da música popular brasileira de todos os tempos. Geraldo Vandré desce do carro, e nos cumprimentamos pela primeira vez. Caminhamos da Martins Fontes, onde nos encontrávamos, na direção do Largo do Paissandu, transitando por ruas abarrotadas de ambulantes e trabalhadores que se despediam do meio expediente de um sábado de temperatura em declínio.
 
Em restaurante na região central que serve um impecável ‘mexidinho de ovos’, e onde já é velho habitué, sua presença é saudada afetivamente pelo proprietário e seus garçons. É aí que Vandré aceita o convite, autografa o documento oficial, e me revela uma curiosidade. Sua opção por viajar de carro, e que gostaria de refazer o percurso mais uma vez dirigindo até João Pessoa para participar do festival Aruanda.
 
Compartilhei que tal idéia também me fascinava, mas que nunca havia consumado tal intento. Ele, além de me ‘desafiar’ a encarar a empreitada, justificou as razões de ordem filosófica, digamos assim.
 
– “De massificação, basta a daqui de baixo. Ônibus aéreo jamais!”, pontificou. E lembrou da viagem que fez, num Galaxi que conserva até hoje, de São Paulo à Anápolis, no final de 1968, ainda sem a informação de que o AI-5 havia sido decretado, e que teve que retornar com o cancelamento de um dos shows. Contou com riqueza de detalhes como conseguiu passar incólume por todas as barreiras policiais encontradas no caminho, para me ‘desafiar’ novamente:
 
– “E por que você não conversa com uma grande empresa em João Pessoa para apoiar o festival e colocar um automóvel para que possa ir dirigindo até lá?”, disse assim, na lata, ao que lhe devolvi, de imediato, tratar-se de uma simpática, sedutora e boa idéia de marketing a se pensar. Quem sabe, possa interessar aos senhores empresários do setor (alguém aí se habilita a alavancar a imagem de sua empresa por uma causa justa?…).
 
Os papos foram muitos, mas não poderia faltar o registro à “Fabiana”, canção que fez para a Aeronáutica, cuja cópia em formato de bolso me presenteou. Pedi para que autografasse e revelei que ele era a segunda personalidade artística a quem fizera pedido semelhante. O saudoso Zé Kéti foi o primeiro, também aqui em São Paulo nos anos noventa.
 
– “Não há um segundo sem um primeiro”, disse-me um Vandré generoso e descontraído, logo tascando sua assinatura.
 
Entre alguns poucos goles de cerveja e saídas para fumar (aqui é proibido fazê-lo em recinto fechado), aquele homem de cabelo tingido pelo néon do alto de seus 76 anos me impressionava a cada nova fala, sempre com algo espantosamente instigante sobre o Brasil, resquícios e fragmentos que ficaram de sua época e o ‘fastio cultural’ que perpassa novas gerações de gostos e sentidos duvidosos.
 
Estava diante de um mito. Sim, é verdade. Ali estava o homem que, sozinho, colocou o Maracanãzinho a seus pés para seguir a canção, braços dados ou não. Descobri, porém, muito mais. Muito além, portanto, da cristalização desse mesmo mito. Enxerguei Geraldo Pedrosa de Araújo Dias, homem extremamente lúcido e pé no chão, pronto a falar duras e cristalinas verdades de modo refinado e elegante, dado o aguçado senso crítico que impressiona profundamente quem se coloca na condição de seu interlocutor.
 
Saímos do restaurante e refizemos o percurso novamente a pé, desta vez pelos calçadões de artérias comerciais do centro de São Paulo. Sentamos em um banco de praça, por sugestão sua, meio que para não interromper a inspirada prosa, agora cortada por rajadas geladas de vento da tarde que já avançava para seu breve lusco-fusco nesse outono paulistano com cara de inverno.
 
Despedimo-nos outra vez na Martins Fontes. Sigo o caminho de volta com a absoluta certeza de que havia experimentado um sentimento sem precedentes. Melhor ainda é saber que esse privilégio será compartilhado por um número ainda maior de pessoas, com sua presença na abertura do Fest-Aruanda.
 
(*) Lúcio Vilar é professor da UFPB, coordenador do Fest-Aruanda e pós-doutorando da ECA-USP.
 
