Arquivo da tag: dança

Arrastão de Dança em São Paulo

PROJETO ARRASTÃO LEVA GRUPO DE DANÇA AO PARQUE DA JUVENTUDE

Jovens integrantes do Núcleo de Dança Pélagos apresentam espetáculo Volúpia em novos palcos

 

O grupo de jovens do Núcleo de Dança Pélagos, do Projeto Arrastão, faz duas grandes apresentações dias 6 (sábado) e 20 (sábado) de novembro, na Biblioteca de São Paulo (Parque da Juventude), na região de Santana, em São Paulo.

 O espetáculo Volúpia, já visto por mais de 2.000 pessoas, é dirigido pelo bailarino e coordenador Rubens Oliveira, e se propõe a traduzir a fruição da vida, o qual resultou em belas coreografias, marcando passagens importantes: da memória de infância, alegria, tristeza, humor, caos urbano, tédio e conflitos, que sensibilizam a platéia chamando a reflexão para o prazer. O espetáculo traz uma mistura da dança contemporânea e encenações teatrais em aproximadamente 15 números. As músicas utilizadas nas coreografias são bastante variadas e vão de valsa a música grega.

 

Os encontros da equipe de dança, composta de jovens entre 15 e 18 anos, começaram em fevereiro deste ano. Os membros do grupo recebem aulas de danças brasileiras, criação do personagem na dança, escrita, jogos teatrais, fisioterapia e educação do movimento. Os ensinamentos do professor Rubens Oliveira vêm do método de aprendizagem que teve quando foi aluno do renomado coreógrafo Ivaldo Bertazzo

 SERVIÇO

Espetáculo Volúpia

Núcleo de Dança Pélagos

Apresentações: 6 (sábado) e 20(sábado) de novembro

Onde: Biblioteca São Paulo – Parque da Juventude

Endereço: Av.: Cruzeiro do Sul, 2630 – próximo ao Metrô Carandiru

Horário: 17h30

Duração: 60 minutos

Informações: Projeto Arrastão – telefone: 11 5841-3366

Sobre o Projeto Arrastão

Fundado em 1968 por um grupo de voluntárias, o Projeto Arrastão é uma organização sem fins lucrativos que trabalha para o desenvolvimento comunitário por meio de ações de promoção social, educacional e cultural, na região de Campo Limpo, zona sul paulista. Atualmente, realiza cerca 1.300 atendimentos diários para crianças, adolescentes, jovens e adultos, somando cerca de cinco mil atendimentos indiretos por mês. Sua missão é formar cidadãos capazes de transformar a realidade e o meio em que vivem sempre considerando o espírito coletivo de não dar o peixe, mas ensinar a pescar. Conheça mais sobre o Projeto Arrastão www.arrastao.org.br.

Programação Vila das Artes

Oficina de Corporeidade e Composição Coreográfica recebe inscrições até dia 28 

A Escola Pública de Dança da Vila das Artes está com inscrições abertas até dia 28 para a Oficina Corporeidade e Composição Coreográfica com o coreógrafo Edvan Monteiro. As inscrições devem ser feitas na secretaria da Vila e os interessados devem apresentar um currículo, ter idade mínima de 16 anos, formação em dança e no mínimo dois anos de experiência. As aulas serão de 3 a 5 de novembro, das 10h às 12h. A Oficina vai abordar exercícios de conscientização do corpo através do sistema Laban. “Esses exercícios não só proporcionam um conhecimento do corpo, mas também do espaço em que este corpo se insere e as pessoas a sua volta. Também envolveremos técnicas que possibilitem uma relação entre todos os participantes como jogos de contato, improvisação e composição em tempo real” explica Monteiro. São oferecidas 20 vagas.

Espetáculo Martyras: Aos olhos de Antígona é apresentado na Vila das Artes

“Martyras: Aos olhos de Antígona” é uma livre adaptação da clássica tragédia  grega de Sófocles que acontece em meio ao grande ritual de celebração das Moiras, divindades do ciclo natural da vida. O espetáculo será apresentado HOJE, 21, e 28 de outubro, às 19h30, na Vila das Artes. A adaptação é do Grupo de Pesquisas Cênicas Teatro das Moiras que acompanha a história da personagem Antígona seguindo o fluxo de seus pensamentos. O espetáculo é marcado pela história sobre a importância de levar as convicções, ideais e paixões até as últimas conseqüências, sejam elas quais forem. O evento tem entrada gratuita e acontece na sala de dança da Vila das Artes. Informações (85) 3252-1444 ou (85) 8690-0037 ou 8128-7177.

Tópicos Utópicos debate As Revoluções com Michael Löwy. 

 O filósofo e sociólogo Michael Löwy é o convidado de outubro do Tópicos Utópicos, projeto da Prefeitura Municipal de Fortaleza que traz grandes pensadores que são referências na esquerda mundial e nacional para encontros e reflexões sobre temas da humanidade. Esta segunda edição acontece na quinta (21) às 19h, no Mercado dos Pinhões (Praça Visconde de Pelotas – Centro, entre o as ruas Gonçalves Lêdo e Tenente Benévolo) e no Auditório da Faculdade de História da Universidade Federal do Ceará (Av. da Universidade, 2762, Benfica), na sexta (22) às 14h30. “As Revoluções dos Séculos XlX e XX” será tema do encontro que também receberá o lançamento do livro Revoluções, organizado por Löwy e editado pela Boitempo (São Paulo). O projeto é realizado pela Prefeitura Municipal de Fortaleza através da Comissão de Participação Popular e da Secretaria de Cultura de Fortaleza em parceria com a Universidade Federal do Ceará, a Editora Boitempo e a Escola Nacional Florestan Fernandes. Michael Löwy nasceu em São Paulo. Formou-se em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP). Desde 1969 vive em Paris. É diretor emérito de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS). Foi homenageado, em 1994, com a medalha de prata do CNRS em Ciências Sociais. É um relevante estudioso do marxismo, com pesquisas sobre as obras de Karl Marx, Leon Trótski, Rosa Luxemburgo, Georg Lukács, Lucien Goldmann e Walter Benjamin.

Informações: (85) 3452-2110

Dança Indaiatuba

Dançar pra bem dançar

cartaz

 Um convite a TODOS e TODAS que queiram dançar com mais liberdade de movimentos e com desenvoltura, revelar seu potencial em TODOS os ritmos e TODAS as danças  !

3as e 5as de 17 às 18:15H                        a partir de 01 de julho

sábados de 9 às 10:30H

1x – R$ 45,00

2x – R$ 60,00

3x – R$ 70,00

Aula avulsa – R$ 15,00

Vila das Artes Promove Debate

 

Encontro recebe  pesquisadores André Lepecki e Eleonora Fabião

O Debates Incalculáveis, programa da Vila das Artes, debruça-se este mês sobre dança e performance e recebe os pesquisadores André Lepecki, da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos e Eleonora Fabião da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O encontro é gratuito e acontece na sexta, dia 4, às 18h30.
Com o tema Planos de composição: dança, objeto, política e movimento,  Lepecki abordará como os campos de força críticos, estéticos ou teóricos compõem políticas do movimento na dança experimental contemporânea.
Já a pesquisadora Eleonora Fabião vai refletir sobre Performance no Espaço Público ou As Muitas Peles do Mundo.  A partir da apresentação de um arquivo de performances realizadas em espaços públicos desde meados dos anos 1960 até hoje, a pesquisadora colocará em debate temas relacionados a teoria e a composição da performance como a desconstrução da representação e do cotidiano, o tônus político da performance e os entrelaçamentos entre corpo performativo e espaço.
Esta edição do Debates Incalculáveis é realizada em parceria com o Curso Técnico em Dança do IACC/Secult/Senac-CE e Bienal Internacional de Dança do Ceará.

André Lepecki é professor no Departamento de Estudos da Performance, da Universidade de Nova York onde também faz doutorado. É também curador, crítico, e dramaturgista. Autor do livro Exhausting Dance (Routledge 2006; traduzido em 6 línguas). Foi premiado pela Associação Internacional de Críticos de Arte pela direção e co-curadoria da recriação de “18 Happenings in 6 Parts” de Allan Kaprow.

Eleonora Fabião é performer e teórica da performer. Professora Adjunta do Curso de Direção Teatral da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutora em Estudos da Performance pela Universidade de Nova York. Ao longo dos anos 90 atuou como membro de grupos de pesquisa e experimentação teatral no Rio de Janeiro.

JULHO da DANÇA em Joinville

Joinville é a capital da dança em julho

 

Entre 21 e 31 de julho, bailarinos e turistas do Brasil e do exterior têm a cidade de Joinville como destino certo. O 28° Festival de Dança de Joinville promove uma profusão de artes no Norte de Santa Catarina. Considerado o maior evento do gênero no mundo pelo Guinness Book desde 2005, o Festival de Dança de Joinville recebe mais de cinco mil bailarinos. Ao total, mais de 220 horas de apresentações são realizadas em praças, hospitais, shopping centers, bairros, no Centreventos Cau Hansen e no Teatro Juarez Machado. Joinville é o mais importante pólo industrial de Santa Catarina, berço de grandes empresas, como Cônsul (atual Whirlpool), Embraco, Fundição Tupy, Tigre, entre outras.