Clássico do cinema nacional está na programação
 
Segundo o coordenador do FestAruanda, o filme “A Hora e a Vez de Augusto Matraga” terá exibição especial na noite da abertura oficial do 7º Fest-Aruanda, dia 9 de dezembro no Hotel Tambaú, Paraíba . Antes, o cantor e compositor será homenageado pela organização do festival com a entrega dos troféus Aruanda (de Contribuição ao Cinema Nacional e Contribuição à Música Popular Brasileira nas décadas 1950-1960).
Reportagem: Bernadete Duarte
Fonte: Canal Brasil

Cinema na Cidade das Águas


Abertas inscrições ao III Festival de Cinema do Congo.

Nesta terceira edição, o CineCongo homenageará o ator paraibano Luiz Carlos Vasconcelos, que receberá o troféu Ricardo Duarte em reconhecimento à sua obra e pela contribuição que tem dado ao cinema no Estado. Já foram congratulados com o troféu o cineasta Torquato Joel e a atriz Marcélia Cartaxo.  

As inscrições vão até 25 de julho, e a direção do CineCongo espera inscrições de filmes de todas as regiões da Paraíba, haja vista que o Festival vem contribuindo para a produção, exibição e difusão do cinema produzido no Estado.

Para escrever os filmes deverá ser solicitado através do e-mail cinecongo@yahoo.com.br a Ficha de Inscrição.

O Festival de Cinema do Congo constitui sua mostra nas seguintes categorias:

Panorama Congo

(Para filmes produzidos da Cidade)

Panorama Interior

(Para cidades paraibanas com até 150 mil habitantes (Censo IBGE: 2009)

Panorama Cidades Grandes

(Para cidades paraibanas com mais de 151 mil habitantes (Censo IBGE: 2009)

Panorama Brasil

(Para todos os Estados Brasileiros, exceto Paraíba)

O Festival de Cinema do Congo vai acontecer de 22 a 25 de setembro, no Auditório Municipal na Cidade do Congo, no Cariri Paraibano.

Para mais Informações, www.cinecongo.blogspot.com

Em cenário “filme catástrofe”…

Para Célia Bitencourt

Películas “escapando” de suas latas, dezenas de fitas VHS, entre o mofo e a desfiguração apodrecida, fotografias amareladas e espalhadas pelo chão, recortes de jornais voando pela sala quente e inadequada para armazenar tamanha riqueza de registros imagéticos e sonoros da Parahyba…

Em típico cenário “filme catástrofe”, eis que desponta um espectro na embaçada imagem da vitrine. Ao passar a mão, o vulto dá lugar a um cineasta… Mas, ele não faleceu? – pergunto-me ao mesmo tempo que um frio percorre a espinha, gelando até a alma. Sim, é verdade! Como, então?! Ao tentar racionalizar a resposta, uma nova dimensão se interpõe, destituindo de sentido a indagação. Diante de mim, lá está Machado Bitencourt no Espaço Cultural, esbravejando em cena aberta de “filme silencioso”, do qual visualizo apenas expressões de angústia e revolta em estado puro.

Ensaio voltar ao sentido perdido, pois reza a lenda que os mortos serenam seus ânimos. Qual nada! “Aqui”, a normalidade cotidiana é absolutamente subvertida; dou-me conta então do pesadelo em que estou mergulhado.

Ainda lembro dos sonhos como manifestação de desejos, já dizia Freud… Este, porém, se passa em velocidade chapliniana, sem sonorização, acompanhado apenas de música triste enquanto Machado nos lembra Michael Douglas (Um Dia de Fúria), revirando o que restou de seu acervo até levar as mãos à cabeça em desespero incontido ante um desfecho tão apoteótico quanto desolador:

Fotogramas escorrem impunemente em transmutação líquida (“síndrome do vinagre”, que configura a decomposição da película) pelas rampas do Espaço Cultural, na mais surreal e fantástica tomada com força de “tsumani”. Desperto subitamente, ainda acometido do forte aroma do tempero doméstico.

Tal como um náufrago, eis o melancólico resumo da fita, Machado parece ter perdido de vez as esperanças de que sua “garrafa”, lançada ao mar de indiferenças e má vontades recorrentes… seja um dia encontrada.

Eita Parahyba velha de guerra ! Nem na vida eterna dá descanso a seus filhos !

* Texto do professor e documentarista paraibano, LÚCIO VILLAR, coordenador-geral do Festival ARUANDA de Documentários, que acontece todo dezembro na adorável João Pessoa…

ComuniCurtas 6 Será Lançado Amanhã

Amanhã, 7 de abril, acontece a cerimônia de lançamento da VI edição do COMUNICURTAS Festival Audiovisual de Campina Grande, idealizado e comandado pelo cineasta André da Costa Pinto.