Pelo Festival de Dança de Joinville já passaram grandes nomes da dança como Mikhail Baryshnikov, Cecília Kerche, Natalia Osipova, Andrey Bolotin, Deborah Colker, Carlinhos de Jesus e Ana Botafogo, além de importantes companhias do mundo como o Balé Bolshoi, da Rússia; o grupo Mazowsze, da Polônia; o Ballet Real da Dinamarca; o Balé Nacional de Cuba; e companhias nacionais como o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Desde o ano 2000, Joinville é a sede da única Escola do Teatro Bolshoi fora da Rússia. Localizada no complexo do Centreventos Cau Hansen (palco principal do Festival de Dança), a escola tem mais de 230 alunos e já conta com sua própria companhia, a Cia. Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

Ao todo, o Festival de Dança conta com 13 atrações entre Mostra Competitiva e o Encontro das Ruas, sua vertente hip hop. Os bailarinos de 10 a 12 anos têm seu espaço no Meia Ponta. Espetáculos contemporâneos formam a Mostra Contemporânea de Dança e para atrair os olhares da população e turistas, os Palcos Abertos levam a arte para diversos locais da cidade.

Além do Festival de Dança em si, Joinville oferece muitas opções em gastronomia e entretenimento. Durante o dia um roteiro de museus e visita à sede da Escola do Teatro Bolshoi. Vale a pena conferir também a vida noturna da cidade, bastante movimentada durante o Festival. 

Principais atrações: 

Noites especiais de Abertura, de Gala e dos Campeões

Mostra Contemporânea de Dança

Mostra Competitiva – balé clássico, clássico de repertório, dança contemporânea, danças populares, jazz, sapateado e dança de rua

Meia Ponta – apresentações infantis

Feira da Sapatilha

Palcos Abertos

Cursos e oficinas e seminários

Encontro das Ruas

Passarela da Dança

Dança Comunidade

Rua da Dança

Visitando os Bastidores

Mais informações: www.festivaldedanca.com.br e www.turjoinville.com.br

Editais Funarte

A Funarte está lançando 34 editais de fomento às áreas de teatro, dança, circo, artes visuais, fotografia, música, literatura, cultura popular e arte digital. Serão concedidos mil prêmios e bolsas de até R$ 260 mil, para projetos de produção, formação de público, pesquisa, residências artísticas, apoio a festivais e produção crítica sobre arte. 

Funarte

Com investimento total de R$ 56,8 milhões, a Funarte e o Ministério da Cultura acabam de lançar 34 editais de fomento às áreas de teatro, dança, circo, artes visuais, fotografia, música, literatura, cultura popular e arte digital. Serão concedidos mil prêmios e bolsas de até R$ 260 mil, para projetos de produção, formação de público, pesquisa, residências artísticas, apoio a festivais e produção crítica sobre arte. 

Foram lançadas as novas edições dos prêmios Myriam Muniz (teatro), Klauss Vianna (dança) e Carequinha (circo) e da Rede Nacional Artes Visuais – que estão entre as principais políticas públicas para as artes no Brasil. O apoio à literatura, à criação em música erudita e à circulação de música popular também está mantido. Além disso, muitas inovações garantem espaço para novos formatos e novas interações estéticas no país.

Pela primeira vez, a Funarte lança editais para seleção de festivais. Há também prêmios para artes cênicas na rua e o apoio a residências artísticas no Brasil e no exterior. A instituição investe na composição de música erudita, em concertos didáticos na rede pública de ensino e na gravação de CDs de música popular. Nas artes visuais, a Funarte volta a apoiar festivais e salões regionais, além de viabilizar projetos de pesquisa e reflexão crítica sobre artes contemporânea. A fotografia será tratada como categoria à parte, com o Prêmio Marc Ferrez.  

O orçamento da Funarte para 2010 é de R$ 101,6 milhões – sete vezes maior que o de 2003, e o maior em vinte anos de história da Fundação. Os programas foram elaborados a partir das diretrizes do Plano Nacional de Cultura, do Ministério da Cultura, com ampla participação da sociedade, por meio de diversos encontros com a diretoria colegiada da instituição e com os Colegiados Setoriais. Os projetos inscritos são analisados por comissões externas, contando sempre com representantes de todas as regiões brasileiras.

Inscrições abertas em todo o país. Editais, fichas  de inscrição e mais informações: www.funarte.gov.br.