O concorrido festival terá como cenário as dependências do SESC Centro, a exemplo do que aconteceu ano passado. A cerimônia de lançamento marca o início das inscrições para as Mostras Competitivas do Festival e o lançamento do site www.comunicurtas.com.br.

As Mostras são: Mostra Competitiva Tropeiros da Borborema – vídeos produzidos por realizadores naturalizados paraibanos, e filmes rodados na Paraíba de até 20 minutos. Mostra Competitiva Brasil – trabalhos de até 20 minutos produzidos em qualquer estado do país. Mostra Competitiva Estalo – trabalhos de até um minuto de duração, produzidos por realizadores naturalizados paraibanos. Mostra Competitiva A idéia é… –  aberta a todos os profissionais, estudantes e agências publicitárias da Paraíba. Mostra Competitiva Tropeiros do Telejornalismo: tele-reportagens com até 5 minutos de duração, abordando qualquer conteúdo.

Este ano, o ComuniCurtas terá como novidade uma Mostra de Cinema Argentino. E as personalidades homenageadas pela Paraíba são os cineastas Marcus Vilar e Torquato Joel em reconhecimento às suas obras e pela contribuição ao audiovisual. Já em âmbito nacional, o homenageado é o cineasta Hilton Lacerda. Além das tradicionais premiações: Prêmio Rômulo e Romero de Cinema; Prêmio Luiz Custódio de Folkcomunicação, e o prêmio “João Carlos Beltrão de Melhor Plano Cinematográfico”.

 O ComunicurtasUEPB incentiva produções cinematográficas regionais, bem como  produções televisivas e de agências de publicidade e propaganda da Paraíba. Todas as produções participantes das Mostras Competitivas concorrem ao Prêmio Machado Bittencourt. Este ano, o festival será realizado de 29 de agosto a 3 de setembro.

O ComuniCurtas é uma realização UEPB – DECOM – CCSA e conta com apoio do Moinho de Cinema da PB e do SESC – Centro.

Xuxa e a “peleja” com Walter Hugo Khouri…

* Confira o instigante artigo do professor e documentarista paraibano Lúcio Villar, idealizador e presidente do Festival ARUANDA de Documentários…

 
Contra o cinema

Nunca simpatizei a suposta “rainha dos baixinhos”,
ícone-mor do consumismo em escala industrial, responsável
por “n” disfunções no imaginário e formação das
crianças nas décadas de 80 e 90 no Brasil. Melhor sorte
tiveram os nascidos neste século; sem a mesma força
do apelo de mídia daqueles anos, estes prescindem dos
caprichos mercadológicos da balzaquiana que ainda força
a mão, prorrogando uma plastificada postura infantil que
está mais para simulacro dela mesma no pesado jogo das
indústrias do entretenimento.
O ponto em questão, entretanto, não é este, até
porque o tema foi amplamente abordado na academia. A
apresentadora está, mais uma vez, encarando o fantasma
do filme Amor, Estranho Amor (1982), onde aparece em
cena de sexo com um garoto de 12 anos.
Para quem não sabe, basta resumir que a fita está fora
do mercado há duas décadas por decisão judicial, atendendo
a recurso da própria atriz que tomou a decisão de
‘abafar’ a película após se consagrar na TV na condição de
apresentadora. Ação policial apreendeu as cópias originais
do vídeo nas locadoras do país.
Trata-se de filme do diretor Walter Hugo Khouri que
morreu angustiado com o esdrúxulo desfecho. Mas, nem
tudo foram flores para a loira que não conseguiu evitar a
circulação de cópias piratas e pode ser baixado na web.
Nos EUA foi lançado em DVD e pode ser importado; ela
também entrou com ação por lá, mas perdeu.
Agora, o produtor do longa-metragem pode ter de
volta o direito de comercialização, uma vez que o trato
estabelecido sobre a não circulação do longa foi quebrado.
Quanto ao imbróglio jurídico, este segue sob questionamento
em todas as esferas.


Afinal, foi a primeira vez que uma atriz interditou
uma obra de arte que, em última instância, só a figura do
produtor ou do diretor deveria ter poder para tanto. Caso
único em que a perversa ‘bipolaridade’ de uma apresentadora
negou a atriz que um dia ela foi…